xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/08/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 agosto 2012

ENTREVISTA - Dr. Humbero Macário conta sua trajetória de vida e porque deixou a Política



Wilson Rodrigues

Humberto Macário de Brito, 83 anos de idade, nascido no ano de 1929 na cidade de Campos Sales, micro região Cariri/Oeste. Filho de Pedro Macário de Brito e Tereza de Norões Brito. Veio para o Crato em 1945 com 16 anos de idade estudar no Ginásio do Crato, onde cursou até a 8ª serie e depois seguiu para Salvador na Bahia para terminar os estudos no colégio irmãos maristas, residindo no pensionato do padre Camilo Terrand. Lá fez vestibular e ingressou na escola baiana de medicina, chegando a se formar em 1958 com 29 anos de idade. Voltou para o Crato para trabalhar no hospital São Francisco, na época o único do município e no ano seguinte montou sua clinica, a maior da cidade. Especializou-se em cirurgia geral e urologia. Ingressou na política na década de 60, eleito prefeito municipal do Crato, depois deputado estadual, secretário de saúde do estado e superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Ceará SUDEC. Com o falecimento do ex governador Virgilio Távora, de quem era amigo e parceiro político, decidiu abandonar a política e dedicar seu tempo exclusivamente a medicina. Humberto Macário de Brito recebeu a reportagem do Jornal do Cariri em sua residência, Rua Carolino Sucupira 256, centro do Crato, para falar de sua vida publica.

JC – Quando o senhor era menino em Campos Sales, pensava chegar aonde chegou?

HM – Não, fui recebendo influencias e procurando assimilar o que era interessante. Até aos meus 15 anos de idade ajudava meu pai na agricultura e nos negócios dele. Mas eu tinha um tio, Jacob Cortez ( Jacozinho ), homem culto e com vasto conhecimento, que ajudou-me muito, me preparou para a vida adulta e me incentivou vir para o Crato estudar no melhor colégio, que era o ginásio do Crato. Aqui fui encorajado por outro meu tio, Antonio Macário de Brito, que havia se formado em medicina em Salvador e me incentivou ir para a capital baiana, onde me formei medico e depois voltei para o Crato.

JC – Chegando ao Crato, como foi o começou de sua atividade medica. Quais eram os seus planos?

HM – Eu cheguei pronto para trabalhar com segurança porque havia me formado em uma das melhores escolas do Nordeste. Comecei a exercer a profissão ao lado dos já consagrados baluartes da medicina estadual como, Antonio Gesteira, Mauricio Teles, Fabio Pinheiro Esmeraldo, Eldon Gutenberg, Carlos Barreto de Carvalho, José Ulisses e Egberto Esmeraldo. Como o único hospital da cidade era o São Francisco, que atendia o município e região, decidi montar a minha própria clinica, sendo a maior do Crato na época e passei a trabalhar dobrado, já que não abrir mão de dar expediente hospitalar. Eu era o único urologista especialista em cirurgia de próstata, a grande novidade da época.

JC – Como cirurgião de próstata, sendo esta a grande revolução da época, o senhor destacaria alguma situação proeminente?

HM – Sim. Eu recebi no hospital São Francisco o velho Januário, pai do rei do baião, Luiz Gonzaga. Ao examiná-lo diagnostiquei que a próstata do paciente estava inflamada e teria que operá-la, porem Januário tinha quase 90 anos de idade, mas com permissão da família fiz a cirurgia e o velho escapou e só veio falecer em 1988. A repercussão foi grande em todo o Ceará. Sem sombra de duvida este meu trabalho me deu uma projeção maior do que imaginava, Até porque, Luiz Gonzaga fez uma musica, ( Vovô do Baião ), sucesso em todo o Brasil, divulgando o meu nome e enaltecendo a operação cirúrgica.

JC – Esse seu trabalho como medico foi a porta de entrada para o senhor ingressar na política?

HM – Sem sombra de duvidas. Os meus pais em Campos Sales não tinham vocação política e na minha adolescência nunca falei com eles sobre isso e nem eles comigo. Acredito que esse trabalho de destaque como medico chamou a atenção de alguns lideres políticos do estado e do município do Crato. Certo dia recebi a visita das lideranças, Filemon Teles, José Horacio Pequeno e Ossian Alencar Araripe me convidando para ser candidato a prefeito do município. Eu pedi um tempo para pensar e fui pedir orientação ao meu pai em Campos Sales. Ele apoiou a idéia e resolvi aceitar o desafio. Filiei-me a União Democrática Nacional UDN, enfrentei o desafio e ganhei a eleição. Administrei o município cratense entre 1967 a 1970. Acredito que fiz uma boa administração.

JC – Como prefeito, quais as obras publicas que o senhor destacaria?

HM – Naquele prédio onde hoje é o museu histórico, funcionavam no pavimento superior, a prefeitura, câmara de vereadores, o fórum e a junta de serviço militar. Na parte inferior ficava a cadeia publica. A minha primeira iniciativa foi alugar um prédio na Rua Ratisbona, Bairro Pinto Madeira, para instalar a prefeitura, comprei outro imóvel para funcionar a câmara de vereadores onde está até hoje e com o apoio do governo do estado construir um novo presídio, o qual serviu de cadeia até poucos dias atrás. Outra obra que eu destaco na minha administração foi a construção de 70 % do prédio onde é hoje a prefeitura. Fui eu que fiz as fundações e entreguei a obra em fase de acabamento, vindo a ser concluída pelo ex prefeito Ariovaldo Carvalho. Também conseguir implantar infraestrutura nos Distritos e zona rural, dotando essas localidades de telefonia, calçamento, água, energia elétrica e escolas.

JC – No governo Virgilio Távora, o senhor foi secretário de saúde do estado nos anos de 1978 a 1982. Esse convite o senhor atribui a sua atuação como medico ou como prefeito do Crato?

HM – Olha, foram as duas coisas juntas. Virgilio Távora era um político observador, articulador e sempre de olho nas coisas. Convidou-me para a pasta da saúde confiando na minha competência medica e na minha experiência como administrador. Desempenhei a função com capacidade, habilidade, idoneidade e aptidão. Esse desempenho me rendeu outro convite que foi o de ser superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Ceará. Função que exerci entre 1983 a 1986. Sai do órgão para me candidatar a deputado estadual, fui eleito e assumir o cargo de 1986 a 1990. Foi ai onde resolvi deixar a política.

JC – Por que o senhor com uma carreira tão brilhante na política decidiu abandoná-la?

HM – Olha como te falei no inicio, eu tinha Virgilio Távora como o meu conselheiro, amigo, uma amizade infinda. Tanto era assim que, não conto as vezes que ele dormiu na minha casa. Éramos irmãos na política. E agora vou te contar a maior tristeza que senti na vida. Nunca havia chorado por outro homem. Mas neste momento eu não suportei, não consegui segurar as lagrimas. Certo dia, fui deixar Virgilio no aeroporto em Fortaleza para ele viajar a São Paulo e pediu minha companhia pra ir até ao banheiro e ele, ao fazer xixi, urinava sangue puro. Eu como urologista fiquei sabendo que aquele momento era o ultimo que eu estava ali junto com meu amigo. Nunca havia visto a olho NU tanta infecção. E não deu outra, dias depois voltei ao aeroporto para receber o meu amigo no caixão. Foi nesse dia que decidi não seguir mais na política, onde fiz muitos amigos e não me arrependo de nada.

JC – O senhor pretende escrever algum livro registrando sua trajetória de vida?

HM – Pretendo sim. Inclusive já tenho muito material selecionado e guardado. Discursos, registros, cartas, correspondências, fotografias, atas e outros documentos que reúnem curiosidades e momentos da minha vida como medico e como político. Não sei quando esta obra literária estará pronta, mas pretendo concluí-la o mais rápido possível e encerrou a entrevista com lagrimas nos olhos.

Humberto Macário de Brito é casado com a senhora Noemita Arraes e Silva de Brito com quem teve três filhos. George Hugo da Silva Macário de Brito, Ana Carolina Macário de Brito e Humberto Macário de Brito Filho. Com 83 anos de idade não exerce mais a profissão de medico de onde, segundo disse, conseguiu bens materiais e espirituais. Conta que a sua profissão de medico lhe deu um patrimônio valiosíssimo: seus amigos e sua família, concluiu.

Por: Wilson Rodrigues para o Blog do Crato
Radialista/Repórter



De volta a São Luís - Por: Emerson Monteiro


Isto depois de 26 anos que lá estivera, quando a evidência maior correspondia só ao belo casario colonial, uma beleza de lugar digna da apreciação dos que gostam de conhecer as paisagens urbanas da história. Porém desta vez outra cidade se me apresentava quase esquecida do ritmo lerdo de antanho. Metrópole tropical de proporções gigantescas integra o lugar à vastidão litorânea, edificando com prédios imensos, caros, e avenidas aos poucos rasgando o primitivo das condições originais. 

As tais avenidas abertas pelo progresso verificado nesta hora, isso para incorporar a nova São Luís aos espaços da ilha de antigamente, dos tempos portugueses e franceses, ainda mostram insuficiência a atender o boom imobiliário automobilístico deste período incerto da civilização industrial. Carros que não acabam já mais dominam as pistas e jardins, e determinam lentidão cataléptica ao movimento das pessoas no tabuleiro gigantesco daquelas planícies de beira mar. 

Diante da agenda a cumprir, só pude visitar o centro histórico no período da noite, avistando inteiro e conservado o rico patrimônio arquitetônico considerado primeiro dentre as heranças do período colonial. Belo traçado de becos e vielas, bem conservados, vários adquiridos por ricos estrangeiros, preenchidos de órgãos oficiais de cultura e turismo, marcas imorredouras da presença europeia naquele Brasil dos inícios.

Em meio à febre da propaganda eleitoral desta fase, de paredes e muros empanados de cartazes das variadas gentes candidatas, ainda circulei em um por de sol aberto pelas praias, parando no Trapiche e fotografando a maravilha luminosa da tarde ao som esfumaçado de grupo de reggae, toque jamaicano às cores daquele chão amorenado.

A intensidade, pois, da São Luís impressiona sobremodo, devido aos poderes com que ações financeiras do mundo capitalista querem reviver, no presente, passos empreendidos nas épocas do Novo Mundo, e fugia ao continente americano qual quem busca as portas do Paraíso. E a natureza maranhense, preservada no correr dos séculos abre outra vez suas carnes a esses exploradores. 

Através do Porto Itaqui, de São Luís, saem 30% do ferro consumido no resto do Planeta, procedentes das minas do Estado do Pará, seu vizinho. Ao longo da costa, lá estavam fundeados vários navios de largo calado, à espera de atracar e receber o minério transportado pela Ferrovia dos Carajás.   

Nisso tudo, algo de monumental transpira dessas visões de São Luís, o meio norte que prepara sonhos do Brasil do futuro.

Por: Emerson Monteiro
 

Concluída a coberta metálica do Ginásio Poliesportivo da URCA


A coberta metálica do Ginásio Poliesportivo da Universidade Regional do Cariri (URCA) foi concluída. Previsto para ser inaugurado em novembro deste ano, está sendo investido no empreendimento público mais de R$ 3,3 milhões, com recursos do Governo do Estado. O ginásio vem atender uma reivindicação antiga dos estudantes da URCA, principalmente os alunos do curso de Educação Física da Instituição. A Reitora Otonite Cortez realizou visita ao canteiro de obras, no campus do Pimenta, no intuito de acompanhar o andamento dos trabalhos. Ela afirma que a construção e montagem da coberta continuarão sem interrupções, para que a quadra seja entregue aos alunos no tempo previsto.

Foram mais de 30 anos para concretização do projeto, com área construída de R$ 6.008,90 metros quadrados. A cobertura metálica será de 5.076,55 m²; uma quadra de 800 m² e arquibancada com capacidade de receber 2.200 pessoas. O ginásio ainda contará com uma cantina, uma sala para administração, hall de acesso, baterias de banheiros masculinos e femininos, palco para eventos, vestiários feminino e masculino, sala de apoio, hall de atletas, sala vip com banheiros, alojamentos feminino e masculino, além de sala de estar para atletas. 

ASSESSORIA DE IMPRENSA
UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI - URCA
www.urca.br - Contato 88 8812.5525/3102.1213

CRONIQUETA - POR ANTONIO MORAIS


Já li diversas historias de crianças. Quanto mais leio mais me convenço da sua inocência e ingenuidade. Hoje vou falar de uma experiência própria vivida por mim em meados da década de 1990, em nossa fazenda. 

Era costume, vez por outra, desaparecerem animais de pequeno porte: carneiro, bode.... O encarregado dizia sempre: é a danada da onça da Serra do Giriboé que está matando e comendo esses animais. Eu acreditava no encarregado e na historia da onça. Visitava a fazenda sempre nos dias de Domingo, mas um dia, num feriado municipal, me deu uma veneta e fui a fazenda de surpresa. 

Chegando lá encontrei o maior silencio, só os meninos brincando debaixo da sombra do trapiazeiro que ficava em frente da casa. Dirigi-me ao Tico, filho mais velho do casal, de apenas oito anos de idade: Ta tudo bem por aqui Tico? Respondeu-me com a maior prontidão: tá, pai matou um “bodim” e foi mais mãe vender o couro na rua! Pode ter Inocência maior. Eu fiquei encabulado e voltei sem comer da fussura do meu bodin.

Por: Antonio Morais

Tudofel: Praça Cristo Rei

Tudofel: Praça Cristo Rei: Segundo o pequeno diário do meu pai, nasci na Maternidade Jesus, Maria e José, localizada na Praça Francisco Sá, que o senso comum...

I Colóquio de História Local e Ensino: Saberes e Identidade será aberto na noite desta quarta-feira, na URCA


A Universidade Regional do Cariri (URCA), por meio do Departamento de História da Instituição, realiza de 29 a 31 de agosto, o I Colóquio de História Local e Ensino: Saberes e Identidade. O evento é uma atividade do projeto Prodocência do Curso de História, resultante de uma intensa mobilização e participação dos professores do Departamento e da rede básica de ensino de oito municípios. A palestra de abertura será sobre o tema central do evento, com o professor doutor Iranilson Buriti, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

O I Colóquio será aberto nesta quarta-feira, às 19 horas, no Salão de Atos da URCA, no campus do Pimenta. Antes, haverá uma homenagem aos municípios parceiros do trabalho, no pátio externo da Instituição. O principal objetivo desse primeiro colóquio, segundo a comissão organizadora dos trabalhos, é fortalecer o ensino de história enquanto área de formação e campo de importantes debates. Um dos principais eixos do debate estará focado na problemática do ensino de história.

A programação seguirá nos dias 30 e 31, abrindo com mesa redonda sobre História Local e Etnicidades, das 8 horas às 10 horas. Depois haverá apresentação dos painéis dos municípios parceiros do Prodocência, com apresentações dos alunos bolsistas. Também serão realizados minicursos, painéis e oficinas.

Fonte: URCA

Venezuelanos conseguem controlar incêndio em refinaria


Brasília - As autoridades da Venezuela informaram hoje (28) que o fogo na refinaria de Amuay foi controlado nesta manhã. Até as primeiras horas desta terça-feira havia fogo em dois tanques da refinaria. Mas José Uray, um dos funcionário do centro de operações da refinaria, disse que o incêndio acabou. O incêndio na região começou no sábado (25).

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, parabenizou as equipes de bombeiros e voluntários na rede social Twitter. “Vamos vencer”, disse o presidente. Segundo o ministro de Petróleo e Mineração, Rafael Ramírez, disse que 222 bombeiros e voluntários trabalharam nas últimas horas para conter as labaredas. O incêndio na refinaria de Amuay começou na área de armazenamento. Segundo o ministro, a área operacional não foi afetada. Pelo menos 41 pessoas morreram no incêndio, 150 ficaram feridas e 33 permanecem hospitalizadas.

Os peritos investigam a suspeita de que a explosão tenha sido causada por um vazamento de gás propano. Para o governo, a etapa de apuração das causas do acidente deve ser priorizada depois de controlado o fogo. A menos de dois meses das eleições presidenciais, o presidente da Venezuela que tenta a reeleição, Hugo Chávez, pediu à população que não se deixe influenciar por tentativas de politização do incidente. As refinarias de Amuay, Bajo Grande e Cardon formam o Centro de Refino de Paraguana, o maior complexo de refinarias na Venezuela, que representa 71% da capacidade de refino no país.

*Com informações da agência pública de notícias da Venezuela, AVN.

Edição: Talita Cavalcante
Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Furacão Isaac já deixa 180 mil casas sem eletricidade nos EUA


Fenômeno chegou ao Estado com ventos de 130 km/h

Em torno de 180 mil casas e comércios ficaram sem eletricidade nesta terça-feira (28) no sudeste do Estado da Louisiana por conta do furacão Isaac, informou a rede CNN. O furacão de categoria 1 tocou a terra no extremo sudeste do Estado com ventos a 130 km/h e rajadas ainda mais fortes. O Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos confirmou a chegada do centro de Isaac a essa região, próxima a Nova Orleans, que nesta quarta-feira (29) lembrará o sétimo aniversário do devastador Katrina.

Sul dos EUA já sofre com chegada de furacão Isaac

O centro de Isaac tocou a terra ao sudoeste da foz do rio Mississipi, no distrito de Plaquemines, que fora evacuado preventivamente pelas autoridades. Quando caíram as primeiras chuvas por consequência do furacão, na manhã desta terça, as empresas de serviços públicos da Louisiana já haviam começado a instalar geradores para o caso de a região ficar sem eletricidade.

EFE ( via R7 )

O BRASIL VAI MUDANDO - POR MERVAL PEREIRA


Ao contrário do que comemorou o advogado Márcio Thomaz Bastos após o voto do revisor do mensalão, ministro Ricardo Lewandowski, parece estar se formando no plenário do Supremo Tribunal Federal um posicionamento majoritário contra a tese do caixa dois defendida pelos réus, engendrada nos porões das atividades eleitorais petistas.

Houve mesmo quem, como a ministra Rosa Weber, tenha assegurado que “não importa o destino dado ao dinheiro, se foi gasto em despesas pessoais ou dívidas de campanha. Em qualquer hipótese, a vantagem não deixa de ser indevida”. Esse entendimento está fazendo com que os ministros que votaram até agora deixem isolados os dois que optaram pela absolvição do petista João Paulo Cunha, presidente da Câmara à época em que os crimes em julgamento foram cometidos.

Parece também ser consenso da maioria que vai se formando a tese do procurador-geral da República de que esse tipo de crime não é feito às claras e é de difícil comprovação, e por isso exige do julgador bom-senso. Rosa Weber foi específica: "quem vivencia o ilícito procura a sombra e o silêncio. O pagamento não se faz diante de holofotes. Ninguém vai receber dinheiro para corromper-se sem o cuidado de resguardar-se.” Devido à dificuldade inerente a esse tipo de crime é que vários ministros reconheceram, como Rosa, que se tem “admitido certa elasticidade na admissão da prova acusatória” nos chamados “crimes da intimidade” como o estupro, quando se valoriza o depoimento da vítima.

Disse ela: “Nos delitos de poder não pode ser diferente. Quanto maior o poder ostentado, maior a facilidade de esconder o ilícito com a obstrução de documentos, corrupção de pessoas. A potencialidade do acusado de crime para falsear a verdade implica maior valor das presunções. Delitos no âmbito reduzido do poder são pela sua natureza de difícil comprovação.”

do Blog do Sanharol de Antonio Morais


Torcida Jovem do Flamengo vai ficar seis meses fora dos estádios de futebol


A Torcida Jovem do Flamengo, a partir desta terça-feira (28) não vai poder frequentar os estádios de futebol de todo o país por um período de seis meses. A decisão foi anunciada pelo promotor de Justiça Pedro Rubim Borges Fortes, da 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e Defesa do Consumidor e do Contribuinte.

A medida atende ao que determina o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre Ministério Público Estadual, o Grupamento Especial de Policiamento dos Estádios (Gepe) e a Federação das Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro.

A decisão decorre do envolvimento de integrantes da Torcida Jovem na morte do torcedor, do clube Vasco da Gama, Diego Leal, de 30 anos, ocorrida em Tomás Coelho, na zona norte do Rio, antes do jogo Flamengo e Vasco, dia 19 de agosto, pelo campeonato brasileiro. O descumprimento da medida implicará em multa de R$ 5 mil, além de novas suspensões.

Ao admitir o banimento por seis meses e assinar o compromisso, a torcida organizada evitou o ajuizamento de Ação Civil Pública (ACP), que poderia resultar em seu banimento por até três anos, de acordo com o Estatuto do Torcedor.

O promotor Borges Fortes declarou que a iniciativa objetiva “contornar uma situação de crise”. Admitiu, no entanto, que seria meramente especulativa a convicção de que “a medida acabará com os atos de violência envolvendo torcidas de times rivais”, disse. “Mas gostaria de acreditar que isso vai servir para conscientizar as torcidas”, completou.
 
Agencia Brasil

Ufólogos vão a Barbalha estudar ataques a bichos


Os pesquisadores estão na cidade porque, há dois meses, um suposto extraterrestre está agindo no Sítio Lagoa

Barbalha. A suspeita da presença de um animal extraterrestre em Barbalha está deixando em pânico a comunidade do Sítio Lagoa, a 5Km da cidade. Há dois meses, o ataque misterioso a animais tem deixado os moradores da localidade de cerca de três mil habitantes apavorados. Estudantes estão receosos de sair à noite até para ir à escola. Além disso, as pessoas estão se desfazendo dos poucos animais que possuem. O mais recente ataque aconteceu na madrugada da última quinta-feira. O cachorro, apesar dos ferimentos, sobreviveu. A dona do animal afirma que o ser misterioso ronda sua casa todas as noites FOTO: ELIZÂNGELA SANTOS

Os que foram atacados e sobreviveram, a exemplo de um porco, ninguém ousa comer. Acredita-se que esteja contaminado. Mais de 30 animais já foram atacados. Alguns deles tiveram as vísceras retiradas e outros o sangue totalmente sugado. O mais recente ataque ocorreu na madrugada da última quinta-feira, quando um cachorro foi vítima, mas escapou. Na semana passada, ufólogos foram ao Sítio Lagoa, entre eles o professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), José Agobar Peixoto, presidente da Associação dos Ufólogos Independentes do Brasil. O objetivo foi colher imagens e informações dos moradores sobre os fatos misteriosos, além de examinar os animais que foram atacados. Os estudiosos pediram para desenterrar um dos cachorros vítima do suposto extraterrestre.

Normalmente, as vítimas são atacadas com perfurações profundas no pescoço, a exemplo do único carneiro do agricultor José Francisco Ferreira. O caprino estava num cercado de um amigo e, quando ele foi buscar o animal, o bicho já estava morto e sem uma gota de sangue, conforme afirma o dono do animal. "Havia uma grande perfuração no pescoço, e não tive mais o que fazer, a não ser enterrar". Esse tipo de ataque, segundo o ufólogo, leva a crer na mesma incidência do "chupa-cabra", com as primeiras ocorrências registradas no Brasil em 2000. No mundo, os primeiros registros foram em Porto Rico, no ano de 1997. Segundo o estudioso, as ocorrências desse gênero acontecem normalmente de cinco em cinco anos, mas, no Ceará, casos semelhantes acontecem na região Norte do Estado. Pela primeira vez os animais são atacados no Cariri.

Pesquisas

Os ufólogos procuraram tranquilizar as pessoas, destacando a possível presença de animais a serviço de pesquisas extraterrestres para coleta de material genético, algo que poderá durar em torno de dois a três meses. Para isso, continuarão colhendo elementos para realizar seus estudos, casos surjam novos fatos. Durante um dia, os ufólogos percorreram os principais locais onde ocorreram os ataques. O primeiro deles foi um chiqueiro, de propriedade da agricultora Cássia dos Santos. No local, conforme o presidente da Associação dos Agricultores do Sítio Lagoa, Robério Lopes, foram vítimas do predador um gato, uma galinha e um porco. Ninguém ousa enfrentar o bicho. Para algumas pessoas que conseguiram ver um pouco dele, mesmo no escuro, afirmaram ter semelhança com um cachorro, porém, com um andar estranho. Outros dizem ter cara de gente e dorso de animal.

São múltiplas as formas do animal misterioso. Ao chegar nos quintais com o seu ronco e exalando um mau cheiro, conforme moradores, chama a atenção dos cachorros. Antes, os ataques aconteciam apenas na alta madrugada, por volta de 2 horas. Hoje, os registros são por volta das 23 horas. A dona do cachorro atacado na quinta-feira, Solânea Maria Vitorino, é dona de um bar. Seu animal escapou, mas ficou mancando. Ela afirma que o bicho continua a rondar sua casa, todas as noites, e desafia os estudiosos. Os roncos podem ser ouvidos próximo a uma das janelas de sua residência.

Filha do agricultor Eliseu Ferreira do Nascimento, ela está à espera de um corajoso que enfrente a situação. Há 50 anos morando na comunidade, o agricultor afirma que nunca viu algo semelhante, mas duvida que seja um guaxinim ou um lobo-guará. Segundo ele, os ataques começaram bem antes, há uns seis meses, quando um morador chegou a ser atacado no canavial. Foi encontrado desacordado, e ainda hoje não consegue caminhar, por conta de um ferimento no pé, provocado pelo animal. "Quero pegar esse bicho vivo. Para ele ser mais poderoso, precisa ser mesmo um extraterrestre. Na verdade, não acredito nessa história", desafia.

Mais informações:
Associação dos Agricultores do Sítio Lagoa
Barbalha/CE
Telefone: (88) 9281. 9151

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter do Jornal Diário do Nordeste


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30