xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 16/11/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

16 novembro 2010

CARIRIANAS - Por: José Nilton Figueiredo


SOBRE NÓS

Por Zé Nilton(*)

Recentemente peguei uma mania de ficar pensando pelas madrugadas adentro. Altas horas e eu ali matutando coisas. Antes me pegasse transido do alumbramento bandeiriano quando disse “pensando na vida e nas mulheres que amei”. Não é. Até porque, contrariando Martinho da Vila, pouco as tive. Conto nos dedos. E aqui pra nós eu não sei elas mas eu ainda hoje mantenho uma incomensurável paixão por cada uma. Ih, dirá você que “já passou, já passou”, ele continua com seus superlativos. E eu lhe direi: continuo.

Mas voltando, há momentos melhores pra gente pensar que quando nos entregamos às insônias das horas mortas? Só sabe quem se encontra no limiar da quadra perigosa dos sessenta. Estou nessa.

E assim pensando pensei noutro dia, na ante véspera do amanhecer, sobre a questão da identidade. Sobre os elementos formadores da identidade de um povo. Aí me veio à lembrança a famosa definição do termo Cariri, lida em todos os compêndios de história como sendo um qualificativo tupi, que significa – calado, silencioso –, em contraposição a outros índios tidos como palradores incoercíveis.

Para começo de conversa, após o Tupi o Cariri detém grande importância para a construção da identidade do povo brasileiro, notadamente do Nordeste. Povo numeroso ocupava grande extensão do Nordeste Central, abrangendo uma área cultural desde o norte da Bahia até o sul do Piauí, concentrando-se pelos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

Só para você ter uma idéia, quando no Século XVIII inicia-se o paulatino processo de ocupação das terras do sul da província do Ceará, inaugura-se igualmente o processo de genocídio e etnocídio das populações indígenas por empresas portuguesas, paulistas e mesmo nordestinas, por um lado, e por outro por contingentes familiares à procura de terras para a criação de gado, de pedras preciosas e do enriquecimento fundiário. E no meio disto tudo as missões catequéticas fazendo um jogo dúbio entre religião e poder.

Mesmo antes da presença de entradas e bandeiras, de forças militares, de curraleiros e de aventureiros, é bom que se diga, os primitivos habitantes das terras do Nordeste já vinham sofrendo um lento processo de dizimação, mercê de guerras intertribais pelo domínio de melhores áreas para a sobrevivência. É sabido que os Índios Tapuias, como eram denominados todos os índios não tupis, tanto por estes como pelos agentes das entradas e bandeiras, habitavam primitivamente o litoral e sofreram um paulatino processo de expulsão por grupos tupi-guarani para o interior. No interior das províncias tiveram que lutar com outras tribos por locais mais amenos e urbertosos, como beira de rios, planaltos, baixios. O nomadismo indígena levou a extinção quando não aculturação e mistura com outras guildas como sobrevivência étnica.

Um momento de grande turbulência ocorreu na maior tragédia entre os índios do Nordeste de um lado, e de outro, de colonos, de posseiros, de vaqueiros, de militares e missionários na chamada “Guerra dos Bárbaros”, ou Confederação dos Cariris. A maior rebelião dos silvícolas em terras nordestinas se arrastou por quase cinquenta anos, entre 1683 a 1713, com períodos de tréguas, de menor ou maior combate. Os agentes sociais de cabo da superioridade pela força das armas de fogo, das estratégias de combate e do apoio vezes velados vezes por interpretações das dúbias leis do estado português, enfim cumpriram seu ideal, o enfraquecimento da moral indígena e sua rendição às entradas e posses de suas terras.

Este famoso levante por parte das populações indígenas, desde o Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará como um todo resultou numa tomada de atitude do conjunto das tribos frente ao moto-contínuo de violência, covardia, subjugação e escravidão de famílias indígenas praticados por hostes de ádvenas de todas as partes. Crônicas missionárias falam de homens brutais e sanguinários, desconhecedores de leis e de limites da condição humana, despreparados para o exercício da alteridade cujo único interesse a mover sua inteligência e bravura para adentrar os longínquos, desconhecidos e temerosos sertões resumia-se tão-somente na busca do enriquecimento.

Tribos da nação Cariri destas bandas dos Cariris-Novos participaram do levante contra os bárbaros a partir de 1713 como os Icó, os Cariri, os Jenipapo, os Jucá, os Cariú entre outras, na segunda fase da Guerra, declarada pelos índios mansos e aldeados.

A visão idílica e romanceada com a qual alguns historiadores e escritores descrevem a vida das populações indígenas não condiz com a realidade de sua permanência no solo brasileiro, principalmente no nordestino. Desde que o homem branco guiado pelos tupis domesticados e escravizados (os bárbaros) pisou em solo nordestino, plantaram uma rotina de beligerância e desassossego no seio dos povos indígenas.

Usaram e abusaram de seus adjutórios em conflitos estranhos a seus interesses, recrutando-os sob pena de severos castigos para servirem em frentes de batalhas em decorrência das invasões holandesas na Bahia e em Pernambuco, da francesa no Maranhão, da guerra dos Palmares em Alagoas, do projeto expansionista da Casa da Torre, na Bahia, das lutas de potentados familiares como a dos Monte e Feitosa (nos Inhamuns e Cariri) e, por último, em movimentos pela independência como a Revolução de 1817 e na Guerra do Pinto ,em 1832. Saibam que o governo cearense convocou os últimos remanescentes indígenas para perfilarem-se juntos às forças restauradoras em favor da coroa portuguesa.

E saibam também quer quando ainda se chamava a nossa região de cariris-novos tribos que ocupavam seu espaço eram por demais fragmentadas em função dos embates tribo a tribo e dos constantes avanços de colonos e posseiros em guerras de conquista nesses tristes vales.

E digo mais, para extirpar de vez os últimos dos moicanos em terras caririenses, já que o grosso dos indesejáveis havia sido levados a pé para o litoral, em 1790, em 1860 guarnições bélicas dos estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará insurgiram-se contra remanescente dos Cariri, reduzidos entre Jardim e Milagres. Foi um massacre. O escocês Gardner noticia essas pobres figuras ainda tentando sobreviver, em 1834.

É isto. Nas minhas faltas de sono estou pensando em nós. Continuamos calados, silenciosos, arredios, amedrontados... Os bárbaros estão à vista, palradores e cheios de Crato.

Está tudo certo. Não há nada a dizer.

(*)*Antropólogo. Professor do Departamento de Ciências Sociais da URCA
E-mail: figueiredo.jnilton@gmail.com

Mostra SESC promove noite percussiva no Teatro Municipal, em Crato



A 12a. Mostra Sesc Cariri de Cultura traz uma das lendas da cena musical brasileira - o percussionista Naná Vasconcelos!- para o palco do Teatro Municipal do Crato, hoje, a partir das 8 da noite. O programa começa com a paulistana Simone Sou, reconhecida pela critica especializada como um dos grandes talentos da percussão no cenário nacional e internacional.
Noite imperdível para os amantes de todos os timbres e sonoridades!

Naná é filho de um violonista de Recife, teve na infância influências musicais que iam de Villa-Lobos a Jimi Hendrix. Especializou-se em instrumentos de percussão brasileiros, particularmente o berimbau. Depois de tocar por algum tempo em cabarés e bandas de Recife, mudou-se em 1966 para o Rio de Janeiro, onde conheceu Luiz Eça, Wilson das Neves, Gilberto Gil, e passou a acompanhar Milton Nascimento e o Som Imaginário. Integrou o Quarteto Livre (com Nelson Ângelo, Franklin da Flauta e Geraldo Azevedo) em 1968, mesmo ano em que acompanhou Geraldo Vandré no show "Caminhando (Pra Não Dizer que Não Falei de Flores)", logo interditado pela censura. Em 1970 foi convidado para integrar a turnê do saxofonista argentino Gato Barbieri pelos Estados Unidos e Europa. Por essa época começou a desenvolver seu trabalho de vanguarda. Naná radicou-se em Paris, onde gravou seu primeiro disco, "Áfricadeus". Em 1973 gravou no Brasil "Amazonas", um disco que se tornou um marco na combinação de percussão e voz na MPB. De volta ao Brasil, trabalhou com Egberto Gismonti por oito anos, tendo gravado juntos três álbuns, entre eles o aclamado "Dança das Cabeças". Nos anos 70 Naná Vasconcelos tocou com grandes nomes da música internacional, como Pat Metheny, B.B. King e Paul Simon. Já se apresentou como solista acompanhado por orquestras sinfônicas, excursionou pela Europa com dançarinos do Bronx e fez trilha sonora para cinema ("Down By Law", de Jim Jarmush). Além de dominar uma grande variedade de instrumentos de percussão, Naná Vasconcelos contribuiu para a divulgação internacional do berimbau.

Simone Sou

É considerada uma das mais atuantes percussionistas brasileiras. Hoje, ela apresenta um espetáculo de ritmos brasileiros e linguagem de música eletrônica com enfoque na cultura popular.

Simone iniciou sua carreira como baterista de uma banda de hard rock em São Paulo, na década de 80. Como percussionista, colaborou com diversos artistas de reggae e pop, entre eles Itamar Assumpção, Chico Cesar e Vange Milliet. Gravou ainda com Miriam Maria, Virginia Rosa, Alzira Espíndola, Rita Ribeiro, Péricles Cavalcanti e mais recentemente com a violonista Badi Assad e as cantoras Zizi Possi e Zélia Duncan.

ANDANÇAS...

Sou do sertão
- Claude Bloc -

Sou do sertão
Levo a vida nas estradas
Em meus olhos o estio
Queima de desilusão.
Guardo na alma
Rios de tão poucas águas
Que só correm nos invernos
Cor de terra, cor de sangue
Espelhando a solidão.

Sou do sertão
E meu sonho é muito forte
Não lamento minha sorte
Pois eu amo esse chão.

Pelas estradas,
Corro léguas como água
Vendo o mato esturricado
Vento sopra a ilusão

E vou vivendo
Vou moendo a minha mágoa
Cada dia é um mais passo
Cada dia mais um sonho
E a saudade “matadeira”
Vai levando,
Vai remando
Vai tangendo a minha dor.

Claude Bloc

Enviem seus Textos para Publicação no Blog do Crato !

Pedimos desculpas a todos os escritores e comentaristas credenciados, que enviaram textos nos últimos dias e não foram ainda publicados no Blog do Crato. Na verdade, recebemos entre textos, comentários para aprovação e e-mails com perguntas sobre o Crato, às centenas, e muitas vezes é humanamente impossível dar conta de tudo isso. Peço a colaboração de todos os que enviam textos via e-mail, para que enviem novamente, insistam, e seus textos serão publicados. Solicitem a confirmação de recebimento, pois muitas vezes temos problemas com o nosso e-mail. O Blog do Crato publica a grande maioria dos textos interessantes que recebe.

Atenciosamente,

Dihelson Mendonça
Administrador do Blog do Crato

O Trânsito no Crato - Por: LUCIELDO MOREIRA DE OLIVEIRA


Como em qualquer grande centro, o transito na cidade do Crato-CE, começa a nos preocupar. Preocupar por quê? Bem se observarmos a cada dia que se passa mais veículos está sendo colocados em circulação em nosso município e as autoridades responsáveis por essa situação, nada tem feito para conter ou amenizar o grande caos que se formou hoje pelas ruas centrais de nossa cidade.

Um volume absurdo de veículos, principalmente motos e nenhuma política sócio educativa para um transito mais organizado. Hoje o pedestre colocar o pé na faixa de segurança e é mesmo que assinar a sua sentença de morte, um absurdo, um verdadeiro vandalismo. Vez por outra presencio carros e motos passarem ali na Praça Siqueira Campos em alta velocidade, colocando em risco a vida dos pedestres.

Ai, eu me pergunto. O que faz hoje o DEMUTRAN para coibir isso? Absolutamente nada, a não ser multar sem nenhum precedente e colocar redutores de velocidades pela manhã, para que os vândalos arranquem durante a noite, para na próxima manhã os agentes de transito estarem colocando redutores de velocidades de novo, as famosas “tartarugas”. Uma vez postei um tópico no Orkut, perguntando o porquê de não se colocar lombadas eletrônicas em nossa cidade, pois o percentual de apressadinhos que passam em alta velocidade nas lombadas eletrônicas é quase zero. Ai um agente de transito me respondeu que o custo para tal beneficio era absurdo e inviável. Bom eu acho que o fabricante dessas “tartarugas já ganhou dinheiro que dava pra comprar umas 300 lombadas eletrônicas.

Motos. Hoje em quase todos os quarteirões do centro tem um posto de motos. Uma coisa absurda. Existe também os próprios donos de estabelecimentos comerciais que fazem questão de estacionar o seu veiculo novo em frente a sua loja, ocorrendo com isso a perda de um estacionamento para o cliente de sua própria loja. Dá pra entender isso?

Bom trago aqui algumas sugestões para a problemática. Criação da zona azul; Colocação de agentes em todas as faixas de pedestres e realização de uma campanha de educação antes de se multar; Colocação de lombadas eletrônicas e criação de estacionamento para motos.

LUCIELDO MOREIRA DE OLIVEIRA
CORRETOR DE IMÓVEIS

Luanna Andrade - Garota Blog do Crato envia novas fotos !



Destaque: LUANNA ANDRADE

Recebemos novas fotos da Garota Blog do Crato Luanna Andrade, e passamos a publicar. Em breve estaremos fazendo os ensaios com a Luanna e com as diversas participantes que entraram recentemente.









Num Patrocínio da CRAJUBATUR TURISMO:


Se você deseja participar do Garota Blog do Crato, escreva para nosso e-mail blogdocrato@hotmail.com e envie fotos de amostra para análise e aprovação. As fotos da galeria abaixo são de garotas aprovadas e prontas para fazerem os ensaios para o nosso concurso:

mural jpg 01

Vem aí o Concurso Garota Blog do Crato, agora na fase de produção de novos ensaios. Mais de 15 garotas já estão inscritas. Premiações para as 3 finalistas: R$ 500,00 para a primeira colocada. R$ 300,00 segunda colocada, e R$ 200,00 terceira colocada, e num Patrocínio da CRAJUBATUR Turismo, para a primeira colocada, passagem aérea Ida e Volta para Fortaleza com estadia num hotel luxuoso à beira-mar, com direito a acompanhante! - As participantes também ganham um DVD contendo as fotos que nossa produção realizar.

O que você tem a perder ?
Se você é Cratense, maior de 21 anos, e é uma garota bela, participe.
No garota Blog do Crato, você vence literalmente com a Cara e a Coragem.

Mostra SESC Cariri de Cultura:O Dom Que a Palavra Consagra-Por Wilson Bernardo.

A valorização do homem Nordestino é fundamental para preservação da própria identidade do sertanejo,conciliado com uma rica cultura diversificada de ritmos, costumes e tradições.O mestre Suassuna, deixa bem claro que a cultura americana se instala de uma forma pragmática, e que se diga de passagem,uma cultura pobre de silogismos e de outros aspectos culturais, fazendo com que o sertanejo substitua seu Oxente pelo tão banal e inexpressivo OK! Uma aula digna de grandes universidades e um publico cativante e atento a tudo que o mestre profanava em relação ao que se massifica, para enfraquecer uma cultura tão rica e substancial como é a nossa,valorizar o umbigo da terra seria fundamental.


A criança se diverte com Suassuna
O povo participa plenamente de uma aula histórica
O mestre e menestrelde um Sertão brasileirisimo...A satisfação da palavra conselheira.
Wilson Bernardo (Texto & Fotografia)

Transportes públicos - Emerson Monteiro

Urgentes providências exigem os serviços públicos no Brasil, a exemplo dos transportes urbanos, que favorecem sobretudo os proprietários de automóveis, proprietários dos veículos e também das ruas todo tempo. Enquanto disparam suas bólides luxuosas e faiscantes para os lugares aconchegantes das residências e dos escritórios de lucrativas empresas, a pessoa tradicional, egressa das camadas já excluídas da grande massa humana, mofa pelas calçadas à espera dos ônibus trepidantes e morosos, na aventura pelo pão de cada dia.
Sempre falam nisso os parlamentares, no entanto as leis pouco representam dessa preocupação em termos práticos que demonstrem retorno correspondente do quanto custam os nossos legisladores dos três níveis. Notaram o drama do zé povinho dependurado, nos momentos de pico, nas portas empanturradas de gente até o gogó, sem ergueram a voz nas tribunas que traduza medidas correspondentes.
Desde que me entendo de gente vem sendo assim. O transporte público brasileiro deve séculos de respostas aos simples usuários das periferias na sua luta insana pelo sustento e pela sobrevivência, no ir e vir das cidades.
Nesse mundo a fora existem pesquisas de meios alternativos de combustíveis dos transportes, desde álcool de beterraba a energia elétrica, mesmo assim a gasolina ainda reinará por umas duas décadas. Barateando o custo de consumo por certo aparecerão chances de lembrar o operário, a faxineira, o estudante pobre, o pequeno empreendedor, no esforço de vencer distâncias.
O carro elétrico, no Japão, país limitado nas suas reservas petrolíferas, isenta de impostos os consumidores, facilitando uso e aquisição, numa possibilidade menos agressiva aos recursos naturais. A pesquisa da energia solar, outro meio alternativo, cresce todo momento, sem qualquer prejuízo ao meio ambiente, energia renovável e limpa.
Quando adotadas outras fontes energéticas, o petróleo achar-se-á liberado para novas aplicações durante a civilização tecnológica destes tempos petroquímicos.
A expectativa por isso de usar com mais racionalidade os instrumentos oferecidos pela natureza bem que pode somar elementos ao espírito dos governantes, no sentido de olhar a grande população em seu amplo aspecto. Será o que exige a democracia das ruas, livre de ver os índices populacionais qual peças de manobra e lucro das multinacionais, ausente de critérios justos no trato organização política.

GUERRILHA DAS ARTES E DO AMOR !!!

A MAIOR AGENDA DE ESPETÁCULOS DO NORDESTE BRASILEIRO
TEATRO RACHEL DE QUEIROZ - CRATO-CE-BRASIL
DE 5 A 27 DE NOVEMBRO DE 2010



PROGRAMAÇÃO DE HOJE, DIA 15:


19h00min - Palco: UMA ÚLTIMA VEZ (14 anos, 60min), Cia. Arte e Cultura, Crato-CE
20h30min - Arena: ESPERANDO GODOT (12 anos, 20min), Cia. Os Dois de Teatro, Juazeiro do Norte-CE


PROGRAMAÇÃO DE AMANHÃ, DIA 16:


19h00min - Palco: DONA PATINHA VAI SER MISS (Infantil, 50min), Cia. Teatral Anjos da Alegria, Crato-CE
20h30min - Arena: BURRA, NÃO É NADA DISSO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO (Livre, 60min), Allysson Amâncio Cia. de Dança, Juazeiro do Norte-CE


MENSAGENS:


Ana Cristina Diôgo (ONG JURITI):
“Salve! Salve! Guerrilheiros e guerrilheiras do Cariri, que resistem com arte... Agora me lembrei de Geraldo Vandré: ‘No quintal da minha casa, não se varre com vassoura, varre com ponta de sabre, bala de metralhadora...’ (...) Todo sucesso nesta Segunda Guerrilha de onde sai vitoriosa a arte resistente do Cariri.”

Padre Rocildo Alves Lima Filho:
“Cacá, abraços! Estou em sintonia, mesmo de longe (Roma). Sucesso e parabéns!”

Orleyna Moura (Atriz): "Não podemos simplesmente nos transformar em platéia para espetáculos visitantes. Temos uma vasta produção artística e cultural de alta qualidade estética que deveria circular por outras regiões, estados e até por outros países"

Cacá Araújo (Dramaturgo, Coordenador Geral da Guerrilha):
“É muito importante e decisivo o patrocínio da Prefeitura do Crato e do Centro Cultural Banco do Nordeste, o que nos faz confiar que para o ano 2011 a Guerrilha terá mais apoio e se estenderá por mais espaços, podendo reunir um maior número de espetáculos. A tendência é que cada companhia de teatro e dança possa desde já realizar ações que se integrem às demais, formando um grande circuito de cooperação e fomento que funcione durante o ano inteiro, discutindo e contribuindo para melhoria de políticas públicas no setor, além de semear o chão caririense com o labor de seus artistas e o aplauso de sua maravilhosa platéia.

MONTEIRO LOBATO E O RACISMO Do crime à falta de educação


Um dos nossos cacoetes culturais, já apontados por Sérgio Buarque de Holanda em Raízes do Brasil, é o de tratar os problemas com soluções que oscilam entre a pusilanimidade e o extremo. O enquadramento de Monteiro Lobato como racista por causa de trechos de suas obras não fugiu à regra, mas cria uma boa ocasião para refletirmos sobre como encontrar uma saída para esse tipo de situação em que deixar como está não presta e aplicar os rigores da lei empobrece o contexto.

No Brasil, racismo é injúria qualificada, crime inafiançável (Lei Afonso Arinos), ou seja, passível de prisão por flagrante delito e sem direito à fiança. Não o era ao tempo em que Lobato criou suas personagens, mas elas continuam bem vivinhas e aprontando das suas, sobretudo quando são convertidos – ou pervertidos – para o mercado da indústria cultural e, dentro dela (alguma coisa haveria de prestar nessas águas barrentas), os livros de caráter educativo, didático e pedagógico.

Num contexto educativo, não se pode, é claro, admitir obras com tiradas racistas, sob pena de se perpetuar um tipo de socialização de valores enviesados. Cortar os trechos preconceituosos de obras clássicas não serve, porque seria a volta de um tipo de censura que o Brasil conheceu durante o regime militar pós-1964, quando pedaços de colunas do noticiário apareciam em branco, opacos ou com versos de Camões, receitas culinárias, demônios medievais e assim por diante.

Marca de tiro

Indexar parte da obra de Lobato soa absurdo, algo como recriar o Index Librorum Proibitorum de séculos atrás. Imaginemos uma cena no âmbito familiar: um pai retirando da estante aquele volume das Obras Completas de um clássico porque se chegou à conclusão de que, lamentavelmente, aquele prócer da Humanidade foi igualmente pródigo em preconceitos, embora não tendo como saber que estava praticando um crime em relação ao futuro, já que face ao ethos então corrente era o que se respirava. Então, o que fazer?

Uma saída pode ser o acréscimo de cláusulas de advertência, à maneira como já recomenda o Código Brasileiro de Auto-Regulamentação Publicitária, cujo zelo está a cargo do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar). Outra modalidade de advertir é como o faz o Ministério da Justiça, por meio de seu Manual de Classificação Indicativa (PDF disponível na página do ministério), no que se refere a produtos culturais portadores de conteúdos violentos, eróticos ou indutores ao consumo de drogas, lícitas ou não. No entanto, a classificação indicativa por faixa etária e horário parece adequada quase que estritamente às chamadas diversões públicas.

Cláusulas de advertência são contrapesos publicitários que, por exemplo, se põem impressos na contraface dos maços de cigarros, coisas do tipo: fumar pode levar à impotência. Ou, em nova versão, "este livro contém trechos que podem ser interpretados como abusivos". Aqui, um pormenor: a distinção entre o que é enganoso e o que é abusivo. No que se refere à publicidade, enganoso é o anúncio ou rótulo que promete conteúdo ou efeito improvável. Abusivo é o anúncio de um produto, cuja mensagem se revela preconceituosa, racista ou simplesmente desrespeitosa para com a pessoa humana, seja ela qual for, em sua condição étnica ou etária. Há produtos que são abusivos porque querem atingir exatamente a falta de filtros críticos por parte das crianças. Um exemplo: bebidas alcoólicas foram proibidas de usar associações com seres ou coisas capazes de angariar a simpatia do público infantil: tartaruguinhas, caranguejos e outros em situações "animadas".

Mas que coisa horrível! Que ideia estúpida, essa de virem agora os livros com uma antipática advertência, sabe-se lá em relação a que preconceito? Os capistas, evidentemente, odiarão esse crime lesa estética. Mas, prefiro o risco do ridículo à passividade dos que esperam que alguém pense por eles. Prefiro o vexame de me expor e, quem sabe, apareçam soluções melhores e mais amadurecidas, do que ficar na marca de tiro dos covardes (uma praga, atualmente, das listas de discussão), pessoas que, se valendo da distância ou até de identidade falsa, tratam de detratar de forma desrespeitosa quem lhes saia com opiniões que não as suas.

Valores humanos

E a quem competiria colocar o guiso no gato? A quem cuida de guisos. No caso de Lobato, ou melhor, de livros didáticos, das instituições correlatas; do Conselho Nacional de Educação, já que o Conar e o Código de Defesa do Consumidor melhor tratam das relações de consumo. E, como os dois códigos estabelecem, a compra de um produto pelo que ele anuncia tem valor de contrato entre duas partes. Já no caso de aquisição de uma obra eventualmente preconceituosa (total ou parcialmente) isso não implica automaticamente a pactuação com o preconceito. Fica o cidadão com a liberdade de adquirir ou não a obra supostamente perigosa.

Os cuidados, evidentemente, focarão mais aqueles que a Constituição Federal qualifica como mais desprotegidos – as crianças e os adolescentes. Não se trata, portanto, de proibir, mas de advertir. Um dos prodígios da democracia é que mesmo o mal deve contar com a liberdade, pois mais vale o arbítrio do sujeito diante dele do que a proibição por parte de quem que lhe queira degustar na exclusividade de prová-lo antes para não vetar depois.

Quanto ao racismo, o nazismo se encarregou de demonstrar que se trata de uma patologia social. E muito contagiante. Disseminar o preconceito, especialmente por meio do humor, é uma forma de micropolítica: espalhar inocentemente a discriminação. Naturalizar o desrespeito. Concedamos no entanto a Lobato, por tudo de bom que nos prestou, um crédito de confiança, sem que lhe tenhamos de abdicar do quanto de alegria, inteligência e valores elevados – a nacionalidade entre eles –, deixou-nos de herança. A educação para os valores humanos parece ser a melhor saída, mas de longo prazo. No curto, defendo as advertências. Argumentações em contrário serão bem vindas. Desde que fundamentadas. Já que o preconceito é uma forma de irreflexão estabelecida.

Por Luiz Martins da Silva
Observatório da Imprensa

Panda vidente substitui polvo profeta


D
epois de Paul, o polvo profeta da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, surge Bo Si, o "panda mediúnico". O panda Bo Si previu que um atleta chinês seria a primeira medalha de ouro dos Jogos Asiáticos e Yuan Xiaochao cumpriu com a "visão". Mas como a China é favorita e domina essa competição, os críticos não demoraram a alegar que o poder paranormal de Bo Si não é tão extraordinário assim. Os críticos supõem que o animal estava inclinado a tomar uma só decisão. Bo Si teve que escolher entre um bambu, que representava um atleta chinês, e uma maçã, que representava qualquer atleta estrangeiro. A alimentação dos pandas é feita majoritariamente por bambus.

O novo astro ajudou a elevar a popularidade dos 12 pandas gigantes do Xiangjiang Safari Park de Guangzhou, que registrou um aumento da visitação do público. O polvo Paul ficou famoso ao acertar os vencedores das partidas na última Copa do Mundo. Ele morreu em outubro em seu aquário na Alemanha.

Fonte: Folha.com

China impede que família de Nobel da Paz preso receba prêmio


Advogado de Liu Xiaobo diz que também está proibido de deixar o país

Advogado do dissidente chinês Liu Xiaobo (foto) diz que autoridades impedem família de viajar à Noruega para receber o Prêmio Nobel da Paz. As autoridades chinesas proibiram os dois irmãos do Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo de viajar ao exterior para receber a homenagem em nome do dissidente preso, informou nesta terça-feira à agência de notícias Efe o advogado da família, Shang Baojun.

- Os dois irmãos de Liu pediram para viajar, mas as autoridades lhes negaram a permissão.

Shang acrescentou que as autoridades também impedem que ele e outros advogados do escritório saiam do país. Ambos os irmãos de Liu expressaram no final de outubro a disposição de viajar a Oslo, na Noruega, para receber o prêmio no dia 10 de dezembro, já que a mulher do dissidente, a poetisa e fotógrafa Liu Xia, está sob prisão domiciliar desde 8 de outubro, quando se soube que seu marido havia conquistado o prêmio, e não pode sair do país.

No único encontro que teve com Xia após saber da decisão da Academia Nobel, Liu expressou o desejo de que ela seja sua representante na premiação. Nesta terça-feira (16), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hong Lei, voltou a dizer que o Prêmio Nobel da Paz é um delinquente e se recusou a comentar sobre a libertação da dissidente mianmarense e também Nobel da Paz Aung San Suu Kyi. O advogado da família revelou que as autoridades o impediram de viajar para Hong Kong no último dia 2 para assistir a uma conferência e que, no dia 9, aconteceu o mesmo com o advogado que lidera seu escritório, Mo Shaoping.

- Não sei quem irá assistir à cerimônia em Oslo, mas sei que há muita gente que não poderá ir. Eu mesmo e o restante dos advogados do escritório não podemos sair do país, apesar de eu ainda não ter perdido a liberdade para me movimentar dentro da China e de me permitirem falar com a imprensa por telefone.

"Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."

Fonte: R7

Descoberto porque havia tão poucas pessoas no Show do SESC no Sábado !


Espetáculos Continuam Elitizados !

Bom Dia, Crato!

Quando é que o pessoal do SESC vai se tocar que é preciso levar Arte e Cultura para o povão, e que um povo que não tem dinheiro nem pra se alimentar bem, vai ter dinheiro pra pagar entrada de show ??????????????????

Hoje é o Dia 16 de Novembro de 2010, terça-feira. Um grande show aconteceu no último sábado no teatro Municipal Salviano Saraiva, que reuniu grandes nomes da Música Caririense, tais como Abidoral Jamacaru, Luiz Carlos Salatiel, participações de Dihelson Mendonça, Cleivan Paiva, João do Crato. Na platéia, poucas e boas pessoas, tais como Pachelly Jamacaru, Socorro Moreira, Dr. José Flávio Vieira, dentre outras. A pergunta aqui é: E porque havia tão pouca gente no teatro ? Ao chegar lá, não me conformei em ver tão pouca gente para um show tão grandioso, mas aqui está o meu testemunho do que presenciei:

A Mostra SESC impôs a tarefa de cada espectador ter de levar um litro de leite por pessoa. Pelo menos 3 amigos meus não sabiam disso ( na verdade, nem Eu sabia disso ). Cheguei ao teatro, e tentaram me impedir de entrar exigindo o tal "litro de Leite", mas a sorte é que eu sou repórter credenciado pelo próprio SESC para a cobertura jornalística, e além do mais, iria tocar no show. Outros amigos meus nao tiveram essa sorte, foram barrados na entrada, e foram procurar comprar leite às 8 da noite, com o show começando... Nas Farmácias, a lata de leite Ninho custava 9 reais. Uma família de 3 pessoas, 27 reais... - Mas afinal de contas esse negócio é pra levar cultura para o povo ou para uma Elite ?

Putz!
Meus amigos foram finalmente de mercearia em mercearia até que chegaram ao Supermercado São Luiz, mas aí já eram quase 21:00 e não compensava mais voltar ao teatro municipal depois de ter gasto tanta gasolina procurando. Resultado> pouquíssimo público. Deveriam ter colocado logo uma banquinha de vender leite na frente do Teatro se esse fosse o problema, ao invés de fazer a população brincar de cabra-cega pelas ruas do Crato...

Um verdadeiro Absurdo!
Esses shows eram pra ser gratúitos. Como é que o pobre um dia vai ter acesso à cultura, se nao tem nem um prato de feijão pra comer ?

Continuo dizendo o que dizia já em 2007: Estruturas como o SESC e o BNB fazem espetáculos para RICOS. A Arte e a Cultura nunca irão chegar às classes aonde são realmente necessárias. O SESC faz dessas, e o CNBNB realiza shows no oitavo andar que só quem sobe lá é quem tem negócios a tratar. É preciso DESELITIZAR a Cultura, levando espetáculos para as praças das cidades, e parando de cobrar seja lá o que for. Tudo tem que ser Grátis. Dinheiro existe às pampas para financiar tudo isso e muito mais.

Por: Dihelson Mendonça

ALMANAQUE - 16 De novembro de 2010 - Por: Meirinha

ALMANAQUE

16 de n
ovembro: Dia Nacional do Mar em Portugal.

* 1532 - Francisco Pizarro captura o imperador inca Atahualpa.
* 1940 - Os nazistas fecham o acesso ao Gueto de Varsóvia, isolando-o com um muro.
* 1972 - É realizada a Convenção sobre a Protecção do Património Cultural e Natural no âmbito da UNESCO.

Nasceram neste dia...

* 1717 - Jean le Rond d’Alembert, matemático francês (m. 1783).
* 1887 - João Neves da Fontoura, político e embaixador brasileiro (m.1963).
* 1922 - José Saramago (na imagem), escritor português e Nobel da Literatura.

Morreram neste dia...

* 1272 - Henrique III de Inglaterra (n. 1207).
* 1885 - Louis Riel, activista canadiano (n. 1844).
* 1978 - Candeia, cantor e compositor brasileiro (n. 1935).

Fonte: Wikipedia

HOJE NA GUERRILHA (TERÇA-FEIRA, 16/11/2010)

TEATRO RACHEL DE QUEIROZ
Tel.: (88) 8801.0897 / (88) 3523.2168
Crato - Ceará - Brasil


19h00min - Palco: DONA PATINHA VAI SER MISS (Comédia Infantil, 50min), Cia. Teatral Anjos da Alegria


20h30min - Arena: BURRA, NÃO É NADA DISSO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO (Dança / Livre, 60min), Allysson Amâncio Cia. de Dança

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30