xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 24/06/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

24 junho 2016

Agora vamos agir - Por: Emerson Monteiro

Aliás, praticar o tanto que já aprendemos de tudo fazer o que seja bom nesta vida. Todos de barriga cheia de conselhos e trabalhar o lado positivo dos movimentos de neste viver... E o que mais resta senão praticar intensamente tais caminhos... Largar de lado os hábitos nocivos de preguiça, fuxico, fofoca, acomodação, pessimismo, revolta, e contribuir na solução dos problemas em volta, desde os menores ao dispor dos pequenos atos, de mais perto, até chegar às macroestruturas universais da Salvação.

E nisso buscar o centro das respostas de que falam e a gente espera por vezes vir de fora, dos demais, enquanto esquecidos, ou indiferentes, à participação pessoal do exercício da cidadania, da reverência ao sagrado. Exercitar os músculos da decisão, dos propósitos guardados lá no fundo das gavetas do desejo, porém que precisam de atitude, botar decisão no peito e lançar no mercado as próprias ações.

Saber que ninguém fica isento de responsabilidade quando foge das pelejas; saber e nada exercitar que mude isto também representa compromisso. Há um todo em movimento no tempo, no espaço, nas células do corpo, na energia que utilizamos, na história, investimentos da natureza que mostram as condições sob as quais essa função da existência impõe deveres inestimáveis.

Seja onde seja, desde na política, à família, ao trabalho, ao estudo, os pés representam exercício a que cumprir, sem o mínimo de independência de que sonhávamos séculos atrás. A ausência de iniciativa, sentar nas praças horas e horas só pensando, imaginando, gastando a vida perante o tempo, guarda responsabilidade infinita com relação ao todo em andamento.

Bem tal avaliação, de noticiar, neste comentário, as tramas do destino de ter de sair do chão e agir. Trabalhar, se trabalhar dentro do panorama dos dias. Ser, existir, persistir, transformar a matéria em essência principal no indivíduo consciente a que viemos neste lugar e neste momento. Aparentemente sem propósito, leve e suave, outras vezes denso e difícil, o acaso não existe. Quem existe somos nós, e precisamos dizer dentro de si o segredo da visão disso reconhecer. Agir, praticar a força viva através do querer, do compasso eterno da vontade e da virtude que recebemos em forma de pessoa que ora somos. Vamos sacudir o mundo!

"Busto" de Bárbara de Alencar colocado em Crato contém grave erro histórico --por Armando Lopes Rafael



Não vou falar aqui da feiura do “busto” de Bárbara de Alencar, colocado em frente à Coletoria Estadual, na Praça da Sé, em Crato. O autor da ideia (ou autores? Ninguém sabe) colocou na estátua quase anã, que fica rente ao chão (dona Bárbara deve estar se remexendo no túmulo) com a homenageada segurando uma bandeira da “Confederação do Equador”. Santa ignorância!

Dona Bárbara não participou desse movimento autodenominado Confederação do Equador, iniciado em 1824. Ele teve participação sim, na Revolução Pernambucana, no ano de 1817, quando o mentor deste movimento, em Crato,  foi seu filho, o seminarista José Martiniano de Alencar. Por conta dessa participação Bárbara de Alencar foi presa em 1817 e só foi libertada em 1821, quando regressou a Crato para lutar pela recuperação dos seus bens ilegalmente usurpados por um sacerdote inimigo dela.

Depois disso ela se recolheu a sua fazenda Touro, no limite do Ceará com o Piauí, onde faleceu em 28 de agosto de 1833, sendo enterrada na capela de Itaguá, distrito de Campos Sales. Em 1824, quando ocorreu a “Confederação do Equador”, Bárbara de Alencar residia na fazenda Touro e não teve qualquer participação no novo episódio republicano Quem participou da Confederação do Equador  foi seu filho Tristão Gonçalves, barbaramente assassinado em 30 de outubro de 1825, na localidade Santa Rosa, hoje alagada pelo açude Castanhão. Na Confederação do Equador, Bárbara estava recolhida na sua fazenda Touro...

No mais, Dona Bárbara merece sim um busto, mas um busto  de bronze, à altura do porte da cidade de Crato e não aquele arremedo de busto colocado na Praça da Sé.

Coisas (desta) República: Fundo de pensão da Petrobras registra "rombo" de R$ 22 bilhões e 600 milhões de reais

E quem vai pagar a conta são os funcionários e aposentados da Petrobras
Fonte: Folha de S.Paulo
 

O principal plano do fundo de pensão do Brasil, o  Petros, dos empregados da Petrobras, fechou 2015 com deficit de R$ 22,6 bilhões. A companhia e os aposentados terão que pagar contribuição adicional para cobrir o rombo. Conselheiros independentes da fundação ameaçam ir à Justiça contestar a gestão da empresa por não cobrar da Petrobras dívidas que amenizariam o rombo.  As últimas gestões são acusadas, sob influência política, aprovar investimentos em empresas que estão hoje em dificuldades, como a Sete Brasil e a fabricante de equipamentos Lupatech.

No último dia 11, a “Folha deS.Paulo”revelou que auditoria da Ernst & Young apontou falhas na análise de 70 investimentos em dívida de empresas privadas. Parte significativa foi feita em operações coordenadas pelo banco BVA, citado em delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.  O resultado de 2015 foi entregue nesta quinta (23) ao conselho fiscal da fundação.  O rombo de R$ 22,6 bilhões é do Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), o mais antigo, com 76.000 participantes. Outros dois planos administrados pela entidade também tiveram deficit: Plano Petros Lanxess (R$ 120 milhões) e o Plano Petros Ultrafértil (R$ 435 milhões).
Na semana passada, a fundação confirmou aos participantes do PPSP que eles terão que contribuir para cobrir o rombo, em processo conhecido como equacionamento. A contribuição é feita como desconto de benefícios, no caso dos aposentados, ou cobrança de taxa extra, para empregados na ativa. Os percentuais serão definidos em acordo entre a fundação, os participantes e a Petrobras, após a aprovação das contas. Segundo a Petrobras, eles terão que arrecadar R$ 16,1 bilhões. A empresa e os trabalhadores dividem o valor meio a meio.
Em nota, a estatal informou que sua contribuição já está prevista em seu balanço. Há 12 anos, o conselho fiscal da Petros rejeita as contas, alegando que os gestores não vêm cobrando dívidas da Petrobras. Segundo contas do conselheiro Paulo Brandão, metade do deficit seria resultado de decisões da estatal e não da evolução dos investimentos da fundação.  Os valores se referem ao impacto, nas contas do fundo, de medidas adotadas pela área de recursos humanos da estatal em benefício dos empregados da ativa e de contingenciamento para ações judiciais, entre outros.

Por isso, representantes da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet) defende o recurso à Justiça para questionar a gestão do fundo. No caso da Funcef, o fundo dos empregados da Caixa, a cobrança adicional foi interrompida dois meses após o início da cobrança por liminar judicial, sob o argumento de que parte do rombo resulta de gestão fraudulenta.

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31