xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 09/11/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

09 novembro 2014

Um Jornalista Distraído! - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

O que esperar de um jornalista? Que ele seja antes de tudo um vocacionado. Uma pessoa que abrace a profissão com isenção e vista-se com ela durante todos os segundos de sua vida. Um tipo que esteja antenado com a dinâmica da política e da vida em sociedade, da qual ele, além de testemunha, é um importante ator. Espera-se dele também honestidade na informação, muita vivacidade, clareza de redação e contínua atualização com a "Aldeia Global" na qual todos nós habitamos.

Pois não é que contrariando essas expectativas, há exceções? Aqueles que são tremendamente distraídos, que vivem no mundo da lua, mas tão bem escondidos, que parecem estar na face mais oculta do nosso satélite.

Havia no Rio de Janeiro dos últimos anos do Século XX, um jornalista tão distraído, cujas "voadas" faziam a alegria de todos os seus colegas de trabalho. Era mais conhecido pelo apelido de "Habi Sorto", nome fictício para o qual são dispensadas as necessárias justificativas. Não era por racismo, mas por puro hábito, que ele batizava qualquer interlocutor que não possuísse a pele totalmente branca pelo nome de "Moreno", apelido distribuído aos milhares de conhecidos dele ou não. 

Em certa tarde de um final de ano, "Habi Sorto" foi convidado para uma recepção que o poderoso dono da Rede Globo ofereceria à sociedade carioca em sua mansão do Cosme Velho. "Habi Sorto" passeou por todas as seções do jornal onde trabalhava, visitou cada um dos birôs de seus colegas, exibindo orgulhosamente o convite, mesmo sem lhe passar pela cabeça que seus colegas haviam sidos distinguidos com idêntica honraria.   

No dia marcado, "Habi Sorto" foi gentilmente recebido no portão de entrada da mansão por um senhor distinto, de tez levemente morena, vestido rigorosamente com uma casaca branca, calça escura e gravata borboleta. Ao cumprimentar os convidados, acompanhou o jornalista até a uma mesa reservada para imprensa, colocada nos jardins, à margem da passarela de entrada, na qual já se encontravam alguns colegas de "Habi Sorto". Este não perdeu tempo e logo ordenou ao acompanhante:
- Oh Moreno, traga um whisky e um salgado! - Em poucos minutos, o cidadão de casaca branca apareceu com uma bandeja numa mão, e uma garrafa de whisky "royal salute" na outra, tendo servido ao grupo de jornalistas que acompanhava "Habi Sorto".

À certa altura, notou-se uma grande movimentação nos jardins, com as pessoas se dirigindo para a entrada, pois anunciara-se a chegada do embaixador americano. "Habi Sorto" e os colegas foram assistir. O embaixador ao descer do carro abraçou calorosamente o anfitrião. E então, o jornalista "Habi Sorto" comentou com os colegas.
- Esse garçon, o Moreno, só quer ser o cão! Nunca vi sujeito mais metido! Pois não é que o bicho é conhecido até pelo embaixador americano?
- Esse Moreno, que você acha que é um garçon e, que ficou muito seu amigo a ponto de atender pessoalmente seus pedidos é o dono da casa, o Dr. Roberto Marinho, seu patrão!  -  Completaram seus colegas.

O nosso herói, o jornalista "Habi Sorto", campeão mundial de mancadas, murchou, procurou no chão algum buraco onde pudesse se enterrar e nada encontrou, somente grama. Pediu licença para ir ao banheiro e sumiu de vez!

Mais de vinte anos depois, "Habi Sorto" foi na visto no Estádio Olímpico de Porto Alegre, no meio da torcida do Grêmio, gritando o nome "Moreno!" para o goleiro do time adversário. Livrou-se de um processo por racismo graças a uma jovem, alguns degraus à sua frente, que pronunciava ofensas racistas bem mais graves.


Por Carlos Eduardo Esmeraldo 

 OBSERVAÇÕES:  Esse texto foi inspirado numa história que me foi contada pelo meu primo e amigo, o jornalista José Esmeraldo Gonçalves, para lembrar aos amigos que muitas vezes eu tenho meus momentos de "Habi Sorto".
***
Posteriormente a história que me foi narrada oralmente constou do livro: "Aconteceu na Manchete: as histórias que ninguém contou". Organização de Jose Esmeraldo Gonçalves e J. A. Barros, Rio de Janeiro, Desiderata, 2009; página 108. gentilmente cedido pelo autor. 
Abaixo, o texto original de autoria de José Esmeraldo Gonçalves, que se encontra no livro "Aconteceu na Manchete: as histórias que ninguém contou."

***
Me vê um uísque aí, moreno! -

Flávio Aquino, grande figura e crítico de arte da Manchete, era, diga-se, desligado. E bota desligado nisso. Ele mesmo contava uma historinha deliciosa. O poderoso Roberto Marinho convidou embaixadores e adidos culturais para uma recepção na sua mansão do Cosme Velho. Entre outros intelectuais, estava na lista o nosso Flávio. Ao chegar à mansão, ele logo tratou de pedir um uísque duplo ao primeiro "garçon" que encontrou. "Moreno, me vê uma dose com duas pedras de gelo, faz favor", decretou, dirigindo-se ao sorridente senhor de "summer" impecável e pele queimada do sol. Solicito, o "garçon" se mandou e logo retornou com o pedido prontamente cumprido. Flávio agradeceu e foi circular, de copo na mão, pelos salões da mansão. Papeando com amigos, não pôde deixar de notar que o "garçon" que o atendera era festejadíssimo pelos demais convivas. Embaixadores o abraçavam, jornalistas o paparicavam, enfim, o homem era a "alma" da festa. Antes de pedir mais uma dose de uisque, Flávio olhou melhor para a cara do sujeito e .... caiu-lhe a ficha. O "garçon" de branco e gravatinha borboleta era ninguém menos do que o anfitrião. O próprio Roberto Marinho. Flávio se mandou da festa sem se despedir do "Moreno".

Por José Esmeraldo Gonçalves
      
Nota:  Flávio Aquino era dono de uma vasta cultura. Foi arquiteto, jornalista e crítico de arte. Faleceu aos 67 anos, em 19 de janeiro de 1987.  




Imperdível: Programa "Fantástico" da Rede Globo focalizará uma cidade do Cariri neste domingo





Dando continuidade a série que investiga desvio de dinheiro da saúde e da comida de alunos no Ceará, neste domingo, o programa Fantástico, da Rede Globo, focalizará uma  reportagem sobre a corrupção nas prefeituras brasileiras,com detaque para duas cidades do Ceará. Uma delas no Cariri.

Fonte: Site do Fantástico

Obras da encosta do bairro Seminário serão concluídas até o fim de 2015

Fonte: Diário do Nordeste, Texto e fotos de Elizângela Santos (repórter)
Área vulnerável do Crato será contemplada com forte investimento no saneamento e urbanização

Serviços visam a conter a erosão local,
sobretudo  durante o período chuvoso


Crato. A primeira etapa das obras da Encosta do Seminário, no município do Crato, uma das mais importantes obras na área de saneamento e urbanização de uma localização de risco, terá sua primeira etapa concluída até o fim do ano. Será o trecho que vai da ladeira da Integração até a área de uma voçoroca, conhecida como 'vulcão', já soterrada e que já se encontra com cinco paredões de concreto pré-moldado à sua frente.
Os moradores comemoram esse primeiro momento de uma obra que não acreditavam que saísse do papel, tendo em vista a área de risco que residiam há muito tempo. Na primeira quinzena deste mês a área da encosta receberá visita técnica de avaliação dos serviços, com integrantes do Banco Mundial, Secretaria das Cidades do Estado do Ceará e secretarias municipais do Crato.
No local, ainda há casas marcadas com um 'x' para a retirada de moradores que serão encaminhados para moradias mais seguras, até que alguns deles possam ser beneficiados com as residências do programa 'Minha Casa, Minha Vida'. As primeiras estarão prontas apenas no fim do próximo ano. O município foi beneficiado com 1.578 moradias do programa, com construções executadas no bairro Barro Branco, na Cidade. 

Avanço

A Encosta do Seminário, segundo o secretário José Muniz, está tendo um avanço maior nos serviços em virtude das chuvas em dezembro. Moradores próximos ao Tiro de Guerra estão assustados e alertam sobre a retirada da vegetação da área da encosta e de possíveis deslizamentos. É que está sendo inserido também no começo da área, próximo à Ladeira da Integração, o paredão de concreto. Ele disse que a obra terá continuidade até a ladeira do Tamanqueiro, já no Centro da cidade. A área da encosta divide a parte baixa e a área alta da Cidade.
Na área onde vem sendo feita a primeira etapa, a rua já recebeu piso intertravado, área de lazer, praça, pista de skate, além de um mirante e anfiteatro. Moradores se animam com a valorização da área, com imóveis melhor avaliados. Na parte da encosta, conforme o secretário, haverá uma cobertura vegetal, para conter deslizamentos e oferecer a segurança necessária na área.
Para realizar a obra, foram retiradas do local mais de 100 famílias, todas assistidas pelo Banco Mundial, a Prefeitura do Crato e Secretaria das Cidades, com acompanhamento de assistentes sociais. Parte dos moradores está recebendo aluguel social e outros encaminhados para um conjunto habitacional, tanto na área do Liceu, como no bairro Muriti, onde foram construídas 80 moradias.
A moradora Ivânia Maria da Silva não esconde a sua alegria de ver crianças jogando bola na área que antes era um enorme buraco e que no período chuvoso deixava os moradores em pânico. Morar com o "vulcão" era um temor constante. "Hoje conseguimos ter a recuperação desse espaço, mas ainda aguardo os R$ 400 do aluguel, que disseram que estaria na minha conta desde agosto", diz. 

PT x PT: radicalismo do partido eleva pressão sobre Dilma

Fonte: Veja

Sigla quer 'hegemonia', cobra regulação da imprensa e democracia direta. Presidente, que nem sempre atende pautas da sigla, sinaliza que pode ceder

A relação de desafios do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff é extensa: além da deterioração do cenário econômico, a petista tem pela frente as investigações do petrolão e uma relação com o Congresso que já se prenuncia turbulenta. A julgar pelo tom da resolução aprovada pela Executiva do PT nesta semana, outro desafio somou-se à lista: aplacar o ímpeto extremista do partido. Diante da cobrança da sigla por ações em prol da hegemonia petista, duas questões se colocam de imediato. A primeira: ela quer fazê-lo? A segunda: se quiser, conseguirá? Dilma se valeu da agressividade petista durante a eleição, quando era preciso atacar os adversários. Mas, se der voz ao radicalismo do partido, se arrisca a perder o poder de diálogo com outras legendas e setores da sociedade.
"É urgente construir hegemonia na sociedade, promover reformas estruturais, com destaque para a reforma política e a democratização da mídia", diz o documento elaborado no dia 3 de novembro pela Executiva da sigla. Os dicionários Aurélio e Houaiss apresentam definições semelhantes para hegemonia: predomínio, supremacia, superioridade. Em ciência política, porém, a expressão costuma ser utilizada nos termos definidos pelo pensador italiano Antonio Gramsci, um comunista que defendia a "revolução cultural" no lugar de levantes armados. A hegemonia seria o predomínio ideológico de um grupo ou partido na sociedade. Esse parece ser o sentido do termo usado pelos PT, que nasceu num momento em que as ideias de Gramsci se espalhavam no país.

Dilma cede — Mas esse delicado equilíbrio pode mudar no segundo mandato. A vitória apertada de Dilma a deixa em dívida com o PT e com seu líder máximo, Luiz Inácio Lula da Silva. A presidente vai enfrentar uma oposição mais forte, dentro e fora do Congresso, e não pode simplesmente ignorar os pleitos do partido. E a presidente já dá sinais de que pretende ceder ao projeto petista de regulação da imprensa. Na mesma entrevista em que afirmou que "não representa o PT", admitiu que colocará em discussão um antigo desejo do partido, a regulação econômica dos meios de comunicação, sob o pretexto de combater monopólios. Assim como o controle de conteúdo, o fim do que o PT classifica como "monopólio dos meios de comunicação" sempre foi bandeira defendida nos projetos do partido para regulação da imprensa. Ao voltar sua artilharia contra os grandes grupos de comunicação, sempre alvo dos irados discursos petistas contra a imprensa, o partido pode tentar golpear a receita publicitária dos veículos de informação — o que poderia redundar, no futuro, no controle indireto do conteúdo pelo governo — ou talvez forçar a divisão de empresas (como fez a bolivariana Cristina Kirschner na Argentina com o grupo Clarín). A tentativa de criação dos conselhos populares é outro exemplo de concessão ao petismo "clássico". E a iniciativa já foi barrada pelo Congresso.
São frequentes as queixas, dentro do partido, de que a presidente não ouve os correligionários. Por outro lado, há reclamações no sentido oposto: governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, diz que o partido precisa trabalhar mais pelo governo: "Eu acho que o PT tem que se postar de uma maneira mais colaborativa com o governo", diz. Da relação com esse grupo complexo, frequentemente ambíguo, é que dependerá parte do sucesso do segundo mandato de Dilma.
                                                                   

Programação do terceiro dia da 16ª Mostra Sesc Cariri de Culturas


Neste domingo (9), as apresentações do núcleo de Artes Cênicas têm início às 10h, no Teatro Violeta Arraes, em Nova Olinda, com o espetáculo “No Embalo das Cores”, do grupo Trupe do experimento (RJ), que conta a história de um artista que está sem inspiração. O espetáculo “Conversa de Lavadeiras”, da Trupe Caba de Chegar (CE), é apresentado em Altaneira, às 16h, e conta a história de três mulheres que buscam se dar bem a todo custo. Às 19h, no Cine Teatro Miguel Arraes, em Araripe, é a vez da peça “Fim de Partida”, da Companhia Teatro Kaos (PR), que surge a partir de um homem que está num hospital a beira da morte. O espetáculo “O pequeno Ogum”, do cearense Edivaldo Batista, começa às 10h, no CCBNB de Juazeiro, e conta a história de um menino pequeno que sai de sua aldeia sem saber para onde ir.

O espetáculo “Ele”, de Rodrigo Caffer (SP), é apresentado às 19h, na Praça da Estação de Juazeiro, e conta a história de um homem e um elefante que buscam um acesso a um jardim suspenso. A peça “Cabeça Oca”, da Cia. Talagada (SP), que se apresenta na Marquise Branca, em Juazeiro, às 20h, é uma metáfora às atitudes desprovidas de razão. O espetáculo “Solamente Frida”, que faz parte do circuito Palco Giratório, é apresentado às 23h, no Teatro Patativa do Assaré, em Juazeiro, e mostra alguns aspectos da vida da pintora Frida Kahlo. A peça “Holoclownsto”, da Cia. Carioca Troupp Pas D’argent (RJ), acontece no CCBNB de Juazeiro, às 19h, e é encenada por seis clowns prisioneiros que se conhecem no vagão de um trem.
No Teatro Adalberto Vamozi, às 21h, no Crato, a peça “Uma Flor de Dama”, do Palco Giratório (CE), fala sobre uma noite na vida de um travesti. A peça “Teatro Lambe-Lambe – O pequeno Grande Teatro”, da Cia Mala Caixeta de Teatro Surpresa (SP), acontece às 16h, em Mauriti, e traz três histórias clássicas da literatura. A montagem “O Circo de Lampezão e Maria Bonita”, da Caravana Tapioca (PE), pode ser conferida em Abaiara, às 16h, e foi inspirada no universo do cangaço. O espetáculo “Blefes excêntricos”, do grupo Circo Dux (RJ), acontece às 10h, no Teatro Adalberto Vamozi, em Nova Olinda, e fala da disputa de duas pessoas pelo poder. A peça “Cuco – A Linguagem dos Bebês no Teatro”, da Cia. Caixa do Elefante (RS), acontece às 19h, na Sala de Ginástica da Unidade Crato do Sesc, e coloca a linguagem dos bebês como protagonista da história.

A montagem “Nascimento do Homem”, do grupo Panelinha de Teatro (CE), acontece no Cabaré Teatro, no Tênis Clube Crato, meia noite, e fala sobre o evolucionismo Darwiniano. A peça “Do Lixo Bela Fauna e Flora, Poesia, Batuque, Canto e Viola”, do grupo Projeto Boca de Lixo, é apresentada às 16h, no RFFSA, no Crato, e é uma aventura pelas diferentes culturas do país. Do grupo Teatro de Caixeiros (SP), a peça “Viajantes”, é apresentada em Antonina do Norte, às 16h, e é narrada por quatro viajantes que contam suas histórias. O espetáculo “O Biscateiro que deu um chute no saco do juiz”, do grupo cearense Os Cutubas, é apresentado em Várzea Alegre, às 16h, e fala de um biscateiro que encontra pertences de um juiz.

A peça “Anticorpo”, do pernambucano Saulo Uchôa, é apresentada às 19h, no Teatro Neroly, em Barbalha, e fala sobre a realidade e a vida. Às 19h, no Cine Teatro, em Brejo Santo, é apresentado o espetáculo “Cordelina”, de Odília Nunes (PE), que fala de uma boneca que não pode morrer. A peça infantil “Trueque”, da Cia. Animee (PE), é apresentada no Cine Teatro, em Brejo Santo, às 10h, e faz um encontro entre palhaços e crianças. Às 19h, o espetáculo “Como se fosse infância”, do grupo cearense Dois de Teatro, pode ser conferido no Teatro Violeta Arraes, em Nova Olinda, e traz o universo dos jogos infantis.

Já no núcleo das Artes Visuais, haverá três intervenções urbanas durante o dia. A primeira é a “Se essa rua fosse minha”, do Natal Portela (CE), nas ruas de Crato e Nova Olinda. Os desenhos do artista possuem traços minimalistas, que mesclam referências da xilogravura e do grafite. No Crato, o Ateliê Criativo traz o artista Mathieu Duvignaud (RN), a fim de propor uma reflexão da relação homem-natureza. Nas ruas de Juazeiro, o gaúcho Sandro Ka promove a intervenção urbana “Sorria! Você está sendo abençoado”, com reflexões sobre as reproduções midiáticas. No Anfiteatro Sesc, no Crato, às 20h, é a vez da performance “Cabeza – I am your father”, do grupo paulista Amor Experimental (SP), que é baseada numa luta com uma massa feita de farinha de trigo.

No núcleo de Audiovisual, às 15h, no Senac, no Crato, acontece a Mostra de Cinema Paraibano de Gênero, com um olhar singular para o cinema de gênero. No Senac, no Crato, às 9h, acontece a Oficina de Videoclipe Experimental, com o Coletivo Audiovisual Vicioclipes (PE), e contará sobre os conceitos do videoclipe e também do exercício prático. No CCBNB, em Juazeiro, às 16h, é apresentada a fábula “A Mulher que Amou o Vento”, de Ana Moravi (MG), que fala de uma mulher solitária que se envolve intimamente com o vento. Também será exibido o filme “Das Dores”, baseado nos textos de Eduardo Cordeiro, Zeca Barros e Taciana Oliveira.

Na programação de Literatura, às 14h, na Praça da Sé do Crato, é apresentada a contação de histórias “A História da Cidade Melão e Outros Contos Sufis”, da Cia do Solo (RJ), que reúne sete histórias que abordam aspectos da natureza humana. Da cordelista Jarid Arraes (CE), o cordel “Dora: A Negra e Feminista” é apresentado às 16h, no Espaço Biblioteca, no Crato, e aborda por meio de rimas temas como aborto e homossexualidade. Às 20h, na Praça da Sé do Crato, é apresentada a peça “O Guardião das Boas Notícias”, da Cia. Roupa de Invento (SP), que conta a história de um menino azul que carrega as boas notícias num teatro mágico.

No núcleo de Música, às 17h30, na Praça do Cruzeiro, no Crato, acontece o show “Choro Nosso de Cada Dia”, de Macaúba do Bandolim (CE), que interpreta os clássicos do choro. Na Unidade Juazeiro do Norte do Sesc, às 20h, é a vez do Show “Aláfia”, do grupo Aláfia (SP), unindo a Black Music com a música tradicional. Na RFFSA do Crato, haverá duas apresentações musicais. A primeira acontece às 21h, com a cantora Babi Mendes (SP), com o show “Short Stories”, interpretando grandes nomes do Jazz e Blues brasileiros. E às 23h, é a vez da cantora Bárbara Eugênia, tocando seu disco “É o que Temos”, que mistura música romântica e freak folk americano.

Serviço
Mostra Sesc Cariri de Culturas - Período: 7 a 12/11 
Informações: (88) 3512.3355


Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30