xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 27/11/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

27 novembro 2013

Famílias de baixa renda do Cariri serão beneficiadas com o Brasil sem Miséria


Os gerentes regionais da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce) Cariri, técnicos e agentes executores estiveram reunidos semana passada na Escola Agrotecnica Federal do Crato, planejando a implantação na região do Plano Brasil Sem Miséria, do governo federal que tem objetivo de retirar da situação de extrema pobreza 16,2 milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha de pobreza, dos quais, dez milhões estão no Nordeste. 

No Ceará, 1,5 milhão de famílias vivem nessa situação, sendo 48,3 % na zona urbana e 51,1 % na área rural, com renda per capta mensal de 70,00. Eles representam 17,79 % de toda a população do estado, ou seja, 8,4 milhões em meio urbano e 24,9 % na zona rural. No Cariri, segundo informações da Karitas Diocesana e do Ministério de Desenvolvimento e Combate a Fome, são mais de 150 mil pessoas em situação de pobreza ou vulnerabilidade, das quais, mais de 41 mil estão nas três maiores cidades da região: Crato com 13 mil pessoas, Barbalha com 7 mil e Juazeiro do Norte com 24 mil pessoas em situação preocupante de miséria. O plano vai contemplar mais de 9 mil famílias de todos os municípios do Cariri, investimento superior a 12 milhões de reais. Cada família poderá obter como empréstimo 2 mil e 400 reais para pagar em três parcelas. 

O dinheiro será aplicado em pecuária, agricultura, criação de animais, processamento de alimentos, indústria rural caseira, artesanato com matéria prima do extrativismo e muitas outras ações que possam lhes dar benefícios que garantam a sobrevivência familiar.

O Plano Brasil Sem Miséria trabalhará melhorias na renda familiar, acesso a serviços públicos, saúde, educação, abastecimento de água, esgotos, energia elétrica, documentação, ausência de produtividade e inclusão social e produtiva. Para ter direitos aos benefícios as famílias devem está inseridas no Cadastro Único Nacional, isto é, estarem participando dos programas sociais do governo. A ematerce é o órgão responsável pela execução do programa no Cariri e está realizando o processo de inclusão e cadastrando as famílias com os perfis exigidos. A gerente regional, Elcileide Mendonça acredita no efeito positivo do Brasil Sem Miséria no Cariri, uma das regiões detentora dos maiores índices de pessoas vivendo em estado de vulnerabilidade social. 

O secretário extraordinário para a Superação da Extrema Pobreza do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a fome, Tiago Falcão, disse que o programa, em outras regiões do País onde já está implantado, os efeitos são positivos. No Ceará, por exemplo, disse ele, o Plano Brasil Sem Miséria influenciou na expansão da cobertura do Bolsa Família, passando de 1,03 milhão de beneficiários para 1,07 milhão. O beneficio médio também cresceu saindo dos 98,00 para 120,00. Falcão espera que esses mesmos impactos positivos também sejam sentidos na população carente do Cariri.

Uma das exigências do programa é a família beneficiária ter a posse do terreno ou do espaço aonde será montado o pequeno negócio. Antonio Nogueira Batista é sociólogo e trabalha há 20 anos como agente social. Ele acha que os resultados positivos do Brasil Sem Miséria serão imediatos no Cariri, região que, para ele, tem uma população trabalhadora, criativa e o que lhes falta é apenas oportunidades e recursos financeiros, e são exatamente as condições que o plano oferece. Para melhores informações, os interessados devem procurar os escritórios da ematerce no Cariri.

Por: Wilson Rodrigues
Radialista/Repórter
Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


SECA - Produtor Rural recebe apoio governamental para o enfrentamento da estiagem


O governo federal liberou quase três bilhões de reais para o enfrentamento da seca no Nordeste. Antecipou o garantia safra, abriu linha de créditos para lojistas, setores das indústrias e produtores rurais em credito especial no Banco do Nordeste. 

No mesmo programa foi incrementada a operação carro-pipa com mais de três mil veículos levando água as cidades mais afetadas alem da construção de 111 mil cisternas que serão concluídas até o final de 2013. No Cariri, as cinco agencias do Banco do Nordeste estão operando a lei federal 12.844 e quatro resoluções do Conselho Monetário Nacional que versam sobre liquidação com rebate e amortização das operações rurais contratadas até 31 de dezembro de 2006 com qualquer fonte publica de recursos no valor original de até 200 mil reais enquadrável por mutuário. Produtores rurais de qualquer porte, cujo empreendimento esteja localizado em município do semiárido ou  onde tenha havido decretação da situação de emergência ou calamidade publica em decorrência da seca, podem ser beneficiados. No Ceará são mais de 170 municípios em situação emergencial.

Segundo o programa, o trabalhador rural que fez empréstimo de até 15 mil reais receberá descontos de 65 %. Acima desse valor, até 35 mil reais, á dedução é de 45 % e entre 35 mil reais a 100 mil reais o abatimento é de 40 %. Para aqueles produtores, com uma ou mais operações contratadas até 30 de dezembro de 2006 de valor original até 200 mil reais e que estejam em situação de inadimplência em 30 de junho de 2012, também serão beneficiados, ficando adimplente podendo fazer novos créditos com prazo de até 10 anos para pagar e carência mínima de 3 anos. A lei 12.844 ainda suspende as execuções judiciais e respectivos prazos prescricionais do mutuário que responde ação judicial por inadimplência, desde que formalize o interesse em liquidar a operação. Para os agricultores familiares a lei prorroga as prestações vencidas e vincendas dos anos 2012, 2013 e 2014 de operações rurais contratadas com recursos obrigatórios do F N E, atualizadas pelos encargos normais para pagamento em até 10 anos, sendo a primeira parcela somente em 2016. 

Para os pronafianos de qualquer porte, pessoas físicas e jurídicas, com saldo devedor e em situação de inadimplência em 31 de dezembro de 2011, podem regularizar a situação com dispensa de multas ou quaisquer sanções, sem exigência de amortização prévia ou outras obrigações.

Para o gerente do Banco do Nordeste de Crato, Albery Vianna de Oliveira, a intenção do governo é colocar os produtores rurais, vitimas da estiagem, em condições de liquidar suas operações e abrir novos créditos para financiar seus negócios. Segundo Albery, na agencia do Banco do Nordeste no Crato são mais de 852 operações que estão enquadradas no sistema de normalização e 30 % dos inadimplentes já aderiram os benefícios da lei, vindo a ser a grande maioria deles de áreas rurais de municípios vizinhos do triangulo crajubar. 

Informou ainda o gerente que, as leis anteriores que tratam do mesmo tema, foram incorporadas na lei 12.844 e nas resoluções do Conselho Monetário Nacional. O Banco do Nordeste recebeu aporte superior a um bilhão de reais para operacionalizar, em todas as suas agencias, o programa de amortização das dividas rurais nos estados nordestinos afetados pela estiagem.

Por: Wilson Rodrigues
Radialista/Repórter
Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


Sesc apresenta Fatinha Gomes


Na sexta-feira (29), o Sesc apresenta, através do projeto Armazém do Som, a cantora Fatinha Gomes, com o show “A Música da Minha Vida”. A apresentação acontece a partir das 19h30, no Teatro Sesc Patativa do Assaré, em Juazeiro do Norte, com entrada gratuita.

Acompanhada pelo violonista Fabricio da Rocha, em um repertório leve e contemporâneo, a cantora faz uma releitura dos sucessos da cantora Diana, com canções como: Canção dos Namorados; Ainda queima a esperança; Porque brigamos; A música da minha vida; No fundo de minha alma.

SERVIÇO
Armazém do Som com Fatinha Gomes
Local: Teatro Sesc Patativa do Assaré – Unidade Juazeiro do Norte do Sesc (Rua da Matriz, 227)
Data: 29/11
Horário: 19h30


SEBRAE e APRECE lutam contra o tempo para implementar lei geral das microempresas


Ao longo das ultimas três décadas o sistema SEBRAE e demais entidades representativas de Micro e Pequenas Empresas vêm trabalhando para que os governos federal, estadual e municipal elaborem e implementem políticas publicas de apoio aos pequenos empreendimentos e que seja efetivamente criado um ambiente político e institucional favorável ao desenvolvimento destes empreendedores. 

Para tanto, em 2006, foi promulgada a Lei Complementar Federal 123, conhecida como “Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas”, notabilizando-se como um marco importante na flexibilização das questões burocráticas no que se refere a simplificação de registro ou baixa de empresas, alem de desonerar e racionalizar a cobrança de impostos, reduzindo a formalidade e estabelecendo um conjunto de benefícios no tocante as compras governamentais, associativismo, acesso ao credito, inovação tecnológica, exportação de produtos, priorizando a participação em pregões e prioridades na resolução de questões judiciais. Somente agora, sete anos depois da promulgação da Lei, é que o Ceará resolveu implementá-la em 143 municípios através do sistema SEBRAE no estado em parceria com a Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece) e Associação dos Tribunais de Contas (TCM). O objetivo é atender ao parágrafo 1º do artigo 77, segundo o qual Distrito Federal, Estados e Municípios possam assegurar o pronto e imediato tratamento jurídico diferenciado, simplificado e favorecido as microempresas e empresas de pequeno porte.

Nesta primeira etapa da implementação o desafio é fazer com que a Lei chegue ao conhecimento do empresariado cearense, sensibilizar os gestores municipais, inclusive com a edição dos atos administrativos complementares, de modo a torná-la efetiva nos municípios onde a mesma já foi regulamentada, criando assim, um ambiente favorável ao desenvolvimento dos pequenos empreendimentos. Nos municípios onde a adesão à implementação está sendo feita, as prefeituras são obrigadas a criarem programas de apoio as micro e pequenas empresas locais, tendo como principal compromisso a instalação da sala do empreendedor com toda infraestrutura, oferecer a logística necessária ao seu funcionamento que possa facilitar o acesso aos beneficiados da lei. No Cariri, em 26 municípios onde o SEBRAE atua, até agora a Lei só foi implementada em Araripe, Brejo Santo, Campos Sales, Caririaçu, Farias Brito, Mauriti e Salitre. O articulador regional do SEBRAE/Cariri, Fabio Bezerra, responsável pela implementação na região, disse que, no Ceará, a exemplo de todo o Brasil, as microempresas e empresas de pequeno porte representam 99 % do total de estabelecimentos, respondem por 48,6 % dos empregos formais e por 41,8 % da massa de remuneração.

Com o beneficio da Lei Geral que ora está sendo efetivada, o setor vai aumentar sua fatia na economia cearense como um todo, incluindo a Região Metropolitana do Cariri e notadamente naqueles municípios distantes da R. M. C. disse Fabio Bezerra. As entidades responsáveis pela implementação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas correm contra o tempo porque, a partir de janeiro de 2014 os Tribunais da União, dos Estados e dos Municípios passarão a exigir o cumprimento do novo sistema e, neste sentido é muito importante que as prefeituras agilizem suas ações dentro da parceria estabelecida, concluiu Fabio Bezerra.

Por: Wilson Rodrigues
Repórter/Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


Para Você Refletir - Por Maria Otilia

Diante dos últimos acontecimentos, por ocasião das inúmeras sessões  tumultuadas da nossa Câmara de Vereadores do Crato, posto abaixo uma fábula que fala do bom senso. Acredito que está faltando este bom senso, tanto nas discussões como na falta da elaboração de bons projetos que realmente sejam de interesse da coletividade. As reuniões estão cercadas de "ameaças, denúncias , bate -boca, disse-me-disse", etc., e que em nada contribuem para que  a  função social desta casa seja efetivada. Principalmente  já faz quase um ano que todos os vereadores foram empossados e diplomados para que exercessem seu verdadeiro papel:  representar os interesses da população.. Será uma maldição esta política do Crato ????   Faça uma boa leitura da fábula.
                                                                      FÁBULA DOS PORCOS ASSADOS


Certa vez, aconteceu um incêndio num bosque onde havia alguns porcos, que foram assados pelo fogo. Os homens, acostumados a comer carne crua, experimentaram e acharam deliciosa a carne assada. A partir daí, toda vez que queriam comer porco assado, incendiavam um bosque...

Mas o que quero contar é o que aconteceu quando tentaram mudar o "sistema" para implantar um novo. Fazia tempo que as coisas não iam lá muito bem: às vezes os animais ficavam queimados demais ou parcialmente crus. O processo preocupava muito a todos, porque se o "sistema" falhava, as perdas ocasionadas eram muito grandes - milhões eram os que se alimentavam de carne assada e também milhões os que se ocupavam com a tarefa de assá-los. Portanto, o "sistema" simplesmente não podia falhar. Mas, curiosamente, quanto mais crescia a escala do processo, tanto mais apareciam falhas e tanto maiores eram as perdas causadas.

Em razão das inúmeras deficiências, aumentavam as queixas. Já era um clamor geral a necessidade de reformar profundamente o "sistema". Congressos, seminários, conferências passaram a ser realizados anualmente para buscar uma solução. Mas parece que não acertavam o melhoramento do mecanismo. Assim, no ano seguinte repetiam-se os congressos, seminários, conferências. As causas do fracasso do "sistema", segundo os especialistas, eram atribuídas à indisciplina dos porcos, que não permaneciam onde deveriam, ou à inconstante natureza do fogo, tão difícil de controlar, ou ainda às árvores, excessivamente verdes, ou à umidade da terra, ou ao serviço de informações meteorológicas, que não acertava o lugar, o momento e a quantidade das chuvas...

As causas eram, como se vê, difíceis de determinar - na verdade, o "sistema" para assar porcos era muito complexo. Fora montada uma grande estrutura: maquinário diversificado; indivíduos dedicados exclusivamente a acender o fogo - incendiadores que eram também especializados (incendiadores da Zona Norte, da Zona Oeste, etc., incendiadores noturnos e diurnos, com especialização, matutinos e vespertinos, incendiador de verão, de inverno, etc.). Havia especialista também em ventos - os anemotécnicos. Havia um Diretor Geral de Assamento e Alimentação Assada, um Diretor de Técnicas Ígneas (com seu Conselho Geral de Assessores), um Administrador Geral de Reflorestamento, uma Comissão de Treinamento Profissional em "Porcologia", um Instituto Superior de Cultura e Técnicas Alimentícias (ISCUTA) e o Bureau Orientador de Reforma "Igneooperativas". Havia sido projetada e encontrava-se em plena atividade a formação de bosques e selvas, de acordo com as mais recentes técnicas de implantação - utilizando-se regiões de baixa umidade e onde os ventos não soprariam mais que três horas seguidas.

Eram milhões de pessoas trabalhando na preparação dos bosques, que logo seriam incendiados. Havia especialistas estrangeiros estudando a importação das melhores árvores e sementes, fogo mais potente, etc. Havia grandes instalações para manter os porcos antes do incêndio, além de mecanismos para deixá-los sair apenas no momento oportuno. Foram formados professores especializados na construção dessas instalações. Pesquisadores trabalhavam para as universidades para os professores especializados na construção das instalações para porcos; fundações apoiavam os pesquisadores que trabalhavam para as universidades que preparavam os professores especializados na construção das instalações para porcos, etc.

As soluções que os congressos sugeriam eram, por exemplo, aplicar triangularmente o fogo depois de atingida determinada velocidade do vento, soltar os porcos 15 minutos antes que o incêndio médio da floresta atingisse 47 graus, posicionar ventiladores-gigantes em direção oposta à do vento, de forma a direcionar o fogo, etc. Não é preciso dizer que os poucos especialistas estavam de acordo entre si, e que cada um embasava suas idéias em dados e pesquisas específicos. Um dia, um incendiador categoria AB/SODM-VCH (ou seja, um acendedor de bosques especializado em sudoeste diurno, matutino, com bacharelado em verão chuvoso), chamado "João Bom-Senso", resolveu dizer que o problema era muito fácil de ser resolvido - bastava, primeiramente, matar o porco escolhido, limpando e cortando adequadamente o animal, colocando-o então sobre uma armação metálica sobre brasas, até que o efeito do calor - e não as chamas - assasse a carne.

Tendo sido informado sobre as idéias do funcionário, o Diretor Geral de Assamento mandou chamá-lo ao seu gabinete, e depois de ouvi-lo pacientemente, disse-lhe: 

- Tudo o que o senhor disse está muito bem, mas não funciona na prática. O que o senhor faria, por exemplo, com os anemotécnicos, caso viéssemos a aplicar a sua teoria? Onde seria empregado todo o conhecimento dos acendedores de diversas especialidades? 

- Não sei - disse João.

- E os especialistas em sementes? Em árvores importadas? E os desenhistas de instalações para porcos, com suas máquinas purificadoras automáticas de ar?

- Não sei.

- E os anemotécnicos que levaram anos especializando-se no exterior, e cuja formação custou tanto dinheiro ao país? Vou mandá-los limpar porquinhos? E os conferencistas e estudiosos, que ano após ano têm trabalhado no Programa de Reforma e Melhoramentos? Que faço com eles, se a sua solução resolver tudo? Heim? 

- Não sei - repetiu João encabulado.

- O senhor percebe agora que a sua idéia não vem ao encontro daquilo de que necessitamos? O senhor não vê, que, se tudo fosse tão simples, nossos especialistas já teriam encontrado a solução há muito tempo atrás? O senhor com certeza compreende que eu não posso simplesmente convocar os anemotécnicos e dizer-lhes que tudo se resume a utilizar brasinhas, sem chamas! O que o senhor espera que eu faça com os quilômetros e quilômetros de bosques já preparados, cujas árvores não dão frutos e nem têm folhas para dar sombra? Vamos, diga-me. 

- Não sei, não senhor.

- Diga-me, nossos três engenheiros em Porcopirotecnia, o senhor não considera que sejam personalidades científicas do mais extraordinário valor? 

- Sim, parece que sim.

- Pois então. O simples fato de possuirmos valiosos engenheiros em Porcopirotecnia indica que nosso sistema é muito bom. O que eu faria com indivíduos tão importantes para o país?

- Não sei.

- Viu? O senhor tem que trazer soluções para certos problemas específicos - por exemplo, como melhorar as anemotécnicas atualmente utilizadas, como obter mais rapidamente acendedores de Oeste (nossa maior carência), como construir instalações para porcos com mais de sete andares. Temos que melhorar o "sistema", e não transformá-lo radicalmente, o senhor, entende? Ao senhor, falta-lhe sensatez!

- Realmente, eu estou perplexo! - respondeu João.

- Bem, agora que o senhor conhece as dimensões do problema, não saia dizendo por aí que pode resolver tudo. O problema é bem mais sério e complexo do que o senhor imagina. Agora, entre nós, devo recomendar-lhe que não insista nessa sua idéia - isso poderia trazer problemas para o senhor no seu cargo. Não por mim, o senhor entende. Eu falo isso para o seu próprio bem, porque eu o compreendo, entendo perfeitamente o seu posicionamento, mas o senhor sabe que pode encontrar outro superior menos compreensivo, não é mesmo?

João Bom-Senso, coitado, não falou mais um "A". Sem despedir-se, meio atordoado, meio assustado com a sua sensação de estar caminhando de cabeça para baixo, saiu de fininho e ninguém nunca mais o viu. Por isso é que até hoje se diz, quando há reuniões de Reforma e Melhoramentos, quem sempre falta é o Bom-Senso


Autor Desconhecido

Vereador garante que ATA da Câmara Municipal do Crato foi adulterada para beneficiar parecer jurídico.


Em nota publicada na tarde desta quarta-feira no seu perfil da rede social Facebook, o vereador cratense Bebeto Anastácio disse que após assistir às gravações da sessão de aprovação da CPI, constatou a adulteração da ata do dia 29 de outubro, sessão em que foi aprovada a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito.

Segundo Bebeto: "A ata da sessão do dia 29 do mês passado, sessão na qual aprovamos a instalação de uma Comissão Parlamentear de Inquérito é uma farsa, ou seja, foi confeccionada pra dar subsídios ao Assessor Jurídico da Câmara emitir um parecer contrário ao requerimento que deu origem a aprovação da CPI."

Acrescentou: "O próprio Vereador Paulo de Tarso que contestou tanto a instalação da CPI foi quem Secretariou e leu o requerimento no expediente dando entrada, inclusive suprindo o suposto defeito existente no requerimento e em seguida assinado e aprovado por 14 Vereadores como manda o nosso Regimento Interno. E o mais grave, a retificação feita no final da referida ATA diz que as deliberações só foram feitas após a sessão. Isso não aconteceu, foi deliberado no decorrer da sessão, ou seja, apresentado no expediente, e em seguida colhida as assinaturas necessárias como manda o nosso Regimento Interno. Portanto quando o Vereador ( E presidente ) Luis Carlos Saraiva na imprensa disse que a aprovação do requerimento foi após a sessão, não é verdade, mesmo ele dizendo que está na Ata, as gravações da sessão não mentem, elas mostram que tudo ocorreu na sessão e não após a mesma. "

O vereador Bebeto afirma ainda que estará publicando nesta quinta-feira a documentação que respalda estas afirmações, em textos e vídeos das sessões.

Com informações de Bebeto Anastácio


Ministério Público pede quebra de sigilo Bancário e Telefônico dos vereadores envolvidos nas denúncias de mensalão cratense


Segundo reportagem de Ed Alencar ao Blog do Crato, o Ministério Público já pediu a quebra de sigilo bancário e telefônico dos vereadores envolvidos na denúncia de mensalão da Câmara Municipal do Crato. Ainda segundo a reportagem, o presidente Luis Carlos Saraiva confirmou que teria ouvido a fita das denúncias ANTES DA VOTAÇÃO DAS CONTAS DO EX-GESTOR, e respondeu que o ex-prefeito Samuel Araripe lhe procurou e no carro dele ouviu parte da fita.

Veja mais na matéria do repórter Ed Alencar, logo abaixo, aqui no Blog do Crato
www.blogdocrato.com 
Na foto: Vereador Dárcio Luiz, que relatou o suposto esquema da compra de votos.



Antenor Muniz Gomes de Matos - Por: Valdemir Correia de Sousa


Na semana passada, faleceu em nossa cidade o engenheiro agrônomo, Antenor Muniz Gomes de Matos. foi uma triste noticia a do seu falecimento, e que dada a amizade que eu tinha com o mesmo, nao poderia deixar passar o infausto acontecimento, sem expressar as condolências tanto minha como de minha familia. 

Antenor, para iniciar o seu curriculum, era filho de Dr. Antenor e de D. Maria Muniz, duas figuras da maior expressão nos nossos meios sociais e familiares, dado que  com uma  familia composta por gomes de matos, muniz, sampaio, que é um marco da nossa sociedade, e que muito prestígio e trabalho agregou ao Crato e a regiao do Cariri. D. Maria Muniz, faleceu ano passado, depois  que uma impiedosa doenca, sem dar tréguas conseguiu tirar a guerreira do nosso convivio, digo guerreira, pois não tinha outra expressão para chamá-la. Casada com dr. antenor, irmão de  três, e da célebre doutora Artemísia gomes de matos, enfermeira, casada com o ilustre  advogado Dr. Luiz de Borba Maranhao, morava e trabalhava  onde hoje se situam as lojas Zenir. Como farmaceutica, ela mesma atendia na sua farmácia sempre com um sorriso nos lábios que era a sua caracteristica. 

Mas voltando a falar um pouco sobre D. Maria Muniz, a mesma ficou viúva muito cedo e com os filhos pequenos. Como tinha que cuidar dos mesmos e dar-lhes a devida educação, como de fato o fez, saiu da casa da Rua dos Cariris e foi morar no Brejo ao lado do engenho. Logo cedo por volta das três da madrugada, o apito acordava os trabalhadores que ao chegarem, já a encontravam toda vestida de preto, guardando ainda o luto pelo marido, ato que ela  usou durante muito tempo, so tendo amenizado um pouco, a pedido dos próprios filhos que viam quanto era improprio o uso de roupa preta, no meio de um engenho com temperaturas altíssimas. Nesta época Sonia Rolim, herdou de sua mae dona Anuzia, esposa do ex-bancario Mozart Rolim, uma gleba  de terra, situada no brejo, vizinho a Maria Muniz. 

A mesma mostrou interesse em comprá-las porem Sonia tinha interesse em um terreno situado na Rua Mons. Esmeraldo, esquina com Dr. Joao Pessoa, onde hoje se situa o bradesco, que era de D. Maria Muniz, e fizeram uma permuta. Aí e que vai entrar a atuacao de antenor, de um lado, defendendo a mae, e eu do outro defendendo Sonia, na escritura, o terreno tinha declarado 28 tarefas, e que o preco da tarefa era caro, fomos medir o mesmo. Com uma corrente, Antenor numa ponta, e eu na outra, cada qual puxava mais para seu lado. Medimos o terreno 5 vezes, ate que encontramos um denominador comum, ou seja as 28 tarefas, e nao 27 como queria Antenor , ou 29 como eu queria. Passada a medição, fiquei muito tempo com o dedo mindinho inflamado, e que mesmo depois de muito tempo, mais de trinta anos, ainda tenho sequelas. 

Antenor do outro lado, tambem, segundo dizia, nao sei se brincando, com o braco direito um pouco torto, quando nos encontrávamos falava...veja meu braço, e eu dizia, veja meu dedo..Antenor partiu ainda jovem, 60 anos, com uma alegria contagiante. Sempre alegre, nunca vi o mesmo com raiva. Deixou 3 filhas e 4 irmaos, sendo.. Alcides, Ze adega, Carlos  e Heitor. Vai com Deus, Antenor. 

Seja feliz ai em cima como foi aqui na terra. Com saudades

valdemir correia
Fortaleza,27 de novembro de 2013  
Foto: Wilson Bernardo


CRATO - Vereadores deram uma rasteira na CPI - Sessão de Terça-Feira, 26 de Novembro


A sessão da Câmara Municipal do Crato andou na contramão do seu regimento interno nesta terça-feira (26), e aprovaram  o parecer  da assessoria jurídica da câmara, contra a criação da CPI, por 12 votos da bancada que apóia o prefeito Ronaldo, contra 05 da oposição. 

O duelo de interpretações do regimento interno entre os vereadores da situação e da oposição ocupou a maior parte dos debates antes da votação, e mesmo assim, com o prazo vencido para o recurso, ( que deveria ser enviado para o plenário não foi ), e sem o parecer da comissão e justiça. O requerimento não podia ser tirado sem as assinaturas dos vereadores que assinaram. Isso não aconteceu, e o requerimento tinha sido votado e aprovado. Segundo o vereador Bebeto: "O presidente mesmo sabendo, vem cometendo a cada dia um ato de improbidade absurda e isso é uma covardia e falta de responsabilidade". 

O presidente Luis Carlos Saraiva culpou a sessão realizada no dia 29/out, com a ocupação tumultuada, das pessoas com vassouras nas mãos, que tinha suspendido a sessão, depois retomou e teve que encaminhar o requerimento  dos vereadores para um parecer jurídico. A decisão era dele, mas resolveu dividir aquela decisão com o plenário que aprovou o parecer pela inconstitucionalidade, e um novo requerimento já está circulando de forma correta onde ele mesmo irá assinar. 

Luis Carlos lembra que o Ministério Público já está apurando e já pediu a quebra de sigilo bancário e de telefone dos vereadores e vai dar todo apoio a essa investigação. Perguntado se o presidente já teria ouvido a fita das denúncias antes da votação das contas do ex-gestor, respondeu  que o Samuel Araripe lhe procurou e no carro dele ouviu parte da fita tendo pedido a fita na íntegra onde foi negado.

O vereador Bebeto disse que vai trabalhar na coleta de cinco mil assinaturas, para através de um projeto popular, a câmara vote a redução de 2/3 pra 1/3, para  abertura de “CPI”, com apenas (7) sete vereadores. Bebeto faz um pedido para a Justiça e Ministério Público, entre com uma ação para afastar logo os vereadores que foram citados na reunião e chamem os suplentes para que seja aprovada a “CPI”. O vereador revela que existiu mais uma reunião que  será importante para a elucidação de tudo. 

Em suma: A câmara vem nadando contra a maré daquilo que a população espera,  com isso, a justiça e o Ministério Público, vão acumulando processos  e mais processos  até que um dia a casa caia. Como diz o ditado: “O peixe morre pelo bolso, ou melhor, pela boca”

Por: Ed Alencar
Repórter/Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe
Foto ilustrativa: J. Lopes





Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30