xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 06/08/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

06 agosto 2014

Para Você Refletir ! -Por Maria Otilia

Hoje, ouvi através de uma emissora de rádio, uma denúncia grave sobre o suposto "boicote" de  alguns órgãos públicos  e de líderes políticos, contra  a empresa   de transporte alternativo urbano conhecida como Transfreire.Não entendo como é que desejamos o crescimento do nosso município, principalmente  numa prestação de serviço público para a  população  ,como é o caso desta empresa, e setores que deveriam apoiar ,dificultam  e proíbem a ampliação do serviço. E com uma justificativa descabida de que este serviço de transporte alternativo( ônibus), está atrapalhando  o trabalho dos mototaxistas. Ora quem paga a taxa do serviço é  quem usa. E este usuário é que decidi  se vai de ônibus ou de moto. Não cabe a órgãos   responsáveis pelo serviço de transportes, esta decisão.Diante do exposto pelo  dono da empresa, ficou bastante caracterizado que se trata de pessoas que estão no " poder" que exigiram dele a redução de veículos, limitando  assim a prestação do serviço.
Conheço a empresa, já contratei para a  prestação de serviços para uso de aulas de campo, bem como muitos dos nossos alunos e suas famílias utilizam este transporte. Inclusive para quem mora em bairros distantes da cidade ( Vilalta , seminário, granjeiro, mirandão, vila lobo), a implantação do transporte urbano foi uma bênção. Cabendo a estes  órgãos fiscalizadores e regulamentadores, apenas a supervisão da qualidade dos serviços prestados por esta empresa.E não a fiscalização exacerbada, dificultando assim a ampliação do serviço a população do Crato, que há muito tempo vinha cobrando da gestão municipal, uma solução para o transporte interurbano.
Atenção vereadores, vamos fortalecer esta luta. Cabe a todos vocês legislar em favor do povo e para o povo.Afinal quem paga os vossos honorários são nossos impostos.Inclusive esta empresa que  se sente prejudicada. Atenção população usuária deste serviço. Não vamos deixar que " picuinhas " políticas atrapalhe esta conquista. Acredito cada dia mais que este velho ditado " só no Crato" não  é lorota. Enquanto as outras cidades buscam a melhoria e ampliação do transporte urbano, inclusive  modernizando,  aqueles que se dizem nos representar  em nosso município, buscam dificultar  o que já está funcionando ás "duras penas". Pois ter uma microempresa  nos dias atuais, com a  alta carga tributária  é coragem para poucos.
Para todos aqueles que pensam que o poder é eterno e traz felicidade para sempre, faça uma leitura desta fábula.
                             Governar e Permanecer Íntegro é Virtude de Poucos

                                                      A Raposa e o Macaco
O Hipócrita vive das aparências, mas as aparências acabam por revelar o Hipócrita...
Numa grande reunião, entre todos os animais, que fora organizada para eleger um novo líder, foi solicitado que o Macaco fizesse sua apresentação.
Ele se saiu tão bem com suas cambalhotas, pantomimas, caretas e guinchos, que os animais ali presentes não puderam deixar de ficar impressionados com toda aquela encenação e jogo teatral.
E entusiasmados com tamanha performance, daquele dia em diante, resolveram elegê-lo como seu novo Rei.
A Raposa, que não votara no Macaco, estava aborrecida com os demais animais, por terem eleito um líder, a seu ver, tão desqualificado, já que levaram em conta apenas as aparências, o espetáculo, coisas que para ela não tinha valor algum.
Um dia, caminhando pela floresta, ela encontrou uma armadilha com um pedaço de carne. Correu até o Rei Macaco e lhe disse que encontrara um rico tesouro, que nele não tocara, porque por direito, pertencia a sua majestade, o Macaco.
O ganancioso Macaco, todo vaidoso com sua aparente importância, e de olho na prenda, sem pensar duas vezes, seguiu a Raposa até a armadilha. E tão logo viu o pedaço de carne ali agarrado, foi logo estendendo o braço para pegá-lo, e assim acabou também ficando preso. A Raposa, ao seu lado, deu uma gargalhada.
"Você pretende ser um Rei," ela disse, "mas é incapaz de cuidar de si mesmo!"
Logo, passado aquele episódio, uma nova eleição foi realizada entre os animais, para a escolha de um novo governante.
                                        Moral da História:
O verdadeiro líder é aquele capaz de provar para si mesmo suas qualidades.

A carne e as estruturas metálicas - Por: Emerson Monteiro


Essa condição incansável de andar no meio das engrenagens do sistema impessoal que domina os destinos da raça, e querer sair fora de planos inatingíveis dos donos das máquinas com ares vitoriosos, o que bem caracteriza os humanos seres no decorrer de todo o processo geral que convencionaram chamar de vida. Esse velho desejo insano de perfurar as chapas de aço do cotidiano e seguir de sorriso largo nos lábios ressecados, na luta pela jornada, onde ideias pesam e pouco adiantaria poder aos impotentes senhores de si mesmo, poderosos desqualificados e torpes; tudo reclama atitudes autênticas, no entanto.

A limitação dos supérfluos em atender aos sonhos, porém, fere de dor a face permanente do diálogo entre povos e marcas industriais, sim, o quanto de vontade pouca só determina que acontecimentos aconteçam independentes de nós próprios, nesse filme do vazio de ruas angustiosas e cidades empacotadas, zoadentas, pecaminosas.

O ente pensante troca de passos, de pneus e peças, olhos cinza de zinco fosco, personagem do religioso poema das esferas eternas. Espécie de motor das horas, alimentado de nutrientes químicos, percorre cinemas e travessas de mercados, fixo no depois, esquecido de antes e longe do presente. Machuca a alma de pouco caso, astuto senhor dos castelos inexistentes. Bloco de carne quente, segue trocando partes da carcaça face aos novos lançamentos trazidos nos navios de nuvens.

Modelo raro de possibilidades científicas e filosóficas, apenas acredita no girar das moendas que lubrifica às horas das refeições silenciosas, regadas a aditivos de origem imaginária. Dança nos parques das multidões embriagadas, grita em noites de núpcias, voa nas madrugadas de altas velocidades, percorre o trilho brilhante das caminhadas difíceis...

Homens de coragem, reunidos, eles significam agentes de missões superiores reunidos na praça principal da transformação à medida que invadam o Inconsciente desconhecido, na espera de longo curso que alimenta a história.

(Foto: Jackson Bola Bantim).


Centenário da Diocese: encerrado o Jubileu do Clero

Texto e Fotos: Patrícia Silva
Sacerdotes rezam no átrio da igreja da Mãe do Belo Amor
No encerramento do Jubileu do Clero, nesta terça- feira, 5, os padres da Diocese de Crato participaram da celebração da Via- Sacra,  na Capela da Mãe do Belo Amor – localizada no Sítio Páscoa, nas Guaribas, em Crato – e de uma Santa Missa, bem como do  lançamento do Livro “Benigna: um lírio no sertão cearense”, na cidade de Santana do Cariri. No encerramento o bispo, Dom Fernando Panico, afirmou que “O Jubileu do Clero é um momento de renovar nosso compromisso sacerdotal com a Igreja, nos colocando a serviço do povo”.
Por ser parte integrante e necessária da história da Diocese, o clero se reuniu nestes dias para celebrar vivenciar a memória destes 100 anos de caminhada, como explica o vigário geral, Pe. José Vicente Pinto, “É claro que não começou conosco, mas para sua atualização e continuidade é necessário a nossa participação. Celebrar este jubileu especifico é importante porque confirma o nosso ministério, nos afirma em nosso trabalho e nos incentiva a irmos adiante com tudo aquilo que devemos fazer pela evangelização do Reino de Deus”.
No encerramento a lembrança da memória de Benigna
Em Santana do Cariri, em frente ao altar-mor da Matriz de Senhora Sant'Ana
A celebração de encerramento aconteceu em Santana do Cariri para motivar os padres a um sacerdócio santo e que leva o povo a santidade, como foi o exemplo do Pe. Cristiano Coelho, párodo de Santana do Cariri por mais de 30 anos e diretor espiritual da jovem mártir Benigna Cardoso, a Heroína da Castidade, que se encontra com o processo de beatificação sendo analisado pela Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano.
Segundo Dom Fernando: “O exemplo de Benigna nos inspira a sermos uma nova Diocese. Nestes 100 anos de história nós temos tantos exemplos de santidade, inclusive o da Serva de Deus, Benigna Cardoso. Temos entre tantos frutos desta caminhada, uma santa e a santidade dela veio através do Pe. Cristiano Coelho, que lhe dava a eucaristia e a orientava, incentivando-a e encorajando-a a amar Jesus até as últimas consequências. Por isso estamos aqui, para que, através do exemplo de Benigna, do seu amor pela vocação a santidade, possamos continuar a nossa missão e dizermos como São Paulo: "Já não sou eu, mas Cristo que vive em mim”.
Neste dia 5 aconteceu também, para o clero, o lançamento oficial da biografia de Benigna Cardoso da Silva, com pronunciamento do ,  Monsenhor Vitaliano Mattioli, postulador da causa de beatificação da menina-mártir. O livro foi escrito por vários autores, dentre eles o chanceler da Diocese, Armando Lopes Rafael.
Texto e fotos: Patrícia Silva, da Assessoria de Imprensa da Diocese de Crato
                                                           

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31