xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 21/11/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

21 novembro 2015

Noites Vorazes na Consciência – por Pedro Esmeraldo



    Noites tristes estão a aniquilar o estado de repouso do cidadão cratense. Certamente descaracterizados, de maneira especial, devido à malquerença de certos políticos ruidosos que tentam a suspensão temporária da consciência do povo desprezado e sofrido. Neste caso, não temos força para obter bom procedimento ético, porque fomos embalados pelo mau comportamento politico da outra cidade.
    Somos enganados e vilipendiados por artimanhas de pessoas invejosas que querem surrupiar do Crato uma – das poucas coisas que ainda temos de bom – que é a Universidade Regional. Tem quem tenha disposição e serviço, oferecendo vantagens para retirar do Crato o campo universitário da URCA.
    Isso acontece quando tentam retirar o Parque de Exposição do atual  local, sob o argumento de  ampliar e modernizar o referido Campo Universitário.
    Ora meus amigos, o parque de Exposição é enorme. Dá para acoplar a Exposição e a URCA juntas, sem precisar retirar nenhuma delas de Crato. Aquele espaço continua a ser a menina dos olhos do município do Crato. Não sabemos por que motivo o pessoal da URCA tem esse anseio descomunal, visto que lá há grande margem de terra destinada para satisfazer o desejo de todos.
    Não nos deixemos permanecer sob influência de espíritos conturbados. Estamos  cansados pelos arrufos de alguém que procura atanazar o nosso caminho, atribuindo-nos valores inúteis e sem conhecimento da realidade, pois na medida do possível, temos a capacidade de prosperar com bons valores intelectuais, atingindo, também, o caminho da tecnologia aplicada ao desejo do povo.
    Olhe Senhor Governador para o Crato! O Senhor é filho do Crato e quando acaba está esquecendo do Crato. Por que o Senhor não dá vez ao município do Crato? Por que o Senhor desprezou a sua terra natal? Por que o Senhor não olha bem para o Crato? Venha comungar conosco, o povo lhe espera de braços abertos, mas almeja grandes melhoramentos. Evite-nos constrangimentos não nos deixe cair em noites mal dormidas.
    Confiamos no Senhor, pois sabemos que o Senhor é um cidadão de bem.

O caminho - Por: Emerson Monteiro

Frodo deve procurar o seu centro, e iniciar a escalada, o caminho para a realização plena.                                                                                                                                                           Wikipédia

Que montanha encantada é essa? Que buscar adiante, no destino? Sair à procura de quê? Por mais, às vezes, pareçam fascinantes as histórias, os mistérios não revelados existem ainda passos seguintes que deve justificar o aonde ir, porquanto o tempo nunca pára de avançar. A gente endossa as paradas, que vêm em forme de variações, contudo a rotina de percorrer os trilhos do tempo continua passo a passo. Espécie de sucessão ocasional de que façamos  o que de melhor achemos, insiste na cobrança das responsabilidades, nesse caleidoscópio sem final.

Que inconsciente? Onde mora? Como encontrar? O caminho do inconsciente quer significar esse ter de seguir sem conta no andamento da viagem insistente dos sucessivos momentos inevitáveis. Espécie de loteria da felicidade, nós e o tempo, acesos no mesmo continuar individual e coletivo. Nós e os outros, nós e a sociedade... Entra ano e sai ano, esse persistir. Uma energia que vira matéria e uma matéria que torna à energia... (Ao pó retornarás.) Oráculos de nós mesmos, contemplamos o panorama dos dias de olhos fixos no prodígio da humana condição. Se o caminho é a própria existência, aonde nos levará existir?

Vêm respostas por meio das filosofias, religiões, psicologias, todas no entanto sob perpassar o crivo da razão acostumada ao movimento dos barcos no pisar dos passos. Perguntas mil em forma de lampejos de consciência indagam a sorte e respondem elas mesmas, tal quem se puxa do passado pelos próprios cabelos.

Há igualmente aspecto diverso, o sentimento, que fala noutra linguagem, esta à maneira dos poetas, dos místicos, artistas, tom abstrato de percepções particulares, subjetivas, das quais existem provas imensas, contudo a serem testadas na sala da alma nalgumas horas presas aos poderes da razão, que evita abrir espaço definitivo a isso que não compreendeu de sentir, tutora exclusiva das interpretações do segredo que recupera em jeito frio de afirmar e nunca só provar o desengano a que larga os humanos e suas aventuras de encontrar o Caminho.

Coisas desta república

Em VEJA desta semana: Cerveró diz que negócios da Petrobras em Angola e EUA financiaram eleição de Lula em 2006
Ao negociar sua delação premiada, o ex-diretor da petrolífera passa a apresentar detalhes de transações em que houve “prejuízo intencional” – uma vez que o verdadeiro propósito era obter dinheiro para a campanha política do PT
“Prejuízo intencional”: Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras, diz que o PT recebeu “entre 40 milhões e 50 milhões de reais”(Cristiano Mariz/VEJA)
Em abril do ano passado, um funcionário de carreira da Petrobras, com trinta anos de casa, procurou a Polícia Federal oferecendo-se para ajudar nas investigações do petrolão, o maior esquema de corrupção da história do Brasil. Ele narrou seis casos que classificou de "má gestão proposital" - ou seja, negócios feitos com a intenção de produzir propinas. A maior parte das quatro horas de depoimento espontâneo foi dedicada à atuação de Nestor Cerveró à frente da diretoria internacional da empresa. A decisão de explorar petróleo em Angola, contou o funcionário, foi planejada para dar "prejuízo intencional". E deu. Segundo ele, foram 700 milhões de dólares jogados para o alto, com sobras para os corruptos.
O depoente voluntário recomendou aos procuradores que rastreassem os sinais da entrada no Brasil de dinheiro originário do exterior. À informação do colaborador, cujo nome as autoridades preservam, faltavam evidências sólidas. Em abril de 2014, a Lava-Jato era ainda uma operação restrita à ação de doleiros. Um ano e meio depois, o próprio Nestor Cerveró, quem diria, um dos engenheiros da "má gestão proposital", aparece como a melhor oportunidade de confirmar as ousadas operações de "prejuízo intencional" com o objetivo de obter propinas para os diretores corruptos da Petrobras e seus padrinhos políticos. São histórias que invertem o ditado segundo o qual "a ocasião faz o ladrão". No maior escândalo de corrupção da história brasileira, o ladrão cuidava de providenciar a ocasião.
Preso desde janeiro sob a acusação de embolsar dinheiro sujo do petrolão, Cerveró já foi sentenciado duas vezes pelo juiz Sergio Moro. Numa delas, a cinco anos de reclusão, por comprar um apartamento com recursos desviados da estatal. Na outra, a doze anos e três meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A perspectiva de uma longa temporada atrás das grades reavivou a memória do ex-¬diretor, apadrinhado por caciques do PT e do PMDB. Cerveró negocia agora um acordo de delação premiada, na tentativa de reduzir a sua pena. As histórias narradas por ele ao Ministério Público já preenchem pelo menos 25 anexos e encerram uma lógica comum: a Diretoria Internacional da Petrobras foi usada de forma sistemática com o objetivo de levantar recursos para campanhas eleitorais - com destaque para a campanha de Lula à reeleição, em 2006. Naquele ano, segundo Cerveró, a Petrobras pagou 300 milhões de dólares ao governo de Luanda pelo direito de explorar um campo petrolífero em águas profundas nas costas de Angola. Cerveró disse ter ouvido de Manuel Domingos Vicente - então presidente do Conselho de Administração da Sonangol, a estatal angolana do petróleo - que até 50 milhões de reais oriundos de propinas produzidas pelo negócio foram mandados de volta para o Brasil com o objetivo de irrigar os cofres da campanha de Lula. Cerveró fez registrar em um dos anexos: "Manoel Vicente foi explícito em afirmar que desses US$ 300 milhões pagos pela Petrobras à Sonangol retornaram ao Brasil como propina para financiamento da campanha presidencial do PT valores entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões".
Segundo Cerveró, a negociação foi conduzida por integrantes das cúpulas dos dois governos. O delator apontou como negociador do lado brasileiro Antonio Palocci, que ocupava o Ministério da Fazenda e era membro do Conselho de Administração da Petrobras. Quando da assinatura do contrato, Palocci já havia sido demitido do cargo de ministro devido ao escândalo da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa. A Petrobras pagou cerca de 500 milhões de dólares e gastou mais 200 milhões de dólares para explorar quatro blocos de petróleo em Angola. A empresa perfurou poços secos e teve gigantesco prejuízo com a operação em Angola, mas, como explicou Cerveró, isso pouco importou, pois o objetivo era cozinhar os números e deles arrancar propinas para financiar a campanha presidencial de Lula.
O mesmo método teria, segundo Cerveró, sido aplicado na compra da sucateada Refinaria de Pasadena, no Texas, Estados Unidos. O objetivo igualmente era montar um propinoduto para a campanha à reeleição do então presidente.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31