xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 24/08/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

24 agosto 2014

Avião que era utilizado por Eduardo Campos pode ser fruto de caixa dois


A candidatura de Marina Silva pode ser cassada por omissão de gastos e abuso de poder


A Polícia Federal investiga se o avião que caiu com o candidato à presidência Eduardo Campos (PSB) fo comprado com dinheiro de caixa dois. Segundo levantamentos da PF, o avião pertence ao grupo A. F. Andrade, proprietária de usinas de açucar que já declarou falência e possui dívidas de R$ 341 milhões, portanto, não teria condições de comprar um jatinho.


Segundo reportagem publicada hoje (24) no jornal Folha de São Paulo, no dia 15 de maio deste ano, João Carlos Lyra de Melo Filho, empresário pernambucano e amigo de Eduardo Campos, assinou um termo de compromisso na compra do avião e indicou as empresas BR Par e a Bandeirantes Pneus como responsáveis pela dívidas de R$ 16 milhões junto à Cesnna. Porém, a BR Par não existe no endereço que consta em seu registro na Junta Comercial, na avenida Faria Lima, na cidade de São Paulo. A empresa Bandeirantes foi recusada pela Cessna por falta de capacidade econômica.

Além das questões jurídicas que envolvem o avião e sobre quem é o seu dono, há indício de crime eleitoral. Pois, o PSB, para justificar o uso do avião necessita apresentar documentos que não existem. O avião tem que ser doado por uma empresa dentro da lei eleitoral dos chamados bens permanentes, que vale para avião e carro. A campanha do PSB, que agora tem Marina Silva como candidata, terá que explicar como pagou as despesas com o avião, que estão avaliadas em R$ 1,2 milhão. Para que não seja configurado como crime eleitoral e abuso de poder, todas as despesas que envolvem a utilização do jatinho tem de ser pagas com notas emitidas pela campanha.  Segundo rpeortagem de O Globo, as despesas no aeroporto de Santos Dumont foram pagas pela Lopes e Galvão, empresa com sede em uma escola infatil na cidade de Campinas (SP). Se a prestação de contas da coligação Unidos Pelos Brasil for rejeitada, a candidatura de Marina Silva pode ser cassada por abuso de poder, omissão de despesas e a candidata se tornar inelegível.

O PSB declarou que está separando todos os documentos exigidos pela Justiça Eleitoral.

Foto: PSB
Fonte: Revistaforum.com.br
http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/08/aviao-que-era-utilizado-por-eduardo-campos-pode-ser-fruto-de-caixa-dois/

Terremoto de magnitude 6,1 deixa 87 feridos no norte da Califórnia


Governador do Estado da Califórnia decreta estado de emergência


Um terremoto de magnitude 6,1 sacudiu neste domingo o norte da Califórnia, deixando pelo menos 87 feridos, danos materiais e cortes elétricos, no maior tremor registrado na região desde o sismo de magnitude 7 em Loma Prieta em 1989.

O tremor aconteceu por volta das 3h20 locais (7h20 de Brasília) e o epicentro se situou a dez quilômetros de profundidade, cerca de dez quilômetros ao sudoeste da cidade de Napa e a pouco mais de 80 ao sudoeste de Sacramento, segundo informou o Serviço Geológico americano (USGS, na sigla em inglês). O Serviço Geológico estimou em um primeiro momento a magnitude do terremoto em 6, mas horas mais tarde mudou para 6,1. "O terremoto perto da área da baía (de San Francisco) nesta manhã foi o maior que afetou essa região desde o terremoto de Loma Prieta há quase 25 anos", declarou o USGS em sua conta oficial de Twitter. O Departamento de Bombeiros de Napa informou de 87 pessoas feridas, entre elas três em estado grave, como um menino que ficou ferido pelos escombros de uma chaminé, de acordo com o jornal "San Francisco Chronicle".
Pelo menos 70 dos feridos estavam no Centro Médico Queen of the Valley em Napa, onde os funcionários preparam um centro de emergência no estacionamento para receber os feridos, acrescentou o jornal.

Um incêndio em um estacionamento de trailers destruiu pelo menos quatro casas em Napa, onde o sismo encheu as ruas de tijolos, vidros quebrados e outros escombros.
Segundo o "San Francisco Chronicle", há múltiplos relatórios de cortes na provisão energética, vazamentos de gás e inundações na área da baía de San Francisco, entre eles mais de 20 mil clientes sem eletricidade em Napa. As autoridades locais seguem inspecionando possíveis danos a infraestruturas e fecharam duas estradas para avaliar seu estado, apesar das pontes da área da baía, onde se encontra San Francisco, não terem registrado danos, de acordo com a Patrulha Fronteiriça da Califórnia.

O terremoto aconteceu enquanto muitos dos moradores da região dormiam, mas Erica Gregory, que estava trabalhando no turno de noite em um posto de gasolina perto da cidade de Vallejo, assegurou que os artigos da loja começaram a voar pelos ares.
"Foi angustiante. E não havia outra solução que ficar aí e esperar", disse Erica ao "San Francisco Chronicle". Até o momento não se determinou a causa do terremoto, mas o USGS indicou em sua conta no Twitter que "suspeita" da seção de Browns Valley na falha de West Napa.
O tremor de hoje foi seguido meia hora depois por seis sismos de menor magnitude, o maior deles de 4 graus, segundo o Serviço Geológico, que alertou que há 54% de possibilidades que se registre uma réplica forte nos próximos sete dias.

No terremoto de Loma Prieta, em outubro de 1989, morreram 63 pessoas, 16 mil casas ficaram destroçadas e se quebrou parte da Bay Bridge, a longa ponte que une San Francisco com o leste da baía. EFE


A crônica do domingo (Armando Lopes Rafael)

O emblemático 2014 

  O ano ainda nem terminou, pois ainda faltam quatro meses para o encerramento de 2014. Tornou-se, no entanto, um daqueles anos marcantes na vida de Crato e dos seus habitantes. Análogo ao de cem anos atrás – o sofrido e surpreendente 1914 – quando o Crato foi invadido e vencido, em 24 de janeiro, pelas hordas de Floro Bartolomeu. Mas, em meio à destruição deixada pelos jagunços, um acontecimento foi motivo de júbilo: a criação da nossa diocese pelo Papa Bento XV.
     A partir do funcionamento da Diocese de Crato esta cidade foi beneficiada com a criação dos primeiros Colégios: o Diocesano (para educação masculina) e o Santa Teresa de Jesus (educação feminina). Aqui foram implantadas, pela ação dos cinco bispos diocesanos, instituições pioneiras no interior cearense, como Banco do Cariri, uma congregação religiosa feminina (Filhas de Santa Teresa), o Hospital São Francisco, o Instituto de Ensino Superior do Cariri (origem da Faculdade de Filosofia, esta embrião da Universidade Regional do Cariri), os primeiros sindicatos de trabalhadores rurais no sul do Ceará, o Seminário Maior São José, e, recentemente, a Fazenda da Esperança, destinada à recuperação de dependentes químicos e alcóolatras... e tantos e tantos outros benefícios.
    Mesmo nos dias atuais tudo o que Crato conserva de bom tem o dedo benfazejo da Igreja Católica. As comemorações pelo centenário de criação da Diocese de Crato, ora em curso, estão servindo para o resgate da autoestima dos cratenses. Desiludidos com a falta de credibilidade da classe política, assolados por problemas na saúde, educação e segurança pública, os cratenses deixaram de esperar pelo poder público como esperança de solução dos seus problemas de políticas públicas ou até de alavancagem do progresso desta cidade. E, mesmo assim, o Crato voltou a crescer! E todo o progresso atual de Crato vem da iniciativa privada ou de instituições não governamentais. Devemos a estas, dentre outras coisas, a geração de empregos, as constantes construções civis, as novas firmas comerciais e as indústrias aqui implantadas ultimamente...
     Neste 2014,sente-se  uma mudança de mentalidade acontecendo nesta Mui Nobre e Heráldica Cidade de Frei Carlos. Outro dia vi no bairro Pinto Madeira uma senhora cuidando de um pequeno jardim, plantado num terreno baldio, aonde antes se jogava lixo. Interessei-me em saber a razão daquela iniciativa. Rindo, ela me disse: “Ao invés de ficarmos cobrando serviços da Prefeitura, obras que nunca chegam, nós deveríamos exercer nosso papel de cidadãs responsáveis pelo local onde moramos.” E acrescentou: “Se cada um zelasse pela calçada de sua casa e pela pracinha do bairro, o Crato seria outro”.
       Só entendi completamente o sentimento daquela senhora quando cerca de 30 mil pessoas saíram de suas casas e tomaram o espaço da Praça da Sé e adjacências, para participar da solenidade de abertura da festa de Nossa Senhora da Penha, na última sexta-feira, 22 de agosto. Foi como se o povo quisesse dizer: Essa festa também nos pertence, é coisa nossa. É o lado nobre de Crato, onde os políticos não chafurdam, nem dão pitaco... Assim como as plantinhas e flores plantadas no antigo depósito de lixo do bairro Pinto Madeira, este sentimento de pertença, pelo povo,  dos festejos cívicos e religiosos, bem como  das nossas mais caras tradições vai se alastrando... Um dia todos aqui terão consciência desta verdade: cuidar com carinho de uma coisa de interesse público é contribuir para a construção de um mundo melhor...
                                                                     

Orgulho de ser caririense (por Humberto Mendonça)

Às vezes, fico imaginando o que seria desse Cariri se os seus gestores, ao longo das últimas décadas, tivessem realizado administrações técnicas e honestas. A região já teria dobrado a sua pujança.

Toda vez que retorno ao Cariri fico orgulhoso do progresso, da pujança que a região ostenta. Começa nos voos, onde os aviões só voam lotados, tanto chegando em Juazeiro, ponto de embarque e desembarque, como saindo para os inúmeros destinos das rotas intercaladas, como Fortaleza e São Paulo. Na região sul, Juazeiro, a grande locomotiva, é uma verdadeira capital, tendo o Padre Cícero ainda hoje, como seu grande prefeito, o maior benfeitor da cidade, sendo nessa tarefa capitaneada pela iniciativa privada, com o respaldo de seu povo simples. Afinal, ele é o beneficiário em último estágio do progresso irradiando por toda a região, a partir do triângulo geminado, atualmente composto por Crato, Juazeiro e Barbalha. Hoje, essas três cidades formam a Crajubar. O crescimento material se encarregou de interligá-las dando-nos a impressão de uma única urbe expandida, tão integrados estão seus vínculos pelas avenidas Padre Cícero e Leão Sampaio. Juazeiro se destaca nesse impulso evolutivo com um dos maiores centros industriais e comerciais do Nordeste.
Mas não para por aí. O impulso empresarial se deve aos expoentes de sua representação comercial e classista. No setor educacional, aconteceu uma verdadeira revolução. Até uma Universidade Federal está sendo consolidada, merecendo destaque também a Universidade Regional do Cariri (Urca), instituída como decorrência do pioneirismo das Faculdades de Filosofia, Ciências Econômicas e Direito, surgidas a partir de 1959.
Nessa ordem evolutiva, merecem destaque as Faculdades de Medicina de Barbalha e de Juazeiro, fomentadoras de nada menos de 80 cursos superiores isolados e de inúmeros grandes colégios. Agora, o que me entristece muito é o Crajubar político. Às vezes, fico imaginando o que seria desse Cariri acima descrito se os seus gestores, ao longo das últimas décadas, com raras exceções, tivessem realizado administrações técnicas e honestas. A região já teria dobrado a sua pujança.
O maior esforço do que lá ocorre, hoje, se deve à iniciativa privada. Com tristeza é necessário alertar a opinião pública sobre denúncias gravíssimas contra executivos e Câmaras Municipais numa afronta à sociedade, que assiste a tudo isso indiferente e passivamente. O Cariri não merece esse tratamento. A região politicamente precisa ser repensada para o bem de todos.
Humberto Mendonça
Empresário

Em visita a Crato, cardeal Dom Claudio Hummes fala do Papa Francisco, das eleições e na reabilitação do Pe. Cícero –– por Patrícia Silva


O cardeal Claudio Hummes passou uma semana em Crato, hóspede de Dom Fernando Panico. Em entrevista exclusiva concedida à Assessoria de Comunicação da Diocese de Crato, o cardeal,  que atuou por quatro anos no Vaticano como prefeito da Congregação para o Clero, fez uma avaliação da igreja no Pontificado Papa Francisco, de quem é amigo pessoal.  Dom Claudio explicou como podemos fazer para ser uma igreja pobre para os pobres e como exercer o papel cristão na eleição que se aproxima. Tendo ainda vínculos diretos com o Vaticano também falou sobre o processo de Reabilitação do Pe. Cícero Romão Batista e deixou mensagem de felicitações pelo centenário de criação da Diocese de Crato.
Abaixo alguns tópicos das declarações do cardeal Cláudio Hummes:
Sobre uma Igreja pobre: Eu creio que é um grande desafio este e foi sempre o desafio da Igreja através dos tempos, sempre, porque o próprio Jesus Cristo nos indica este caminho de pobreza e também de amor aos pobres. Ele mesmo viveu, Jesus e os apóstolos viveram uma situação, assim, muito simples, muito austera, de poucos bens, enfim, era muito próxima sempre dos pobres, dos sofridos, dos doentes. Então esse foi sempre o ideal da Igreja! E o papa atual, o Papa Francisco, voltou isso com muita força – por isso ele também tomou Francisco por nome, exatamente, porque ele via a necessidade de a Igreja ser mais pobre – em termos também, digamos assim, do estilo de vida, dos meios com que trabalha, enfim, tudo aquilo que fosse ostentação de riqueza, etc. deveriam ser evitados.
Sobre as eleições de 2014 - A fé tem tudo a ver com a política, porque a política é o conviver socialmente; a política dirige e  governa essa convivência. E a fé nos diz que nós devemos conviver como irmãos e não como adversários ou  competidores; devemos evitar o clima de mera competição,  para ver quem ganha mais, onde cada um quer subir à custa dos outros, onde cada um quer fazer o máximo de dinheiro pra si mesmo e não se interessam pelos que ficam prejudicados com essa mentalidade errada. Queremos  um clima onde o  evangelho possa servir de pârametro. O evangelho tem alguma coisa a ver com a sociedade, com a convivência social e, portanto, com a política, porque a política é que rege a convivência social.
Eleger bons governantes é muito importante. E depois ajudá-los a governar também. Acho que o povo tem que se manifestar mesmo. Quando as coisas não vão bem, o povo tem que se manifestar mesmo. (Os políticos) nós os pusemos no poder para servir, pra nos ajudar a viver socialmente, a viver bem, a viver em paz, a viver em fraternidade, a viver com menos desigualdade, com menos individualismo. A política não pode ser o inverso disso...
Então eu, realmente, acho que são momentos importantes, esses atuais,  em que o povo tem que, de fato, pensar quando vai eleger pessoas que possam estar dispostas a estar a serviço e não ir para  lá para encher de dinheiro os bolsos seus e de seus comparsas.
Sobre o Padre Cícero O Padre Cícero é uma figura que se tornou até mesmo internacional, pouco a pouco. Hoje em dia existem estudos, até internacionais, sobre essa figura. Ele é um homem que, sobretudo, tem relação com aspecto religioso do povo. Ele foi o padre que sustentou a fé desse povo do sertão, aqui, por tantos anos durante a vida dele e até hoje. É um grande contributo, digamos assim;  ele ajuda o povo a manter os valores religiosos, a manter a sua fé católica, enfim. Nesse sentido ele tem um enorme mérito, certamente. É claro,  houve  equívocos também durante a vida dele. Hoje ele é vítima de muitos equívocos, certamente. Mas hoje o que está se fazendo, o que está se procurando é que haja uma reabilitação canônica da figura dele dentro da igreja, porque ele sofreu algumas censuras naquela  época da igreja, e o processo está agora em andamento, nós temos que esperar... E eu espero que se consiga essa reabilitação do Padre Cícero. E, depois, a gente vai ver. Agora a figura dele, os frutos estão aí, o povo que o ama imensamente, o considera um grande intercessor junto de Deus, um homem que cuidou dos pobres, enfim, e nesse sentido vamos ver se conseguimos, de fato, reabilitá-lo.
Mensagem para a Diocese de Crato Eu desejo à Diocese de Crato todas as bênçãos de Deus, porque é no jubileu em que a gente volta a pensar em tudo o que ocorreu nesses cem anos, tanta gente que viveu a fé, que aqui deu tudo pelos outros, enfim, todo esse povo, como é que eles viveram a fé, essa história religiosa por tantos antepassados dessa geração que está aí, eles que começaram, mas também essa geração faz parte desse centenário. Então acho que a primeira coisa é agradecer a Deus e também pedir perdão pelos erros, os pecados que sempre existem, todos nós somos pecadores também. Então jubileu é sempre isso, agradecer tudo o que Deus fez e que as pessoas também fizeram de bem nesse mundo. Pedir perdão pelos erros que houve no meio do caminho e pedir para o futuro bênçãos, que Deus continue abençoando esse povo. É o que eu desejo muito, que esse povo sinta a presença de Deus, essa presença carinhosa de Deus, essa presença de um Deus que encoraja, um Deus que quer ajudar, quer ser solidário conosco. Que o povo viva isso com força nesse centenário. Aí terá força também para transmitir para as gerações futuras um exemplo de fé.
Reportagem: Patrícia Silva

Centenário da Diocese: primeira etapa da Fazenda da Esperança Padre Cícero, em Mauriti, será concluída em 90 dias – por Patrícia Silva (*)

Aconteceu dia 22 de agosto, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Mauriti- CE, a missa em ação de graças pelo inicio da construção da Fazenda da Esperança Pe. Cícero, presidida por Dom Fernando Panico e concelebrada pelo pároco, Pe. Fernandes José dos Santos, e outros párocos da Forania III, contando também com a participação de membros do poder público municipal e centenas de fiéis.

A Fazenda da Esperança, que é um dos gestos concretos do centenário da Diocese de Crato, teve sua licitação aprovada no dia 11 de agosto e após a assinatura do contrato realizado por Dom Fernando, presidente da comissão, no dia da missa em ação de graças, a empresa Construcer terá o prazo de 90 dias para conclusão da obra, ou seja, em novembro deverá ocorrer à inauguração desta unidade.
O Bispo disse se sentir comovido vendo a ação do Espírito Santo em meio a esta obra e, pensando já em quantas vidas a Fazenda da Esperança vai resgatar e quantos através dela encontrarão a paz. “A Fazenda da Esperança é o sinal concreto da vitória de Jesus em nossas vidas”, disse.
A obra tem parceria com o poder público municipal e estadual. Para o prefeito de Mauriti, Evanildo Simão, a construção da Fazenda da Esperança é muito importante para todo o interior do Ceará, por trabalhar em cima de uma grande mácula que a sociedade passa nos dias atuais que é a luta contra as dependências químicas. “Acima de ser uma estrutura física é uma estrutura espiritual, a Diocese de Crato está de parabéns por esta iniciativa, em especial o bispo Dom Fernando que se empenhou para conseguir esse empreendimento. Aqui nós faremos de tudo para contribuir com este trabalho”, afirmou.
O prefeito ainda disse que contribuiu com R$ 65.000,00 para a construção do prédio onde funcionará o projeto, no Distrito do Coité, fizeram a doação de um poço profundo e se colocou a disposição da Diocese para contribuir com o que precisarem nesta realização. Após a construção o gestor municipal também disse que firmará um convênio com a Fazenda da Esperança, repassando mensalmente recursos financeiros para manutenção da estrutura.
O Pe. Fernandes, pároco, um dos incentivadores da obra em Mauriti, disse considerar que muitos fatores mudarão após a presença da Fazenda da Esperança, começando pela conscientização do povo de que a religião nos liga a Deus, mas também aos irmãos, principalmente os mais necessitados, aqueles que estão a margem como os dependentes químicos.
Membros da diretoria Local da Fazenda da Esperança Pe. Cícero. (Foto: Patrícia Silva)

Ainda neste dia foi abençoado o espaço onde funcionará a secretaria da Fazenda da Esperança Pe. Cícero, próximo a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, que terá atendimento de segunda a sexta pela manhã. O momento foi acompanhado pelos fiéis e a diretoria local que é composta pelo Bispo Diocesano, Dom Fernando Panico, como presidente, o Pe. Fernandes José dos Santos, Aécio Nóbrega, Francisco Ponciano de Oliveira, José Higino Soares, Marizalva Saraiva Tavares e Claúdio Leite.
Esta será a quarta unidade da Fazenda da Esperança no Ceará e recebe apoio espiritual e financeiro da Diocese de Crato que procura fazer com que através dela mais pessoas se aproximem do amor de Deus.

(*) Patrícia Silva, da Assessoria de Imprensa da Diocese de Crato

30 mil fiéis estiveram presentes na abertura da festa de Nossa Senhora da Penha --- por Patrícia Silva (*)

Multidão imensa lotou a Praça da Sé e adjacências (Foto:Patrícia Silva)
Cerca de 30 mil fiéis, segundo a Polícia, participaram da solenidade de abertura do novenário a Nossa Senhora da Penha, padroeira da cidade de Crato e da Diocese. O ato encerrou também a peregrinação da imagem histórica da Virgem da Penha pelas 55 paróquias que compõe a Igreja Particular do sul do Ceará.  A festividade começou com uma carreata saindo do Estádio Mirandão, em direção à Catedral de Nossa Senhora da Penha, onde ocorreu a celebração litúrgica presidida por Dom Fernando Panico, concelebrada pelos padres da Região Forânea I, sendo encerrada com um show do conhecido sacerdote, Pe. Reginaldo Manzotti.
Dom Fernando Panico falou da emoção que estava sentindo, ao ver a unidade da igreja que junta celebra esse momento especial da Diocese. “São 100 anos de missão, de dedicação a anunciar o amor de Deus como uma igreja romeira e missionária”, disse o bispo de Crato. Sobre a presença do Pe. Reginaldo Manzotti, Dom Fernando disse estar feliz por tê-lo em meio à Diocese centenária, para celebrar esta festa da fé e parafraseando uma de suas músicas: “a tempestade vai passar, Diocese”, provocando sentimento de alegria e esperança nos fiéis.
Dom Fernando Panico com Pe. Reginaldo Manzotti. (Foto: Patrícia Silva)
Devotos de Nossa Senhora da Penha expressaram que este foi um momento para fortificar a fé, como afirmou a professora Priscila Araújo, “Para mim está sendo um momento único, onde vejo a Diocese toda reunida em torno do olhar da Virgem da Penha. Quando a imagem chegou e começou a andar em nosso meio, senti Maria abençoando toda a família diocesana, senti também nas palavras do Dom Fernando um grito de vitória, a vitória de Cristo sobre tudo o que destrói a unidade da igreja. Vejo em nosso pastor diocesano uma pessoa humilde, alegre e isso me faz sentir em meio a uma família grande e cheia de virtudes que é a Diocese de Crato”.
Ao final da celebração Dom Fernando abençoou as últimas réplicas feitas da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha que foram entregues às paróquias da Forania I (compreendendo o município de Crato) bem como uma réplica para: Seminário Diocesano São José, Regiões Pastorais do Alto da Penha, distritos de Santa fé e Dom Quintino e Santuário Eucarístico Diocesano.
Momento da bênção das réplicas da imagem de Nossa Senhora da Penha. (Foto: Patrícia Silva)

(*) Patrícia Silva, da Assessoria de Imprensa da Diocese de Crato

Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30