xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 19/08/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

19 agosto 2012

O poder da palavra escrita - Por: Emerson Monteiro


Uma palavra pode mudar vidas, abrir caminhos, gerar oportunidades inesgotáveis. A palavra escrita, derivação mais recente da palavra, corresponde à maior das revoluções de toda a Humanidade.

Nos inícios do uso da palavra, houve a suposição de que servia sua utilização aos grupamentos das pessoas nos rituais coletivos, religiosos, por exemplo; nos cânticos, nas representações teatrais, nos comandos das batalhas, nos pregões dos mercados, julgamentos, etc. Lá depois, com a escrita, surgiu a prática da leitura silenciosa nas celas dos mosteiros, nas escolas, nos templos. 
Há pouco, li no livro Descobrindo Deus nos lugares mais inesperados, publicado pela Editora Mundo Cristão – São Paulo, autoria de Philip Yancey, algo a respeito de uma cena do filme Hábito negro (Black robe), onde um missionário jesuíta procura convencer cacique huroniano a deixar alfabetizar sua tribo. Relutava o chefe selvagem, no entanto, pois negava quaisquer benefícios em rabiscar papéis, atrasando o trabalho dos guerreiros. Nisso, o jesuíta resolve submetê-lo a uma experiência, e pede: 
- Conte-me algo que ainda não sei.

Depois de pensar alguns instantes, o cacique respondeu:

- A mãe de minha mulher morreu no inverno passado.

Nessa hora, o jesuíta pega de um papel e nele escreve algumas palavras. Em seguida se dirige a outro missionário, fora do recinto em que conversavam, e lhe passa o papel. O novo personagem lê o que continha, olha para o cacique e interroga:

- Sua sogra morreu numa nevasca?

Segundo as textuais palavras do autor do livro citado: O cacique dá um salto para trás, alarmado. Ele foi pego de surpresa pelo poder mágico da escrita, que permite que o conhecimento dê saltos no espaço e viaje silenciosamente por meio dos símbolos.
Longe ainda estamos de avaliar com a profundidade suficiente o poder que a palavra escrita possui no intuito de elaborar novas consciências e abrir as perspectivas da Civilização. Contudo, o tempo segue infinito neste ensejo de que necessitam os seres humanos até realizar em cheio a descoberta libertadora do saber transformador e surpreendente.

Por: Emerson Monteiro
 

MANDE BEM NO ENEM ! - Por Maria Otilia

Atualmente, o ENEM é a única porta de acesso  para a maioria das universidades.Neste sentido cabe a nós professores,principalmente da rede pública,incentivar os nossos estudantes para  participarem de todas  as atividades relacionadas à preparação deste exame.
A CREDE 18 está organizando junto as escolas de Ensino Médio, diversas ações oportunizando assim todos os jovens  a terem além da efetivação da  inscrição, a devida preparação academica para o sucesso no dia das provas.   

  


                                                         MANDE BEM NO ENEM - CREDE  18
Participe : Ciclos de Palestras, Simulados, Aulões, Curso do ENEM  através do site da Fundação Demócrito Rocha,Tira Dúvidas, rodas de conversas com os pais, etc. Fique por dentro! Acesse o site da CREDE 18 e tenha mais informações.

O blá, blá, blá romântico dos políticos -- por Ronaldo Correia de Brito (*)


"No cariri cearense, tem-se impressão de que velhos métodos coronelistas continuam em uso nas eleições" 


 O Crato ferve no mês de agosto. Toda região do cariri cearense está fervendo debaixo do sol quente nesse ano de estiagem e com as disputas eleitorais para as prefeituras. O silêncio, que se tornou raro nas cidades nordestinas, é o mais desrespeitado por dezenas de carros de som ziguezagueando rua acima e rua abaixo, apregoando as qualidades de futuros vereadores e prefeitos. Todos se proclamam “ficha limpa”, como se fosse virtude e não obrigação possuir um currículo impecável. A ênfase em que o candidato não responde por crime de corrupção ou peculato ilustra o quanto se tornou comum escândalo envolvendo políticos. E a baixa credibilidade deles junto ao povo.

 No cariri cearense, tem-se impressão de que velhos métodos coronelistas continuam em uso nas eleições. As pessoas ainda escolhem seu candidato pelo compadrio, por dívida de favor, porque não deseja perder o voto (perder o voto é votar em que não ganha), para garantir o emprego, porque é um empresário bem sucedido, administrou seus negócios com lucro e poderá fazer o mesmo na prefeitura. Ainda confundem bem privado com bem público e acham que o esforço para gerir em causa própria será o mesmo para o coletivo.

 Outra falácia dos candidatos é apregoar-se um autêntico filho da terra. Dizem que nunca abandonaram o torrão natal, que sempre estiveram ali no batente, chafurdando e conhecendo os problemas da região em que escolheram viver. Pura demagogia. Bem melhores são os candidatos arejados, que correram o mundo, receberam formação em outras universidades, vivenciaram culturas e democracias. Esse xenofobismo político é o que existe de mais tacanho e atrasado. Nada melhor do que as fronteiras abertas, novos discursos e práticas.

 Desejei que os eleitores do Crato perguntassem aos seus candidatos de que maneira eles irão resolver o forte impacto ambiental sobre a Chapada do Araripe, o pé de serra, a fauna, a flora e as nascentes d’água da região. Com o crescimento demográfico, fugiu ao controle da prefeitura e do Ibama as construções em áreas de encostas, os desmatamentos, o lixo jogado em lugares sagrados. Os políticos permanecem com a mesma conversa antiga de que o Crato é um paraíso da natureza, lugar ideal para o desenvolvimento turístico, terra da cultura e blá, blá, blá. Parece que não caminham pelo município que se propõem administrar, não enxergam que as nascentes d’água foram fechadas em tanques de cimento de onde partem dezenas de canos PVC, que o lixo se acumula em torno dos balneários públicos, que não existe silêncio nem recolhimento para curtir a natureza.


 Nunca compreendi porque o rio Granjeiro, que atravessava a cidade no seu leito de areia e pedras, que há alguns anos atrás possuía uma pequena mata ciliar, precisou ser contido dentro de um canal, onde jogam os esgotos das casas. Isso não aconteceu em Paris, Londres, Budapeste e Praga. Aqui no Brasil, é comum os rios serem transformados em esgotos. Vez por outra eles cobram seus espaços de volta e tome alagamentos e destruição. Um dos graves problemas que o futuro prefeito terá de resolver será esse: reconstruir o canal do Granjeiro (reparem que não escrevo rio Granjeiro), destruído na última cheia.
 E já que falamos em esgotos, também gostaria de perguntar quais os planos do futuro prefeito para o saneamento da cidade. Não adianta investir em saúde, sem primeiro cuidar de abastecimento d’água e saneamento básico. O maior percentual de doenças continua sendo de transmissão hídrica, sobretudo na infância, tratadas sem que se ataque a causa geradora.

 Os candidatos precisam acabar com o ufanismo pelo que não existe mais. 80% da população do cariri mora nas cidades, principalmente em periferias. Cidades com os mesmos problemas e complexidade dos grandes centros urbanos. Desfaçam de uma vez por todas o romantismo de um Crato rural, com engenhos de rapadura e cachaça, nascentes correndo livres de serra abaixo. Como dizia o poeta popular Fabião das Queimadas, isso tudo “já morreu, já se acabou e está fechada a questão”.

(*) Ronaldo Correia de Brito  é escritor, dramaturgo e médico. Cearense radicado em Pernambuco, é autor dos livros de contos Faca, Livro dos Homens e Retratos Imorais e do romance Galileia, entre outros.
E-mail: ronaldo_correia@terra.com.br.

BARBALHA: 166 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA


Barbalha. As comemorações dos 166 anos de emancipação política de Barbalha comemorado nesta sexta-feira 17 de agosto foram bastante concorridas no Paço Municipal. A solenidade cívica contou com a participação popular, autoridades e secretários municipais.

Às 9h00min foram hasteadas as bandeiras do Brasil, pelo ex-prefeito, João Teixeira de Luna (Dimdim); a Irmã Edeltraud Lerch; hasteou a bandeira do Estado do Ceará e a de Barbalha pela Procuradora do município, pela Dra. Ana Keive Cabral procuradora do município. O Hino Nacional foi cantado pela Filarmônica São José e em seguida foi executado o Canta Barbalha e o corte do bolo.

O ex-prefeito João Teixeira de Luna, em seu discurso disse do orgulho e a satisfação de está participando hoje das comemorações dos 166 anos de emancipação política do município, hoje, como cidadão barbalhense e se sente honrando em ter participado do progresso desta cidade.

O secretário de Administração do município, Rommel Alencar, falou da importância da participação dos barbalhenses neste momento das comemorações alusivas ao aniversário de Barbalha, e acrescentou ainda que, Barbalha hoje, é um município progressista e que vem mostrando seu crescimento através de suas ações, com os bons indicadores sociais na educação, saúde, ações social e infraestrutura, crescendo também com sua cultura, suas belezas naturais e seu patrimônio histórico. Barbalha vem honrando seus compromissos administrativos e fazendo com que, seja um município de referência para o Brasil através do seu povo pacato e inteligente.

Barbalha completa neste dia 17 de Agosto, seus 166 anos de emancipação política. O povoado então foi elevado à categoria de vila, pela Lei nº 374 de 17 de Agosto de 1846, assim, marcando sua emancipação política.

Prefeitura Municipal de Barbalha

Leitora do Blog do Crato solicita providências para o Centro de Convenções do Cariri - CCC


Centro de convenções do Cariri e outros

"Moro no Conjunto Residencial Belas Artes, em Crato-Ce, um bairro vizinho ao Centro de Convençõe do Cariri (CCC). A obra, como é de pleno conhecimento, está inacabada há muito tempo, de modo que o local se encontra escuro e em meio a um matagal, o que gera insegurança para a comunidade. 

Vi recentemente em noticiários locais e na internet que a construção será retomada e que a empresa vencedora da licitação foi a CONSTRUTORA GRANITO LTDA, sediada em Fortaleza-Ce. Considerando que o avanço e o término da referida obra trará mais tranquilidade e segurança aos moradores do bairro e adjacências, bem como valorizará a região do Cariri como um todo, gostaria de saber se o nobre responsável pelo RENOMADO BLOG poderia, na qualidade de competente e creditado jornalista que é, averiguar quando os trabalhos de reconstrução do CCC serão reiniciados ( se é que serão – é possível pois as eleições se aproximam ), já que o MEGA Centro de Eventos de Fortaleza (obra orçada em aproximdamente 470 milhões de reais) já foi recentemente inaugurado e o antigo Centro de Convenções passará,ou já está passando, por uma reforma que custará aos cofres do estado aproximadamente 8 milhões de reais. 

Para a conclusão do nosso (da região o Cariri) pequeno centro de convenções, só faltam ser investidos cerca de 4 milhões e a obra já se arrasta inacabada há mais de dois anos( uma vergonha e desespeito aos caririenses, notadamente a nós cratenses) . É bom frisar que o resultado da licitação já foi publicado desde o início deste mês no DOE e nada de vermos qualquer movimentação no local. Sabemos que há todo um trâmite para se começar uma obra pública (edital, licitação, ordem de serviço...), mas convenhamos, já esperamos tempo demais. Aguardamos também a conclusão da avenida Fábio Pinheiro Esmeraldo, ou será que já deram por terminada a obra? Segundo consta na placa que existe no local e informações veiculadas neste Blog, o valor total foi de 600 mil reais, sendo 200 da prefeitura do Crato e 400 do estado. Até agora só vimos a pavimentação em pedra tosca e os postes do canteiro central(cheio de terra). Falta o asfalto, a sinalização e outros benefícios no entorno da via. Será que já foram gastos os 600 mil com os primeiros. Em caso positivo seremos obrigados a acreditar que a referida obra foi realizada da mesma maneira que foi feita a “reforma” no famigerado “CANAL DO RIO GANGEIRO”.

SEMÁFOROS - DEMUTRAN

Outro assunto que gostaria de abordar é o seguinte: há alguns meses li uma reportagem neste blog na qual o diretor do Demutran do Crato, à época, o senhor Joatan de Sousa, informava que já se encontravam na referida repartição pública, cedidos que foram pelo Detran de Fortaleza, três semáforos, os quais seriam instalados, um na Avenida Teodorico Teles, próximo ao hospital São Raimundo; outro na rua Almirante Alexandrino e um terceiro em uma rua cujo nome não recordo, salvo engano em um bairro da parte alta da cidade( Independência). Todos são cruzamentos perigosos e que se complicam a cada dia, a exemplo do que acontecia na confluência das ruas Almirante Alexandrino e José Alves de Figueiredo( canal ), onde, só depois de várias reclamações e de matérias realistas veiculadas neste blog, resolveram colocar o bendito semáforo. Gostaria de saber do senhor Joatan ou do atual diretor do referido órgão, por que os novos semáforos ainda não foram instalados e quando, ou se não o serão.

Postei este comentário e enviei por E Mail ao Blog do Crato há algum tempo, porém não obtive resposta do nobre editor. Gostaria que mesmo não sendo publicados após análise, me seja enviada resposta sobre os temas acima.
Parabéns pelo Blog, os dois na foto são meus filhos Dudu e Bruna.

Atenciosamente, Antônia Eliene Duarte.

Crato(Ce), aos 17/08/2012

Uma resposta:

Prezada Antônia Eliane Duarte,

Sua excelente matéria e reivindicação está publicada no Blog do Crato na data de hoje ( 17/Ago ). Pedimos desculpas por não haver visto antes em nossa caixa de e-mails, mas devo informar que diariamente, no Blog do Crato, chegam muito mais de 100 e-mails, e muitas vezes eles se acumulam, sem contar ainda aqueles que caem na caixa de SPAM e ( podem até não ser spam ), mas o sistema considera e os exclui automaticamente. Peço inclusive aos outros leitores e comentaristas que insistam em nos contactar pelo e-mail blogdocrato@hotmail.com que é nosso canal de comunicação com os leitores, caso não hajam conseguido de outras formas. O antigo formulário amarelo ainda poderá ser usado, e novo sistema de comentários via Facebook pode ser usado também, embora ele ande apresentando certos problemas. De qualquer forma, estou sempre aqui pronto para atender aos anseios e reivindicações da comunidade cratense.

Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com

Frei Agatângelo de Crato – por Armando Lopes Rafael


Dias atrás, conversando com monsenhor José Honor de Brito, este me contou um fato interessante. Disse-me monsenhor Honor que quando era pároco de São Miguel, em Crato, leu uma correspondência vinda da cidade italiana de Loreto, na qual fiéis católicos pediam informações biográficas sobre Frei Agatângelo de Crato, capuchinho cratense lá falecido com fama de santidade. Os fiéis de Loreto tentavam reunir a  documentação exigida pela Igreja Católica para dar entrada ao processo de beatificação desse capuchinho, quase desconhecido entre nós.

Quem foi Frei Agatângelo de Crato? Seu nome civil era  Ambrósio Cícero Bezerra Lobo e foi o décimo sexto filho do casal Cícero Bezerra Lobo – antigo tabelião do Cartório de Crato – e Maria Rodrigues Bezerra. Seu pai  provém do tronco do ilustre Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro.  Ambrósio nasceu em Crato, aos 31 de maio de 1928, no seio de uma família honrada e profundamente católica. Certamente por isso  ele  escolheu seguir a vida religiosa, o que fez  dentro da Ordem dos Capuchinhos, recebendo lá o nome de Frei Agantângelo de Crato.

Com dezenove anos de idade o futuro Frei Agatângelo de Crato (anos depois ele também usaria o nome de Frei Ambrósio Bezerra Lobo), ingressou no seminário dos Capuchinhos da Bahia e Sergipe, na cidade de Esplanada (BA), onde iniciou o noviciado em 08 de março de 1947, tendo proferido os  votos solenes de capuchinho  em 19 de março de 1951. Depois disso ele foi mandado por seus superiores para cursar  teologia no Studio Teológico dei Cappuccini Piceni em Loreto, Itália, sendo ordenado sacerdote em 11 de julho de 1954.

Após a ordenação ele veio visitar seus pais, irmãos e demais familiares,  residentes no antigo distrito do Muriti,  hoje bairro de Crato, onde foi feita a foto abaixo. 

Retornando à Europa, viveu uma temporada na Inglaterra, onde aprendeu o idioma inglês. Após contrair tuberculose foi aconselhado a voltar ao Brasil, cujo clima ajudou na cura da doença. No Brasil viveu alguns anos na cidade de Alagoinhas, na Bahia, ocupando cargos de responsabilidade na Ordem dos Capuchinhos, inclusive o de guardião. Depois foi enviado por seus superiores para ser diretor  da Rádio Sociedade de Feira de Santana - Bahia.

Depois dessa temporada no Brasil, Frei Agatângelo de Crato pediu aos superiores para voltar à Província Franciscana  das Marcas, na Itália. Lá, no Santuário Mariano Internacional de Loreto, distinguiu-se pela cultura, oração e como confessor e orientador das famílias daquela região. Dotado de vasta cultura, ajudou na tradução para o português da “História dos Capuchinhos no Brasil”, obra historiador Frei Pietro Regni. Em Loreto, voltou a ser acometido da  implacável doença que o fizera sofrer décadas atrás. Após longa enfermidade,  bem preparado espiritualmente, terminou os seus dias de vida terrena, com a fama de um homem santo, sendo chamado pelo povo daquela localidade de  “Padre Agatângelo brasiliano”. O cratense Ambrósio Cícero Bezerra Lobo faleceu no convento capuchinho de Macerata, na  Itália, em 22 de fevereiro 1996, aos 68 anos de idade e 49 anos de exemplar  vida religiosa.

Sua cidade natal ainda está a lhe dever uma homenagem à altura da sua profícua vida...

Procurador faz alerta contra assédio político-eleitoral - Por J.Tavares.




Em troca do voto, um emprego. Se o funcionário não vota ou não trabalha na campanha do candidato apoiado pelo patrão, corre o risco de retaliação. A terceirização da mão de obra, por ser um vínculo frágil, impõe ao trabalhador votar naquele que lhe indicou ao serviço e que lhe promete a garantia do emprego. Situações tão corriqueiras em período eleitoral se configuram como assédio político. O mais grave é que, apesar do sofrimento, as vítimas deste assédio sequer denunciam.

O procurador regional do trabalho, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Gérson Marques, alerta: “No caso do assédio político, o candidato olha para você e vê uma cédula eleitoral”. O assunto foi discutido na tarde dessa sexta-feira (17), durante palestra promovida pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, em sua sede, situada no Centro. Contou com a presença de representantes de várias entidades sindicais e associações de trabalhadores.

Como explica Marques, o assédio político afeta desde o cidadão até a disputa política. “Afeta o sistema democrático como um todo na medida em que cria desigualdade da concorrência, a liberdade da escolha de candidato, a liberdade de voto. Uma prática dessas ofende vários valores democráticos numa tacada só”, afirma.

O que falta é conscientizar a população de que existem elementos para combater. Afinal, a legislação eleitoral e a própria Constituição descrevem várias irregularidades que são fáceis de constatar. “O que está faltando é discussão e estruturação”, diz.

Ele lamenta que, muitas vezes, as pessoas são vítimas do assédio, mas não denunciam por entender que o político fez, na verdade, um favor ao lhe arranjar emprego. “Elas entendem como ajuda. Acham que o emprego pode ser uma moeda e fica agradecida. Além do receio de uma retaliação, de rechaço, vem também o agradecimento”.

Denúncia

O superintende do Trabalho e Emprego no Ceará, Júlio Brizzi, o assédio político é tão comum, que as pessoas acham que é natural e, por isso, não denunciam. “A gente quer chamar a sociedade para denunciar, para a gente intervir da melhor forma e acabar com essa cultura”, disse, acrescentando que o assédio político rasga a Constituição, fere o direito eleitoral, administrativo e do trabalho.

As denúncias podem ser feitas no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e na própria Superintendência do Trabalho. “É importante que elas compareçam. Como se trata de assédio, as pessoas têm que contextualizar, explicar, trazer comprovações, de repente um email, carta, testemunha, algo que consiga demonstrar o fato”, explica.

Fonte: O POVO on line



Professores da UnB encerram greve; aulas voltam na próxima segunda-feira


Brasília – Os professores da Universidade de Brasília (UnB) decidiram hoje (17), em assembleia, encerrar a greve da categoria que teve início em maio. De acordo com a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (Adunb), as aulas serão retomadas na segunda-feira (20). O placar da assembleia foi 130 votos a favor do fim da paralisação e 115 contra.

Ontem (16), parte dos professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também decidiu pelo fim da greve. Também já decidiram retomar as atividades os docentes das Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), do Rio Grande do Sul (UFRGS) e do Instituto Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Paraná (IFPR). No campus de Guarulhos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), os docentes também decidiram ontem (16) pelo fim da greve.

A última proposta apresentada pelo governo prevê reajustes que variam entre 25% e 40% para todos os docentes, aplicados de forma parcelada até 2015. A Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), uma das entidades que representam os docentes das universidades federais, aceitou o acordo com o governo.

Entretanto, a maior delas, o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), entregou carta ontem à presidenta Dilma Rousseff pedindo a reabertura das negociações. De acordo com o Andes, o reajuste proposto atinge a categoria de forma desigual, causando distorções na carreira.

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) reafirmou que as negociações com os sindicatos dos docentes estão encerradas e que não há hipótese de rever o critério da titulação na progressão – professores doutores e com dedicação exclusiva tiveram o maior reajuste. “As tabelas apresentadas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão deixam claro que o governo federal buscou, principalmente, valorizar a titulação e a dedicação exclusiva”, diz o MEC.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil
Edição: Lana Cristina//Matéria alterada às 18h10 para correção de informação. Parte dos professores da UFSC decidiu ontem encerrar a greve, e não hoje, como foi publicado.



CRATO – Histórias e Estórias do Crato de Antigamente – Por: Ivens Mourão


O VIOLEIRO

Um dos filhos do Sr. Jorge Lucas tocava violão muito bem e também cantava. Trabalhava com o pai, na carpintaria. Com as economias, feitas com muito esforço, comprou um violão novo. O pai achava que ele tinha outras prioridades. Mas não disse nada. Um dia, todos recolhidos para dormir, ouviu-se aquele característico barulho do rasgar de uma rede ao meio. O violeiro foi ao chão. Nem tinha se levantado e já ouviu a voz do pai:
- “Meu filho, arme o violão…”

ZÉ DE MAROCA

Durante um período, o Luís trabalhou em Petrolina/PE. Exercia as funções de Gerente Administrativo da construtora Pecal, que mantinha um consórcio com outra construtora, Itapema, na implantação do perímetro irrigado de Curaçá. As empresas eram obrigadas – por contrato e para atender a legislação trabalhista – a manter ambulatórios médicos, para a eventualidade de primeiros socorros. A Codevasf, a contratante, enviava periodicamente um funcionário de Brasília para vistoriar esses ambulatórios. Era um médico, o Dr. Roberto. Ao final de uma dessas visitas ficou conversando, informalmente, com o Luís. No meio da conversa acabou descobrindo que ele era do Crato/CE. Admirado, comentou:

- “Então você é do Crato!!! Eu conheci um cratense no tempo em que morei em Ilhéus. Foi o maior mentiroso que eu já conheci: Zé de Maroca!!! Conheceu?”
- “Não, nunca ouvi falar”.

E o médico prosseguiu:

- “Ele era o personagem em suas próprias mentiras. Vivenciava de tal forma a história, emocionava-se de tal maneira, que sou capaz de apostar que, se eu medisse a sua pressão ela estaria alterada. Ou seja, acreditava nas próprias mentiras. Interessante que ele era atemporal. Numa ocasião estava combatendo Lampião (na década de vinte), outras vezes, estava lutando com os paulistas na revolução de 32.”

Contou, certa vez, que estava na IIª Guerra Mundial. Era Sargento e comandava uma patrulha brasileira na Alemanha (!!!). Tinha a missão de prender Ritlo (era assim que ele pronunciava Hitler). A patrulha caminhava pelas ruas de uma cidade alemã. Zé de Maroca então falou para seus comandados:

- “Meu instinto de caçador diz que Ritlo está naquela casa.”.
Aproximaram-se, pé ante pé da casa. Cercaram-na. Zé de Maroca, e mais dois companheiros acercaram-se da porta principal. Zé de Maroca espionou pelo buraco da fechadura. Eis que visualizou Hitler:

- “Conheci Ritlo só pelo bigodinho”.

Através de sinais, combinou com os dois companheiros para derrubarem a porta com um golpe só. Assim procederam. Derrubada a porta, posicionou-se imediatamente em frente a Hitler, apontando a metralhadora. E Hitler, apavorado, gritou, levantando os braços e num português fluente:
- “Pelo amor de Deus, não me mate, Zé de Maroca!!!”.
Ao ouvir Hitler invocar o nome da santa mãe dele, resolveu não matá-lo e levá-lo preso para os italianos (!!!)…

A FALTA DE UM ‘Y’

O meu irmão Raimundo tinha um amigo, o Aldemir, que era a gentileza em pessoa. Foram colegas de turma no Colégio Diocesano do Crato. Tinha uma característica: gostava de falar difícil, o que o tornava uma pessoa formal. Estava sempre usando palavras que só ele conhecia. Por este motivo e por ser uma pessoa de temperamento boníssimo era sempre vítima das gozações dos colegas. Lembro-me bem dele, pois morava próximo da nossa casa, na Rua Nelson de Alencar. Caso não esteja enganado, era arrimo de uma velha tia. Na época, os professores costumavam fazer testes orais com os alunos. E o Aldemir, muito tímido, tinha pavor a submeter-se a este tipo de exame. No colégio tinha um professor que era tido como o terror. Para ele só existiam duas notas: zero ou dez. Para ter esta má fama, lógico, o zero era o mais comum. Era um Professor baixinho e entroncado, que os alunos o apelidaram de “Charuto”. Certo dia, aula de Português, aula do professor “Charuto”. Naquela maneira rude que o caracterizava, chamou à lousa o Aldemir. Criou-se a expectativa. O Aldemir, querendo fugir àquele chamado, bem formal, pronunciando pausadamente, disse:

- “Professor, o senhor está se referindo ao Aldemir com ‘y’ ou com ‘ir’?”
- “É você mesmo! Venha logo à lousa!”
Naquele dia, o outro colega, Aldemy, escapou, mas o Aldemir levou zero mesmo.

PELA CULATRA

“A fome com a vontade de comer” é quando o aluno não quer que sejam dadas mais matérias e o professor não tem interesse em ministrá-las. Isto acontecia nas aulas de um determinado professor, na época em que o meu irmão Raimundo era aluno do Colégio Diocesano do Crato. Os estudantes sempre improvisavam algumas estórias, com a finalidade de “embromar” a aula. Assim eles teriam menos “pontos” para estudar para as provas. Na época, já se falava nas possíveis viagens interplanetárias. A Revista “O Cruzeiro” trazia matérias sobre o cientista alemão Von Braun, aventando a hipótese dessas aventuras. Poucos anos depois a corrida espacial iniciou, com o lançamento do primeiro Sputinik. Certo dia um aluno comentou, usando o Aldemir (sem y) como vítima:

- “Professor, o Aldemir disse que vai a Vênus!…”
- “Fazer o quê?”.
- “Comprar uma camisinha…”

Serenada a gargalhada, o Professor nesse dia deu matéria para o ano todo.
O tiro saiu pela culatra…

NAMORADO ATÔMICO

A formalidade do Aldemir era uma constante. Devido a grande timidez sentia-se bem quando estava na companhia dos seus livros. Daí usar, no seu linguajar, o vocabulário vasto e um conhecimento de assuntos diversos. Conhecia, por exemplo, sobre a energia atômica e como ela foi apresentada ao mundo, estourando sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaky. Certa ocasião, surgiu o comentário na sala de aula, entre seus colegas, que ele havia levado um fora de primeira, da namorada. Todo mundo quis saber a razão:
- “À falta de assunto romântico, foi explicar energia atômica para a namorada…”

Fonte: Livro “Só no Crato” de Ivens Mourão – Direitos de Publicação concedidos ao Blog do Crato pelo autor – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

PT passa por complicações em grandes cidades


Um tanto complicada a situação do PT nos principais municípios que administra no Ceará. Embora nunca tenha estado entre os partidos com maior número de prefeituras, estabeleceu a hegemonia em cidades estratégicas: a Capital, a maior cidade do Sul, a maior do Norte e, também, a maior do Sertão Central. Pois bem, em Fortaleza a situação de Elmano de Freitas é complicada. Está no último bloco dos que têm alguma chance.

Em Juazeiro do Norte, o prefeito Manoel Santana tem praticamente um quarto das intenções de voto do líder, Raimundo Macedo (PMDB), segundo pesquisa Ibope divulgada anteontem pela TV Verdes Mares. A importância da cidade é estratégica e há articulação do padrinho de Santana, deputado José Guimarães, para levar Lula ao Município. Mesmo assim, a situação é complicada.

Em Sobral, o prefeito Veveu Arruda, também candidato à reeleição, é alvo de pedido de cassação apresentado pelo Ministério Público e está recorrendo.

Em Quixadá, o partido mantinha a Prefeitura há três mandatos, até que o atual prefeito, Rômulo Carneiro, deixou a legenda e se filiou ao PSB. Mas o padrinho político da vitória eleitoral em 2008 foi o ex-prefeito Ilário Marques (PT). O petista é novamente candidato, mas foi indeferido pela Justiça Eleitoral e está recorrendo.

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (18), pelo jornalista Érico Firmo.

Juazeiro do Norte-CE: Sistema de Monitoramento começa a funcionar


Um reforço a mais para a segurança começa a funcionar em caráter experimental. O sistema de monitoramento por câmeras de longo alcance tem os primeiros equipamentos ligados, com giro de 360 graus em ruas estratégicas e na saída da cidade.

Com esses equipamentos, são possíveis a identificação de uma moeda em uma determinada rua do centro, o flagrante de crianças utilizando cola de sapateiro no sinal e as infrações que muitos motoristas da região estão acostumados a cometer, sem um agente do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) por perto. Todas essas situações, em detalhes, agora são captadas pelas lentes especiais das “speed dome”, com alcance de até 800 metros. A meta com o novo sistema é reduzir a criminalidade em Juazeiro em até 80%, no Centro da cidade, no primeiro mês de funcionamento do sistema.

A câmera instalada entre a Avenida Castelo Branco e a Rua Padre Cícero, por exemplo, registra imagens de dentro do Ginásio Poliesportivo. Os agentes da Guarda Municipal e Demutran acompanham os primeiros recursos disponibilizados com o sistema de segurança por meio do “vigimonitoramento”. Até o momento, três das dez câmeras foram ligadas. São as que ficam localizadas entre as Ruas São Pedro e Leão XIII; São Pedro e Carlos Gomes e a da Avenida Castelo Branco e Rua Padre Cícero. Hoje, deverá entrar mais uma delas em funcionamento, na Rua São Francisco. As câmeras terão funcionamento 24 horas, incluindo a entrada e saída da cidade, onde estão instalados os equipamentos voltados para a leitura automática de placas dos veículos que entram e saem da cidade de Crato para Juazeiro do Norte. A perspectiva é que sejam instaladas câmeras nas saída para s Municípios de Barbalha e Caririaçu. Outros bairros movimentados também poderão receber o sistema de vigilância eletrônico, a exemplo dos Franciscanos e Pirajá, onde funciona um polo comercial do Município. 
O sistema em fase de teste ainda não tem data para o lançamento. Além de combater a criminalidade, o projeto prevê uma redução significativa das infrações de trânsito. Equipes da segurança estarão disponíveis, na sala de monitoramento, para averiguar os diversos problemas identificados na cidade e acionar a segurança. Para isso, a proposta do serviço será atuar de forma integrada, com as polícias militar, civil e até federal, além do Corpo de Bombeiros, a Guarda Municipal e o Demutran.

Revezamento

As equipes treinadas se revezam na realização da vigilância. Estão disponíveis cinco monitores, dois pequenos e outros três em telas de 42 polegadas, para dar visibilidade de vários ângulos dos locais. A previsão era de que o serviço fosse iniciado no início de agosto, mas a equipe técnica, que veio de Fortaleza, para ligar e configurar os equipamentos, só chegou na semana passada.

O aumento dos assaltos registrados nos estabelecimentos comerciais de Juazeiro do Norte, além das “saidinhas” bancárias motivou várias reuniões na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com responsáveis pela segurança, no intuito de atuar com o sistema de “vigimonitoramento” na cidade.

FIQUE POR DENTRO

Cariri investe em vigilância monitorada

O Cariri tem investido nesse tipo de vigilância monitorada por câmaras. Em Aurora, Altaneira, Assaré, Brejo Santo, Farias Brito esses sistemas já estão em funcionamento. Em Juazeiro, as câmeras são especiais, denominadas “speed dome”. São as giratórias, com alcance de até 800 metros e que perfazem um giro de 360 graus, específicas para o monitoramento feito em ruas. As câmeras fixas estarão voltadas exclusivamente para a leitura automática de placas de veículos que entram e saem de Juazeiro em direção ao Crato.

Mais informações:

Secretaria de Segurança Pública e Cidadania
Rua Beata Maria de Araújo, S/N – Romeirão – Juazeiro do Norte
Telefone: (88) 3571.5909

Diário do Nordeste

O Título de Cidadã Cratense a Bárbara de Alencar - Por: Alessandra Bandeira


Em 2007 comecei uma profunda pesquisa sobre a vida de D. Bárbara de Alencar e sua família, quando descobri fatos que nao constavam nos livros, como por exemplo, a vida da sua filha, por nome Joaquina, figura também importante na revolução de 1817. Até então, todos os livros já publicados só davam destaque a seus dois filhos homens e a Bárbara.  Em 2009, cheguei à conclusão que para podermos falar mais sobre Bárbara de Alencar, era preciso primeiro reconhece-lá como cidadã cratense, e que após desse reconhecimento, poderíamos reabilitar sua história, que é  desconhecida por muitos, e vista sob uma ótica positivista, não se trata em construir uma imagem de heroína, mas sim dar-lhe destaque como a primeira mulher revolucionaria, a primeira presa política, e sobre a  própria participação da mulher na política, que ainda hoje é pequena, embora as poucas que chegam ao poder são merecedoras de nossa admiração.

Foi uma longa jornada até chegarmos a este título, pois havia alguns vereadores sequer sabiam quem era  D. Bárbara e qual a sua importância na história, além de desconhecerem a concessão de títulos para pessoas já falecidas. Obviamente, como nao sou legisladora, tive que entregar o projeto a um vereador que acreditasse e conhecesse a importância de D. Bárbara e entendesse que esse era o primeiro passo para sua reentrada nos livros de história, e apenas o então presidente da câmara, na época Guer, acreditou e acolheu o projeto, e junto com o então presidente da fundação cultural J. de Figueiredo Filho, George Macario, esse processo aconteceu, já que minha preocupação maior fosse que usassem essa ação de forma eleitoreira ou pessoal já que muitos usam seu nome, mas nunca fizeram nada para que Bárbara tivesse seu reconhecimento e que garantisse a população o acesso a esse título; Nada mais justo do que ele ficar no museu histórico, junto com os pertences dessa grande mulher.
O caminho nao foi fácil, mas me sinto feliz e honrada, pois assim como Bárbara, nao sou cratense de nascimento, mas sim de coração e ver esse título entregue nesse sábado é ter a certeza de que de alguma forma, hoje Bárbara de Alencar obtém o justo reconhecimento da sua importância histórica . Demorou séculos para que esta heroína viesse a receber este reconhecimento, e hoje mais do que nunca tenho a certeza de ter feito minha parte como historiadora.
Por isso convido a todos e todas cratenses a se fazerem presentes neste sábado dia 18 de agosto, data comemorativa de Bárbara de Alencar, a se fazerem presentes às 19h no Teatro Salviano Arrais Saraiva, e juntos possamos abrilhantar mais essa noite em que o Crato reconhece a contribuição dessa grande mulher na história Cratense , Nordestina, Brasileira e Mundial.

Por: Alessandra Bandeira
Historiadora - Autora do projeto de cidadania cratense a Bárbara de Alencar 



Cidade do Congo vive estágio inicial de epidemia de ebola


Brasília – Ao menos uma pessoa morreu em uma epidemia do vírus ebola, no Nordeste da República Democrática do Congo, informaram autoridades hoje (18). A vítima é um dos dois pacientes já diagnosticados com a doença na cidade de Isiro. Médicos locais dizem estar tentando localizar e isolar pessoas que tenham entrado em contato com os pacientes.

Segundo a organização não governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras, não se trata da mesma variedade do vírus recentemente identificada na vizinha Uganda, onde 16 pessoas morreram em uma epidemia no mês passado. "Até o momento, não há ligação entre as duas epidemias", disse à BBC a representante da ONG Anja de Weggheleire. Quanto à epidemia no Congo, ela informou que, no momento, “aparentemente não há muitos casos, mas o número exato [de infectados] é desconhecido". Especialistas dizem que o fato de a cidade ser um local de passagem pode facilitar a transmissão do vírus para outros locais.

Não há vacina para o ebola e os sintomas da contaminação incluem febres repentinas, sensação de fraqueza, dores de cabeça, vômito e problemas renais.

Da BBC Brasil ( Agência Brasil ).

Tecnologia que melhora diagnóstico e tratamento de tumores neuroendócrinos chega ao Brasil


Brasília – Um novo tipo de radiofármaco (medicamento marcado com material radioativo), capaz de detectar com mais precisão, tumores neuroendócrinos já está disponível no Brasil. O anúncio foi feito hoje (18) durante o Simpósio Villas Boas sobre Tumores Neuroendócrinos, em Brasília.

Em entrevista à Agência Brasil, o médico nuclear indiano Vikas Prasad, uma das maiores autoridades do mundo em câncer neuroendócrino, explicou que esse tipo de tumor é derivado de células do sistema endócrino e pode estar localizado em qualquer parte do corpo, sobretudo no pâncreas, nos pulmões e no intestino. A doença tem diagnóstico difícil e é considerada rara, já que acomete cinco pessoas em cada grupo de 100 mil habitantes. Mas os casos, segundo Prasad, vêm aumentando de forma significativa nas últimas duas décadas. O médico avaliou que a chegada do novo tipo de radiofármaco ao Brasil é importante em razão da numerosa população e da disponibilidade de profissionais capacitados para o diagnóstico e o tratamento.

“É uma terapia cara, mas de custo aceitável. Por que sair do país quando se pode oferecer esse tipo de tecnologia aqui? O diagnóstico precoce do câncer neuroendócrino é importante para evitar a metástase [estágio mais avançado do câncer], e o Brasil tem profissionais capacitados para isso”, destacou. Até então, o diagnóstico desse tipo de câncer no país era feito por meio de tomografias e ressonâncias magnéticas, que permitem uma visualização limitada do tumor. Já o novo radiofármaco permite uma resolução até três vezes melhor, além de identificar lesões menores.

O cirurgião oncológico do Instituto Nacional de Câncer (Inca) Rinaldo Gonçalves ressaltou que o novo tipo de radiofármaco permite um exame mais rápido, sem necessidade de o paciente voltar no dia seguinte para repetir o procedimento médico. “O médico vai saber o quão extensa é a doença e tratá-la melhor”, disse Gonçalves. Não há um levantamento oficial de quantos brasileiros são acometidos pelo câncer neuroendócrino, mas um comparativo indica que o Inca acompanha, todos os anos, cerca de 500 casos de carcinoma (tumor maligno desenvolvido a partir de células epiteliais), enquanto os casos de tumor neuroendócrino somam apenas 30 ou 40 no mesmo período.

Edição: Nádia Franco
Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil

Globo terá que pagar 2,1 bilhões de reais para a Receita Federal


Nas garras do Leão

Depois de uma longa discussão jurídica, o Leão rugiu mais alto: a Globo perdeu e terá que pagar 2,1 bilhões de reais à Receita Federal por operações que resultaram em um recolhimento menor de impostos. Das setenta grandes empresas autuadas em procedimentos semelhantes, a Globo foi a única cujos argumentos não foram aceitos. Cabe, no entanto, recurso.
 
Por Lauro Jardim


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31