xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/10/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 outubro 2016

Escolhas certas - Por: Emerson Monteiro

Inúmeras vezes afirmam isso a propósito das escolhas durante a existência, de que frutificam resultados e delas se viverá a essência do Ser. Que viver é escolher e colher o que se plantar. Espaço de respiração do gesto de ser livre, escolhas determinam os passos da caminhada pelo chão. Sempre lançar as sementes daquilo que queiramos colher, sendo as tais escolhas essas sementes. Gestos, palavras e atitudes. 

Conquanto cientes, nem tanto assim acontecem as práticas correspondentes. Preciso, no entanto, agir de acordo com nossos sonhos. Fazer aos outros o que queiramos para nós, regra de ouro no eito da plantação. Nisto, as escolhas, ações e produções.

A visão evangélica de que Jesus morreu na cruz para limpar os nossos pecados significa bem o exemplo que ofereceu de a gente utilizar do seu exemplo em nome da própria salvação. Com isso, Ele abriu o caminho aos que vêm na missão de vencer o mundo. Longe, pois, de pensar que agora que demonstrou qual vencer e conquistar o Reino Divino que podemos cruzar os braços e entregar ao mero acaso o resultado da nossa participação. Tal os bons professores, o Mestre indicou jeito exato de dominar a matéria e chegar ao nível de obter vitória sobre as limitações da carne.

Cabe, por isso, na prática, o meio de oferecer as respostas da perfeição ainda no decorrer das histórias pessoais e desenvolver os métodos do Rabi da Galileia, transcendo as limitações oriundas de uma condição de aparente condenação.

Os instrumentos, as escolhas. Olhar de frente o dever da Purificação, e nisso espíritos transpõem as barreiras da matéria, tributo de superar os apegos das fraquezas humanas. 

Escolher com arte cada passo da libertação, eis a norma principal de superar a condição de que chegaremos à limpeza do pensamento na luz da Consciência pura.

(Ilustração: Vincent Van Gogh). 

O resoluto – por Pedro Esmeraldo

  No tempo da minha infância, conheci um senhor, de estatura elevada, magricela que era muito amigo de meu pai. Esse Senhor era comerciante, de produtos de material de construção, que vinha do município de Farabrias. Nessa época, quase não havia transporte movido a combustível e as vezes, com muita dificuldade, encontrava o propalado caminhão tipo Chevrolet, carro construído especialmente para transporte de carga.
  Havia o costume dos vendedores ambulantes que transportavam seus produtos em lombos de animais a fim de favorecer a entrega de sua mercadoria de material de construção até a residência do proprietário. Procuravam esses animais porque eram os mais resistentes e possuidores de força descomunal e por certo saia o transporte a preço módico.
            O cidadão Abel Rocha era um senhor de aspecto delicado e favorecia com bons modos a entrega de caliça em cidades distantes.
            Este cidadão possuía um filho por nome de Arthur. Ele tinha o desejo de fazer agronomia que era seu hobby preferido. Devido a pobreza do agricultor nordestino, já que não havia quase desenvolvimento que engrandecer-se o trabalho bem acentuado e avançar na linha do comércio agroindustrial.
            Por isso, o senhor Arthur não teve condições de se retirar de sua gleba para estudar em lugares distantes. Teve como obrigação auxiliar seu pai, conduzindo os animais que transportavam a caliça nas estradas poeirentas que dirigia ao Crato e outros municípios. Notava-se que o desenvolvimento era lento e quase não existia.
            Seu filho Abel Rocha Neto também teve a vontade de continuar seus estudos com dificuldade enorme manteve firme no trabalho agrícola. Era um senhor arrojado, determinado e avançado, mas não havia condições alguma que lhe favorecesse a tecnologia nos moldes modernos.
            Resolveu seguir as pegadas do seu pai, trabalhando com muita precisão no ramo pastoreio. Foi coerente em suas atitudes, soube-se elevar na proporção digna do trabalho honesto. Nesta época, o Governo Federal oferecia vantagem de empréstimos aos agricultores a longo prazo com juros condizentes a modalidade de pagamento.
            Muito ativo e perspicaz, controlou as suas ações na movimentação com atividades progressistas. Adquiriu através de empréstimos boas fazendas. Controlou todos os seus trabalhos com muita força de vontade e confiança em si mesmo. A sua melhor época de adquiri melhorias de produtividade era quando se aproximava o período eleitoral. Daí então aparecia muitas vantagens oferecidas pelos políticos que sempre procuravam facilitar a aquisição de empréstimos para o bom desempenho de sua propriedade. A sua propriedade chamava-se Várzea Grande, que era cheia de aluviões que lhe favoreceu o seu desenvolvimento de uma boa agricultura sustentável.
            Conquistando a melhoria do seu desempenho na produção agropecuária e que com o tempo melhorou a sua vida cotidiana. Aí afastou-se do comércio e cuidou somente do criatório de gado leiteiro.
            Depois de obter seus melhoramentos, partiu para a tecnologia que favoreceu o avanço de sistema de irrigação do seu terreno. Apropriado-se nesse tipo de trabalho, foi um Senhor ardiloso. De tudo ele fazia negócio: do leite fazia o queijo e a manteiga. Todas as semanas vendia esses produtos manufaturados na feira do Crato. Muito vivo procurou melhorar a linhagem dos indivíduos bovinos. Dai conseguiu grandes matrizes de vacas pertencentes à raça gir leiteira que com muito empenho alcançava, através de boas linhagens que reproduziam e vinham aprimorar a qualidade de raça gir em sua região. Foi pioneiro na melhoria de qualidade dessa raça. Soube aplicar e obedecer as normas técnicas e as recomendava aos seus amigos que praticassem o mesmo moldos técnicos e seriam bem sucedidos. Por isso ele teve a ideia de praticar as melhores metas plantações de plantas forrageiras e procurou aplicar a eficiência conquista de conseguir uma agricultura eficiente e sustentável. Tudo isso era orientado pelos agrônomos.
            O seu Arthur Neto não ficou só por aí. Soube aquinhoar recursos técnicos, tentando conseguir melhorias de qualidade, apropriando-se de uma arte que tem por obrigatoriedade estimular, aos menos capacitados, ajudando a pesseguir os seus melhoramentos pragmáticos, ao mesmo tempo, sob alinhavar as amizades conquistadas com persistência na área governamental. Avançou com dignidade, procurando a melhoria de qualidade com adiantamento de nossa agricultura que andava capengando devido a falta de orientação e a falta de conhecimento do homem do campo que era subjugado ao regime pertencente ao feudalismo, ao regime antigo, desde a época renascentista que se constituía na Europa. Arcaica que ainda hoje se vê muitas aplicações no nordeste brasileiro.
            Infelizmente, ainda há criadores acompanhando a acomodação desse regime antigo e digamos de passagem não enxergam um palmo de vantagem no seu nariz.
            Certa vez conversava com seu Arthur e ele disse que sentia muita dificuldade em praticar melhoria de qualidade técnica devido à ignorância do homem do campo. A maior parte dele, não pretende permanecer em estado avançado na tecnologia agrícola.
            Não há interesse deles de esforçar-se como possuidor e desejo de emlastecer o seu melhoramento tecnológico e não procura seguir as normas da produção com boas maneiras de se elevar dentro do padrão próprio de uma arte, usando a perícia do bom procedimento e bom comportamento relativo à ciência tecnológica.
            Como se ver, o nordestino não sabe conviver com a seca. Seu modo de pensar que tudo isso é castigo de Deus e não move uma par de terras em função de conseguir melhorias de qualidade, a fim de conquistar e estabelecer-se com seu trabalho a sapiência que é o melhor plano de ação de elevar-se ao caminho da glória, isto é, produzir riqueza com menor despesa e menor  esforço na aquisição de produtos agrícolas. Notem que as regiões desenvolvidas nos Estados Unidos, “há regiões secas”, mas lá há todo empenho que favorece o trabalho técnico e melhoria de produtividade.
            Lá, todo cidadão campeiro sabe manejar com dignidade e arrojo a sua produção, maneja com satisfação todas as características que sejam eficientes dentro do trabalho, empregando os métodos aplicados como: silagem, “medas”, fenação e irrigação com eficiência tecnológica.
            Aqui o homem dorme, distorce o seu trabalho, não emprega o fogo do esforço que vem realizar que provocar a grandeza do conhecimento na arte agrícola.
            Terminando a sua conversa seu Arthur falou: não tem aqui no Brasil interesse do Governo de aplicar estudos sérios para conseguir com muitos anseios uma produção honesta com trabalhos, mais bem acentuando que viria favorecer o crescimento do homem e da região.
            Por que motivo não fazer a reviravolta a fim de conseguir melhor processo no trabalho da agricultura nordestina? Por isso o nordestino tem que saber exigir e cobrar das autoridades para que cumpram suas promessas que fazem com muita dignidade e orientem o povo com educação de qualidade e mais eficientes e atuantes. Já chega de tanto conversas destoantes! O homem tem que saber conduzir a sua vida com melhoria de trabalho e menor espaço para conquistar uma agricultura sustentável que venha obter espaço suficiente, a fim de evitar a diáspora e prender o homem a terra.


Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30