xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 07/11/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

07 novembro 2014

Mantega anuncia 'novo ciclo' na política econômica, mas analistas estão céticos

 

Guido-Mantega-na-reuniao-do-G20-em-Paris-size-598

Durante a campanha presidencial, a presidente Dilma Rousseff prometeu que faria um "governo novo, com ideias novas" para impulsionar a economia. Passada a votação, o governo tem de explicar não só o que exatamente vai mudar na política econômica, mas como esses "ajustes" serão capazes de colocar as contas públicas em dia e fazer o PIB voltar a crescer em ritmo acelerado.

Com este desafio, o ministro da Fazenda Guido Mantega procurou dar indicações, nesta sexta-feira, sobre como será o que ele definiu como o "novo ciclo" da política econômica brasileira, a ser iniciado em 2015.

Segundo o ministro, até agora o Brasil teria adotado uma política anti-cíclica para combater os efeitos da crise internacional.

Teriam feito parte dessa polítca a expansão do crédito via bancos públicos, a ampliação dos gastos do governo e uma tentativa de baixar o patamar dos juros - medidas que, segundo o ministro, teriam segurado o nível de emprego e criado um mercado interno "robusto".

A partir de 2015, porém, o país entraria no ciclo que o ministro definiu como de "consolidação fiscal" - o que, na prática, significa que o governo deve começar a cortar gastos e reduzir estímulos.

Leia mais: Medidas 'impopulares' rondam cenário pós-eleitoral

"(O desafio) é essa transição para um período pós-política anticíclica", disse Mantega, durante um seminário organizado pela FGV em São Paulo para discutir os desafios da Política Fiscal.

"A estratégia macroeconômica para iniciarmos esse novo ciclo de expansão é um ajuste tanto da política fiscal quanto da política monetária."

Segundo Mantega, entre as medidas que vêm sendo estudadas pelo governo estariam cortes em benefícios como o seguro-desemprego, o abono salarial, o auxílio-doença e a pensão por morte, que, segundo ele, representariam R$ 160 bilhões em gastos para o governo.

"Vamos trabalhar para reformar essas despesas para que logo elas estejam em declínio", prometeu.

Para a inflação, o ministro disse que o objetivo seria "uma convergência ao centro da meta (definido pelo Banco Central)", de 4,5%.

Outra medida que estaria sendo estudada pelo governo, de acordo com Mantega, seria a redução dos subsídios implícitos nos empréstimos do BNDES.

"(O corte de despesas) significa dar um subsídio menor nos empréstimos que são feitos, por exemplo, pelo BNDES", disse.

Mantega defendeu que no "novo ciclo" os bancos privados tenham um papel maior na concessão de crédito para investimentos e consumo, mas se recusou a responder se essa "redução dos subsídios" nos bancos públicos poderia significar um aumento da chamada TJLP - a taxa de juros de longo prazo, que incide sobre os empréstimos do BNDES.

Gastos
As declarações foram feitas dias depois de o governo anunciar que, em setembro, gastou além de sua arrecadação pelo quinto mês consecutivo e que não conseguirá fazer a economia que havia prometido para pagar os juros da dívida - descumprindo as chamadas metas fiscais.

Além das contas públicas, a inflação também tem se mostrado um grande desafio para o governo.

Na semana passada, o Banco Central aumentou os juros de 11% para 11,25% argumentando que a alta do câmbio criaria novas pressões inflacionárias.

É verdade que, nesta sexta-feira, o IBGE anunciou uma desaceleração da inflação - o IPCA ficou em 0,42% em outubro, contra 0,57% em setembro, o que foi interpretado pelo secretário de Política Econômica, Márcio Holland, como uma confirmação de que o índice estaria "convergindo para a meta".

Leia mais: Montadoras correm para driblar desaceleração

Mas o acumulado de 12 meses do IPCA continua em 6,59% - portanto, superior ao teto da meta do BC, de 6,5%.

"A questão é que, a essa altura, não adianta o governo anunciar cortes (de gastos), porque as metas anunciadas por eles não são mais críveis", comentou a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, no seminário da FGV.

"O que vai fazer mesmo a diferença é o nome de quem será o novo titular da Fazenda", opinou Eduardo Velho, economista chefe da INVX Global Partners.

Ainda na campanha, Dilma anunciou que Mantega não permaneceria no cargo no segundo mandato, e, agora, ela vem sendo pressionada pelo mercado para anunciar o substituto.

Há rumores de que dois nomes estariam sendo contados: o ex-secretário-executivo do ministério da Fazenda, Nelson Barbosa - que teria deixado o cargo por divergir de alguns aspectos da política econômica - e Henrique Meirelles, presidente do Banco Central durante o primeiro mandato de Lula.

"Se Meirelles for o escolhido, haverá um choque de credibilidade, porque o mercado acredita que ele de fato vai querer fazer um ajuste e vai levar as metas a sério. Já se o escolhido for Barbosa, vamos ter de esperar para ver qual plano de ajuste ele apresentará e se terá força suficiente para levá-lo adiante", opina Velho.

Em linha gerais o plano apresentado pelo governo até agora parece confiar que, ao colocar as contas em dia, se conseguirá ao mesmo tempo promover um "choque de credibilidade" para destravar investimentos e reduzir a pressão sobre a inflação, permitindo uma queda da taxa de juros no longo prazo.

Em um segundo momento, uma recomposição do crédito ajudaria a sustentar o processo de crescimento, como Mantega explicou no evento na FGV.

Para Vito Tanzi, ex-diretor do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI, o grande desafio do governo brasileiro é não só garantir que o ajuste vá na direção correta, mas também que seu ritmo seja o mais adequado.

"Se você for muito devagar, pode acabar não mudando nada. Se for muito rápido, pode criar problemas.", diz Tanzi.

"O governo na realidade precisa se empenhar em tornar os gastos mais eficientes, para que possa cortar gastos sem reduzir programas voltados para bem-estar da população."

Ruth Costas Da BBC Brasil em São Paulo

 


Ajustar contas públicas é desafio em novo mandato de Dilma Rousseff

Durante a campanha presidencial, a presidente Dilma Rousseff prometeu que faria um "governo novo, com ideias novas" para impulsionar a economia. Passada a votação, o governo tem de explicar não só o que exatamente vai mudar na política econômica, mas como esses "ajustes" serão capazes de colocar as contas públicas em dia e fazer o PIB voltar a crescer em ritmo acelerado.

Com este desafio, o ministro da Fazenda Guido Mantega procurou dar indicações, nesta sexta-feira, sobre como será o que ele definiu como o "novo ciclo" da política econômica brasileira, a ser iniciado em 2015.

Segundo o ministro, até agora o Brasil teria adotado uma política anti-cíclica para combater os efeitos da crise internacional.

Teriam feito parte dessa polítca a expansão do crédito via bancos públicos, a ampliação dos gastos do governo e uma tentativa de baixar o patamar dos juros - medidas que, segundo o ministro, teriam segurado o nível de emprego e criado um mercado interno "robusto".

A partir de 2015, porém, o país entraria no ciclo que o ministro definiu como de "consolidação fiscal" - o que, na prática, significa que o governo deve começar a cortar gastos e reduzir estímulos.

Leia mais: Medidas 'impopulares' rondam cenário pós-eleitoral

"(O desafio) é essa transição para um período pós-política anticíclica", disse Mantega, durante um seminário organizado pela FGV em São Paulo para discutir os desafios da Política Fiscal.

"A estratégia macroeconômica para iniciarmos esse novo ciclo de expansão é um ajuste tanto da política fiscal quanto da política monetária."

Segundo Mantega, entre as medidas que vêm sendo estudadas pelo governo estariam cortes em benefícios como o seguro-desemprego, o abono salarial, o auxílio-doença e a pensão por morte, que, segundo ele, representariam R$ 160 bilhões em gastos para o governo.

"Vamos trabalhar para reformar essas despesas para que logo elas estejam em declínio", prometeu.

Para a inflação, o ministro disse que o objetivo seria "uma convergência ao centro da meta (definido pelo Banco Central)", de 4,5%.

Outra medida que estaria sendo estudada pelo governo, de acordo com Mantega, seria a redução dos subsídios implícitos nos empréstimos do BNDES.

"(O corte de despesas) significa dar um subsídio menor nos empréstimos que são feitos, por exemplo, pelo BNDES", disse.

Mantega defendeu que no "novo ciclo" os bancos privados tenham um papel maior na concessão de crédito para investimentos e consumo, mas se recusou a responder se essa "redução dos subsídios" nos bancos públicos poderia significar um aumento da chamada TJLP - a taxa de juros de longo prazo, que incide sobre os empréstimos do BNDES.

Gastos
As declarações foram feitas dias depois de o governo anunciar que, em setembro, gastou além de sua arrecadação pelo quinto mês consecutivo e que não conseguirá fazer a economia que havia prometido para pagar os juros da dívida - descumprindo as chamadas metas fiscais.

Além das contas públicas, a inflação também tem se mostrado um grande desafio para o governo.

Na semana passada, o Banco Central aumentou os juros de 11% para 11,25% argumentando que a alta do câmbio criaria novas pressões inflacionárias.

É verdade que, nesta sexta-feira, o IBGE anunciou uma desaceleração da inflação - o IPCA ficou em 0,42% em outubro, contra 0,57% em setembro, o que foi interpretado pelo secretário de Política Econômica, Márcio Holland, como uma confirmação de que o índice estaria "convergindo para a meta".

Leia mais: Montadoras correm para driblar desaceleração

Mas o acumulado de 12 meses do IPCA continua em 6,59% - portanto, superior ao teto da meta do BC, de 6,5%.

"A questão é que, a essa altura, não adianta o governo anunciar cortes (de gastos), porque as metas anunciadas por eles não são mais críveis", comentou a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, no seminário da FGV.

"O que vai fazer mesmo a diferença é o nome de quem será o novo titular da Fazenda", opinou Eduardo Velho, economista chefe da INVX Global Partners.

Ainda na campanha, Dilma anunciou que Mantega não permaneceria no cargo no segundo mandato, e, agora, ela vem sendo pressionada pelo mercado para anunciar o substituto.

Há rumores de que dois nomes estariam sendo contados: o ex-secretário-executivo do ministério da Fazenda, Nelson Barbosa - que teria deixado o cargo por divergir de alguns aspectos da política econômica - e Henrique Meirelles, presidente do Banco Central durante o primeiro mandato de Lula.

"Se Meirelles for o escolhido, haverá um choque de credibilidade, porque o mercado acredita que ele de fato vai querer fazer um ajuste e vai levar as metas a sério. Já se o escolhido for Barbosa, vamos ter de esperar para ver qual plano de ajuste ele apresentará e se terá força suficiente para levá-lo adiante", opina Velho.

Em linha gerais o plano apresentado pelo governo até agora parece confiar que, ao colocar as contas em dia, se conseguirá ao mesmo tempo promover um "choque de credibilidade" para destravar investimentos e reduzir a pressão sobre a inflação, permitindo uma queda da taxa de juros no longo prazo.

Em um segundo momento, uma recomposição do crédito ajudaria a sustentar o processo de crescimento, como Mantega explicou no evento na FGV.

Para Vito Tanzi, ex-diretor do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI, o grande desafio do governo brasileiro é não só garantir que o ajuste vá na direção correta, mas também que seu ritmo seja o mais adequado.

"Se você for muito devagar, pode acabar não mudando nada. Se for muito rápido, pode criar problemas.", diz Tanzi.

"O governo na realidade precisa se empenhar em tornar os gastos mais eficientes, para que possa cortar gastos sem reduzir programas voltados para bem-estar da população."

Ruth Costas Da BBC Brasil em São Paulo

EUA dobram número de tropas no Iraque

obamairaque
O presidente americano, Barack Obama (Kevin Lamarque/Reuters)
O presidente Barack Obama autorizou o envio de mais 1.500 homens ao país
O governo dos Estados Unidos autorizou nesta sexta-feira o envio de mais 1.500 militares para o Iraque. As tropas devem auxiliar as forças de segurança que lutam contra os terroristas do Estado Islâmico (EI), sem se envolver em batalhas. Segundo o Pentágono, os soldados irão treinar dar assessoria ao Exército iraquiano. A medida elevará para 2.900 o número total de tropas dos EUA no território iraquiano.

O governo americano afirmou que o reforço atende a um pedido do Iraque. O Pentágono destacou que os novos enviados terão a missão de erguer diversas bases ao redor do país. Cada instalação terá a capacidade de fornecer treinamento para nove militares iraquianos e três curdos, informou a rede britânica BBC.

De acordo com o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, Obama enviará ao Congresso americano um pedido de 5,6 bilhões de dólares (mais de 14 bilhões de reais) para financiar  operações no exterior, incluindo 1,6 bilhão de dólares para treinar e equipar tropas iraquianas. A solicitação é feita mais de quatro anos depois de o presidente Barack Obama ter anunciado oficialmente o fim da guerra no Iraque, que consumiu mais de 800 bilhões de dólares dos cofres americanos.

Na última terça-feira, as eleições de meio mandato impuseram ao presidente uma dura derrota com os republicanos passando a controlar o Senado a partir do ano que vem. O Congresso nas mãos da oposição deve impôr ainda mais dificuldades a Barack Obama em seus dois últimos anos no poder.

"Acreditamos que este pedido é uma oportunidade para o Congresso e a administração trabalharem juntos para fornecer os recursos adicionais que são necessários para dizimar e derrotar de uma vez o EI. Estamos confiantes de que poderemos trabalhar com os congressistas para assegurar este financiamento", afirmou Shaun Donovan, diretor financeiro da administração Obama, à rede CNN.

Veja

Líderes de China e Japão devem retomar contato

japan-china-flagRepresentantes de China e Japão se encontraram nesta sexta-feira (7) para reiniciar uma aproximação e tratar de um assunto importante para a relação entre as duas nações: a soberania do arquipélago de Senkaku (em japonês) ou Diaoyu (em chinês).

Yang Jiechi, conselheiro de Estado chinês e Shotaro Yachi, conselheiro de Segurança Nacional do Japão, se encontraram em Pequim e retomaram negociações sobre a situação das ilhas. O assunto foi responsável pelo silêncio de dois anos entre os governos dos dois países.

O evento abriu caminho para um provável encontro entre os líderes Xi Jinping, presidente chinês, e Shinzo Abe, premier do Japão, na próxima semana, durante o Encontro de Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC), em Pequim.

Apesar de ser atualmente  controlado pelo Japão, a China reivindica o direito sobre o arquipélago. Em 2012, o Japão iniciou o processo de nacionalização das ilhas, ao negociar com a família Kurihara, proprietária das terras. Pequim viu o movimento como provocação e desde então, o contato entre os países ficou estremecido

Agência ANSA

Ucrânia denuncia a entrada de tanques russo no leste separatista

ucraniatanque

Imagem Ilustrativa

As autoridades de Kiev denunciaram nesta sexta-feira a incursão de 32 tanques, peças de artilharia e soldados procedentes da Rússia no leste da Ucrânia, reduto dos separatistas pró-russos, onde nas últimas 24 horas morreram cinco militares e mais de 30 pessoas ficaram feridas.

Trata-se de um dos balanços de vítimas mais graves desde a trégua que entrou em vigor em 5 de setembro passado, mas que, até agora não conseguiu resolver o conflito.

"Trinta e dois tanques, 16 obuses e 30 caminhões militares Kamaz com tropas entraram na Ucrânia oriundos da Rússia e se dirigem para a cidade de Krasny Luch, em Lugansk", declarou um porta-voz ucraniano, Andrei Lysenko.

Outra coluna de caminhões que transportam equipamentos de rádio cruzou a fronteira pela passagem de Izvarin, em poder dos separatistas, acrescentou.

O porta-voz também falou de "cinco militares mortos e outros 16 feridos nas últimas 24 horas".

Na cidade de Donetsk, principal reduto rebelde, 15 civis ficaram feridos na quinta-feira por fragmentos de obus perto do aeroporto, onde os separatistas pró-russos e as forças de Kiev se enfrentam há meses.

Nesta sexta-feira, cerca de 150 pessoas participaram no funeral de dois adolescentes mortos na quarta-feira em um bombardeio perto de uma escola em Donetsk. Kiev e os rebeldes se acusam mutuamente de serem os responsáveis.

"É preciso evitar que volte a acontecer uma coisa assim, é preciso parar com a guerra", afirmou o prefeito da cidade, Igor Martynov.

A situação se agravou depois das eleições de domingo passado, organizadas pelas autoproclamadas República Popular de Donetsk e República Popular de Lugansk, duas entidades rebeldes.

A Rússia indicou nesta sexta-feira que "respeita" os resultado das eleições, mas que "reconhecer" a votação, como tem denunciado Kiev e os ocidentais, era "uma palavra diferente".

"A princípio, respeitamos a expressão da vontade daqueles que participaram da votação", declarou o assessor do Kremlin para as questões internacionais, Yuri Ushakov.

"A posição oficial da Rússia foi expressada em um comunicado breve, mas claro, do ministério das Relações Exteriores sobre os resultados das eleições" nos territórios sob controle dos insurgente, acrescentou.

"Foi utilizada a palavra 'respeito' de forma deliberada", garantiu.

Tais eleições fragilizaram ainda mais a trégua e fazem temer uma nova ofensiva rebelde.

O vice-ministro russo das Relações Exteriores pediu o restabelecimento do diálogo com os rebeldes.

Depois das eleições, o governo ucraniano adotou uma série de medidas para isolar ainda mais a região e evitar que "o câncer se estenda", segundo palavras do presidente Petro Poroshenko.

Entre outras medidas, o governo impôs o controle de passaportes perto da zona rebelde e anunciou a supressão de ajudas públicas, principalmente pensões, aos habitantes que não voltarem a viver nos territórios controlados por Kiev.

O governo quer, em médio prazo, congelar todas as subvenções para esta região, que, segundo Kiev, chegam a 34 bilhões de grivnas (1,8 bilhão e euros) ao ano.

A União Europeia anunciou, por sua parte, uma reunião de seus ministros das Relações Exteriores no próximo dia 17 de novembro para falar de novas sanções contra Moscou.

A Rússia já está sob um regime de sanções desde que, em março, anexou a península ucraniana da Crimeia e como reação internacional à derrubada de um avião comercial, que foi atingido por um míssil disparado do território rebelde ucraniano.

Fonte: AFP

Militares contestam versão de O'Neill sobre bin Laden

oneillO'Neill disse ter dado o tiro fatal que matou o terrorista

Após três anos de silêncio sobre a identidade do atirador que matou o ex-líder da Al-Qaeda Osama bin Laden, outros militares começaram a reclamar a autoria dos disparos e a contestar a versão apresentada pelo soldado Rob O'Neill.

    Nesta semana, o jornal britânico "Daily Mail" informou que o tiros que mataram o terroristas mais procurado da história partiram da arma de Rob O'Neill, de 38 anos, um dos membros da equipe dos Navy Seals que participaram da missão de captura de bin Laden em 1 de maio de 2011, em Abbottabad, no Paquistão.

    No entanto, de acordo com reportagem do "New York Times" nesta sexta-feira (7), um militar norte-americano ainda integrante da equipe Navy Seals disse, em condição de anonimato, que outros soldados teriam disparado antes de Rob O'Neill. Ele contou que bin Laden foi derrubado por dois homens antes de O'Neill chegar. Um deles seria Matt Bissonnette, autor do livro "Não Há Dia Fácil" (2012), que narra a missão em Abbottabad.

    Em seu relato à imprensa, O'Neill, por sua vez, afirmou ter atirado duas vezes contra a cabeça de bin Laden, depois de um soldado avistar o terrorista e errar o primeiro disparo. "São duas pessoas diferentes, contando duas histórias diferentes por dois motivos diferentes", disse Bissonnette, ao ser contatado pela emissora NBC. O oficial já respondeu a um processo aberto pelo Departamento de Justiça e pela Marinha dos EUA por ter divulgado informações secretas em seu livro, sem autorização.

    Já O'Neill será protagonista de um documentário da FOX na próxima semana, cujo título é "The Man Who Killed bin Laden" ("O Homem que Matou bin Laden", na tradução).

    "Três anos e meio depois da missão em Abbottabad, os eventos continuam sendo objeto de fascinação, mas também controvérsias.

    Talvez nunca seja possível dizer exatamente quem deu o tiro fatal, já que havia muitos homens armados vestindo óculos de visão noturna e se deslocando rapidamente pela mansão do líder da Al-Qaeda", ressaltou o "New York Times". Bin Laden foi morto em uma complexa operação conduzida pelo Team 6 dos Navy Seals. Ele foi encontrado em uma mansão com forte esquema de segurança e na companhia de algumas mulheres. Nunca foram reveladas informações, fotos ou vídeos sobre a ação. O governo norte-americano também não informa a localização do corpo do ex-líder da Al-Qaeda. (ANSA)

Agência ANSA

Líderes de China e Japão devem retomar contato

japan-china-flagRepresentantes de China e Japão se encontraram nesta sexta-feira (7) para reiniciar uma aproximação e tratar de um assunto importante para a relação entre as duas nações: a soberania do arquipélago de Senkaku (em japonês) ou Diaoyu (em chinês).

Yang Jiechi, conselheiro de Estado chinês e Shotaro Yachi, conselheiro de Segurança Nacional do Japão, se encontraram em Pequim e retomaram negociações sobre a situação das ilhas. O assunto foi responsável pelo silêncio de dois anos entre os governos dos dois países.

O evento abriu caminho para um provável encontro entre os líderes Xi Jinping, presidente chinês, e Shinzo Abe, premier do Japão, na próxima semana, durante o Encontro de Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC), em Pequim.

Apesar de ser atualmente  controlado pelo Japão, a China reivindica o direito sobre o arquipélago. Em 2012, o Japão iniciou o processo de nacionalização das ilhas, ao negociar com a família Kurihara, proprietária das terras. Pequim viu o movimento como provocação e desde então, o contato entre os países ficou estremecido

Agência ANSA

Relógio homenageia 25 anos da queda do Muro de Berlim

relogiodomuro
Berlin-DNA: linha vermelha representa Muro, enquanto traços azuis representam Rio Esprei

Raphael Calles, do WatchTime Brasil

São Paulo - O próximo domingo, dia 09 de novembro, celebra 25 anos da queda do muro de Berlim.

Este fato, tão importante para a história recente mundial, ficou marcado no coração de muitos, seja para aqueles que viveram na região dividida, ou para aqueles que assistiam aos momentos de tensão a milhares de quilômetros de distância.

Para celebrar a data, a relojoaria Romain Jérôme, em parceria com The East Side Gallerie – maior galeria de arte a céu aberto do mundo, localizada em Berlim –, lançou o modelo Berlin-DNA.

Da mesma forma, o coração do relógio retrata a cidade dividida, com os devidos relevos que retratam com precisão o mapa de Berlim.

Uma linha vermelha representa o Muro, enquanto traços azuis representam o Rio Espreia, que corta a cidade.

O traçado vermelho é revestido com um acabamento Super-LumiNova verde, enquanto o rio possui luminescência azul.

O design do mostrador, ainda, foi inspirado na queda do muro, que ocorreu após uma grande escuridão na cidade.

Desta forma, todas as ruas e espaços livres da cidade brilham quando estão em um ambiente escuro.

A parceria colaborativa com The East Side Gallerie permitiu que a marca coletasse fragmentos do muro, que foram incorporados dentro do mostrador do relógio.

O verso da caixa apresenta uma das mais famosas obras apresentadas na galeria a céu aberto.

Chamada “The Brother kiss”, do artista russo Dmitri Vrubel, a obra apresenta o líder soviético Leonid Brezhnev e o presidente da Alemanha oriental Erich Honnecker se beijando.

Tudo isso está abrigado na caixa de 46mm feita de aço, com revestimento PVD e um bisel feito em cerâmica.

Internamente, o que dá horas e minutos é o movimento de corda manual RJ001-A, que oferece 42 horas de reserva de energia.

O acabamento do relógio é dado por uma pulseira de couro de crocodilo preta.

A peça é limitada a apenas 25 unidades – representando o aniversário da queda.

Cada relógio será comercializado por US$ 15.950. O preço não inclui impostos e taxas. A marca não possui representação no mercado brasileiro.

Exame

Exportação de café do Brasil pode ter volume recorde em 2014

cafe
Plantação de café em uma fazenda em São Gerardo, no interior de Minas Gerais

Roberto Samora, da REUTERS

São Paulo - O Brasil deverá exportar um volume recorde de café de cerca de 36 milhões de sacas em 2014, ano em que registrou a sua pior seca nas lavouras, com impactos na produção, estimou nesta sexta-feira o Cecafé, a associação dos exportadores do país.

Considerando a produção e o consumo interno do Brasil, a previsão do Cecafé de exportações brasileiras indica que os estoques do país de safras anteriores seriam consumidos, em meio a preços mais altos que têm impulsionado as vendas para o exterior.

A última safra brasileira, afetada pela seca, foi oficialmente estimada em 45 milhões de sacas, enquanto o consumo interno é visto pela indústria em quase 21 milhões de sacas em 2014.

O diretor-geral do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Guilherme Braga, comentou em nota que o mercado mundial continua receptivo ao café brasileiro, com exportações do país de janeiro a outubro crescendo 15,4 por cento ante o mesmo período do ano anterior, para 29,96 milhões de sacas.

"O volume de café de qualidade produzido e exportado pelo Brasil também vem apresentando bons resultados, apesar da seca ter provocado uma redução no tamanho do grão. Ainda assim, a safra pode ser entendida como de boa qualidade, o que ajuda a vender", declarou Braga.

Em outubro, segundo o Cecafé, o Brasil exportou volumes perto de recordes.

A exportação de café verde do Brasil no mês passado somou 3,04 milhões de sacas, alta de 4,6 por cento ante o mesmo mês de 2013, com o aumento sendo impulsionado por um crescimento nos embarques de café robusta, que somaram 276 mil sacas (alta de 179 por cento).

Os embarques de café arábica, variedade que responde por grande parte das exportações brasileiras, somaram 2,76 milhões de sacas, queda de 1,6 por cento na comparação anual.

Considerando o café industrializado e o grão verde, as exportações brasileiras totais somaram 3,26 milhões de sacas em outubro, alta de 0,9 por cento.

"No mês de novembro e dezembro a tendência é que essa situação se mantenha", afirmou Braga, acrescentando que isso indica que o Brasil deve "fechar o ano civil com aproximadamente 36 milhões de sacas exportadas (incluindo o produto verde e industrializado)".

O recorde anterior de embarques do Brasil foi registrado em 2011, quando as exportações somaram 33,8 milhões de sacas.

O preço do café arábica atingiu recentemente uma máxima de dois anos e meio na bolsa de Nova York, impulsionadas por preocupações quanto ao volume da safra do Brasil em 2014 e em 2015, após longos períodos recentes de seca nas regiões produtoras do país.

As cotações mais altas têm ajudado negócios de exportação do Brasil.

BMW cria postes com tomadas para recarregar carros elétricos

carro-eletrico-na-alemanha
Sean Gallup/Getty Images

Carro elétrico: estações de recargas podem ser usadas pelo maior número de motoristas possível, independentemente do modelo do veículo

Frankfurt - A BMW desenvolveu postes de iluminação equipados com tomadas para carregar carros elétricos, disse a montadora nesta sexta-feira, que fará um projeto piloto em Munique no ano que vem usando redes de luz existentes.

A BMW disse que criou dois protótipos de postes de "iluminação e recarga" que combinam eficientes luzes LED com estações de recarga para carros elétricos ChargeNow da companhia.

"Infraestrutura de recarga perfeitamente integrada é essencial se queremos ver mais veículos elétricos nas ruas de nossas cidades no futuro", disse o membro do Conselho da BMW, Peter Schwarzenbauer.

O projeto piloto em Munique vai instalar os primeiros postes de recargas, que podem ser implantados diretamente na infraestrutura de iluminação de rua existente da autoridade local, disse a BMW.

Estas estações de recargas podem ser usadas pelo maior número de motoristas possível, independentemente do modelo do veículo e do fornecedor de eletricidade, disse a BMW.

Dois postes já estão instalados na frente da sede da BMW. Os motoristas poderão pagar a recarga de seus carros via aplicativo para celulares. A BMW desenvolveu alguns dos mais avançados carros elétricos, incluindo o i3 e o híbrido i8. No entanto, carros elétricos como categoria de produto têm enfrentado dificuldades para ganhar popularidade devido ao alcance operacional limitado, à escassez de estações de recarga e o tempo necessário para recarregá-los.

Da REUTERS

Inscrições para estudantes no Festiva de Música na Ibiapaba se encerram nesta sexta-feira

musicanaibiapaba
As inscrições para estudantes de música interessados em participar do XI Festival Música na Ibiapaba se encerram nesta sexta-feira (7/11).  A décima primeira edição do Festival Música na Ibiapaba acontecerá entre os dias 15 e 22 de novembro, em nove municípios da região serrana, entre eles Viçosa do Ceará, Tianguá e Ubajara, além de Sobral. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo sitewww.festivalmusicaibiapaba.com.
Com uma programação diversa e gratuita de shows, oficinas e cursos de teoria e de prática musical, o festival, realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) e pela Associação dos Produtores de Cultura do Ceará (Prodisc), mantém sua característica de um evento de formação musical, oferecendo aos participantes a oportunidade de convivência com instrumentistas, intérpretes, pesquisadores e professores, cearenses e de outros estados.
Este ano, além de estudantes de música, o festival também selecionou 20 professores por meio de edital. Eles deverão compor a equipe pedagógica do evento, ministrando um total de 40 oficinas de música.
Outra novidade é a programação de shows que circulará pelas cidades. Entre as atrações confirmadas estão jovens talentos do Ceará comoo cantor e compositor Marcos Lessa, que fará o show de encerramento do festival, e a cantora Lídia Maria. Fazem também parte do circuito de shows o trombonista  paulista Jorginho Neto, o quarteto carioca de clarinetas Ômega, o grupo cearense de choro Murmurando, entre outros.
XI Festival Música na Ibiapaba
De 15 a 22 de novembro, em Viçosa do Ceará, Croatá, Carnaubal, Guaraciaba do Norte, Ibiapina, Ipu, São Benedito, Sobral, Tianguá e Ubajara.
Realização: Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Ceará.
Produção executiva: Prodisc.
Parceria: Prefeituras dos municípios participantes.
www.festivalmusicaibiapaba.com Inscrições gratuitas, até 7 de novembro, para estudantes de música.
Informações: 3262-5011.

Flavio Pinto News

221 candidatos ainda não prestaram contas à Justiça Eleitoral do Ceará

eleicoes2014

Do total de 862 candidatos, 221 ainda não prestaram contas à Justiça Eleitoral do Ceará (25,64%), sendo 170 ao cargo de deputado estadual (26,65%) e 48 ao cargo de deputado federal (22,22%). Os candidatos que concorreram no 2º turno das eleições têm até dia 25 de novembro para entregar as suas prestações de contas de campanha.
Os candidatos inadimplentes serão notificados a apresentá-las e, caso permaneça a omissão, as suas prestações de contas serão julgadas como não prestadas, o que acarretará "o impedimento de obter a certidão de quitação eleitoral até o final da legislatura, persistindo os efeitos da restrição após esse período até a efetiva apresentação das contas", conforme arts. 38, § 3º, e 58, I, da Resolução TSE n.º 23.406/2014. Ao partido político, a não prestação de contas pode acarretar a perda do direito ao recebimento da quota do Fundo Partidário
O TRE-CE esclarece ainda que o dever de prestar contas alcança a todos os candidatos, eleitos ou não, incluindo os que renunciaram, foram substituídos ou tiveram seus registros de candidatura indeferidos, além dos diretórios partidários estaduais e seus respectivos comitês financeiros.
Nem mesmo a ausência de movimentação de recursos de campanha, quer sejam financeiros ou estimáveis em dinheiro, se traduz em justificativa suficiente para isentar o candidato, o partido político e o comitê financeiro do dever de prestar contas na forma estabelecida na legislação de regência da matéria.


(TRE-CE)

Justiça nega proibição do Ironman no Ceará no mesmo horário do Enem

ironmanProva de ciclismo é a que causará mais impacto na chegada dos candidatos ao Enem em Fortaleza (Foto: Divulgação)

Ministério Público do Ceará pediu que Enem e Ironman ocorram em horários diferentes. Para MP, 'trânsito caótico' e desvios podem atrasar candidatos do Enem
O juiz Emílio de Medeiros Viana, da 15ª Vara da Fazenda Pública do Fórum Clóvis Beviláqua, negou, nesta sexta-feira (7), pedido do Ministério Publico do Estado do Ceará, para proibir que o Ironman ocorresse no mesmo horário das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (9). Na decisão, o juiz argumenta que a prova de triatlo havia sido planejada e divulgada há mais de um ano e que apenas depois o Ministério da Educação divulgou as datas do Enem.

O magistrado diz ainda, que, como é uma prova de âmbito nacional, em qualquer que fosse a data escolhida, “acabaria por ensejar dificuldades com eventos locais, em ou outro ponto do território nacional”.
Ele cita como exemplo o município de São Paulo, onde será realizado no domingo (na mesma data e horário do Enem), o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, evento que movimenta milhares de pessoas e que “em momento algum, contudo, cogitou-se de impedir a realização do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1 por conta do Enem". Ele acrescenta que não se pode “simplesmente inviabilizar um dos eventos, para privilegiar o outro, sem que haja norma constitucional ou legal que o autorize”.
O Ministério Público do Estado do Ceará havia pedido na quinta-feira (6), por meio de ação civil pública, a proibição da realização do Ironman no mesmo horário que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
O Enem ocorre neste sábado e domingo; e o Ironman, no domingo. A competição esportiva é a principal competição de triatlo do mundo, e os 50 mais bem colocados ganham vaga para a etapa final do evento, no Havaí.
Na ação, o MP citava o "receio de dano irreparável aos milhares de estudantes inscritos no Enem, em contraste com apenas 1.200 atletas participantes no evento esportivo internacional".
Ainda de acordo com a ação, os promotores entendem que a coincidência dos dois eventos em uma cidade com “trânsito caótico” como Fortaleza, impõe à administração pública o dever de atender ao interesse público. “No caso, tendo em vista a impossibilidade de realização de um evento sem prejudicar outro, harmonizando-os, deve a autoridade eleger a opção que mais atenda ao interesse público”, diz a ação.

Operação especial
Nesta quinta-feira (5), em coletiva do Ironman, no Marina Park Hotel, a AMC divulgou uma operação especial com uma série de alterações no trânsito em Fortaleza para a realização do Enem e da prova de triatlo. Com as mudanças, a AMC recomenda que os alunos se desloquem para os locais de prova com três horas de antecedência.
As provas do Enem serão realizadas no sábado (8) e domingo (9), quando mais de 596 mil estudantes farão provas em Fortaleza. No mesmo domingo (9), a Capital cearense também recebe o Ironman Brasil. Será a primeira vez que uma etapa da competição será disputada na cidade. A prova é classificatória para a final do Mundial de Ironman 2015, que ocorre no Havaí-EUA.

O Ironman tem início marcado para as 5h50min (de Fortaleza) e o último competidor tem previsão de cruzar a linha de chegada no fim do domingo. O Enem começará ao meio-dia (de Fortaleza) e 13 horas (de Brasília). Mas os alunos precisam estar no local de prova com uma hora de antecedência.
Entre 6 horas e 8h30min, uma faixa das avenidas Pessoa Anta, Historiador Raimundo Girão, Beira-Mar, Engenheiro Alberto Sá, Engenheiro Santana Júnior e Washington Soares - que compreendem diferentes bairros da Capital cearense - ficará reservada para a circulação dos ciclistas e as demais faixas continuarão destinadas ao tráfego de veículos. De 7h20 às 17 horas, o trânsito também será compartilhado na CE-040 até Pindoretama, a 40 quilômetros de Fortaleza. O mesmo ocorrerá no percurso de volta.
Todos os cruzamentos ao longo do trecho da competição estarão bloqueados em horários determinados, o que exigirá atenção dos motoristas. O acesso a estas vias interditadas deve ser realizado conforme orientação da autoridade de trânsito.

Operação resulta em 436 prisões, sendo 10 no Ceará

operacao

Operação envolveu 20 estados. Cerca de 5 toneladas de drogas foram apreendidas. Entre os presos cearenses está Noé de Paula. Com mandado de prisão em aberto por homicídio, ele se preparava para uma saidinha bancária

A ação foi avaliada em videoconferência entre os representantes das pastas de Segurança dos estados, com a participação do ministro da Justiça, Eduardo Cardozo

No intervalo de 48 horas, 436 pessoas foram presas, em flagrante ou pelo cumprimento de mandados, durante a operação “Brasil Integrado -Ação Fronteiras e Nordeste”, realizada de forma simultânea em 20 estados do País, entre a terça e quarta-feira últimas. Dez dessas pessoas foram capturadas no Ceará. Pelo País, cerca de 5 toneladas de drogas, 100 armas de fogo, 1,7 mil munições e 427 veículos foram apreendidos.

O levantamento foi feito pelo Ministério da Justiça, responsável pela operação. A medida tem como objetivo o combate ao crime organizado, em especial às quadrilhas interestaduais especializadas na prática de roubos a bancos com uso de explosivos, tráfico de drogas, armas e envolvidas com homicídios.

Participaram da ação os nove estados do Nordeste e 11 estados que fazem fronteiras com os países da América do Sul. O trabalho envolveu cerca de 20 mil profissionais das Polícias Federal (PF), Rodoviária Federal (PRF), Militar (PM) e Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Secretaria da Fazenda (Sefaz).

Operação local

No Ceará, a operação foi coordenada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e contou com a participação de 1.782 agentes. Desses, 1.262 são da Polícia Militar, 406 da Civil, 12 dos CBM, 12 da PF, 70 da PRF e 20 homens da Abin e Sefaz.

Foram montadas 161 barreiras e bloqueios policiais, que resultaram na abordagem de 5.108 pessoas. Foram revistados 3.230 veículos entre carros, motocicletas, ônibus e caminhões. Desses, 11 foram recolhidos por problemas da documentação ou queixa de roubo. Dois adolescentes também foram apreendidos no Estado, além de duas armas e seis munições.

Dentre as dez prisões efetuadas, duas se deram por força de mandados de prisão em aberto. Um deles era Noé de Paula Moreira, que tinha mandado de prisão em aberto por homicídio. Apontado também como articulador de roubos a bancos, ele foi capturado enquanto se preparava para praticar uma saidinha bancária no bairro Farias Brito.

Fuga de presídio

Noé foi capturado por homens da Coordenadoria de Inteligência da SSPDS e da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), após ter sido delatado por seus comparsas, segundo a Polícia. Ele estava em uma residência, no bairro Henrique Jorge, onde foi encontrada uma pistola calibre 9 milímetros e uma pequena quantidade de maconha.

No local também havia um plano de fuga de um presídio e uma carta enviada por um traficante, que pedia auxílio a Noé para arregimentar dois jovens e conseguir armamentos para efetuar o resgate. A ação deveria ocorrer numa quinta-feira, por volta das 9 horas, durante o banho de sol dos presos.

Titular da DRF, o delegado Raphael Villarinho informou que Noé já responde por dois homicídios, duas ameaças, três portes de arma, três roubos, um tráfico de drogas e três crimes de trânsito. No momento da abordagem policial, ele resistiu à prisão e tentou fugir, mas acabou sendo capturado.

Secretário-adjunto da SSPDS, Wilemar Rodrigues considerou “positivo” o resultado da operação. “Mais importante que os resultados apresentados é a integração entre as forças de segurança dos estados, que já é uma realidade”, afirmou.

Saiba mais

Esta foi a terceira operação integrada entre os estados realizada após a criação da Coordenadoria Integrada de Segurança Pública do Nordeste (CISP/Nordeste).

A ação foi avaliada em videoconferência entre os representantes das pastas de Segurança dos estados, com a participação do ministro da Justiça, Eduardo Cardozo.

“Estamos com uma falha aqui, outra acolá, mas estamos bem nesse processo. Vamos tomar nota de tudo e avaliar o que precisa ser melhorado”, disse o ministro durante o evento.

 

O povo

Número de pacientes à espera de leito no Ceará chega a 104

pacientes

Conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a rede pública estadual possui 356 leitos de UTI

 

O número mostra que a demanda por leitos está acima da oferta atual, que soma 356 leitos na rede estadual de saúde do Ceará. No IJF, ontem, entre 30 e 33 pacientes aguardavam vaga em UTI. Acidentes de moto são gargalo

A demanda nos hospitais de urgência e emergência do Ceará tem extrapolado as condições de oferta. Uma das deficiências é quanto à disponibilidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Conforme O POVO apurou, o número de pacientes aguardando um leito de UTI chegou a 104 nesta semana no Estado. Cerca de 30% desse total estavam, ontem, no Instituto Doutor José Frota (IJF).

Na unidade, de acordo com o diretor médico Osmar Aguiar, existem 33 leitos de UTI (27 adultos e seis pediátricos) entre os 461 leitos de outras classificações. “Isso para um hospital de trauma é um número pequeno. Hoje (ontem) nós temos em torno de 30 a 33 pacientes aguardando leitos de UTI. Esse número está dentro do total do Estado. Só nós temos quase 30% (desse total)”, detalhou o diretor.

Conforme Osmar, os pacientes à espera de vagas ficam em unidades com cuidados intensivos com assistência ventilatória e são assistidos por uma equipe multidisciplinar. “Na emergência tem duas unidades com esse perfil (com 31 leitos) e, para o pós-operatório, existe a sala de recuperação”, citou. A permanência do paciente nessas unidades é de aproximadamente quatro dias.

Diariamente, a Defensoria Pública do Ceará recebe uma média de três pedidos de vagas de leitos de UTI nas unidades de saúde. “Em 99% dos casos, a Justiça determina que o Estado garanta o leito”, informou o supervisor do Núcleo de Defesa da Saúde do órgão, Dani Esdras. Conforme ele, demora até três dias para que o juiz tome a decisão e obrigue o provimento da vaga. “É expedida uma liminar que coloca o paciente na UTI enquanto o processo está em andamento. Normalmente o Estado cumpre a decisão”, frisou o supervisor.

A prioridade para pacientes que aguardam tratamento intensivo é dada de acordo com critérios internacionais. Entre os fatores analisados estão as condições de saúde atual, a possibilidade de recuperação e a ocorrência de intervenção cirúrgica.

IJF e HGF lotados

Ainda de acordo com apurações do O POVO, houve um aumento de doentes graves no IJF e no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), tornando a situação da saúde preocupante. Isso teria afetado, inclusive, o uso de equipamentos como respiradores. O cenário crônico estaria se apresentando há algumas semanas.Mesmo após melhoria no gerenciamento de leitos do Estado, a demanda se mostra crítica.

Recorrer a leitos particulares também não seria uma opção, considerando que a rede privada também apresentaria deficiência de oferta.

Conforme informações da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a rede pública estadual possui 356 leitos de UTI. Mais 40 vagas estarão disponíveis até o fim do ano com o funcionamento do Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim.

A assessoria de comunicação da Sesa informou número bem inferior de pacientes à espera de leitos, se comparado ao apurado pelo O POVO. Através de nota, o órgão divulgou que “nesta quinta-feira, 6 de novembro, às 17 horas, a Central de Regulação do Estado informa que há 12 pacientes aguardando leitos de UTI”. A nota destacou ainda que as centrais de regulação estadual e municipal estão operando com o mesmo sistema.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) não informou dados referentes aos leitos de UTI. A assessoria da pasta afirmou que a pessoa responsável pelas estatísticas não estava disponível para entrevistas ontem.

Saiba mais

De acordo com a Sesa, os leitos de UTI da rede pública estadual estão distribuídos assim: HGF (72), César Cals (33), Albert Sabin (41), Hospital de Messejana (50), Waldemar Alcântara (47), Hospital São José (8), Hospital Regional do Cariri (50) e Hospital Regional Norte (55).

Para acionar a Defensoria Pública pela necessidade de leito de UTI, é necessário apresentar identidade e CPF do paciente e de familiar, além de laudo médico confirmando a demanda. O endereço da defensoria é rua Pinto Bandeira, 1111.

O Povo

Produção Industrial no Ceará cresce acima da média do Nordeste

graficoacendente

O ritmo da produção industrial do Ceará segue lento e acumula perdas de 1,1% entre janeiro e setembro. No entanto, na comparação de setembro com o mesmo mês do ano passado, a expansão é de 1,2%, acima do resultado do Nordeste (1,1%). Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) aponta ainda que em relação ao mês imediatamente anterior, a redução foi de 0,4%.

O menor dinamismo, de acordo com o IBGE, foi influenciado por fatores relacionados à redução na fabricação de bens de capital (em especial aqueles voltados para equipamentos de transportes – caminhão-trator para reboques e semirreboques, caminhões e veículos para transporte de mercadorias), bens intermediários (autopeças, produtos têxteis, produtos siderúrgicos, produtos de metal, petroquímicos básicos, resinas termoplásticas e defensivos agrícolas) e bens de consumo duráveis (automóveis, eletrodomésticos da “linha branca”, motocicletas e móveis).

Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial nacional mostrou redução de 2,1% em setembro de 2014, com sete dos quinze locais pesquisados acompanhando o movimento de queda na produção.

Os recuos mais intensos foram no Rio de Janeiro (-7,8%), Paraná (-6,9%), São Paulo (-6,9%), Bahia (-5,3%) e Amazonas (-4,1%), pressionados, em grande parte, pela redução na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (automóveis, e caminhões) nos dois primeiros locais.

Por outro lado, Espírito Santo (17,3%) assinalou o maior avanço, impulsionado, em grande parte, pelo setor extrativo (minérios de ferro pelotizado e óleos brutos de petróleo). Os demais resultados positivos foram observados em Goiás (6,5%), Pará (5,7%), Pernambuco (5,1%), Santa Catarina (2,3%), Rio Grande do Sul (1,3%), Ceará (1,2%) e Região Nordeste (1,1%).

O povo

Virou rotina: IPCA sobe 0,42% em outubro e permanece acima da meta

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve alta de 0,42% em outubro, divulgou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o indicador acumula alta de 6,59% nos últimos doze meses até o mês passado, estourando o teto da meta ,fixado em  6,5% ao ano.
Fonte: Veja online

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31