xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 17/08/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

17 agosto 2015

Auditores da Receita iniciam paralisação na quarta-feira

receitafederal1

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) informou nesta segunda-feira (17) que a categoria inicia paralisação por tempo indeterminado a partir da quarta-feira (19). Segundo o sindicato, os serviços prestados à população serão mantidos, entre eles a restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e a fiscalização de bagagem acompanhada e desacompanhada, de perecíveis, medicamentos, fornecimento de bordo, tripulações, animais vivos e urnas mortuárias.

A assessoria de comunicação do Sindifisco informou que serão interrompidas atividades relacionadas à arrecadação, como fiscalização de empresas e lançamento de créditos tributários. Segundo a assessoria, a orientação do sindicato nacional é para que a população não seja afetada por contratempos, como filas nos aeroportos, como ocorreram semana passada, quando os auditores fizeram operação padrão no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro. Segundo a assessoria, o ato foi uma decisão local.

Os auditores reivindicam reajuste de 35% para o teto salarial e de 55% para o piso, além de aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186, que garante autonomia financeira e orçamentária da Receita Federal e autonomia funcional aos auditores, e regulamentação da Lei Orgânica do Fisco e alteração do Regimento Interno da Receita, com reforço da autoridade dos auditores.

(Agência Brasil)

Greve do IFCE chega ao 26º dia e divulga atividades desta semana

IFCEFortaleza

Os servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) chegaram nesta segunda-feira (17) ao 26º dia de greve. O movimento admite avanços nas negociações com a administração do Instituto, com a realização de reuniões e negociação de pautas de reivindicação, como a jornada de 30 horas, o direito à remoção entre diferentes campi e a situação dos servidores bibliotecários.

Nesta semana, os servidores realizarão atividades em Fortaleza e em diversos municípios do Interior, além de participar das negociações com o Governo Federal e manifestações em Brasília.

Nesta terça-feira (18), a partir das 17 horas, na sede do Sindicato dos Servidores do IFCE (SINDSIFCE), haverá reunião ampliada do Comando Geral de Greve, debatendo os próximos passos e as estratégias na condução da greve e para a garantia de atendimento às reivindicações locais, tema do diálogo com a Reitoria.

Na quarta-feira (19), a partir das 9 horas, o reitor do IFCE, Virgílio Araripe, se comprometeu a visitar o Campus Aracati, para debater pautas específicas da comunidade acadêmica local. No mesmo dia, a Diretoria Colegiada do SINDSIFCE promoverá visita ao Campus Cedro, às 10 horas, e debate no campus Jaguaribe, às 14 horas, sobre o tema “Conjuntura Nacional e Local e o papel do sindicalismo como instrumento necessário na luta dos trabalhadores”.

Na quinta-feira (20), a partir das 8 horas, os servidores realizam manifestação de rua, com concentração na Praça da Bandeira, seguindo em passeata até a Praça da Gentilândia, no Benfica, onde haverá um debate aberto sobre educação pública, combate à precarização dos Institutos Federais, reversão dos cortes do Governo Federal para a Educação.

Na sexta-feira (21), a partir das 14 horas, no Campus Fortaleza (Av. 13 de Maio, 2081, Benfica), acontece nova reunião ampliada do Comando Geral de Greve, aberta à participação de todos os servidores e interessados.

(SINDSIFCE)

MEC vai reduzir impressões em papel e economizar R$ 2,4 milhões por ano

computador-internet-teclado-hacker

O Ministério da Educação (MEC) deverá economizar R$ 2,4 milhões anuais com a redução de impressões em papel. O valor é uma previsão inicial. A pasta aderiu hoje (17) ao Processo Eletrônico Nacional (PEN), assinando um acordo com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Os processos passarão a tramitar eletronicamente a partir de novembro.

O Ministério do Planejamento considera a adesão do MEC ao PEN relevante em função do volume de processos e da quantidade de órgãos vinculados, como as universidades federais e os institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

O anúncio da economia é feito em um momento de corte de gastos. Com um dos maiores orçamento da Esplanada aprovado para 2015, a Educação está também entre os maiores contingenciamentos feitos pelo governo federal. Ao todo, cerca de R$ 10,6 bilhões foram bloqueados este ano.

O chamado Sistema Eletrônico de Informações (SEI), que passará a ser usado pelo MEC, padroniza o modelo de troca de documentos eletrônicos. Atualmente, 13 órgãos já usam o sistema e 103 estão em implantação.

Desde a última semana, os procedimentos tramitados no SEI estão incorporados no Protocolo Integrado. Com isso, a sociedade pode acompanhar a tramitação tanto dos processos gerados por cidadãos quanto daqueles feitos pelos órgãos públicos.

Agência Brasil

Crise no setor elétrico não foi causada por falta de água, diz especialista

eletricidade1

O problema da escassez de energia no Brasi não foi causado pela seca severa, disse hoje (17) o presidente da consultoria PSR, Mário Veiga, durante o seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira, promovido pelo Centro de Estudos de Energia da Fundação Getulio Vargas (FGV Energia) e Instituto Brasileiro de Economia (Ibre-FGV).

Engenheiro eletricista, Mário Veiga já prestou consultoria para o Ministério de Minas e Energia, Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A PSR atua no setor de energia elétrica e gás em mais de 60 países.
De acordo com o engenheiro, a atual baixa nos reservatórios, mais concentrada em São Paulo, não é resultado de uma grande seca. “Se você calcular a quantidade de chuva no período 2012, 2013 e 2014, quando os reservatórios passaram de totalmente cheios para muito vazios, ela foi muito razoável, foi apenas a 16ª pior seca dos últimos 80 anos”, afirmou.

Segundo ele, uma série de fatores provocou a crise energética, como dificuldades no sistema de transmissão e nos equipamentos. “Isso fez o sistema esvaziar. O fato de o sistema esvaziar em condições hidrológicas razoáveis gerou problemas comerciais.”

Veiga lembrou os processos movidos pelas hidrelétricas, termelétricas e distribuidoras para cobrir prejuízos. Para ele, esses fatores levaram ao aumento de 42% nas tarifas para o consumidor final. De acordo com o engenheiro, não há falta de energia atualmente, porque a demanda diminuiu em 2015.

“Perdemos dois anos da demanda, porque a economia desabou. Então, conseguimos economizar os 11% recomendados da pior forma possível, com a queda da demanda. É como melhorar a renda per capita cortando a capita”, disse.

Veiga informou que a situação está melhorando, com o aumento do diálogo entre o governo e o setor energético. Na semana passada, o governo anunciou investimentos de R$ 186 bilhões em energia. Na sexta-feira (14), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou que a tendência agora é que a conta de luz comece a baixar, com as medidas adotadas pelo governo e a entrada de novas fontes na matriz energética do país.

“Apesar de o dólar não estar favorecendo, a tarifa de energia explodiu de tal maneira que, na maioria dos estados, já é mais barato colocar painel solar. O consumidor residencial tem alguns obstáculos. Primeiro é que ele teria de adiantar o dinheiro para construção. O segundo é que, se quebrar ou tiver problema, é com o consumidor. Então, a melhor maneira de fazer isso é uma empresa instalar o equipamento na sua casa e cobrar mensalidade, como é feito nos Estados Unidos.”
O sistema está em análise no país e deve ser implantado brevemente.

Agência Brasil

Cunha diz que projeto que altera reajuste do FGTS não afeta contas públicas

 

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse hoje (17) que a aprovação do projeto de lei que altera as regras de reajuste dos depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não afeta as contas públicas. Ao afirmar que não tem pauta-bomba,  Cunha informou que o dinheiro do fundo é dos trabalhadores e não do governo. A votação da proposta está prevista para amanhã (18) e é o primeiro item da pauta da Casa.

cunha

Para Eduardo Cunha, o tema não causa prejuízo algum ao governoArquivo/Wilson Dias/Agência Brasil

“Esse tema não causa prejuízo algum. Em primeiro lugar, o dinheiro não é do governo,mas dos trabalhadores. Em segundo lugar, são saldos dos novos depósitos a partir de 2016. Por fim, para chegar ao estágio de afetar o estoque existente, de R$ 130 bilhões em caixa, o governo tem um patrimônio no fundo de mais de R$ 80 bilhões, cuja aplicação garante subsídio ao Minha Casa, Minha vida. É mais uma tentativa de tentar disfarçar a realidade do governo, que é ficar controlando um fundo que não é dele”, disse Cunha.
O projeto propõe que os depósitos do FGTS a partir de 1º de janeiro de 2016 sejam reajustados pelos índices da caderneta de poupança. De acordo com Eduardo Cunha, é melhor que a matéria seja aprovada e que se normatize os novos depósitos, em vez de esperar que haja uma decisão judicial determinando a correção dos depósitos.

“Supostamente, em dez anos o governo ficará sem uma margem de manobra. Esse tema tem de ser tratado, jpa que ele é palco de várias ações na Justiça. Em algum momento, o Judiciário pode decidir pela correção, que é direito do trabalhador. É melhor a gente normatizar para os novos depósitos do que esperar mais um esqueleto nas contas púbicas.”

Cunha adiantou que na quarta-feira (19) deverá votar, em sessão extraordinária, o segundo turno da proposta de emenda à Constituição (PEC 171/93), que reduz a maioridade penal dos atuais 18 para 16 anos. Segundo ele, está prevista sessão do Congresso para amanhã, mas ele não se sabe se a sessão vai demorar ou não para incluir a PEC na pauta.

A PEC, como foi aprovada, permite o julgamento de adolescentes infratores de 16 a 18 anos por crimes considerados hediondos, como estupro e latrocínio, homicídio doloso ou lesão corporal seguida de morte. Pela proposta, os jovens infratores deverão cumprir a pena em estabelecimento separado dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e dos maiores de 18 anos.

Agência Brasil

VI Encontro de Agentes de Leitura do Ceará reúne participantes de todo o Estado

agentesdeleitura

O Projeto Agentes de Leitura do Ceará, ação da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará pioneira em todo o Brasil, e as políticas para livro, leitura, literatura e bibliotecas, são tema de encontro no Theatro José de Alencar, iniciado nesta segunda-feira, 17/8, continuando até quarta, das 9h às 19h. é o VI Encontro Agentes de Leitura do Ceará, que contou na manhã desta segunda-feira com participação do secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio, e de uma roda de conversa com Agentes de Leitura. Participam do encontro 110 agentes, de todas as regiões do Ceará.

No projeto Agentes de Leitura, cada agente acompanha o processo leitor de 25 famílias, cadastradas dentre as escolhidas pelas secretarias municipais de Educação, em 30 municípios, em localidades de grande vulnerabilidade social no interior do Estado. A primeira mesa de trabalho do VI Encontro Agentes de Leitura, na manhã desta segunda-feira, teve roda de conversa reunindo Wilma Maia, agente de Parambu de 2012 e 2013, Maciel Araujo (agente de Pedra Branca de 2007/2008), Joelmir Nobre (de Croatá de 2012 a 2015), Rosana Maria de Sousa (de Mauriti, de 2012 a 2015) e Lucas Madeira Rodrigues (agente de Miraíma, de 2012 a 2013), debatendo as experiências vivenciadas no Interior com as famílias atendidas pelo projeto.

Ao longo dos três dias, os participantes, que vieram desses 30 municípios e têm idade entre 18 e 29 anos, passarão por uma série de atividades de formação e intercâmbio de experiências, no intuito de fortalecer o importante trabalho que realizam nas cidades do Interior do Ceará. Entre as participantes, as agentes de leitura Rosineide Viana de Souza e Flávia Geane Pereira Oliveira, ambas de Antonina do Norte, relataram suas experiências trabalhando com as famílias no Cariri. "Algumas crianças com as quais trabalhamos só conseguiram aprender a ler após o reforço do programa Agentes de Leitura", destacou Flávia.

A agente de leitura Sâmia Rafaela, do município de Porteiras, na região do Cariri, também destacou a importância da iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará para o exercício da função dos agentes no Interior."o Encontro é um momento muito importante, pra que a gente possa avaliar as experiências realizadas em cada município e pra que a gente possa levar esse gosto pela leitura de uma forma mais efetiva, para cada família".

Para Mileide Flores, coordenadora de políticas de livro, leitura, literatura e bibliotecas, da Secult, o VI Encontro dos Agentes de Leitura marca "um novo passo em um projeto que transforma as pessoas". "O Agente de Leitura vai até as famílias, o núcleo transformador. É um momento de busca da identidade local, em que eles se reconhecem. Uma forma de as famílias se reconhecerem dentro dessa identidade e como pessoas com grande capacidade de transformação", aponta Mileide.

Palestras: Eliana Yunes, Fabiano dos Santos e mais

"É um programa que não só modifica as pessoas atendidas, as famílias contempladas pelo projeto, mas também os agentes. A maioria dos agentes antigos hoje está fazendo faculdade. E hoje falam bem, se expressam bem, são grandes leitores de outros livros", ressalta a coordenadora, apontando ainda que a escolha dos palestrantes se deu de acordo com o perfil dos agentes e a proposta do programa.

"A Eliana Yunes é uma grande formadora de leitores, e fez a formação dos agentes no projeto nacional, do Ministério da Cultura, por isso está sendo aguardada com muita ansiedade, assim como todos os palestrantes que vêm contribuir com a formação dos agentes e a abertura de novas perspectivas para eles, na continuidade de suas atividades, beneficiando a população", complementa Mileide Flores.

O Encontro conta também com palestras de Fernanda Meireles, Lídia Eugênia Cavalcante e Eduardo Loureiro Jr., sempre no Theatro José de Alencar. Confira a programação completa:

VI Encontro Agentes de Leitura do Ceará

17 a 19 de agosto de 2015

Teatro José de Alencar

18 de agosto (terça-feira)

08h às 10h: Leitores a Caminho

·         ?Identidade e diversidade cultural? com a Historiadora Carolina Ruoso (TURMA A)

Local: Sala de Canto

·         ?Práticas leitoras e dinamização de acervos? com a Professora Lídia Eugênia Cavalcante (TURMA B)

Local: Sala de Dança

·         ?Leituras plurais: literatura, imagens, espaços e cultura digital? com a Escritora Fernanda Meireles (TURMA C)

Local: Morro do Ouro

·         ?A escrita do agente de leitura? com o Professor Eduardo Loureiro Jr. (TURMA D)

Local: Sala de Teatro

10h30 às 12h30: Leitores a Caminho

·         ?Identidade e diversidade cultural? com a Historiadora Carolina Ruoso (TURMA B)

Local: Sala de Canto

·         ?Práticas leitoras e dinamização de acervos? com a Professora Lídia Eugênia Cavalcante (TURMA A)

Local: Sala de Dança

·         ?Leituras plurais: literatura, imagens, espaços e cultura digital? com a Escritora Fernanda Meireles (TURMA D)

Local: Morro do Ouro

·         ?A escrita do agente de leitura? com o Professor Eduardo Loureiro Jr. (TURMA C)

Local: Sala de Teatro

12h30 às 14h: Almoço

Local: Jardim

14h às 15h30: ?A Experiência da Leitura transformando vidas? com o Escritor Fabiano dos Santos Piúba

Local: Foyer

15h30 às 16h: Parada para o café

Local: Praça Mestre Boca Rica (Anexo TJA)

16h às 18h: Visita guiada aos equipamentos

·         Teatro José de Alencar (conhecendo o Teatro com Izabel Gurgel) ? TURMA A

·         Sobrado José Lourenço (visitação as exposições Versus de Franklin Stein e Traços da Gravura Brasileira) ? TURMA B

·         Biblioteca Pública Espaço Estação (visita guiada com ênfase no setor Braille) ? TURMA C

18h às 19h: Jantar

Local: Praça Mestre Boca Rica (anexo TJA)                                                                            

19 de agosto (quarta-feira)

08h às 10h: Leitores a Caminho

·         ?Identidade e diversidade cultural? com a Historiadora Carolina Ruoso (TURMA C)

Local: Sala de Canto

·         ?Práticas leitoras e dinamização de acervos? com a Professora Lídia Eugênia Cavalcante (TURMA D)

Local: Sala de Dança

·         ?Leituras plurais: literatura, imagens, espaços e cultura digital? com a Escritora Fernanda Meireles (TURMA A)

Local: Morro do Ouro

·         ?A escrita do agente de leitura? com o Professor Eduardo Loureiro Jr. ? TURMA B

Local: Sala de Teatro

10h30 às 12h30: Leitores a Caminho

·         ?Identidade e diversidade cultural? com a Historiadora Carolina Ruoso (TURMA D)

Local: Sala de Canto

·         ?Práticas leitoras e dinamização de acervos? com a Professora Lídia Eugênia Cavalcante ? TURMA C

Local: Sala de Dança

·         ?Leituras plurais: literatura, imagens, espaços e cultura digital? com a Escritora Fernanda Meireles (TURMA B)

Local: Morro do Ouro

·         ?A escrita do agente de leitura? com o Professor Eduardo Loureiro Jr. ? TURMA A

Local: Sala de Teatro

12h30 às 14h: Almoço

Local: Jardim

14h às 15h30: Compartilhando os Caminhos de Leitura - resultado das oficinas e visitas aos equipamentos.

15h30 às 17h: ?Vivência e interações com leituras compartilhadas e interativas? com a Professora Eliana Yunes (Diretora da Cátedra da UNESCO de Leitura PUC-Rio)

Local: Foyer

17h às 18h: Jantar

Local: Praça Mestre Boca Rica (Anexo TJA)

17.08.2015

Coordenação de  Comunicação da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará

Arce fiscalizará 22 usinas geradoras até o fim do ano

arce

    Vinte e duas usinas serão fiscalizadas por técnicos da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) no período que vai de 28 de agosto a 18 de dezembro. As fiscalizações têm por objetivo verificar a situação das geradoras de energias eólica e térmica que estão em obras e/ou operação no Estado. Do total de empreendimentos, 13 estão em funcionamento e outros nove em construção.

    Os fiscais começarão os trabalhos pela geradora do Parque Eólico de Beberibe, distante 79 km de Fortaleza. Conforme o engenheiro elétrico Deleon Parente, analista lotado na coordenadoria de energia da Arce, essa primeira fiscalização ?se deterá em uma unidade que já está em pleno funcionamento, oportunidade em que serão observados os planos e procedimentos de operação e manutenção, além do montante de energia produzidos nos últimos três anos?.

    Nos meses posteriores, o cronograma de atividades seguirá o calendário assim estabelecido: em setembro, os analistas estarão nas usinas de Maracanaú I, Enguia Pecém, Ubatuba, Goiabeira, Santa Catarina, Ventos de Horizonte e Pitombeira; em outubro, será a vez das eólicas de Icaraizinho, Praia Formosa, Eólica Paracuru e a térmica Energy Works Kaiser; já em novembro, serão visitadas as térmicas de Crato, Iguatu, Juazeiro do Norte e Baturité. Quando dezembro chegar, as atividades englobarão as geradoras de Caucaia, Itarema I, II, III, V e Aracati, ficando, assim, concluídas as ações programadas pelo ente regulador, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    No caso das usinas em construção, os técnicos da Agência verificarão a adequação das obras ao atos de outorga e aos projetos básicos aprovados pela Aneel, incluindo os sistemas de interesse restrito (linha de transmissão e subestação); o andamento das obras civis e a montagem dos equipamentos eletromecânicos, além da documentação referente à contratação de serviços.

    A fiscalização nas usinas em construção tem o sentido maior de acompanhar a evolução das obras e verificar se as mesmas estão avançando em conformidade com o cronograma firmado junto à Aneel, garantindo que a energia esteja disponível dentro dos prazos previamente estabelecidos. Durante as ações serão analisadas, ainda, as licenças ambientais, comercialização de energias e situação fundiária. No caso das eólicas, além do que já foi citado, serão feitos monitoramentos relativo aos ventos. Outro ponto importante que também passará pelo crivo dos analistas é a apresentação dos cronogramas de execução das frentes de trabalho. O objetivo é, a partir das análises de dados e estratégias apresentadas, comprovar a factibilidade do cronograma e a conclusão das obras, de acordo com o previsto e definido nas outorgas das usinas eólicas, a fim de evitar problemas.

    Já no tocante às ações dirigidas ao parque gerador do Ceará, nas usinas em operação, o objetivo é garantir que os empreendimentos entreguem ao sistema elétrico toda a energia contratada, com a qualidade requerida. ?Para a sociedade, é de suma importância a disponibilidade de energia eólica, principalmente considerando o período atual de escassez de água que limita a geração hidráulica mais barata, forçando a contratação de energias mais caras, como as provenientes de termelétricas, as quais também estão inclusas no cronograma?, complementa o engenheiro elétrico Deleon Parente.

 

Assessoria de Imprensa da ARCE

Prossegue até 31 de agosto campanha de vacinação contra paralisia infantil

 

vacinacao_paralisia_infantil_2015Ainda não levou as crianças aos postos de saúde para serem imunizadas contra a paralisia infantil e também para atualização da caderneta de vacinação?  Sem problemas. O sábado, dia 15, foi apenas o primeiro dia da campanha de vacinação, com mobilização em todo o país. Ainda tem tempo para deixar os filhos, netos e sobrinhos com até cinco anos idade protegidos de diferentes doenças. A campanha vai até o dia 31 deste mês, com vacinação em todos os postos de saúde contra a paralisia infantil e outras doenças, como o sarampo, rubéola, caxumba, tétano, difteria, hepatite B, rotavírus, coqueluche. O objetivo é deixar a caderneta de vacinação completamente em dia.

No último sábado os postos de saúde ficaram bem  movimentados. Só no Centro de Saúde do Meireles, unidade da Secretaria da Saúde do Estado, foram vacinadas 500 crianças. Somente contra a paralisia infantil a meta é vacinar 95% das 570.452 crianças na faixa etária de seis meses a 5 anos. Ou seja, devem ser vacinadas  541.925 crianças nos 184 municípios cearenses. Todos os anos o Ceará supera a meta de 95% de cobertura vacinal. No ano passado alcançou 98,35%, em 2013 chegou a 98,20%, em 2012 atingiu 98,63% e em 2011 a cobertura de vacinação ficou em 98,27%.

Há 26 anos nenhum caso de paralisia infantil é registrado no Brasil, mas para manter a doença cada vez mais longe das crianças, a campanha de vacinação ocorre todos os anos. Existe o risco da doença porque ainda há alguns países com registro de casos, onde a paralisia infantil é considerada endêmica, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Este ano, até o dia 16 de junho, foram registrados 28 casos da doença, sendo 25 no Paquistão e três no Afeganistão.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria da Saúde do Ceará

Detran: Simulador de direção nas autoescolas não irá alterar valor da CNH

simulador

Não haverá aumento no valor da CNH por causa da Resolução 543 do Conselho Nacional de Trânsito - Contran, que torna obrigatório, pelas autoescolas de todo o País, o uso do simulador de direção, para os candidatos a primeira CNH categoria B.
Também não haverá incremento de nova carga horária, pois das 25 horas-aula atualmenre realizadas noa direção do veículo, 5 horas-aulas serão feitas no simulador de direção. Por isso, não há razão para que 1 hora-aula no simulador custe mais do que 1 horas-aula no veículo.
A resolução do Contran determina que as autoescolas tem o prazo até o dia 31 de dezembro de 2015 para instalar o simulador. Portanto, os candidatos a primeira CNH categoria B fiquem tranquilos que não haverá aumento no valor do preço da CNH com a implantação do simulador.

 

Assessoria de Comunicação do Detran-Ce

Piloto de parapente cai durante voo e morre

quixeramibim

Quixadá. O corpo do engenheiro civil português João Miguel Carvalho Ferreira da Silva, 39, vítima de um acidente com parapente no início da tarde do último sábado (15), em Quixadá, a 160Km de Fortaleza, onde morava, deverá ser liberando pelo Núcleo de Perícia Forense de Quixeramobim somente nesta segunda-feira (17). A esposa dele, única familiar, não pode seguir viagem para o Sertão Central do Ceará porque se encontra em gravidez de risco.

O presidente da Associação de Voo Livre do Sertão Central (AVLSC), Artemir Júnior, está dando auxílio à família. Como a esposa não deve seguir até Quixadá e os pais do engenheiro civil viajam somente nesta segunda-feira de Portugal para Fortaleza, Artemir Júnior aguarda procuração para liberar o corpo e fazer o traslado para a capital cearense. "Fui informado por familiares da esposa de João Miguel que ele será cremado na terça-feira e suas cinzas serão levadas pelos pais para sua terra natal", explicou.

A Associação tem sede em Quixadá, no distrito de Juatama, de onde o piloto decolou e acabou caindo de uma altura aproximada de 300 metros sobre uma formação rochosa. No momento do acidente, outros dois pilotos também estavam sobrevoando a área da Serra do Ouro Preto, onde a vela de João Miguel fechou e ele caiu sobre uma formação rochosa.

Um dos pilotos era Dileone Freitas, instrutor de voo livre da AVLSC. Quando ele viu o equipamento do piloto português enroscando insistiu pelo rádio: "Reserva ! Reserva ! Reserva !", se referindo ao paraquedas de emergência, utilizado em situações dessa natureza. Todavia, enquanto Dileone está a uma altura de 800 metros, a vela de João Miguel estava abaixo dos 400 metros. Além da baixa altitude, ele resolveu manobrar para dentro do vale, onde existem duas formações rochosas elevadas. O parapente fechou, provavelmente em decorrência de um vento circular forte conhecido como "rotor", acrescentou Artemir.

Acesso

O local de onde o corpo foi resgatado é de difícil acesso, informou o bombeiro militar Dourado do Nascimento. Ele e sua equipe tiveram que adentrar uma mata fechada e escalar uma rocha íngreme. Encontraram o piloto já sem vida. As linhas do parapente estavam totalmente enroscadas. Mais abaixo, a viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) aguardava para realizar o socorro, entretanto, a morte deve ter ocorrido instantaneamente. Conforme os pilotos amigos de João Miguel, ele havia começado a praticar voo livre em 2010, na Serra de Pacatuba. Três anos depois, em 2013, passou a voar em Quixadá. Há um mês, ele havia superado o seu recorde pessoal, atingindo 120Km em voo.

Alex Pimentel
Colaborador

Diario do Nordeste - Regional

Barbalha completa 169 anos de emancipação política com entrega de obras no município

 

CEIbarbalha

Fotos: Divulgação.

O município de Barbalha, na Região do Cariri, chega hoje, aos 169 anos. Para comemorar o aniversário, a administração do Prefeito José Leite (PT), agendou uma série de inaugurações de obras no município neste mês de agosto. São obras importantes que darão um impacto na valorização das localidades, onde elas estão sendo construídas. As ações da Prefeitura são descentralizadas desde 2009, em todas as localidades existem uma intervenção da Prefeitura, seja na área da saúde, educação, habitação, agricultura e infraestrutura de um modo em geral.
O leque de empreendimentos em construção, engloba hoje, obras de grande importância social, econômica e urbanística; com algumas já concluídas, como: calçamentos de ruas, avenidas e estradas em várias localidades como é o caso da estrada do Barro Vermelho; Quadra Poliesportiva da Escola Josefa Alves de Sousa, e requalificação e padronização das calçadas do Centro Histórico, além de reformas e ampliações nos Centros de Educação Infantil, Maria Dolores; Monsenhor Murilo e Maria Ironina.

O prefeito Zé Leite pretende entregar mais um Centro de Educação Infantil,  que será construída na Vila Santo Antônio. A ordem de serviço será assinada pelo Governador Camilo Santana e o prefeito José Leite no próximo dia 22 deste mês de gosto.
Outras obras em fase de conclusão são o CEI - Centro de Educação Infantil no bairro do Alto da Alegria; Quadra Poliesportiva da Escola Nazinha Garcia, Quadra Poliesportiva da Escola Raúl Coelho e as 600 residências do Programa Minha Casa Minha Vida, que estão sendo construídas no Barro Branco, além de abastecimento de água para o sítio Santana II.
Na área da Saúde, a prefeitura estar construindo mais cinco UBS - Unidade Básica de Saúde em várias localidades, no sítio Riacho do Meio; Alto da Alegria; Vila Santa Terezinha; sítio Lagoa e Distrito de Estrela e a UPA no bairro do Rosário já concluída, faltando somente os equipamentos.

9 hours ago|flavio pinto

Lava Jato: condenados e penas

LavaJato1

 

 

Júlio Camargo, Nestor Cerveró, Alberto Youssef e Fernando Baiano estão entre os condenados (Foto: Reprodução, Alaor Filho/Estadão Conteúdo, Félix R./Futura Press/Estadão Conteúdo, Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo)

Até esta segunda-feira (17), 33 pessoas haviam sido condenadas em processos derivados daOperação Lava Jato. Três suspeitos foram absolvidos. As ações foram julgadas pelo juiz federal Sérgio Moro na primeira instância.


condenados-lavajatoMaioria atuava com Alberto Youssef no esquema de lavagem de dinheiro.
Nestor Cerveró e Paulo Costa, da Petrobras, estão na lista de condenados.

 

As últimas condenações foram de Nestor Cerveró, ex-diretor da Área de Internacional da Petrobras, do lobista Fernando Baiano e de Júlio Camargo, ex-consultor da Toyo Setal. Eles foram acusados de envolvimento no esquema de fraude, corrupção, desvio e lavagem dinheiro descoberto na estatal.

Outras sentenças foram dadas a ex-executivos e funcionários das construtoras OAS e Camargo Corrêa e a diversos criminosos que atuavam no esquema de lavagem de dinheiro operado por Alberto Youssef – ele é, até agora, o condenado a mais anos de prisão.

Veja a lista completa de condenados e, ao final, os absolvidos:

Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da Área Internacional da OAS
- 16 anos e quatro meses de reclusão por organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro

Alberto Youssef, doleiro acusado de ser o operador do esquema de corrupção
- 16 anos, 11 meses e 10 dias de reclusão porcorrupção passiva e lavagem de dinheiro
- 8 anos e 4 meses por corrupção passiva
- 9 anos e 2 meses de prisão por lavagem de dinheiro
- 5 anos em regime fechado por lavagem de dinheiro
- absolvido em dois processos por lavagem de dinheiro

Devido ao acordo de delação premiada, ele deve ficar 3 anos em regime fechado.

André Catão de Miranda, ligado a Youssef
- 4 anos em regime semiaberto por lavagem de dinheiro
Carlos Alberto Pereira da Costa, ligado a Youssef
- 2 anos e 8 meses por lavagem de dinheiro, substituída por restrição de direitos

Carlos Habib Chater, ligado a Youssef
- 4 anos e 9 meses de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro
- 5 anos e 6 meses em regime fechado por lavagem de dinheiro

Cleverson Coelho de Oliveira, ligado a Youssef
- 5 anos e 10 dias de prisão por evasão de divisas, operação de instituição financeira irregular e pertinência a organização criminosa

Dalton dos Santos Avancini, ex-presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa
-15 anos e 10 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa

Ediel Viana da Silva, ligado a Youssef
- 3 anos em regime fechado por lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos

Eduardo Hermelino Leite, ex-vice-presidente da Camargo Corrêa
- 15 anos e 10 meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa

Esdra de Arantes Ferreira, ligado a Youssef
- 4 anos e 5 meses de prisão por lavagem de dinheiro

Faiçal Mohamed Nacirdine, ligado a Youssef
- 1 ano e 6 meses por operar instituição financeira irregular

Fernando Antônio Falcão Soares, lobista conhecido como Fernando Baiano
- 16 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Fernando Augusto Stremel Andrade, funcionário da OAS
- 4 anos de reclusão por lavagem de dinheiro (a pena privativa de liberdade foi substituída por prestações de serviços à comunidade e pagamento de multa de 50 salários mínimos).
- Absolvido de corrupção ativa e organização criminosa, por falta de provas.
Iara Galdino da Silva, doleira
- 11 anos e 9 meses de prisão por evasão de divisas, por operar instituição financeira irregular, corrupção ativa e pertinência à organização
Jayme Alves de Oliveira Filho, acusado de atuar com Youssef na lavagem de dinheiro
- 11 anos e 10 meses por lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa
João Ricardo Auler, ex-presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa
- 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e de pertinência à organização criminosa

José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS
- 16 anos e quatro meses de reclusão por organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro

José Ricardo Nogueira Breghirolli, apontado como contato de Youssef com a OAS
- 11 anos de reclusão por organização criminosa, lavagem de dinheiro. Absolvido de corrupção ativa, por falta de provas.

Juliana Cordeiro de Moura, ligada a Youssef
- 2 anos e 10 dias de prisão por evasão de divisas e de operação de instituição financeira irregular

Júlio Gerin de Almeida Camargo, ex-consultor da Toyo Setal
- 14 anos de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Devido ao acordo de delação premiada, deve pegar 5 anos, em regime aberto

Leandro Meirelles, ligado a Youssef
- 6 anos e 8 meses de prisão por lavagem de dinheiro

Leonardo Meirelles, ligado a Youssef
- 5 anos, 6 meses e 20 dias por lavagem de dinheiro

Luccas Pace Júnior, ligado a Youssef
- 4 anos, 2 meses e 15 dias de prisão por evasão de divisas, por operar instituição financeira irregular e pertinência a organização criminosa. Devido a acordo de delação premiada, teve a pena reduzida pela metade

Marcio Andrade Bonilho, ligado a Youssef
- 11 anos e 6 meses de prisão por pertencer a organização criminosa e lavagem de dinheiro. Ele foi absolvido em outro processo.

Maria Dirce Penasso, ligada a Youssef
- 2 anos, um mês e 10 dias de prisão por evasão de divisas e de operação de instituição financeira irregular

Matheus Coutinho de Sá Oliveira, ex-funcionário da OAS
- 11 anos de reclusão por organização criminosa, lavagem de dinheiro.
- Absolvido de corrupção ativa, por falta de provas
Nelma Mitsue Penasso Kodama, doleira
- 18 anos de prisão por evasão de divisas, operação de instituição financeira regular, corrupção ativa e pertinência a organização criminosa

Nestor Cunat Cerveró, ex-diretor da Àrea de Internacional da Petrobras
- 12 anos e 3 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
- 5 anos de prisão por lavagem de dinheiro      

Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras
- 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
- 7 anos e 6 meses de prisão por pertencer a organização criminosa e por lavagem de dinheiro
- 6 anos e 6 meses no regime semiaberto por corrupção passiva. Confisco de bens fruto de crime até o valor de R$ 29.223.961,00

Devido à delação, deve ficar 3 anos em regime domiciliar e o restante em regime aberto.

Pedro Argese Júnior, ligado a Youssef
- 4 anos e 5 meses de prisão por lavagem de dinheiro
Renê Luiz Pereira, acusado de tráfico de drogas, era ligado a Youssef
- 14 anos em regime fechado por tráfico de drogas  
Rinaldo Gonçalves de Carvalho, ligado a Youssef
- 2 anos e 8 meses de reclusão por corrupção passiva
Waldomiro Oliveira, "laranja" de Youssef em empresas de fachada
- 11 anos e 6 meses de prisão por pertencer a organização criminosa e lavagem de dinheiro


--------------------------------------------------------------------------------

ABSOLVIDOS
Apenas 3 pessoas foram absolvidas em ações julgadas por Sérgio Moro:

- Adarico Negromonte Filho, irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte
Absolvido do crime de pertinência à organização criminosa e do crime de lavagem de dinheiro.

- Antonio Almeida da Silva, ligado a Youssef

- Murilo Tena Barros, ligado a Youssef

 

Do G1, em São Paulo

Presidente do Egito aprova 54 medidas para combater o terrorismo

 

 

Entre as principais leis está a condenação à morte daqueles que fundarem grupos armados muçulmanos

O presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, aprovou um novo pacote de medidas severas para combater o terrorismo com origem islâmica nesta segunda-feira (17). Entre as principais medidas, está a condenação à morte daqueles que fundarem grupos armados muçulmanos.

O pacote – que prevê 54 novas leis – determinou o termo "terrorismo" de maneira muito ampla, descrevendo-o como "todo ato que lese a ordem pública com a força". As mudanças são uma resposta de al-Sisi após os atentados de junho, sendo que um deles matou o procurador-geral egípcio, Hisham Barakat.

egitopresidenteReprodução/Facebook

Presidente do Egito, Abdul Fatah Khalil Al-Sisi, sofreu algumas críticas após implantar medidas

Estão previstas ainda multas extremamente pesadas – que atingem os milhares de euros – para jornalistas que publicarem "notícias ou declarações falsas" sobre atos jihadistas ou que postarem informações que contradigam as notas divulgadas pelo Ministério da Defesa. O mandatário queria incluir ainda a prisão por até dois anos desses profissionais, mas foi dissuadido por membros de seu próprio gabinete após uma avalanche de críticas internacionais.

A nova legislação foi duramente criticada por opositores políticos e por grupos que defendem os direitos humanos no país. Eles acusam o presidente de querer acabar com as discussões internas contra seu governo ou ainda acabar com a própria oposição.

A Anistia Internacional divulgou que o novo pacote impedirá a liberdade de expressão e o direito de se manifestar pacificamente, levando o país a ficar em estado de emergência permanente. "Essas novas medidas serão um novo instrumento nas mãos das autoridades para bloquear qualquer forma de dissidência e acabar com os direitos humanos", declarou à "BBC" o diretor da instituição para o Oriente Médio e o Norte da África, Said Boumedouha.

Entre as medidas, está previsto ainda que o julgamento de suspeitos de serem parte de grupos terroristas poderá ser feito por "tribunais especiais" e que quem apenas aderir a um desses grupos poderá pegar 10 anos de prisão. Quem financiar a luta armada dos jihadistas poderá pegar de 25 anos a prisão perpétua e quem divulgar ou criar sites na internet sobre os terroristas poderá pegar entre cinco e sete anos de detenção.

Um dos grupos considerados extremistas pelo governo de al-Sisi é a Irmandade Muçulmana, que por anos governou o Egito.

Por Ansa

Trump quer aumentar taxa de visto de mexicanos para financiar muro na fronteira

trump

 

(Foto: AFP)
O pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano Donald Trump revelou seu projeto para a imigração neste domingo, que o aumento da taxa para concessão de vistos a mexicanos e para todos os cartões de travessia de fronteira para forçar o México a financiar um muro ao longo da fronteira entre os dois países.
Trump também pretende, se eleito, aumentar as penalidades para pessoas que excedem o período de seus vistos, acabar com a política de cidadania automática para os filhos de imigrantes ilegais e derrubar os decretos presidenciais emitidos por Barack Obama sobre o assunto.

Filho e neto de imigrantes, Trump dedscreveu seus planos durante o programa "Meet the Press", da NBC. "Eles têm que ir. O que eles estão fazendo? Estão tendo bebê. E de repente, o bebê está aqui", disse.

Trump fez da imigração um tópico central em sua campanha. Em artigo publicado neste domingo, Trump afirmou que vai aumentar as taxas sobre os vistos temporários para executivos e diplomatas mexicanos, além de trabalhadores da Nafta (Tratado Norte-Americano do Livre Comércio), caso o México não concorde em pagar pela construção do muro.

O tratado eliminou, em 1994, várias tarifas e outras barreiras para estimular o livre comércio e investimentos entre Estados Unidos, Canadá e México. E também permite o ingresso além-fronteira, ainda que temporário, de executivos.

Trump disse que também iria confiscar todos os pagamentos de remessas derivadas de salários ilegais e aumentar as taxas nos portos de entrada do México. Cortes na ajuda financeira aos mexicanos e novas tarifas também seriam considerados.

"O governo do México tirou muito dinheiro dos EUA", disse. "Eles são responsáveis por esse problema, então devem ajudar a pagar para limpá-lo".

Trump começou sua campanha em junho dizendo que o México está mandando criminosos e estupradores para os EUA. O comentário gerou reações raivosas de grupos de defesa dos direitos civis de latinos e outros.

Em seu mais novo comunicado de campanha, Trump afirmou que irá triplicar o número de agentes da polícia imigratória (ICE, na sigla em inglês), custeando esse aumento com a eliminação de pagamentos de crédito tributário a imigrantes ilegais.

Pessoas com a intenção de entrar nos EUA deverão se certificar de que podem pagar por sua própria residência, plano de saúde e outras necessidades, disse Trump, que também pretende a exigência para a admissão de refugiados e asilados políticos.

O pré-candidato também defendeu a interrupção na concessão de green cards por um período, de forma que os empregadores possam contratar pessoas do "grupo doméstico" de desempregados atuais.

"Isto irá ajudar a reverter a queda na taxa de participação das mulheres no mercado de trabalho, os salários crescerão e os níveis de imigração diminuirão para médias históricas mais moderadas", afirmou. A eleição presidencial será realizada em 2016.

Agência O Globo

Aumento da temperatura dos oceanos pode dizimar corais

AUSTRALIA-REEF/WIDERIMAGE

(Foto: Reuters)
Inclusas na pauta da Conferência sobre Mudança Climática (COP21), que será realizada em Paris, de 30 de novembro a 11 de dezembro, as questões sobre o aumento da temperatura dos oceanos já estão sendo tratadas na 25ª Conferência de de Geoquímica de Goldschmidt, em Praga, que começou ontem e segue até 21 de agosto. E, nas primeiras análises apresentadas no evento, estima-se que os esforços para contornar o problema podem não bastar para salvar os recifes de corais do mundo. Um dos objetivos da COP21 é limitar o aumento da temperatura a menos de 2 graus Celsius até o final do século.

Segundo o professor Peter F. Sale, da Universidade de Windsor, do Canadá, mesmo se for firmado um tratado, o aquecimento e a acidificação dos oceanos vão continuar para além de 2100.

- O que acontece agora é grave. Acho muito improvável que os recifes, como eu os conhecia em meados da década de 1960, ainda sejam encontrados em qualquer lugar do planeta até meados do atual século - vislumbra o professor.

De acordo com sua análise, "em vez disso, teremos algas cobrindo escombros e erodindo bancos de pedra calcária".

Para Sale, a única esperança seria um plano mais agressivo de redução nas emissões de CO2 para no máximo 350 ppm (partes por milhão - uma maneira de medir a proporção de moléculas de dióxido de carbono em relação às demais moléculas da atmosfera).

- Perdemos 90% da nossa biomassa de peixes desde a década de 1940 pela poluição das águas costeiras, e a maioria das áreas marinhas não está sendo protegida. Nós temos o direito ético de eliminar todo um ecossistema? - questiona.

Especialistas como Ove Hoegh-Guldberg, principal autor do capítulo "O oceano" apresentado no Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), e John Veron, ex-cientista-chefe do Instituto Australiano de Ciência Marinha e especialista em corais, fazem coro:

- Esta é uma emergência global. O aumento das temperaturas eliminará ecossistemas como os recifes de coral e muitos outros sistemas dos quais os seres humanos dependem - afirma Hoegh-Guldberg.

Segundo Veron, "se a Humanidade não se prevenir contra tais ameaças, nenhuma outra medida poderá salvar as gerações futuras das consequências".

Agência O Globo

Protestos em todo o Brasil reunem quase 1 milhão de pessoas contra o governo



Pelo menos 59 cidades em todos os Estados brasileiros e o Distrito Federal participaram neste domingo (16) da terceira grande manifestação nacional do ano contra o governo da presidente Dilma Rousseff, com público geral calculado pelas Polícias Militares estaduais em 795 mil pessoas ( e entre 900 a 1 milhão de pessoas segundo os organizadores ). Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT foram novamente os principais alvos dos atos, que pediram o impeachment da presidente.

Na primeira manifestação, no dia 15 de março deste ano, o público estimado pelas PMs dos Estados foi de 2 milhões. Em 12 de abril, ao menos 560 mil participantes foram para as ruas, segundo as PMs. As corporações do Rio de Janeiro e de Pernambuco não divulgaram estimativa de público neste domingo (16). As PMs também não registraram nenhum grave incidente de violência ou vandalismo pelo país.

Dois dos principais nomes da oposição no Brasil participaram pela primeira vez das manifestações nas ruas. Em Minas Gerais, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que não aceita "tanta impunidade, corrupção e mentira" e foi carregado nos ombros por populares. Já em São Paulo, onde ocorreu a maior manifestação, na avenida Paulista, com 135 mil pessoas segundo o Datafolha e 350 mil segundo a PM, o senador José Serra (PSDB-SP) foi muito assediado e teve o nome conclamado pelos ativistas.

Na semana que antecedeu os protestos, a presidente Dilma manteve uma agenda de eventos em que tentou se reaproximar de movimentos sociais. Outra reação do governo foi apoiar a chamada Agenda Brasil, relações de propostas elaborada por senadores governistas e ministros para tentar ajudar na recuperação econômica do país.

O ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, disse, por meio de sua assessoria, que o governo "viu as manifestações dentro da normalidade democrática". Segundo o blog do Fernando Rodrigues, Dilma mandou os ministros não concederem entrevistas. Na tarde deste domingo, a presidente se reuniu com seus ministros da articulação política para avaliar os protestos.

Um dos principais alvos das manifestações, o ex-presidente Lula ainda não é investigado pela Lava Jato, apesar de seu envolvimento com o empreiteiro Marcelo Odebrecht, preso pela operação. Um boneco inflável de Lula vestido de presidiário foi colocado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Cerca de 1.500 pessoas participaram neste domingo de um ato em solidariedade ao ex-presidente na frente do seu instituto, na zona Sul de São Paulo. Em resposta às críticas recebidas pelos manifestantes, o Instituto Lula disse que o ex-presidente "jamais cometeu qualquer ilegalidade antes, durante ou depois de seus dois governos".

Enquanto o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi alvo de críticas em algumas capitais, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não foi diretamente criticado pelas organizações dos eventos. Ambos também tiveram seus nomes citados na Lava Jato este ano. Após assumir oposição a Dilma, Cunha está analisando na Câmara pedidos de impeachment contra a presidente.

'Anticomunismo' e apoio a Moro
Em São Paulo, a avenida Paulista ficou toda tomada por manifestantes. Os grupos Vem Pra Rua, Revoltados On Line e Movimento Brasil Livre foram os principais organizadores.

Palavras de ordem contra Dilma, o PT e os ideais de esquerda do partido foram a tônica do ato. "Quem acha que comunismo deve ser crime no Brasil?", diz um homem sobre o carro de som dos Revoltados Online. "Eeeeeu", responde o público. "O comunismo matou mais do que o nazismo", diz o discurso. O Vem Pra Rua chegou a puxar uma vaia para Renan Calheiros e entoou gritos de "pé na bunda dela porque o Brasil não é a Venezuela".

UOL




Lula cai em grampo da Polícia Federal e demonstra preocupação com o BNDES


Brasília - Um grampo telefônico feito pela Polícia Federal, com autorização da Justiça, na Operação Lava-Jato mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com “preocupação em relação aos assuntos do BNDES”. É o que diz relatório da corporação sobre interceptações feitas em telefones de réus ligados à Construtora Odebrecht, que executa obras no exterior com financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

O alvo do grampo é o diretor de Relações Institucionais da empreiteira, Alexandrino Alencar. Em 15 de junho, às 20h06, antes de ser preso na Lava-Jato, ele conversa com Lula. O diálogo mostra que os dois estão preocupados com o BNDES, relata o delegado Eduardo Mauat ao juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, em documento datado de 30 de julho.

Na conversa, Alencar diz que Emílio Odebrecht — pai de Marcelo Odebrecht, que seria preso dias depois — gostou de nota do Instituto Lula explicando repasse de R$ 4,5 milhões da Construtora Camargo Corrêa para a entidade e a empresa de palestras do ex-presidente, a LILS.

DOAÇÕES Na nota, o instituto lembrou das finalidades da organização, como o combate à pobreza e a integração entre os países africanos e latinos. A entidade já destacou a naturalidade das doações recebidas e afirmou que Lula não faz lobby para empresas, mas apenas palestras.

O relatório descreve resumos de grampos em 39 linhas telefônicas e duas contas de e-mail de vários investigados ligados à Odebrecht, após pedido de quebra de sigilos feito em maio pelos delegados da PF. Ao receber o documento, o juiz Sérgio Moro não considerou relevantes os diálogos. “Não constatou, a princípio, diálogo e mensagens muito relevantes”, avaliou o magistrado, que liberou os autos para acesso dos investigados e seus advogados.

Atentado investigado

A pedido do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a Polícia Federal vai investigar o ataque a bomba feito à sede do Instituto Lula, no Bairro do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo, em 31 julho. A sede do instituto foi alvo de um artefato caseiro lançado de um carro, por volta das 22h daquele dia. O explosivo danificou parte do portão da garagem e chegou a trincar a calçada. Ninguém saiu ferido e o instituto classificou o episódio como atentado político. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, já havia pedido, no início do mês, que a PF assumisse a investigação. O caso está sob investigação na 17ª DP. Em 4 de agosto, integrantes da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo encaminharam ao secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, pedido de audiência paras tratar do assunto. No dia seguinte, os 14 deputados da bancada petista na Assembleia foram ao instituto para prestar solidariedade ao ex-presidente Lula.

Fonte: em.com.br ( Yahoo ) 






Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30