xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 23/09/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

23 setembro 2015

Cores do sentimento - Por: Emerson Monteiro

As paixões mostram suas tonalidades quentes do vermelho enquanto durar o prazer de corpos pegados e nus. Depois, lá adiante, satisfeitos apetites da carne, a tinta roxa dos finais tende a pintar telas de corações, parecido quando o tempo da euforia já passou pelas frestas apertadas dos músculos e tendões, deixando marcas profundas de restos materiais jogados inúteis pelos cantos de salas e corredores escuros, tristes campos de batalhas perdidas. Saudades amargas, dias de gozos vertidos nas sarjetas, gorduras ainda escorrendo pelo canto das bocas ressequidas, ossos quebrados, amizades desfeitas e contas a pagar nos laços desfeitos.

Noutros momentos, os suaves tons do verde dominam a folhagem antes seca do verão, notas das intensas felicidades, trazendo alegria de flores animadas, perfumadas, ao sabor do canto de pássaros soltos nas matas. Fertilidade no solo, promessas de esperança na sinfonia inigualável da natureza, a dizer esses verbos efusivos.

À vivacidade do verde se reúnem luzes laranja das manhãs esplendorosas, nos amores perfeitos e sentimentos mais sinceros, que amor existe, resta encontrar, primeiro dentro de si; na sequência, nos outros, à medida justa do que plantar. E esses rastros coloridos em matizes de vermelho com amarelo clareiam a alma do pleno pudor de verdades sinceras. 

Até chegar às notas azuis das primaveras de belas plumas, voo de aves do paraíso, espécies mensageiras da religiosidade que alimenta o sonho pessoal nas asas das orações, ao prumo da Ave-Maria. Amores ainda maiores, com o auspicioso sentido da imortalidade. Esse azul que norteia os viajantes pelo deserto das várias atribulações. O véu do firmamento trará, então, o mistério das cores, largo e infinito, mostra cabal do quanto das possibilidades existe no íntimo seio da poderosa eternidade.

Nisso, nas pinceladas da cor rosa que suavizam a luz fulgurante dos elevados sentimentos, haverá maturidade espiritual, quando amores ganham as praias da permanência, testemunho de condições imortais, pouso certo e calmo dos desejos da perfeição. Assim vindo a nós a presença dele, de Jesus, e toda beleza se completará.  

Alerta de um Cratense – Pedro Esmeraldo

   Devido o comportamento duvidoso de alguns políticos deste município, ficamos desanimados. Não toleramos mais observar esse descaso politico que nos faz esmorecer e não realizarmos obras estratégicas com intuito de favorecer o desenvolvimento firme e equilibrado, tanto na esfera econômica quanto na esfera educativa.
    Agora mesmo estamos indagando aos senhores políticos por que não partem para o trabalho serio e nunca usar a pregação do mal que venha contribuir com as ideias negativas do nosso povo.
    Hoje meu Deus, há uma horda de beócios no poder legislativo que faz nos arrefecer a praticar ideias elevadas que nos tornarão uma cidade evoluída e educada. Infelizmente, não procuram solucionar o problema, visto que tudo, isto é motivado pela máfia que controla o meio politico.
    Não possuímos mais aqueles políticos de outrora, que eram éticos com ideias brilhantes que faziam gosto observar o seu trabalho com compostura parlamentar, isto é, eram contaminados por homens dignos cumpridores de seus deveres, com seriedade e alfabetizado. Havia alguns menos letrados, mas eram autodidatas e se controlavam no comportamento sóbrio e eficaz do seu trabalho. Não falavam asnices, sabiam se controlar com o comportamento reto no poder legislativo. Eram diferentes dos de hoje, discordantes, enjoativos, agressivos, não se coadunavam com o comportamento do povo.
    Esses ditos políticos de hoje não lutam em prol da causa justa, pois a maioria deles vivem às turras com o progresso, e exercitam o blá blá blá, vociferando com palavras inócuas, dizendo idiotices que não desempenham com perfeição as suas tarefas . Vivem discutindo com os adversários; por sinal esses adversários para eles são considerados como pessoas inimigas.
    Alguns deles não entendem patavina do trabalho legislativo, mas dissecam os movimentos nobres que venham levar a cabo todo movimento elevado capaz de saborear um gosto do progresso evolutivo do município. Não procuram favorecer os bons caminhos desenvolvimentistas, não representam nada de bom em defesa do povo. Não elevam o espírito e enobrecido de cidadãos corretos. Sempre deixam a população affeita, vez que não possuem qualidade intelectual e moral, pois são sem princípio educativo e provocam atos ordinários permanecendo calados nas horas precisas. Isto é uma infâmia é uma vergonha para o homem que se comprometeu a defender os direitos do povo. Deixem de lado as picuinhas, arregacem as mangas, se não souber a lição procurem estudar. É o melhor que fazem.

Crato, 22 de setembro de 2015.


Justiça seja feita - Por: Emerson Monteiro

Em 14 de março de 1997, tomava posse na reitoria da Universidade Regional do Cariri a professora Maria Violeta Arraes de Alencar Gervaiseau para um mandato pró-tempora, no qual permanecera até o final deste primeiro semestre de 2003, perfazendo assim seis anos e alguns meses na função antes desempenhada pelos profs. Antônio Martins Filho, Manoel Edmilson do Nascimento e José Teodoro Soares.

Personalidade forte de cearense, nascida em Araripe, município do entorno da Chapada que leva o mesmo nome, início do sertão norte do Estado, Dona Violeta Arraes marca sua permanência à frente da Urca com o zelo de líder dedicada, criativa, sensível, votada ao desenvolvimento regional, suscitando, através da expansão do Ensino Superior, as contingências responsáveis pela ampliação do espaço físico e das inovações imprescindíveis à atualização do corpo acadêmico da Instituição. Por seu intermédio se deram concursos públicos necessários à formação do quadro de professores, criação de novos cursos e estudos aprofundados de reforma estatutária modernizadora da autarquia estadual, no formato de congêneres melhor aparelhadas, ainda que até hoje permaneça acanhada, sem sair do papel.

Senhora de patrimônio político aprimorado nas lutas democráticas pela autodeterminação dos povos nos valores definitivos da cidadania de nossa gente, manteria apreciável histórico de realizações, inclusive no Exterior, com livre trânsito junto a próceres de nomeada e meios artístico-culturais do Brasil e de outras nações, sábios, pesquisadores, dirigentes, realizadores, artistas e intelectuais de escol.

No decorrer de período em que esteve à frente da Universidade do Cariri, Violeta Arraes exercitou com soberania devoção à mística de ações pautadas na correção. Influente perante autoridades estaduais e federais, obteve recursos de soerguer os campi em época oportuna, dado o rápido crescimento do número de alunos, propiciando acompanhamento de avanços maiores até então registrados na história acadêmica. 

Com senso de justiça, portanto, agora se torna ocasião de lhe tributarmos preito de reconhecimento e gratidão às suas ações de que aceitou de bom grado regressar à província interiorana para conduzir o processo de consolidação da sua maior instituição de Ensino Superior; reforma e amplia o Museu de Paleontologia de Santana do Cariri; instala a Bacia-Escola do Araripe; adquire prédio destinado ao campus do Crajubar, em Juazeiro do Norte; amplia e reforma as instalações dos campi do Pimenta e do São Miguel, em Crato; além de criar o curso de graduação em Enfermagem, na área de Saúde e  os cursos de Licenciatura Plena para professores do Ensino Fundamental, cursos de pós-graduação nas áreas de Maio Ambiente, Educação, Economia, Geografia, Letras, História e Paleontologia, e os cursos de mestrado em Sociologia, Direito, Desenvolvimento Regional e Letras; dentre outras tantas realizações apreciáveis.

Sabe-se que uma universidade requer sucessivas gerações a fim de padronizar métodos e tradicionalizar as formas do saber que produza o suficiente ao crescimento da civilização. A sólida contribuição que Violeta Arraes ofereceu ao Cariri galvanizou o respeito e a integração dos princípios dos que aqui vivem. Por isso, numa providência espontânea, lhe tributamos, nestas palavras em nome de quantos ora usufruem da dedicação e do amor com que lutou pela nossa gente, pleno gesto de consideração e respeito à sua memória. 


Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30