xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 28/10/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

28 outubro 2012

Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - 28/10/2012


ZÉ DOIDO


Logo após o golpe de 64, Castelo Branco foi fazer uma visita ao Cariri. Desceu no aeroporto do Crato, que ficava na Serra. Quando a comitiva se dirigia para a cidade, fez questão de parar numa curva, no alto da Serra, da qual se descortina todo o Vale.

A vista, do alto da Serra, que impressiona a todos.

É realmente uma visão deslumbrante! Acredito que deva ter se lembrado de uma crônica da sua prima, Rachel de Queirós, na revista “O Cruzeiro”, relatando seu encantamento neste mesmo local. Aliás, a minha mãe também gravou sua admiração para sempre, neste mesmo fantástico panorama, quando os caminhões que traziam as famílias dos meus pais, meu avô (Luis Martins) e Sr. Joaquim Bezerra entraram nesta curva, no recuado ano de 1937. Foi paixão à primeira vista, pelo Crato!
O Presidente se hospedou na casa de um grande amigo do Luís, o promotor José Ribeiro Dantas. Era uma casa muito confortável, recém construída e que tinha plenas condições de recebê-lo, principalmente por ser o Crato, na época, bastante carente de hotéis. Na casa e em torno dela instalou-se todo um aparato militar de segurança.
O Brigadeiro Macedo resolveu visitá-lo. Foi chegando e entrando de casa adentro, não dando a mínima para as barreiras de proteção. Quando o Castelo Branco deparou-se com o Brigadeiro, exclamou:
- “Zé Doido!!! O que é que você tá fazendo por essas bandas?!?!.
- “Eu? Fabricando cachaça e vendendo sem selo!”

O ENTERRO

O Brigadeiro Macedo tinha uma fama de birrento, ruim. Ele não ligava a mínima. Até gostava. Tornou-se grande amigo do Chico Soares, conhecido como, ele próprio se dizia, o maior caloteiro do Crato. Na verdade, o Chico era um grande brincalhão e não se sabia o que de verdade tinha nessa fama de caloteiro. O Brigadeiro, justificava esta grande amizade dizendo que, já que falavam que ele não prestava, tinha que fazer amizade com quem não prestava também! Um dia estavam os dois na Praça Siqueira Campos, quando ia passando o enterro da primeira esposa do Professor José do Vale que, aliás, foi meu professor. Lembro-me que, ao atravessar a porta da sala de aula, já ia fazendo o sinal da cruz e rezando o “padre” nosso. A classe inteira, instantaneamente, ficava de pé e rezava com ele.
A esposa do professor, também professora, era muito estimada. Uma multidão acompanhava o féretro. Os alunos dos diversos colégios, todos uniformizados, faziam parte do cortejo. O Brigadeiro perguntou para o Chico Soares:
- “Chico, será que no meu enterro vai ter tanta gente assim?”
- “Depende, Brigadeiro, se você for enterrado vivo!...”

AS APOSTAS

O Brigadeiro Macedo justificava muito bem a sua fama! Era muito político e um eleitor de carteirinha do Brigadeiro Eduardo Gomes, como não poderia deixar de ser! Na eleição para Presidente de 1950 apostou, com uma figura importante do Crato, que o Brigadeiro ganharia as eleições. A aposta foi de dez engradados de cerveja. Naquela época o engradado tinha 48 garrafas. Como foi o Getúlio quem ganhou, teve que pagar a aposta. Mandou, efetivamente entregar os dez engradados. Mas com um detalhe: esvaziou todo o conteúdo das garrafas em um tonel, estragando a cerveja. Botou numa carroça e mandou entregar, com um bilhete: “pode medir que tem o conteúdo de 480 cervejas...” Pagou, mas o desafeto não teve o prazer de beber!
Em outra ocasião ele apostou com o Dr. Macário de Brito. Era uma quantia em dinheiro. Ele perdeu. Mas, fez questão de pagar em dinheiro vivo. Saiu coletando moeda e dinheiro velho com tudo que era mendigo e feirante do Crato. Mandou entregar aquele saco de dinheiro velho e moeda. O Dr. Macário, lógico se recusou a receber dizendo que não tinha tempo para estar contando dinheiro velho e moeda. O Brigadeiro, então, depositou o dinheiro em cartório...

AVIÃO DE GRAÇA

O Brigadeiro José Macedo fez muita história no Crato. Era uma figura polêmica e não fazia questão de contemporizar. Não gostava nem um pouco do Padre Cícero. Por isso diziam que ele havia bombardeado o acampamento do Caldeirão, do Beato José Lourenço, apadrinhado do Padre Cícero. Nas conversas, na Praça Siqueira Campos, quando questionado, dizia irritado:
- “Que nada! Eu lá joguei bomba naqueles fanáticos! O que eu fiz foi dar uns vôos rasantes, dizer muitos desaforos e jogar uns panfletos. Naquele tempo os aviões nem carregavam bombas. Além do mais a topografia do local não permitia vôos para bombardeamentos”

Camponeses do Caldeirão. Só queriam viver em paz, produzindo e vivendo em comunidade. A elite dominante não admitia e foram dizimados. Receavam de um novo Canudos...

Quem mais falava mal do Brigadeiro era o seu irmão, Melito Macedo. Contava mil fatos das maldades dele.
Nas conversas, na Praça Siqueira Campos, o Brigadeiro dizia:
- “Falam que eu sou ruim, que sou isso, aquilo outro, que mando amarrar empregado no tronco para dar surra, mas eu quero é ver quem, aqui no Crato, faz o que eu fiz agora mesmo! Um cachorro ficou doido, lá no sítio, e mordeu vários empregados meus. Mandei buscar um avião em Fortaleza, para que eles fossem tratados na capital. Tudo por minha conta!”

A Igreja do Caldeirão. O que sobrou do povoado

O Júlio Saraiva, outro freqüentador assíduo das conversas, estava presente e disse:
- “Também, com avião da Aeronáutica, que não lhe custa nada! É fácil fazer gentileza com o chapéu alheio”.
- “Eu sabia, seu velho ‘fela’ da puta (a amizade permitia este tipo de tratamento), que você ia dizer isso! Se você quiser, eu mostro o recibo. Eu fiz foi contratar um táxi aéreo! Não foi avião da Aeronáutica porra nenhuma!”

Por: Ivens Mourão - Proibida a Reprodução sem Autorização.

Tudofel: Cristiano de Mombaça, um cidadão do mundo

Tudofel: Cristiano de Mombaça, um cidadão do mundo: “ Cristiano nasceu em Mombaça, cidade do sertão sul do Ceará. Recém-nascido, foi roubado do posto de saúde onde tinha sido expelido na...

O apagão e a falta de soluções no setor elétrico do País


Novamente, grande parte do Brasil, inclusive atingindo o Ceará, voltou a ficar sob o apagão entre a noite de quinta-feira e a manhã de ontem. O problema está se agravando, somando-se apenas este ano 63 cortes nacionais na energia elétrica. De 15 de setembro a 15 deste mês, acumularam-se 14 blecautes no País.

O que, de maneira nenhuma, está explicado é que, ciclicamente, se divulga uma inauguração de nova usina hidrelétrica ou de unidades alternativas para o fornecimento da energia, sejam termelétricas sejam instalações eólicas, assim como a ampliação das redes de alta tensão. Apesar de problemas diplomático-tarifários com o Paraguai, cujos governos recentes cobram aos brasileiros a maior parcela das receitas da represa, a barragem é uma realidade que alavanca o desenvolvimento da margem esquerda do rio Paraná. Ou seja, no território do Brasil.

Todavia, tudo indica que a infraestrutura elétrica do País carece de cuidados e manutenção ou, primordialmente, reposição. Parece ter havido prioridade máxima com a vitrine, ou seja, represas, termelétricas, redes eólicas e usinas nucleares, a exemplo das únicas existentes no País, em Angra dos Reis (RJ). Mas faltaram atenções especiais com a estocagem, as linhas de transmissão e subestações, necessárias para que a eletricidade alcance os consumidores pequenos, médios e grandes.

Tem sido lugar-comum em administrações federais recentes a culpabilização dos anteriores por falta de investimentos no setor, o que causaria os apagões. Contudo, a eletricidade é um setor que requer atenções permanentes. Surgiram, evidentemente, problemas que afetam a implantação de novos complexos energéticos, envolvendo comunidades indígenas e militâncias de ambientalistas, em projetos como Belo Monte, no rio Xingu, no Pará.

É uma situação que, aparentemente, inexistia mais de 50 anos atrás, quando o governo Juscelino Kubitschek empreendia Três Marias e Furnas. É hora de cair na real. Tudo indica que a infraestrutura elétrica do País carece de cuidados e manutenção
O POVO / Editorial

Bom Dia, Crato !


Olá, queridos leitores do Blog do Crato!
Hoje trago mais algumas fotos para os cratenses que moram fora, matar as saudades. Um grande abraço.


Acima: Praça Juarez Távora ( São Vicente ) hoje, após reforma.


Acima: praça Alexandre Arraes ( antes da reforma ).


Acima: Centro Cultural do Araripe - Antiga RFFSA


Acima: Arredores do Crato. Saída para a cidade de Farias Brito.


Visão do Alto do Seminário à partir do Calçadão


Acima: Rua José Carvalho


Vista do Crato á partir da Chapada do Araripe

Fotos: Dihelson Mendonça

DICA - O QUE É A CLASSE DO CARTÃO DE MEMÓRIA ?


Como escolher um bom cartão de memória
 
Cuidado! Nem todo cartão de memória é legítimo ou serve para seus propósitos. Além da capacidade em Gb ( 16Gb, 32Gb, 64Gb ) também é importante verificar a velocidade do cartão. Para o uso em câmeras fotográficas e filmadoras modernas que filmam em FullHD, um cartão precisa ser veloz o suficiente para conseguir escrever os dados na velocidade exigida.

Os cartões de memória quanto à velocidade, são classificados por Classes, por exemplo, classe 2, classe 4, classe 10. A classe significa a velocidade de ESCRITA do cartão, quanto mais, melhor. Existem muitos enganadores vendendo cartões como sendo classe 10, mas na verdade, são apenas de classe 4. Aqui na minha cidade, Crato-CE, por exemplo, tem gente vendendo cartões MicroSD de 32Gb classe 4 SANDISK no Blister, pelo preço de um cartão Sandisk classe 10 adquirido na internet. ( Exemplo: Em algumas lojas da cidade, um cartão Sandisk classe 4 é vendido por 100 reais, quando pelos mesmos 100 reais você compraria um cartão de classe 10 no Mercado livre ). Uma das grandes dificuldades é que mesmo em produtos originais da Sandisk, vendidos em blisters lacrados, não vem escrito qual a classe do cartão, dificultando ao comprador. Muito cuidado, portanto.

A Experiência pessoal:

Quando eu quero comprar cartões de memória, procuro um bom vendedor na internet, mesmo no Mercado Livre há lojas excelentes, cuja reputação é acima de qualquer suspeita, e cuja especialidade são apenas cartões de memória ( existe uma loja em Sta. Catarina a MEMORYTEC que recomendo ), são produtos mais caros e vem no Blister original, mas com certeza, compensa cada centavo investido, pode comprar com envio por PAC, chega em uma semana. É a garantia de que você não vai comprar gato por lebre, comprando em locais duvidosos.

Aqui está uma pequena tabela das velocidades e suas recomendações:

Classes

Classe 2 - 2MB/s Celulares, câmeras até 12MP e filmadoras comuns
Classe 4 - 4MB/s Câmeras maiores de 12MP e vídeo HD
Classe 6 - 6MB/s Câmeras maiores de 12MP e vídeo Full HD
Classe 10 - 10MB/s Câmeras profissionais e vídeo HD ou Full HD com câmera lenta

Valeu pela dica ?
Abraços e até a próxima

Por: Dihelson Mendonça

31,7 milhões de eleitores vão às urnas escolher novos prefeitos neste domingo


Neste domingo [28], 31.725.967 brasileiros vão às urnas para escolher prefeitos em segundo turno em 50 cidades, sendo 17 delas capitais de Estado.

São Paulo é o Estado com o maior número de cidades que terão eleição no próximo domingo de outubro: 12. Em seguida vem o Rio de Janeiro [7] e, em terceiro, o Paraná [5].  No primeiro turno, que aconteceu em 5.568 municípios, 138.544.348 milhões de eleitores puderam participar das eleições para prefeitos e vereadores. Na maior eleição informatizada do mundo, os eleitores terão à disposição 96.140 urnas eletrônicas para votação ou justificativa, incluindo aquelas consideradas de contingência, ou seja, as que a Justiça Eleitoral pode utilizar caso algum equipamento apresente problemas no dia do pleito.

HORÁRIO E DOCUMENTO - O segundo turno das eleições municipais acontece das 8h às 17h, considerando o horário local do município. Para votar, é necessário levar um documento oficial com foto [carteira de identidade, passaporte, carteira de categoria profissional reconhecida por lei, certificado de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação].

Apesar de não ser obrigatória a apresentação do título, o documento facilita a localização da seção eleitoral. Justificativa O eleitor que não puder comparecer ao seu local de votação e, em consequência, não votar, deve justificar a ausência em qualquer cidade, nos postos de justificativa. Ao todo, 1.587 urnas eletrônicas serão utilizadas para este procedimento, inclusive no Distrito Federal, onde não há eleição, mas haverá 99 postos de justificativa .

Caso não seja possível justificar a ausência ao segundo turno no próprio domingo, o eleitor tem até o dia 27 de dezembro para comparecer a um cartório eleitoral da cidade onde se encontre para realizar o procedimento. Para o eleitor que se encontrar no exterior na data do pleito, o prazo para regularizar a situação junto à Justiça Eleitoral é de 30 dias, contados do seu retorno ao país.

O eleitor que não votar e não apresentar justificativa em três eleições consecutivas, considerando cada turno uma eleição, tem o título cancelado e fica impedido, dentre outras coisas, de tirar passaporte, inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública e investir-se ou empossar-se neles e renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo.

TSE

Técnicos da Arce vão fiscalizar usinas de energia eólica no Ceará


Durante os meses de novembro e dezembro, serão realizadas pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará [Arce], fiscalizações em 12 usinas eólicas.

Fazem parte da lista: Icaraí I [27,3 MW] e Icaraí II [37,8 MW], localizadas no município de Amontada; Colônia [18,9 MW], Taíba Águia (23,1 MW) e Taíba Andorinha [14,7 MW], em São Gonçalo do Amarante; Icaraí [16,8 MW], em Amontada; e Embuaca [27,3 MW], Faísa I [29,4 MW], Faísa II [27,3 MW], Faísa III [25,2 MW], Faísa IV [25,2 MW] e Faísa V [27,4 MW], que ficam no município de Trairi.

O objetivo das fiscalizações é verificar o andamento das obras e se estão em conformidade com os cronogramas estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica [Aneel], observando e analisando as razões dos eventuais atrasos.

 As referidas usinas são vencedoras do Leilão de Energia de Reserva no 03/2009, realizado em dezembro de 2009 pela Aneel, por delegação do Ministério de Minas e Energia. Todas firmaram contratos que previam a operação comercial a partir de 1o de julho de 2012.

Segundo Dickson Araújo, integrante da Coordenadoria de Energia da Arce, “devido aos atrasos na conclusão das obras de conexão das Subestações Acaraú II e Pecém II, sob responsabilidade da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco [Chesf], e Transmissora Delmiro Gouveia [TDG], respectivamente, os empreendedores solicitaram à Aneel alterações em seus cronogramas de implantação, postergando a previsão de operação comercial para o ano de 2013, logo que as instalações de transmissão estiverem prontas”.

A Arce tem acompanhado os pedidos de alteração dos cronogramas das usinas em questão e fiscalizado o andamento de todas as obras que se encontram nessa situação, no Estado do Ceará.

* Com informações da Assessoria de Imprensa da Arce ( Via Yuri Guedes )

Cariri tem primeira orquestra de deficientes visuais do Ceará


Portadores de deficiência visual do Cariri superam dificuldades com o Projeto Semeador

Crato Um projeto social que tem como base a música erudita está sendo desenvolvido para tentar incluir socialmente um grupo de deficientes visuais. A primeira orquestra de câmera de deficientes visuais do Ceará já começou os trabalhos. A iniciativa surgiu após o maestro Hélio Santana Filho perceber a necessidade de despertar o interesse pela integração desse público no universo artístico. Atualmente, as atividades de sensibilização dos componentes estão sendo elaboradas para que eles possam se adequar aos instrumentos. Os treinamentos iniciais são focados nos sentidos e procuram aguçar a audição e tato. Além de melhorar a memorização, concentração, auto disciplina, postura e, também, a criatividade.

Os componentes da orquestra de câmara esperam alcançar reconhecimento da sociedade por meio do trabalho que é realizado com o grupo. Os integrantes têm entre 16 e 45 anos fotos: Yaçanã Neponucena. O Projeto Semeador Semeando Música, que tem o apoio da Organização Não Governamental (ONG) Terra, envolve componentes do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Todos moradores de comunidades carentes e com idades entre 16 e 45 anos. A meta da orquestra de câmera dos deficientes visuais é provar para a sociedade que as deficiências não impõem limites à vida e que todos os portadores de necessidades especiais são capazes de tocar qualquer instrumento. O grupo vem reunindo-se aos sábados, com o intuito de montar um repertório que poderá ser apresentado dentro dos próximos três meses.

Segundo o maestro Hélio Santana Filho, para os integrantes, o objetivo é desenvolver o "ouvido absoluto", termo que na área musical significa a apuração das notas dentro da melodia e harmonia, por meio da audição. Para ele, essa é uma experiência positiva e que auxilia no funcionamento das funções cerebrais de forma simultânea, já que a música tem a capacidade de reforçar a coesão social e estimular as competências, habilidades e potencialidades de quem a produz ou escuta, além de exercitar a atenção, concentração, análise e seleção dos sons. De acordo com o maestro, a música auxilia no desenvolvimento da autonomia e eleva a independência dos portadores de deficiências visuais. Por meio do conhecimento e da aprendizagem de instrumentos percussivos e sopro é possível promover a comunicação, o relacionamento, o aprendizado, a mobilização, organização e outros elementos terapêuticos relevantes, que podem atender às necessidades físicas, mentais, sociais e cognitivas dos participantes. "Diante das limitações estruturais que ainda temos, esse não é um trabalho fácil. Mas iremos ter um resultado positivo que colocará o nosso grupo em evidência. Já está comprovado que a música aciona as atividades cerebrais, o que dá uma melhor compreensão do que a gente quer passar".

Dificuldade

Apesar de demonstrarem satisfação em participar das atividades coletivas do projeto, os músicos da orquestra apontam o transporte como a grande dificuldade para o trabalho. A falta de um meio adequado limita os ensaios. Também não há impressora em braile que possa viabilizar as partituras e textos específicos e computadores especiais destinados à gravação de áudios. No momento, os investimentos são na aquisição dos instrumentos que serão comprados em São Paulo. A orquestra de câmera de cegos já conta com 13 componentes, que estão estudando a introdução a violões, flautas e percussão. Mas, a expectativa é que, até o fim de novembro haja violinos, violas, violoncelos, flautas transversais, saxofones, clarinetes, trompetes, trombones e piano, para que eles possam aprofundar os conhecimentos e buscar uma especialização. Um dos objetivos é ampliar as oportunidades dos músicos ingressarem no mercado de trabalho. Com a iniciativa, os integrantes esforçam-se para transformar o grupo em uma inspiração e modelo, onde a sociedade possa notar que vale a pena investir na inclusão social das pessoas portadoras de necessidades especiais.

Para suprir as demandas da falta de eventos que exibem música de qualidade nos conceitos melodia, harmonia e ritmo, o plano é montar um calendário de apresentações. O repertório será elaborado com canções regionais e eruditas de compositores como Luiz Gonzaga, Vila Lobos e Beethoven. A pretensão é que a orquestra torne-se uma referência nos conceitos de qualidade musical e no rompimento dos preconceitos. Como resultado dos trabalhos, o grupo deverá realizar apresentações em diversos locais, como igrejas, praças públicas, teatros e universidades. Futuramente, os músicos da orquestra projetam a gravação do primeiro CD. Hoje, eles já se preparam para registrar pelo menos três canções no CD que será lançado pela ONG Semeador ainda em dezembro.

Participação

20 portadores de deficiência visual irão compor a primeira orquestra de câmara. Eles estão elaborando um roteiro de como serão feitas as apresentações na região

Inclusão social é feita com ações de cidadania

Crato. Para difundir a inclusão social, há 41 anos, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) vem promovendo e articulando ações em defesa dos direitos das pessoas com deficiências, além de procurar proporcionar a este público uma melhor qualidade de vida. Durante este período, a entidade já realizou diversos projetos que ajudaram a quebrar o preconceito imposto pela sociedade. A instituição é dividida para prestar atendimentos clínicos e escolares. Entre os serviços estão os de fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia, fisioterapia, serviço social e psicopedagogia. Mas, também existem profissionais de neuropsiquiatria e geneticistas, que através de atividades voluntárias disponibilizam auxílio.

Entre brincadeiras coletivas e estudos, os alunos da Apae quebram os preconceitos ainda observados na sociedade. A entidade mostra que cada pessoa é capaz de realizar atividades variadas, dentro de suas limitações


O perfil dos usuários se diferencia pelo grau de avanço nos tratamentos. Atualmente, cerca de 400 deficientes intelectuais e autistas estão recebendo atendimentos. A entidade oferece colaboradores capacitados para atuar com as mais diversas limitações. A escola de educação especial, que é a única da região do Cariri, conta com um grupo de professores especialistas na área. Ao todo, são 270 estudantes que frequentam as aulas, nas modalidades de educação infantil, de jovens e adultos e oficinas pré-profissionalizantes. Nos espaços para os cursos, eles elaboram peças de bijuterias, objetos em biscuit, argila, reciclagem de papel, pinturas de quadros em telas e xilogravuras, além de praticarem a dança, teatro, música e esportes, o que, segundo os especialistas, ampliam o discernimento social. Através da arte, a Apae mostra que é possível quebrar as barreiras impostas pela sociedade, em forma de exclusão. Como reconhecimento, os alunos, constantemente, recebem convites para apresentarem os espetáculos teatrais, música e dança, em faculdades e eventos culturais realizados na região do Cariri.

No sentido de gerar mão de obra qualificada e incluir os deficientes no mercado de trabalho, a Apae-Juazeiro do Norte está realizado, em parceria com a unidade de Fortaleza, um curso de serviços de supermercado para mais de 20 alunos. Para a coordenadora pedagógica da entidade, Vanda Correia da Silva, as solicitações promovem a autoestima dos participantes. Entretanto,ela conta que na região ainda é necessário haver mais sensibilização por parte dos empregadores. "Devido à falta de entendimento dos empresários, ainda existe o retorno dos alunos já capacitados. Mas eu acredito que, aos poucos, nós estamos mudando essa realidade", revela a coordenadora.

Desde a fundação, no ano de 1971, até hoje, a Apae-Juazeiro do Norte vem avançando no desenvolvimento pessoal e profissional das pessoas com deficiências. A meta é inseri-las na sociedade e mostrar que elas são capazes de realizar qualquer tipo de tarefa, dentro de suas limitações pessoais. Todos os trabalhos são pautados pelo respeito às diferenças. Para as famílias dos deficientes a associação presta orientações, que constroem a base para o melhor crescimento intelectual dos grupos. A gestão da instituição se dá através de convênios com o Governo do Estado e Prefeitura Municipal. A renda para a manutenção das atividades vem de projetos de captação de recursos, como o telemarketing, "Nossa Nota Vale Dinheiro" e de doações esporádicas.

Trabalho

20 estudantes da Apae estão sendo capacitados para atuar no mercado de trabalho. A instituição é referência no País nas políticas de inclusão social de deficientes

Mais informações:

Escola Semeador
Endereço Rua Dona Leopoldina, 345, Bairro Aeroporto
Juazeiro do Norte
Telefone: (88) 3572.0205

Mais informações:

Apae- Juazeiro do Norte
Avenida Leão Sampaio-S/N
Bairro Lagoa Seca
Telefone: (88) 3571.1387

YAÇANÃ NEPONUCENA
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Reta Final do Brasileirão - Por: Amilton Silva


Teve início na última quinta feira, dia 25 , a 33ª rodada do brasileirão Série A, com três partidas: O Fluminense segue em busca do tetra campeonato, após derrotar o Coritiba que vinha invicto a seis partidas, por 2 X 1 , com grande exibição de Wellington 

Nem, que marcou o primeiro gol e deu assistência para o segundo , marcado por Thiago Neves, o gol de honra do coxa , foi assinalado pelo meia Everton Ribeiro. Santos e Náutico ficaram no 0 X 0, já a Ponte Preta venceu o Cruzeiro por 1 X 0 , com gol de Roger. Em virtude das eleições que serão realizadas amanhã, a rodada foi antecipada para este sábado , com exceção do jogo entre Atlético MG X Flamengo , que está marcado para o próximo dia 31. 

Jogos marcados para este sábado: CORÍNTHIANS X VASCO, INTERNACIONAL X PALEMEIRAS, BOTAFOGO X ATLÉTICO GO, FIGUEIRENSE X PORTUGUESA, SPORT X SÃO PAULO e BAHIA X GRÊMIO. O Fluminense lidera a competição com 72 pontos ganhos , 9 à frente do Atlético MG, que está com uma partida a menos que o tricolor.

Uma colaboração de Amilton Silva


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31