xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 21/04/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

21 abril 2016

Para Você Refletir ! -Por Maria Otilia

As relações humanas de um modo geral são marcadas pela existência do poder. Algumas pessoas tem a essência do poder quase que inato, baseada no espírito de liderança. Outros tem o domínio do poder apenas para demonstrar que vale a lei do mais forte.Estas pessoas não fazem bom uso do poder gerando assim a dominação, medo, ameaça, não levando em conta os interesses coletivos.
A Parábola do Aquário traz para todos nós uma reflexão de como estamos agindo como gestores públicos, representantes de ongs, chefes de família, líderes de igrejas, sindicais,etc
.PARÁBOLA DO AQUÁRIO

Era uma vez um aquário; onde viviam peixes grandes, médios e pequenos. Ali imperava a lei do mais forte. Os alimentos atirados pelo criador eram disputados. Primeiro comiam os maiores. O que sobrava destes, era devorado pelos médios. E o que sobrava dos médios era disputado pelos pequenos. Na falta de outro alimento, os grandes devoravam os médios, estes por sua vez, devoravam os pequenos.

Ora, havia um peixinho muito pequenino, que morava no fundo do aquário, onde estava a salvo da fome e da gula dos demais. Ali naquelas profundezas poucas vezes caía algum alimento. Mas o peixinho, ao invés de maldizer a sorte, enganava a fome distraindo-se a contemplar os desenhos dos azulejos, as plantinhas, a areia branca e as pedrinhas brilhantes que enfrentavam o fundo do aquário.
Um belo dia, o peixinho descobriu um ralo, por onde saía a água do aquário. Admirado exclamou: - Ué! Então este aquário não é tudo? Existe outro lugar onde se pode viver?
Para onde irá essa água que não pára de escorrer?
E o peixinho, curioso, tentou passar pelo ralo. Como os vãos fossem muitos estreitos, ele se dispôs a fazer sacrifício e emagrecer até poder passar para o outro lado.
E foi assim que, dias mais tarde, bem mais magro e ainda assim perdendo algumas escamas na travessia, ele conseguiu seu tento. E foi assim que ele conheceu, pela primeira vez na vida, o que era água corrente. Uma delícia! Uma maravilha! O peixinho ia pulando feliz pelo rego d'água deslumbrado com tudo isso. E o rego d'água levou o peixinho até uma enxurrada...
Na enxurrada, mais água ainda. E correnteza mais forte. Nem era preciso nadar. Bastava soltar o corpo! Maravilha! Quantos peixinhos! Quantos barquinhos de papel! E o sol??? Que coisa linda! E aqueles bobos, lá no aquário, pensando que aquilo fosse tudo, aquela água suja e parada. Coitados!!! E a enxurrada levou o peixinho a um riacho.
O peixinho nunca pudera imaginar tanta água junta. Nunca vira tantas crianças nadando. Nunca vira mulheres lavando roupa e cantando. Nunca vira tantas plantas, tantas flores, tanta beleza junta! E julgou que estivesse delirando. Quanta comida, quanta água, quanto lugar onde viver em paz, quanta felicidade para todos! Ah! Aqueles pobres diabos lá no aquário... Se vissem tudo isso!!! E o riacho levou o peixinho até o rio.
Não? Não é possível isto não existe! Olha quanta água! Parece não ter fim. Quanta comida! Quanto sol, quanta luz, quanta beleza! E foi assim, extasiado, maravilhado, deslumbrado, quase não acreditando em seus próprios olhos, que o peixinho, levado pelo grande rio, chegou, enfim, ao mar.
Ali, diante daquele infinito de águas, de alimentos, de luz, de cores, de plantas de um mundo de coisas maravilhosas, diante daquela majestade toda, o peixinho chorou. Chorou comovido, agradecido, porque a alegria era tanta que não cabia dentro de si. E chorou, sobretudo, de pena de seus companheiros que haviam ficado no aquário, naquelas águas poluídas, escuras, paradas, estragadas, espremidos, pensando viver no melhor dos mundos. E o peixinho, então, resolveu voltar e contar uma boa nova a todos.
E o peixinho voltou. Do mar para o rio (com sacrifício, porque agora a viagem era contra a correnteza) ele nadou para o riacho, para a enxurrada e da enxurrada para o rego d'água e do rego d'água pra o fundo do aquário. E atravessou o ralo de volta...
Desse dia em diante, começou a circular pelo aquário um boato de que havia um peixinho contando coisas mirabolantes, falando de um lugar muito melhor para viver, um lugar de paz e amor, um lugar de fartura infinita, onde ninguém precisa fazer sacrifício, nem devorar uns aos outros. E todos acorreram ao fundo do aquário, para saber da novidade. Os grandes, os médios, os pequenos, todos queriam saber o que era preciso fazer para chegar a esse mundo maravilhoso...
E o peixinho, mostrando-lhes o ralo, explicou que, para chegar a este mundo, era preciso algum sacrifício, pois a passagem era realmente estreita. Segundo o tamanho, uns teriam de sacrificar-se mais, outros menos. E os peixes pequenos passariam a seguir o peixinho, enquanto os médios e os grandes consideravam-no maluco, um visionário. Onde já se viu? Impossível passar por aquele vãozinho tão estreito! Só louco mesmo!!
E a história do peixinho se alastrou. De tal maneira, modificou a vida do aquário e perturbou o sossego dos peixes grandes e médios, que estes acabaram por matar o peixinho para acabar com aquelas besteiras.
Mas o peixinho não morreu. Continuou vivendo, pois sua mensagem, imortal, passava de geração a geração...
Até hoje a história do peixinho é lembrada no aquário. Até hoje há os que crêem. E até hoje há os que podem passar pelo ralo e os que jamais conseguiram fazê-lo porque quanto maior e mais poderoso, tanto maior será o sacrifício exigido, É por isso que está escrito:
"EM VERDADE, EM VERDADE VOS DIGO: É MAIS FÁCIL UM CAMELO PASSAR PELO FUNDO DE UMA AGULHA, DO QUE OS RICOS ENTRAREM NO REINO DE DEUS".
autor desconhecido..

Coração de pedra - Por: Emerson Monteiro


Ontem à noite, por ocasião do lançamento do sexto livro do escritor caririense Geraldo Ananias Pinheiro (Difícil regresso) no Instituto Cultural do Cariri, em Crato, me avistei com o professor Idalécio de Freitas, do Geopark Araripe. Dentre os assuntos que tratamos, veio à tona que mantivera contato com um estudioso do Sudeste, e mostrara pedra fóssil que despertou a atenção do cientista. Daí, este veio a examiná-la através de tomográfica computadorizada, a fim de conhecer o interior da peça. Resultado, chegou a identificar partes internas de um peixe fóssil, com isso desvendando mistérios até então encobertos à ciência, por exemplo, existência de cinco valvas naquela espécime examinada.

Com base nas imagens, a reconstrução do coração do peixe mostrou a presença de cinco valvas no chamado cone arterioso, de onde o sangue é bombeado do órgão para o resto do corpo. É uma característica intermediária entre os parentes modernos do animal, que não possuem tais valvas, e peixes mais primitivos vivos hoje, que possuem nove valvas. Ou seja, por estranho que pareça, no caso dos peixes a evolução produziu corações mais simples, e não mais complexos. (http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2016/04/1763272-cientistas-brasileiros-acham-o-primeiro-coracao-fossilizado.shtml).

E logo cedo, hoje, dia seguinte, ao abrir o site da UOL, me deparei com a notícia estampada ao mundo inteiro dessa descoberta inédita, procedente da Chapada do Araripe (Pesquisadores brasileiros acham o primeiro coração fossilizado, numa matéria de Reinaldo José Lopes para a Folha de S. Paulo).

A equipe de pesquisadores recorreu a equipamento sofisticado, na cidade de Campinas SP, por meio de raios X altamente energéticos produzidos pelo LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncroton), que permitem a tomografia do fóssil usando nível de detalhamento muito superior ao dos melhores tomógrafos disponíveis na medicina.

As implicações da descoberta significam o avanço das pesquisas quanto ao bombeamento do sangue pelo coração, vista através da evolução das espécies desde então, há 115 milhões de anos, tendo por base esses tais levantamentos procedentes de material coletado na Chapada do Araripe, Ceará, que guarda registros geológicos do Período Cretáceo, quando existia mar nesse território hoje interiorano.

Cena cratense: diálogo entre um lulopetista e um transeunte na Praça Siqueira Campos

– Não vai ter golpe!
– Você acha que é golpe?
– Claro!
– E por quê?
– Estão rasgando a Constituição!
– Mas quem é responsável por decidir se a Constituição está sendo respeitada ou não? Não é o Supremo Tribunal Federal? E o Supremo não se pronunciou a pedido do Governo Dilma, por sinal estabelecendo qual o rito deve ser seguido para que o processo de impeachment seja constitucional?
- O Judiciário é todo corrupto...
- Ora, dos 11 ministros do Supremo, 8 foram indicados pelos Governos do PT.
– Mas Dilma foi legitimamente eleita por 54 milhões de votos...
– Sim, mas a Constituição só prevê impeachment de quem foi eleito, ora bolas... Agora se a eleição de Dilma foi legítima, ou não,  o TSE vai se pronunciar em setembro próximo. O impeachment foi pedido agora  por crime de responsabilidade...
– Mas Dilma não cometeu crime nenhum!
– Pois se cometeu, ou não, é o que está sendo discutido agora no Senado. Se Dilma não tiver cometido crime é isso que será julgado no dia 12 de maio.
- Mas o Congresso é todo corrupto...
- Muitos desses corruptos foram aliados dos governos do PT nos últimos 13 anos e estão contra o impeachment. Corrupto, ou não, é um Congresso que foi eleito pelas mesmas pessoas que elegeram Dilma. E ninguém põe em dúvida a legitimidade da eleição do Congresso...
– E o Cunha?
– O que tem o Cunha?
– É um bandido!
– Claro, deveria estar preso. Mas foi eleito democraticamente Presidente da Câmara conforme manda a lei... igualzinho a Dilma e Temmer.
- É um bandido comandando o Congresso Nacional!
- Não! É um bandido comandando a Câmara de Deputados. O bandido que comanda o Congresso é Renan Calheiros, tão "íntegro" (risos) quando o Cunha e que apoia a Dilma...
– O Cunha só aceitou o processo de impeachment por vingança, é um mal intencionado...
– Antes de ele aceitar este processo engavetou mais de trinta. Estava mal intencionando antes quando engavetou?
–  E assume o Temmer? O Temmer é um canalha, corrupto, golpista...
- Temmer é o vice-presidente! Foi (como é mesmo?) "legitimamente" eleito por 54 milhões de votos na mesma chapa da Dilma... A constituição diz que a Câmara aprova o processo e o Senado julga, enquanto o Supremo Tribunal Federal fiscaliza... Não é isso?
–Não vai ter golpe!!!

Estudantes de Coimbra querem cassar título de Doutor Honoris Causa concedido a Lula

Imagem: Reprodução
Em 2011, Lula foi a Portugal para receber seu 27º titulo de Doutor Honoris Causa, no caso uma homenagem da Universidade de Coimbra. Nesta quinta-feira, estudantes de Coimbra começaram campanha pública para cassar o título, sob a alegação de que Lula é burro e corrupto.

A bondade venceu o ódio – por Hélio Dias Vianna

A índole do brasileira é cordata. Não gostamos de encrenca nem de carranca. Muito menos de ser enganados.
     Tenho lido, um pouco por toda parte, críticas ao voto dos deputados pró-impeachment que no último domingo, 17 de abril, o fizeram em nome de Deus, da Pátria, da família e dos filhos, entre outras menções. Não morro de vergonha, antes pelo contrário, orgulho-me de dizer que, como brasileiro e como católico, estou do lado deles, embora saiba que muitos não são católicos, nem levam uma vida familiar consentânea com os sentimentos ali expressos. Mas estou com eles porque, com uma simplicidade e um modo de ser autenticamente brasileiros — não isentos em alguns de boa dose de caipirismo —, manifestaram com evocações familiares a preeminência destes valores sobre os demais, tendo sido esta uma das principais razões por que votavam, em consequência, pelo impedimento da presidente Dilma.
    No entanto, aqueles que os criticam não têm a mesma censura em relação aos vitupérios de muitos deputados contrários ao impeachment, inclusive os de um sacerdote e de algumas viragos que vomitaram ódio revolucionário de causar estupor. Houve quem evocasse os sanguinários Lamarca, Marighella e outros comunistas de análogo jaez, a causa da Reforma Agrária socialista e os agitadores Sem-Terra. Porém, com isso, sem o perceberem, eles assustaram não só a opinião pública, mas também os parlamentares que ainda pudessem estar indecisos naquele momento. Que contraste com as evocações religiosas e familiares dos deputados pró-impeachment!
    A índole do brasileira é cordata. Não gostamos de encrenca nem de carranca. Muito menos de ser enganados. Constituímos uma grande família, estabelecida num vasto território posto sob a égide do Cruzeiro do Sul e abençoado pelo Cristo Redentor. A irreligiosidade, a imoralidade, a mentira, a falta de cordura, o espírito de vingança, a ausência de amor à Pátria (cujos interesses foram substituídos pelos da ideologia do partido), o ódio entre classes e raças — tudo isso promovido durante 13 anos pela gestão petista —, refletiram-se em alguma medida nas fisionomias, nos gestos e nas palavras de certos parlamentares que defendiam o governo contra o pretenso “golpe”, levando ao resultado de 367 votos contra 137.
     Lembrados de todas essas coisas negativas contrárias aos nossos sentimentos, aos nossos costumes e às nossas tradições, os lulopetistas se esqueceram do principal: que somos um povo bondoso e temente a Deus, amante da ordem e da paz, e que apesar de estarmos dispostos a dar até a última gota do nosso sangue para que nossa bandeira jamais seja vermelha, queremos despedir a presidente não com o ódio de que somos objeto, não com ameaças tipo “exército de Stédile”, mas com uma fórmula bem brasileira — “tchau, querida” —, uma das poucas expressões limpas que encheu de significado um diálogo sórdido entre Lula e Dilma.

             

Polícia Federal investiga pagamentos ilícitos de empreiteira ao ex-presidente Lula


Laudo feito com base na quebra do sigilo fiscal da Andrade Gutierrez aponta pagamentos de R$ 3,6 milhões para o Instituto Lula entre 2011 e 2014. Documento será analisado por equipe da Lava-jato

Um laudo da Polícia Federal feito com base na quebra do sigilo fiscal da empreiteira Andrade Gutierrez destaca o pagamento de R$ 3,6 milhões para o Instituto Lula e a LILS Palestras, ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2011 e 2014. São valores que “transitaram” por uma conta chamada “overhead” trilhando mesmo percurso do dinheiro que abasteceu empresas investigadas por lavagem de dinheiro de propina alvo da Operação Lava-Jato, como firmas ligadas aos operadores financeiros Adir Assad, Fernando “Baiano” Soares, Mário Goes e Julio Gerin Camargo. “Foram identificados lançamentos contábeis indicativos de pagamentos e doações a empresas e instituições vinculadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no montante de R$ 3.607.347, entre os anos de 2011 e 2014”, registra o laudo 10/2016, da PF. “Cumpre destacar que, conforme subseção III.3.5, recursos destinados à LILS transitaram pela conta contábil ‘overhead’ e realizaram percurso similar ao de empresas que estão sendo investigadas no âmbito da Operação Lava-Jato pela prática de lavagem de capitais e/ou pelo recebimento dissimulado de recursos.”

O laudo é de 25 de fevereiro e foi elaborado pelos peritos criminais federais Daniel Paiva Scarparo, Audrey Jones de Souza e Ivan Roberto Ferreira Pinto. Anexado ontem, ao inquérito aberto para apurar envolvido da Andrade Gutierrez no esquema de cartel e corrupção na Petrobras, o documento servirá para a Lava-Jato cruzar dados documentais com as declarações dadas pelos executivos da empreiteira, no acordo de delação premiada. Os repasses a Lula foram incluídos no item “Pagamentos a ex-agentes públicos”. Em depoimento prestado nesta semana, na Justiça Federal, no Rio, o ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Marques Azevedo citou o nome do ex-presidente num pedido de apoio em contrato firmado na Venezuela. O executivo negou ter feito pagamento de propinas ao petista. Segundo ele, um porcentual de 1% de contratos foi cobrado por outros interlocutores do PT, entre eles o ex-tesoureiro João Vaccari Neto. Por meio de sua defesa, Vaccari nega.

Delator 

O ex-diretor Internacional da Petrobras e delator da Lava-Jato Nestor Cerveró disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro ontem que o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu propina de US$ 6 milhões por meio do lobista Jorge Luz, apontado como um dos operadores de propinas na Petrobrás, referentes a um contrato de afretamento do navio-sonda Petrobrás 10.000. “(Jorge Luz) foi o operador que pagou os US$ 6 milhões da propina da sonda Petrobrás 10.000, foi o encarregado de pagar ao senador Renan Calheiros”, disse o delator ao ser questionado pela defesa de Salim Schahin sobre a atuação de Jorge Luz em relação às propinas recebidas por Cerveró. A propina teria sido repassada na época da contratação do navio-sonda, em 2006. Renan nega e diz que já prestou esclarecimentos à Justiça. Cerveró disse ainda que foi pressionado pelo ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau a quitar uma dívida de campanha do PMDB, em 2006, de R$ 10 milhões a R$ 15 milhões, antes de ficar responsável pelo direcionamento de um contrato para o Grupo Schahin para pagar outra dívida de campanhas do PT de R$ 50 milhões. “Existe uma pendência de R$ 50 milhões decorrente da campanha na qual vocês tem que liquidar essa pendência e nós podemos então tratar da Schahin como contratada da operação dessa segunda sonda”, afirmou Cerveró para Sérgio Moro, que conduz os processos da Lava-Jato em primeiro grau.

O contrato era para operação do navio-sonda Vitória 10000, pelo valor de US$ 1,6 bilhão que foi dirigido para a Schahin como forma de quitar um empréstimo de R$ 12 milhões tomado no Banco Schahin pelo pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, em outubro de 2004.

Fonte: Yahoo Notícias





Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31