xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/05/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 maio 2016

Festa de Santo Antônio será iniciada neste sábado,28 – por Elizângela Santos

Este ano, a festa tem como o seu principal lema Fé, Cultura e Tradição, que se entrelaçam numa grande apoteose em louvor ao Santo Padroeiro de Barbalha
Estará sendo concluída nesta 6ª feira em Barbalha a ornamentação da cidade para o início da Festa de Santo Antônio, que acontece no próximo domingo, com abertura oficial e cortejo do Pau da Bandeira e segue até 13 de junho. A expectativa de público para o evento é de mais de 300 mil pessoas, em virtude de, neste ano, a festa ser realizada com o reconhecimento de Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira, ocorrido após a votação do Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em setembro do ano passado.
Neste sábado, às 20h30, acontece a solenidade pública sobre o reconhecimento, além do lançamento da Escola de Artes e Saberes Contemporâneos de Barbalha. Na ocasião, será assinado o termo de comodato, por 10 anos, do Palácio 3 de Outubro, prédio tomado pelo Patrimônio Histórico do Estado do Ceará, onde estará funcionando a escola, que irá fortalecer ainda mais a cultura e a tradição local. A solenidade contará com a presença do governador do Estado, Camilo Santana, o prefeito local, José Leite, o secretário de Cultura, Antônio Luna, e representantes da Superintendência Estadual do Iphan.
Ainda no sábado, que acontece a Noite das Solteironas, com um casamento coletivo após a missa na Matriz de Santo Antônio, às 20 horas. Todo um esquema de segurança vem sendo fortalecido para a festa, com mais 200 homens da Polícia Militar e equipe contratada.
O Cortejo do Pau da Bandeira acontece no domingo, a partir do meio-dia, percorrendo 6km até a cidade. Este ano, haverá um cordão de isolamento, para proporcionar mais segurança aos carregadores e o público que acompanha o grupo. A previsão de chegada do Pau da Bandeira, uma rama branca de 25 metros e cerca de duas toneladas, será no final da tarde, quando será erguido o mastro da bandeira do Santo, que sinaliza o começo da festa, que acontece até o dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio.
Cortejo dos Grupos de Tradição
O som dos pífanos e tambores começam logo cedo no domingo. Os grupos de tradição de reúnem em volta da igreja a partir das 6 horas para louvar o santo padroeiro, Antônio de Pádua. São mais de 60, que após a missa de abertura da festa, que acontece às 9 horas, saem em cotejo pelas ruas do Centro até o Largo do Rosário.  Além dos grupos tradicionais, seguem os parafolclóricos, com a participação de centena de brincantes.
             

Campanha contra o bispo não tem trégua


Nota da Assessoria Jurídica da Diocese de Crato

       Nem mesmo a grave enfermidade que se abateu sobre Dom Fernando Panico, que desde algumas semanas se encontra na Europa buscando a recuperação de sua combalida saúde, permitiu uma trégua da parte de seus conhecidos algozes, os quais prosseguem divulgando matérias caluniosas, injuriosas e difamatórias contra o Bispo de Crato. 
         No início da semana um tabloide da imprensa marrom, editado em Juazeiro do Norte, jornaleco que é distribuído gratuitamente aos transeuntes da conurbação Crajubar, voltou a assacar, em forma de deboche, novas mentiras contra o ilustre prelado. Hoje foi a vez do Sr. Francisco Pereira da Silva – um dos maiores desafetos de Dom Fernando – divulgar novas invencionices, falsidades e mentiras contra a maior autoridade religiosa do Cariri, através do site Miséria.
          O Sr. Francisco Pereira da Silva e seus conhecidos cúmplices já estão sendo investigados após denúncia formal apresentada por Dom Fernando Panico junto ao GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – pelos crimes de Fraude, Falsificação e Adulteração de procuração e escritura pública, Estelionato, Ameaças de Morte, Formação de Quadrilha, dentre outros.
    Tal investigação, no entanto, não os inibiu de tentar enganar a opinião pública caririense, através da difamação e calúnia contra Dom Fernando, acusando o Senhor Bispo de ter incentivado populares a invadir parte do terreno usurpado da Diocese de Crato pelo Sr. Francisco Pereira da Silva e seus cúmplices, através de procuração e escritura pública elaboradas à margem da Lei. Nunca é demais acrescentar que esse imóvel é alvo de uma ação promovida pela Diocese de Crato junto à Justiça brasileira, buscando a anulação da escritura fraudulenta e a recuperação de sua propriedade.
    Repudiamos de forma veemente essas aleivosias covardemente assacadas contra o Bispo de Crato, aproveitando, inclusive, a ausência deste da Diocese, na busca da recuperação de sua saúde, bastante abalada, motivada também pelas sucessivas campanhas pusilânimes e dissimuladas que vêm sendo feita há tempos e que é de domínio público em todo o Brasil.
    O advogado de Dom Fernando Panico, Dr. Hiarles Macedo, disse que serão propostas ações judiciais contra o acusador, Sr. Francisco Pereira da Silva, pelos crimes de calúnia, difamação, injúria e, ainda, danos morais.
    Apesar da forma solerte como vêm sendo feitos esses ataques mentirosos à pessoa de Dom Fernando Panico, a Diocese de Crato continua confiando plenamente na Justiça de Deus e dos homens, certa de que ao final deste túnel escuro das ameaças e também das perpetradas calúnias e injúrias, a verdade surgirá clara e transparente com a luz do sol.
             

Saudades do Paraíso - Por: Emerson Monteiro

Às vezes me perguntam o porquê dessa mania de só querer ver o lado bom dos acontecimentos, evitando notícias torpes dos jogos de guerra e costumes em que buscam encher de lixo o dia-a-dia das informações que circulam, e paro avaliando o quanto de tempo já se perdeu a remoer as frações negativas desse quadro amargo daqui do chão, vendido ao preço módico de tremendas ilusões. Assim, insisto comigo mesmo de limpar o pensamento daquilo que mete medo, gera apreensão, preocupação, sobretudo que gera mágoa e revolta, reações que, no passado, mexeram comigo e fizeram de mim alguém que bem poderia ter sido diferente e melhor se houvesse plantado sentimentos leves desde então no horizonte de viver.

As razões de amargurar os desânimos de tantos atos falhos da nossa humanidade quero, pois, atribuir à paixão que avassala os dias de armadilhas e tensões. Nisso procuro sobreviver em algum lugar de dentro da alma a saudade do universo perfeito que por certo ainda não conheço, porém que desejo sobremodo conhecer, vivenciar, insistir com a vontade das pequenas esperanças de paz, prosperidade, alegria, solidariedade entre os povos, mais justiça social, organização coletiva em favor dos viventes, longe dos apegos excessivos de grupos presos a motivos fúteis e riquezas adquiridas à força das armas, da imprudência.

Produzir novos instrumentos de satisfação e bem-estar que signifiquem distanciamento da solidão e do egoísmo, vitória da boa vontade em prol das multidões esquecidas nos guetos e bares. Permitir sonhar longe das drogas, dos vícios nefastos, da violência e do desespero; fora das depressões e dos impulsos de crueldade característicos de milênios desta raça. Somente desse modo veremos a Deus, construiremos mundo de ricos virtudes e valores, acalmaremos a consciência no travesseiro do dever cumprido, restabeleceremos a luz da Natureza e seremos, sim, irmãos entre irmãos, aos moldes do Paraíso original de que falam as religiões, lá de antes da queda no mar de contradição onde ainda arrastamos as patas doloridas. Senhores de si, então, reveremos os tratados da civilização e conquistaremos o maior prêmio, a certeza, sempre, de um amanhã pleno de Amor no coração das existências.

Como surgiu o Seminário São José de Crato -- por Armando Lopes Rafael


   O Seminário São José de Crato foi fruto de um desejo de Dom Luís Antônio dos Santos, primeiro bispo do Ceará, com o objetivo de ampliar a divulgação da Boa Nova de Cristo e salvar almas, no território da sua vasta diocese, a qual, à época, compreendia todo o nosso Estado. 
    Para concretizar esse anelo, e depois de ter recebido sugestão nesse sentido, em 1871, do recém-ordenado Padre Cícero Romão Batista, Dom Luís encaminhou – em 1872 – dois padres lazaristas, – padres Guilherme Van den Sandt (alemão) e José Joaquim de Sena Freitas (português nascido no arquipélago dos Açores) – para realizarem uma missão religiosa, em terras do Cariri cearense. Os dois missionários lazaristas ficaram encantados com o progresso da cidade e com o entusiasmo com que a população acolheu as missões.
     Os dois padres receberam orientação para angariar doações visando à construção de um Seminário Diocesano, na cidade de Crato. Depois disso Dom Luís Antônio enviou para Crato o padre italiano Lourenço Vicente Enrile, para acompanhar a construção do vasto prédio, que seria erguido em grande terreno doado pelo coronel Antônio Luís Alves Pequeno, no aprazível subúrbio, à época conhecido como Grangeiro, hoje denominado bairro do Seminário. Logo faltaram os recursos para dar continuidade à construção. Então Dom Luís Antônio resolveu deslocar-se de Fortaleza para Crato, ficando ele próprio à frente dos trabalhos. Aqui chegou no dia 31 de dezembro de 1874.
       Durante sua estada em Crato, foi-lhe preparada uma residência episcopal pelo seu grande amigo e compadre, coronel Antônio Luís Alves Pequeno, que arcou também com as despesas de cama e mesa de Dom Luís Antônio e sua comitiva. A residência ficava num sobrado localizado na esquina da atual Rua João Pessoa com Praça Juarez Távora. Como sempre, a população de Crato acolheu com festas, respeito e muita alegria o primeiro Bispo do Ceará. Era diferente a mentalidade da população cratense no século 19!
        Pôs-se Dom Luiz à frente da construção, mas, dada a grandiosidade da obra, o Seminário São José foi inaugurado, em 07 de março de 1875, em barracões provisórios, feitos de taipa e cobertos de palha, enquanto a construção dos blocos de alvenaria tinha prosseguimento. O povo cratense apelidou os barracões de taipa de “seminarinho”. Este funcionou com salas-de-aulas, dormitório, refeitório, cozinha e uma pequena capela até o mês julho, quando foi concluído o lado sul do atual prédio do Seminário São José.
         Estava realizado o grande sonho de Dom Luís, dotar Crato do seu Seminário, que vem funcionado, com algumas interrupções nos primeiros anos, até os dias atuais. Nos início de agosto, Dom Luís Antônio retornou a Fortaleza para nunca mais voltar às terras caririenses. Em 1881, Dom Luís foi transferido para Salvador, como Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, e lá permaneceu até 11 de março de 1891, data do seu falecimento. Foi sepultado na capela do Santíssimo Sacramento da Catedral de Salvador.
Uma curiosidade: A fama de que Crato é uma cidade ingrata para com seus bispos vem de longe! Não é de agora, quando até desclassificados "coroinhas" usam as redes sociais para criticar (e até caluniar) essa autoridade religiosa.  Dom Luís Antônio dos Santos fez muito pelo Crato. Mas, sequer, existe uma rua em Crato com o nome dele. Já em Aracati, onde Dom Luís esteve apenas em visita pastoral, existe um grande monumento comemorativo da sua viagem àquela cidade jaguaribana. Erigido em comemoração à primeira visita pastoral de Dom Luís Antônio dos Santos, primeiro bispo do Ceará, situa-se à entrada norte da rua Coronel Alexanzito. Consta de uma pirâmide de alvenaria, com altura de aproximadamente 10 metros. Numa das faces do monumento encontra-se a seguinte inscrição: “Esse monumento da primeira visita pastoral que aos 30 dias de julho de 1863 se dignou fazer a esta cidade o Exmº. e Revmº. Sr. Dom Luiz Antonio dos Santos, primeiro Bispo desta diocese do Ceará e em testemunho de inteira veneração à pessoa de seu primeiro prelado, fez construir esta pirâmide a cidade de Santa Cruz do Aracati”. O local onde se encontra o referido monumento chama-se "Praça Dom Luiz".
E o Crato? O memorialista Huberto Cabral vem tentando, pelo menos, que a omissa Câmara de Vereadores desta cidade denomine de Dom Luís, a minúscula pracinha recém-construída pelo Governo do Ceará e localizada em frente ao Seminário São José.
(Texto e postagem de Armando Lopes Rafael)

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30