xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 09/07/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

09 julho 2014

CRATO - Previsão do Tempo para hoje, Quinta-feira, 10 de Julho de 2014


Bom dia, Crato!


E aí, já se recuperaram da goleada sofrida pelo Brasil na última terça-feira ? Espero que sim. Ontem, quarta, vimos o fantástico jogo de equilíbrio entre o time da Argentina e a Holanda, numa total diferença da partida Brasileira. O jogo sofrido de ontem, mesmo no zero a zero só vem provar este equilíbrio. Vamos ver como o time Brasileiro se comporta diante da mesma seleção da Holanda, já que jogará pelo terceiro lugar, no próximo sábado.

PREVISÃO DO TEMPO

Segundo os principais serviços de meteorologia, hoje será um dia de sol com algumas núvens, e não chove. 

Outras informações:

Nascer do sol: 05h51 Pôr do sol:17h35
Temperaturas: Max 32º Min 20º
Ventos a SE a 19km/h
Umidade Relativa do Ar: 88% e mínima de 48%
Índice UV: Muito Alto 

Fontes: INPE e Goes13


Antes que seja tarde - Por: Emerson Monteiro

A importância da prevenção supera marcas dolorosas no futuro, e quem age antes reorganiza o direito de atravessar de pés enxutos o Mar Vermelho da libertação que lhe espera na outra margem. Isso, que serve a todos, significa o provérbio clássico do que quem tem olho fundo chora cedo.

São aspectos mínimos das ações desse processo vida. Evitar grandes empréstimos que não se possam pagar; fugir dos vícios, desde comer em excesso, abusar do açúcar ou do sal; falar, falar, sem ouvir a razão dos demais; comprar o desnecessário e encher a casa de sucatas, que darão trabalho de jogar fora no momento de mudar de cidade, o olho gordo das populações abastadas; a preguiça de estudar ou trabalhar, enquanto o mundo gira no espaço e pede atitude; acomodação de baixo dos lençóis, quando, lá fora, a natureza acorda cedo e o Sol brilha em movimento constante.

Ainda que existam as necessárias diferenças entre os tipos psicológicos, pois que vivam as diferenças, no entanto o mecanismo coletivo representa somatório de todas as personalidades. Mesmo sem desiguais, os formulários da existência deverão pedir os dados dos indivíduos de modo semelhante. O itinerário valerá a todos, passaportes do futuro imenso aguardando novos rumos. Ninguém, que se preze, fugirá da sorte de começar e ter de terminar a história dentro dos padrões universais – princípio, meio e fim. O jeito de pintar a tela cabe a todo artista, no entanto os resultados da criação virão a título do que se produziu nas galerias das gerações.

Antes que seja tarde, elaboremos, planejemos, reunamos os elementos que, somados, seja a cara do produto das vidas, leves, soltos, lépidos, ativos, amáveis, carinhosos, ternos, amigos, honestos, pacientes, as várias qualidades dos que não precisarão remendar o arrependimento, a tristeza, o remorso, lá no depois das movimentações deste chão. Abrir com arte a embalagem dos dias sapientes, prudentes, porém longe de medos e covardias. Dominar o que dispõe às mãos e conduzir o sentido da vontade ao gosto do querer saboroso.

Viver positivo a nossa escolha certa.  

(Foto: Jackson Bola Bantim).

A explicação de Felipão sobre a humilhação Brasileira não poderia ser mais infeliz !


A explicação do técnico Luiz Felipe Scolari sobre o vexame da seleção Brasileira no mineirão ontem, terça-feira, não poderia ser mais infeliz. Disse o técnico na entrevista coletiva à imprensa, que o "Brasil jogou o que sabia", tratando sempre de exaltar o adversário, o futebol alemão, como se, em outras palavras, a seleção da Alemanha fosse feita por poderosos seres extraterrestres, quando a gente sabe que não é bem assim e que as diferenças entre o nosso futebol "verdadeiro" e o das grandes seleções mundiais no contexto geral, não existe. Prova disso é que somos os únicos pentacampeões mundiais. 

Já fomos bem melhores, é verdade, porém existiu ontem, e friso bem: Durante aquela fatídica partida, uma superioridade do futebol Alemão. Agora, melhor seria se o técnico Felipão tivesse dito que "NÓS HOJE NÃO JOGAMOS O QUE NÓS SABEMOS JOGAR". A verdade é que o Brasil não jogou absolutamente nada. Não tínhamos um time em campo: Tínhamos um bando de pessoas que jogou como recrutas. Faltou preparo técnico e sobretudo controle emocional. O Brasil não sabe administrar o fator emotivo e nem a derrota, é um time que se tomar um gol, se perde em meio de campo, e o adversário faz a festa. 

Na minha opinião, o grande problema não foi o Brasil perder. Qualquer um pode perder, mas a forma vexatória como isto aconteceu. No momento em que você perde num jogo de Copa do Mundo por 7 a 1, há muita coisa envolvida além do próprio futebol. O Brasil tem futebol, mas ontem, ele não teve o mínimo controle emocional e nem técnica para jogar. O resultado é o previsível: A vitória daquele que se preparou melhor; Não porque sejam "entidades superiores" , seres iluminados, como sugere a conversa do técnico Felipão, mas porque o time alemão soube trabalhar com bastante disciplina e força de vontade, visando apenas uma meta: vencer. E é bom que se diga, que antes de vencer o inimigo, é preciso que saibamos vencer o nosso maior inimigo interior: O descontrole emocional. Só assim, nós saberemos administrar as nossas derrotas, e com isso, possamos ter vitórias honrosas.

Por: Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com


Torcedores de todo o Brasil choram e se revoltam com jogo da semifinal


Torcedores de todo o Brasil choram e se revoltam com jogo da semifinal. Partida terminou com placar inacreditável de 7 a 1 para a Alemanha. Após sequência de gols que eliminou o Brasil, reação foi de incredulidade.

Em um Mineirão lotado, a torcida brasileira assistiu a Alemanha dominar a partida e marcar sete gols contra o Brasil como se estivesse em um jogo-treino. Além da óbvia tristeza e das óbvias lágrimas, a principal reação foi de incredulidade, além da admissão da superioridade dos alemães em campo.

Antes do jogo, uma onda de alegria brasileira. E, no meio desse mar de verde e amarelo, uma ilha de alemães confiantes na vitória. Na porta do estádio, o torcedor profetizava: "Vocês não têm chance”. E os brasileiros não tiveram chance mesmo. Felipão até que tentou, mas a bola parecia mais redondinha nos pés alemães e eles abriram o placar aos 12 minutos.

Para todo lado, os brasileiros pareciam não acreditar e nem os alemães. O time do Brasil pareceu ter perdido o chão. Entre o segundo gol e o quinto, foram apenas seis minutos de diferença.
Antes mesmo do intervalo, torcedores começaram a deixar o estádio. A polícia acompanhou a saída do Mineirão para evitar tumulto. Ao fim do primeiro tempo, na Fan Fest, no centro de São Paulo, foi visto um movimento contínuo e sincronizado dos torcedores: o movimento de voltar para casa. “Qualquer coisa que não seja assistir jogo de futebol”, afirma o balconista Warley Esteves da Silva.
Assistir ao segundo tempo não foi, exatamente, um exercício de esperança. Foi mais um esforço para entender o que acontecia. “Eu vou querer ver até o fim a derrota do Brasil, que tem grandes jogadores e não sei o que está acontecendo. Não saía nenhum gol”, lamenta a vendedora Marcia Rodrigues.

Em Fortaleza, os brasileiros choraram. No Rio de Janeiro, também. E em Salvador, Curitiba, Goiânia e Recife. Em São Paulo, o torcedor imitou o cabelo do Ronaldo Fenômeno na Copa que o Brasil conquistou o pentacampeonato em 2002, e ganhou em cima da Alemanha. Que saudade.
“Está doendo. Todo brasileiro está sentindo isso. A Seleção podia até perder, ir para os pênaltis, mas está guardada a mágoa e o choro. Estou perdido, estou desnorteado”, confessa o vigilante Anderson Oliveira.

“ 7 a 1. Sinceramente, pessoal fala 'Maracanasso'.  Isso aqui foi muito pior que o ‘Maracanasso’, não tem o que falar”, diz o químico Bruno Lomba. O torcedor mexicano também lamentou. "Estamos todos muito tristes. Somos países diferentes, mas estamos muito tristes porque estávamos com o Brasil", diz Hector Gimenez. Um torcedor alemão falou que o Brasil vai se lembrar desse jogo por muito tempo. Um resultado histórico e inacreditável.

G1


Ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio morre aos 83 anos


O ex-deputado federal Plínio de Arruda Sampaio (PSOL-SP) morreu nesta terça-feira (8), aos 83 anos, em São Paulo, em decorrência da falência de vários órgãos. Ele completaria 84 anos no próximo dia 26.

Promotor público aposentado, Plínio Sampaio estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratar um câncer ósseo. Ele era casado havia quase seis décadas com Marietta Ribeiro de Azevedo e tinha seis filhos.Filiado ao PSOL, o ex-parlamentar concorreu ao Palácio do Planalto nas eleições de 2010. Na ocasião, obteve 886 mil votos e terminou a disputa eleitoral na quarta colocação, com 0,87% dos votos válidos.Ligado à Igreja Católica, Plínio ingressou na política no final da década de 1950, como subchefe da Casa Civil do então governador de São Paulo, Carvalho Pinto. À época, ele atuava na Juventude Universitária Católica, organização que surgiu a partir da Ação Católica Brasileira.

Paulistano, Plínio foi eleito pela primeira vez para a Câmara dos Deputados em 1962, pelo extinto Partido Democrata Cristão (PDC). Ao longo da carreira política, ele exerceu três mandatos como deputado federal.No Legislativo, Plínio participou, em 2 de abril de 1964, da sessão que declarou vaga a Presidência da República no Congresso Nacional, ato que homologou o golpe ao presidente João Goulart. 

No mesmo ano, ele foi cassado pelo Ato Institucional nº 1 e teve de se exilar no exterior.Durante o regime militar (1964-1985), Plínio Sampaio viveu no Chile e nos Estados Unidos. Retornou ao Brasil em 1976, no início do processo de abertura política.

Agência Brasil


Imprensa internacional repercute goleada sofrida pelo Brasil


A derrota histórica da seleção brasileira de 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo, ganhou destaque nos principais jornais de países europeus e da Argentina. Os periódicos também registraram a marca alcançada pelo jogador alemão Miroslav Klose, que fez um dos gols da equipe germânica e tornou-se o artilheiro entre todas as 20 edições da competição, com 16 gols. Ele ultrapassou a marca do ex-atacante Ronaldo, o Fenômeno, que tem 15 gols.

O diário Olé, da Argentina, traz matéria de capa com o título Sete como Nunca. O site informa que a Alemanha humilhou o Brasil e deu uma aula de futebol. A publicação também convocou os leitores a sugerirem, por meio de rede social, o título da edição impressa sobre o “Mineiraço”. O termo é uma alusão ao “Maracanaço”, como ficou conhecida a derrota do Brasil para o Uruguai, na Copa de 1950, no estádio carioca.

A agência alemã de notícias Deutsche Welle destacou a vitória histórica com a reportagem Tempestade Alemã na Final da Copa do Mundo. A publicação afirma que o Brasil está em choque após assistir a goleada. A agência destacou a eficiência da equipe alemã, ao liquidar a partida antes dos 30 minutos do primeiro tempo.

O jornal Mundo Deportivo, da  Espanha, deu ênfase ao trabalho do técnico Joachim Löw. Para o jonral, o técnico conseguiu dirigir a partida de seus sonhos, após anos de trabalho à sombra da seleção da Espanha, campeã da Copa de 2010 e eliminada na primeira fase neste ano.

A página esportiva da agência britânica BBC destacou o gol de Miroslav Klose, jogador que tornou-se o artilheiro das 20 edições da Copa do Mundo. Segundo a BBC, a Alemanha nunca perdeu um jogo em que Klose marcou.

Agência Brasil
Foto: Agência Brasil




Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30