xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 18/09/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

18 setembro 2013

Município do Crato fecha Coffee Break e Serviços de Buffet com empresa por mais de 5 milhões de reais.


EM DESTAQUE

O documento pode ser visto no site do TCM, o Tribunal de Contas dos Municípios, que pode ser acessado por qualquer cidadão. O município do Crato realizou no último dia 02 de Agosto, pregão de licitação para Cofee Break, Refeições, Buffet e Quentinhas. A Empresa vencedora foi a CWM Coelho Alencar, no valor 5.053,700,00 (Cinco milhões cinquenta e três mil e setecentos reais ). Os serviços incluem Coffee Break, Café, Chá, 2 tipos de refrigerante, 3 tipos de biscoitos finos, pão a metro, cesta de pães variados, torradas, 3 tipos de patê, 2 tipos de bolo, 1 tipo de salgado e frutas variadas. O pregão presencial 2013.07.04.1 segundo o documento, teve por objetivo a seleção de melhor proposta para registro de preços visando futuras contratações de serviços para fornecimento.


O documento pode ser visto no próprio site do Tribunal de Contas dos Municípios:



Data original: 16/09/2013

O que pode Mudar.


A questão é mais protelatória. O Dirceu, no máximo, poderá diminuir 2 anos e 11 meses na pena inicial. Celso de Melo melou.

O mínimo que você precisa é ser incomodado


ESCRITO POR LEONILDO TROMBELA JÚNIOR

Como é possível querer aprender algo de modo indolor e cômodo? Pelo visto até hoje no Brasil há a esperança que isso venha a acontecer um dia. Não à toa, quando muitas dessas pessoas que carregam essa esperança veem algo que não sejam pôneis cintilantes e arco-íris, elas ou pulam fora ou se revoltam; estrebucham-se.

Tendo em conta isso, no baixo mundo brasileiro tem aparecido uma enxurrada de sujeitos escandalizados ou mesmo ofendidos com o tom pelo qual algumas pessoas se expressam, quando no máximo deveriam sentir um incômodo. Essas ‘almas de fino cristal’ que se abalam por tão pouco são pessoas que interpretam um aperto de mão firme como agressão grave, quando não tentativa de homicídio – o que é dizer que algumas delas podem até ser histéricas.

É nessa situação histérica que veio em boa hora a coletânea O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, de autoria de Olavo de Carvalho e primorosa organização de Felipe Moura Brasil, cuja epígrafe bem poderia ser o dito do Padre Antonio Vieira no Sermão da Sexagésima:

“Pois o gostarem ou não gostarem os ouvintes! Oh, que advertência tão digna! Que médico há que repare no gosto do enfermo, quando trata de lhe dar saúde? Sarem e não gostem;”

Ora, o que teria de bom a dizer Olavo de Carvalho se fizesse só cócegas ao nosso ego? Não seria ensino, seria demagogia. Para dar outro exemplo, que relevância teria Sócrates se não fosse o sujeito insistente que era? A experiência nos mostra que só a irrelevância não incomoda.

Sobre Sócrates, Cícero disse que ele “foi o primeiro a tirar a filosofia de um pedestal, e a estabelecê-la nas cidades, e a introduzi-la nas casas das pessoas, e a forçá-la a investigar a vida comum, a ética, o bem e o mal” [1]. Assim, podemos dizer que essa coletânea de textos do filósofo brasileiro é mais um passo, dentre vários na caminhada do autor, rumo ao cumprimento pleno do projeto socrático – isto é, a filosofia –, pois ele também a tira do pedestal da intelligentsia (alguns diriam burritsia) brasileira e a coloca de modo palpável aos que pretendem algo além de uma posição social ou burocrática.

Alguns dos textos selecionados colocam incomodamente o leitor contra a parede para que ele saia da letargia. Eis aí um dos méritos do livro: incomodar já desde o título. E por fim, como bem lembrou o Padre Paulo Ricardo, Cristo disse que a verdade salva, mas Ele nunca disse que ela é agradável. A verdade não está aí para agradar ou desagradar, está aí para curar.

Sarem e não gostem.

[1] Paul Johnson. Sócrates: Um homem do nosso tempo. p.65
Publicado no revista Vila Nova.
Leonildo Trombela Júnior é jornalista e tradutor

Che Guevara: mito e realidade. Como ""Che" assassinou um menino – por Pierre San Martín

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) dispôs que os escritos de Ernesto Che Guevara sejam incluídos no Programa Memória do Mundo, ou seja, como “Patrimônio da Humanidade”. Segue abaixo um relato de Pierre San Martín sobre o tipo de homem que a ONU homenageia.

 “Papai, eu queria confessar que agora eu descobri que realmente gosto de matar.” Che Guevara ( ver na pagina 136, do livro: “La Otra Cara Del Che”, de Marcos Bravo, 1ª edição,  Bogota: Editorial Solar, 2004. 558 p.)

“Não preciso de prova para executar um homem – apenas de prova acerca da necessidade de executá-lo.” Che Guevara (ver na página 179 do livro: “Yo Soy El Che!”, de Luis Ortega, Mexico: Ediciones Monroy-Padilla, 1970)

Aconteceu durante os últimos dias de dezembro de 1959; na escuridão da cela, dezesseis de nós dormiam no chão, enquanto outros dezesseis ficavam de pé, para que então pudessem descansar. Mas ninguém pensava nisso. Pensávamos somente no fato de estarmos vivos e que isso era o mais importante. Vivíamos hora por hora, minuto por minuto, sabendo que qualquer segundo poderia ser o último.

Certa manhã, o som o horripilante daquela porta de aço enferrujado quando abria nos pôs de pé, e os guardas do Che empurraram um novo prisioneiro para dentro da cela. Era um menino, talvez com uns 12 ou 14 anos. Seu rosto estava machucado de sangue. ‘O que você fez?’, perguntamos-lhe, horrorizados. ‘Tentei defender o meu pai’, balbuciou o menino sujo de sangue. ‘Mas eles o mandaram para o paredão’”.

Todos se entreolharam como se para encontrar as palavras certas a fim de consolar o menino, mas não as encontramos. Estávamos cheios de nossos próprios problemas. Havia dois ou três dias que não executavam ninguém, e tínhamos cada vez mais esperança de que isso chegaria ao fim. As execuções são cruéis, tiram a vida quando você mais precisa dela para si e para outrem, sem levar em consideração seus protestos ou desejos.

Nossa alegria não durou muito. Quando a porta se abriu, chamaram 10 para fora, entre os quais o menino que acabara de entrar. Erramos, pois aqueles que eram chamados nunca mais eram vistos.
Como é possível tirar a vida de uma criança dessa forma? Simplesmente não podíamos acreditar que eles matariam o garoto. Então começamos a insultá-lo – ao homem que, mãos na sintura, andava de um lado para outro do sangrento pavilhão de execução e cuspia suas ordens: o próprio Che Guevara! ‘Ajoelhe!’ Dizia ao menino.

Nós todos gritávamos de nossa cela para que ele não cometesse esse crime e oferecemos a nós mesmos em seu lugar. O garoto o desobedeceu com uma coragem inexprimível em palavras e lhe respondeu com esta infame afronta: ‘Se vocês vão me matar’, disse ele, ‘vão ter de fazê-lo enquanto ainda estou de pé. Homens morrem de pé!’.

Che posicionou-se atrás do garoto e disse: ‘Pois você é um rapaz corajoso…’. Então vimos  Guevara sacar sua pistola. Ele encostou o cano atrás do pescoço do garoto e disparou. O tiro quase arrancou sua cabeça.

Nós nos inflamos: ‘Assassinos, covardes miseráveis!’. Che finalmente olhou para cima, em nossa direção, apontou-nos o revólver e esvaziou o pente. Não faço idéia de quantos de nós foram mortos ou acidentados. A partir desse horrível pesadelo, do qual nunca conseguiremos acordar, conquanto feridos e na clínica estudantil do hospital Calixto Garcia, uma coisa ficou clara: a única regra do jogo era escapar, a nossa única esperança de sobreviver.

Tradução: Ernane Garcia.

Disponível em: http://www.trenblindado.com/Sanmartin.html (Inglês)
Disponível em: http://www.cubaeuropa.com/historia/Che/Che6.htm(Espanhol)

Câmara do Crato nega pedido de informação e de implantação de Conselho



A Câmara Municipal do Crato, na Sessão Ordinária desse dia 17/09/2013, rejeitou requerimentos de autoria do Vereador Amadeu de Freitas (PT). O Requerimento 868/2013 solicita informação ao Prefeito Municipal sobre os motivos de a Secretaria Municipal de Serviços Públicos efetuar o pagamento de insalubridade a apenas alguns servidores com função/lotação Gari e Auxiliar de Serviços Gerais, uma vez que a Lei Nº 2.061/2001 assegura esse direito a todos os servidores que desempenham atividades insalubres e com risco de vida.

O Requerimento 869/2013 requer à Câmara Municipal o envio de ofício ao Prefeito Municipal, com cópia ao Secretário Municipal da Cidade, solicitando as providências necessárias com vista à implantação do Conselho Municipal do Plano Diretor, conforme os artigos 16, 17 e 77 da Lei Nº 2.279/2005 que dispõe sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano – PDDU do Município do Crato.

Sem justificar os motivos da rejeição aos requerimentos, que teve voto favorável apenas do autor e do Vereador Bebeto (PTN), a maioria dos vereadores da base aliada do Prefeito Ronaldo negou as informações solicitadas e o pedido para a Prefeitura implantar um conselho de fundamental importância para o controle social da política urbana do Município do Crato. Lamentável!

Por: Amadeu de Freitas
Vereador



Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30