xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 10/11/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

10 novembro 2013

A beleza dos lugares - Por: Emerson Monteiro

Quem viaja pela Rodovia Padre Cícero, no percurso entre Orós e Solonópole, passa dentro de uma localidade denominada Nova Floresta, lugar simples do interior cearense, distrito de Jaguaribe. Espécie de monumento aos passos iniciais das aglomerações sociais, nesse tempo de progresso fabricado, comigo acontece de rever, nas poucas ruas e alguns prédios da povoação, os indícios do passado distante, na calma, no ritmo dali. Igrejinha bonita, bem cuidada, pessoas sentadas nas calçadas em certas horas do dia, animais pastando pela praça, pequenos estabelecimentos comerciais, calçamento tosco, enquanto atravessamos indiferentes aos movimentos da população dedicada aos afazeres. Espécie de reflexão, nessas oportunidades, mexe por dentro, querendo lembrar o quanto se perdeu em qualidade diante daquilo que classificam civilização.

Enquanto meios ampliaram a expectativa de vida, destruíram a originalidade, o charme do bom viver da gente. Impuseram condições rigorosas de suportar o preço alto da sobrevivência. Dotaram o sistema dominante do direito de enquadrar o cidadão na vala comum dos frios números das estatísticas e balanços. E com isso fomos perdendo de éticos e estéticos a troco de pagar o custo da história.

As metrópoles, também bonitas, deixaram de lado as feições produzidas em ferro e cimento aos automóveis delirantes e janelas televisivas atrasadas, na rotina em que se transformaram os elementos. Ainda que sejam dignas de belas apreciações turísticas, representam as cidades atuais atividade arriscada, por conta do pouco ou nenhum espaço existente da relação criaturas e criadores.

Na dualidade do bucólico e da tecnocracia resta ao indivíduo mergulhar a consciência e descobrir padrões renovados, construção plena das possibilidades no Eu maior, o que os mestres revelam no âmbito das dimensões pessoais.

Sei que o belo sempre existirá, aqui, hoje, ou nalgum nível e percepção, conquanto a perfeição represente poder e continuação. Cabe, porém, habitar o território amplo do conhecimento interior.

Em relação ao que dissemos das minhas idas e vidas a Fortaleza pela Rodovia Padre Cícero, fotografei a igrejinha de Nova Floresta, com respeito ao carinho dos seus habitantes tratarem a devoção religiosa.  

Coincidência demais é insistência. Por PERCIVAL PUGGINA


A resposta que dermos evidenciará a que interesses serve o vandalismo em curso no país.
  

Quem é esse bravo? Como resiste às afrontas que sofre? Como tolera a impotência de sua cidadania? Como consegue conviver com o desrespeito das autoridades e o desprezo que manifestam por sua inteligência e capacidade de discernimento? Como pode custear - além das despesas da própria manutenção e de sua família - tantos impostos, taxas, multas, tarifas, contribuições sociais, juros? Por que paga tanto por bens e serviços que noutros países custam muito menos e têm qualidade superior? Onde arruma fôlego, ainda, para fornecer fundos a tantas apropriações de recursos públicos nos descaminhos da corrupção? Como consegue conviver resignadamente com a criminalidade que, agindo em regime aberto, dita regras ao convívio social e o mantém em permanente regime fechado? O brasileiro é um forte. O brasileiro é um bravo ao qual vão, aos poucos, lentamente, quebrando a espinha dorsal cívica e destruindo o juízo moral. Até que se arraste, suplicante, mãos em concha, aos pés do todo poderoso Estado.

Veja só como são as coisas, leitor. Em junho deste ano, já lá vão mais de três meses, esse cidadão, em inesperada eclosão, saiu às ruas e fez passear nas grandes avenidas do país o imenso cordel de suas mais do que justificadas contrariedades. Consequência: logo surgiram os bandidos e começaram a quebrar e saquear o que viam pela frente. Em poucos dias, refluíram os cidadãos. Nas avenidas antes repletas de povo só permaneceram os arruaceiros, os vândalos, os criminosos.

Isso todo mundo viu acontecer. Disso todos fomos partícipes ou testemunhas atentas. O povo voltou para casa, retornou ao regime fechado de suas grades, alarmes, portões e cada vez mais caras apólices de seguro. O que muitos não perceberam foi o que passou a acontecer desde então, com a continuidade da ação dos novos senhores das avenidas, que deram início a raivosas e destrutivas "manifestações". Para onde orientaram sua fúria devastadora? Essa pergunta não é irrelevante. A resposta que dermos evidenciará a que interesses serve o vandalismo em curso no país.

Quais são seus alvos no Rio de Janeiro? Lá, os objetivos são o prefeito Eduardo Paes (PMDB) e o governador Sérgio Cabral (PMDB). E em São Paulo? Em São Paulo, o alvo do vandalismo é o governador Geraldo Alckmin (PSDB); o prefeito Fernando Haddad (PT) fica fora dos ataques. Mas no Rio Grande do Sul a situação se inverte. O alvo é o prefeito José Fortunatti (PDT), enquanto o governador Tarso Genro (PT) não suscita o menor interesse à fúria destrutiva dos arruaceiros. E em Brasília, contra quem se voltam os atos de vandalismo. Analogamente, ali temos duas autoridades que poderiam atrair atenção: o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e a presidente Dilma (PT). Ambos, no entanto, são desprezados pelos novos fascistas. Em Brasília eles atacam o Congresso Nacional. Meras coincidências?

É preciso ser muito bobo para não perceber a quem servem.


www.puggina.org

Chico Pessoa e Elba Ramalho na Mostra Cariri


15° Mostra Sesc Cariri de Culturas - Show de Chico Pessoa com a participação de Elba Ramalho


A Mostra Sesc Cariri de Culturas em 2013 chega à sua 15ª edição. De 8 a 13 de novembro, diversos espetáculos de teatro, dança, circo, contação de histórias e música farão parte da programação.

Além de mostras audiovisuais, performances, intervenções plásticas, oficinas e seminários.
Este ano, a programação se distribui nos 28 municípios no Sul do Ceará - região conhecida como “Cariri”. Chico Pessoa e Elba Ramalho prometem um grande show no domingo (10), no Largo da Matriz, ao lado da Unidade Juazeiro do Norte do Sesc, às 21h.

A paraibana e o cearense já mantêm uma parceria e amizade antiga, tanto que, a partir dessa relação afetiva, surgiu em 2012 o show em homenagem a um dos maiores símbolos do Nordeste: Luiz Gonzaga, que completou centenário de morte ano passado. Elba é a convidada de Chico e fará participação especial no show do músico cearense. Em outubro, o último disco da cantora intitulado “Vambora Lá Dançar”, esteve entre os finalistas do Grammy Latino.

Elba já ganhou duas vezes este prêmio. Recentemente ela fez show ao lado da Orquestra Sinfônica Arte Viva, de São Paulo, e no Rock in Rio, pela quarta vez. Agora ela aporta no Cariri para participar do show de Chico Pessoa e já revelou, em entrevista ao Sesc, as suas expectativas para uma apresentação às margens da terra natal do Rei do Baião.

Serviço
Mostra Sesc Cariri de Culturas
Período: 8 a 13/11
Informações: (88) 3512-3355/ 3512-6544.
www.mostracariri.sesc-ce.com.br
Facebook: /mostracariri


Prefeito Ronaldo Gomes de Mattos fala ao Blog do Crato e diz que é favorável à CPI da Câmara e apuração das denúncias de corrupção


O Repórter Ed Alencar esteve com o prefeito do Crato, Ronaldo Gomes de Mattos, que declarou ser a favor da CPI da câmara e a apuração das denúncias de corrupção que foram destaque na imprensa neste mês em Crato e já se encontram no Ministério Público.

O prefeito do Crato Ronaldo Gomes de Matos, em uma rápida entrevista na noite da última sexta feira (08), onde participou de uma reunião no “CDL-Crato”, falou a nossa reportagem sobre as repercussões das denúncias contra sua pessoa e alguns vereadores citados em gravações pelo colega Dárcio Luiz.

Perguntado se ele esperava uma retratação do deputado estadual Fernando Hugo, ao chamá-lo de chefe de quadrilha junto aos vereadores denunciados, respondeu: “Acho que o Fernando Hugo foi  muito infiel, muito desonesto, em dizer isso com os políticos do Crato, acho que nós merecemos respeito, fomos votados pela população gigantesca desse município, eu e os vereadores somos representantes legais politicamente do povo do Crato, eu acho que ele feriu não somente o prefeito e os vereadores, ele feriu foi todo o município do Crato que ficou abalado com essas notícias. Acho que a CPI, tem que apurar, a justiça tem que apurar, e que os responsáveis, que sejam culpados. Agora não um deputado que nunca trouxe nada para o Crato, nunca fez uma solicitação de obras, nunca mandou nem um dividendo, nunca veio aqui,  citar palavras levianas, palavras fortes em que atinge a todos nós que somos representantes legítimos do povo do Crato”. Assim concluiu.

Em suma: Diante do que foi exposto pelo  prefeito Ronaldo, pra que perguntar, quem seriam os possíveis culpados, se a carapuça tem linha direta  via Embratel, para Dárcio Luiz e o ex-prefeito Samuel Araripe, se o prefeito diz ser a favor da CPI da Câmara Municipal, e do Ministério Público para investigar as denúncias que envolve seu nome e mais nove vereadores na suposta compra de votos para desaprovação das contas do ex gestor, onde tão logo seja formada a comissão investigativa, será convocado o ex-prefeito Samuel Araripe para declinar  nomes, dos nove vereadores citados por Dárcio Luiz na sua gravação. Agora, é só esperar pra ver no que vai dá.

Por: Ed Alencar
Repórter/Membro do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe



Inflação em alta não discrimina classe social

 (Folha de S.Paulo, 10-11-2013)

A empregada doméstica Marli Venceslau da Silva, 37, abandonou o recém-adquirido hábito de viajar de avião para visitar a família em Pernambuco, vai tirar a filha de seis anos da escola particular e acaba de renegociar uma dívida no cartão de crédito. 

"A passagem está um absurdo. Não tem jeito, a viagem é demorada, mas vou voltar para o busão", diz ela, que vive em São Paulo.
A história de Marli é parecida com a de um número crescente de famílias brasileiras que têm feito ajuste orçamentário para enfrentar a alta de preços e o menor crescimento, em um contexto de maior endividamento. 

Dados da FecomercioSP obtidos com exclusividade pela Folha mostram que a inflação está alta para todas as classes sociais. Nos 12 meses encerrados em setembro, o custo de vida em São Paulo aumentou entre 5,5% e 5,65% para cinco faixas de renda. 

A tendência é explicada por uma alta disseminada de preços. Nenhuma das nove categorias de bens e serviços pesquisadas para as cinco classes sociais teve deflação em setembro. "O preço de tudo tem subido para todo mundo", afirma Júlia Ximenes, assessora econômica da Fecomercio.Embora a inflação esteja igualmente elevada para todos, os consumidores de renda menor têm menos sobra orçamentária e são os mais afetados. "Os mais pobres têm menos defesas contra a inflação, como aplicações financeiras", diz André Braz, economista da FGV-Rio.

Cacá Araújo declara haver insensatez, arrogância e Prepotência por parte de Luiz Gastão da Mostra SESC - Por: Ed Alencar


A carga de desabafo é grande por Cacá Araujo, diante da humilhação e chantagem feita ao governo municipal para lhe tirar do páreo com a 5ª Guerrilha, e o “abre alas”  passagem para mostra SESC.

Em entrevista a nossa reportagem, Cacá Araujo fala do momento da discriminação: “O que está havendo é uma manifestação de insensatez, de arrogância e prepotência da parte de Gastão Bittencourt, que deveria honrar o cargo que ocupa a frente de uma instituição tão historicamente séria e positiva no estado do Ceará, e no Brasil inteiro que é o sistema “S” especialmente o SESC que tem dado uma contribuição enorme para o desenvolvimento cultural e educacional ao nosso Pais. 

E aqui no nosso Ceará, especificamente no cariri, através de vários programas, inclusive a mostra SESC, que tem a maior visibilidade que na sua 15ª edição, teve uma mancha na sua história, a partir do destempero do seu chefe Gastão Bittencourt. Nós vínhamos conversando não é desse ano, desde o ano passado vendo a possibilidade de se articular uma parceria entre a guerrilha  que é um movimento que reúne cerca de (30) trinta companhias de teatro, dança e circo, onde não somos um evento, mais sim um movimento que tem uma postura uma pauta de reivindicações, uma pauta política que envolve vários pontos culturais, que envolve a valorização, a difusão e a afirmação cultural das nossas companhias. 

Há necessidade de maior espaço que dêm visibilidade para os nossos grupos, um programa de circulação que faça com que, alem de nós recebermos através de intercâmbios companhias e grupos de varias partes do Pais e do mundo, nós também possamos oferecer aos povos de outras regiões e de outros Países, também o que nós produzimos aqui. Isto é que é intercambio e o SESC poderá de forma muito responsável futuramente e abraçar  esta causa. Tivemos o desprazer, o infortúnio  de ver rompida a possibilidade de realizarmos uma parceria com o SESC, inclusive iríamos começar a guerrilha em outubro e terminar na véspera do inicio da mostra SESC, mais diante das exigências das dificuldades colocadas pelo SESC o movimento resolveu declinar do patrocínio que o SESC ofereceu, porque não é esse o objetivo de ganhar dinheiro, mas de fortalecermos  o sentimento de dignidade, é fortalecer o respeito a alto estima e garantir o desenvolvimento cultural do nosso município, a partir desses grupos que tão brava e honrosamente trabalham todos os dias para realizar seus espetáculos e depois serem desrespeitados de forma tão vil pelo Gastão que ameaçou o prefeito municipal do Crato e o povo, dizendo que se ele continuar apoiando a guerrilha, ele iria retirar a mostra SESC do Crato. 

Por traz desta chantagem tem interesses políticos, por querer forçar o prefeito a se definir no apoio ao candidato que é o pupilo dele aqui na cidade. Quando soubemos dessa tentativa do Gastão, de eliminar a guerrilha, de afastar a guerrilha da possibilidade de existir, nós fomos vitimas de uma tentativa de homicídio cultural, isso é um prenuncio de um crime que se nós deixarmos que esse sentimento de ódio e rancor para com os artistas do cariri que fazem parte da guerrilha, continuaremos a sofrer a discriminação e perseguição por parte do Gastão.

Por: Ed Alencar
Repórter/Membro do Blog do Crato


A devoção de Maria Cândido – Ronaldo Correia de Brito


Na terça-feira, recebi em São Paulo a Ordem do Mérito Cultural, em festa no auditório do Ibirapuera. A Ordem “é uma das maneiras pelas quais o Ministério da Cultura reconhece pessoas que ajudam a manter, renovar e difundir nossa cultura”. São agraciadas pessoas ou instituições em três classes: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Recebi a ordem de Comendador. 
Gostei de ficar ao lado de gente importante para a minha formação como os cineastas Maurice Capovilla e Cacá Diegues, o encenador Antunes Filho, o músico Naná Vasconcelos, o compositor e maestro Marlos Nobre, a artista plástica Tomie Ohtake – que junto a Oscar Niemeyer eram os homenageados desse ano –, e de vários artistas populares. Nem é preciso dizer que os flashes e maiores aplausos foram para atores da televisão como Antônio Fagundes, Abujamra, Mamberti e para o tremendão Erasmo Carlos.
 Mas houve um momento em que todo auditório comoveu-se e as palmas soaram com mais poesia. Anunciaram o nome Maria de Lourdes Cândido e uma mulher pequena caminhou pelo palco enorme: firme, decidida, as vestes simples contrastando com a exuberância do cenário. A mestra da cultura popular tradicional cearense de 74 anos, artesã do barro em Juazeiro do Norte, recebia a Ordem de Cavaleiro com a sincera modéstia com que ensinou seus 11 filhos a trabalharem a argila.
 Era como se a grande honraria não interferisse na ordem de sua criação, na simplicidade com que amassa o barro, dá forma às suas peças, leva ao forno para queimar e depois pintá-las. A medalha talvez seja pendurada numa parede da casa, para que as pessoas a vejam e se orgulhem da conquista, mas no peito de Maria Cândido continuarão outras medalhas milagrosas, antigas, presas a um rosário de contas: a da Mãe das Dores e a do Padre Cícero.
 Conversei um tempinho com a homenageada e lembramos duas artesãs pioneiras do barro: Dona Ciça do Barro-cru, que não levava ao forno nenhuma de suas criações geniais, tornando-as frágeis e de pouca durabilidade; e Dona Ciça do Barro-cozido, a quem Maria Cândido se filia como discípula, uma continuadora do estilo da velha mestra que por motivos de saúde largou o trabalho com a argila.
No início da década de 70 convivi com os artesãos de Juazeiro do Norte, comprando o que produziam, distribuindo em museus do Recife, sugerindo a eles temas e técnicas novas. Os primeiros ‘quadros’ de parede com as figuras aplicadas foram sugeridos por mim a Ciça do Barro-cozido, e executados por seu filho, de nome Ciço. Os artesãos não assinavam as peças e mandei fabricar carimbos para que eles aplicassem no barro e, dessa maneira, criassem uma identidade pessoal. Porém, compreendi que o sentido de propriedade, de direito autoral não existia para esses artesãos. Eles se apropriam da invenção dos outros como um bem comum, tiram e acrescentam detalhes ao bel prazer, multiplicam o que seria de outro.
 Separadas por conceitos de popular e erudito, figurativo e abstrato, artesanal e profissional, pelas regiões em que vivem – o nordeste pobre e o sudeste rico –, pela abundância e escassez de bens materiais, as duas artistas se tornaram semelhantes durante uma noite. Maria Cândido e Tomie Ohtake – sentadas em cadeiras dispostas em alturas diferentes – se nivelaram na noite de entrega da Ordem do Mérito. No palco, as pessoas enxergaram apenas duas artistas, uma mais velha e outra mais nova, igualadas pelo ofício da arte.
 Ronaldo Correia de Brito é cearense de Saboeiro, criado no Crato, autor dos romances Galileia e Estive lá fora, dentre outros.

Vereador Amadeu de Freitas, acusado de compra de votos,entra com interpelação judicial pedindo as provas do denunciante


Dado o primeiro passo para me defender de um crime que não cometi. Interpelação Judicial pede apresentação de provas do denunciante. ( Amadeu de Freitas )



Vereador Bebeto Anastácio sai fortalecido - O Mal não vence o Bem !


O MOVIMENTO "OCUPA CRATO" CONSEGUIU O TERRENO PROMETIDO


"Parabéns ao povo incansável do Alto da Penha, Mutirão e Pantanal, como também a Bebeto que tomou essa luta como sua e apoiou o povo, como é seu dever, já que os representa. Essas pessoas puderam contar em sua caminhada com esse vereador que lutou junto a todos para que seus direitos fossem respeitados, e como eles sofreu ataques traiçoeiros, o que jamais o abateu, continuando firme no seu propósito de encabeçar essa batalha.

HOJE ELE TAMBÉM SE SENTE VITORIOSO por contar com o respeito de gente batalhadora e honesta."

Por: Tacinha Anastácio

BEBETO ACRESCENTA:

EM PAZ
Estou reconfortado pelo sentimento de ter causado satisfação às pessoas que confiaram em mim e reafirmo para elas que nossa luta continua. Mesmo sendo alvo da maledicência de alguns, creio que isso faz parte do caminho que escolhi: trabalhar para as pessoas que confiam em mim, então, creio que os ataques irão continuar porque,  toda pessoa bem-sucedida é alvo da maledicência. Muitas vezes, por pura inveja, outras, por motivos mais palpáveis, como medo da concorrência. Mas, estou trabalhando em como evitar que a maledicência me atinja, e com ajuda de amigos, estou conseguindo ... Portanto, quando me dirigirem ataques, vou considerar como uma lisonja que os meus adversários me fazem, pois com isso publicam que tem medo de mim e que meu trabalho é bom. "Só se atiram pedras nas vidraças íntegras, nunca nas que já estão quebradas". Boa noite! Obrigado por ter me deixado participar dessa luta! Contem sempre comigo.


Sempre Depois - Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP


Em 1996, após a morte de 99 pessoas na queda do Fokker 100 da TAM, escrevi um texto com o título "país onde tudo fica para depois", numa alusão a uma frase do então presidente Fernando Henrique Cardoso de que os aeroportos deveriam ser construídos em áreas sem residências ao redor. Como tantas outras promessas, essa não passou de um comentário.

Essa prática deve ter começado com a descoberta do Brasil, apenas me chamou atenção devido à grande repercussão daquele acontecimento.

Assim como era antes, continua sendo até hoje. A Administração Pública brasileira, em todas as suas esferas, só age após uma tragédia, ou depois de mais de um caminhão de reais sumido pelo ralo da corrupção.

Neste ano de 2013, essa onda já ocorreu em várias oportunidades. Iniciou-se em janeiro com o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria/RS, que resultou na morte de 243 pessoas. Enquanto pessoas eram torradas literalmente, as autoridades ensaiavam o festival de desculpas. A partir daí começou-se uma corrida Brasil afora pelo fechamento de comércios irregulares, com uma voracidade nunca antes vista sobre as boates e casas noturnas. Todos os funcionários sabiam que elas eram irregulares, mas a cada falha encontrada, a expressão dos fiscais era de cara de paisagem. A onda passou. No Brasil inteiro as boates "kiss" continuam operando normalmente até que volte a torrefação de mais algumas centenas de pessoas.

Em março, o país inteiro tomou conhecimento de que o transporte de vans no Rio de Janeiro funcionava clandestinamente. Ora, isso não precisava de informação, tanto no Rio como nas demais cidades do país, as empresas ou os carros são irregulares em quase sua totalidade. E que seria de conhecimento público e notório só veio à tona por conta do martírio de uma jovem turista americana, estuprada por um grupo de delinquentes por várias vezes dentro de uma van. Foi a deixa para o prefeito Eduardo Paes se dar conta das irregularidades. Com a regularização do transporte como se um estupro tivesse ocorrido, não pela falta de segurança, mas pelas falhas do meio de transporte.

Para não deixar dúvidas que se trata de um modus operandi generalizado por todo o país e em todos os ramos da administração pública, o Fórum de Bangu, bairro da cidade do Rio de Janeiro, colocou um caminhão de detentos perigosos para interrogatório, com a segurança de dois ou três policiais militares.

Por consequência, o aparato que faltava de policiais sobrou de bandidos na tentativa de resgatar alguns comparsas, o que resultou nas mortes de um policial e de uma criança de oito anos. Parece cristalino a possibilidade de ação dos marginais. Mas, somente após as mortes e diante da comoção nacional – já desmoralizada pela repetição reiterada desses fatos -, o governador agora vai discutir a aplicação da videoconferência para ouvir o testemunho de marginais.

Com a fala da presidente do Tribunal de Justiça e do governador fica evidente que suas palavras são meras conjecturas. Só na cabeça de autoridades teria relevância criar um site restrito aos dados dos bandidos perigosos. Uma medida dessa é desprovida de eficácia e de seriedade. Além de outras questões, a videoconferência para ouvir qualquer pessoa e qualquer condição deve ser utilizada pela praticidade e por ser custar menos aos cofres públicos e não apenas por segurança.

Coroaram com a alegação de que a lei prevê a videoconferência apenas para interrogar os acusados, não para ouvir testemunhas. Se esse entendimento passar do governador e alcançar mesmo as esferas judiciais seria hora de fechar a porteira, passar a régua e começar a questionar a qualidade técnico-jurídica da Justiça brasileira.

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP


Várzea Alegre é uma das cidades mais felizes do Brasil

(Matéria publicada no "Diário do Nordeste" deste domingo)

Segundo o Ipea, o Nordeste é destaque no ranking brasileiro, quando o assunto é a satisfação de vida
Várzea Alegre. A região Nordeste é destaque no Brasil em ranking sobre satisfação de vida. Quando o assunto é felicidade, o povo nordestino obteve o melhor desempenho, em recente avaliação elaborada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Se fosse um País, a região ficaria em 9º lugar.

A Lagoa de São Raimundo Nonato e o Parque Cívico são excelentes equipamentos públicos de diversão e lazer, onde a população local, entre jovens, crianças e adultos faz caminhada e aproveita as tardes ensolaradas fotos: Honório Barbosa

O cearense é conhecido nacionalmente por ser um povo alegre e cheio de tiradas de humor. É gente festiva. Um exemplo vem do município de Várzea Alegre, localizado na região Centro-Sul do Estado do Ceará.No nome desta cidade já há um forte indicativo. Basta uma visita rápida ao município para perceber que é uma terra de gente feliz, com seus personagens típicos e muita musicalidade.
"Não foi uma feliz coincidência. Historicamente essa terra desenvolveu-se, transformou-se em cidade, mas sempre manteve o espírito de felicidade em sua gente, daí o nome Várzea Alegre", afirma o secretário de Cultura, Milton Bezerra. "Aqui se brinca o ano todo com muita euforia e paz", completa.
A agenda cultural da cidade de Várzea Alegre começa na quarta-feira e se estende até o domingo, com música ao vivo, shows e apresentações de artistas locais. Erivan Show, Júnior Clementino e Antônio Carlos (Sanfoneiro Fuleragem) são exemplos atuais dos que vivem da arte. Mas em um passado não tão distante, músicos como Chico de Amadeu, Pedro de Souza, mestre Chagas e seu Prejo animavam as festas do município. 

O vendedor de pão-de-queijo, Amadeu Siebra Neto, desperta a atenção dos consumidores com seu jeito peculiar de trabalhar. Ele oferece o produto cantando músicas, assobiando o hino do padroeiro do município e imitando pássaros

Até os velórios são marcados por presença de músicos e um cerimonial que inclui locutor-apresentador, que informa o tempo restante para o fechamento do caixão, e intercala com músicas religiosas e de Música Popular Brasileira, na casa onde o corpo está sendo velado.

Personagens

Atualmente, três personagens destacam-se na cidadede Várzea Alegre. O músico Antônio José de Souza, mais conhecido por Pelé, é um deles. Ele está há dez anos fazendo divulgação volante pelo município.Pedalando uma bicicleta equipada com som e um pistão, instrumento de sopro, desperta a atenção dos consumidores com publicidade musical cheia de alegria. O diferencial, segundo ele, é que as mensagens musicais são elaboradas em público.
"Sou contratado para mensagens de aniversário, declaração amorosa e tentativa de reatar relações entre os casais. Nem sempre dá certo e tem cada história interessante", revela.
Outra figura conhecida em Várzea Alegre é o ambulante Amadeu Siebra Neto. Conduzindo uma caixa de isopor, desperta a atenção dos moradores, como vendedor de pão-de-queijo e o seu jeito peculiar.
Ele oferece o produto de forma indireta, cantando músicas, assobiando o hino do padroeiro de Várzea Alegre (São Raimundo Nonato) e imitando pássaros.

O ambulante Pelé, como é conhecido Antônio José de Souza, percorre as ruas fazendo publicidade volante há dez anos, com músicas variadas. O diferencial, segundo ele, é que as mensagens musicais são elaboradas em público

O palhaço palito é mais uma figura engraçada que percorre as ruas da cidade durante todo o dia. O personagem é incorporado por João Mendonça da Silva. Como o nome do lugar sugere, alegria não lhe falta.Também sobra criatividade para driblar as dificuldades da vida e disposição ao trabalho. "Fui embora em 1990, corrido, com medo de morrer", conta com muito humor.
Na época, Mendonça era funcionário público municipal e trabalhava como fiscal. Ele prendia os animais que perambulavam pelas ruas do município. Após prender um jumento, o dono não gostou e o ameaçou."Tive medo, fui embora e passei cinco anos até melhorar do trauma",revela. De volta à cidade, surgiu a ideia de criar o personagem palhaço palito. Em um triciclo, vende sucos e salgados, desde 1997.
Outro item de diversão garantida em Várzea Alegre é o seu Carnaval. O evento sempre foi animado e nos dias atuais é considerado pela população local como uma das maiores atrações do interior cearense.
A festa atrai milhares de foliões. A população local (jovens e idosos) brinca de forma incansável. Um dos destaques é a Escola de Samba Unidos do Roçado de Dentro, formada por agricultores, há 50 anos. "É um exemplo de pessoas simples, pequenos produtores, donas de casa, mas que mantêm o espírito de festivo", observa a pesquisadora local, Dayse Diniz.

Mais informações:

Secretaria de Cultura de Várzea Alegre

Rua Deputado Otacílio Correia,
S/N, Centro

Telefone: (88) 3541.1548

HONÓRIO BARBOSA
Repórter

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30