xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 17/11/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

17 novembro 2014

O vendedor de flores - Por: Emerson Monteiro

Em montanha de país distante vivia um camponês a colher flores silvestres e levá-las para vender na cidade mais próxima. Obediente a essa rotina, todos os dias acordava bem cedo, descia ao vale, cruzava um rio e buscava o mercado da cidadezinha para fazer o comércio. Ao final da tarde, ao retornar para casa, deixava nas águas do rio as flores que não vendera; dessa maneira trabalhava para a viver.

Certa vez, em época de grandes cheias, o camponês achou-se impedido de fazer o percurso rotineiro, porque o rio descia com muita água, tornando-se perigoso, intransponível.

Na ocasião, sem alternativa, viu aparecer enorme tartaruga, que se ofereceu para levá-lo ao outro lado da indomável correnteza. Ele subiu no casco do animal e, para seu espanto, foi transportado às profundezas do rio, até suntuoso palácio em que morava a rainha das águas.

No reinado misterioso, achou-se em meio a uma animada recepção conduzida por linda princesa, esta agradecida pelas flores que toda tarde lhe chegavam lançadas pelo camponês às águas do rio, e que as acolhia na sacada do palácio como verdadeiras oferendas daquele homem. Desse modo, perante rico cerimonial de banquetes, música e folguedos, toda a corte se reunia para homenagear o visitante, em festa alegre que se estendeu por largo tempo.

Depois, estabeleceu-se feliz convivência entre os dois, ele e a princesa, o que continuou meses seguidos, enquanto o vendedor de flores ali permaneceu. Todavia, ao sentir saudades dos velhos amigos que deixara para trás, decidiu retornar ao seu lugar de origem.

Procurou os superiores do reinado, contou-lhes os planos de partida, no entanto foi orientado de que deveria seguir sob a companhia de uma criança modesta, de singelos trajes, a quem, segundo combinado, caberia educar, missão outorgada pela princesa, dizendo ao camponês que perante qualquer necessidade recorresse ao menino e ele atenderia a todos os seus pedidos.

Chegados ao velho casebre onde morava, notou que havia limitação de espaço para habitarem os dois. Lembrou-se daquela recomendação da princesa, e pediu ao menino uma casa maior. De imediato viu posta à sua disposição uma vasta mansão de muitos cômodos.

Noutras ocasiões, não foi diferente. Sempre que precisava de alguma coisa, solicitava do menino maltrapilho. E nesse passo recebeu bens de riquezas mil. Desse modo, senhor de muitas posses, um dia quis que o menino melhorasse os modos de se apresentar, que vestisse roupas de acordo com as exigências dos frequentadores do meio em que viviam, cercados de fausto e nobreza, pois havia queixas das vestes maltrapilhas que usava nos salões luxuosos.  

Em virtude dessa imposição, o menino contrariou-se, entristeceu e, afinal, transmitiu ao camponês sua vontade de ir de volta para o rio, no que se viu atendido sem que o homem demonstrasse qualquer apego ao amigo fiel.

Porém, de um dia para o dia, logo depois da ocorrência, o rico proprietário se surpreendeu com o brusco desaparecimento das coisas que antes ganhara do garoto mediante a apresentação dos seus desejos.

Ao perceber-se outra vez pobre de causar dó, apressado correu na direção do rio onde deixara o menino, mas, que desencanto!, observou que ele desaparecera sem deixar nenhum vestígio.      

Urca abre Simpósio Internacional sobre Padre Cícero

peciceroestatua

Pesquisadores da religiosidade estarão reunidos no Cariri para realizar estudos e debates sobre um dos sacerdotes mais polêmicos da história do Brasil. O IV Simpósio Internacional sobre o Padre Cícero será aberto na noite desta segunda-feira (17), com a participação de mais de 20 pesquisadores e 600 inscritos do Brasil e exterior.
O evento será realizado de 17 a 21 de novembro. O intuito será responder ao questionamento E...Onde está ele? A abertura acontece às 19 horas, no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, com a conferência da irmã Annette Dumoulin, presidente de honra do Simpósio. Ela abordará o tema Padre Cícero e a Igreja na contemporaneidade (Pe. Cícero... E onde está ele?).O Simpósio é uma realização da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri (URCA), em parceria com a Diocese do Crato. Nos outros dias de sua realização, a programação será no auditório do campus Crajubar, da Universidade Regional do Cariri (Urca).
Reabilitação
O questionamento de onde está ele é uma sequência dos outros três simpósios, proporcionando uma abertura para várias áreas do conhecimento. O tema polêmico, como a reabilitação do Padre Cícero, deverá ser debatido durante a semana. Para Fátima, esse é o motivo maior da parceria da Diocese com a Urca, como órgãos realizadores, no intuito de fortalecer a necessidade de uma revisão eclesial e histórica dentro da Igreja.
O primeiro simpósio foi realizado no ano 1988, quando veio à tona a temática do Padre Cícero e os romeiros. No ano seguinte, o sacerdote e a beata Maria de Araújo que, junto com o padre, protagonizou o milagre do sangramento da hóstia, no ano de 1889. O contexto desse momento, que continua sendo alvo de estudos, foi debatido trazendo à tona pela primeira vez, de forma ampla, o nome da beata Maria de Araújo, que teve os seus restos mortais levados da Capela do Socorro. Ainda hoje estão desaparecidos, e como muitas questões relacionadas ao fenômeno, continuam sendo mistério.
São 26 anos de um evento que se tornou motivador para os estudiosos, no intuito de debaterem juntos um dos assuntos que ainda se torna polêmico, quando se trata de trabalhar a questão da religiosidade no campo da ciência. A coordenadora da Comissão de elaboração do simpósio, Sandra Nancy, pró-reitora de Extensão da Urca, afirma que a grande finalidade do evento é proporcionar o incentivo à pesquisa no âmbito da universidade, trazendo a temática para o centro dos debates.
(Com informações da Assessoria da Urca)

MPF no Ceará começa a ouvir alunos sobre suposto vazamento no Enem

enem_1
Tema da redação foi divulgado por mensagens eletrônicas, segundo alunos.
Presidente do Inep descarta cancelamento do Enem 2014.

Candidato diz ter recebido tema da redação do Enem às 10h50 no horário local, 11h50 no horário de Brasília (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) começou a ouvir nesta segunda-feira (17) os estudantes que denunciaram o suposto vazamento do tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014. A aluna de um cursinho de Fortaleza que diz ter recebido um áudio de um amigo com o tema da prova foi ouvida na manhã desta segunda, segundo o órgão.

Na sexta-feira (14), foi instaurada investigação a partir das matérias publicadas pela imprensa mostrando alunos do Ceará que dizem também ter recebido antecipadamente o tema da redação, "Publicidade Infantil no Brasil", de forma similar ao que ocorreu no Piauí. De acordo com a procuradora Nilce Cunha, do MPF, os três estudantes serão chamados a prestar depoimento e os celulares requisitados para perícia.

Três alunos que conversaram com o G1 na quinta-feira (13) informaram que receberam mensagens pelo celular com o tema da prova antes ou durante a realização do exame.

Um estudante de 20 anos, que mora em Fortaleza, disse que chegou ao celular dele às 11h50 uma mensagem com uma imagem mostrando o tema da redação na folha de prova. "Antes de chegar à prova, uma hora e dez minutos antes eu recebi uma mensagem de um colega de Campina Grande. Se a mensagem chegou de outro estado, de São Paulo, então, ela deve ter se espalhado em vários estados ainda antes da prova", afirmou. Não sei se vou entrar com alguma representação na Justiça, vou conversar com meus pais e com a direção", afirmou.

Uma estudante do ensino médio de 17 anos afirmou ter recebido uma mensagem em áudio no celular às 15h11 (horário de Brasília) e a viu logo após sair do local de prova. O áudio era de um amigo que soube do tema por ter visto uma imagem do carderno de prova que chegou via celular no WhattsApp, segundo a aluna.

Um terceiro aluno declarou ao G1 que também recebeu uma mensagem às 15 horas no celular também por WhatsApp.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, descartou, em Fortaleza, o cancelamento do Enem 2014 por causa de fraudes e suposto vazamento no Piauí. "Está completamente fora de cogitação", disse. "Não há nada que nos leve a essa direção'', afirmou. Até a manhã sexta-feira, quando Soares fez a declaração, não havia denúncias formalizadas na PF ou MPF sobre o caso dos três alunos cearenses.

Do G1 CE

Ceará deve vacinar 127 mil gestantes contra coqueluche em novembro

Vacina-300x199

Medida busca protege os recém-nascidos contra a doença, que recebem da anticorpos para seu filho, garantindo ao bebê imunidade nos primeiros meses de vida.

A vacina dTpa, que previne contra difteria, tétano e coqueluche está disponível nos 35 mil postos da rede pública do Ceará e a meta do Ministério da Saúde é que 127 mil gestantes sejam vacinadas em novembro. O reforço para grávidas e recém-nascidos busca reduzir a incidência e mortalidade causada pela doença entre os recém-nascidos. Esta é a quarta vacina para gestantes no calendário nacional.
No Ceará, já foram registrados 101 casos da doença e três mortes, entre 2011 e 2013; o estado recebeu 56,8 mil doses da vacina e, partir de novembro, terá cota mensal com 13,1 mil unidades da vacina. Em todo o país, a estimativa é imunizar mais de 2,9 milhões de gestantes e 324 mil profissionais da área de saúde. “Além dos profissionais que atuam na área neonatal, o desafio de vacinar as gestantes, que vão passar proteção aos seus bebês até que eles consigam cumprir o calendário completo de vacinação”, explicou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.
A recomendação do Ministério da Saúde é para aplicação da dose entre as 27ª e a 36ª semanas de gestação, pois é o período que gera maior proteção para a criança, com efetividade estimada em 91%. A dose também pode ser administrada até, no máximo, 20 dias antes da data provável do parto. Profissionais de saúde que atuam nas maternidades e UTIs neonatais também receberão a vacina e terão que fazer o reforço a cada 10 anos.

Ao todo, o Ministério da Saúde adquiriu quatro milhões de doses, com investimento de R$ 87,2 milhões. Cada dose tem o custo de R$ 21,81e foram distribuídas para todas as unidades da federação, conforme o órgão, 1,2 milhões de doses. Com a dTpa, a mãe passa anticorpos para seu filho ainda no período de gestação, garantindo ao bebê imunidade nos primeiros meses de vida.

Doença

A proteção das crianças para coqueluche é feita com três doses da vacina Pentavalente (DTP, hepatite B e HiB), aplicada aos dois, quatro e seis meses de vida. Aos 15 meses e aos quatro anos a criança recebe o reforço com a vacina DTP. Entre 2011 e 2013, o Ministério da Saúde registrou 4.921 casos em menores de três meses, 35% dos casos do país neste período, que foram 14.128. Essa faixa-etária é ainda mais afetada em relação aos óbitos. No período, foram 204 óbitos, o que representa 81% do total nacional, que foi de 252 mortes.
A vacinação de gestantes é aprovada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendada pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e já está sendo adotada como uma das estratégias para o controle da coqueluche em vários países, como Estados Unidos, Alemanha, França, Holanda, Reino Unido, Austrália, entre outros. Os efeitos adversos são raros e podem incluir reações locais como dor, febre, enrijecimento e vermelhidão no local da administração da vacina. Qualquer evento adverso deve ser notificado imediatamente às autoridades de saúde.
Vacina
O esquema de vacinação completo da dupla adulto é de três doses (devendo ser reforçada a cada intervalo de dez anos) podendo ser tomada a partir dos 10 anos de idade. Se a mulher não tomou nenhuma dose da vacina antes de engravidar, é necessário tomar duas doses da dupla adulto, com intervalo de no mínimo 30 dias e complementar com a dTpa.
Caso a mulher tenha tomado uma dose da dT antes da gestação, ela deverá reforçar o esquema com mais uma dose da dT e outra da dTpa. Já para as mulheres que se preveniram com duas ou mais doses da dT, recomenda-se a dTpa administrada com apenas uma dose. Mulheres grávidas devem tomar uma dose da dTpa em cada gestação, independente de terem tomado anteriormente.

Redação O POVO Online com informações do Ministério da Saúde

Tremor que rachou casas no Ceará teve magnitude 2,9

tremor2-300
Tremor causou fissura na residência de Raimunda
Cecília (Foto: Coreaú Online)
Teemor também foi sentido no distrito de Jordão, em Sobral. Casas ficaram com paredes rachadas, mas ninguém ficou ferido.
Foi de 2,9 a magnitude o tremor de terra sentido por moradores no município de Coreaú, na região norte do Ceará, na madrugada de domingo (16).  De acordo com análise do Laboratório Sismológigico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) divulgada nesta segunda-feira (17), o evento ocorreu às 2h17 e o epicentro foi registrado em Coreaú, a aproximadamente 8 quilômetros ao sul da cidade.

“Foi um grande susto. Teve um barulho forte, as pessoas sentiram o chão tremer e foram às ruas para saber o que tinha acontecido”, relata o soldado da Polícia Militar Ricardo Batista. O tremor acordou os moradores que forasm às ruas para saber o que estava acontecendo. De acordo com os técnicos do laboratório, o treemor também foi sentiudo no distrito de Jordão, em Sobral, na mesma região.

A força do sismo derrubou parte do telhado e rachou o muro de algumas residências de Coreaú, como na residência de Raimunda Cecília. “Acordei com a casa chacoalhando, fiquei com medo, meus filhos ficaram com medo. As telhas estavam todas tremendo e as paredes também. Na hora a gente temia que acontecesse um desastre, mas foi só um susto”, relata.

A parede da entrada da residência de Cecília ficou ranhuras, marcas do tremor de terra dessa madrugada. De acordo com policiais de Coreaú, não há registro de pessoas feridas ou danos estruturais graves por conta do sismo.

 

Coreaú tem pelo menos quatro registros recentes de tremor de terra de baixa intensidade nos últimos anos: em março de 2010, com tremor de 2,5 pontos;  em abril de 2010, com tremor de 2,7 graus; e em 2013, quando houve um sismo de 2,1.

De acordo com o Laboratório de Sismologia, Coreaú – e outras cidades no Norte do Ceará – recebem tremores de terra por conta de uma ranhura da placa tectônica meso-atlântica (entre a América e os continentes africano e europeu) que passa sob a região.

Desde 2008, a atividade sísmica da região é monitorada pelo Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O mais forte tremor registrado na região foi também em Sobral, em 2009, e chegou a 4,3. Esse tremor causou rachaduras em estruturas de concreto e derrubou móveis em residências e comércios. O tremor atingiu uma área de 200 quilômetros de raio e chegou a afetar cidades do litoral cearense, como Fortaleza.

Do G1 CE

Ceará ocupa 1º lugar em ranking nacional de acidentes graves em rodovias

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) dará início nesta terça-feira, 18, à Operação Trechos Críticos, priorizando os locais onde são registrados acidentes de maior gravidade

O Ceará está ocupando a primeira posição no ranking nacional de acidentes graves, no trecho do km 0 ao 10, da BR-222. A tabela que revela os pontos mais críticos de acidentes nas rodovias federais, compreendendo as BRs 222, 116 e 020, foi divulgada nesta segunda-feira, 17.

O número de acidentes graves nesses primeiros 10 km da BR-222, registrados de janeiro a setembro deste ano, é de 168, com 204 feridos graves e nove mortes. Esse mesmo trecho é também onde há maior ocorrência de acidentes envolvendo motos, 73% dos casos.

Em territórios cearenses, a BR-116 ocupa os 2º e 3º lugares em número de acidentes graves. Os trechos críticos estão entre os km 0 e 20. A média é de 58 acidentes graves nesses pontos. No ranking nacional dos pontos críticos, esses mesmos trechos da BR-116 ocupam o 16º e 18º lugares.

De acordo com a tabela divulgada pela Polícia, os dias da semana com maior ocorrência de acidentes graves na BR-222 são: sextas, segundas e quintas-feiras, respectivamente. Já na BR-116, o mesmo registro vale para os dias de domingo, sexta-feira, quinta-feira, segundas e terças-feiras, respectivamente.

Operação
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) dará início nesta terça-feira, 18, à Operação Trechos Críticos, priorizando os locais onde são registrados acidentes de maior gravidade, nas rodovias federais do Ceará.

Com a ação, a PRF pretende coibir acidentes relacionados principalmente ao excesso de velocidade, embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas, a falta do uso do cinto de segurança e, ainda, acidentes com motocicletas, que revelaram elevados índices.

O efetivo diário nas Unidades Operacionais montadas na ação receberá reforço de policiais lotados em outras regiões do Ceará, possibilitando que a fiscalização ocorra de forma ininterrupta.
A Operação Trechos Críticos será encerrada no próximo dia 30 de novembro.

Redação O POVO Online

Participação de importados na indústria bate recorde no terceiro trimestre

graficoacendente

A participação de produtos importados no consumo da indústria nacional alcançou 21,9% no terceiro trimestre de 2014, informou hoje (17) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a entidade, o coeficiente de penetração das importações aumentou 0,8 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2013, o maior nível desde o início da série histórica, em 2007.

Apesar do aumento da fatia dos produtos estrangeiros na economia interna, a indústria está proporcionalmente vendendo mais para o exterior. O coeficiente de exportação, que mede a fatia da produção industrial vendida para o mercado externo, foi 19,4%, também com alta de 0,8 ponto percentual na comparação com o terceiro trimestre de 2013.

As informações são do estudo Coeficientes de Abertura Comercial, feito pela CNI em parceria com  a Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex). Em relação ao segundo trimestre, o coeficiente de penetração das importações subiu 0,1 ponto percentual e o coeficiente de exportação teve alta de 0,2 ponto.

O levantamento apontou o aumento dos coeficientes mesmo com a queda nas importações e das exportações industriais. De julho a setembro, o valor das importações da indústria, em dólares, caiu 1,1% em relação aos mesmos meses do ano passado. As exportações industriais caíram 0,4% na mesma comparação.

De acordo com a CNI, há uma tendência de redução no ritmo de crescimento do coeficiente de penetração das importações de produtos industriais nos próximos trimestres. As exportações da indústria, no entanto, não apresentam trajetória consistente de crescimento apesar da desvalorização do câmbio e da desaceleração do mercado doméstico.

O aumento do peso dos bens e das mercadorias estrangeiras no consumo industrial deve-se à indústria extrativa, cujo coeficiente de penetração das importações subiu de 49,9%, no segundo trimestre, para 51,1% no terceiro trimestre após dois trimestres de quedas consecutivas. O coeficiente de exportação também aumentou no trimestre passado, de 65,1% para 65,7%.

Na indústria de transformação, que responde pela maior parte da produção industrial, o coeficiente de penetração das importações ficou estável em 20,3%. Pela primeira vez desde o segundo trimestre de 2010, o indicador deixou de subir. O coeficiente de exportação aumentou apenas 0,1 ponto percentual, de 15,5% para 15,6%.

Agência Brasil

Petrobras e Eletrobras pesam no mercado financeiro

cms-image-000020355-660x330A  “Operação Lava Jato” da Polícia Federal, que investiga uma série de crimes financeiros dentro da Petrobras e com dois ex-diretores presos, seguiu respingando no mercado financeiro doméstico nesta segunda-feira. Além disso, rumores de irregularidades na estatal de energia, Eletrobras, também contribuíram para as quedas nos papéis da companhia e, consequentemente, as duas empresas puxaram a Bolsa de Valores de São Paulo.

As ações da Petrobras ON caíram 5,09% e Petrobras PN, 4,55%, Eletrobras PNB N1, 9,09% e Eletrobras ON N1, 7,79%. As ações de bancos e empresas de mineração também recuaram.

Nesta segunda-feira, a presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que a estatal não está pronta para apresentar os balanços contábeis do terceiro trimestre de 2014. Os dados deveriam ter sido divulgados na última sexta-feira (14), mas o anúncio foi suspenso porque a auditoria responsável pelas contas da companhia, a PricewaterhouseCoopers, se recusou a assinar o balanço.

“Em face das eventuais denuncias e investigações da Operação Lava Jato, a companhia não está pronta para divulgar as demonstrações contábeis do terceiro trimestre de 2014, pois essas denúncias, se verdadeiras, podem impactar potencialmente tais demonstrações”, declarou Graça Foster, ao iniciar a apresentação do balanço operacional.

Foster anunciou também a criação da Diretoria de Governança, como parte das medidas para melhorar a gestão da companhia. “Propusemos ao Conselho de Administração (Consad), da Petrobras, que criássemos uma diretoria de governança”, disse, afirmando apoio unânime do conselho e a criação de 66 medidas para melhorar a gestão da petroleira.

Ainda por aqui, o dólar comercial fechou com ligeira alta e os juros futuros se dividiram.

ÁSIA

As bolsas encerraram em queda, com a economia do Japão em recessão e com as ações de Hong Kong em queda com o início do link com Xangai.

Ao final desta jornada, em Hong Kong, o principal indicador, o Hang Seng, caiu 1,21% aos 23.797 pontos; na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Xangai, recuou 0,19% aos 2.474 pontos; na Coreia do Sul, o índice KOSPI Composite desacelerou 0,08% aos 1.943 pontos; na Índia, o índice BSE, da bolsa de Bombai fechou em alta de 0,47% aos 28.177 pontos; em Taiwan, o principal indicador, o TSEC Weighted, perdeu 1,10% aos 8.884 pontos; e no Japão, o índice Nikkei 225, da bolsa de Tóquio, recuou 2,96% aos 16.973 pontos.

A economia do Japão entrou em recessão no terceiro trimestre, caindo -0,4%. Na taxa anual, a baixa foi de -1,6%, mostrando como o aumento de impostos em abril freou o crescimento do país.

Com isso, o primeiro-ministro Shinzo Abe pode atrasar o plano de aumentar os impostos sobre o consumo para 10% no próximo ano.

EUROPA

As bolsas fecharam em alta nesta segunda-feira, influenciadas pelas empresas de mineração, ofuscando a preocupação com a recessão inesperada do Japão e com a saúde econômica global.

Por lá pesou também a fala de Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu  (BCE) de que o programa de estímulos poderá ser ampliado como incluir títulos do governo.

Hoje, em Londres, o índice Stoxx Europe 600 subiu  0,5% para ficar aos 337.19 pontos.

Ao final da jornada, em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 1,33% aos 19.216 pontos; em Madri, o índice Ibex 35 ficou com alta de 1,59% aos 10.309 pontos; em Paris, o índice CAC-40 ficou com alta de 0,56% aos 4.226 pontos; em Frankfurt, o índice DAX 30 acelerou 0,58% aos 9.306 pontos; em Londres, o índice FTSE-100 ficou com alta de 0,26% aos 6.671 pontos; e, em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 0,41% aos 5.178 pontos.

A balança comercial da Itália fechou setembro com superávit de 2,01 bilhões de euros, ficando abaixo da estimativa do mercado.

Na zona do euro, o superávit foi de 18,5 bilhões de euros, acima dos 10,8 bilhões de euros de setembro de 2013. As exportações subiram 4,2% nos países da moeda única em relação a agosto, enquanto as importações tiveram alta de 3%.

ESTADOS UNIDOS

Os principais índices acionários de Wall Street fecharam em alta nesta segunda-feira, com os investidores olhando para a Europa com os próximos passos do Banco Central Europeu (BCE), que sinaliza para a alteração  no programa de estímulos. Apenas a bolsa eletrônica Nasdaq recuou com recessão no Japão.

Além disso, o Grupo Nasdaq fez anúncio de 14 ações entram para um programa em que serão testados os efeitos de redução de taxas de negociação e descontos. A medida serve para quatro meses, já a partir do dia 2 de fevereiro de 2015.

Ao final da jornada, o índice Dow Jones subiu 0,07% aos 17.647 pontos; o índice S&P 500 ficou com alta de 0,07% a 2.041 pontos; a bolsa eletrônica Nasdaq recuou 0,37% aos 4.671 pontos.

A pesquisa Empire State de Manufatura indicou melhora nas condições de negócios em Nova York em novembro, passando de 6,2 para 10,2 pontos. O índice de novos pedidos subiu para 9,1 pontos, enquanto o indicador de novas encomendas avançou para 11,8 pontos.

A produção industrial dos Estados Unidos caiu 0,1% em outubro na comparação com setembro. Na comparação com outubro de 2013, a indústria americana cresceu 4%. No mês passado, o uso da capacidade instalada recuou -0,3 pontos percentuais para 78,9%.

BRASIL

Em dia de vencimentos de opções, a Bolsa de Valores de São Paulo operou no vermelho. Ao final do pregão, o Ibovespa recuou 1% aos 51.256 pontos. O volume negociado foi de pouco mais de R$ 9 bilhões.

“Podemos considerar que as bolsas globais estão enfrentando problemas como as do Japão, Europa e Estados Unidos, o que acabou pesando por aqui. Nesta segunda-feira também foi dia de vencimentos de opções”, disse o analista da corretora SLw Investimentos, Pedro Galdi.

Segundo economista, a ações da Petrobras foram puxadas para baixo com as denúncias de fraudes e as da Eletrobras com os rumores que podem atingir a estatal de energia.”Com esse cenário, há o repique de saída de capital estrangeiro. Outras empresas também viram suas ações em baixa, bem como os bancos”, completou Galdi.

Dentre as ações que integram o Ibovespa, as maiores altas ficaram Cielo ON (2,51% a R$40,10); Brasil ON (2,43% a R$25,08); Bradespar PN N1 (1,98% a R$14,45); Eletropaulo PN N2 (1,94% a R$7,37); e Qualicorp ON (1,63% a R$24,95).

Na outra ponta estiveram os papéis da Eletrobras PNB N1 (-9,09% a R$ 7,30); Eletrobras ON N1 (-7,79% a R$ 5,21); Usiminas PNA N1 (-6,93% a R$5,10); Petrobras ON (-5,09% a R$12,13); e Petrobras PN (-4,55% a R$12,60).

MOEDAS

O mercado cambial operou com volatilidade nesta segunda-feira, com as moedas emergentes se desvalorizando perante a norte-americana.

Na abertura, o dólar comercial seguiu em forte alta até por volta das 12h30 aos R$2, 605, perdeu força e acabou voltando. No interbancário, a divisa ficou cotada a R$ 2,600 na compra e R$2,601 na venda, alta de +0, 02%.

“O dólar ganhou das demais moedas acompanhando um pouco dos juros. Hoje, a cautela com a economia do Japão e com decisões de bancos centrais mexeram com a moeda.Considerando o dia com os demais mercados, podemos avaliar que aqui ficou no zero a zero”, pontuou o economista chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.

Para tentar conter o avanço do dólar, o Banco Central do Brasil (BCB) vendeu a totalidade dos 14 mil contratos de swap cambial, ofertados em operação para rolagem de títulos que vencem em 1° de dezembro. A operação totalizou US$ 680,2 milhões.

Os contratos foram oferecidos com dois vencimentos. Para vencimento em 3 de novembro do próximo ano, foram vendidos 4,3 mil contratos, no valor de US$ 209,9 milhões. Para 4 de janeiro de 2016, foram negociados 9,7 mil contratos, no valor de US$ 470,3 milhões.

O swap cambial é uma operação de câmbio em que há, simultaneamente, compra e venda de moedas. As operações do tipo são usadas para conter a alta do dólar e oferecer proteção (hedge) a empresas e bancos. Na sexta-feira (14), o dólar fechou acima de R$ 2,60 pela primeira vez desde 2005.

O euro fechou nesta segunda-feira em baixa, cotado a US$ 1,2456, frente aos US$ 1,2479 de sexta-feira.

O Banco Central Europeu fixou o câmbio oficial do euro em US$ 1,2496.

JUROS FUTUROS

Os DIs fecharam em alta nesta segunda-feira na BM&F. O que se viu foi uma divisão entre estabilidade na ponta curta e abertura no restante da curva de juros.

Perto do fechamento, os vencimentos para dezembro de 2014 seguiam estáveis a  11,08%; os contratos com vencimentos para janeiro de 2015 seguiam com alta de 0,01 p.p a 11,35%; os  vencimentos para abril de 2015 subiam 0,03 p.p a 11,82%; os contratos com vencimentos para julho de 2015 subiam 0,02 p.p a 12,15%; os contratos com vencimentos para janeiro de 2017 subiam 0,02 p.p a 12,76%; e os vencimentos para janeiro de 2021 seguiam estáveis a 12,74%.

“Hoje, os juros abriram e depois voltaram, mostrando que há uma cautela com as economias dos Estados Unidos e do Japão, o que acabou refletindo na ponta longa. O IBC-BR acabou pesando na ponta curta”, considerou o economista chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa.

A atividade econômica cresceu 0,4% em setembro, o terceiro mês que o índice de atividade econômica do Banco Central (BC) registra aumento.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica do Brasil, incorporando informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia.

Na comparação com agosto de 2013, o índice apresenta queda dessazonalizada de 0,24%. No acumulado do ano, em valores já ajustados, houve aumento de 0,01% na atividade econômica. Considerando os últimos 12 meses, o aumento do IBC ficou em 0,6%.

A inflação semanal avançou para 0,50% na segunda semana de novembro, de acordo com a Fundação Getulio Vargas. Na apuração da semana, quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo habitação, que passou de 0,51% para 0,63%.

A inflação medida pelo índice geral de preços – 10 passou de 0,02% para 0,82% em novembro. Em novembro de 2013, a variação foi de 0,44%. No ano, a variação acumulada é de 2,87%. Em 12 meses, o índice acumula alta de 3,32%.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou em novembro variação de 0,16%, ante 0,14% do mês anterior.

Os analistas do mercado financeiro aumentaram a projeção para o dólar em 2014, estimando que a moeda encerre aos R$ 2,53, acima dos R$ 2,50 da semana passada, segundo o Boletim Focus elaborado pelo Banco Central em 14 de novembro.

Para 2015, a expectativa é que a moeda encerre aos R$ 2,61, acima dos R$ 2,60 da semana passada. Os preços administrados se mantiveram em 5,30% este ano e ficaram estáveis em 7% em 2015.

A inflação oficial deve subir de 6,39% para 6,40% em 2014. Para o ano que vem, a inflação deve ficar estável em 6,40%.

O Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que se manteve em 5,22% em 2014 e permaneceu em 5,38% em 2015. A estimativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) teve alta de 3,38% para 3,44% em 2014, e cresceu de 5,54% para 5,57% em 2015.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a projeção ficou em 3,48% em 2014.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve acelerar 0,21% este ano, acima dos 0,20% da projeção anterior. A produção industrial deve passar de -2,21% para -2,30%.

A previsão para a relação entre a dívida líquida do setor público (DLSP) e o PIB deve avançar de 35,20% para 35,80% em 2014 e subir de 35,90% para 36,00% em 2015.

A taxa básica de juros (Selic) deve se manter em 11,50% este ano. Em 2013, a taxa Selic encerrou em 10%. A próxima reunião do Copom está marcada para acontecer entre os dias 02 e 03 de dezembro.

PETRÓLEO

O preço do barril do petróleo Brent para entrega em janeiro fechou nesta segunda-feira em alta de 0,13% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 79,31.

O petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, encerrou o pregão no International Exchange Futures US$ 0,10 abaixo do registrado na sexta-feira passada, de US$ 79,41.

Esta ligeira redução do preço aconteceu em um dia marcado pelo anúncio da aquisição, por parte da companhia russa Rosneft, de 1,6 milhão de toneladas de petróleo e 9 milhões de toneladas de derivados de petróleo venezuelano.

O barril do Texas fechou nesta segunda-feira com baixa de 0,23%, cotado a US$ 75,64 o barril, depois da recuperação parcial da sexta-feira e enquanto segue a crise de excesso de oferta de petróleo.

Ao fim do pregão na Bolsa Mercantil de Nova York, os contratos futuros do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) para entrega em dezembro caíram US$ 0,18 em relação ao fechamento de sexta-feira passada.

O barril de referência nos Estados Unidos recuperou o ritmo descendente que está levando seu preço às cotações mais baixas em anos, enquanto a oferta do petróleo em nível internacional supera a demanda.

Por sua parte, os contratos de gasolina para entrega em dezembro caíram US$ 0,02, para US$ 2,02 o galão, enquanto os de gasóleo para calefação perderam US$ 0,01, até US$ 2,40.

Já os contratos de gás natural com vencimento em dezembro dispararam US$ 0,32 e terminaram o dia cotados a US$ 4,34 para cada mil pés cúbicos.

COMMODITIES

Contratos futuros do café fecham em baixa em Nova York
Contratos futuros do açúcar fecham em baixa em Nova York
Contratos futuros do cacau fecham com resultados mistos em Nova York

Com Ags, EFE, Empresa Brasileira de Comunicação e demais internacionais

Desmatamento na Amazônia brasileira subiu 467%, alerta ONG Imazon

desmatamento

O desmatamento na Amazônia brasileira aumentou 467% em outubro de 2014 com relação a outubro do ano passado, denunciou nesta segunda-feira a ONG Instituto Imazon, que comparou a área desmatada a mais de 24.000 campos de futebol.

Segundo o Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), da Imazon, o desmatamento nos nove estados amazônicos brasileiros foi de 244 km2. Em outubro do ano passado, a derrubada de árvores somou 43 km2. A SAD realiza suas medições em colaboração com o aplicativo Google Earth.

Sessenta por cento do desmatamento ocorreram em terras privadas ou sob o controle de ocupantes ilegais.

Além disso, entre agosto e outubro de 2014, os três primeiros meses do calendário oficial de medição do desmatamento do novo período, foram derrubados mais de 1.000 quilômetros quadrados de floresta, uma área equivalente à da cidade do Rio de Janeiro.

"Embora os dados não sejam oficiais, o SAD põe em dúvida a eficácia das atuais políticas de prevenção e controle ao desmatamento às vésperas de um evento internacional, que tem como desafio obter compromissos entre os países para reduzir as emissões de gases de efeito estufa", destacou a Imazon em uma nota de imprensa, em alusão à realização da XX Conferência sobre Mudanças Climáticas, que será celebrada em Lima, Peru, entre 1º e 12 de dezembro de 2014.

Para enfrentar o desmatamento da Amazônia, cada vez mais sofisticado, as autoridades brasileiras anunciaram, no começo do mês, a adoção de um novo e refinado sistema de alerta por satélites, assim como uma estratégia mais concentrada no crime organizado.

Após alcançar seu menor nível histórico, o desmatamento na maior floresta tropical do planeta, no período 2012/2013, quando atingiu 5.981 km2 (+29%).

O Brasil conseguiu reduzir o desmatamento, que alcançou 27.000 km2 em 2004, para 4.571 km2 no período 2011/2012, o mínimo histórico.

Os dados oficiais do último período 2013-2014, encerrado em agosto, serão divulgados no final de novembro. Mas dados parciais de detecção por satélite indicam que o desmatamento teria voltado a crescer.

 

AFP

'Em hipótese alguma', Duque proporá delação premiada, afirma advogado

advogadoduquie
Ex-diretor de Serviços da Petrobras foi preso pela PF na última sexta-feira. Sétima fase da Operação Lava Jato resultou na prisão de 23 investigados.

 

O advogado Renato de Moraes, defensor doex-diretor da Petrobras Renato Duque durante entrevista em Curitiba (Foto: Filipe Matoso / G1)

O advogado Renato de Moraes, que defende o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, preso na operação Lava Jato, afirmou nesta segunda-feira (17) em Curitiba que “em hipótese alguma” o cliente proporá acordo de delação premiada, a exemplo do que fizeram outros investigados.

Moraes acompanhou nesta segunda depoimento de Duque a policiais federais da Operação Lava Jato, deflagrada em março para investigar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas – durantes as investigações, a PF detectou desvios de recursos da Petrobras.

Renato Duque foi preso na sexta-feira (14) em casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e conduzido para a superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Em depoimento à PF e ao Ministério Público no mês passado, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que fez acordo de delação premiada e atualmente cumpre prisão domiciliar, disse ter conhecimento de irregularidades praticadas na Diretoria de Serviços, na época em que foi comandada por Duque.

 

OPERAÇÃO LAVA JATO

“Eu conversei com o Renato algumas vezes, e a única resposta que diz é que não tem o que delatar nem quem delatar. Então, não tem hipótese alguma de que isso aconteça”, declarou o advogado na Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense.

Questionado sobre se o cliente aceitaria participar de acareação com o ex-diretor de Refino da Petrobras Paulo Roberto Costa, em razão de eventuais divergências nos depoimentos, Moraes disse a jornalistas que "a qualquer hora". O advogado disse ainda que Duque se colocou à disposição da Polícia Federal para prestar esclarecimentos posteriormente.

Moraes afirmou que Duque respondeu a todas as perguntas da PF e "repudiou" parte da delação de Paulo Roberto Costa, por citá-lo no processo. “Existem fragmentos de delação premiada [de Paulo Roberto Costa] e ele repudia tudo”, declarou.

“Teria um depoimento judicial do Paulo Roberto Costa em que ele teria dito que o proceder dele [Costa] na Diretoria de Abastecimento seria o mesmo que o da Diretoria de Serviços, cujo diretor era o Renato Duque. Ele [Duque] nega isso”, afirmou Moraes. Segundo o advogado, Renato Duque falou ainda sobre os 30 anos de atuação dentro da empresa e os procedimentos adotados pela diretoria de Serviços.

Além de Duque, foram confirmados depoimentos de ao menos outros nove presos, segundo alguns advogados que estiveram nesta segunda-feira na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Entre os que falaram aos delegados, estavam Erton Medeiros Fonseca, da Galvão Engenharia; Carlos Alberto Costa Silva, da UTC; Otto Sparenberg, da Iesa; e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, da OAS.

Lava Jato
A operação investiga um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões e provocou desvio de recursos da Petrobras, segundo investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Na primeira fase da operação, deflagrada em março deste ano, foram presos, entre outras pessoas, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

A nova fase da operação policial teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras que mantêm contratos com a Petrobras que somam R$ 59 bilhões. Parte desses contratos está sob investigação da Receita Federal, do MPF e da Polícia Federal. Ao todo, foram expedidos, nesta sétima etapa, 85 mandados em municípios do Paraná, de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Distrito Federal.

Conforme balanço divulgado pela PF, além das 23 prisões, foram cumpridos 49 mandados de busca e apreensão. Também foram expedidos nove mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a ir à polícia prestar depoimento), mas os policiais conseguiram cumprir seis.

lava_jato


Filipe Matoso e Fernando CastroDo G1, em Curitiba

Quase 36 milhões de pessoas são vítimas da escravidão no mundo

escravidao
Segundo Índice Global de Escravidão de 2014 (GSI), número é cerca de 20% maior do que o estimado anteriormente. Brasil, onde apenas 0,0775% da população é afetada, recebe elogios por esforços do governo.

 

Cerca de 35,8 milhões de pessoas estão submetidas à escravidão moderna no mundo, divulgou o grupo de defesa de direitos humanos Walk Free Foundation nesta segunda-feira (17/11). Em seu segundo Índice Global de Escravidão (GSI, em inglês), a instituição afirma que, devido a novos métodos, o número de pessoas escravizadas no mundo é em torno de 20% maior do que o estimado anteriormente.

A Walk Free havia estimado em seu índice inaugural, no ano passado, que mais de 29 milhões de pessoas nasceram em condições de escravidão, eram traficadas para trabalhos sexuais, presas em servidão por dívidas ou exploradas através de trabalhos forçados.

"Há uma suposição de que a escravidão é algo de épocas passadas. Ou de que ela existe apenas em países devastados pela guerra e pela pobreza", disse Andrew Forrest, presidente do grupo de direitos humanos baseado na Austrália.

"Estes resultados mostram que a escravidão moderna existe em todos os países. Somos todos responsáveis pelas situações mais terríveis em que existe a escravidão moderna e a miséria desesperada que flagela nossos companheiros seres humanos", destacou Forrest.

Pelo segundo ano, a Índia lidera o índice de 167 países no número totalitário de escravos. Cerca de 14,3 milhões de indianos – de uma população total de 1,25 bilhão – são vítimas da escravidão, incluindo desde prostituição a trabalho forçado.

Já no quesito proporcional em relação ao número de habitantes, a Mauritânia manteve a liderança, com 4% de sua população sob o regime escravocrata. No país africano, a escravidão de mouros negros por parte de árabes berberes é enraizada na sociedade.

Em seguida na lista, aparece o Uzbequistão, onde, a cada outono, o governo local força mais de um milhão de pessoas, incluindo crianças, a trabalhar na colheita de algodão. Seguem Haiti e o Catar, sede da Copa do Mundo de 2022 e constantemente nas manchetes devido às condições de trabalho nos estádios. Em 2014, foram contabilizadas 29.400 pessoas vivendo em escravidão no Catar, enquanto, em 2013, o número estimado havia sido de pouco mais de 4 mil.

Os dados mostram também que, somados, os dez países com maior número de escravos são responsáveis por 71% da escravidão global. O índice define escravidão como o controle ou a posse de pessoas, privando-as de sua liberdade com a intenção de explorá-las com fins lucrativos ou sexuais, geralmente por meio de violência, coação ou fraude. A definição inclui também o rapto de crianças para servirem em guerras.

Segundo o relatório, a escravidão moderna contribui para a produção de pelo menos 122 produtos de 58 países. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que os lucros deste trabalho forçado giram em torno de 120 bilhões de euros (390 bilhões de reais) por ano.

"Desde o pescador tailandês que arrastam as redes de pesca com comida para os peixes, ao menino congolês na mineração de diamantes, da criança uzbeque colhendo algodão até os indianos que costuram bolas de futebol. Seu trabalho forçado é o que nós consumimos", diz o relatório.

Brasil recebe elogios

Na 143º posição, quando considerada a percentagem da população vivendo em condições de escravidão, o Brasil é o quinto melhor país não europeu na lista , atrás de Nova Zelândia, Austrália, Taiwan e Cuba.

Estima-se que 155.300 mil brasileiros, ou seja, 0,0775% da população, vivam sob escravidão no país. Os principais setores que se beneficiam do trabalho forçado no Brasil são a pecuária, agricultura (soja, café, laranja, cacau), mineração de ouro e cobre, colheita de castanhas, indústria têxtil e de enlatados.

Entretanto, segundo a fundação, o Brasil faz um trabalho pró-ativo contra a escravidão. "De 167 países, há apenas três (Austrália, Brasil e Estados Unidos) em que os governos atuaram na cadeia de fornecimento", destacou a diretora executiva da Walk Free, Fiona David.

"O Brasil mantém um diálogo com as indústrias em relação a atacar escravidão moderna nas cadeias de produção", diz o relatório. O documento destaca o compromisso durante a Copa do Mundo de 2014 de prevenir o uso de trabalho forçado e tráfico humando.

Com os melhores dados do índice, a Europa tem cerca de 566 mil pessoas envolvidas em formas de escravidão moderna – os dois melhores países na classificação são Islândia e Irlanda. "O tráfico para fins de exploração sexual foi responsável por quase 70% das vítimas identificadas, enquanto o tráfico para trabalhos forçados foi responsável por 19%", afirma o relatório.

"A crise econômica e as medidas de austeridade da União Europeia fizeram com que um número crescente de cidadãos búlgaros e romenos migrasse em busca de empregos melhor pagos. Alguns desses trabalhadores podem ser enganados ou coagidos a situações de exploração", concluiu o texto.

PV/afp/rtr/2014 Global Slavery Index

http://www.dw.de

No Ceará, agentes de trânsito recebem carta com teor racista

 

cartace

Mulher resgatou carro e, no dia seguinte, entregou mensagem, diz Detran. Carta faz menção a servidor como 'da cor da noite'; fiscais registraram BO.

O Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) recebeu uma carta com ofensas, xingamentos e trechos de teor racista dirigida a servidores que participaram de uma operação de reboque. De acordo com o Detran, uma mulher que foi resgatar um carro rebocado, voltou ao órgão, no dia seguinte ao resgate, e entregou a carta à secretária do departamento de fiscalização. O carro foi rebocado em 11 de novembro por estar em uma vaga de táxi, na Rua Marcos Macedo. Os servidores registraram Boletim de Ocorrência. A mulher cujo nome aparece como sendo da autora da mensagem negou por telefone ter escrito o material.

De acordo com o Detran-CE, a mulher entregou três cartas, uma para o diretor do órgão e outras duas para os dois agentes. A mensagem menciona os dois servidores e ainda um terceiro homem, o motorista do reboque. O texto e a indicação de autoria que aparece no fim da carta estão digitados.

Na carta, ela diz que os dois rebocaram o carro injustamente e que o veículo foi danificado pelos agentes. Afirma ainda que o carro foi ''roubado'' pelos agentes. "Sou a senhora proprietária do carro que vocês 'roubaram' ontem, pela manhã, na Rua Marcos Macêdo. Estavam  lá parados 4 carros, mas vocês acharam de só levar rebocado o meu. Um carro 0 KM, com apenas 10 dias de uso, sem nenhum arranhão, sequer que fosse, do tamanho de uma unha. E vocês colocaram na avaliação (está apensa a esta) que tinha arranhões, amassados e pneu cortado", escreveu. A carta não traz assinatura, mas tem mensagem e nome da motorista digitados.

Racismo
Em outro momento ela diz: "Seus desgraçados, excomungados, amaldiçoados: que o diabo, o satanás, o senhor das trevas acompanhe vocês a partir de agora". "Agora vou me referir ao cor da noite sem estrelas, o que estava  dirigindo o carro do reboque: hoje tu vive como gente, convivendo com gente, por causa da maldita princesa  Isabel", diz a carta.

Um dos servidores ao qual a carta foi dirigida, Eduardo Soares, disse em entrevista ao G1 que lamenta o caso. Segundo ele, os  agentes fizeram apenas o seu dever. "Entendemos a raiva por ter o carro rebocado. Realmente é chato você chegar ao local e não ver mais o seu veículo. No entanto, eu lamentei o teor das palavas escritas por ela na carta. Fiquei muito triste e não esperava esse tipo de agressão", afirmou Soares.

O Detran-CE informou que orientou os dois funcionários a fazer um Boletim de Ocorrência e acrescentou que setor jurídico vai analisar o caso. "O setor jurídico orientou os dois funcionários a fazer um Boletim de Ocorrência. E ao mesmo tempo dar entrada ao protocolo solicitando providências neste sentido. Vamos trabalhar para que os dois agentes sejam protegidos", informou o órgão de trânsito.

Ainda conforme o servidor, ele e o amigo de trabalho já acionaram o departamento jurídico do Detran-CE que prometeu tomar providências. "No outro dia, nós fizemos um Boletim de Ocorrência. Agora é esperar o que vai  acontecer. Espero que a Justiça seja feita", afirmou Soares.

Em entrevista por telefone, a mulher, que se diz servidora pública, negou a autoria da carta. "Tem a minha assinatura? Não. Então não fui eu. Não tem assinatura. Isso significa que não há provas materiais. Então, eu nego. Qualquer pessoa pode escrever qualquer coisa e entregar com o nome de qualquer pessoa'', disse.

carta620-2

Carta se refere a servidor negro como 'cor da noite sem estrelas' (Foto: Reprodução)

Do G1 CE, com informações da TV Verdes Mares

Empresa admite ter pago propina a funcionários, diz presidente da Petrobras

gracaAlan Sampaio / iG Brasília

SBM Offshore não participará mais de licitações da Petrobras; apesar disso, contratos em andamento não serão suspensos

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, confirmou, nesta segunda-feira (17), que a empresa holandesa SBM Offshore, com quem mantém contratos de locação de plataformas, confessou ter pago propina a funcionários da estatal para conseguir contratos. A empresa estrangeira, no entanto, não indicou a quem subornou, tampouco os valores da operação, destacou Graça Foster, que garantiu: daqui para frente, a companhia não poderá mais participar de licitações da estatal.

Graça Foster em audiência: ela diz que SBM não indicou a quem subornou e quanto pagou

A Petrobras tinha instalado uma Comissão Interna de Apuração para investigar a denúncia, à época em que surgiu, em fevereiro, e incluiu viagens aos Estados Unidos e à Holanda. Porém, não conseguiu comprovar ilegalidades. Nesta segunda, em entrevista para justificar o adiamento da divulgação do balanço contábil, a presidente da Petrobras revelou que após o término das investigações internas se deparou com uma prova irrefutável do suborno.

“A presidente recebeu uma ligação e uma carta, onde (sic) a SBM dizia que recebeu informação do Ministério Público holandês sobre os tais depósitos em contas na Suíça. De imediato, isso é uma prova avassaladora. É a própria empresa dizendo que tem essa informação [do pagamento de propina]”, disse o diretor de Exploração e Produção, José Formigli.

Com base nas informações, classificadas de “provas irrefutáveis de não conformidade”, apesar do desempenho considerado excepcional da SBM pela própria Graça Foster, as companhias não celebram mais contratos entre si. “Assim que soube, imediatamente, imediatamente mesmo, informamos à SBM que ela não participaria de nenhuma licitação conosco enquanto não fosse identificada a origem, nome de pessoas que estavam se deixando subornar”, frisou. Os oito contratos que já estão em andamento, no entanto, não serão suspensos, esclareceu ela.

Veja fotos da Operação Lava Jato:

A mesma decisão, de não suspender contratos, foi tomada no caso das empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que apura desvio e lavagem de dinheiro envolvendo políticos, funcionários da Petrobras e construtoras. A estatal tem dois ex-diretores citados no processo, ambos demitidos em 2012, quando Graça assumiu o comando da estatal.

O diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais da Petrobras, José Antonio Figueiredo, acrescentou que, além das provas, classificadas por ele como “avassaladoras”, a empresa contratada pode ser suspensa de novas licitações por um período de entre seis meses e dois anos. “Isso pode ocorrer por mau desempenho ou postura comercial inadequada”, disse.

A Petrobras informou ter pedido à Justiça o depoimento do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e contratou escritórios independentes e estrangeiros de investigação. A diretoria frisou que tomará medidas para recuperar a imagem da companhia e o dinheiro supostamente desviado na Lava Jato, relatado em depoimento dos presos.

A estatal não antecipou as medidas em avaliação para garantir a devolução do dinheiro de propina. “Essa estratégia está em desenvolvimento e ela é confidencial. Não posso antecipar algo que, por si só, precisa ser mantido em sigilo para o seu próprio sucesso”, reforçou Graça. Ela antecipou que a Petrobras criará uma Diretoria de Governança.

Um dos executivos investigados pela Polícia Federal confessou ao Ministério Público que havia um "clube" de empreiteiras para ganhar as licitações da petrolífera brasileira. Em depoimento, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, diretor da Toyo Setal, disse que pagou entre R$ 50 milhões e 60 milhões em propina ao ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque.

Por Agência Brasil

Pelas Estradas do Brasil - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

            A gente corre na BR-3. E a gente morre na BR-3....

Quem não lembra dessa música interpretada por um cantor até então desconhecido, Tony Tornado, que venceu a fase brasileira do I Festival Internacional da Canção em 1970?

Um ano depois, as rodovias federais brasileiras tinham recebido novas denominações. A nossa BR 13 que ligava Fortaleza ao Rio de Janeiro passou a ser chamada BR 116. De Fortaleza até Feira de Santana era uma extensa faixa de terra, esburacada e poeirenta no verão e um grande lamaçal no período das chuvas. Era a época do Brasil "ame-o ou deixe-o". Estradas eram pavimentadas e construídas em todas as direções. A mais famosa de todas era a transamazônica.

Eu já estava formado e obtive o meu primeiro emprego numa empresa de engenharia que elaborava estudos técnicos de solos e projetos geométricos para pavimentação de estradas, tendo ido parar em Oeiras e Ypiranga no Piauí. Em um ano elaboramos os projetos dos trechos da BR 230 e BR 316, respectivamente entre Gaturiano e Floriano e Valença, num total de 210 km de muita poeira e sol quente. Quem realiza esse tipo de trabalho em rodovias, anda por péssimas estradas. Entre tantos aprendizados, aprofundei meus conhecimentos de mecânica dos solos e da nomenclatura das rodovias federais, creio eu que por muitos ainda desconhecidas.

As nossas rodovias federais são nominadas por BR como todos sabem, seguida por uma numeração que indicam o seu sentido. Dividem-se em rodovias radiais, longitudinais, transversais, diagonais e de ligação.

A BR 020 e todas as demais cuja numeração se inicia pelo número zero são as estradas radiais que  partem de alguma capital de estado para Brasília. As mais conhecidas dessas rodovias são a BR 010 de Belém a Brasília, BR 020 Fortaleza a Brasília, BR 040 Rio de Janeiro a Brasília entre outras.

A nossa BR 116 e todas as demais rodovias que se iniciam pela número 1 são as rodovias longitudinais, aquelas que cortam o país no sentido norte-sul. A BR 116 liga Fortaleza até Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Num trajeto que compreende em seu roteiro as cidades de Russas, Brejo Santo, Salgueiro, Belém do São Francisco, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Teófilo Otoni, Governador Valadares, Barra Mansa, Lorena, Guarulhos, São Paulo, Curitiba, Lage, Florianópolis, Porto Alegre, Pelotas, Jaguarão e Rio Grande. A BR 101 a partir de Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Feira de Santana, Itabuna, Vitória, Campos, Rio de Janeiro, Santos, Antonina-PR, Florianópolis, Osório, Rio Grande.

As rodovias transversais são aquelas que cortam o país no sentido leste-oeste. Suas denominações têm como prefixo o número 2 seguido de 00 a 50 se situadas ao norte da capital federal e 50 a 99 se ao sul de Brasília. Exemplo a nossa BR 222, de Fortaleza a Sobral, Piripiri, Santa Inês, Açailândia, Marabá. A BR230 a partir de João Pessoa, Patos, Lavras da Mangabeira, Várzea Alegre, Farias Brito, Picos, Oeiras, Floriano, Carolina, Estreito, Marabá, Altamira, Humaitá, Labrea e Benjamim Constant.

As denominadas rodovias diagonais são aquelas no sentido Nordeste/Sudoeste ou Noroeste/Sudeste. Temos a BR 304 de Boqueirão do Cesário até Natal; BR 316 de Maceió a Belém e todas que tem o prefixo iniciado pelo número 3.

Finalmente o último grupo de rodovias é o denominado de Rodovias de Ligação, que ligam duas rodovias federais, ou uma rodovia federal a uma cidade importante ou ainda às fronteiras. Nesse grupo temos em nosso estado a BR 403 Acaraú, Sobral, Crateús; BR 404 Piripiri - Crateús - Novo Oriente - Catarina - Iguatu - Icó. 

Nosso país adotou a opção errada pelo caminhão, construindo estradas em vez de ferrovias. O trem com ferrovias, mesmo que não fossem eletrificadas seria o meio de transporte mais econômico para as longas distâncias que nos separam. De Fortaleza ao Crato temos toda uma estrutura de caminho de ferro montada, mas nenhum trem a conduzir nossas cargas.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo
Fonte DNIT   

Crato amanhece novamente debaixo de chuva








Previsão do Tempo:
Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora.

Segunda-Feira, 17/11 Nascer do sol: 05h09  - Pôr do sol:17h36
Temperaturas: Max 31º Min 21º
Umidade Relativa do Ar: 60%
Ventos a NNE a 13km/h
Variação de Umidade: 83%47%
Índice UV: Muito Alto

Fontes: INPE e GOES 13
Fotos: Dihelson Mendonça - BLOG DO CRATO
Registrando todo dia a História do Crato para a posteridade, desde 2005







ELES NÃO ME REPRESENTAM - Por: Jorge Emicles


Os vinte e oito anos da URCA são anos de lutas, conquistas e vitórias, todas imprescindíveis à difícil afirmação de um centro de educação no interior do Nordeste brasileiro, que pratica a política de levar à população abrangida pela Universidade um ensino público, gratuito e de qualidade; razão pela qual renunciou à vencida política de instituir cursos de graduação não gratuitos. Há um preço impostergável a ser pago por ações desta grandeza, notadamente quanto ao fato de ser mantida exclusivamente com os recursos do orçamento do Estado do Ceará, que é o mesmo que dizer da imposição de uma série de limites e amarras no que se refere à gestão e limite desses recursos. A decantada autonomia universitária afirmada expressamente na própria Constituição Federal sofre severas barreiras diante de um orçamento decidido pela Assembleia Legislativa do Estado. A eleição das políticas a serem executadas pela instituição igualmente são contingenciadas por essa mesma realidade. Entretanto, essa tal realidade que aflige a toda a comunidade acadêmica da URCA é lugar comum a toda e qualquer Universidade pública deste país. Que o digam as outras Universidades do Estado do Ceará; que o confirme a realidade precária das Universidades Federais país afora.

Falar das dificuldades, no entanto, não é igual a negar os avanços e conquistas de vinte e oito anos de história. Aquela insipiente instituição precariamente fundada no longínquo ano de 1986, que oferecia cursos exclusivamente noturnos, que possuía um quadro de professores doutores e mestres quase nulo, não tinha laboratórios e qualquer renome, seja regional, seja nacional, hoje se apresenta em pleno desenvolvimento da política de formação de seus docentes, que possuem regimentalmente o direito de se licenciar por até quatro anos para cursar mestrados e doutorados país e mundo afora, sem prejuízo de sua remuneração; agora é referência mundial em matéria de paleontologia, sendo detentora material de importante museu dedicado a este estudo e, mais ainda, possui em seus quadros alguns dos mais respeitados pesquisadores na matéria (que batizaram, inclusive, espécimes inéditos no mundo); modernamente tem em pleno funcionamento um restaurante universitário, uma residência universitária, um ginásio poliesportivo, um biotério, renovou sua frota de carros; sem dizer que iniciou já várias pós-graduações, entre doutorados, mestrados e especializações; sem mencionar ainda que tem trabalhos de seus professores publicados em periódicos dos mais consagrados, além de ela mesma patrocinar outras publicações por sua conta. É todo esse conjunto de ações que a fazem estar entre as cem melhores universidades do Brasil, tendo seus cursos bem avaliados pelos padrões tanto do MEC quanto de instituições privadas (como é o caso da Editora Abril).

É paradoxal, mas nem parece que estamos falando da mesma Universidade que foi execrada em praça pública, pela condução em procissão de seu féretro e inumação de seu cadáver (pasmem, juntamente com o anúncio da morte prematura de pelo menos três dezenas de seus professores – que vergonha o sindicato da categoria agourar mal tão nefasto a seus próprios filiados). Para além do mau gosto da manifestação, é salutar destacar que apregoam meias verdades, pois no mesmo passo que existe carência de professores na instituição, fato grave e que merece pronto socorro do Governo do Estado, não são todos os departamentos da instituição que sofrem dessa dificuldade. Há uma inadiável e delicada discussão que necessita ser travada no âmbito da Universidade, que diz respeito à adequada distribuição da carga horária dos seus docentes. A classe dos professores não se permite ser massacrada no cumprimento de sua carga horária; não pode abrir mão de horas dedicadas ao planejamento, à pesquisa e à extensão, é verdade. Muito menos, porém, poderá se comprazer com o fato de que alguns de seus docentes com carga horária máxima e recebendo gratificação de Dedicação Exclusiva se dediquem exclusivamente oito horas à sala de aula; não prestem contas adequadamente de suas atividades e produções acadêmicas e mesmo mantenham vínculo com outras instituições da região nas ocasiões em que são legalmente proibidos de tanto.

Não é responsável uma greve que dura já quase seis meses (três meses entre 2013 e 2014 e mais de dois a partir de setembro do presente ano). É de se ponderar o terrível prejuízo que vem sofrendo os discentes da instituição, privados sumariamente de seus sonhos e planos para o futuro, pois o fato lhes compromete não somente a qualidade do aprendizado, como notadamente o prazo de sua formação. Já se fala no cancelamento pura e simplesmente do semestre letivo, fazendo atrasar em pelo menos seis meses a graduação de todos os seus alunos. Menos ainda se pondera o prejuízo financeiro desses alunos, alguns, os que moram fora, obrigados a sustentar a habitação local sem dela fazerem uso; outros submetidos ao constrangimento de não poderem colar grau, pois o semestre letivo tende a ser cancelado ou pelo menos postergado, mesmo que tenham tantos alunos já galgado a meritosa posição de haverem sido aprovados em concursos públicos, mestrados, exame da OAB, entre outros. Tudo, sem falar do impacto à já cambaleante economia caririense causado pela ausência de mais de dez mil alunos diariamente, a de alguma forma impulsionar a economia local.

Não é responsável muito menos uma greve deflagrada em pleno processo eleitoral, quando sabidamente o governador retirante não pode se comprometer para o ano civil seguinte, conforme expressamente veta a vigente Lei de Responsabilidade Fiscal. Muito menos, o eleito tem poder legal para fazer avançar qualquer compromisso com o qual tenha se empenhado. Para quem serviria uma greve deflagrada em momento jurídico-político tão inapropriado, da qual antecedentemente já se sabia que nada de concreto poderia ser conquistado, senão os enviesados, espúrios e vergonhosos dividendos políticos? Mas é legítimo e ético a deflagração de uma greve em circunstâncias tais exclusivamente com o objetivo de construir uma candidatura de oposição à Reitoria da URCA, por meio da instrumentalização do sindicato dos docentes por um partido político? Não estar-se-ia a praticar a autofagia dentro da própria instituição? Se a greve é um direito consagrado no texto da nossa Constituição, como qualquer dos outros ali também afirmados, é de ser exercida dentro dos parâmetros da responsabilidade, consciência coletiva e defesa das instituições democráticas (em uma palavra, com razoabilidade), não da maneira distorcida com a qual vem se transmudando atualmente. Nessa conjuntura, não estaria havendo abuso do direito de greve?Afinal, é o exercício responsável dos direitos, não o seu abuso, que contribui verdadeiramente para o amadurecimento das instituições democráticas.

As pessoas de bem já se fartaram, advirta-se, da deflagração de uma greve que faz povoar os corredores da Universidade (antes cheios de alunos, professores, aulas e sobretudo sonhos de um futuro mais promissor a todos) da desértica solidão não somente de pessoal, mas sobretudo, de propósitos e seriedade na boa condução da luta proposta. É preciso se repovoar os corredores e salas de aula da URCA, sob pena de parecer à sociedade local e ao próprio Governo que deveras de pouco ou quase nada serve o vultoso investimento que anualmente os cofres do Estado do Ceará lega à fatigada Universidade Regional do Cariri. É pela produção dos nossos docentes; é pela dedicação dos nossos alunos que provaremos a necessidade e importância para a Região do Cariri e mesmo para todo o Estado do Ceará e alhures, da sua honrosa Universidade.

É neste campo em que se deveria travar a verdadeira batalha, não nos corredores tristes e desertos em que a transformaram!

Por: Jorge Emicles ( Colaborador do Blog do Crato )



Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30