xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 09/06/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

09 junho 2012

Coluna Armando Rafael


Edição de 8 a 12 de junho de 2012



À prova de Terremotos

Está sendo construída em Crato –  no bairro Santa Luzia, em frente ao Centro Administrativo da Prefeitura, na Rua 7 de Setembro –  uma ampla e bonita capela da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecida como a “Igreja dos Mórmons” (foto acima). A capela e outras dependências para as atividades dos mórmons ocupará meia quadra do terreno. Mas o que está chamando à atenção são os alicerces do prédio. É que todas as capelas mórmons são feitas dentro de um projeto padronizado para o mundo inteiro. E como os mórmons levam a sério a profecia da ocorrência de terremotos prevista na Bíblia para os últimos tempos,  sua capela em Crato tem estacas pré–moldadas com profundidade de cerca de 6 metros.

Mórmons 1  x  Católicos 0

A capela dos mórmons vai ser o maior e  mais bonito templo daquele bairro. Muitos estranham por que não existe lá uma capela dedicada a Santa Luzia, que é a padroeira e dá nome ao bairro. Aliás, a  única imagem da santa protetora dos olhos – existente  naquela região – é uma pequena estátua (foto à esquerda),  venerada na pequenina capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, construída pelo bispo emérito de Crato, dom Newton Holanda Gurgel, ao lado de sua  casa.  É naquela capelinha  – localizada na Rua José Pinheiro Esmeraldo – que dom Newton celebra diariamente a  missa. Sempre às 17 horas.



Dura lex

O Tribunal de Justiça do Ceará deu ganho de causa à Diocese de Crato na ação judicial que esta movia contra a venda de um terreno de 746.683,45 metros quadrados, localizado  no bairro de São José, pertencente à Paróquia de Nossa Senhora das Dores, de Juazeiro do Norte. O terreno  – que hoje vale alguns milhões – foi adquirido pela empresa FP Construções, de Juazeiro do Norte, em 1995,  pelo valor de R$ 145 mil. A escritura de compra e venda foi feita com base numa procuração – assinada no verso pelo então pároco, padre Murilo de Sá Barreto. A procuração só foi apresentada ao Cartório em 2011,  seis anos após a morte do pároco. O Tribunal declarou a nulidade da escritura.


Juazeiro nas cartas geográficas
A renomada educadora juazeirense Amália Xavier de Oliveira (foto a direita numa pintura feita por Assunção Gonçalves) carregava um desapontamento – que foi reproduzido  no seu livro “O Padre Cícero que eu conheci” – nesta frase: “O patrimônio de glórias (de Juazeiro do Norte) já começa a substituir o desprezo a que o submeteu o ódio da corrente inimiga que lhe negara até a inclusão do seu nome nas cartas geográficas”. Dona Amália não sabia, mas desde 1851– vinte e quatro anos após o lançamento da pedra fundamental da capelinha de Nossa Senhora das Dores, fato ocorrido em 15 de setembro de 1827, e origem da povoação de Joaseiro (grafia da época) a então vila  já constava nos mapas.

Saiba qual foi o primeiro registro
A descoberta foi feita pelo professor, historiador e memorialista juazeirense, Renato Casimiro. Em nota publicada na sua coluna no Blog “Portal de Juazeiro”, Renato afirmou: “Certa vez empreendi uma busca para identificar a presença mais remota do povoamento de Joaseiro em algum mapa da Província ou do Estado do Ceará. Agora sei deste novo achado que está, conforme registra Armando Lopes Rafael, em sua apreciada coluna no Blog do Crato, em “Trabalhos da Sociedade Vellosiana”, publicado em 1851 – pela Sociedade Vellosiana do Rio de Janeiro, e que inclui o trabalho “Descripção dos terrenos carboniferos da Comarca do Crato”, tendo ao final o “Mapa topographico da Comarca do Crato - Província do Ceará”. Lá está registrado o Joaseiro. Pelo menos 24 anos depois daquele 15 de setembro de 1827”. (Na foto a esquerda, o Joaseiro primitivo num quadro de Assunção Gonçalves)

A voz das ruas

 Alguns começam a desconfiar que os índices da inflação brasileira  estão sendo manipulados. Na capital do Ceará, por exemplo,  o valor dos 12 produtos – que compõem a cesta básica em Fortaleza – subiu 6,91% somente no mês de maio. Foi  a segunda maior inflação dentre todas as 17 capitais de estados brasileiros  pesquisadas. Outro fato: Aqui no Cariri faço compra sempre no mesmo supermercado. E comparei  o preço das mesmas marcas de  produtos básicos, para não pairar dúvidas. Dois exemplos: o vidro de café solúvel que custava R$ 3,49 em abril está agora por  R$ 4,89. Um aumento de  40%. Já  o pacote de papel higiênico que em abril era comprado a  R$ 3,60 custa agora R$ 5,10, um aumento de  42%.

Morde e assopra

A agropecuária brasileira encolheu mais de 7% no primeiro trimestre de 2012. E isso teve reflexo no humilhante crescimento do nosso  PIB (que foi apenas 0,2%, próximo a zero) no mesmo período. Todos sabem que a prosperidade do agronegócio é responsável, em larga parcela, pelo superávit das nossas exportações. Mas esse setor se ressentiu da falta de crédito e apoio por parte do Governo Federal. Os produtores rurais vêm perdendo – nos últimos 9 anos e meio – a segurança jurídica, teoricamente garantida pela “Constituição-Cidadã” de 1988. Produzir alimentos no Brasil está ficando a cada dia mais difícil. Além do mais, os produtores rurais ainda têm que se proteger dos famigerados MST–Movimento dos Sem Terra, dos quilombolas, da FUNAI, da militância verde e  das ONGs a serviço de interesses estrangeiros. 

Além de queda, coice

Outros setores também diminuíram o ritmo de produção. Atentem para este dado: no início dos anos 80,  o Brasil produzia 50 milhões de toneladas de aço. O mesmo que era produzido – aquela época – pela China. Hoje o gigante asiático produz perto de 500 milhões de toneladas e o Brasil só está produzindo 33 milhões.

Desgraça só presta grande

Bom lembrar que boa parte do minério de ferro destinado a produzir aço na China é importado do Brasil. E apesar da viagem intercontinental – para levar a matéria prima aos confins da Ásia –   os custos de produção na China são mais competitivos do que os do Brasil. A razão? A carga tributária média chinesa é de 7%. Já no Brasil chega a 38%.

Torpedos

 1 – O ex-reitor da URCA, professor André Herzog está na fase de pesquisas com o objetivo de escrever seu novo livro, cujo título será  “Araripe– Tesouro da Natureza”.

2 – A Rede Globo de Televisão vai produzir nova minissérie sobre o Padre Cícero. Serão oito capítulos, dirigidos pelo conhecido cineasta Guel Arraes, filho do ex-governador Miguel Arraes. A Globo já produziu – em 1984 – a primeira minissérie sobre a vida do Padre Cícero, cujo personagem foi vivido – aquela época – pelo ator Stênio Garcia.

3 – Agora é lei. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal aprovou a inscrição do nome de Bárbara Pereira de Alencar (1760-1832) no “Livro dos Heróis da Pátria”. Bárbara de Alencar é considerada a primeira presa política do país, em face da  participação da família dela – na cidade de Crato –na Revolução Pernambucana de 1817, um movimento contra a monarquia portuguesa.

4 – A tradicional festa do São João, que é promovida todos os anos pelos moradores do Mirandão, em Crato, ganhou reforço em 2012. Este ano os moradores do bairro Conviver (que fica vizinho ao Mirandão)   aderiram à promoção do evento. Os dois bairros têm como padroeiro São João Batista.

5 – No tempo da administração do reitor André Herzog a URCA promovia, anualmente, a Semana do Meio Ambiente, com eventos distribuídos entre as cidades caririenses. A ideia foi encampada pelo Campus UFC-Cariri (futura Universidade Federal do Cariri–Ufca) que promoveu entre 4 e 6 de maio último, a II Semana do Meio Ambiente. A diferença é que os eventos do Campus-Cariri da UFC ficaram restritos à cidade de Juazeiro do Norte.

6 – Pronto, acabou o complexo de inferioridade do Cariri! Desde a última 4ª feira, qualquer caririense pode comprar  na filial da Mac Donald’s do Shopping Center Cariri,  o famoso sanduíche Big Mac, um dos símbolos do imperialismo norte-americano. A coluna flagrou alguns militantes da esquerda jurássica na fila para  saborear a delícia capitalista. Sem medo de ser feliz!

7 – Haja advogados. A Faculdade Leão Sampaio, de Juazeiro do Norte, acaba de ser autorizada pelo Ministério da Educação e Cultura – MEC para implantar, no Cariri,  mais um curso de Bacharelado em Direito.

8 – Até agora não se ouviu de nenhum dos pretensos candidatos a prefeito de Crato, a informação sobre  um projeto de governo para a área do turismo ecológico. Nessa área , Crato detém exuberante paisagem natural proveniente da chapada que a circunda, com suas trilhas ecológicas, fontes de águas naturais, cascatas, flora e fauna. Um paraíso a ser explorado, incluindo a pesquisa de plantas medicinais abundantes na Floresta Nacional do Araripe.

9 – Enquanto os órgãos públicos ainda não despertaram para a potencialidade do turismo ecológico na Chapada do Araripe, profissionais do Sul do país já começam a prospectar essa área. É o caso de Paulo Boute, ornitólogo e guia turístico, que vem trazendo grupos de observadores da Europa e do Sul e Sudeste do Brasil para conhecer as aves, flora e fauna da Floresta Nacional do Araripe. Paulo Boute mantém um site (http://www.boute-xpeditions.com//). Ele vem frequentemente ao Crato trazendo turistas e pesquisadores.

Centenário da Diocese de Crato:construida a primeira das 100 novas capelas

Dentro da programação comemorativa ao centenário de criação da Diocese de Crato, a ocorrer em 20 de outubro de 2014, consta a construção de 100 novas capelas, espalhadas nos 32 municípios que compõe a circunscrição diocesana. A primeira dessas 100 capelas acaba de ser concluída. Trata-se de um pequeno templo dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, localizado no Sítio Miguiriba, na Chapada do Araripe, na propriedade pertencente ao professor José Nilton de Figueiredo.
Da esquerda para a direita, professor José Nilton de Figueiredo, professora Cristina Alexandrino Figueiredo, dom Fernando Panico e o titular desta coluna
Tão logo a construção foi concluída, o professor José Nilton de Figueiredo fez doação da capela à Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, do bairro Batateira, em Crato. Na foto acima, o momento em que o prof. José Nilton e sua esposa, professora Cristina Alexandrino Figueiredo,  formalizaram  a doação da capelinha da Miguiriba, à Diocese de Crato, durante um encontro especial com o bispo diocesano, dom Fernando Panico.
                                                                                       

Presidente do BNB confirma indícios de fraude no banco


O presidente do Banco do Nordeste (BNB), Jurandir Santiago, confirmou ontem indícios de irregularidades e a possibilidade de desvios de recursos em 24 operações de crédito realizadas pela instituição, entre o fim de 2009 e início de 2011.

Segundo ele, as operações com evidências de fraude teriam sido praticadas por clientes com envolvimento de funcionários de uma unidade do banco, mas já estão sendo investigadas, a partir de auditorias internas determinadas por ele, logo após ter assumido a direção do BNB, em julho de 2011.

Da ordem de R$ 100 milhões, as denúncias de fraudes no banco vieram a público ontem, através de matéria divulgada na Revista Época, segundo a qual a dívida com o banco já soma R$ 125 milhões.

No Ceará, pelo menos três empresas estariam envolvidas no esquema, com emissão de notas fiscais falsas, usando laranjas ou fraudando assinaturas. As empresas foram identificadas após a denúncia feita por Fred Elias de Souza, um dos gerentes de negócios do Banco do Nordeste.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, ontem, o presidente do BNB confirmou que as investigações estão sendo realizadas pela Polícia Federal, Ministério Público e Corregedoria Geral da União (CGU), a partir de relatórios de auditorias feitas a pedido dele, pelo próprio banco.

Fonte: Lindomar Rodrigues - Colaborador

Superdotados para o progresso do Brasil - Por: Nelson Valente



O ingresso do Brasil ao Primeiro Mundo não pode se cingir a um exercício de retórica. Deve ser algo muito mais consistente, que passa pelos cuidados com a educação, a ciência e a tecnologia. Se investirmos apenas 0,5% do Produto Interno Bruto em Ciência aí está o sintoma claro de que nos distanciamos de nações mais desenvolvidas, como é o caso da Coréia do Sul, que hoje coloca 2% do seu PIB em pesquisa científica e tecnológica. 

Com um pormenor notável: 70% desses recursos são oriundos da iniciativa privada, que acredita nesse investimento, o que infelizmente não ocorre entre nós.  A quase totalidade dos nossos fracos investimentos na área são devidos a recursos federais, colocados à disposição das universidades. Não se deve desconsiderar o valor dos recursos hoje aplicados no Brasil aos setores de desenvolvimento científico e tecnológico. São 2,4 bilhões de dólares, resultado das muitas campanhas realizadas e da aquisição de uma consciência generalizada a respeito da sua importância. Mas é também claro que estamos muito longe dos recursos ideais. 

Veja o caso dos EUA: as universidades americanas disporão este ano um orçamento de 158 bilhões de dólares, mais da metade para projetos de pesquisa básica. Por aí se entende porque cientistas americanos venceram 207 dos 528 Prêmios Nobel distribuídos desde 1901. Quando se coloca a questão da inserção do Brasil no clube do Primeiro Mundo, gostaria de deixar claro o meu ponto de vista: entrar no Primeiro Mundo não significa vencer a corrida tecnológica, mas acompanhá-la. Um país pertence ao Primeiro Mundo quando contribui para o desenvolvimento da humanidade como um todo. 

O Brasil poderia estar dedicando maior atenção ao desenvolvimento de vacinas contra a meningite do tipo B e o dengue. No primeiro caso, temos importado vacinas de Cuba, gastando milhões de dólares, quando isso poderia estar sendo feito em nossos próprios laboratórios, com economia e eficiência. O mesmo pode ser dito em relação à genética. O nosso país tinha resultados apreciáveis, em nível mundial, nas décadas de 50 e 60, mas por falta de apoio a nossa presença foi definhando, tornando-se hoje secundária. A origem da falha encontra-se no sistema escolar ("a escola está preocupada em ensinar - e não fazer o aluno aprender"). 

A escola quer formar os cidadãos médios, mas é preciso valorizar os bons alunos, aqueles que irão compor as elites científica e intelectual, de onde são extraídos os elementos capazes de sustentar a liderança em setores determinados do conhecimento ou do pensamento. Há exemplos internacionais do que deve ser feito, como é o caso da Bronx School of Science (NY), que trabalha com alunos superdotados para o ensino de Ciências. Eles são estimulados, por mestres competentes, em laboratórios devidamente apetrechados, para que se ampliem as suas possibilidades de acesso a outros patamares da ciência moderna. As nações desenvolvidas agem dessa forma. Não temos outra saída senão seguir os seus passos.

(*) é professor universitário, jornalista e escritor

Nunca se escreveu e falou tão mal o idioma de Ruy Barbosa - Por: Nelson Valente


Respeitar a nossa língua é uma forma de fazer educação.

Um livro didático de português adotado pelo Ministério da Educação e Cultura este ano para atender à mais de 4 mil escolas públicas do País está causando polêmica. A obra: "Por uma Vida Melhor", da Coleção Viver e Aprender, da editora Global dispensa a conjugação de verbos , contendo frases como:  " nós pega o peixe". O exemplar está sendo utilizado por alunos Ensino Fundamental ( cujo objetivo: ler, escrever e contar) , do sexto ao nono ano; e pela Educação de Jovens e Adultos em escolas públicas fluminenses.

Os autores do material defendem o uso da norma popular da Língua Portuguesa no lugar da norma culta. Desta forma as expressões estariam corretas. O MEC informou, através de nota, que o livro atende à Matriz de Competências do Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos, reconhecendo e valorizando a linguagem dos diversos grupos sociais e variedades da língua portuguesa. O objetivo seria o de combater o preconceito linguístico. Desconhecer as línguas sempre produz a intolerância. Conhecê-las, porém, não é garantia de tolerância. 

O assunto é recorrente e retorna, quando estamos às voltas com a revolução da educação, discutindo sua gênese e os seus objetivos. Na educação superior, uma das provas mais importantes e decisivas do exame vestibular é a redação, primeira manifestação dos educadores no sentido de acabar com a prevalência das provas totalmente baseadas na múltipla escolha ( as famigeradas cruzinhas). A conclusão é óbvia: sem leitura, como escrever adequadamente? O primeiro passo é mesmo a entrega de voluptuosa aos livros, sobretudo os nossos clássicos, sem esquecer os jornais e revistas também podem ser fundamentais.

Criar o hábito ( ou gosto) pela leitura é um primeiro passo que depende basicamente de pais e professores. Há uma idade para isso, que infelizmente para os calouros não coincide com os seus 17 ou 18 anos. Começa antes, na altura ainda do ensino fundamental. Depois, é só alimentar a cabeça de bons produtos, a fim de que persista o interesse. Em primeiro lugar, pode-se registrar o fato, facilmente comprovável, de que nunca se escreveu e falou tão mal o idioma de Ruy Barbosa . Culpa, quem sabe, da deterioração do nosso sistema de educação básica.

Em segundo, o pouco apreço que devotamos ao gosto pela leitura. Em terceiro lugar, para não ir muito longe, podemos citar a “contribuição” dos meios televisivos. Donos de uma força descomunal, salvo as exceções de praxe, como os programas gerados pela TV Cultura de São Paulo, praticam um magistral desserviço à educação brasileira. Comunicadores falam mal, atores não se expressam adequadamente, dublagens são feitas de forma chula, programas infantis deseducam - o que se pode esperar desse triste universo?

Certos erros de linguagem que aparecem na mídia impressa, falada, audiovisual, livros didáticos e mesmo na letra de músicas são rápida e inconscientemente assimilados e usados pelo público, que chega mesmo a considerá-los modelos. Frequentemente ouve-se: "a TV diz assim", "o locutor fala deste modo" , "a letra da música é assim" , "o jornal publicou" , "vi no cartaz, no outdoor", etc. Infelizmente, esta é a realidade em que vivemos, tratando-se da relação público e linguagem dos meios de comunicação de massa.

Diante desta real e preocupante situação, urge fazermos tudo o que está a nosso alcance para preservar a pureza desta língua tão bela e tão sonora, falada há quase um milênio, merecedora, portanto, de ser resguardada das distorções grosseiras a que é submetida,freqentemente, na mídia. Vejamos alguns exemplos de incorreções colhidas aleatoriamente nos meios de comunicação e que poderiam ser facilmente sanadas:

- “Faz o que eu digo, mas não faça o que eu faço.” (Faze o que eu digo...)
- “Obedeça seu velho. Gaste bem sua mesada.” (Obedeça a seu...)
- “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és.” (Dize-me com quem...)
- “Fi-lo por que quilo.” (Fi-lo porque quis)
- “A nível de administração.” (Em nível de ..) (Jorge S.Martins)

Segundo o acadêmico, Arnaldo Niskier: “É preciso, porém, ainda mais agora com a decadência do ensino e a enormidade de erros veiculados pelos meios de comunicação, distinguir o que pode ser (ou vir a ser) que agride o vernáculo, transfigurando-o, impregnando-o de palavras e expressões alienígenas, absolutamente dispensáveis, tolos modismos e até mesmo erros crassos”. Os cartazes, os anúncios, a imprensa, a letra de música populares refletem o desenvolvimento cultural da sociedade da qual todos fazemos parte. Cabe-nos denunciar os maus uso da língua nessas formas de comunicação, para que seus erros não venham a ser motivo de vergonha para nós.

Entre as incorreções que destoam no uso da língua, são freqentes pequenos descuidos, até perdoáveis, mas há casos de barbarismo contra a pureza da língua nos aspectos sintáticos, regenciais, ortográficos, sem falarmos de troca tão comum de tratamento, como também de organização ilógica de ideias, o que acarreta, freqentemente, ambigidades e interpretações errôneas de pensamento.

A língua é uma força biológica: não se pode modificá-la com uma decisão política. Pode-se, quando muito, influenciar o uso. É uma função dos jornalistas, escritores e da mídia. Um bom uso mostra-se pela flexibilidade com que as palavras são aceitas. Todas as línguas estão repletas de palavras estrangeiras que foram naturalizadas. Hoje em dia, as pessoas falam sua língua nativa mais corretamente, leem mais jornais, mais livros. Isso não significa que a humanidade esteja melhorando e tampouco quer dizer que há menos banalidades, esterótipos e bobagens.

Os editores, os donos de televisão, jornais e os críticos literários não entenderam que houve uma revolução espiritual, que o nível geral subiu. Os franceses fazem de conta que brigam com o inglês, mas têm medo mesmo é do alemão. Desde a queda de Berlim, a Europa do Leste transformou-se num bolsão de poliglotismo alemão e há muita probabilidade de que o alemão se imponha na Europa!

Nunca, no mundo, alguém conseguiu impor a língua estrangeira dominante. Os romanos foram mestres do mundo, mas seus eruditos conversavam em grego entre si. O latim se tornou a língua européia quando o império romano desmoronou. No tempo de Montaigne, o italiano era o vetor da cultura. Depois, durante três séculos, o francês foi a língua da diplomacia. Por que o inglês, hoje? Porque os Estados Unidos ganharam a guerra e porque é mais fácil falar mal o inglês do que falar mal o francês ou o alemão. O que não impede que os franceses falem de uma “colonização” de sua língua pelo inglês. Contudo, neste momento em que os países lusófonos se unem no fortalecimento da Comunidade Linguística da Língua Portuguesa: em que se luta para que o português seja reconhecido também como língua oficial da ONU: em que o português vai alcançando o 4º lugar entre as línguas mais falada no planeta. Não podemos deixar que ela se desfigure e se deturpe de maneira tão galopante, como está acontecendo nos meios de comunicação e nos livros “didáticos”. Em geral, o erro linguístico depõe contra quem o cometeu. Vamos preservar a “Língua nossa de cada dia”.

(*) é professor universitário, jornalista e escritor

Parabéns Lula! (postado por Armando Rafael)

Além da “herança” da função e ex-presidente da república: R$ 9 mil em salário,  dois carros de luxo, gasolina à vontade e oito funcionários a sua disposição escolhidos por ele mesmo – sendo dois motoristas, quatro seguranças e dois assessores com salários que podem chegar a R$ 8.988 – Luiz Inácio Lula da Silva ainda recebe mais duas aposentadorias: R$ 6.673,00 como “anistiado político” e R$ 2.300,00 do INSS por “invalidez” (por ter perdido um dedo).
Achou muito?
Tem mais.
Lula recebe -- todo santo mês -- mais R$ 13.000,00 com “Presidente de Honra” do Partido dos trabalhadores-PT. Sem sem falar nas “palestras” que faz, ganhando em média R$ 200 mil por cada.
Mas apesar de tudo isso, Lula ainda teve direito a "restituição do imposto de renda". Confira abaixo a notícia publicada na coluna “Radar” da VEJA desta semana:

“Restituição de Lula sai no primeiro lote
Lula foi agraciado pela Receita Federal e receberá restituição do seu IR no dia 15. O dinheiro será depositado em sua conta no Banco do Brasil.
Por Lauro Jardim (coluna Radar)"

Ele merece!

                                                                                 

LOJA AMILTON SOM está fechando hoje ( Sábado ) - Queima total de estoque - Vá correndo, que tá todo mundo lá comprando as últimas peças - Descontos de mais de 50%


Após 23 anos no comércio, a loja cratense AMILTON SOM vai fechar as portas hoje ( Sábado ) - Liquidação de Tudo - Aproveitem !

Infelizmente, após 23 anos no ramo de vendas de CDs e DVDs, a renomada loja AMILTOM SOM, do nosso amigo Amilton Silva estará fechando as portas no próximo sábado. A loja inteira está com uma grande liquidação de até 50% ( ou mais ) em todo o estoque. Pedimos aos amigos que compareçam para ajudar o nosso amigo Amilton, e fazermos uma despedida da loja de uma forma digna, e vamos aproveitar para comprar todo o seu resto de estoque ?

Os motivos do fechamento da loja são vários, sendo o principal a especulação imobiliária do Crato, que é uma coisa gritante. Qualquer prédio hoje no centro, estão pedindo de R$3.000 a R$ 5.000,00 de aluguel,  inviabilizando totalmente os pequenos empresários. Na verdade, o proprietário do prédio onde se situa a loja do Amilton e várias lojas vizinhas, pediu o prédio, não se sabe para quê ainda, então, por falta de um bom local nas proximidades, no centro da cidade a preço bom, e enfrentando a concorrencia desleal da PIRATARIA no Crato, que é a olhos vistos e a Polícia nada faz para acabar, sendo que um comerciante que paga impostos bo Brasil tem que concorrer com os ladrões, que roubam produtos e vendem a preço de banana nos camelôs. o Amilton resolveu fechar a sua loja física.

A loja física fecha, entretanto, ele estará mantendo atividades virtuais, como a construção de um website na internet onde oferecerá serviços variados, desde a passagem do seu LP para um CD, ou de uma gravação que você possua em VHS para DVD, além de outros serviços que posteriormente divulgaremos aqui no Blog do Crato.

Levemos a solidariedade dos nossos amigos cratenses para o nosso amigo Amilton Silva. Infelizmente é mais uma loja genuinamente cratense que fecha as suas portas, das muitas que já fecharam na nossa cidade. De hoje até o sábado, grande promoção de todo o estoque. Compareça! Compre um CD, um DVD para presente. Ajude o Amilton nesse término de atividade.  Todo o estoque com descontos de 50% e até mais. Compareça! Compre em Amilton Som. Última semana de funcionamento.

Dihelson Mendonça

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30