xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 24/10/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

24 outubro 2010

Cariri - Movimento em memória de Bárbara de Alencar - Reportagem: Antonio Vicelmo


Casa onde morou Bárbara de Alencar, na Praça da Sé, Município do Crato. A heroína é avó do escritor cearense José de Alencar e foi exemplo de coragem - FOTO: ANTÔNIO VICELMO - Bárbara de Alencar e sua família participaram de alguns dos principais momentos da história Ceará no século XIX.

Crato - Liderança políticas, empresariais e comunitárias do Município de Campos Sales reivindicam o tombamento da Capela Rosário, onde foi sepultada a heroína Bárbara de Alencar, que nasceu no Sítio Caiçara, Município de Exu, Pernambuco. Morou em Crato, de onde liderou a Revolução Pernambucana de 1817, e morreu em 28 de agosto de 1832, na Fazenda Alecrim, no Piauí, sendo sepultada no Sítio Itaguá, a 15 quilômetros de Campos Sales.

Para o prefeito do Crato, Samuel Araripe, que é descendente de Bárbara, o movimento surgido em Campos Sales é um exemplo para o Crato. "Apesar da sua importância no contexto histórico do Ceará, restaram poucas lembranças da heroína. Até a casa onde ela morou, no Crato, localizada na Praça da Sé e, segundo os historiadores, primeira construção de cal e pedra da cidade, foi demolida. Em seu lugar foi erguido o prédio da Secretaria da Fazenda do Estado. No Sítio Pau Seco, hoje Município de Juazeiro do Norte, restam somente os escombros da velha casa de campo, onde ela e os filhos planejaram e sonharam com os ideais republicanos. Ainda esta semana, o prefeito está recebendo uma comissão de Campos Sales com o objetivo de reformar o movimento em torno da preservação da memória de Bárbara de Alencar. O prefeito afirma que vai se engajar na campanha, não por ser parente dela, mas, principalmente, porque ela é a maior heroína do Ceará.

Samuel lembra que Bárbara participou da Revolução Pernambucana, estourada em Recife no dia 6 de março de 1817, liderada por frei Caneca, Domingos José Martins e Antônio Carlos de Andrada e Silva. Em 3 de maio, durante a missa dominical da Igreja do Crato, José Martiniano, filho de Bárbara, proclamou a república. Tropas imperiais foram enviadas para conter a revolta. Oito dias depois, os revolucionários, incluindo a matriarca, foram presos e enviados a pé para Fortaleza - acorrentados sob o sol, eles levaram um mês para caminhar 600 quilômetros.

Presa em calabouços de Fortaleza, Recife e Salvador, ela foi maltratada e impedida de ver os filhos. Libertada depois de três anos, ainda liderou um segundo levante, a Confederação do Equador, que se espalhou pelo Nordeste a fim de acabar com a monarquia. Na revolta, dois de seus filhos morreram. José Martiniano, pai do escritor José de Alencar, se tornaria senador no mesmo ano em que ela faleceu: 1832. Aos 72 anos, morreu sem ver a sonhada República.

Cidadã campos-salense

A campanha em favor do tombamento da capela foi reativada com o projeto de lei do vereador José Solano Feitosa, concedendo o título de cidadã campos-salense, "in memorian", à Barbara de Alencar, primeira presa política da história do Brasil. A concessão da honraria deu origem a uma audiência pública realizada em Campos Sales, com a presença de juízes, promotores e políticos locais com a finalidade de promover uma campanha em favor do tombamento. A audiência contou com a participação da procuradora do Estado, Sheila Pitombeira. Solano justifica que Bárbara de Alencar foi, sem dúvida, a maior defensora dos ideais libertários do Ceará. As novas gerações, segundo Solano, "precisam conhecer a fantástica história de vida dessa mulher extraordinária, que sendo mãe, soube ser heroína, sendo mulher, soube vencer os preconceitos da época. Sua vida foi marcada pelo exemplo de fé e de patriotismo em todas as gerações".

O vereador pretende também fortalecer o turismo local. Ele diz que muitos visitantes se dirigem ao Sítio Itaguá só pra conhecer o local onde Bárbara de Alencar foi sepultada. O casarão tem uma estrutura colonial. "É a história de nosso povo que precisa ser preservada pelos órgãos governamentais", salientou ele. Bárbara de Alencar, de acordo com o vereador, deixou um exemplo de coragem, dignidade e, acima de tudo, de patriotismo.

MAIS INFORMAÇÕES

Câmara Municipal de Campos Sales: Rua Francisco Gomes Souza, 190
Centro - Campos Sales
(88) 3533.2206

Antônio Vicelmo
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Colaborador do Blog do Crato e Chapada do Araripe OnLine

NOVO LIVRO SOBRE PADRE CÍCERO - Daniel Walker



Este estudo analisa aspectos da pastoral do Padre Cícero Romão Batista em Juazeiro do Norte-Ce. Essa abordagem histórico-religiosa visa descobrir liames entre o Padre, seus devotos e o desenvolvimento de uma ética do trabalho. Religião e trabalho aparecem vinculados, auto-sustentados e mutuamente impulsionados. O desenvolvimento econômico da cidade está vinculado ao paradigma de inventividade e foi construído sob uma pastoral social que articulava religião, trabalho e educação como forma de construir a cidadania. A orientação profissional daquela comunidade híbrida -nativos e romeiros - nessa pastoral gerou uma conduta que caracteriza um modelo original de desenvolvimento. Juazeiro hoje representa um importante polo econômico no contexto do Ceará e do Nordeste brasileiro. A despeito das sanções religiosas que interditajfem a ação pastoral do Padre Cícero, seu trabalho em prol da educação e formação profissional da população romeira continuou através de outra esfera pública - a política. Entre a religião e a cidadania essa valiosa contribuição do Padre Cícero se manifesta numa exemplar estrutura de trabalho pautado na solidariedade e cooperação.

Por: Daniel Walker - JuaOnline

ALMANAQUE - Dia 24 de outubro de 2010 - Por: Meirinha

ALMANAQUE

24 de outubro: Dia Mundial das Missões

* 1147 - D. Afonso Henriques conquista Lisboa aos mouros.
* 1930 - Revolução de 30. Getúlio Vargas e suas tropas derrubam a República Velha e então presidente Washington Luís.
* 1945 - É criada a Organização das Nações Unidas.

Nasceram neste dia...

* 51 - Domiciano, imperador romano (m. 96).
* 1836 - Ramalho Ortigão (na imagem), famoso polemista português (m. 1915).
* 1911 - Manuel Martins, artista brasileiro (m. 1979).

Morreram neste dia...

* 1725 - Alessandro Scarlatti, compositor italiano (n. 1660).
* 1944 - Louis Renault, fabricante de automóveis francês (n. 1877).
* 1994 - Raúl Juliá, ator porto-riquenho (n.1940).

Fonte: Wikipedia

Bom Dia, Crato - Domingo, 24 de Outubro de 2010


Bom Dia, Crato!


Faltam apenas 7 dias para as eleições do segundo turno à presidência da república. Percebe-se o arrefecimento das correntes de e-mail, e um certo desânimo geral. Parece que a campanha "cansou" por enquanto. Na semana passada, eu recebia cerca de 50 mensagens de correntes via e-mail por dia, e atualmente esse número caiu para 5 ou 7. Tanto melhor, pois finalmente parece que a normalidade vai retornando, e muitos estão caindo na real, que seja quem for o escolhido no dia 31 de outubro, pouca coisa irá mudar no Brasil. Enquanto isso, uma excelente notícia: Uma chuva de até 132mm caiu sobre a região do Cariri há 2 dias, e desde então, o tempo tem permanecido nublado, com a consequente diminuição da temperatura e novas previsões de chuvas. Na Vilalta, onde costumeiramente marcava 32 graus, caiu para 28 a 29 graus, chegando a 26 graus durante a madrugada.

Previsão do tempo para hoje

Segundo informam os institutos de meteorologia, está previsto Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite. Temperatura maxima de 29 graus e mínima de 15 !!! informa o site Climatempo.

Bom Domingo, Bom Descanso!

O Pensamento do Dia - A PAZ - Mahatma Gandhi



"Não existe um Caminho para a PAZ. A PAZ é o Caminho"

Mahatma Gandhi

O Crato de Antigamente - Histórias de Chico Soares - Por: Ivens Mourão

O FESTIVAL

Na década de sessenta eram comuns os festivais de canção popular. O Crato, guardadas as devidas proporções, também organizou os seus festivais. Realizavam-se na quadra de esportes, próxima ao Hospital São Francisco. Nesta mesma época o Chico Soares resolveu fazer um empréstimo no Banco. O Gerente foi taxativo:

- “Para você eu não empresto. A não ser que tenha um avalista bom, eu empresto”.

- “Serve o Brigadeiro?”.

O gerente aceitou na hora e já preparou a letra para colher as assinaturas. O Brigadeiro era rico e dono de um grande patrimônio.
Lá se foi o Chico dar a “facada” no amigo. E o Brigadeiro:
- “Chico, eu não sei não. E esse Gerente te empresta?”
- “Com o seu aval ele empresta até o Banco todo!” ·
O Brigadeiro, coçando a cabeça, pensou: “Será que esse ‘fio duma égua’ vai pagar? Mas ele é meu amigo! Amigo é para ajudar aos outros. Eu vou arriscar”. E falou:
- “Me dá essa letra que eu assino!”
Chegou a data do vencimento e nada de pagamento. O Brigadeiro recebeu a primeira cobrança do Banco, mas pensou: “Vou dar mais uns dias. Ele deve pagar. Não vai fazer uma desfeita dessa com o amigo”
Diante da segunda cobrança, o Brigadeiro resolveu ir à Repartição, onde o Chico trabalhava. E numa sala bem comprida a sua mesa ficava lá nos fundos. O Brigadeiro, logo da porta, segurou a letra com as duas mãos, levantou-a bem alto e falou:
- “Chico, Chico é a letra que você não pagou e eu fui pagar lá no Banco. E aí?”
O Chico, com a cara mais lisa do mundo:
- “E ai? Ora Brigadeiro não é uma letra? Bota uma música nela que é capaz de você ganhar o festival de música, lá na quadra!!!”

O RICO

Uma das coisas que Chico Soares sabia fazer era declaração de imposto de renda. Por este serviço ele cobrava um determinado valor. Um dia surgiu a oportunidade de fazer a declaração de um grande industrial e homem rico de Orós. E o Chico pensou: “É agora que eu vou pegar num bom dinheiro!” Não quis nem que ele viesse ao Crato pegar a declaração. Ele mesmo foi a Orós. Ia pensando em cobrar um bom dinheiro. Ao avistá-lo, o industrial veio ao seu encontro. Agradeceu o favor que o Chico fizera e, ao mesmo tempo, enfiou no bolso da sua camisa uma nota. Quando o Chico, entusiasmado foi olhar o valor, era uma nota que, nos dias de hoje, valeria uns cinqüenta reais. A decepção foi grande. Pensou que ia se benzer e quebrou a testa. Comentou:

- “É Luisinho, o homem é sabido demais! Tinha que ser rico mesmo...”


NÃO IA MAIS SAIR DE LÁ

O Chico Soares também era um freqüentador do cabaré da Glorinha. Ia mais para bater papo. Um dia, estava com a esposa na Praça Siqueira Campos quando ia passando a Glorinha. Falou para ela:
- “Antonieta você não conhece a Glorinha, não é? Olha, é aquela ali. Aquela loura!”
- “Eu quero lá saber de rapariga! Respeite-me, Chico”.
- “É porque você nunca foi lá! Se você fosse, não ia mais querer sair de lá!”

A CHUVA

Um dia o Chico Soares ia saindo de casa com a esposa e percebeu que estava “bonito para chover”, como diz o cearense. Sugeriu, então:
- “Antonieta vamos voltar para casa que vai chover”.
Como de fato. Foi só chegar e começou uma chuva pesada. Então ele saiu-se com o seguinte comentário, que mereceu o devido protesto da Dona Antonieta:
- “Antonieta, se esta chuva fosse de rapariga, eu ia destelhar a casa, com a tua ajuda, tapar todos os esgotos para enchê-la todinha de rapariga!”

CADÊ O TREM?

O Crato, por ser fim da linha férrea, tinha sempre às segundas feiras, além do trem normal, vindo de Fotaleza, um especial, vindo da Paraíba. Este era o que trazia a maioria dos feirantes para a grande feira livre, que ocupava todas as ruas centrais da cidade. Esta feira era tão importante que, quando coincidia com o sete de setembro numa segunda-feira, as comemorações relativas ao Dia da Independência eram antecipadas para o domingo. Não tinha feriado. Até os colégios funcionavam. O Chico Soares gostava muito de fazer ponto na Praça Francisco Sá, também conhecida como Praça da Estação ou Praça da Coluna da Hora. Ficava ouvindo o papo dos feirantes e participando das conversas. Foi lá que teve a oportunidade de ouvir, por parte de um deles, oriundo de Pernambuco e que, portanto, não usava o trem, fazer o seguinte comentário:

- "Mas rapaz, eu já vim ao Crato várias vezes e nunca vi um trem! Eu não conheço um trem!”
- “O que?!?! Um trem?!?! Tanto trem parado aí, no outro lado da estação e você nunca viu um trem?!”



Desfile de Sete de Setembro com a participação do Tiro de Guerra e dos Colégios. Nas segundas feiras essa rua (João Pessoa) e todas as demais do centro da cidade eram, literalmente, tomadas pela feira. Por isso que a comemoração era antecipada para o Domingo.

- “Não, nunca vi”.
O Chico Soares pegou o matuto pelo braço e disse:
- “Por isso não. Agora eu vou lhe mostrar um trem”.
Começou pelo vagão de segunda classe:
- Tá vendo aqui? Este é o vagão de segunda classe do trem. Está notando que os bancos são de madeira? Por isso a passagem é mais barata, para as pessoas pobres”.
E continuou:
- “Este é o vagão do trem para a primeira classe. Veja que os bancos são forrados, de couro. A passagem é mais cara”.
Em seguida entrou no restaurante:
Rua Dr. João Pessoa totalmente ocupada pela feira.
- “Olhe, aqui é o restaurante do trem. As pessoas que têm dinheiro comem aqui.”
E o matuto admirado:
- “E a comida?”
- “Tem a cozinha do trem, para atender ao restaurante do trem!”
Mais adiante mostrou o vagão bagageiro:
- “Neste vagão vão as malas maiores dos passageiros do trem”.
Por fim chegou à máquina:
- “Aqui é a máquina do trem”.
Belíssimo prédio da Estação onde o Chico foi mostrar o trem para o matuto.
E o matuto, percebendo que não tinha mais nada para mostrar:
- “Ah, é a máquina do trem? E ‘quedê’ o trem?”

MELHORAL RECICLÁVEL

Chico Soares contava uma estória de uma pessoa de uma família tradicional que era muito “mão fechada”. Assim são chamados, no Ceará, aqueles que são avarentos. Mas este era além da conta. Quando tinha dor de cabeça e era obrigado a tomar um Melhoral, fazia o seguinte: Amarrava um barbante no comprimido e engolia. Quando a dor de cabeça estava passando, ele puxava o Melhoral de volta, guardando para a próxima dor!...

Por: Ivens Mourão - Só no Crato

Pelé completa 70 anos sendo reconhecido no mundo inteiro


Foi ele que espalhou a ideia de que somos o país do futebol. Aos olhos do mundo, ser brasileiro significa ter um rosto. Um rosto que chega aos 70 anos. Algumas perguntas sempre terão a mesma resposta. Quem é o maior jogador de futebol de todos os tempos? “Pelé”, apelido do brasileiro mais conhecido pelos brasileiros. Ou “Edson Arantes do Nascimento”. Ele nasceu Edson em Três Corações, no interior de Minas Gerais. O filho de Dona Celeste e Seu Dondinho virou Dico na família. Mas em Bauru, no interior de São Paulo, surgiu Pelé.

Foi para o Santos em 1956. Dois anos depois, aos 17, iniciou seu reinado. Na Copa da Suécia, o mundo conheceu o talento do menino. O pai do futebol-arte. Foram dois títulos mundiais pelo Santos, três pelo Brasil. Foi aclamado o atleta do século 20. Fez 1281 gols e se transformou numa celebridade mundial.

Já se passaram anos, décadas, desde que Pelé abandonou o futebol. E mesmo assim, até hoje, o rosto ainda é conhecido em qualquer canto do planeta. "É o Rei", diz o árabe. O pessoal da Indonésia fala com sotaque. O marroquino diz que é uma lenda: “Não tive a sorte de vê-lo jogar”. Um torcedor de Guiné Equatorial, na África atesta: "Foi um dos melhores do mundo para mim" No Chile, és “Pelé”. O indiano nem demora a responder. Para o americano da Califórnia, ele é legendário. Bom, ele é Pelé.

E pensar que não joga uma partida oficial desde 1977, quando encerrou a carreira no Cosmos, de Nova York. Edson Arantes do Nascimento, o homem que fez de um soco um gesto sublime, que imortalizou a camisa 10. Foi ele que espalhou a ideia de que somos o país do futebol. Aos olhos do mundo, ser brasileiro significa ter um rosto. Um rosto que chega aos 70 anos. “Do jeito que são as coisas, quando eu fizer 100, vou jogar 15 minutos no Maracanã”, brinca.

Todos somos Edson. Somos Dico. Somos Pelé.

Fonte: G1

ATENÇÃO - Ceará investiga 150 supostos casos de superbactéria

O Estado do Ceará investiga 150 supostos casos de superbactéria, desde o início do ano, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado. A secretaria informa que não há nenhum óbito registrado. A superbactéria foi confirmada ao menos em São Paulo, Pernambuco, Paraíba, Espírito Santo, no Paraná e Distrito Federal, onde a situação é mais crítica.

Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (21) pela Secretaria de Saúde do DF, o total de pessoas contaminadas passou de 108, no dia 8 de outubro, para 183, em 17 hospitais. Na última sexta-feira (15), os registros somavam 135 casos. Em São Paulo, desde julho do ano passado, 24 pessoas infectadas pela superbactéria KPC morreram. Nesse mesmo período, 70 casos de contaminação foram confirmados.

http://3.bp.blogspot.com/_WY3qKeZY6L0/TMPayxzyCEI/AAAAAAAATYc/TEoeBrtdiPw/s1600/10292683.gif

Fonte: folha.com

Jornal Estado de São Paulo está sob censura há 450 dias

Desde o dia 29 de janeiro, o Estado aguarda definição judicial sobre o processo que o impede de divulgar informações a respeito da Operação Boi Barrica, pela qual a Polícia Federal investigou atuação do empresário Fernando Sarney. A pedido do empresário, que é filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o jornal foi proibido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal em 31 de julho do ano passado de noticiar fatos relativos à operação.

No dia 18 de dezembro, Fernando Sarney entrou com pedido de desistência da ação contra o Estado. Mas o jornal não aceitou. No dia 29 de janeiro, o advogado Manuel Alceu Affonso Ferreira apresentou ao TJ-DF manifestação em que sustenta a preferência do jornal pelo prosseguimento da ação, a fim de que seu mérito seja julgado.

O Estado de S.Paulo

Número de vítimas da cólera no Haiti supera 200

PORT-AU-PRINCE, 23 de outubro - (Reuters) - O número de mortos pela epidemia de cólera no Haiti superou os 200 neste sábado, enquanto o governo e organizações de assistência redobravam os esforços para impedir que a doença chegue na capital, devastada pelo terremoto que atingiu o país. Com mais de 2.300 casos da doença e com a previsão dos especialistas de que esses números crescerão ainda mais, as equipes médicas haitianas e internacionais estão trabalhando desesperadamente para isolar a conter a epidemia nas regiões Artibonite e do Planalto Central.

Elas ficam ao norte da capital, Port-au- Prince, com suas favelas esquálidas e cerca de 1,3 milhão de sobreviventes do terremoto de 12 de janeiro, a maioria em acampamentos de cabanas de lona, lotadas. É a pior emergência médica a atingir a pobre nação caribenha desde o terremoto, que matou em torno de 300.000 pessoas. É também a primeira epidemia de cólera no Haiti em um século.

Autoridades da área de saúde do Haiti, disseram numa entrevista coletiva no sábado que 194 pessoas já morreram de cólera na região de Artibonite, o principal foco da epidemia, e outras 14 pessoas morreram no vizinho Planalto Central. A ONU e autoridades do Haiti disseram que, por enquanto, não há casos confirmados da doença na capital. Mas eles aumentaram as medidas preventivas e a vigilância nos acampamentos que abrigam as pessoas desabrigadas pelo terremoto, ao mesmo tempo em que deslocaram médicos, remédios e água para as áreas afetadas.

"É um desafio enorme e a perspectiva de que possa chegar a Port-au-Prince é horrível," disse à Reuters Imogen Wall, porta-voz da ONU para assuntos humanitários. "É claro que evitar que a doença se espalhe até a cidade é a nossa principal preocupação, no momento." Mas o líder de uma instituição de caridade privada norte-americana disse que já há pessoas com cólera na cidade de Port-au-Prince, infectadas depois que elas viajaram para o sul, saindo das áreas afetadas pela doença, em busca de tratamento na capital.

As eleições presidenciais e legislativas estão marcadas para o dia 28 de novembro, mas ainda não se sabe se a epidemia poderá por em risco a organização da votação.

Por Joseph Guyler Delva

Edições Anteriores:

Outubro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31