xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 23/06/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

23 junho 2013

Este homem falou "apenas" toda a verdade sobre o Brasil e os seus desmandos !



Fonte: Alexandre Cândido - Perfil no Facebook.


O POVO BRASILEIRO ACORDOU, FINALMENTE !


E quando o povo acorda, se torna invencível - 1 milhão e 200 mil pessoas no Rio de Janeiro clamam por um Brasil melhor !


Foto: Yahoo notícias
Da passeata de quinta-feira passada no Rio de Janeiro.



Outras fotos da chuva no Crato ontem, 22 de Junho


Mais chuva está prevista para hoje, 23 de Junho - Veja logo abaixo, aqui no Blog do Crato



Fotos do perfil de Jose tailde Figueiredo no Facebook
Publicado no www.blogdocrato.com


Crato teve fortes chuvas no dia de ontem






Fotos: Wilson Bernardo

A voz do povo é a voz de Deus


 “Vox Populi, vox Dei” (A voz do povo é a voz de Deus) diz o adágio popular.  Eis a opinião de alguns leitores, todos identificados, inclusive com o respectivo e-mail pra o caso de alguém desejar um contato com eles:


1 –  “ Esta não é a primeira vez

A Revolta do Vintém foi um protesto ocorrido entre 28 de dezembro de 1879 e 4 de janeiro de 1880 nas ruas do Rio de Janeiro. Na capital do Império brasileiro, a população se rebelou contra a cobrança de vinte réis, ou seja, um vintém, nas passagens dos bondes, instituída pelo ministro da Fazenda, Afonso Celso de Assis Figueiredo, futuro Visconde de Ouro Preto. Aos gritos de “Fora o vintém”, a população espancou os condutores, esfaqueou os burros, virou os bondes e arrancou os trilhos ao longo da Rua Uruguaiana. Em pouco mais de 130 anos, o mundo evoluiu, os bondes foram substituídos por ônibus e os réis pelo real. Não houve esfaqueamento de condutores nem matança de burros. Manteve-se apenas a indignação de um povo que, seja de ônibus ou de bonde, não quer ser lesado”.

André Gustavo de Arruda Lorenzi  (São José dos Campos – SP –e-mail:  alorenzi@embraer.com.br )

2 – “Crise de representação

A partir do momento em que os manifestantes se posicionam contrários à presença de partidos políticos nas passeatas, resta claro que, mesmo inconsciente, a maioria dos participantes protesta porque não se sente representada pelos políticos. As manifestações acabarão quando uma reforma política satisfizer a sociedade”. (Marcos Ferraz de Paiva – Rio de Janeiro – e-mail: paiva@choaibpaiva.com.br)

3 – “O circo acabou

Senhores políticos, baixem suas lonas, porque o povo brasileiro realmente não está mais disposto a fazer o papel de palhaço. Até agora, os senhores riram de nós, subestimando a nossa capacidade de lutar. O gigante acordou e não pretende dormir tão cedo. (Vanessa Cristina R. Reis – São Paulo – e-mail: vanessinhacri@msn.com)


4 – “ Um tiro no pé

O Movimento Passe Livre (MPL) anunciou que não mais participa dos movimentos nas ruas, pois não quer sua causa “misturada” a outras com as quais não se identifica. Falando francamente, MPL, criado pelo próprio PT para atingir alguns adversários, foi um tiro no pé. Uma estratégia de promover a baderna, que causaria danos a muitos governadores e prefeitos, fez, na verdade, apenas uma grande vítima, o prefeito Haddad, que apareceu na TV tão constrangido como se estivesse sem a calça, anunciando a redução do preço das passagens e assumindo que estava perdido como cego em tiroteio. O que mais chamou a atenção de toda a imprensa que cobriu todas as passeatas foi a intolerância do povo com as bandeiras do PT, um gesto que dizia claramente: estou aqui contra você, fora! Seja lá quem foi que apostou nessa estratégia provou do próprio veneno e ensinou ao povo o caminho das pedras, que vai saber usá-lo no momento certo, com honestidade e patriotismo. O recado foi dado ao PT: vocês passaram para o outro lado e não fazem mais parte da “turma”.

(Luiz Ress Erdei – Osaco – SP  e-mail: gzero@zipmail.com.br)   

5  A frase da semana: “Nunca antes na história deste país 1 milhão e 300 mil pessoas tinham saído as ruas para protestar contra um governo”.

(Armando Rafael)

SOFTERIA - Um local feito para pessoas que gostam de Qualidade e Delícias ( Em Crato )


SOFTERIA - NO SHOPPING RESIDENCE, Loja 8B


Agora em Crato, no Shopping Residence, a SOFTERIA. Um local feito especialmente para as pessoas que gostam de qualidade e delícias. Lá, você poderá provar Sorvete expresso, petit gateau, torta de limão, cheesecake, Milk Shakes, Sundaes e muitas outras coisas maravilhosas.


Dê uma passadinha por lá e confira, um local aprazível, feito com carinho pra você que gosta do que é bom.




Softeria, o seu espaço de sabores e delícias
Rua Santos Dumont 138 – loja 8B – Shopping Residence - Crato

Bom Domingo! - Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - Ivens Mourão


Nota do Blog do Crato: Conforme fazemos há muitos anos, segue mais uma edição do "Histórias e Estórias do Crato de Antigamente".

ZÉ ARROCHADINHO


Na foto Acima: Desfile de Sete de Setembro com a participação do Tiro de Guerra e dos Colégios. Nas segundas feiras essa rua (João Pessoa) e todas as demais do centro da cidade eram, literalmente, tomadas pela feira. Por isso que a comemoração era antecipada para o Domingo.

Luís Sarmento foi outro dos freqüentadores da Praça Siqueira Campos. O seu expediente era pela manhã, horário no qual os aposentados ficavam apreciando as meninas irem para o colégio. Era um homem muito alto, que estava sempre transpirando muito. Por causa da sua altura, quebrou as duas pernas. Numa viagem a Recife, de ônibus, uma freada brusca e o aperto entre os bancos fez com que ele quebrasse as duas pernas de uma só vez. Devido a esse acidente, ficou com o caminhar irregular. Falava também com dificuldade, pois nunca se adaptou às duas dentaduras que usava. Era um contador de piadas, sempre inéditas. Certa vez contou a seguinte:

Existia um dançarino de samba famoso, que se chamava “Zé Arrochadinho”. Não era o samba dos morros cariocas, que se espalhou por todo o país. Mas era, como se chamavam, desde o século XIX, as festas rurais, animadas por sanfoneiros. Anos depois, passaram a se chamar forrós. O Zé Arrochadino tinha um desafeto gratuito. Certo dia, chegou e avisou para a mulher:

- “Mulher, vai haver um samba ali e eu quero ir. É dos bons, do jeito que eu gosto! Eu quero que você arrume a melhor roupa que eu tiver aí!. É muito bom. É aqui perto!”
- “Tu não larga essa mania de ir pra samba!”
- “Este eu não quero perder de jeito nenhum!. Tenho dois motivos para ir: primeiro porque o samba vai ser bom; segundo, porque estou com um palpite que o Zé Arrochadinho vai, e eu vou matá-lo.”
- “E por que você vai matar o Zé Arrochadinho? Este cristão algum dia lhe fez mal?”
- “Simplesmente porque não vou com os cornos dele! Eu não simpatizo mesmo com aquele caboclo. Uma vez ele disse que suor de negra não fede, o que fede é suor de negro! Desde este tempo que eu fiquei invocado com ele!”
- “Pois agora eu estou é gostando desse Arrochadinho! E pra que a melhor roupa?”
- “Porque eu quero chegar é bonito!”
Foi só chegar no samba e já avistou o Zé Arrochadinho, dançando com uma negra. Não houve nem discussão. Foi logo enfiando a peixeira no desafeto. Foi aquele alvoroço! Fugiu e desapareceu. A casa de samba fechou. Após três semanas resolveu reabrir, encerrando o luto. Quando menos se esperou, estava lá o assassino, dançando tranqüilamente. O policial, que estava de espreita, bateu no seu ombro e disse:
- “Teje preso!”
- “Espere, não vai me dizer que ainda é por causa daquela história antiiiiiiga do Zé Arrochadinho!”

VIVA ARRAES

Na véspera da chegada do Castelo Branco ao Crato, à noite, os “guerrilheiros da Serra do Araripe” fizeram a sua primeira e única “ação”. Compraram quase todo o estoque de tinta a óleo branca do comércio do Crato. Na calada da noite e em dois jeeps com luzes apagadas, invadiram a pista do aeroporto do Crato e picharam o asfalto, em letras enormes, tomando quase todo o tamanho da pista, a partir do ponto em que o avião pousa, as seguintes frases, que o Castelo Branco deve ter lido: VIVA ARRAES! ABAIXO A DITADURA! 
Em 1963, o Castelo Branco com o Jango e o Arraes. No ano seguinte enxotava um do Brasil e prendia o outro em Fernando de Noronha.

UM BEBÊ

A estória dos “guerrilheiros da Serra do Araripe” fora fruto da imaginação fértil e até maldosa de alguns fofoqueiros e “dedos duros” de plantão, que também existiam no Crato. Não diferindo das demais cidades do Brasil. Um destes, morava perto do apartamento do Luís, no bairro do Pimenta, em uma casa que por sua arquitetura de péssimo gosto lembrava a silhueta dos antigos caminhões FêNêMê, nome pelo qual era assim apelidada. O cidadão que morava nessa casa era dedo duro, informante das autoridades. Desta forma eles ficavam sabendo sobre os freqüentadores da “célula comunista” – o jogo de buraco na casa do Luís.

Não sabiam quem era e qual motivo, mas como acontece nas pequenas cidades, alguém acabou informando ao Luís que o tal vizinho era o “dedo-duro”. Não houve nenhuma represália contra ele, mas passou a ser observado com restrição pelos jogadores de buraco.
Não muito tempo depois, esse impoluto cidadão foi vítima de uma dessas artimanhas do destino. Foi flagrado pela esposa “mamando” na empregada, dentro do FêNêMê. A estória se tornou de domínio público, principalmente pelo fato do choro da tal figura diante da esposa, na hora do flagra. A turma dos guerrilheiros teve a sua agradável vingança. A partir deste fato o cidadão passou a ser conhecido como o Bebê Chorão do Fênêmê... Bebê, porque estava mamando, chorão por causa da reação que teve na hora do flagra e Fênêmê, em alusão a casa onde morava.

CHE

O Luís é daqueles que perde um amigo, mas não perde uma piada. Somente na cabeça delirante dos milicos daquela época, cabia a idéia de ele ser comunista. Não só ele como os outros cratenses. Tanto é verdade que os anos se passaram e ninguém se revelou comunista. Aliás, o único comunista foi preso apenas uma vez. Este, inclusive no passado perdera um olho, em ação. Certo dia o Luís encontrou-se com ele, em Fortaleza:

- “E aí, o que é que está fazendo?”
- Nem te conto, Luís. Fiz um concurso público, passei e estou trabalhando na Justiça Federal. E os bestas nem sabem! Não vai falar nada não!

O Luís resolveu achar um motivo que justificasse realmente as perseguições sofridas pelos milicos. Já que era preso mesmo, decidiu dar-lhes provas de que estavam tratando com um autêntico “comuna vermelho”. Imbuindo-se do verdadeiro espírito de gozação e deboche reinante entre seus parceiros da Praça Siqueira Campos, decidiu preparar-se a caráter. Como a primeira prisão o pegara desprevenido, a partir da segunda não seria mais assim. Estaria bem preparado. Não era nenhum esquema mirabolante de fuga. Em absoluto. Antes, porém, de pegar a escova e a pasta de dentes, ia ao guarda-roupa e vestia, com todo prazer e cerimônia, a camisa do Che Guevara!! Seria hilariante se fosse ao som da Internacional Comunista... Era uma camisa idêntica à usada nas serras cubanas. Guardava-a somente para estas ocasiões. Estava sempre bem lavada e bem passada. De prontidão! E assim se apresentava aos seus inquiridores para responder às perguntas mais idiotas. Até hoje se indaga por que nunca mandaram-no tirar aquela camisa debaixo de porrada. Talvez por ser a prova de que necessitavam para justificar-lhes os delírios de estarem, patrioticamente, combatendo os guerrilheiros vermelhos da Serra do Araripe.
O Che Guevara com uma camisa “igual a do Luís...”

No dia seguinte, na Praça Siqueira Campos, os remanescentes das Câmaras dos Comuns e dos Lordes, se indagavam, seguida de uma gargalhada geral:
- “E aí, o Luís foi com a camisa do Che?”

A ESPERA

A arbitrariedade nas prisões era tamanha que aqui e acolá os incompetentes prendiam pessoas erradas. Mas, até para corrigir o próprio erro não sabiam ou não queriam fazê-lo. Tinham que receber uma ordem superior de Fortaleza para soltar aquele que não deveria ter sido preso... As comunicações eram precárias. Não tinha telefone. A comunicação era feita através do “rádio”, que nunca funcionava.

Quando o Luís foi preso pela primeira vez, juntamente com os outros “companheiros”, foram levados para o Batalhão de Polícia de Juazeiro. Teriam que ser transportados para Fortaleza, mas faltavam os meios. Propuseram, então, que cada preso cedesse o seu veículo para “colaborar” com o transporte. Contando hoje, parece mentira. O Luís foi taxativo:
- “Eu não vou botar carro meu para eu mesmo ser preso, coisa nenhuma!! Era só o que faltava!!! 

O governo que pague passagem de trem ou alugue um veículo. Não tenho o menor interesse de ir para Fortaleza” Quando o grupo foi colocado numa cela o Luís viu, com surpresa, o seu grande amigo Chico Soares, que também estava entre os comunas.

- “Mas Chico, o que é que você está fazendo aqui?”
- “Fui preso, Luisinho. Mas parece que queriam pegar era outro!”
Ficou o impasse de como os presos seriam transportados. E não resolviam nunca. Toca a esperar uma solução. Então o Chico, não perdendo o seu bom humor, chegou perto do Luís e comentou:
- “Luisinho, o que é chato da viagem é esta demooooora!!...”

O COMPROVANTE


Na Foto acima: Em 1963, o Castelo Branco com o Jango e o Arraes. No ano seguinte enxotava um do Brasil e prendia o outro em Fernando de Noronha.

Finalmente foi resolvido o problema do transporte que conduziria os “comunistas” para Fortaleza. Cada preso levara para a prisão uma trouxinha. Uma malinha qualquer com seus mínimos pertences, arrumados apressadamente. Então pegaram a sua pequena bagagem e foram acomodando no veículo. O Chico Soares, embora soubessem que ele estava no lugar de outro, foi levado a embarcar assim mesmo. Quando depositou a sua bagagem, virou-se para um militar daqueles e cobrou:

- “E o meu comprovante?”

CONSELHO

Quando, às cinco horas da manhã, o grupo ia finalmente embarcar para Fortaleza, chega o tal “da radia” liberando o Chico Soares. O Delegado Pinheiro, do Crato, que era uma pessoa de bom senso, horrorizado com aquelas arbitrariedades do Exército, disse para o Chico Soares:

- “Chico, gosto muito de você. Gosto muito daqueles seus papos na Siqueira Campos! Mas não vá conversar besteira não! Você está vendo como o povo do Crato exagera as coisas. Vá pra casa. Vá dormir. Tem gente que se presta a este papel de denunciar os outros só por maldade. Se não fosse assim o Luís não estaria preso! Pelo amor de Deus, Chico, se aquiete. Se não, você vai acabar dando motivos para ser preso mesmo!”

HORÁRIO POLÍTICO

Querendo jogar para o público externo, dando idéia de Democracia, a Ditadura criou, artificialmente, dois partidos: um da situação (ARENA) e outro da oposição (MDB). Mas, justiça seja feita, foi o começo do fim deles. O MDB aos poucos foi se firmando, agrupando as pessoas que realmente queriam uma Democracia, que acabou vindo, lenta e gradual, no linguajar dos próprios ditadores.

Dentro deste arremedo de Democracia foram permitidos horários nos meios de comunicação para que os partidos políticos apresentassem suas idéias. Foi o precursor do atual horário político. O veículo de comunicação existente no Crato era o rádio. Foi permitido, então, que a Rádio Educadora, da Igreja, liberasse um horário. E o Luís foi escalado para falar no horário do MDB. Não era Democracia? Então falou o que quis. Tirou todos os recalques. Espinafrou a Ditadura e terminou com:

- VIVA ARRAES E ABAIXO A DITADURA!!!

Foi igual a “Primavera de Praga”. Não teve tanque, mas o programa foi extinto...

O CURTO-CIRCUITO

Em 1975, o depósito vizinho ao Bar do Tinga foi vítima de um sinistro, em uma das noites do mês de junho: um INCÊNDIO. Foi na madrugada.

O Marcelo conta que tinha se submetido a uma pequena cirurgia e estava convalescendo, num dos apartamentos da Casa de Saúde, quando foi acordado com uns estouros muito fortes. Foi para a janela do apartamento e viu, na direção do Bar do Tinga, uma grande labareda, subindo acima do teto dos demais prédios da rua.

Onde será o incêndio? – pensou.

Imaginou que pudesse ser no Bar do Tinga ou na Funerária do Caixão. Enfim, não lembrou do depósito da loja de eletrodomésticos. No outro dia ficou sabendo que tinha sido o depósito que pegara fogo, repleto de mercadorias. Prejuízo enorme, se não estivesse coberta por seguro. As conversas dos dias seguintes, quando o Bar do Tinga foi liberado para a freqüência, foi exatamente esta: “Teria seguro? O que queimou? E... qual foi a causa?”As respostas foram logo aparecendo. O comerciante, alguns meses antes, tinha feito um bom seguro de tudo! Sorte dele.

Sorte?! Indagavam, maliciosamente, alguns. E a causa do Incêndio? Logo veio a explicação oficial dos proprietários: “Foi causado por um curto-circuito”. Comentou o Zé Aragão, dias depois:

- “Curto-circuito, nada de mais... Isso já aconteceu em outros lugares. É muito comum... Mas com a energia do prédio cortada??!!.... Só no Crato...”
Tinham esquecido de mandar ligar a energia...

Fonte: Ivens Mourão - Todos os Direitos Reservados
Proibida a Reprodução.


Quadra chuvosa 2013 no Ceará fica 37,7% abaixo da média, aponta Funceme


O período chuvoso no Ceará, compreendido entre os meses de fevereiro e maio, ficou abaixo da média histórica em 2013.  Neste ano, choveu somente 378,3 milímetros no período. Em comparação com a média, que é de 607,5mm, houve desvio de -37,7%. Os números foram divulgados na última segunda-feira [17], em coletiva de imprensa na sede da Funceme.

Segundo os números apresentados, a quadra chuvosa de 2013 foi menos seca que a de 2012 - no ano passado, as chuvas ficaram -50,7 abaixo da média). Ainda assim, a situação é preocupante, pois trata-se da 9ª pior seca desde 1950. A divulgação dos dados foi realizada pelo presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins e comentada pelo titular da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, que explicou o andamento das ações do Comitê Integrado de Combate à Seca.

O quadro de estiagem, de acordo com Eduardo Sávio, ocorreu porque as condições termodinâmicas do Oceano Atlântico tropical estiveram mais aquecidas ao norte e influenciaram o posicionamento desfavorável da Zona de Convergência Intertropical, que é o principal sistema indutor de chuvas no Ceará. 

“Em janeiro, os indicadores eram bem fortes, nos mostrando que teríamos uma estação com precipitações irregulares. Foi o que aconteceu. Na evolução dos meses, houve uma discreta melhora, mas não suficiente. Assim, observamos que fevereiro e março ficaram bem abaixo da média, abril se aproximou da média e maio foi bom, porém as chuvas de maio já são menos intensas e a quadra chuvosa como um todo já estava comprometida pelo início com poucas precipitações”, disse o presidente da Funceme.

PÓS-ESTAÇÃO A estação chuvosa no Ceará se encerra oficialmente em maio, no entanto, tem sido observada a ocorrência de chuvas no centro norte do Ceará, principalmente, na faixa litorânea. Estes eventos, tem sido provocadas por sistemas conhecidos como distúrbios ondulatórios ou ondas de Leste, característicos do período da pós-estação chuvosa. Porém, convém observar, que as médias climatológicas desse período, para o Estado do Ceará são baixas: 37,5 mm, 15,4 mm e 4,9 mm, em junho, julho e agosto, respectivamente.

PREOCUPAÇÃO O secretário de Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, disse que as chuvas registradas em abril e maio deram um pequeno alívio aos agricultores. “Pelo menos deu pra fazer forragem. Até julho, estamos numa situação confortável, pois temos essa forragem e o milho que está chegando. O início do ano foi mais crítico e ainda nos preocupa o segundo semestre, pois sabemos que as chuvas nesse período são muito poucas e a evaporação é elevada”, explicou.

Sobre as ações do Comitê Integrado de Combate à Seca, o secretário asseverou que todas as medidas necessárias para socorrer os municípios e as comunidades afetadas serão tomadas. “Já estamos realizando e vamos intensificar o trabalho com os carros-pipa, a perfuração de poços, a construção de cisternas e construção de sistemas de abastecimento. Essas ações emergenciais são solicitadas pelas prefeituras e atendidas pelo governo Estadual através dos órgãos competentes e também pelo Exército e Defesa Civil”, concluiu Nelson Martins.

Atualmente, o Ceará tem 175 municípios em estado de emergência por consequência da estiagem. Nos açudes, a situação é de alerta. Dos 143 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos, 70 estão com volume abaixo dos 30%. No Estado, o volume médio de água armazenada é de 43,9%.

Funceme 


Manifestantes dividem bolo com a polícia em protesto perto da casa do governador do Rio



Rio de Janeiro – Os manifestantes acampados na esquina da Avenida Delfim Moreira com a Rua Aristides Espíndola, no Leblon, na zona sul do Rio, próximo à casa do governador do Rio, Sérgio Cabral, distribuíram pedaços de bolo para os policiais militares, que estão no local para garantir a integridade de quem participa do protesto Ocupe a Delfim Moreira e o fechamento da Aristides Espíndola, entre a Delfim Moreira e a Rua General San Martin. É nesse trecho que está o prédio onde mora o governador.

O bolo foi distribuído quando foram completadas 24 horas de permanência dos manifestantes no local. “Essa comemoração representa uma nova relação da população com a polícia, que aqui está agindo de maneira democrática”, disse o estudante de direito da PUC Rio, João Pedro Menezes, um dos organizadores da manifestação que, de acordo com ele, vai seguir até segunda-feira. No fim da manhã e durante a tarde de hoje (22), muitos manifestantes participavam do protesto junto com os filhos. Alguns com menos de 1 ano. As crianças brincavam em meio a cartazes, que entre outras mensagens pediam mudanças na política do país.

A única ocorrência policial foi a prisão de um motorista, que avançou o bloqueio da CET-Rio que isolava a manifestação na Avenida Delfim Moreira. Ele foi levado para a delegacia de polícia número 14, no Leblon, e preso por embriaguez ao volante e injúria por preconceito. O homem foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal, mas se recusou a fazer exame de embriaguez. Ele pagou a fiança e foi liberado.

Na zona oeste da cidade, a Secretaria Municipal de Transportes, por causa de uma manifestação, interrompeu o trânsito na Avenida das Américas na altura da Estação Mato Alto. A interrupção suspendeu o serviço Santa Cruz – Alvorada do BRT Transoeste, corredor de ônibus com 40 quilômetros de extensão que liga bairros da zona oeste a alguns da zona norte.

Na praia de Copacabana, zona sul do Rio, a organização não governamental Rio de Paz colocou na areia 500 bolas de futebol pintadas com cruzes vermelhas. Elas representaram, segundo o presidente da entidade, Antônio Carlos Costa, 500 mil homicídios que aconteceram nos últimos 10 anos no Brasil.

Agência Brasil


Previsão do Tempo para hoje, Domingo, 23 de Junho de 2013 - Mais chuvas à tarde e à noite


Bom dia, Crato!


Noite tranquila, de muito frio e sem chuvas em Crato, após o dia de ontem, que foi marcado por fortes chuvas na cidade. 

Nascer do sol: 05h49 Pôr do sol: 17h31
Temperaturas: Max 30º Min 22º
Ventos a SE a 15km/h
Umidade Relativa do Ar: 93% e min de 48%
Índice UV: Extremo 
A previsão indica: Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Fontes: INPE e GOES12
Via www.blogdocrato.com 


FONTE MUSICAL - A mais completa loja de Instrumentos Musicais do Cariri


A Fonte Musical é a mais completa loja de instrumentos musicais e acessórios do cariri. As melhores marcas e os melhores preços. Se você procura violões, guitarras, contrabaixos, baterias, encordoamentos, instrumentos de percussão, microfones, amplificadores, caixas amplificadas, pedestais...etc procure a Fonte Musical. Com atendimento especializado, esse verdadeiro "supermercado" da música tem tudo que você precisa. 

Conheça a Fonte Musical:


Guitarras, contrabaixos e teclados nacionais e importados. Todos os modelos e marcas de caixas amplificadas para você escolher:


As últimas novidades em instrumentos musicais


Um verdadeiro supermercado da música



Encordoamentos para guitarras, violões, contrabaixos...
Violões Godin, Takamine, Giannini, Di Giorgio e toda a linha de percussões para você fazer seu próprio ritmo.

Fonte Musical
Em Juazeiro do Norte
Rua Carlos Gomes, 459 ( Ao lado da Praça da Prefeitura )

Anuncie no Blog do Crato - A maior vitrine da Internet no Cariri

200 mil acessos por mês - Onde sua empresa é tratada com respeito e amizade.
Envie e-mail para blogdocrato@hotmail.com e marque uma visita.
www.blogdocrato.com

Juazeiro no tempo do carro de boi



As gerações atuais jamais poderiam imaginar que hoje, no local mostrado na foto, é a Farmácia Pague Menos, no cruzamento das Ruas São Pedro com Santa Luzia. O prédio da Casa Neri, do empresário Felipe Neri da Silva,  era um dos mais vistosos do comércio juazeirense na época (anos 50). Mas o pitoresco da foto é a presença de um carro de boi gemedor transportando em pleno centro comercial da cidade uma carrada de lenha, quem sabe, talvez, para alimentar o forno de uma padaria, e nós arriscamos um palpite: seria a famosa Padaria de Antônio do Café, localizada no quarteirão da Rua Santa Luzia que fica entre as Ruas São Pedro e São Paulo, mais ou menos onde é hoje a agência do banco HSBC ou o restaurante Pratão? (Quem sabe o local certo nos avise). 

Até o início dos anos 60 esse tipo de veiculo de transporte de tração animal, cuja velocidade era semelhante à de uma tartaruga, era muito comum em Juazeiro. Depois foi substituído pelas carroças, também de tração animal, mas conduzidas por cavalos ou jumentos em vez de bois. Hoje, com o grande e caótico movimento de veículos no trecho mostrado na foto, seria praticamente impossível o tráfego de carros de boi por ali. 

A foto é publicada para proporcionar um momento de lembrança de um passado importante na história desta cidade, quando os carros de boi eram bastante usados como meio de transporte de carga tanto na cidade como na zona rural. "Eu vivo feliz da vida e a idade não me espanta, pois o carro de boi na subida quanto mais velho mais canta!". Afonso Sampaio e Sá, 88 anos.

Nota do Editor do Juaonline: Seu Afonso é desse tempo e sabe bem o valor dos carros de boi.

Fonte: Blog do Juaonline - Daniel Walker


Polícia Civil identificou sete suspeitos de depredar o Itamaraty



Brasília - A Polícia Civil do Distrito Federal já identificou os nomes de sete suspeitos de depredar o Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, durante manifestação popular na última quinta-feira (20).

Dos suspeitos, apenas um teve o nome divulgado: Cláudio Roberto Borges de Souza, 32 anos. Ele aparece de camiseta laranja no dia da manifestação, e já cumpre pena de prisão domiciliar por furto. As investigações sobre ele serão encaminhadas à Polícia Federal.

A Polícia Civil informou que somente divulgará os nomes dos seis suspeitos restantes depois de finalizar o inquérito, inclusive ouvindo cada um dos os investigados. Por se tratar de acusação por depredação de prédio público, os nomes dos acusados também poderão ser enviados à Polícia Federal depois de concluídas todas as etapas da investigação. 

Agência Brasil


Que tal um cafezinho gostoso ? - Cafeteria DI CAFFÉ - No centro do Crato




Cafeteria DI CAFFÉ, localizada no Shopping Residence, no centro do Crato. Um local muito aprazível, que está cada vez mais se transformando no novo "point" para aquele bate-papo gostoso, e claro, saborear o melhor café da cidade. Nós que já éramos fãs de carteirinha do DI CAFFÉ, agora, mais do que nunca estaremos por lá encontrando os amigos. E aproveitando, deixo aqui o convite: Que tal tomar um delicioso café na DI CAFFÉ ?



O local mais aconchegante para você saborear um delicioso café... 


No centro da cidade, bem ali no Shopping RESIDENCE 


DI CAFFÉ - Rua Santos Dumont, 38 - Shopping Residence Loja 8A
O mais aconchegante Café do Crato.

MPCE cria comissão para tratar sobre manifestações no Ceará


O Ministério Público do Ceará [MPCE] divulgou um convite em seu site para instituições para criarem uma comissão intersetorial para tratar sobre as manifestações sociais. 

Foram convidados os chefes da Polícia Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Ouvidoria do Estado, Escritório de Direitos Humanos da Assembleia e Conselho Estadual de Segurança Pública. 

O grupo vai se reunir nesta segunda-feira [24], às 8h30, no gabinete do procurador-geral de Justiça [rua Assunção, nº 1100 – José Bonifácio]. O objetivo é traçar estratégias conjuntas para prevenir confrontos em decorrência dos protestos realizados em todo o Estado. Ação semelhante já foi adotada em Minas Gerais.

Com informações da Ascom do MPCE  ( Yuri Guedes )


Retornaremos a 1964? - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Sinto-me como se vivesse hoje no Brasil de 49 anos atrás. Lá, como agora, via o povo nas ruas, na denominada "Marcha da Família com Deus pela liberdade." Inicialmente no Rio de Janeiro e depois em São Paulo e espalhando-se rapidamente pelo país afora em todas as capitais e demais cidades de porte médio. Ontem como hoje, milhares de jovens clamavam por democracia, combatiam a corrupção e enchiam as ruas rezando para que fosse afastado do Brasil os riscos de uma ditadura comunista, que se dizia iminente. Tudo isso sem destruição e ataque ao patrimônio publico e privado, como se vê agora. Então, a denominada grande imprensa brasileira, tendo à frente um grupo de comunicação carioca, à época composto apenas por um jornal e uma emissora de rádio, ouvida nas demais regiões pela sua estação de ondas curtas, dava conhecimento ao país inteiro da luta que se travava em favor da democracia, conforme se dizia amiúde. Os grandes partidos políticos oposicionistas de então, assim como os atuais, apoiavam aquela grande "causa". O resultado de toda aquela movimentação nas ruas, de todos os editoriais e clamores da chamada "grande imprensa brasileira" e de todos os discursos inflamados dos políticos oposicionistas foi um golpe militar seguido de vinte e um longos anos de uma ditadura, que a grande maioria dos nossos aguerridos jovens de hoje não tomaram conhecimento e, nem sentiram na pele como é viver  num país sem democracia.

É claro que o país mudou nesse meio século que se passou. A inflação de 60% registrada naquela época era quase dez vezes maior do que os 6,5% anuais que atualmente é reclamado como alarmante. E lembrar que ninguém reclamava quando ela atingiu 90% ao mês, no final dos anos de 1980. De lá para cá, os muitos ricos se tornaram mais ricos ainda. E aquele jornal e emissora de rádio carioca se agigantou. Associou-se ao poderoso grupo de comunicação americano Times-Life e ganhou de presente da ditadura uma rede de rádio e televisão em sinal aberto e fechado espalhada por todos os recantos do país, do mais extremo ponto da fronteira, ao mais humilde e tosco arruamento de casebres dos grotões sertanejos. Tornou-se perigosíssima! Nesse quase meio século de sua existência, mudou os nossos costumes, o nosso sotaque e deteriorou a moral do povo brasileiro. As consciências foram anestesiadas. Corremos sérios riscos de sermos comandados pela vontade desses serviçais dos interesses norte-americano, do neoliberalismo, do capitalismo materialista e cruel, que proclama o Estado mínimo, atribui como gastos os salários pagos aos trabalhadores e sonha com o fim do emprego. O resultado dessas políticas que grupos oposicionistas querem de volta, podemos observar na grande crise em que vive mergulhada o continente europeu, a experimentar a pobreza e agruras de um pais subdesenvolvido como o nosso. E claro, a se refletir em nossa economia, pois nossas exportações tornaram-se irrisórias, pela carência dos compradores de nossos produtos exportáveis.

Conforme constatação da Conferencia Episcopal Latino-americana de Puebla, qualquer política voltada para o combate à pobreza, é imediatamente rechaçada pelos poderosos. Creio ser essa a ameaça maior que a grande imprensa e políticos conservadores enxergam no Brasil atual. Tudo isso, acrescentado por mais de dez anos de jejum que vem sofrendo esses partidos hoje colocados na oposição pelo voto livre e soberano do povo. Por tudo isso, eu temo que um movimento tido por todos como o "grande despertar da consciência do povo brasileiro", nos leve a um golpe de Estado. Que Deus nos livre disso e me perdoe tamanho pessimismo! Mas que existe riscos, existe sim! 

Por Carlos Eduardo Esmeraldo 

Edições Anteriores:

Outubro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31