xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 23/02/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

23 fevereiro 2014

SAAEC Implanta na Sede de Ponta da Serra Sistema Complementar do seu Abastecimento de água



Na noite desta sexta feira( 21.02) a Sociedade Anônima de Água e Esgoto do Crato (SAAEC) inaugurou um Sistema de Abastecimento complementar ao já existente, composto de um poço amazonas, um reservatório com capacidade para 50 mil litros de água e uma rede adutora. Com isso, foi resolvido o eterno problema do Barrerinho e melhorou em muito o abastecimento dos demais “bairros”.

Vale salientar que a referida obra pode ser concretizada graças a parceria SAAEC /Prefeitura Municipal do Crato e a boa vontade dos seus gestores. Deve-se, também, louvar o gesto dos herdeiros do saudoso Jaime de Souza Leite ( Neguim de Seu Belo ) que cederam uma área de terra para a construção do referido sistema.  O evento contou com a participação da SAAEC, da comunidade interessada, de lideranças locais e municipais, funcionários do Sr. Prefeito Municipal Ronaldo Gomes de Matos e da Sra. Janaína Fernandes, Presidenta da SAAEC, a quem se atribui grandes esforços na concretização da referida obra.

É importante ressaltar que outras carências são evidentes no referido sistema, mas que a Presidenta é conhecedora, e que já se manifestou no sentido de tomar as medidas necessárias.
Acredita-se que a população da sede do distrito está satisfeita e agradecida pelas medidas tomadas pela Direção atual da SAAEC.

Por: Antonio Correia Lima
Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


VOX POPULI PELA CIDADE, JÁ NÃO TEM CHEIRO DE PIZZA - Por: Ed Alencar


NE - Vereador Pedro Alagoano diz em entrevista ao repórter Ed Alencar que pensa em deixar a política

Foi grande a repercussão de todo esse agito do Ministério Público e PROCAP nestes dois dias de trabalho na coleta de depoimentos na cidade do Crato, onde se pode ter um panorama ou os chamados “Quais quais quais”  no caso do mensalão do Crato, com opiniões, previsões do que virá pela frente, mesmo sabendo que ainda é cedo, mas acompanhado de muito “otimismo” por parte da população que pelas ruas tem se manifestado com frases de tom positivo, entre tantas com um certo sorriso “o bicho vai pegar menino”,  “não cheira mais a pizza”, “é agora ou nunca” e por ai vai. O certo é que o povo se animou com as declarações e ações dos promotores de justiça Dr. Lucas Azevedo e Dr. Raimundo Parente, que tem demonstrado muita seriedade nas apurações dos fotos, a coisa não esta pra brincadeira.

Entre os assuntos que mais se discute nas praças, nas redes sociais, nas residências,  foi o “silencio” dos vereadores, que não pensaram em bater na mesa e dizer em bom tom, "é mentira doutor", já era alguma coisa, mesmo que as provas se é que existam, venham através dos promotores que vão buscar de outras  maneiras, como um desafio para mostrar os que ficaram mudos, que agora é tarde, quando quiserem falar.

A última declaração do coordenador Estadual da PROCAP. Dr. Mauricio Carneiro, que disse aos cratenses que não se preocupassem, que o ministério Público e PROCAP estão empenhados nos trabalhos de investigação, para elucidação dos fatos e dar à população a resposta satisfatória dos resultados. Na sua recente, entrevista para o Blog do Crato e Rádio Educadora, disse que as queixas  que foram apresentadas pelas vitimas é grave.

QUINTA-FEIRA NOS BASTIDORES DA PRAÇA DA SÉ

Na quinta feira (20), após os depoimentos dos vereadores convocados ao MP, lá ficaram calados, cá na praça onde se concentravam os companheiros da imprensa, tentamos destravar a língua de alguns, mas estavam proibidos de falar por determinação dos advogados. Mesmo em off, conversamos com alguns que gentilmente falaram alguma coisa. 

NANDO BEZERRA DESMENTE QUE AMEAÇOU GUER DE MORTE.

Em conversa na praça, Nando Bezerra disse que não esperava essa atitude do vereador Guer, ladear tamanha mentira sem antes falar com ele, pois jamais lhe fez ameaça de morte, e que está tomando as providencias jurídicas sobre essa calunia difamatória, num momento tão difícil que vem passando, e o intuito disso é para lhe prejudicar.

PEDRO ALAGOANO INDIGNADO

Também  conversamos em off, com Pedro Alagoano na praça, e disse  que em breve vai falar para a imprensa e muito tem o que contar. Sua indignação hoje se deve ao fato de estarem atribuindo muitas séries de coisas negativas à sua pessoa, na história do mensalão do Crato,  disse ele; "Me denominaram com o articulador, os amigos e minha família perguntam porque eu ainda não deixei essa política para cuidar dos meus negócios, pois sou um construtor e comerciante atuante em todo cariri e estados vizinhos e não preciso estar passando por uma dessa, tenho faltado com o pedido de minha mãe, que não é de hoje que pede para que eu saia da política, mas agora pensa seriamente em  atender o seu pedido de deixar de vez a política."
   
EM SUMA: SÃO SINAIS QUE ESTÃO SOFRENDO COM TUDO DE NEGATIVO QUE CAIU SOBRE SUAS CABEÇAS ATÉ QUE PROVEM O CONTRÁRIO, MAS COM TODOS ESSES EXEMPLOS NEGATIVOS  QUE DENIGREM O NOME DE CADA UM DENUNCIADO E QUE ATINGEM  A IMAGEM DO LEGISLATIVO, MUITOS NÃO ESTÃO NEM AI, E CONTINUAM  IGNORANDO SUAS VERDADEIRAS FUNÇÕES  PARA AS QUAIS FORAM ELEITOS E PRODUZINDO SUBSÍDIOS PARA O “MP”.

Por: Ed Alencar - Repórter
Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


MOVIMENTO PELA REFUNDAÇÃO DO CRATO - Por: Jorge Emicles Barreto



Era uma sexta feira, vinte e três de janeiro de 1914. Reunidos em frente à casa do patriarca de Juazeiro toda uma tropa de romeiros estava pronta para a mais ousada de todas as investidas que tiveram vez na revolução daquele ano que culminaria com a deposição do Presidente do Estado do Ceará, o Coronel Franco Rabelo. Naquela ocasião, jagunços transmudados em beatos, armas depostas e face de êxtase aguardavam as sacras palavras do velho padrinho Cícero. Por sua vez o sacerdote ao tempo em que dava a ordem para a invasão da vizinha cidade de Crato, pontificava: 

O Crato é minha terra, meu torrão natal. Só permito um combate como esse para tanger de lá os meus inimigos, de uma vez por todas. Eles querem cortar minha cabeça, acabar com os romeiros e destruir o Juazeiro, esta terra santa de Nossa Senhora das Dores.Vão. Não bebam cachaça, para não fazerem besteira. Não atirem à toa, pois todos sabem que não dispomos de muita munição. Chegando na entrada da rua do Crato, não queiram penetrar logo na cidade, demorem um pouco, dando tempo para as famílias se retirarem. Deixem fugir também os soldados que não quiserem guerrear. Não persigam, de maneira nenhuma, os fugitivos. Deixem livres os caminhos do seminário e da casa de caridade. Não importunem quem quiser se refugiar lá dentro. Respeitem a casa do vigário Quintino e qualquer pessoa que vá se esconder nela. Não destruam as residências e muito menos matem pessoas que não estejam em combate.

Partida a tropa para o cumprimento da missão, quedou-se o velho sacerdote trancafiado em seu quarto, em desassossego, empunhando um crucifixo em direção a sua terra natal, traçando com ele largos gestos, como se desenhasse várias cruzes no ar. Segundo o relato de um cratense, o médico Irineu Pinheiro, o Crato possuía superioridade em armas e homens. Mesmo assim, graças à coragem destemida dos romeiros, mas, sobretudo à covardia incompetente dos governistas, os mais fracos venceram. É o mesmo Irineu Pinheiro que atesta, sobre as forças defensivas de Crato, que 
pode dizer-se sem risco de erro que da falta absoluta de capacidade de direção da gente do governo resultou a queda fácil do Crato, principal centro de resistência governista no sul do Estado. Poderia defende-lo vantajosamente a guarnição da cidade e se, por ventura, fosse excepcionalmente vigorosa a pressão dos atacantes, inda assim, seria eficientíssimo o auxílio de Barbalha, onde se achavam centenas de homens da polícia.

Por isso, continua o culto cratense, vencera a tenacidade, a coragem dos romeiros que, com escassos tiros em suas cartucheiras, obrigados, portanto, a poupá-los não desanimaram e fizeram recuar e correr diante de si o inimigo bem municiado, abrigado em sacos de algodão, ou protegido pelos muros das casas.

Antropologicamente, pode-se dizer que é desta invasão, hoje centenária, que nasce o rancor que as elites cratenses ainda hoje alimentam contra a metropolitana Juazeiro do Norte. Mas historicamente, resta fincada a data da extinção do Crato, seja como cidade, como centro de cultura ou polo de comércio. Portanto, comemoramos modernamente os cem anos da extinção do Crato, que na última centúria permaneceu viva somente no soberbo orgulho e na míope visão de sua incompetente elite. Eis as razões remotas da decadência e irrecorrível declínio da ciosa terra de Bárbara de Alencar. Eis a razão porque a memória viva das datas histórias desta terra, Huberto Cabral, não bradou aos quatro cantos a histórica data do centenário da queda do Crato.

De lá para cá, o Crato assiste enciumado o engrandecimento de Juazeiro do Norte, ao mesmo tempo em que lamenta os investimentos e as instituições que paulatinamente vem perdendo, mas também os muitos que deixou de ganhar. Os escândalos que povoam modernamente a vida do Legislativo e Executivo local, são meros reflexos deste já longo movimento histórico, que apenas culminam a marca da insensatez e incompetência de nossas elites. É a ela, a inglória, arrogante e medíocre elite cratense, a quem se deve o malogro histórico desta terra. E deste malogro, não há mais saída, pois o bonde da história já passou, deixando para trás, choramingando pelo desprezo, todo um povo, que em certo e remoto dia, já foi a capital da cultura e do folclore, centro de conhecimento e relevante polo de comércio do nordeste brasileiro. Agora é vergonhoso foco de denúncias de corrupção e desmandos da coisa pública.

A única solução possível para esta malsinada terra é a sua ré fundação. Esqueçamos o brado de José Martiniano, que primeiro proclamou a república, pois junto com aquele grito, pusemos no poder local o egocentrismo do bacamarte e a mesquinhez do pensamento politiqueiro mais energúmeno, o mesmo que ainda hoje povoa as rodas palacianas. Deixemos de lado o título de capital da cultura, pois ele nada mais é senão o símbolo de que já há cem anos, toda esta terra encontra-se paralisada no tempo, renunciando ao desenvolvimento sustentável e a uma economia saldável. Abandonemos o inútil culto aos gloriosos nomes da nossa elite, pois são eles, exatamente eles, os grandes responsáveis pela nossa derrocada. As ilustres famílias desta terra são na verdade seus mais terríveis algozes, os culpados históricos pela nossa opróbia queda.

Comecemos do nada, da estaca zero. Cultivemos os valores da ética, da honestidade e da verdade, ao invés da mesquinhez, arrogância, prepotência e covardia que preenchem vergonhosamente as páginas dos últimos cem anos de história do Crato. Ré fundemos esta cidade, pois esta é a única esperança de transmudar o caos do presente em esperança e prosperidade, abandonando de vez a vergonhosa história que nos precede!

Jorge Emicles Pinheiro Paes Barreto
Advogado - Colaborador do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


Não conhecemos o Cariri –– por Jocélio Leal (*)


(Matéria publicada na coluna “Vertical S/A”, do jornal O POVO, domingo, 23.fev.2014)

1. Fortaleza não conhece o Cariri. Nem Fortaleza nem boa parte do País. Em verdade, tem alguma noção, no mais das vezes, do seu maior símbolo, Padre Cícero. Além dele, a Exposição do Crato e a festa do pau da bandeira, em Barbalha. Em bem menor medida, a riqueza do Geopark Araripe, um conjunto de nove geossítios. O geoparque caririense é o primeiro da América Latina e Caribe. Tem 3.796 km² de território definido, com geossítios de imenso valor científico, histórico, cultural e ambiental. Todos com valor geológico e paleontológico. O acervo de fósseis de insetos, plantas, répteis voadores, peixes, tartarugas e crocodilos é incalculável. Coisa para 120 milhões de anos, quando ali quase tudo era água. O Geopark deveria ser a âncora de algo muito maior. Tem potencial para ser uma atração turística internacional, capaz de atrair os tão desejados turistas qualificados e de bom perfil. Mas o que se vê é ainda muito subaproveitamento.
2. Um museu no Crato reúne amostras e réplicas de cada um dos nove geossítios. Tem guias dedicadas, mas oferece infraestrutura precária. Nem sempre está aberto. A riqueza não foi devidamente aberta. O Governo constrói aeroportos para reforçar polos turísticos importantes, como Canoa Quebrada e Jericoacoara. Mas no Cariri, embora acanhadíssimo, já há um. E tem voos diários para Fortaleza, Recife, São Paulo, Campinas e Brasília.. Voo, portanto, não é por assim dizer, um problema. 
3. Quem vai a Juazeiro do Norte se depara com uma cidade de economia vigorosa. A despeito do 5º PIB, atrás do 4º lugar, Sobral, é notório que por lá circula mais dinheiro. O comércio e o serviço têm essa capacidade. A cidade experimenta boom econômico motivado pelos novos cursos superiores (há uma nova universidade federal, a UFCA). Tem agora um hospital regional e novas torres residenciais em obras. Todas as grandes montadoras têm concessionárias lá. Grandes cadeias de supermercados e de eletroeletrônicos idem. As coisas acontecem. Mas fica a sensação de que poderia ser muito mais.
(*) Jocélio Leal, editor-executivo do Núcleo de Negócios de O POVO.
                                           

Notícias do domingo, 23 de fevereiro (por Armando Rafael)

Dom Fernando Panico vai sagrar novo bispo de Caicó


Monsenhor Antônio Carlos Cruz Santos (foto ao lado) , recém-nomeado novo bispo de Caicó (RN), telefonou para  Dom Fernando Panico, convidando o bispo de Crato para ser um dos seus “sagrantes” de ordenação episcopal, no próximo dia 10 de maio, na cidade de São Gonçalo, estado do Rio de Janeiro.  O futuro bispo de Caicó tem 52 anos de idade, e pertence à mesma congregação de Dom Fernando Panico. Ele é atualmente provincial dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus na arquidiocese de Juiz de Fora (MG), mas nasceu no Rio de Janeiro. No seu telefonema de convite, monsenhor Antônio Carlos informou que, embora carioca, é filho de nordestinos nascidos em Alagoas e, na sua infância, ouvia muito os pais falarem no Padre Cícero. “Tenho muitas afinidades com o Nordeste”, disse Dom Antônio Carlos, que é o quarto bispo brasileiro oriundo da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração.

Centenário da Diocese: Catedral terá a “Sala do Centenário”

Por iniciativa do Cura da Catedral de Nossa Senhora da Penha, padre Francisco Edimilson Neves Ferreira, no encerramento do Ano do Centenário da Diocese de Crato será inaugurada, nas dependências anexas daquela igreja, a “Sala do Centenário”. Trata-se do mais novo memorial da cidade de Crato, o qual abrigará em seu acervo peças relacionada à história centenária da nossa diocese.

Um bom sacerdote

Padre Edimilson  (foto à esquerda, feita por Dihelson Mendonça) tem se constituído num baluarte dos festejos do centenário da Diocese de Crato. Graças ao seu amor à Igreja Católica e à Diocese de Crato, sua lealdade ao Pastor Diocesano, partiram de padre Edimilson algumas das solenidades que vêm marcando o centenário da nossa diocese. A exemplo da solenidade de dedicação da Catedral como seu novo altar em mármore de Carrara; o pedido ao bispo diocesano para oficializar São Fidelis de Sigmaringa como co-padroeiro de Crato; as comemorações pelos 150 anos de nascimento do primeiro bispo, Dom Quintino; as festividades pelos 60 anos da visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima a Crato, dentre outras. Todas essas solenidades foram realizadas ainda em 2013.

Vêm aí novas iniciativas do padre Edimilson

Para 2014, o padre Edimilson pretende publicar um álbum comemorativo à Catedral de Nossa Senhora da Penha. Este álbum, que resgata a história da catedral, será ilustrado com fotos coloridas do riquíssimo acervo histórico-artístico-religioso, hoje exposto no mais importante templo católico do Cariri. O texto é de autoria do historiador Armando Rafael, que fez as pesquisas nos Livros de Tombo e fala sobre a construção do templo, sobre as imagens, capelas e demais acervo existente na Igreja-Mãe da Diocese de Crato.

Nossa Senhora da Penha será venerada em todas as igrejas do Cariri

Semana passada, padre Edimilson viajou para fazer a encomenda de 60 pequenas imagens de Nossa Senhora da Penha – fabricadas em fibra, de excelente qualidade – as quais serão adquiridas pelas 55 paróquias e os três santuários existentes na Diocese de Crato. Cada paróquia e santuário terão, nas suas dependências, uma réplica da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha – Rainha e Padroeira do Crato e da Diocese – ( foto à direita ) para lembrar perpetuamente o Centenário de criação da Diocese. Essas imagens serão bentas pelo cardeal enviado do Papa, que virá a Crato fazer a coroação solene da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha, quando do encerramento do Ano do Centenário de criação desta Igreja-Particular.

Catedral terá galeria dos Papas

Desde que foi criada, em 1914, a população da Diocese de Crato viu passar – pelo Trono de São Pedro – nove Papas: Bento XV, Pio XI, Pio XII, João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e o atual, o Papa Francisco. A memória desses nove papas será preservada numa galeria que integrará o acervo da Sala do Centenário, a ser inaugurada em outubro próximo nas dependências da Catedral de Nossa Senhora da Penha. As nove telas, cada uma medindo cerca de 1 metro, já foram adquiridas em Roma, por Dom Fernando Panico e já chegaram a Crato. Elas serão presenteadas por Dom Fernando aos seus diocesanos.
                                                                                                                                         

São Paulo: protesto “Não vai ter Copa do Mundo” tem confronto e mais de cem detidos

Polícia usou bombas para conter a ação de black blocs, que destruíram agências bancárias e depredaram orelhões a cerca de 300 metros da prefeitura

Manifestantes mascarados entraram em confronto com policiais militares no Centro de São Paulo, neste sábado. O protesto, contra a realização da Copa do Mundo no Brasil, terminou com mais de cem detidos. A polícia usou bombas de efeito moral para conter os vândalos, que depredaram agências bancárias e orelhões. Tudo aconteceu na altura da Rua Xavier de Toledo, a apenas 300 metros da prefeitura.
Além dos black blocs, a polícia paulista também deteve pelo menos cinco jornalistas com golpes de luta, como mata-leão, entre eles, os repórteres Reinaldo Turolo, da Folha de São Paulo, Sérgio Roxo, do Jornal O Globo, e Fábio Leite, do Estadão que trabalhavam durante o protesto. O comando da operação, coronel Ben Hur e major Genivaldo Antonio, não souberam informar ao site de VEJA o motivo das prisões. A reportagem foi retirada do local pelo coronel Celso Luiz, quando registrava a captura de jornalistas e manifestantes. Segundo a PM, todos os jornalistas detidos foram liberados.
(Site da revista VEJA)

Conversa de engenho - Por: Emerson Monteiro


As sombras longas do fim de tarde casavam bem com o clima morno que se estabeleceu no beco entre a casa grande e o engenho, onde, acocorados, os homens da moagem ouviam atentos as narrativas do cigano Lourenço a propósito de seus sonhos e andanças pelo mundo, embalados na zoeira festiva da meninada a correr em volta, agitação natural de quem aceita as coisas e nelas se integra.

Fez-se no ar apito estridente do locomove ao término da jornada, liberava no eito a turma dos cortadores de cana, enquanto os ouvintes estiravam na distância o sentimento para buscar a vegetação do outro lado da represa o voo suave das garças silenciosas, salpicando de brancas reticências o azul metálico da tarde em declínio, por cima de troncos calcinados das carnaubeiras; palmas tremeluzentes e ruidosas. O vento, por seu turno, escamava as ondas e distorcia a imagem das nuvens no leito do açude velho.

Palavras e aves do entardecer raspavam de leve os chapéus de palha dos caboclos, retorcidos pelo sol e manchados de suor, noturna sensação de abismo que entorpeceu os ânimos, alguns a esfregar os olhos no canto dos dedos, qual querendo despertar de sono pesado e guardar com esforço o que ouviam.

Lourenço pôs-se de pé; catou as cordas dos burros e bateu-lhes nas ancas, tangendo-os ladeira abaixo na direção do reservatório. Meio caladão, tinha desses instantes de ficar sem saber explicar direito o porquê de se chegar naqueles assuntos graves, novidades antigas do interesse de quase ninguém e necessidade eterna dos mortos e vivos. Saber para onde se vai depois, quando acabar isso daqui.

O focinho dos animais, na calma das águas, ia desenhando movimento de ondas sucessivas, chamando a atenção do viajante para o sentido que tomavam, indo quebrar nas margens de pedra e argila ou se faziam mais extensas e rumavam para longe, no leito das águas profundas, oscilando a babugem esverdeada e as moitas de mofumbo adiantadas no lodo, quebrando o repouso das rachanãs e galinhas-d’água.

- ... Muitas oportunidades individuais - repetiu baixinho as derradeiras palavras de há pouco, querendo gravar, qual saíssem de uma outra boca que não a sua.

Vice-Prefeito Raimundo Bezerra Filho desmente boatos de que teria ido depor na PROCAP, pois se encontrava em Manaus







Depois de toda a movimentação de sexta feira 21/fev, nos bastidores do Ministério Público da Comarca do Crato, que marcava o encerramento dos depoimentos das pessoas convocadas para o chamado “mensalão do Crato”, correu um boato que alguém do Crato, tinha também prestado depoimento ontem (21), na PROCAP em Fortaleza e essa pessoa seria o vice-prefeito Raimundo Filho, assegurado por fonte fidedigna.  

Mas nesta manhã de sábado (22), por volta do meio dia, encontramos Raimundo Filho que chegou hoje de Fortaleza, vindo de Manaus, e desmentiu a notícia, até mesmo porque segundo ele, o coordenador Dr. Mauricio Carneiro, se encontrava aqui no Crato, finalizando os trabalhos dos depoimentos junto aos vereadores.

Disse à nossa reportagem Raimundo Filho, que realmente já foi consultado pela justiça, se ele poderia colaborar com as investigações no caso de uma convocação;  Ele disse que sim, que estaria à disposição, se convocado. O vice falou também, que nos últimos dois anos só encontrou o ex-prefeito Samuel Araripe por duas vezes de passagem, uma vez no aeroporto em Juazeiro do Norte e outra vez quando comprava um livro no centro do Fortaleza, num rápido cumprimento cordial.

Quanto ao prefeito Ronaldo, disse que não o tem visto nestes quatro meses, o último encontro foi no último domingo de outubro do ano passado ( 2013 ), e não tem recebido mais convites para compromissos públicos junto ao prefeito e nem lhe representado, ultimamente tem se dedicado ao seu trabalho junto à sua empresa, e que vem  acompanhando as noticias do caso "Mensalão do Crato" pela imprensa.

Por: Ed Alencar - Repórter
Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe



Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31