xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 27/02/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

27 fevereiro 2016

Faleceu o Padre José Adauto Alencar

  
   Dom Fernando Panico, comunica com pesar o falecimento, na manhã desde dia 27 de fevereiro de 2016, do Revmo. PADRE JOSÉ ADAUTO ALENCAR, pároco-emérito da Paróquia da Sagrada Família, em Crato e integrante do clero da nossa diocese.Padre José Adauto de Alencar nasceu em Campos Sales (CE), no dia 31 de outubro de 1938.
Filho de Almerindo Rodrigues Alencar e de Josefa Ribeiro de Alencar, foi batizado no dia 20 de setembro de 1939 pelo Pe. Azarias Sobreira, em Campos Sales (CE), na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha.  Foi ordenado sacerdote no dia 31 de dezembro de 1968, na Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Campos Sales. Ao longo de sua vida sacerdotal prestou serviços nas seguintes paróquias: Nossa Senhora da Penha, Campos Sales (CE) como Vigário-substituto; Nossa Senhora da Conceição, de Farias Brito (CE); São Vicente Ferrer, de Lavras da Mangabeira (CE); Santa Terezinha do Junco Novo, no Rio de Janeiro; Santo Antônio, de Jardim (CE) e Sagrada Família, na cidade de Crato.
   A Diocese de Crato agradece por todo o trabalho feito por Pe. José Adauto Alencar para a difusão do Reino de Jesus Cristo. Pe. Adauto um dia, pela graça de Deus, foi chamado a seguir os passos de Jesus. Seduzido pelo serviço apostólico, anunciou o Evangelho e serviu ao Povo de Deus.  Pedimos de todos os fiéis orações por Pe. José Adauto, rogando a Deus, Pai de Misericórdia, que o acolha no lugar eterno da luz e da paz.
Dom Fernando Panico, MSC
Bispo Diocesano de Crato
             

A alegria dos peixes - Por: Emerson Monteiro

Numa dessas histórias de monges orientais que viajam no tempo e chegam à nossa vontade na forma de querer passar adiante e transmitir-lhes o conteúdo, quando lá certa manhã esplendorosa, dessas de oferecer claridade em volta, nas florestas, nas nuvens, através brisa dos ventos, gosto forte e saboroso da perfeição da natureza, dois monges conversavam de cima de uma ponte, a contemplar as águas límpidas do riacho que descia das montanhas postas no horizonte de céu azul na distância. E nisso um deles rompe o silêncio daquela manha primaveril a trazer palavras de observação a propósito dos acontecimentos visíveis:

- Olha só que beleza, com os peixinhos a brincar felizes na correnteza... Além de tudo, sem quaisquer preocupações.

- Sim, vejo os peixinhos em constante movimentação – o outro considera cerimonioso. – Mas disso deduzir que se acham alegres e despreocupados fica longe no tanto de eu considerar comigo o que vejo. Como sabe que eles estão assim alegres, felizes? Como sabe daqui de cima sem ser um deles, um dos peixes ali embaixo?

O monge que iniciara o diálogo olha pensativo o companheiro e logo toca adiante na defesa do que dissera:

- Bom, até aqui tudo bem, disseste o que quis. No entanto como sabe que não sei que os peixes estão alegres, felizes, despreocupados nadando nas águas límpidas do riacho que se vai? Como sabe, então, tu que não és quem eu sou, que digo que os peixinhos nadam felizes nessas águas? Como sabes que não sei, nem posso vir saber, já que não és quem eu sou? - Com isso, durante boa margem de tempo, ele permaneceu de olhos vidrados fixos na imensidão, a contemplar a beleza do momento.

Em VEJA desta semana: Odebrecht avisou Dilma de pagamentos a marqueteiro no exterior

Dilma Rousseff foi advertida por empreiteiro de que investigações da Lava-Jato poderiam resvalar nos pagamentos secretos das campanhas eleitorais do PT. A prisão do marqueteiro João Santana revela que a ameaça não era blefe e que recursos desviados da Petrobras — “os acarajés” — podem ter financiado a eleição presidencial
No começo de 2015, Dilma Rousseff recebeu, no Palácio do Planalto, o petista Fernando Pimentel. Ela acabara de conquistar a reeleição. Ele, o governo de Minas Gerais. Amigos e confidentes há mais de quarenta anos, os dois tinham motivos para comemorar, mas trataram de um assunto espinhoso, capaz de tisnar os resultados obtidos por ambos nas urnas. Pimentel trazia um recado de Emílio Odebrecht, dono da maior empreiteira do país, para a presidente da República. O empresário a advertia do risco de que os pagamentos feitos pela Odebrecht ao marqueteiro João Santana, no exterior, fossem descobertos caso a Operação Lava-Jato atingisse a construtora. Emílio exigia blindagem, principalmente para evitar a prisão do filho Marcelo Odebrecht, sob pena de revelar às autoridades detalhes do esquema ilegal de financiamento da campanha à reeleição. Diante da ameaça de retaliação, Dilma cobrou explicações de seus assessores. Deu-se, então, o ritual de negação encenado com frequência em seu governo. Como no caso da economia, cujo desmantelo foi rechaçado durante meses a fio, os auxiliares disseram que a petista havia conquistado o segundo mandato com dinheiro limpo e declarado. Tudo dentro da lei. A "faxineira ética", portanto, não teria com o que se preocupar.
Esse discurso se manteve de pé até a semana passada, quando o juiz Sergio Moro, responsável pela Lava-Jato na primeira instância, determinou a prisão de João Santana, o criador dos figurinos de exaltação à honestidade da presidente, e da esposa dele, Monica Moura. O casal recebeu numa conta na Suíça, não declarada à Receita brasileira, 3 milhões de dólares da Odebrecht, acusada formalmente de participar do cartel que assaltou os cofres da Petrobras, e 4,5 milhões de dólares de Zwi Skornicki, um dos operadores do petrolão, o maior esquema de corrupção da história do país. Os detalhes da investigação sobre o marqueteiro foram revelados por VEJA em janeiro passado.
             

Dom Fernando Panico, um grande bispo -- por Armando Lopes Rafael

"A ingratidão é sempre uma forma de fraqueza. Nunca vi homens hábeis serem ingratos." (Goethe) 

  Fiz os antigos cursos de Humanidade (ginasial) e o Cientifico, nos bancos do tradicional Colégio Diocesano de Crato. Do pouco que sou muito devo à formação recebida naquele educandário, à época dirigido por monsenhor Francisco Holanda Montenegro. Os mestres de antigamente não se limitavam a repassar, aos alunos, os informes da matéria de que eram titulares. Em meio à explanação das disciplinas, os professores faziam comentários visando à formação religiosa e cívica dos alunos. Nunca esqueci o que disse certa vez um excelente professor: “O pior dos defeitos é a ingratidão, que despreza hoje quem o beneficiou ontem”. Na verdade vim a saber depois que esta frase fora escrita por Torres Pastorino. Mas ele vem a calhar pelo fato que relato abaixo.
     
     Uma pessoa -- que já recebeu atenção e favores da parte de Dom Fernando Panico -- fazia, outro dia, através do face book, críticas veladas ao trabalho deste bispo à frente da Diocese de Crato. Além do defeito da ingratidão, essa pessoa agia de forma malévola, fingindo desconhecer que o atual Bispo Diocesano de Crato foi o responsável pelo funcionamento de quatro instituições para recuperação de alcoólatras e dependentes de drogas que funcionam hoje no Cariri. Além das duas casas existentes em Crato, temos outra em Barbalha (no sítio Riacho do Meio) e a Fazenda da Esperança, em Mauriti, trabalhando na cura desses vícios. Deve-se, ainda, a Dom Fernando a construção dos dois grandes blocos que compõe a atual Cúria Diocesana de Crato, bem como o prédio do novo Seminário Propedêutico, localizado no bairro Grangeiro.
      Quando chegou a Crato, em 2001, Dom Fernando encontrou a Diocese com 42 paróquias. Criou mais 13 e outras 02 duas paróquias estão em processo de criação, o que significa um crescimento de 31,7%. Ordenou ele os primeiros Diáconos Permanentes da Diocese. Criou o Curso Superior de Teologia no Seminário São José de Crato, que hoje forma sacerdotes para cinco dioceses: Crato e Iguatu, no Ceará; Salgueiro e Petrolina, em Pernambuco, e Cajazeiras, na Paraíba. Dom Fernando ordenou 68 novos sacerdotes para a Diocese de Crato. O clero cratense é hoje formado, na maioria, por novos padres o que não aconteceu com outras dioceses brasileiras que tem a maioria na faixa etária da terceira idade.
        Ao assumir a Diocese de Crato, Dom Fernando encontrou o Hospital São Francisco de Assis, pertencente à Fundação Padre Ibiapina, em meio a várias crises, pois atuava com métodos e equipamentos ultrapassados. Entregou aquele hospital – em forma de comodato – à Ordem dos Camilianos, e aquele nosocômio vem experimentando sucessivas melhorias no seu funcionamento e é considerado hoje um “hospital-polo” no sul do Ceará. Quando vemos, diariamente – através dos noticiários da televisão – a falência da assistência médica no Brasil e comparamos com a assistência prestada pelo Hospital São Francisco, chegamos à conclusão do acerto da decisão do atual Bispo de Crato.
         Hoje, todos os 32 municípios que foram a Diocese possuem suas paróquias. Além disso, Dom Fernando criou quatro Santuários Diocesanos: o da Igreja-Matriz de Nossa Senhora das Dores de Juazeiro do Norte (posteriormente elevado pela Santa Sé à condição de Basílica Menor); o Santuário Eucarístico que funciona na igreja de São Vicente Férrer em Crato; o Santuário da Divina Misericórdia, na Igreja-Matriz de Santo Antônio, na cidade de Barro e o Santuário da Mãe do Belo Amor, localizado no planalto do sítio Páscoa, zona rural de Crato.
            A realização de maior impacto e repercussão feita por Dom Fernando foi o da reconciliação da Igreja Católica com a memória espiritual e a pastoral do Padre Cícero Romão Batista. Há a registrar também que se deve ao atual bispo de Crato o início ao Processo Diocesano pela Beatificação da Serva de Deus Benigna Cardoso da Silva. Este processo já se encontra em análise na Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano.
             Haveria muitas e muitas outras ações a falar sobre o fecundo episcopado deste admirável e generoso Pastor Diocesano, nascido na Itália. O espaço é curto.  Aquela pessoa que hoje cospe no prato que a alimentou, bem que poderia refletir: a gratidão é um dos sentimentos mais nobres que existe. Ser grato é abrir o coração e deixar fluir este sentimento que envolve a nossa alma. Ser grato é reconhecer um benefício que recebemos e que nada nos custou, embora seja algo tão caro e tão relevante e traga tanto reflexo no presente e no futuro. No entanto, para ser grato é preciso ter um coração sempre aberto, ter sensibilidade, humildade, estar ao lado do bem...
Fugindo da raia: Lula pede ao Supremo suspensão das investigações sobre sítio e tríplex
Fonte: Estadão
Advogados de Lula alegam que Ministério Público Federal e Ministério Público do Estado de São Paulo 'investigam a mesma coisa' e que legislação impede duplicidade de feitos
A defesa do ex-presidente Lula ingressou no Supremo Tribunal Federal com pedido de suspensão das duas investigações em curso no Ministério Público Federal e no Ministério Público do Estado de São Paulo sobre duas propriedades que os investigadores suspeitam pertencer ao petista – o sítio Santa Bárbara, em Atibaia, e o tríplex 164-A no Condomínio Solaris, no Guarujá. Os advogados de Lula alegam que a legislação impede duplicidade de investigações sobre um mesmo objeto. Eles pedem à Corte máxima que decida qual Ministério Público pode investigar o ex-presidente.
Segundo a petição, distribuída para o gabinete da ministra Rosa Weber, o Ministério Público Federal e o Ministério Público do Estado de São Paulo investigam a mesma coisa. A defesa pede ao Supremo que defina qual Ministério Público deve investigar o caso.
Comentários
Aurelio Serralheiro disse:
Mensalão, Petrolão, Zelotes, Acarajés, Trem Pagador, Sítio, Triplex são neologismos do novo dicionário do maior esquema criminoso, da era moderna mundial, montado na era petista. A Copa do Mundo, Olimpíadas, obras faraônicas, algumas que nunca saíram da prancheta e mesmo assim consumiram milhões de Reais, ilustram a diversidade e a criatividade do moderno folclore criminoso instaurado nesse país. A hoje aclamada "presunção da inocência" era na verdade, antes do delito criminoso, simplesmente a "presunção da impunidade", avalizada majoritariamente pelos figurões petistas que hoje desfilam no noticiário criminoso. Patético. A devassa começou e sua inércia vai atingir um a um, como num jogo de dominó macabro. Dedico esse texto à festa do aniversário do PT, neste sábado à noite.

Enquanto isso, Ministério Público marca depoimento de Lula, Marisa e Lulinha para próxima quinta
Por: Severino Motta, revista VEJA, 27-02-2016

O Ministério Público de São Paulo intimou nesta sexta-feira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sua mulher, Marisa Letícia e o filho do casal Fábio Luiz para que prestem depoimento no procedimento que investiga o tríplex e o sítio de Atibaia. Todos os depoimentos deverão acontecer na próxima quinta-feira (3). Marisa será a primeira a depor, às 9h. Depois Lula, às 11h e por fim, Fábio Luiz, às 13h. No documento enviado à família consta que “em caso de não comparecimento importará na tomada de medidas legais cabíveis, inclusive condução coercitiva pela Polícia Civil e Militar, nos termos da normas acima referidas”.

Se a moda pega: Ex-prefeito de Várzea Alegre é preso por corrupção
Fonte: jornal O POVO
O ex-prefeito de Várzea Alegre João Eufrásio Nogueira, o Joãzinho, foi preso ontem pela Polícia Federal. Ele foi condenado a seis anos e quatro meses de reclusão por corrupção durante seu mandato. O advogado do ex-prefeito, Leandro Vasques, afirma que a condenação foi para regime semiaberto e que deve solicitar a mudança para prisão domiciliar devido à inexistência de estrutura adequada para o semiaberto no Ceará.
Em 2013, João Eufrásio Nogueira foi condenado por improbidade administrativa, acusado de realizar licitações para despesas na área da Educação em valor superior a R$ 1,2 milhão, segundo o Ministério Público Federal no Ceará, autor da ação contra o ex-prefeito. De acordo com a Polícia, o ex-prefeito foi encaminhado à sede da PF, em Fortaleza, onde permanecerá à disposição da Justiça. A decisão foi expedida pela 16ª Vara Criminal da Justiça Federal em Juazeiro do Norte. No ano passado, Joãozinho trabalhou como assessor no gabinete da deputada Aderlânia Noronha, na Assembleia Legislativa.
O advogado do ex-prefeito, Leandro Vasques, ressaltou também que detectou nulidades no processo que resultou na condenação e deve se debruçar sobre os documentos nos próximos dias para solicitar revisão ao Tribunal. Na ação do MPF de 2008, Joãzinho foi acusado de desviar verba do antigo Fundef, hoje Fundeb. (O POVO Online)

             

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30