xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 14/07/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

14 julho 2012

Crime ambiental a céu aberto - Por: Emerson Monteiro

De acordo com dados fornecidos pela Sociedade Brasileira de Otologia, de 30 a 35% das perdas auditivas humanas ocorrem devido à exposição a sons intensos, e alerta: a intensidade máxima permitida pela resistência física é de 85decibéis. Caso ultrapassado este limite, existirão riscos sérios de perda auditiva, conforme o tempo de exposição e a intensidade aplicada.

Isso faz reportar ao ambiente constatado nas festas da ExpôCrato do corrente ano de 2012, acontecimento que acolhe milhares de visitantes procedentes dos mais diversos rincões nacionais, que chegam ao Cariri e aqui recebem as cargas excessivas de som acima do permitido por lei, enquanto órgãos responsáveis em nada manifestam eficácia para coibir e oferecer qualidades essenciais ao acolhimento desse povo que chega na busca de lazer.

Sem questionar a pouca musicalidade dos grupos oferecidos nos shows noturnos, diante dos péssimos padrões estéticos ora dominantes na atualidade musical brasileira, equipamentos são abertos para disparos sonoros agressivos contra o grande público, o que atinge indiscriminadamente a saúde, números fora dos limites previstos nos códigos reguladores. 

Em tempos de livre iniciativa solta, depois que virou moda a ideologia do neoliberalismo inglês espalhada no mundo inteiro, cidadão comum equivale ao repasto das máquinas registradoras, quais patos de quermesse, alvo fácil e longe do controle dos mecanismos sociais em suas ações retardadas. Ninguém que se preze contraria os desejos insaciáveis de lucro, sanha desses geradores coletivos na bolsa do mercantilismo poderoso.

Pouco caso suscitam, ou nem importam, os prejuízos à saúde individual acarretados pelos anseios das visões alucinadas e sombrias. Todos consumidor agora só representa cifras em potencial do processo avassalador. Dar crédito a notícias de que ruídos de som intenso levariam a lesões permanentes e irreversíveis adianta quase nada e significa espécie de preciosismo, no universo grosseiro dos ganhos selvagens dessa gente.

Bom, mas falar compete, sim, aos ouvidos desacostumados nos hábitos da atual geração. Especialistas afirmam que alturas imprudentes do uso de som levarão, em futuro pouco distante, à destruição da capacidade auditiva, além de outros inúmeros prejuízos orgânicos, o que compete às autoridades coibir, porquanto também isto representa uma das suas inevitáveis atribuições.  

Deputado Cearense pagava mega salário a secretário fantasma - Por: WIlson Rodrigues


O deputado Mauro Benevides do PMDB do Ceará, que recentemente esteve em palanques aqui no Crato, mantinha um secretário parlamentar ganhando quase cinco mil reais por mês sem trabalhar. De acordo com o contrato assinado entre o gabinete do senador peemedebista cearense e o secretário, a carga horária era de 40 horas semanais que nunca foi cumprida, segundo declarou o próprio contratado que trabalha de 9 da manhã as quatro horas da tarde em um restaurante em Brasília. Ao se explicar sobre o assunto, Mauro Benevides disse que não sabia da contratação e demitiu o rapaz. A reportagem foi veiculada no Jornal da Globo de ontem, sexta feira 13 de julho. Que coisa né?

Por: WIlson Rodrigues
Radialista/Repórter
Colaborador do Blog do Crato e Chapada do Araripe

CONVERSANDO SOBRE O CRATO - A impressão sobre o novo centro da cidade - Por: Dihelson Mendonça


Bom Dia, Crato! 


"Escrevo como quem fala a alguém, longe do academicismo do jornalismo. É exatamente essa a linguagem e o formato ideais para um blog." - Dihelson Mendonça

Deixa eu passar uma novidade pra vocês, que estão longe da sede: Essa bela fonte que se vê na foto, é muito refrescante... A parte central foi feita especialmente para as pessoas transitarem.  Além do jato normal, há um sistema de VAPOR independente, que com o vento, refresca quem passa pelo centro. A temperatura da praça melhorou e MUITO com esse novo sistema. Normalmente esse local fica cheio de pessoas, eu tive que esperar bastante para poder fazer uma foto assim.

O PISO DO CENTRO
O piso do centro do Crato está agora todo padronizado em pedra intertravada, e nas praças, foi colocado um piso que poderia ser melhor do que o utilizado. A Rua Dr. João Pessoa foi toda refeita, desde a Praça São Vicente. Agora há bancos de madeira e árvores na rua inteira, além de lixeiras modernas e coloridas. Há mapas de localização para os turistas em muitos postes, indicando para que lado ficam os pontos principais da cidade. Foram criados diversos calçadões, alargando as calçadas em algumas partes, e na Praça Siqueira Campos, uma rua foi fechada para se tornar calçadão, a que passa defronte ao antigo Cine Cassino. A idéia é formar uma fila de fachadas naquele estilo do Centro Cultural "Dragão do Mar", em Fortaleza, onde as cadeiras dos bares ficam na calçada ( guardando asdevidas proporções, é claro ).

COMO FICOU O CRATO ?

Foram reformadas nesse novo estilo, a Praça São Vicente, Praça Siqueira Campos, Praça da Sé e Praça Alexandre Arraes ( da quadra ). O largo da RFFSA já havia sido reformado em anos anteriores, e faltou somente a Praça Cirsto-Rei e a praça da prefeitura. No PRU - Plano de Requalificação Urbana do Crato consta os projetos dessas praças também. Espero que o novo gestor que entrar, continue daqui pra frente. No PRU consta também reformulação da Rua Senador Pompeu com calçadão, semelhante ao da Dr. João pessoa, ao modelo daqueles da cidade de Campina Grande. SE o Governador tivesse emcampado a idéia do município, teríamos ainda as 5 avenidas de acesso desobstruindo o centro do Crato, vindas lá do Centro de Convenções, por dentro, gerando novos bairros e valorizando áreas onde hoje é apenas mato. O Crato precisa crescer para aquela área. Com as avenidas, logo teríamos os loteamentos e ruas transversais. A idéia do Dep. Ely Aguiar parece ser seguir independente. Ele, que coordena a construção do monumento à N.S de Fátima, sabe que da estátua, que já está quase concluída, nascerão essas avenidas. É só uma questão de tempo. Não resta dúvida que o projeto ora realizado, que é uma parceria do Município com o Estado deu muito certo. Como falei antes, espero que o próximo gestor, continue daqui pra frente. O centro do Crato está simplesmente belo! - Tão belo quanto nunca estêve em sua história. E ouso dizer que das cidades do interior do Ceará, nossa cidade HOJE é a mais bonita.

Compara-se muito Crato com Juazeiro.
"Eu costumo dizer que Juazeiro é uma cidade grande, enquanto o Crato, é uma Grande Cidade!"

Por: Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com

Livro revela que a ditadura militar executou 41 guerrilheiros no Araguaia


Enquanto acontecia, entre 1966 e 1974, a Guerrilha do Araguaia esteve envolta pelo manto do silêncio imposto pela censura da ditadura militar. Mais tarde, com a redemocratização, a história começaria a ser contada em reportagens e livros. Em meados da década passada, "Operação Araguaia", de Taís Morais e Eumano Silva, deu um passo importante para o conhecimento do que ocorreu nas matas do Pará, com a revelação de documentos do Exército. Agora, com "Mata! O Major Curió e as Guerrilhas no Araguaia", de Leonencio Nossa, mais detalhes vêm à tona. A Guerrilha do Araguaia foi uma iniciativa do Partido Comunista do Brasil, que visava, a partir de uma revolução no campo, derrubar o regime militar e implantar um socialismo de orientação maoísta. Infiltrados nas comunidades locais, cerca de cem militantes pegaram em armas e enfrentaram três expedições de tropas do Exército. Os guerrilheiros, em sua maioria, foram mortos. "Mata!" resulta de uma exaustiva pesquisa do jornalista, que ouviu dezenas de depoimentos e, ao longo de vários anos, entrevistou repetidas vezes o maior protagonista da ação militar,
Sebastião Rodrigues de Moura, o Curió, "um dos cem homens da política de extermínio" do presidente Emílio Garrastazu Médici (1969-1974).

A recompensa pelo esforço foi o acesso ao arquivo pessoal de Curió: 32 pastas, cinco mapas, seis álbuns de fotografias e muitos papéis soltos, tudo guardado numa mala de couro vermelho. O livro é ancorado nesse material, "o único que se conhece sobre fuzilamento de presos políticos na ditadura militar". Não é novidade que militares mataram guerrilheiros depois de presos. Os primeiros relatos já davam conta da prática, e Leonencio Nossa já antecipara informações, em 2009, numa série de reportagens no jornal "O Estado de S. Paulo", onde trabalha. A novidade, agora documentada, é que teria havido pelo menos 41 execuções, e não 25, como se imaginava. O livro traz a lista dos nomes das vítimas, com data e local das mortes. São informações relevantes, sobretudo porque emergem logo após a instalação da Comissão da Verdade.

O autor corrige também versões dos guerrilheiros, ao sustentar, por exemplo, que eles minimizaram a adesão de moradores para reforçar o heroísmo dos comunistas. Com estrutura fragmentária, o livro intercala breves histórias. Embora seja uma opção defensável devido à grande quantidade de personagens, tal narrativa prejudica a visão do conjunto. Outro problema decorre da ambição de abarcar a história da região e de investir na biografia de Curió, além de seu papel no combate à guerrilha. A maior abrangência não compensa a perda de foco. Ainda assim, trata-se de contribuição consistente à historiografia do período.

OSCAR PILAGALLO, jornalista, é autor de "História da Imprensa Paulista" (selo editorial Três Estrelas).

Jornal DIário do Nordeste publica matéria sobre as praças do Crato


Nota do Editor - Em matéria com apenas UMA LINHA dedicada aos autores do projeto das praças centrais, que é o governo municipal do Crato, jornal Diário do Nordeste publica hoje uma matéria sobre a reforma. O nome do prefeito Samuel Araripe sequer aparece no artigo, claramente tendencioso. O pessoal deveria ter mais cuidado, pois a tendência exagerada, até o cidadão comum percebe...
 

"A reforma dos quatro equipamentos públicos valoriza o Centro do Crato e busca fortalecer o turismo na cidade.

Crato. Está concluída a obra de requalificação urbana das praças centrais do Crato. A reforma, que estava prevista no projeto Cidades do Ceará-Cariri Central, teve um investimento total de R$5 milhões, sendo que parte do valor foi financiado pelo Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). Os equipamentos foram entregues à população, na noite do último dia 11, pelo secretário das Cidades, Camilo Santana. Ao todo, quatro praças da cidade passaram por melhorias, a Juarez Távora, Siqueira Campos, Alexandre Arraes e Sé. Foram realizados serviços de pavimentação, drenagem, iluminação, paisagismo, aumento das calçadas, instalação de rampas e pisos de módulos táteis, mobiliário urbano e sinalização, além da pavimentação das ruas Senador Pompeu e Miguel Lima Verde. A primeira etapa, que compreendeu a reforma das Praças Juarez Távora e Siqueira Campos, foi inaugurada no dia 22 de dezembro de 2011. Já na da Sé e Alexandre Arraes, os serviços demoraram mais a serem concluídos devido às paralisações durante a intervenção, que causou alguns transtornos aos comerciantes, principalmente, entre o período de fim de ano. Contudo, o projeto valorizou o Centro da cidade.

Praça da Sé

Na Praça da Sé, foram instalados quatro unidades de boxes para os comerciantes que mantinham quiosques no local. Ao todo, 16 pessoas foram beneficiadas, entre elas, a vendedora de sucos Emanuele Bezerra de Carvalho, que está no lugar há mais de 17 anos. Na opinião dela, a reforma vai gerar mais lucros aos vendedores de alimentos.  "A mudança trouxe benefícios para toda a população. A partir do momento que existe organização, as praças se tornam mais atrativas. Assim, os nossos clientes vão consumir nossos produtos com mais frequência. Agora, os espaços têm mais estrutura e, com certeza, teremos mais lucros. Foi uma grande melhoria para a cidade", considera.

Turismo

>>A reforma das praças centrais do Crato foi proposta ainda em 2005, por meio do Plano de Requalificação Urbana do Município, elaborado pela Prefeitura.

O objetivo das ações é fortalecer o turismo na cidade, bem como evitar o esvaziamento do Centro, já que foram estas praças que acolheram as principais manifestações artística, culturais, religiosas, cívicas, políticas e sociais no Município. Tanto a Praça da Sé como a Alexandre Arraes fazem parte da fundação da cidade. Segundo o jornalista Huberto Cabral, elas existem desde 1740. Ele conta que a Praça da Sé, além de ter abrigado o primeiro campo de futebol do Crato, foi o local do aldeamento dos índios Cariris. A primeira reforma foi realizada em 1953, durante o centenário da cidade. Já a Praça Alexandre Arraes tornou-se o bosque de arborização e, posteriormente, foi um Parque Municipal. Hoje em dia, é um dos locais prediletos para a prática de esportes e outras atividades físicas.

Falhas

O projeto de requalificação prioriza os pedestres e deficientes físicos e visuais. Contudo, os equipamentos específicos para esse público não foram instalados devidamente. O assunto já foi abordado em matéria publicada pelo Diário do Nordeste, na edição do último dia 5 de julho. A medida, que deveria ser inclusiva, ao invés de guiar os deficientes visuais por um roteiro seguro, representa um perigo, pois os direciona para obstáculos, como postes de iluminação. Antes da requalificação das praças centrais do Crato, não havia acessórios que permitissem a acessibilidade nas ruas da cidade. 
De acordo com o secretário das Cidades, Camilo Santana, o projeto previa a retirada dos postes dos locais onde foi instalado o piso tátil. Ele afirma que a responsabilidade agora é da Companhia Energética do Ceará (Coelce). O secretário disse, ainda, que já cobrou ações da Companhia para que os obstáculos fossem retirados o mais rápido possível. "Há mais de seis meses que venho cobrando da Coelce o deslocamento dos postes. Já pagamos pelos serviços e estamos aguardando que a Companhia faça isso de imediato", revela. 
Em nota enviada ao Diário do Nordeste, a Assessoria de Imprensa da Coelce informou que recebeu a solicitação do Governo do Estado, e já enviou proposta de orçamento para efetuar a remoção das estruturas. Entretanto, a medida ainda não foi executada por que a Companhia aguarda o pagamento do poder público.

Mais informações

Secretaria das Cidades do Ceará
Av. Gal Afonso Albuquerque Lima - Edifício Seplag, s/n
Cambeba - Fortaleza/CE
Telefone: (85) 3101.4448

YAÇANÃ NEPONUCENA
Repórter do jornal Diário do Nordeste
Foto ilustrativa: Dihelson Mendonça

Essa foto causa muita inveja. Clique e veja porquê...


Clique para ampliar e mergulhe nesse patrimônio que jamais será levado daqui:


E aí, ampliou ?
Quando é que você vem conhecer o Crato ?

www.blogdocrato.com

CADEIA PRODUTIVA DE OVINOS E CAPRINOS DO CARIRI BERRA PELA FALTA DE PLANEJAMENTO - Wilson Rodrigues


O Brasil tem o 9º maior rebanho de caprinos, sendo o Nordeste detentor de 90 % do plantel nacional. A maioria dos animais é criada em condições precárias, sendo exploradas apenas a carne e a pele. Já a carne de ovinos é considerada um produto nobre nos hotéis, restaurantes e churrascarias e a pele possui imensurável valor comercial com boa aceitação nos países europeus. No Cariri cearense a ovinocaprinocultura vive um paradoxo. A região possui um cenário perfeito para o exercício da atividade com linhas oficiais de credito nos Bancos do Nordeste e do Brasil, água em abundancia, a melhor pastagem, solo e clima favoráveis a todas as raças, curso de agronomia e institutos de pesquisas. Porem não possui produção integrada com tecnologias baseadas nas boas praticas agropecuárias que permitam o controle de toda a cadeia produtiva com procedimentos e rastreabilidade em todas as suas etapas, desde a aquisição de insumos até a oferta do produto ao consumidor. Faltam políticas publicas especificas, equipamentos de abates ( frigoríficos ) e capacitação de gestão para os criadores.

Para o analista do SEBRAE/Cariri, Fabio Bezerra da Silva, falta planejamento e isto tem levado desestimulo ao produtor e alimentado o abate clandestino e quem paga a conta é o consumidor que finda comendo uma carne de procedência duvidosa e isto só acontece por falta de equipamentos estruturantes. Conforme Fabio, a solução é reunir todas as entidades publicas e privadas, atuantes no setor, se fazer um plano de ação coletiva onde cada um assuma seu papel. Elaborar políticas publicas que atendam todos os ELOS a partir da produção, industrialização, distribuição e comercialização. Sensibilizar os produtores para a importância da organização do segmento em associações ou cooperativas, oferecendo-lhes uma visão empresarial com a garantia de rentabilidade. “A atividade caprina encontra-se em localidades em desenvolvimento e o Cariri precisa assimilar isto por ser uma região em crescimento e deveria buscar na ovinocaprinocultura uma de suas alternativas dentro do seu processo desenvolvimentista”, concluiu Fabio Bezerra.

Disse o gerente do frigorifico G E R M A N, localizado na cidade de Araripe, ( Cariri Oeste ), José Rosenberg Fortaleza Silva, que o consumo mensal da carne de cabritos e cordeiros nas cidades de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, gira em torno de 500 cabeças por semana, podendo aumentar esse numero em cinco vezes se levarmos em consideração os 31 municípios caririenses, disse ele “Falamos apenas do consumo domestico porque no Cariri não existem as compras governamentais, principalmente do leite e da carne para a merenda escolar, a exemplo da Paraíba que, com esta pratica o Estado tornou-se o maior produtor do Brasil. Chego a conclusão que o futuro da nossa ovinocaprinocultura não está ligado somente ao arranjo da cadeia produtiva, precisamos buscar as iniciativas e decisões das pessoas que podem contribuir para que o desenvolvimento aconteça”, finalizou Rosenberg.

Por: Wilson Rodrigues
Radialista/Repórter
Colaborador do Blog do Crato e Portal Chapada do Araripe


Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30