xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 27/09/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

27 setembro 2014

Os eleitores vinham às carradas - Ronaldo Correia de Brito (*)


Antigamente, os homens mandavam costurar um paletó para usarem no casamento e em todas as ocasiões importantes da vida. Atravessavam anos com o vestuário e, por fim, se enterravam com ele. Meu pai se casou com um terno de linho diagonal branco, uma gravata e um lenço de seda francesa, adereços bem sofisticados no nosso mundo sertanejo. Os filhos cresceram vendo o paletó bem protegido num guarda-roupa, de onde saía apenas nos eventos importantes, como as eleições. No Crato, era comum debocharem das pessoas bem vestidas, perguntando se ela ia votar. Quanto significado atribuíam ao voto.
Quando Jânio Quadros se elegeu, meu pai, que era um udenista ferrenho, envergou seu paletó de linho e pôs um broche dourado com uma vassourinha, símbolo de Jânio. O Novo presidente havia prometido na campanha varrer todas as podridões da política nacional e acabar com as brigas de galo. Nesse dia da vitória, meu pai chegou tarde em casa. Ficara bebendo e conversando com os amigos. Enquanto comemoravam, um caminhão desfilou pela cidade arrastando uma imensa vassoura fabricada com palha de carnaúba, que levantou uma poeira dos infernos. Nosso vizinho de rua queimou uma bateria de cem bombas. Um rebanho de gado, subindo ao matadouro para o abate, assustou-se com o tiroteio e entrou no palácio do bispo. Foi o maior alvoroço.
Eram os acontecimentos eleitorais. As pessoas se ocupavam com eles por semanas. Os homens se reuniam na Praça Siqueira Campos, depois do cinema, e esqueciam a hora de voltar para casa, entretidos com a política. No Crato, os partidos de força eram a UDN e o PSD, sendo o primeiro conservador e de direita. Havia o PTB, mas sua representação era bem pequena. Também existiam comunistas, sempre misteriosos e cercados de folclore. Somente depois do Golpe de 1964, quando assistimos alguns desses militantes sendo presos, percebemos o quanto eles eram ingênuos e as forças de repressão truculentas.
Nossa casa de esquina dava para um pequeno bosque de eucaliptos, ipês e oitizeiros, mais tarde transformado num parque municipal. Nos dias de votar, caminhões vindos do interior do município descarregavam carrocerias de eleitores, gente transportada como se fosse gado. Faziam parte de comunidades que nos habituáramos a chamar de currais eleitorais. Os patrões, geralmente donos de engenho, escolhiam em quem eles votariam. As chances de um candidato local eleger-se dependiam de quantos currais ele possuía. Ganhavam-se esses ajuntamentos de votantes com promessas de emprego e outros favores mais substanciais aos donos de terra e gente.
As pessoas recebiam envelopes com as “chapas” prontas. As “chapas” eram papeis com o retrato e o nome do candidato. O trabalho de votar consistia em depositar o envelope na urna. Adestravam os analfabetos a escrever o nome próprio, numa garatuja quase sempre ilegível. A maioria dos eleitores era analfabeta e a escolha do candidato em quem votar já havia sido feita pelo patrão. Mudou a urna, tornou-se eletrônica, mas a inconsciência de quem vota continua parecida. Os guias eleitorais sob controle dos partidos poderosos e com mais aliados, garantindo um tempo maior no rádio e na TV, se assemelha à voz do patrão. No fim, assistimos ao mesmo massacre. Nenhum candidato fala o que verdadeiramente pensa, mas o que sugere o seu marqueteiro. O compromisso com a verdade? O que é isso na política brasileira?
Os donos dos currais eleitorais, e do outro tipo de gado, matavam um boi, que era cozido no bosque, debaixo das árvores. Os eleitores enchiam a barriga, se arranchavam como romeiros, sentiam-se importantes e bem tratados pelo menos um dia na vida. Pagavam a regalia com o voto. Lembro que eles também usavam as melhores roupas, mas não consigo imaginar onde essa gente matuta se aliviava das necessidades fisiológicas. Talvez em alguma moita das proximidades. Por que isso me preocupa? Apenas porque me lembrei que naquele tempo, como agora, o saneamento básico é sempre uma promessa esquecida.
Meu pai vestia o paletó branco de linho diagonal no dia da eleição. Ninguém dava nó em gravata melhor do que ele, um perfeito Double Windsor. Será que ele também punha o lenço de seda francesa, dobrado com um charme especial, deixando três ou quatro pontas aparecendo no bolso da lapela? Fazia tudo isso apenas para votar, pois achava o voto uma coisa séria. Ouvia, lia, pensava e escolhia. Papai errou muito nas suas escolhas políticas. Mas como ele brigava por seus candidatos, acreditando nos discursos falsos, nas promessas vazias. Como esperou que o Brasil melhorasse, se tornando mais justo e igual. Nos últimos anos, deixou de vestir o paletó para votar. Tornou-se meio debochado, indo às urnas com uma bermuda surrada. Imagino que perdeu a fé no voto.
(*) Ronaldo Correia de Brito, nasceu em Saboeiro e viveu a infância e juvenude em Crato. É escritor, médico e dramaturgo.  Radicado no Recife, formou-se em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco, 1975. Foi escritor residente da Universidade de Berkeley, Califórnia, participou de diversos eventos internacionais, como a Feira do Livro de Bogotá e o Salon du Livre de Paris. Recebeu homenagens por sua obra, como a da VIII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco.                                                                                                                      

Falta de investimento público fecha dois museus no Crato

(Fonte: Diário do Nordeste, 28.09.2014, reportagem de Mirelly Morais)

 Além dos dois museus fechados, o de Artes Vicente Leite e o Histórico do Crato, há também outros equipamentos culturais que funcionam inadequadamente, como é o caso do teatro o Municipal Salviano Arraes
fotos: Mirelly Morais





A suspensão das atividades em dois equipamentos já se estende ao longo dos últimos cinco anos
Crato. O museu de Artes Vicente Leite e o Museu Histórico do Crato continuam fechados. Já são quase cinco anos sem funcionamento. A secretária de Cultura do município, Dane de Jade explica estar aguardando a liberação de um recurso obtido através do edital do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Ela justifica que "depois de tantos anos fechado e sob condições precárias, optamos por reabri-lo e devolvê-lo a população em condições dignas".
Dane diz que está sendo elaborando o projeto museográfico, inventariando e catalogando todas as peças dos dois museus e realizando importantes articulações institucionais para que no retorno de seu funcionamento todos os processos mu-seológicos sejam devidamente cumpridos.
Nesse processo, segundo ela, há um conjunto de situações complexas. A primeira é a atual  impossibilidade de terem uma equipe técnica qualificada, prioritariamente, na área da Museologia; a burocracia em torno de processos licitatórios e estabelecimento de convênios; e o estado precário em que esses equipamentos foram recebidos pela atual gestão. "A soma desses fatores torna a resolução lenta e morosa. Para quem está de fora, o julgamento natural é o de que nada está sendo feito", disse.
Agravante
Outro agravante da situação, conforme lembra, é que além de são poucos os canais de investimentos, por conta do período eleitoral. Com isso, as verbas ficam paradas, como no caso do recurso no valor de R$ 426 mil aprovado e ainda não liberado para as reformas dos equipamentos. A assinatura do convênio só poderá ser realizada depois das eleições.
Os Museus foram tombados pelo Patrimônio Histórico, mas isso não garante nenhum apoio para a recuperação e a manutenção como relata a secretária. "Um bem quando patrimonializado significa que é um bem simbólico para o lugar onde temos clareza da sua preservação; seja ele de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também de valor afetivo para a população, impedindo a destruição ou descaracterização de tais bens", esclarece.
As obras dos Museus encontram-se recuperadas e guardadas em lugar seguro, garante a secretária. Foram feitos um levantamento e catalogação das telas do Museu de Artes Vicente Leite, por meio de uma parceria entre a direção do museu, e os alunos do curso de Design da UFCA. A doação foi feita e documentada em cartório ao município do Crato no ano de 1974. Desde então o município  realiza o custeio da manutenção e restauro das peças. Por outro lado, o acervo faz parte do plano museográfico que foi apresentado pelo município do Crato e aprovado pelo Ibram.
O Teatro Municipal Salviano Arraes é um dos principais equipamentos de cultura, porém Dane cita que alguns equívocos foram cometidos em sua estrutura física, o que acabou não sendo um equipamento com todas as prerrogativas que o espaço requer. Hoje, segundo ela é um teatro que funciona como auditório, para é inadequado para exibição de artes cênicas. Faltam vestimenta cênica, ciclorama, bambolinas, tapadeiras, equipamento de som, iluminação, dentre outros recursos.
Mais informações:
Prefeitura Municipal
Secretaria de Cultura do Crato
Largo da Rffsa
Centro
Telefone : (88) 3523.2365
Mirelly Morais
Colaboradora

LUTO - Nossos pêsames à família de Rena Pinheiro



"Jovem de 25 anos se suicida na cidade do Crato. Ela disparou com uma arma de fogo contra a própria cabeça. Nome da vítima: Rena Pinheiro na data de hoje 27/ 09/ 2014. Com este, foi o quarto suicídio essa semana somente no Crato"

Por José Edson Edson




Camilo Santana faz carreata na Serra da Ibiapaba



O candidato ao governo do Estado, Camilo Santana fez carreata hoje ( 27 ), na região da Serra da Ibiapaba. Segundo a sua assessoria de imprensa, a carreata atingiu com 50 quilômetros de extensão, percorrendo os municípios de São Benedito, Ibiapina, Ubajara e Tianguá. Segundo informações, os candidatos da coligação “Para o Ceará seguir mudando”, Camilo (governador) e Mauro (senador) receberam o apoio festivo da população, com queima de fogos mais veículos se juntando à movimentação.

Em entrevista antes do início da carreata, Camilo falou sobre abastecimento d’água. “Estamos fazendo mais de 117 mil cisternas de placa, adutoras emergenciais e teremos inaugurada, em 2015, a primeira etapa da Transposição do rio São Francisco e o Cinturão das Águas também está em andamento. Também queremos universalizar as cisternas de placa, com a implantação de 220 mil cisternas”, disse. Camilo ainda falou sobre o incremento que pretende fazer na saúde do Estado, com a implantação de dois novos hospitais regionais, mais UPAs, CEOs e policlínicas.

Participaram da megacarreata os prefeitos de Viçosa do Ceará, Divaldo Soares (Pros); de Ubajara, Zezinho (PP); de Pacujá, Lucivane; de Tianguá, Jean Azevedo (Pros); de São Benedito, Gadyel Gonçalves (PC do B); de Carnaubal, Raimundinho (Pros); de Guaraciaba do Norte, Regivaldo Cavalcante (Pros); de Ipu, Sérgio Rufino (PC do B); e de candidatos a deputado estadual e federal. 

Cariré
Após a carreata na serra da Ibiapaba, os candidatos seguiram para Cariré onde também participaram de mais uma grande mobilização, que reuniu centenas de motos e carros. A população do município, localizado na Região Norte do Estado, demonstrou enorme carinho pelos candidatos ao sair às ruas e lotar a praça do centro da cidade numa grande festa de apoio.
Segundo o Sr. Manoel Evandro Medeiros, motorista de transporte alternativo de 49 anos, de Cariré, votar no Camilo é apostar na continuidade de um serviço de qualidade. “Voto no Camilo porque reflete as qualidades do Cid Gomes, e Cid foi o único governador que ajudou e organizou as cooperativas de transporte alternativo do Ceará. O Camilo tem qualidade e vai dar continuidade aos benefícios em segurança e transporte”, afirmou.

Assessoria de Imprensa do candidato


Eunício e Tasso fazem carreata em Crato e Juazeiro







Percorrendo as principais ruas da cidade, a caravana do candidato ao governo do Estado Eunício Oliveira e o candidato Tasso Jereissati estiveram no Crato neste sábado, dia 26, acompanhados do ex-prefeito do Crato Samuel Araripe, e diversos outros nomes da política local. No dia de ontem ( 26 ), a caravana esteve em várias cidades do Cariri, e neste domingo esperam fazer uma grande carreata em Fortaleza. Segundo a sua assessoria de imprensa:

"Em três grandes atividades desta arrancada reta final, os candidatos da coligação “Ceará de Todos”, Eunício Roberto Pessoa vice-governador e Tasso Jereissati foram acolhidos pela população de Aurora, Brejo Santo e Caririaçu. Prefeitos, vereadores, lideranças políticas e comunitárias de toda região caririense seguiram a população. Logo ao chegar em Aurora, Eunício destacou as principais demandas do município. Filho do Cariri, ele conhece bem a região, seus desafios e oportunidades de desenvolvimento.
Segundo o candidato, a questão da água está contemplada pelo açude Ingazeiras, de modo que as primeiras ações do Governo devem ser voltadas para a saúde, à segurança pública eficiente e para a habitação, inclusive com utilização de recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, e para a construção de uma estrada que ligue Autora até a rodovia Padre Cícero,  atualmente, apenas a BR-116 oferece acesso à cidade.
Ao lado de Tasso, Eunício foi recebido em Aurora pelo prefeito Adailton Macêdo, pelo candidato a deputado estadual Danniel Oliveira, vereadores e, em especial, pela população. Uma grande carreata se formou pelas principais ruas e avenidas da cidade. Centenas de carros e motos formaram a caravana da esperança. Durante todo o percurso, o povo fez questão de parar os candidatos. Crianças, jovens, adultos e idosos pediam uma mudança responsável, colocando o diálogo franco e aberto com a sociedade como força motriz do modo de governar.  A adesão espontânea da população à carreta foi tamanha que, quando o comboio chegou ao ponto final, na praça da antiga estação de trem, após percorrer praticamente toda a sede do município, era possível ver carros e motos no sentido contrário, ainda fazendo o percurso de ida. A felicidade também contagiou os candidatos. Terminada a atividade em Aurora, Eunício, Roberto e Tasso foram para Brejo Santo, onde outro grande número de pessoas aguardava os candidatos para demonstrar apoio. Uma nova carreata se formou e os representantes da coligação “Ceará de Todos”, emocionados com a receptividade, agradeceram o carinho comprometendo-se a colocar como prioridade de governo os reais anseios da comunidade. O próximo destino da caravana foi Caririaçu."

Com informações da Assessoria de Imprensa do candidato
Fotos: Perfil Tasso Jereissati, Assessoria, Roberto Jacu.


Faleceu Fabriano Livônio Sampaio, um prefeito honesto (postado por Armando Lopes Rafael)

Causou consternação  na cidade de Barbalha e em todo o Cariri o falecimento do Dr. Fabriano Livônio Sampaio, vítima de pertinaz moléstia que o levou a óbito em 26 de setembro de 2014. Fabriano Livônio Sampaio era engenheiro civil, Capitão da reserva do Exército brasileiro e ex-prefeito de Barbalha. Como prefeito de sua cidade natal realizou honesta e profícua gestão, deixando na memória coletiva a imagem de um administrador probo e competente. Deixa viúva a Sra. Maria Aurilena Mallmann e três filhos maiores.
No foto abaixo, o Dr.Fabriano -- quando era Prefeito de Barbalha -- discursando na inauguração de uma obra municipal. Sustenta o microfone o radialista Huberto Cabral.

                                                                                                                                        

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30