xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 05/01/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

05 janeiro 2016

Para Você Refletir ! - Por Maria Otilia


Estamos iniciando um novo ano. E inicia-se também um período de muita reflexão, tomada de decisões,escolhas,etc. Neste 2016, ano de eleições municipais, exige de todos nós cidadãos cratenses muita responsabilidade no tocante a escolha de quem vai nos representar no executivo e legislativo. Até porque não podemos e nem devemos ficar no anonimato ou melhor "em cima dos muro" para  obtermos vantagens pessoais. Temos o dever  de buscarmos alternativas para tirar o nosso Crato .deste marasmo, desta inércia em que se encontra a nossa cidade.

Não se concebe mais presenciarmos cenas lamentáveis como a que vi hoje, na porta de uma Escola de Ensino Infantil, pais que passaram o dia e a noite em uma calçada para garantir uma vaga para seu filho, o que por lei já é um direito. Infelizmente a nossa cidade de médio porte não tem em seu plano de governo a ampliação da matrícula de educação infantil. Não foi divulgado nenhum projeto de construção de uma Escola referência em Educação Infantil. Enquanto que outros municípios , já atendem toda a demanda de Educação Infantil e Fundamental.Inclusive tendo  inúmeras escolas premiadas como "Nota Dez". Para que possamos fazer uma reflexão  sobre este ano político, posto uma fábula que trata de adversidades, de tomadas de decisões, de mudanças de atitudes. Boa Leitura.

O SÁBIO  E  A  VACA

Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, três filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada. Com fome e sede, o sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.
- O senhor vê aquela vaca ? - disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.
O sábio agradeceu e partiu com o discípulo. Nem bem fizeram a primeira curva, disse ao discípulo :
- Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá em baixo. O discípulo não acreditou.
- Não posso fazer isso, mestre ! Como pode ser tão ingrato ? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se a vaca morrer, eles morrem !
O sábio, como convém aos sábios chineses, apenas respirou fundo e repetiu a ordem :
- Vá lá e empurre a vaquinha. Indignado porém resignado, o discípulo assim fez. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo.
Alguns anos se passaram e o discípulo sempre com remorso. Num certo dia, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ajudar a família, pedir desculpas. Ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram. No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com árvores, piscina, carro, antena parabólica. Perto da churrasqueira, adolescentes, lindos, robustos comemorando com os pais a conquista do primeiro milhão. O coração do discípulo gelou. Decerto, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora. Devem estar mendigando na rua, pensou o discípulo. Aproximou-se do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá.
- Claro que sei. Você está olhando para ela.
Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte, altivo, a mulher mais feliz e as crianças, jovens saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse:
- Mas o que aconteceu ? Estive aqui com meu mestre alguns anos atrás e era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar de vida em tão pouco tempo?

O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu :
- Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos o nosso sustento. Era tudo o que possuíamos, mas um dia ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor que antes.

Ou seja: às vezes é preciso perder no presente para ganhar mais adiante. É na adversidade que exercitamos nossa criatividade e engendramos soluções para os problemas da vida. Muitas vezes é preciso sair da acomodação, criar novas idéias e trabalhar com amor e determinação para colhermos os frutos da prosperidade.

Autor desconhecido

Por: Maria Otília



Minha fé - Por: Emerson Monteiro

Amor é um estado de alma. Uma entrega de nós com a gente mesma.

Ruim é se jogar em aventuras, ilusões, e ter que pagar a conta depois, os abusos, os desgastes, as doenças, as mágoas... Bom que seja aguardar, alimentar uma fé. Crer em Deus, minha amiga, crer de todo o coração. Existe, sim. Existe. Acredite em mim de todo ser. Deus é pura realidade. De uma hora a outra tudo pode mudar quando a gente não põe a perder. Alimente. Busque um amigo, uma amiga, que seja religioso no real sentido do termo, e se jogue de alma inteira no que estou lhe dizendo. Vai ter largas surpresas. Será o início de tudo que esperar com tanta vontade de ser feliz, de mudar a vida para melhor. Para o bem. Jamais se desespere; nunca se entregue, pois, ao desânimo. De uma tenho certeza, não é o pessimismo, nem a revolta, o que resolverá, que isso a ninguém agrada, nem à gente sequer.

Onde anda é que leva a isso. Busque outros lugares. Neste mundo há pessoas de bem. Só transa fica devendo muito aos propósitos de Deus aos homens. Existem as virtudes; não é só de instinto que se vive.

Seja leve consigo. Em nada alimente a paz de quem se revolta e nega a existência que levar. Erga os pensamentos. Reconstrua seu interior de outra forma.

A roupa quem saber é quem veste, por isso aproveite a vida que recebeu. Trabalhe seu eu, estude, viaje, faça amizades novas, seja simpática, agradável.

E dê uma tinta nova em sua vida.

Resta ser feliz do seu modo. Aceite a vida, que os dias se abrirão diferentes.

Gosto de ser gostado, mas invisto nisso minha vida. Se não gostam de mim não é problema meu.

Não bebo álcool, não uso droga, não alimento desgosto, nem tristeza...

Um caso raro de aceitação, ainda que nem sempre as situações me sejam favoráveis. Tenho meus achaques, minhas limitações pela vida... No entanto me acho feliz dentro do meu merecimento, do meu possível de ser aqui.

Mas estou de asas abertas pelos céus de minha imaginação, olhos fixos na paz que me espera, um dia, lá na frente, de braços abertos.

HOTEL PASÁRGADA – SEM ESTRELA, ACÉFALO E À DERIVA.



Convencidos de uma virada de ano inesquecível, lá fomos nós para o HOTEL PASÁRGADA. Na recepção, percebi que as anotações, numa improvisada e vergonhosa folha de papel, eram o prenúncio de uma falta de organização que iria atingir o apogeu a partir das 22h. 

O prometido virou o não prometido e tudo se transformou numa bagunça generalizada. Garçons que não eram garçons pareciam estranhos que foram convocados às pressas para um serviço que ignoravam. Houve um momento em que um “pseudogarçon”, num gesto de total desespero, colocou no chão uma tampa de uma das cubas no instante em que ia repor o alimento. Num self-service improvisado, um verdadeiro samba do crioulo doido, com lençol curto, foi cantarolado – faltava garfo e tinha faca; faltava faca e tinha garfo; garfo e faca estavam lá, mas faltavam pratos; talheres e pratos repousavam sobre a mesa, mas havia a espera pela reposição de um ou mais ingredientes “do delicioso e esperado lauto jantar prometido”. 

Houve um momento em que as exigências e as reclamações dos clientes foram se avolumando até se tornarem num verdadeiro pandemônio. Em uma mesa próxima, muito bem servida, a gerente conversava tranquilamente enquanto o mundo se acabava à sua volta. A frustração não foi total porque os fogos coloridos e a banda nos acalmaram. Soube hoje – 2 de janeiro – que a gerente que não nos gerenciou, abandonou-nos. Foi vista participando do “Reveillon” do Clube Recreativo Grangeiro. O Tribunal de Pequenas Contas, para o devido ressarcimento do meu dinheiro mal empregado, me aguarda. Tenho fartura de testemunhas.

Prof. Augusto Monteiro




Cientistas dizem ter criado camisinha que aumenta prazer


Cientistas indianos e americanos dizem ter desenvolvido um novo preservativo que, além de evitar o contágio pelo HIV, aumenta o prazer sexual. A nova camisinha, de acordo com os pesquisadores, fará com que as pessoas queiram usar a proteção - em vez de simplesmente adotá-la por razões de segurança de saúde ou para evitar gravidez. O preservativo foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, e financiado pela Fundação Bill Gates. Mahua Choudhury, pesquisadora do centro, disse que a ideia era criar um produto que protege o usuário e também ajuda a aumentar o prazer. A nova camisinha tem uma substância gelatinosa reforçada com antioxidantes que atacam o vírus HIV caso ocorra um rompimento do preservativo, disse Choudhury. Mas esses antioxidantes "também estimulam as terminações nervosas e, por isso, geram maior prazer sexual", acrescentou a cientista.

RESISTÊNCIA

Choudhury lembra que muitas pessoas abrem mão dos preservativos por acharem que a camisinha reduz o prazer na relação sexual. E dados da ONU indicam que, apesar de avanços nas duas últimas décadas, milhões de pessoas no mundo todo ainda não têm acesso à camisinha ou não utilizam a proteção devido a barreiras psicológicas e tabus sociais. O Fundo para a População da ONU afirma que o uso de camisinha em relações com pessoas que não são parceiros(as) regulares varia de 80% em países como a Namíbia, na África, até menos de 40% em outros países –incluindo alguns com altas taxas de infecção pelo HIV. Entre os jovens de 15 a 24 anos o uso de preservativos varia entre 80% em alguns países da América Latina até 30% em países a África Ocidental. Crenças populares e fatores culturais têm um papel importante no uso da camisinha. Segundo Choudhury, o projeto do novo preservativo visa justamente criar um produto que faça com que mais pessoas se sintam motivadas a usar a camisinha. "Isto faria com que as pessoas comprassem um produto que as protege mas também torna a relação sexual mais satisfatória", disse. O mais interessante, de acordo com a pesquisadora, é que não há nada parecido no mercado que ajude a prevenir de forma tão eficaz o HIV. 

Fonte: Folha de São Paulo




Falta combustível em postos do Interior do Ceará


Iguatu. Empresários do setor varejista de combustíveis, no Interior do Ceará, vêm enfrentando dificuldades para compra do produto nas distribuidoras. Desde novembro é recorrente a falta de gasolina e de etanol em alguns postos. O problema tem sido pontual, mas irrita os empreendedores que pagam antecipadamente e esperam duas ou mais semanas para o recebimento da carga adquirida.

Um exemplo é do empresário Miguel Weima Bezerra, dono da rede de postos 100%, na região Centro-Sul do Ceará: "Há 14 dias comprei 50 mil litros da distribuidora Ipiranga, que foi repassando aos poucos e ainda não completou. Fiquei cinco dias sem combustível em três postos nas cidades de Iguatu, Jucás e Lavras da Mangabeira".

A irritação do empresário aumentou quando, ontem, ele cobrou da distribuidora a entrega do restante do combustível e foi informado de que haveria um reajuste. "Isso é um desrespeito, pois já paguei antecipado. Vou ingressar com ação judicial", disse. "A Ipiranga sequer deu previsão de conclusão da entrega do combustível". Segundo o empresário, o problema é recorrente, em todas as distribuidoras. "Estamos enfrentando muitas dificuldades, pagamos com antecipação e não temos prazo para receber o produto. As distribuidoras culpam a Petrobras, que não tem condições de atender uma demanda crescente, a infraestrutura dos portos e dos terminais de distribuição está ultrapassada, falta logística adequada".

Fonte: Diário do Nordeste



Governador Camilo Santana dá nota baixa para atuação econômica



Depois de um ano difícil para a economia do País, com problemas políticos latentes, o governador Camilo Santana avaliou com uma nota baixa o trabalho realizado pela sua gestão, para a economia do Ceará em 2015. "Eu mesmo me avalio com uma nota muito baixa, mas quem tem que avaliar é a população. Eu me cobro muito, gostaria de ter feito muito mais do que nós fizemos ainda neste ano (em 2015), mas as condições não permitiram isso", lamentou em entrevista ao Diário do Nordeste, antes do recesso de fim de ano. O governador esclarece que a economia do Estado não será resolvida apenas em "um passe de mágica", porque a situação nacional reflete na realidade do Ceará. Entretanto, apesar da insegurança dos cearenses em relação ao atual cenário, Camilo está otimista, prevendo uma melhoria na economia em 2016. O governador ressalta que o Ceará foi o terceiro Estado do País com maior volume de investimentos públicos em valores nominais em 2015, ficando atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro, algo que considera um grande resultado. O diagnóstico para superar a crise, para Camilo, é que o governo continue honrando os seus compromissos, efetuando os pagamentos em dia e realizando novos investimentos. "Isso é um esforço do setor produtivo, do setor empreendedor, das equipes de trabalho, né?. Ninguém faz nada sozinho", declara.

Em 2016

Quando questionado sobre projetos que o governo não conseguiu efetuar em 2015 e pretende implantar em 2016, Camilo Santana enfatiza o investimento que foi realizado na área de energias renováveis. De acordo com o governador, o Estado se preocupou em criar um ambiente atrativo para que os investidores de fora venham para cá, para ampliar o setor de energia eólica e estimular o de energia solar, grandes potenciais do Ceará. Em relação a esses possíveis investidores, a expectativa do governo é que a China faça grandes empreendimentos em solo cearense. Como incentivo, o governo está desonerando os impostos de alguns segmentos, como o de confecções e de energia.

ICMS

Ele comenta que houve um aumento de 17% para 18%, em praticamente todos os estados, sobre a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), enquanto que o Ceará manteve-se em 17%. "O Piauí também manteve (a alíquota), foram os dois únicos estados. Como aqui a cobrança do percentual de impostos é menor que os dos nossos estados vizinhos, isso pode estimular nossa economia agora, em 2016. Então, a gente tem feito um grande diálogo com o setor produtivo. Desoneramos agora, por exemplo, o setor de camarão, que vai crescer significativamente neste ano aqui no Ceará", esclarece Camilo, lembrando que o Estado é responsável por 52% da produção do camarão de cativeiro do Brasil.

Fonte: Portal Verdes Mares




Dilma tem 7 dias para se explicar em processo no TSE



Prestando contas com o Tribunal Superior Eleitoral

Agora não tem mais jeito de fugir: Dilma tem 7 dias para se explicar em processo no TSE. Enquanto se articula para tentar barrar o processo de impeachment no Congresso Nacional, a presidente Dilma Rousseff precisará também se defender em uma ação que pode cassar o mandato dela e do vice, Michel Temer (PMDB-SP). O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou nesta sexta-feira o acórdão sobre o processo. A defesa tem 7 dias para se manifestar a partir da notificação. A ação investiga abuso de poder político e econômico nas eleições de 2014 e foi proposta pelo PSDB. Os advogados que representam a chapa Dilma/Temer poderão apresentar provas e indicar testemunhas, durante esse prazo, além de solicitar a produção de outras provas.

De acordo com o processo, há indícios de irregularidades na contratação da empresa Focal Confecção e Comunicação Visual, que prestou serviços à campanha e recebeu 24 milhões de reais. Segundo o processo, também há indícios de financiamento de campanha com dinheiro oriundo de corrupção em contratos com a Petrobras.

Via Blog do Sanharol - Antonio Morais




Teori dá 10 dias para Cunha se manifestar sobre pedido de afastamento



“O ministro do STF Teori Zavascki abriu um prazo de dez dias para que Eduardo Cunha se manifeste sobre a petição em que o Ministério Público requer seu afastamento do comando da Câmara. Como Cunha não foi notificado da decisão, o prazo só começará a contar quando isso acontecer. Desta forma, mesmo em fevereiro, quando o STF voltar do recesso, oficiais de Justiça ainda terão de entregar a decisão de Teori e o STF só poderá começar a analisar o pedido de afastamento após a manifestação de Cunha. Se Cunha for notificado logo no dia primeiro de fevereiro, o STF só teria como julgar o pedido de afastamento a partir da sessão do dia 17. Já se a notificação demorar, o caso pode ficar para a última semana do mês que vem ou até mesmo para março.”

Coluna Radar, da Veja Online



Cid diz que Dilma deveria sair do PT e se omitir da sucessão de 2018



Afastado dos holofotes, o ex-governador do Ceará Cid Gomes defende que a presidente Dilma Rousseff se desfilie do Partido dos Trabalhadores (PT) e assuma o compromisso público de não participar de campanha à sua sucessão. Em entrevista ao Diário do Nordeste, ele afirmou que isso poderá "desarmar" o PSDB e sua posição mais radical. O ex-gestor chamou o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, de "morto vivo", afirmando ainda que parte do PT, hoje, é fisiologista, não se diferenciando de ações praticadas pelo PMDB.

Um ano depois de ter deixado o Governo do Estado, o senhor está fazendo hoje o quê?

Cuidando de coisas particulares. Digo sempre que quem tem vocação para vida pública não precisa de mandato para exercitá-la. Tenho visitado pessoas, lugares. Oficialmente, cuidando de coisas pessoais. 

Em dezembro de 2014, em entrevista ao Diário do Nordeste, o senhor vaticinou momentos difíceis para o Governo Dilma Rousseff, com a eleição de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara Federal. 2015 foi muito difícil para a política e economia nacionais. O que aconteceu foi além ou aquém?

É claro que não temos bola de cristal. Eu percebia, embora não tivesse informações privilegiadas de que ele (Eduardo Cunha) tinha conta A, B, C, D, E, F na Suíça. Mas a gente que está na vida pública acaba tendo informações sobre as pessoas. Eu sabia por muitos interlocutores que o estilo de atuação dele era da chantagem, da ousadia, do cinismo. Essa era a forma de ele conduzir a vida pública. À época (da entrevista) eu disse que se o Eduardo Cunha fosse eleito presidente da Câmara, a Dilma teria 70% da sua força executiva reduzida. E acho que ela acabou escapando (do impeachment) por pouco. Creio que esse tema impeachment está superado, pelo menos das informações que temos. Essa questão das pedaladas está superada. Há males que vêm para o bem. Se fosse outro na presidência (da Câmara), alguém honrado, alguém digno, ela não teria escapado. Esse porta estandarte do impeachment, com esse passado? As pessoas começaram a colocar um pé atrás, e a própria condição do vice (Michel Temer) tira esse entusiasmo das pessoas quanto ao impeachment. O presidente da Câmara, para mim, é um zumbi, um morto vivo. Pode, mas é um malfeito por alguém que virou protótipo do mal, mais que a Dilma. Para muita gente, a Dilma foi a figura malquista do Brasil, mas ele tomou o lugar da Dilma e é a ponta de lança desse movimento de impeachment. E não é por ideologia, por nenhum interesse que não seja tirar o foco dos processos que estão contra ele. E com isso atrair simpatia de uma oposição que não tem outra proposta para o Brasil a não ser essa história de impeachment. É uma oposição que tem tradição de décadas de golpismo, e um fragmento grande da situação que eu dividiria em duas: a banda boa que foi financiada pelo Eduardo Cunha e outra banda igual a ele, que fica querendo protegê-lo, pois está com medo de que, ele saindo dali, o próprio possa vir a ser a próxima vítima. Infelizmente é a situação do Brasil. Repito: acho que ele é um morto vivo.

O senhor ficou mais conhecido nacionalmente quando apontou o dedo para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o chamou de achacador. O senhor se arrepende daquele ato?

Jamais me arrependeria daquilo que fiz. Nunca fiz proselitismo, nunca tive entusiasmo de ter discursos apelativos. Eu fiz uma declaração em ambiente fechado, dizendo que a Câmara, infelizmente, no Brasil, não tinha espírito público no seu sentimento hegemônico ou majoritário. E que estava ali um segmento que torcia para que o Brasil e que o Governo estivessem mal para que eles pudessem tomar mais, arrancar mais, achacar mais, fazer chantagens e troca de apoio. Eu sou parlamentarista e acho que o Parlamento no Brasil está muito mal. Mas acho que isso deve melhorar, afinal de contas os parlamentares são escolhidos pelas pessoas. O sistema parlamentarista dá muito mais estabilidade ao País, pois fica mais fácil de superar crises do que um governo presidencialista. Fiz a declaração, ela foi a público e fui convocado à Câmara. Lá não podia desdizer o que eu disse e jamais desdiria. Obviamente vi o esforço pessoal dele (Cunha) no sentido de me intimidar e, ao contrário, não me intimidei e repeti o que eu falei, colocando-o como o achacador-mor, o líder desse estilo lamentável de fazer política.

Tivemos 2015 muito ruim na área política e não menos ruim na econômica. Falhou o governo ou foi a política que influenciou o desastre na economia nacional?

Eu tendo a dizer que a base do problema, pelo menos, o estilo ruim da política no Brasil é crônica. O Lula teve que ceder ao fisiologismo, o Fernando Henrique também. Eles faziam isso conscientemente. Essa relação Executivo e Legislativo no Brasil é promíscua há muitas décadas. A gente precisa refundar essa relação no País. Obviamente, quando o Executivo tem apoio popular, ele acaba se sobrepondo e ficando menos vulnerável a chantagens. No caso de 2015, a matriz do problema é econômica. O Brasil, ao longo dos últimos anos, nessa relação cambial, com real sobrevalorizado sobre o dólar, nós fizemos uma farra de compras, de importações, de turistas, uma farra de consumismo em detrimento até do nosso setor que exporta. E a repercussão disso é a inflação. O Governo, a meu juízo, nos últimos anos, perdeu um pouco o controle dos gastos públicos. Já afastamos presidente da República, tivemos um presidente que suicidou-se, tivemos presidente deposto por golpe militar. Então, na hora que você teve a fragilidade econômica, a banda podre da política mostrou as garras e foi para cima do Governo. Ela não tem a menor preocupação do que está acontecendo com as pessoas, a preocupação é em se dar bem, é resolver seus problemas, suas demandas e colocar seus apadrinhados. Juntou a crise econômica, que acabou refletindo na queda de popularidade da presidenta e, na hora em que ela fica frágil, os maus políticos vêm pra cima para arrancar o seu pedaço. Esse é um resumo do ano de 2015 e acho que o ano de 2016 a gente tende a melhorar.

Tudo o que o senhor falou diz respeito à atuação de Governo. E o Governo atual, com a baixa popularidade, tem instrumento e coragem de agir?

É bom sempre que a gente diga qual é o pré-sentimento. Gosto da Dilma. Acho que ela é séria e bem intencionada. São dois pré-requisitos que, por incrível que pareça, são muito raros na política brasileira, a pessoa ser pessoalmente séria e bem intencionada. Esses atributos estão cada vez mais raros e todo o meu diagnóstico, toda a minha análise está contaminada por isso, por esse sentimento e impressão pessoal. Não é fácil. Agora penso que a Dilma chegou no fundo do poço e escapou por um triz de ser afastada do Governo, com o impeachment consagrado. Fico imaginando qual deve ser o interesse de uma pessoa como essa. Se eu tivesse lá e chegasse no fundo do poço, iria procurar recompor minha biografia. Tudo o que um político sério deseja é a sua memória. Penso que ela ainda pode fazer uma coisa como essa e tem caminhos para isso. As pessoas ficaram muito decepcionadas com a Dilma, se sentiram enganadas. É mais fácil destruir que construir. A popularidade para se recompor tem que ser, pelo menos, dois anos, e imagino que isso está passando pela cabeça dela. Ela não tem mais nada a perder.

No fim do ano passado, dois ministros, Jaques Wagner e Patrus Ananias, disseram que o PT está no fundo do poço. Deveria ter tomado posições há um tempo. É esse partido que reclama melhoria na economia. Será que com a posição do partido dela e ela, sem respaldo político fora do PT, tem condições de fazer mudanças?

Penso que há meio para tudo, pelo menos para tentar. O PT tem uma preocupação, que é da oportunidade de ter eleição já esse ano, e os caras não querem ser derrotados fragorosamente Brasil afora. Penso eu que, fora a questão da oportunidade, o que se deseja à esquerda é uma reorientação do Governo. O (ex-ministro da Fazenda Joaquim) Levy é o tipo mais simplório no sentido de comum que se pode ter. A atuação dele à frente da economia brasileira se resumiu a duas coisas: elevar juros, que é péssimo e é um tiro no pé, porque você cria mais despesas para o Governo; e o ajuste fiscal feito de forma linear, para não dizer burra. Você pode cortar 100% de determinada despesa para poupar e importar nada de outra despesa. O Levy, a meu juízo, sai e não deixará saudades. O (ministro da Fazenda Nelson) Barbosa é burocrata, diferente do Levy, que é de banco. Ele (Levy) estava fazendo o que interessava ao grande capital nacional. Em relação a Dilma, penso que há muitos caminhos para ela. Só pela postura de contraposição ao Eduardo Cunha, que assumiu nos últimos meses, ela teve pequena recomposição na sua popularidade. Um grande problema que ela tem é o antagonismo, os dois polos ideológicos no Brasil: O PSDB e o polo de esquerda, do qual se afasta cada vez mais o PT, que parece mais o PMDB. É fisiologismo puro. Ainda tem, lógico, pessoas idealistas, mas é cada vez mais rarefeito. E aí junta PDT, PCdoB, um segmento do PSB. Como é que poderia neutralizar esse antagonismo? Se ela se desfiliar do PT e assumir compromisso público de não participar de campanha à sua sucessão, deixar que as coisas aconteçam no meio da política, poderia desarmar um pouco o PSDB e a sua posição mais radical, golpista. Ela tinha que tratar essas coisas com o PT ideológico. O PT fisiológico ia ter que se render ao mesmo tratamento do PMDB, do PR e outros que têm o mesmo estilo.

Como o senhor avalia esse momento de ódio entre pessoas e partidos no Brasil, em que um lado não se mistura com o outro e às vezes, ao que tudo indica, desejam até a morte um do outro. O senhor acredita que isso tende a aumentar com o passar do tempo ou há possibilidade de diminuir? Qual o papel do Governo nisso tudo?

Realmente, existe uma fração muito radical, conservadora, e esse pensamento é ruim. O Brasil não pode se render a esse tipo de pensamento. Se for ver quem lidera esse movimento, quem estava à frente pelo impeachment é o que há de mais reacionário, mais conservador no Brasil. Esse pensamento é maléfico para o Brasil. Você tem outro polo, que é o polo ideológico das centrais sindicais, que não é o ideal. Há embutido ali corporativismo, que é ruim. Um País que escolhe o corporativismo como seu eixo político acaba dando no Fascismo como aconteceu na Itália. Isso são segmentos minoritários e, no meio disso tudo, estão as pessoas que não têm pensamento ideológico muito claro. Então, essa polarização poderia ser atenuada se a Dilma se desfiliasse e assumisse o compromisso de não permitir que o Governo influencie no processo da próxima eleição presidencial. Isso poderia arrefecer os "Bolsonaros" da vida, porque isso é o que há de pior.

Essa crise econômica, que atingiu a todos, a iniciativa privada, mas sobretudo o Poder Público. Os governos de Estado e prefeituras estão quase falidos. Como se recuperar isso?

Não é uma tarefa fácil. Isso para evitar fazer indagação sobre o Governo do Ceará.
O Ceará tem perfil diferente da média nacional. O governador Camilo (Santana) me disse que vai investir mais que Minas Gerais. Um Estado que está investindo, teve dificuldades, mas tem percentual de investimento elevado. Você só faz investimento depois que pagar a folha e o custeio do Estado. O serviço público, para mim, não tem muita teoria. É permanentemente zelar para conter despesas e tornar eficiente as receitas. Tive a sorte de governar em um período que, em todos os oito anos, a receita do ano era maior que a anterior. Isso me deu maior conforto. E, para além disso, meu estilo de governador é que o primeiro ano é de poupança. Só sei trabalhar se eu tiver o dinheiro "ouvindo a conversa". Ao longo do ano, o Camilo procurou fazer o que é lição básica do Governo, procurou elevar as receitas, mas não conseguiu com os percentuais de impostos e taxas e teve que atualizar, como em muitos estados. Foi o ano da agenda negativa. Acho que, a partir de 2016, vai elevar investimentos. Mas não há atraso nos compromisso básico da máquina.

Fonte: Diário do Nordeste




Vereador é morto a tiros durante assalto em Fortaleza


O vereador de Itarema (a 204Km de Fortaleza) José Marcondes Rodrigues, 44, foi morto a tiros na tarde de ontem, em uma barraca na Praia de Almofala, no Litoral Oeste do Estado. Segundo informações da Polícia Militar, a linha de investigação mais forte é que o assassinato tenha ocorrido durante um assalto. Ele teria tentado reagir, mas acabou ferido por um tiro disparado por um dos criminosos.
O tenente-coronel Ricardo Moura, comandante do policiamento da área, disse que várias patrulhas da PM iniciaram as diligências à procura dos suspeitos logo após o tiroteio. "Ainda não podemos afirmar nada com certeza, mas a hipótese mais forte é que o crime tenha sido um latrocínio. As primeiras informações nos deram conta que ele teria tentado reagir, mas não deu tempo", afirmou o oficial.
Conforme dados da equipe do Centro de Operações Militares (Copom) do Vale do Acaraú, os assaltantes chegaram ao local em uma motocicleta. Eles anunciaram o roubo e estavam recolhendo os pertences dos clientes na 'Barraca da Gringa', quando o vereador interveio.

"Eles estavam pegando tudo o que podiam. Já tinham recolhido os pertences de muita gente, inclusive os do vereador, quando ele tentou reagir. Um dos assaltantes atirou e o atingiu de forma fatal", informou um militar de plantão no Copom, ontem, que não será identificado porque também atua na Inteligência da Corporação.

O militar afirmou que os dois homens fugiram na mesma motocicleta em que chegaram levando os produtos que conseguiram roubar. Segundo o policial, eles já teriam sido identificados.
"Não podemos revelar nomes por enquanto, porque isto pode representar prejuízos nas buscas, mas os dois foram identificados por testemunhas do fato. São dois rapazes que, inclusive, já causaram outros problemas aqui na região praticando assaltos", declarou.

Fonte: Diário do Nordeste


Piloto dá meia-volta em avião para família de luto não perder funeral



Um piloto da Delta Airlines está comovendo pessoas pelo mundo inteiro após uma atitude de extrema bondade. O comandante decidiu retornar ao portão de embarque com a aeronave para que uma família de luto não perdesse o funeral de um familiar nos Estados Unidos. A família Short sofreu um atraso de quase 90 minutos em Phoenix e precisava correr para pegar um voo de Minneapolis para o Tenessee. Eles viajavam para participar do funeral do pai e avô Ray Short, de 56 anos, morto em dezembro vítima de um câncer no pulmão. Entretanto, ao chegar no portão de embarque, a família foi informada que o avião havia acabado de sair para decolar e que era tarde demais.  

“A mulher iniciou uma chamada e nos disse que não havia nada que pudessem fazer, que a torre não permitiria que a aeronave retornasse, então minhas irmãs e minha mãe se sentaram e começaram a chorar, enquanto eu tentava gritar através do vidro”, disse Rick Short, um dos irmãos, em entrevista ao canal Fox 10. Ao ver o rapaz desesperado através do vidro, o piloto diz ter notado suas “lágrimas e tristeza”. Ciente ainda de que aquele era o último voo do dia entre as outras cidades, o piloto Adams e seu copiloto Anderson pediram ao motorista do trator que o empurrassem de volta ao portão para embarcar a família. “Eu estava chorando muito e não podia acreditar que perderíamos o voo e o funeral do meu pai. Nós somos muito, muito gratas àqueles pilotos”, completou Marcia, esposa de Rick. 

Fonte: Yahoo Notícias



Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30