xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 06/05/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

06 maio 2013

O sonho do avião - Por: Emerson Monteiro


Transcorria o ano de 1978. Voltara a Salvador, onde permaneceria por mais sete meses, isso face ao nascimento de Ceci, minha primeira filha, ocorrido em 19 de junho. Nesse período, ficaríamos em apartamento de um edifício circular, o Orixá’s Center, no Politeama, próximo à Avenida Sete.

Numa madrugada calorenta do agosto baiano, foi despertado de sonho de alta voltagem emocional, a mexer com intensidade nas minhas entranhas psíquicas e causar forte impacto nos meus pensamentos. Dada a clareza com que se apresentara, na forma plástica de um filme, com direito a se repetir tão logo que terminou a primeira sessão, pois as imagens se reproduziram duas vezes seguidas, seu efeito persistiu na minha consciência logo após o sono e ainda hoje o recordo com absoluta nitidez.

Ele se dava em Crato, no bairro onde mora minha família desde que aqui chegamos, em 1953. Na varada do segundo pavimento de uma residência situada no prédio em que funciona  a oficina de pré-moldados de meu pai, local da antiga serraria que ele possuiu, nos achávamos, minha mãe e eu, enquanto Lydia, minha irmã mais velha se aproximava, vindo de dentro de casa.

Nessa hora, notamos movimento incomum ao nível da fachada das casas em frente. Então, nessa direção, avistávamos uma bruxa de preto a voar numa vassoura, arrastando consigo seguro por uma corda quarto crescente de lua sem luz para fazê-lo coincidir com outro quarto de lua brilhante. No exato momento se superpunham, em que lua negra preenchia toda a superfície da forma idêntica que brilhava, ocorria no céu choque descomunal qual circuito elétrico expresso em detonação de proporções indescritíveis.

No mesmo instante em que isso se verificava, por trás das casas, ao longe na paisagem, um avião de passageiros caía e explodia ao tocar o solo. Algo me indicava que aquilo na realidade ocorreria no futuro próximo e diria respeito a pessoa de nossa família.

A impressão que a visão acarretara gelava-nos por completo, e quando a cena se concluiu repetiu-se no mesmo sonho, como antes dissera, quase sem nenhuma variação, parecendo fita gravada.

De imediato, a reação que esbocei foi me ajoelhar e rezar pedindo clemência a Deus. Minha mãe permanecia sentada, também rezando em voz alta. Dentro desse sentimento acordei assustado, sob o impacto das imagens que presenciara. Saturado de pavor, me levantei e sai do quarto para a sala do apartamento, buscando por longo tempo a coordenação das idéias e pedindo socorro ao Alto por causa do que vivenciara naquela noite.

Durante os anos seguintes, recordei algumas vezes desse sonho, querendo interpretar o seu sentido. A respeito do que falava de concreto? No entanto, não localizei sua finalidade.

No dia 08 de junho de 1982, quatro anos depois, residindo em Crato, para onde retornara, se registra o rumoroso desastre aéreo da Serra de Aratanha, no Ceará, envolvendo o Boeing 727-212A, da VASP, prefixo PP-SRK, vôo procedente de São Paulo, a ocasionar o maior acidente da aviação brasileiro, com o desaparecimento de 137 pessoas, dentre elas Francisco Wagner Dantas, esposo de Lydia, que estava comigo no sonho.

À época, perante o acontecido, minha mãe e eu nos deslocamos a Fortaleza, onde acompanhamos de perto todo o desenrolar do drama, incumbidos de confortar a família vitimada, sempre recorrendo ao amor divino para vermos minoradas suas dores.

Hoje admito, portanto, que existe um nexo entre aqueles sonhos e as circunstâncias do acidente posterior. Outrossim desconheço as razões da antecipação, uma vez que nada pude estabelecer no ânimo de evitar a trágica ocorrência.  

"Estou numa sala de aula formando a esquerda."



Por Luiís Lopes Diniz Filho*


Um comentário bastante franco, crítico e até mal-educado ao post "Grupo Geo Corp é boa iniciativa" traz uma síntese tão concisa dos males da hegemonia de esquerda em nosso sistema de ensino que merece ser respondido com uma tomatada, ou melhor, com um post. Escrito por Angelo Menegatti, o comentário diz o seguinte:

Salvador Allende quando discursou na Universidade de Guadalajara em 1972 disse o seguinte "existem jovens velhos e velhos jovens", depois de militar (com muito orgulho) por 5 anos no Movimento Estudantil, tenho a convicção de que o papel do Movimento Estudantil é, antes de mais nada, não deixar que a sociedade envelheça nas suas ideias. Essas ideias que vocês defendem são as mesmas de 500 anos atrás. O que me deixa tranquilo é saber que hoje, depois de formado na Geografia da UFPR estou numa sala de aula formando a esquerda. Como diria Maradona chupem todos!

 O que há de bom nesse comentário é que Angelo tem consciência da relação entre suas ideias e ações e é bem explícito em assumir que suas atividades como representante estudantil e como professor foram e são pautadas por objetivos político-ideológicos. A grande maioria dos estudantes e professores com quem discuto fica tergiversando e faz todo tipo de retórica incoerente para convencer as pessoas de que a politização das instituições de representação e das salas de aula não existe ou é inevitável. Já ele deixa bem clara sua visão de que os representantes dos alunos devem se preocupar precipuamente em fazer a cabeça dos seus representados contra o capitalismo e que o papel de um professor é seguir "formando a esquerda".

É no mínimo esquisito o representante de uma categoria querer mudar a visão de mundo da sociedade inteira, pois essa deveria ser a função dos partidos. Mais esquisito ainda é um representante achar que seu papel principal é transformar as concepções ideológicas daqueles a quem deve representar, ao invés de mostrar serviço trabalhando as questões que interessam mais de perto aos representados. Deve ser por isso que os ativistas do dito "movimento estudantil" não abrem mão da prerrogativa exclusiva de vender carteirinhas de estudante: assim eles ganham dinheiro mesmo sem se esforçarem para atender aos interesses que dizem representar e ficam livres para fazer política partidária, o que os beneficia com cargos e verbas públicas.

Sobre o ensino, nota-se que Angelo não perde tempo com aquela conversa mole de "formar cidadãos críticos". Honestamente, ele assume que deseja transformar seus alunos em esquerdistas, e ponto final. É mais uma evidência do conteúdo doutrinador assumido pela geografia escolar após a chegada da geocrítica. Outra evidência de que as ideias ultrapassadas vigoram na geografia graças a uma ação doutrinadora que começa desde antes da faculdade.

Dito isso, cabe fazer um comentário sobre quem é que anda realmente a defender ideias velhas. Eu é que não sou, mas, para não me alongar demais agora, vou deixar isso para um outro post. Encerro dizendo que, ao ver a citação de um certo Maradona, pensei inicialmente tratar-se daquele ex-jogador de futebol, ex-viciado em cocaína, ex-viciado em comida e eterno admirador da ditadura cubana. Mas, dada a profundidade filosófica da frase "chupem todos", imagino que deve ser algum pensador homônimo. Um portento intelectual como Armem Mamigonian e Slavoj Zizek, os terroristas de gabinete. A agressividade verbal combina bem com as "ideias" de ambos e com o dogmatismo que pauta o modo de pensar e as ações da maioria dos geógrafos, que é como o Angelo.

* Professor do Depto. de Geografia da UFPR

Fonte: Publicado no blog do autor em 21 de março de 2012 - http://tomatadas.blogspot.com.br/

Papa Francisco diz que está unido ao Brasil na beatificação de Nhá Chica


Nha-chica-300x231O papa Francisco saudou neste domingo (5) os fiéis brasileiros ao dizer que está unido a todos pela beatificação de Nhá Chica. O anúncio da beatificação de Francisca de Paula de Jesus foi feito nesse sábado (4). O papa citou a beata durante missa celebrada neste domingo no Vaticano. Francisco também disse que reza pelas crianças vítimas de abusos. Segundo ele, é fundamental intensificar os esforços para proteger as pessoas em situação vulnerável.
“Ontem, no Brasil, foi proclamada beata Francisca de Paula de Jesus, conhecida como Nhá Chica. A sua vida simples foi toda dedicada a Deus e à caridade, tanto que era chamada a Mãe dos Pobres. Estou unido à alegria da Igreja no Brasil por essa luminosa discípula do Senhor”, disse o papa.
Nhá Chica é a primeira negra a ser declarada beata no Brasil. Ontem, houve uma solenidade em Baependi, município mineiro que fica a 400 quilômetros de Belo Horizonte. A missa de consagração foi celebrada no Santuário Nossa Senhora da Conceição, onde estão os restos mortais de Nhá Chica.
O decreto de beatificação foi assinado pelo papa Bento XVI em junho de 2012. Em 2011, o Vaticano aprovou o registro de um milagre atribuído à Nhá Chica. A comissão começou os trabalhos em 1989. Em nota, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) destacou que a beatificação tem um significado importante para a Igreja.
Filha e neta de escravos, a beata era analfabeta e ficou órfã ainda na infância. Devota de Nossa Senhora da Conceição, viveu na pobreza e na simplicidade, e dedicou sua vida para servir as pessoas, especialmente na tarefa de escutar e aconselhar. Seu cuidado com os mais pobres rendeu-lhe o título de Mãe dos Pobres.
Em seguida, Francisco mencionou a busca pela defesa dos direitos daqueles que vivem em situação de vulnerabilidade. O papa apelou para que as ações de defesa e proteção sejam intensificadas como garantia de qualidade de vida para os vulneráveis.
“Dirijo meu pensamento a todos aqueles que sofreram e sofrem por causa dos abusos. Gostaria de assegurar que estão presentes na minha oração, mas gostaria de dizer ainda com força que todos devemos nos empenhar com clareza e coragem para que cada pessoa, especialmente as crianças, que se encontram entre as categorias mais vulneráveis, sejam sempre defendidas e tuteladas”, disse.
Agência Brasil

No Ceará, ainda não chegou milho suficiente para atender os produtores


Governo Federal prometeu o envio de 60 mil toneladas em abril e maio. Até agora, só oito mil tonaladas chegaram ao Ceará.

MilhoceNo Ceará, produtores que precisam de milho para alimentar o gado durante o período de seca ainda sofrem com a pouca oferta do grão nos armazéns da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Depois de quatro meses de espera, o produtor rural Antônio Carvalho, saiu do escritório da Conab, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), com a guia que autoriza a compra de de milho para alimentar o gado. "Dá um alívio, agora é torcer para que venha todo mês".
A presidente Dilma Roussef prometeu o envio de 60 mil toneladas de milho para o Ceará, nos meses de abril e maio. Metade chegariam de avião e a outra metade de navio mas, até agora, só chegaram oito mil toneladas e o transporte rodoviário ainda é o único utilizado. O superintendente da Conab no Ceará, Agenor Pereira, diz que as cargas estão chegando aos poucos e que onze carretas estão na estrada, cada uma com 37 toneladas de milho. Segundo ele, em junho, o milho também vai chegar pelos portos.
O Governo Federal também diminuiu a cota máxima para cada criador. De 14 toneladas, baixou para 6 toneladas por mês. No Ceará, como o milho que chega não é suficiente, mesmo os produtores que têm direito à cota máxima, só levam a metade para casa. "É necessário diminuir a cota para atender um número maior de produtores. Aqui nesta unidade a gente está vendendo apenas 50 sacas por criador", explica o superintendente da Conab.
O preço da saca de 60 quilos de milho varia entre R$ 18 e R$ 21, dependendo do tamanho do criador. Os pequenos pagam menos. De janeiro a março, o Ceará recebeu uma média de sete toneladas por mês. De abril até o início de maio, chegaram oito mil toneladas, quantidade insuficiente para atender os 36 mil produtores rurais aptos a comprar, que necessitam de 70 mil toneladas.
Para o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Maranguape, Eduardo Peixoto, os 168 produtores do município cadastrados para comprar milho na Conab teriam direito a 499 toneladas do grão mas, por causa da cota reduzida, só estão conseguindo comprar 315 toneladas. Segundo ele, o maior problema é a irregularidade na distribuição. "Tem mês que tem, no outro não. Os produtores ficam em uma situação difícil, sem ter como alimentar o rebanho".
Do G1 CE , com informações da TV Verdes Mares

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30