xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 25/11/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

25 novembro 2013

Sessão da Câmara desta Segunda-Feira ( 25 ) - CPI, só como diz a música "Amanhã, talvez" - Por: Ed Alencar


Nota do Editor: A Câmara do Crato em estado agonizante!


Mais uma decepção para quem compareceu à sessão da Câmara Municipal do Crato desta segunda feira (25). A tão esperada “CPI da CÂMARA”, não saiu, tá mais difícil que perna de cobra, ficou para amanhã, ai é só cantar a música da Joana, “Amanhã talvez”. Enquanto  houver amanhã... vai chegar o fim dos mandatos dos vereadores e nada!

Para complicar mais ainda, o tão esperado parecer da assessoria jurídica da câmara, solicitado pelo presidente Luiz Carlos, (aleluia...) saiu!! Dizendo que o requerimento é “inconstitucional”; Foi motivo de riso do vereador Bebeto Anastácio, que disse divergir do próprio regimento interno e considera o parecer como uma “manobra”, e que estão fazendo o povo de “palhaço”. Bebeto chama o povo para dizer não a esses desrespeitos. O vereador vai esperar até a sessão de terça feira (26), para seguir o que diz o regimento  interno da casa para a formação da CPI, indicando os nomes.

UM BATALHÃO MILITAR ?

Geralmente,  quando os requerimentos dos vereadores da oposição  aparecem convocando  alguém da administração municipal para prestar esclarecimentos na câmara, entra em cena, como se fossem um regimento militar, os vereadores da situação, ao receberem o comando de voz do presidente da casa para a votação de quem é contra ou a favor. Eles, num sincronismo de órdem de fazer inveja a muitos batalhões  por ai, se levantam unidos como uma continência, de dever cumprido a um chefe maior invisível e garantindo via internet aos olhos do povo. 

Assim aconteceu na sessão desta segunda feira, quando foi rejeitado o requerimento do vereador Bebeto Anastácio, convocando o secretário de finanças do município para esclarecimentos sobre a arrecadação nas vendas dos bilhetes da “zona azul” e de outras informações sem respostas, feitas pelo vereador, que após a desaprovação dos vereadores do Crato, para o não comparecimento do secretário de finanças à câmara, desobedecendo a lei maior. O vereador Bebeto vai entrar via justiça, MP, contra o secretário e outros que também vem fazendo descaso. 

Para o vereador  Amadeu de Freitas, disse lamentar que os vereadores na maioria, não entendam que situações como a do zona azul, não sejam importantes serem discutidas com o secretário de finanças, pela forma incorreta da cobrança e recolhimento aos cofres públicos  desses recursos. 

BATE-BOCA DESRESPEITOSO NO PLENÁRIO.

O vereador Fernando Brasil e um cidadão que já teve bastante conflito com este vereador, voltaram a se desentender nessa sessão. Em resposta aos insultos, o  vereador lhe devolvia com “beijinhos”, deixando mais furioso o seu desafeto na platéia. Já no final da sessão, o vereador Fernando Brasil, solicitou do presidente Luiz Carlos, que pusesse moral no recinto da câmara, onde o presidente retrucou dizendo; “Como, se o senhor sai soltando beijinho pra ele”.  

Em suma: Até beijinho para a platéia tem na câmara do Crato, mas analisando com mais profundidade, há uma sucessão de desobediências as leis constitucionais que regem esse Pais,  e tem como aspecto vindo de quem infringe, de "SOBERANIA”, de to nem ai,  ou: "eu me respondo!"

EU SÓ SEI, QUE O POVO DO CRATO TEM SIDO UM MERO ESPECTADOR EM TUDO QUE JÁ PERDEMOS.  

Por: Ed Alencar
Repórter/Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe
Foto meramente ilustrativa: Dihelson Mendonça


Encontro da União Brasileira de Mulheres - Fotos









Chuva em Crato na noite desta Segunda-Feira


Uma chuva caiu sobre a cidade do Crato na noite desta Segunda-feira, começando por volta de 21:40, seguindo-se ao que tem acontecido nos últimos dias, onde chuviscos ocorreram na parte da noite e madrugada. Embora a meteorologia preveja para esta terça-feira ( 26 ) dia de Sol com algumas núvens e não chove, nossa clássica previsão aqui do Blog do Crato para esta época do ano, é de surpreender que a vegetação já mostra bons sinais em virtude das precipitações recentes, quando vê-se nitidamente a volta do verde, tão característico dos primeiros sinais de chuva na região do Cariri.

NESTE MOMENTO:

Temperatura: 28ºC
Direção do Vento: ESE
Condição: Poucas nuvens
Pressão: 980 hPa
Intensidade do Vento: 25 Km/h
Umidade: 39%

Previsão para Terça-Feira, 26 de Novembro de 2013

Nascer do sol: 05h10 Pôr do sol:17h40
Temperraturas: Max 34º e Min 23º
Ventos a ENE  a 11km/h
Umidade Relativa do Ar: 86% e 48%
Índice UV: Extremo 
Previsão geral: Sol com algumas nuvens. Não chove.

Fontes: GOES13, INPE, Programas Adicionais de Meteorologia e Astronomia.
Consulte a previsão do tempo todos os dias no Blog do Crato

www.blogdocrato.com



Crato de Luto - Falece Amarílio Carvalho


Faleceu Amarílio Carvalho, fundador do GRUTAC - Grupo Teatral de Amadores Cratenses.


O Blog do Crato presta homenagem a este grande Cratense, que com sua vida e seu trabalho, soube enaltecer a história da nossa cidade. Descanse em paz, Amarílio Carvalho. O Crato está de luto, com essa triste notícia.

Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com


25 de Novembro - Dia Internacional de luta pelo fim da violência contra a mulher


A União Brasileira de Mulheres (UBM), com 25 anos de história de lutas pela defesa dos direitos e emancipação da mulher, completados neste ano, reafirma seu compromisso pelos direitos humanos, pela saúde das mulheres e pela construção de um mundo justo, fraterno e solidário. A data de 25 de novembro, dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher definida no I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em 1981, em Bogotá, Colômbia, como homenagem às irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana foi reconhecido pelas Nações Unidas (ONU) em 1999, como o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher.

Em todo o mundo o combate à violência contra a mulher se constituiu em uma preocupação fundamental dos movimentos sociais, principalmente assumido pelo movimento feminista e de mulheres em meados da década de 1970.

A Campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” acontece em 159 países. Começa no dia 25 de novembro (Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres) e termina no dia 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). O Brasil antecipou o início desta campanha para o dia 20 de novembro - Dia Nacional da Consciência Negra. A inclusão desta data se dá pela importância da história e da cultura negra no Brasil e também pela dupla discriminação sofrida pela mulher negra, que se baseia em uma opressão de gênero e raça.

UMA VIDA SEM VIOLÊNCIA É UM DIREITO DAS MULHERES

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é realizada entre os dias 25 de novembro e 10 de dezembro (Dia dos Direitos Humanos). Procura dar visibilidade às diferentes formas de violência, ainda presentes no cotidiano de muitas mulheres, em particular a violência contra as mulheres negras.

A questão do direito humano a uma vida sem violência e do enfrentamento à violência contra as mulheres combina uma discussão ampla, que nos permite desvendar e desconstruir as amarras da cultura milenar que estruturou e consolidou as desigualdades de gênero.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece a violência doméstica como um problema de saúde pública, pois afeta a integridade física e a saúde mental. Portanto, a defesa do Sistema Único da Saúde, garantindo a ampliação de uma rede de atendimento digno e eficaz, e o acesso aos serviços com muito respeito ao nosso corpo é uma das questões centrais para a efetivação da Lei Maria da Penha.

UMA REALIDADE QUE NOS INDIGNA

A pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA, com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde (2001 a 2011), estima ocorrência de mais de 50.000 feminicídios (cerca de 5.000 mortes por ano). Segundo este estudo, acredita-se que grande parte dos óbitos decorre de violência doméstica e familiar contra a mulher, uma vez que um terço deles teve o domicílio como local de ocorrência, ocorrendo um verdadeiro "femicídio" ou "feminicídio", ou seja, crimes perpetrados por homens, - principalmente parceiros ou ex-parceiros - e decorrem de situações de abusos no domicílio, ameaças ou intimidação, violência sexual, ou situações nas quais a mulher tem menos poder ou menos recursos do que o homem.

A cada dia, 15 mulheres são assassinadas, de acordo com estudo do IPEA. A cada 90 minutos o país registra um homicídio.

No Brasil (2009-2011), registrou-se no SIM, 13.071 feminicídios, equivalendo a uma taxa bruta de mortalidade de 4,48 óbitos por 100.000 mulheres.

LEI MARIA DA PENHA – IMPORTANTE INSTRUMENTO DE DEFESA E PROTEÇÃO DAS MULHERES

A Lei Maria da Penha é um instrumento fundamental na luta pelo fim da violência contra as mulheres, por isso precisamos estar vigilantes á sua efetiva aplicação. É preciso colocar em prática todas as reivindicações do movimento feminista e de mulheres reforçada pela Comissão Parlamentar de Inquérito – CPMI da Violência contra a Mulher que indica e exige: criação de organismo de gestão de políticas para mulheres; a dotação orçamentária específica para políticas e programas; a expansão e interiorização da rede de atendimento; a universalização do registro das notificações compulsórias; a capacitação dos profissionais de saúde, gestores, educadores, juízes, promotores de justiça, delegados, policiais e demais servidores públicos e funcionários e o monitoramento do oferecimento dos serviços de atenção às vítimas de violência, entre outros. Apoiamos a categorização do feminicídio no rol de crimes previstos no Código Penal Brasileiro, conforme proposição da CPMI.

NÓS PODEMOS MUDAR ESTA REALIDADE

O silêncio é cúmplice da violência e pai da impunidade. Por isso mesmo, é fundamental que toda sociedade denuncie a violência contra as mulheres e meninas que ainda ocorre em silêncio em tantos lares e no conjunto da sociedade.

Vivemos num país patriarcal e machista, onde a violência contra as mulheres e meninas ainda é naturalizada. Temos de reagir a isso. A mulher precisa confiar que pode mudar essa realidade.

A luta das mulheres e de todos que almejam um mundo livre de violência é fundamental.

Central de Atendimento à Mulher – Disque 180
UBM - União Brasileira de Mulheres

Enviado por Alessandra Bandeira


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30