xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 11/04/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

11 abril 2010

Representantes do povo - José de Arimatéa dos Santos

Os políticos de um modo geral arrotam que são representantes do povo, mas quando esse povo está a reivindicar seus direitos é uma dificuldade incrível. Se uma categoria profissional resolve paralisar suas atividades e reivindicar melhoria salarial logo vem o patrão e a justiça para abafar o movimento. Vê-se nisso tudo que quem está no poder tem um medo incrível da organização do trabalhador e logo procuram meios para acabar com o movimento através da ameaça. Parece que vivemos numa ditadura. Cá entre nós não deixa de ser uma tirania esse sistema capitalista que joga na marginalidade um grande número de cidadãos. O trabalhador não pode levantar sua voz que logo a força policial é acionada. Incrível a competência da polícia para reprimir movimentos sociais.

E quando as demandas do trabalhador chega aos parlamentares simplesmente eles ignoram e votam projetos, resoluções ou leis que dificilmente beneficiam o trabalhador. As centrais sindicais lutam por uma carga horária de trabalho de 40 horas semanais e se vê uma dificuldade incomensurável para esse projeto tramitar no Congresso Nacional. Não é de interesse da maioria do parlamento votar projetos como esses. Mas por que? Simples. A maioria dos representantes do povo é feita de empresários ou financiados por grandes corporações empresariais. A representação da maioria do povo é muito pouca.
Isso significa que quando um político diz ser ser representante do povo, devemos nos perguntar que povo ele representa. Empresário ou trabalhador? Ambientalista ou derrubador de florestas? Com isso vejamos o quanto é importante o nosso voto e em quem votamos pra nos representar. Sou trabalhador e como tal analisarei os candidatos, estudar sua vida e se tem ficha limpa. Tem pensamentos parecidos com os meus? Tem um discurso ético? Vai realmente defender o trabalhador? Quem financia esse candidato? São questionamentos que todo cidadão deve fazer antes de votar. E o mais importante: eleito deve ser acompanhado diariamente, saber como ele vota e se presta contas do seu mandato. Portanto, grande é a nossa responsabilidade neste ano de eleições. Vamos eleger quem realmente vai nos representar. Nós, o povo.

José de Arimatéa dos Santos

CRATO - PREVISÃO DO TEMPO - 12 de Abril de 2010


Chuva a qualquer hora, pode significar "chuva em hora nenhuma"



Bom Dia!

Hoje é o dia 12 de Abril de 2010. Gostaria de desejar um Bom Dia para todos os leitores do Blog do Crato e um bom início de semana. Ontem, o Crato Esporte Clube perdeu por 4 a Zero para o time do Ceará, mas isso não é de causar nenhum espanto ou constrangmento em nós cratenses. Por muitos motivos. Primeiramente, porque o Crato fez uma belíssima campanha e se classificou para a primeira divisão do futebol cearense, garantindo a vaga inclusive nas semifinais. E segundo, porque diante de tantos percalços enfrentados ao longo do campeonato, como a falta de pagamentos, com a consequente saída dos seus principais jogadores, ainda é de se espantar que tenhamos ido tão longe assim. Portanto, nada de tristezas. Devemos é parabenizar o nosso time, que tantas alegrias nos trouxe, e começarmos a refletir sobre os rumos a seguir.

A Previsão do Tempo

Como sempre, a meteorologia se engana. Não choveu muito em Crato nos últimos dias. Pelo contrário, chuvas que mais pareciam neblinas foram sentidas aqui no Centro. Nesta madrugada, até o prente momento ( 02:00 ) ainda não choveu. E a previsão do tempo segundo as grandes fontes de meteorologia do país, indicam dia de sol e muitas núvens, com possibilidades de chuvas a qualquer horário, o que pode muito bem significar: "nenhuma chuva" como tem acontecido nesse tipo de previsão. Quero enviar aqui um abraço todo especial a uma das grandes personalidades "ocultas" do Blog do Crato que aniversariou recentemente, no último dia 10 de Abril: Ninha Brito, que além de ser uma das fundadoras do Blog do Crato, tem se revelado uma excelente fotógrafa. Muitas felicidades e muitos anos de vida plena.

Dihelson Mendonça

BLOGFUTEBOL:TRIBUTO A DJALMA E CARECA-Por Wilson Bernardo.

CEARÁ 4 X O KIKI45MIL
Alguém lucrou com a barganha dos atletas...
Wilson Bernardo(Texto & Fotografia)

Psicologia no Cotidiano Ψ Drag Queen Ψ Por João César Mousinho De Queiroz.


Chama-se Drag Queen o homem que se veste com roupas exageradas femininas estilizadas, e drag king a mulher que se veste como homem. A transformação em drag queen (ou king) geralmente envolve, por parte do artista, a criação de um personagem caracteristicamente cômico e/ou exagerado.

Drag queens ou Drag kings são artistas performáticos que se travestem, fantasiando-se cômica ou exageradamente com o intuito geralmente profissional artístico. No mais das vezes, apresentam-se em boates e bares LGBT, embora haja drags que façam eventos para público misto e heterossexuais, como animação em festas de casamento, debutantes, formaturas etc. Muitas fazem também correio elegante ou correio animado, levando mensagens de amor ou felicitações com performances características. O termo drag queen é uma gíria que surgiu por volta de 1870, tanto no mundo gay quanto no teatro. E quem pensa que aqueles homens vestidos de mulher de forma exagerada se assemelham à "rainha dos dragões" numa abreviatura de "dragons" e uma relação com sua feiura pode até ter uma certa lógica. Mas, está longe das hipóteses que explicam a origem da expressão. Na verdade, drag não tem nada a ver com dragon. Alguns entendem que a expressão parte do significado de "drag", que em seu sentido mais amplo quer dizer vestir qualquer roupa que tenha um significado simbólico, como roupas apropriadas ao gênero: vestir-se de mulher ou de homem. Outros defendem que, na verdade, "drag" seria uma sigla para "dressed as girl" (vestido como menina). Em contrapartida, existiriam os "drab" - "dressed o boy" -, mas essa nunca pegou.

A hipótese mais aceita, entretanto, vem de "drag" no sentido de "arrastar" e se relacionaria com os imensos e pesados vestidos usados no final do século XIX, que faziam com que o homem vestido de mulher literalmente se arrastasse nos palcos. A tradição do transformismo se manteve entre nós, o que criou uma associação direta entre ser gay e ser drag queen que nem sempre existe. Tanto homens atrozes quanto gays podem se montar de drags.

Como liberal e profissional da área do comportamento humano, sou a favor da liberdade de expressão e pensamento. Mas devemos ter em mente que direitos implicam também em deveres. Portanto, não sou contra drag queens fantasiadas de quer que seja, mas também reconheço o direito de comediantes imitarem gays. Por falar nisso, o Exército dos EUA está abrindo as portas para os assumidamente gays poderem servir "à pátria que eles tanto amam", segundo o presidente Obama; como somos atrasados. Ensinar a conviver com a diversidade, isso é que as escolas e o Ministério da Cultura deveriam fazer.

Segundo pesquisas realizadas por Juliana Frota da Justa Coelho – psicóloga e mestra em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC,as drags queens, assim como as transformistas, “montam-se” e “desmontamse”. No entanto, sua montagem difere das outras a partir da forma como os signos masculinos e femininos são performatizados. Exibem um corpo adornado por um feminino muitas vezes considerado exagerado para os padrões heteronormativos, porém nem sempre fazem questão de esconder traços fenotípicos atribuídos ao homem, como pêlos no peito e nas pernas. Dessa forma, deixam escapar que sua versão de “feminino” não precisa necessariamente esconder tudo o que diz respeito ao “masculino”. No entanto, no momento em que estão montadas (geralmente em eventos festivos), seus “nomes de guerra” são femininos, podendo também sê-lo em outros contextos, mesmo que em menor frequência. Ressalte-se que a montagem drag também faz uso de signos que remetem a características surreais, sendo isto uma das principais diferenças dessa categoria em relação às outras. Nas palavras de Gadelha (2007): “o corpo montado de uma drag pode ter asas como as de um dragão; possuir seios; ter chifres; seus olhos podem ser marrons, vermelhos, violetas ou de qualquer outra cor”

Drag queens ou Drag kings são artistas performáticos que se travestem, fantasiando-se cômica ou exageradamente com o intuito geralmente profissional artístico. No mais das vezes, apresentam-se em boates e bares LGBT, embora haja drags que façam eventos para público misto e heterossexuais, como animação em festas de casamento, debutantes, formaturas etc. Muitas fazem também correio elegante ou correio animado, levando mensagens de amor ou felicitações com performances características. Chama-se drag queen o homem que se veste com roupas exageradas femininas estilizadas, e drag king a mulher que se veste como homem. A transformação em drag queen (ou king) geralmente envolve, por parte do artista, a criação de um personagem caracteristicamente cômico e/ou exagerado.
Em São Paulo, o musical Segunda Acontece, que está em cartaz há três anos traz as drag queens mais famosas do Brasil: Boo, Divina Núbia, Lllady Meteora, Salete Campari e Silvetty Montilla mostram todas as segundas-feiras no palco do Café Concerto Uranus um espetáculo que mistura humor e música, que contiagia a platéia.

As drags contrapõem-se à idéia da identidade como algo fixo, discussão esta já celebrada na Psicologia Social por autores como Ciampa (1984), que desenvolve uma compreensão da identidade como metamorfose. Face ao exposto, basta verificar como se processa a formação da identidade sexual das drag queens, com o objetivo de esclarecer alguns aspectos que constituem e caracterizam este grupo e seus membros em particular, concebendo novas formas de compreensão das políticas identitárias que superam as dicotomias entre masculino e feminino a partir da teoria queer.


As drags ressaltam suas características caricatas que lhes permitem autilização dos mais diversos e variados acessórios na constituição de suas personagens feminino-masculinas. A imagem de uma drag queen vem sempre associada aos conceitos de beleza, sedução e vaidade. Ao se constituírem drags, os sujeitos passam por um longo processo de transformação, buscando um "outro" não acessível, senão por meio de sua montaria (Louro, 2004). Esta se refere ao ato de constituir a personagem feminina com adereços, nome próprio e características femininas. Os sujeitos, quando montados de drag, unem, em um único corpo, características físicas e psicológicas de ambos os gêneros, sendo e estando masculinos e femininos ao mesmo tempo, em um jogo de composição de gêneros que questiona a rigidez do conceito de identidade.

No que se refere à expressão e comunicação das drag queens, comunicação aqui entendida como troca, entendimento, compreensão, o grupo mantém um vocabulário próprio, constituído de regras performativas, as quais são uma série de recursos específicos de linguagem e fazem com que haja um domínio semântico desempenhado por elas, a partir dos lugares e posições que ocupam dentro de um determinado contexto. Para as drags, a fala está sempre presente ao lado do corpo que está sempre em transformação, manifestando, por meio desta corporalidade, a ambivalência dos signos femininos e masculinos. As palavras escolhidas pelas drag queens colaboram, de modo decisivo, para a formação de sua imagem. O domínio da língua tem estreita relação com a possibilidade de plena participação social, pois é por meio dela que se comunicam, têm acesso à informação, personificam e defendem pontos de vista, partilham ou constroem visões de mundo específicas. As drags têm saído dos espaços exclusivamente GLBTT para executarem performances em variados e diversos ambientes de socialização.

Fontes: Livros, Artigos, Jornais.
não as olimpíadas, não a copa do mundo. SIM A UMA POLITICA HABITACIONAL DIGNA.
São Paulo 11/04/10 Artigo XVI – Psicólogo Clínico Forense. www.sosdrogasealcool.org

Saburrido - Postado por: José Flávio Vieira


Igreja evita veto a novo caso de aborto legal

Agência Estado


Recife - Médicos do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), do Recife (PE), deram início anteontem ao processo de abortamento legal em uma menina de 10 anos que ficou grávida após ser abusada sexualmente pelo padrasto. O caso mostra uma mudança de posição da Igreja Católica pernambucana, que evitou polemizar sobre o procedimento. Há um ano, a Igreja tentou dificultar o abortamento legal em um caso semelhante. O estado de saúde da garota, que vinha sendo vítima de abuso há mais de dois anos, é considerado bom. Segundo a diretora do Cisam, Fátima Maia, a criança estava com 16 semanas e três dias de gestação. Há cerca de um ano, quando outra menina, de 9 anos, também vítima de abuso, passou pelo mesmo procedimento, o então arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso, foi contra - os médicos do Cisam e a mãe da vítima acabaram excomungados pela Igreja.

Sucessor de dom José, dom Fernando Saburido declarou-se "triste", mas disse que a decisão é dos pais. "Se há um consenso médico de que a vida da mãe corre risco, o aborto é algo a ser considerado." D. Fernando disse, porém, que a Igreja é contra o procedimento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Agência Estado
Postado por: José Flávio Vieira

51 anos de chumbo em Cuba - postado por Armando Rafael


Fonte: revista VEJA
Juventude rebelde

Eles têm a idade que os barbudos tinham quando desceram com Fidel Castro a Sierra Maestra - e a mesma sede de liberdade. São os jovens cubanos em luta contra a miséria moral e material da ditadura comunista. Suas armas são blogs, festas punk e hip-hop

A CORAGEM É BRANCA
Manifestação pacífica de esposas de presos políticos em Havana: inspiração para jovens

As ruas de Havana Velha estão sempre cheias de turistas que, depois de tomar seu mojito na Bodeguita del Medio, vão aos ambulantes comprar camisetas de Che Guevara, charutos desviados das tabacarias estatais e comprimidos clandestinos de PPG, droga derivada da cana-de-açúcar receitada para controlar o colesterol e tida como afrodisíaca. Quem se aventura além dessa vitrine de produtos típicos do socialismo cubano encontra a Cuba real dos cortiços superlotados e caindo aos pedaços. A Cuba das panelas vazias, do medo e da delação. Mas também a Cuba da resistência jovem à ditadura comunista.

Ao cruzar a porta de um desses cortiços, no topo de uma escada íngreme e precária, chega-se à cozinha, onde um jovem tecla em um notebook Compaq cujo peso e tamanho denunciam sua antiguidade tecnológica. Ao lado do computador, colado na mesa, há um adesivo com a bandeira de Cuba, o símbolo da arroba e a expressão "Internet para todos". Na gerontocracia dos irmãos Fidel e Raúl Castro, que governam a ilha há 51 anos, o acesso à web é restrito a certas repartições públicas, hotéis, embaixadas e às casas dos chefões do regime. Fora dos círculos privilegiados da nomenklatura castrista, a internet é, digamos, manual. O velho Compaq está com sua memória cheia de arquivos com reportagens de jornais espanhóis e americanos, músicas de protesto e blogs feitos por cubanos na ilha e no exílio. Essa biblioteca digital, considerada subversiva pela ditadura comunista, é enriquecida semanalmente por pen drives que passam de mão em mão, de porta USB a porta USB, abrindo uma trilha digital de liberdade em meio à selva da opressão comunista.


"59, o Ano do Erro"
Ex-funcionário de um pequeno escritório de serigrafia, Gorki Águila, de 41 anos, é um ídolo da juventude de Cuba. Vocalista da banda punk Porno para Ricardo, foi preso duas vezes (acima). Na primeira, ficou dois anos na cadeia. "A cela era tão pequena que eu encostava nas duas paredes opostas ao mesmo tempo", diz. Em liberdade condicional, tornou-se ainda mais explícito em suas críticas ao regime. Em O General, ele fala de Raúl Castro: "A m... continua". Gorki é mais efetivo ainda nas frases que estampa em camisetas. Dois exemplos: "59, o Ano do Erro" (os irmãos Castro tomaram o poder em 1959) e "Che Guevara, o Assassino do Povo Cubano" (o médico e motoqueiro argentino Ernesto Guevara foi encarregado pelos Castro das execuções sumárias por fuzilamento que vitimaram centenas de cubanos).

Dessa maneira, uma única pessoa com acesso esporádico à internet consegue abastecer centenas de amigos com informações sobre o mundo e sobre Cuba. Essa panfletagem pós-moderna conecta milhares de jovens cubanos. A geração que hoje está na faixa dos 20 ou dos 30 anos é a segunda a nascer após a revolução de 1959. Desde pequenos, esses cubanos foram criados para idolatrar Fidel Castro e jamais contestar o sistema socialista. O medo da violência policial, das prisões, da vigilância dos vizinhos colaboracionistas e da perda de emprego, no entanto, já não é o suficiente para calá-los. A juventude cubana está se rebelando.
Prever quando uma ditadura longeva vai se extinguir é impossível. A história mostra, contudo, que a derrocada dos tiranos quase sempre é precedida pelo surgimento de um grupo de pessoas tão saturado da falta de liberdade que já não teme a violência política. Cuba parece estar nesse estágio. Cinco anos atrás, era impensável ter jovens cubanos expondo o rosto e suas opiniões como os que aparecem nesta reportagem. Hoje, eles fazem questão de ser vistos e escutados. Reivindicam liberdade de expressão e o direito de usar a internet, viajar e seguir a profissão de seus sonhos. Raramente fazem parte de um grupo organizado (ainda que clandestino) de oposição, tampouco têm um projeto político. Apesar de não se considerarem dissidentes, são rotulados como tal, o que não é de estranhar em um país onde ou se está com o governo ou contra ele. Diz a blogueira Yoani Sánchez: "Em Cuba, basta respirar para ser dissidente". Que dizer quando se tem a ousadia de escrever frases de protesto nas roupas, de criar blogs para descrever a realidade do país ou de compor músicas denunciando o fracasso da economia planificada. Esses atos aparentemente solitários e quase ingênuos de rebeldia são arriscados. Muitos já foram presos e/ou apanharam da polícia. Desde o mês passado, a penitenciária de Santa Clara mantém o prisioneiro de consciência mais jovem da ilha, Danny Perez Rodriguez, de 18 anos. Seu crime: sair às ruas para gritar "Abaixo Fidel!" em protesto contra o fato de ter perdido o emprego apenas por ser filho de um preso político.

(Matéria completa na revista VEJA que chega amanhã às bancas)

CRATO - PRAÇA SIQUEIRA CAMPOS - Por: Ivens Mourão


O nome da Praça, “Siqueira Campos”, é uma homenagem a um rico comerciante pernambucano que se estabeleceu no Crato e não um reconhecimento a um dos líderes da Revolução de 30, que faleceu em desastre de avião no Uruguai. Este comerciante, nas primeiras décadas do século XX foi o primeiro a possuir automóvel na cidade. Com recursos próprios executou o calçamento da Rua Dr. João Pessoa, ainda hoje a principal rua do comércio cratense. Até a chegada da Televisão, a praça era o ponto diário de encontro da sociedade. A freqüência maior era nos fins de semana e feriados. Além de ter sido palco das estórias mais pitorescas da cidade. Marcou o início de muitos namoros, noivados e casamentos.

Siqueira Campos está, em primeiro plano, ao lado do seu carro.

O seu formato é quadrado, circundado por um calçadão de uns três a quatro metros de largura. O restante, a parte central, é ornada por alguns canteiros floridos e diversos passeios, com bancos. Naqueles anos dourados, a praça era o coração da cidade, tendo normas bem estabelecidas, embora tal fato tivesse se originado de uma maneira provavelmente natural. Mas, o certo é que seus freqüentadores não se desviavam deste ritual. A calçada externa era reservada para os jovens: os solteiros. As moças sempre ficavam girando, num sentido ou noutro. Os rapazes também giravam, mas a maioria ficava em pé, na borda da praça, flertando as moças. Caso um rapaz estivesse circulando com uma moça, era sinal de que estavam namorando. Na hipótese daquele namoro evoluir para um noivado, o casal passava para a parte interna, podendo circular pelos passeios ou sentar-se em determinados bancos. Os casados sempre ficavam no centro, conversando entre eles e acompanhando os filhos, principalmente as moças.



Esta foto caracteriza bem como era o ritual. Deve ter sido colhida num domingo pela manhã, na década de cinquenta. As moças circulavam de braços dados. Nem todos os rapazes estão de terno, talvez devido ao horário. Esta foto foi enviada pela minha prima Ruth. Ela e outras senhoras tentam resgatar as tradições, beleza e charme da praça, tão bem registrada nessa imagem.


Homenagem ao comerciante que empresta o nome à Praça Siqueira Campos e que fez muito pelo Crato na primeira metade do século XX.

A partir das nove horas, a praça passava a ser dos boêmios. Formavam-se dois agrupamentos. O Júlio Saraiva, o fotógrafo da cidade, comandava a chamada “Câmara dos Comuns”. Lá eram resolvidos todos os problemas do Crato, do Brasil e do Mundo! Ao lado, reunia-se uma outra casta, constituída de pessoas mais intelectualizadas, denominada de “Câmara dos Lordes”. Esta, comandada pelo Dr. Antônio Gesteira, médico renomado, grande cirurgião e pessoa extremamente caridosa. Tanto que sua fama perdura, mesmo após sua morte. O seu túmulo é visitado e existe a crença de continuar operando, agora, milagres. No entorno desses dois grupos, reuniam-se algumas pessoas que não tinham coragem de participar das conversas desses figurões, mas gostavam de ouvir os papos.




Fotos da Praça Siqueira Campos no final da década de 30 e começo da de 40, vista por dois ângulos diferentes.
Como “satélites” da praça, destaco: O Cine Cassino, um dos primeiros cinemas da cidade. Para mim foi o primeiro. Lá se realizavam, antes da Rádio Araripe, shows artísticos, principalmente do sanfoneiro, quase cratense, o Rei do Baião, Luiz Gonzaga.



Cine Cassino e o Café Crato, em foto atual, ambos pioneiros em suas atividades. Nos altos do Cine Cassino funcionou, inicialmente, o Crato Tênis Clube.

Vizinho ao Cassino passou a funcionar, em 1955, o Café Crato, primeiro café expresso da cidade e, provavelmente, do interior do Nordeste. O Sr. Orestes Costa, proprietário, homem dinâmico, deixou a marca da sua eficiência, organização e pioneirismo, possibilitando encontros e conversas, onde muitos fatos curiosos aconteceram.No lado oposto ao do Cassino, funcionou o estúdio da Amplificadora Cratense, que foi o embrião da Rádio Araripe. Esta, a pioneira no interior do Estado e uma das primeiras de todo o interior nordestino. Na Amplificadora, quando ainda funcionava em prédio em frente à Praça Francisco Sá, começaram os programas de calouros, que tanto animaram a vida artística da pacata cidade de então.

Amplificadora Cratense e seus componentes. Ao centro, sem paletó, o Sr. Ernani Silva, um dos proprietários.

A Sorveteria Glória, no térreo do Grande Hotel, constituía-se um prolongamento da própria Praça. O Luís, seu proprietário, não só participava das duas Câmaras como usava a sua Sorveteria como apoio e, como já me referi anteriormente, dava-lhe suporte na iluminação. Era um ponto vital, na Siqueira Campos Um outro “satélite” importante, embora não estivesse na vizinhança imediata da Praça, mas que fazia parte constante nas conversas dos freqüentadores, era o Cabaré da Glorinha, o mais famoso da cidade. O “expediente” desses boêmios, não todos, terminava lá. Chamavam-no de “Reino da Glória”. Era uma verdadeira atração turística! Quando chegava uma menina nova, a notícia se espalhava pela cidade. Passava a ser comentário obrigatório nas duas “Câmaras”. Estava terminando a década de trinta e o Luís Gonzaga, ainda menino, começava a observar os aspectos originais daquela cidade, que adotou como sua.

Do livro que ainda não foi lançado "Só no Crato" - De Ivens Mourão - Direitos de Publicação Reservados ao Blog do Crato pelo Autor.

Gentileza gera Gentileza - Por :Alessandra Bandeira


NE: Dedico à Gilberto ex-funcionario do BEC de Mombaça, Dona Ângela a quem tive o prazer de conhecer numa loja de tecidos aqui no Crato, aos aniversariantes do mês de abril: Ninha e Mônica Araripe e ao Dihelson meu irmão de todas as horas.

José Datrino, chamado Profeta Gentileza, (Cafelândia, São Paulo, 11 de abril de 1917 — Mirandópolis, São Paulo, 28 de maio de 1996) tornou-se conhecido a partir de 1980 por fazer inscrições peculiares sob um viaduto no Rio de Janeiro, onde andava com uma túnica branca e longa barba.
No dia 17 de dezembro de 1961, na cidade de Niterói, houve um grande incêndio no circo "Gran Circus Norte-Americano", o que foi considerado uma das maiores Fatalidades em Todo Mundo Circense . Neste incêndio morreram mais de 500 pessoas, a maioria, crianças. Na antevéspera do Natal, seis dias após o acontecimento, José acordou alegando ter ouvido "vozes astrais", segundo suas próprias palavras, que o mandavam abandonar o mundo material e se dedicar apenas ao mundo espiritual. O Profeta pegou um de seus caminhões e foi para o local do incêndio. Plantou jardim e horta sobre as cinzas do circo em Niterói, local que um dia foi palco de tantas alegrias, mas também de muita tristeza. Aquela foi sua morada por quatro anos. Lá, José Datrino incutiu nas pessoas o real sentido das palavras Agradecido e Gentileza. Foi um consolador voluntário, que confortou os familiares das vítimas da tragédia com suas palavras de bondade. Daquele dia em diante, passou a se chamar "José Agradecido", ou simplesmente "Profeta Gentileza".

Após deixar o local que foi denominado "Paraíso Gentileza", o profeta Gentileza começou a sua jornada como personagem andarilho. A partir de 1970 percorreu toda a cidade. Era visto em ruas, praças, nas barcas da travessia entre as cidades do Rio de Janeiro e Niterói, em trens e ônibus, fazendo sua pregação e levando palavras de amor, bondade e respeito pelo próximo e pela natureza a todos que cruzassem seu caminho. Aos que o chamavam de louco, ele respondia: - "Sou maluco para te amar e louco para te salvar". A partir de 1980, escolheu 56 pilastras do Viaduto do Caju, que vai do Cemitério do Caju até a Rodoviária Novo Rio, numa extensão de aproximadamente 1,5 km. Ele encheu as pilastras do viaduto com inscrições em verde-amarelo propondo sua crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar da civilização. Durante a Eco-92, o Profeta Gentileza colocava-se estrategicamente no lugar por onde passavam os representantes dos povos e incitava-os a viverem a gentileza e a aplicarem gentileza em toda a Terra.

Em 28 de maio de 1996, aos 79 anos, faleceu na cidade de seus familiares, onde se encontra enterrado, no "Cemitério da paz". Com o decorrer dos anos, os murais foram danificados por pichadores, sofreram vandalismo, e mais tarde cobertos com tinta de cor cinza. A eliminação das inscrições foi criticado e posteriormente com ajuda da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, foi organizado o projeto Rio com Gentileza, com o objetivo restaurar os murais das pilastras. Começaram a ser recuperadas em janeiro de 1999. Em maio de 2000, a restauração das inscrições foi concluída e o patrimônio urbano carioca foi preservado.

No final do ano 2000 foi publicado pela EdUFF (Editora da Universidade Federal Fluminense) o livro Brasil: Tempo de Gentileza, de autoria do professor Leonardo Guelman. A obra introduz o leitor no "universo" do profeta Gentileza através de sua trajetória, da estilização de seus objetos, de sua caligrafia singular e de todos os 56 painéis criados por ele, além de trazer fatos relacionados ao projeto Rio com Gentileza e descrever as etapas do processo de restauração dos escritos. O livro é ricamente ilustrado com inúmeras fotografias, principalmente do profeta e de seus penduricalhos e painéis. Além de fotos do próprio profeta Gentileza trabalhando junto a algumas pilastras, existem imagens dos escritos antes, durante e após o processo de restauração.
Em 2001, foi homenageado pela Escola de Samba GRES Acadêmicos do Grande Rio. Em Conselheiro Lafaiete, cidade do interior de Minas Gerais, há um amplo trabalho feito pela ONG AMAR que dá continuidade ao trabalho do Profeta Gentileza. Foram desenvolvidas oficinas com jovens da cidade, onde foi possível repassar as técnicas de mosaico. Além disso, um grande muro no bairro São João recebeu uma linda aplicação de mosaico. E a praça São Pedro, no bairro Albinopólis, foi toda decorada seguindo o exemplo do Profeta Gentileza.

Como todo profeta, Gentileza denuncia e anuncia. Denuncia este mundo, regido "pelo capeta capital que vende tudo e destrói tudo". Vê no circo destruído uma metáfora do circomundo que também será destruído. Mas anuncia a "gentileza que é o remédio para todos os males". Deus é "Gentileza porque é Beleza, Perfeição, Bondade, Riqueza, a Natureza, nosso Pai Criador". Um refrão sempre volta, especialmente nas 56 pilastras com inscrições na entrada da rodoviária Novo Rio no Caju: "Gentileza gera gentileza, amor". Convida a todos a serem gentis e agradecidos. Na verdade, anuncia um antídoto à brutalidade de nosso sistema de relações. É precursor, sob a linguagem popular e religiosa, de um novo paradigma civilizatório urgente em toda a humanidade. Houve um homem enviado ao Rio por Deus. Seu nome era José da Trino, chamado de Profeta Gentileza (1917-1996). Por mais de vinte anos circulava pela cidade com sua bata branca cheia de apliques e com seu estandarte, pregava nas praças e colocava-se nas barcas entre Rio e Niterói anunciando sem cansar: "Gentileza gera Gentileza". Só com Gentileza, dizia, superamos a violência que se deriva do "capeta-capital". Inscreveu seus ensinamentos ligados à gentileza em 56 pilastras do viaduto do Caju, à entrada da cidade, recuperados sob a orientação do Prof. Leonardo Guelman que lhe dedicou um rigoroso trabalho acadêmico, acompanhado de vídeo e um belíssimo um CD-ROM com o título Universo Gentileza: a gênese de um mito contemporâneo. A crítica da modernidade não é monopólio dos mestres do pensamento acadêmico como Freud com seu "O mal estar da civilização" ou a Escola de Frankfurt de Horkheimer e seu "O eclipse da razão", ou Habermas com o "Conhecimento e interesse" ou mesmo toda a produção filosófica de Heidegger tardio. O Profeta Gentileza, representante do pensamento popular e cordial, chegou à mesma conclusão que aqueles mestres. Mas foi mais certeiro que eles ao propor a alternativa: a Gentileza como irradiação do cuidado e da ternura essencial.

Como o Gentileza, existem milhares que todos os dias passam por nós despercebidos, mas que fazem nossa vida melhor, seja um gari , seja a atendente de um supermercado, seja um funcionário publico, seja aqui mesmo no Blog do Crato.
Gentileza marcou minha infância, lembro-me de vê-lo ali defronte a rodoviaria Novo Rio, com seu estandarte e sua tunica, e suas palavras que saudavam todos que chegavam ao Rio de Janeiro pela rodoviaria, palavras tão simples , mas que quando posto em pratica faz uma grande diferença.
Que tal a partir de hoje exercitar essa frase tão simples: GENTILIZA GERA GENTILEZA?
Fica a dica!!

Fonte Wikipédia
Por Alessandra Bandeira

Os 20 municípios com maiores índices sociais e econômicos do Ceará


Rankng IDM - Fonte: Diário do Nordeste

Reportagem: Jornal Diário do Nordeste - Hoje, 14 de Abril de 2010. ÍNDICES SOCIAIS E ECONÔMICOS - Só 20 municípios têm condições satisfatórias. Apesar dos avanços, 164 cidades do CE ainda possuem indicadores econômicos e sociais considerados baixos.

Dos 184 municípios do Ceará, apenas 20, ou cerca de 11%, apresentam condições satisfatórias de infraestrutura, com sua economia pujante e índices sociais relativamente favoráveis, com dez deles pertencentes à Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A grande maioria - 164 cidades, detém indicadores econômicos e sociais classificados como baixo. E o mais grave: localidades onde vive metade da população estadual. Os dados, apresentados na versão preliminar do Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) de 2008, elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), mostram que o Ceará ainda é um Estado com forte concentração econômica em poucas localidades. Contudo, o estudo revela uma leve, mas positiva mudança nos dois anos anteriores: mais cidades estão apresentando patamar de desenvolvimento mais razoável.

Classificando os municípios cearenses em quatro classes de desenvolvimento socioeconômico, apenas um deles consegue ficar no primeiro grupo, e outros 19 no segundo. Assim como a versão de 2006, apenas Fortaleza, com 29% da população cearense, encontra-se na primeira classe, atingindo um índice médio de 84,41, bem acima da média estadual, que ficou em 29,14. Por outro lado, um maior número de municípios subiram à segunda classe de desenvolvimento. Enquanto que, em 2006, apenas quatro deles se incluíam neste grupo, em 2008, já eram 19, representando outros 20,4% da população do Estado. O índice médio neste grupo ficou em 48,13, com municípios variando de 40,75 a 64,86. Outro dado relevante é que, no último grupo, onde ficam os municípios com menor desenvolvimento socioeconômico, ficaram, em 2008, 87 cidades, quando eram 119 em 2006. Nesta classe, há municípios com índice variando entre 8,97 e 26,78, com média de 21,64.

Leia mais no DN

Não se prendam à Página Principal. Leiam também a página 2, 3, 4...


O que se posta pela manhã, à noite já tem sumido lá embaixo...

Com essa limitação do Google de restringir a quantidade de informação na página principal de todos os Blogs, tá muito ruim desenvolver isso aqui. Uma postagem que foi feita ONTEM, já passou para a segunda página, já dobrou o Cabo da Boa Esperança lá embaixo. Então, eu quero pedir aos nossos leitores encarecidamente, que nao se detenham apenas na página principal. Que lá embaixo, ao fim da página, cliquem no botão de CONTINUAR, e ver as outras postagens do dia Anterior também. Nossos escritores trabalham muito, perdem inúmeras horas para trazerem bons textos para vocês e é injusto que nao possamos aqui dar o destaque merecido.

Visitem a página 2, 3, 4...etc. Temos 12.000 arigos bons, úteis para vocês lêem.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Quem foi Bezerra de Menezes ? Hoje na História


HOJE NA HISTÓRIA


Descendente de antiga família de fazendeiros de criação, ligada à política e ao militarismo na Província do Ceará, era filho de Antônio Bezerra de Menezes (tenente-coronel da Guarda Nacional) e de Fabiana de Jesus Maria Bezerra. Em 1838, aos sete anos de idade, ingressou na escola pública da Vila Frade (adjacente ao Riacho do Sangue), onde, em dez meses, aprendeu os princípios da educação elementar. Em 1842, como consequência de perseguições políticas e dificuldades financeiras, a sua família mudou-se para a antiga vila de Maioridade (serra do Martins), no Rio Grande do Norte, onde o jovem, então com onze anos de idade, foi matriculado na aula pública de Latim. Em dois anos já substituía o professor em classe, em seus impedimentos. Em 1846, a família retornou à Província do Ceará, fixando residência na capital, Fortaleza. O jovem foi matriculado no Liceu do Ceará, onde concluiu os estudos preparatórios.

A carreira na Medicina

Em 1851, ano de falecimento de seu pai, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde, naquele mesmo ano, iniciou os estudos de Medicina na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. No ano seguinte (1852), ingressou como praticante interno ("residente") no hospital da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Para prover os seus estudos, dava aulas particulares de filosofia e matemática. Obteve o doutoramento (graduação) em 1856, com a defesa da tese: "Diagnóstico do cancro". Por essa altura, abandonou o último patronímico e modificou o "s" de Meneses para "z", passando a assinar-se simplesmente como Adolfo Bezerra de Menezes. Nesse ano, o Governo Imperial decretou a reforma do Corpo de Saúde do Exército Brasileiro, e nomeou para chefiá-lo, como Cirurgião-mor, o Dr. Manuel Feliciano Pereira Carvalho, antigo professor de Bezerra de Menezes, que convidou Bezerra para trabalhar como seu assistente. A 27 de Abril de 1857 candidatou-se ao quadro de membros titulares da Academia Imperial de Medicina com a memória "Algumas considerações sobre o cancro, encarado pelo lado do seu tratamento". O académico José Pereira Rego leu o parecer na sessão de 11 de maio, tendo a eleição transcorrido na de 18 de Maio e a posse na de 1 de junho do mesmo ano.

Em 1858 candidatou-se a uma vaga de lente substituto da Secção de Cirurgia da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Nesse ano saiu a sua nomeação oficial como assistente do Corpo de Saúde do Exército, no posto de Cirurgião-tenente e, a 6 de Novembro, desposou Maria Cândida de Lacerda, que viria a falecer de mal súbito em 24 de Março de 1863, deixando-lhe dois filhos, um de três e outro de um ano de idade. No período de 1859 a 1861 exerceu a função de redactor dos Anais Brasilienses de Medicina, periódico da Academia Imperial de Medicina. Em 1865 desposou, em segundas núpcias, Cândida Augusta de Lacerda Machado, irmã por parte de mãe de sua primeira esposa, e que cuidava de seus filhos até então, com quem teve mais sete filhos.

Trajetória política

Nesse período a Câmara Municipal do Município Neutro tinha como presidente Roberto Jorge Haddock Lobo, do Partido Conservador. Ao mesmo tempo, Bezerra de Menezes já se notabilizara pela actuação profissional e pelo trabalho voltado à população carente. Desse modo, em 1860, em uma reunião política, alguns amigos levantaram a candidatura de Bezerra de Menezes, pelo Partido Liberal, como representante da paróquia de São Cristóvão, onde então residia, à Câmara. Ciente da indicação, Bezerra recusou-a inicialmente, mas, por insistência, acabou se comprometendo apenas em não fazer uma declaração pública de recusa dos votos que lhe fossem outorgados. Abertas as urnas e apurados os votos, Bezerra fora eleito. Os seus adversários, liderados por Haddock Lobo, impugnaram a posse sob o argumento de que militares de Segunda Classe não podiam exercer o cargo de Vereador. Desse modo, para apoiar o Partido, que necessitava dele para obter a maioria na Câmara, decidiu requerer exoneração do Corpo de Saúde (26 de Março de 1861). Desfeito o impedimento, foi empossado no mesmo ano.

Foi reeleito vereador da Câmara Municipal do Município Neutro para o período de 1864 a 1868.

Foi eleito deputado Provincial pelo Rio de Janeiro em 1866, apesar da oposição do então primeiro-ministro Zacarias de Góis e dos chefes liberais - senador Bernardo de Sousa Franco (visconde de Sousa Franco) e deputado Francisco Otaviano de Almeida Rosa. Empossado em 1867, a Câmara dos Deputados foi dissolvida no ano seguinte (1868), devido à ascensão do Partido Conservador. Retornou à política como vereador no período de 1873 a 1885, ocupando várias vezes as funções de presidente interino da Câmara Municipal, efectivando-se em Julho de 1878, cargo que corresponderia actualmente ao de Prefeito. Foi eleito deputado geral pela Província do Rio de Janeiro no período de 1877 a 1885, ano em que encerrou a sua carreira política. Neste período acumulou o exercício da presidência da Câmara e do Poder Executivo Municipal. Em sua atuação como deputado, destacam-se algumas iniciativas pioneiras: buscou, através de projeto de lei, regulamentar o trabalho doméstico, visando conceder a essa categoria, inclusive, o aviso prévio de 30 dias; denunciou os perigos da poluição que já naquela época afetava a população da cidade do Rio de Janeiro, promovendo providências para combatê-la. Foi membro, a partir de 1882, das Comissões de Obras Públicas, Redação e Orçamento.

Vida empresarial


Foi sócio fundador da Companhia Estrada de Ferro Macaé e Campos (1870). Empenhou-se na construção da Estrada de Ferro Santo Antônio de Pádua, pretendendo estendê-la até ao rio Doce, projecto que não conseguiu concretizar (c. 1872). Foi um dos directores da Companhia Arquitetônica de Vila Isabel, fundada em Outubro de 1873 por João Batista Viana Drummond (depois barão de Drummond) para empreender a urbanização do bairro de Vila Isabel. Em 1875, foi presidente da Companhia Ferro-Carril de São Cristóvão, período em que os trilhos da empresa alcançavam os bairros do Caju e da Tijuca.

Militância intelectual


Durante a campanha abolicionista publicou o ensaio "A escravidão no Brasil e as medidas que convém tomar para extingui-la sem danos para a Nação" (1869), onde não só defende a liberdade aos escravos, mas também a inserção e adaptação dos mesmos na sociedade por meio da educação. Expôs os problemas de sua região natal em outro ensaio publicado, "Breves considerações sobre as secas do Norte" (1877). Alguns indicam que foi autor de biografias sobre o visconde do Uruguai e o visconde de Caravelas, personalidades ilustres do Império do Brasil. Foi redactor d'A Reforma, órgão liberal no Município Neutro, e, de 1869 a 1870, redator do jornal Sentinela da Liberdade.

Militância espírita


Conheceu a Doutrina Espírita quando do lançamento da tradução em língua portuguesa de O Livro dos Espíritos (sem data, em 1875), através de um exemplar que lhe foi oferecido com dedicatória pelo seu tradutor, Dr. Joaquim Carlos Travassos. Sobre o contacto com a obra, o próprio Bezerra registrou posteriormente: "Deu-mo na cidade e eu morava na Tijuca, a uma hora de viagem de bonde. Embarquei com o livro e, como não tinha distracção para a longa viagem, disse comigo: ora, Deus! Não hei de ir para o inferno por ler isto… Depois, é ridículo confessar-me ignorante desta filosofia, quando tenho estudado todas as escolas filosóficas. Pensando assim, abri o livro e prendi-me a ele, como acontecera com a Bíblia. Lia. Mas não encontrava nada que fosse novo para meu Espírito. Entretanto, tudo aquilo era novo para mim!… Eu já tinha lido ou ouvido tudo o que se achava no 'O Livro dos Espíritos'. Preocupei- me seriamente com este fato maravilhoso e a mim mesmo dizia: parece que eu era espírita inconsciente, ou, mesmo como se diz vulgarmente, de nascença." Com o lançamento do periódico Reformador, por Augusto Elias da Silva em 1883, passou a colaborar com a redacção de artigos doutrinários. Após estudar por alguns anos as obras de Allan Kardec, em 16 de Agosto de 1886, aos cinquenta e cinco anos de idade, perante grande público (estimado, conforme os seus biógrafos, entre mil e quinhentas e duas mil pessoas) no salão de conferências da Guarda Velha, no Rio de Janeiro, em longa alocução, justificou a sua opção em abraçar o Espiritismo. O evento chegou a ser referido em nota publicada pelo "O Paiz".

No ano seguinte, a pedido da Comissão de Propaganda do Centro da União Espírita do Brasil, inicia a publicação de uma série de artigos sobre a Doutrina em O Paiz, periódico de maior circulação da época. Com o nome de "Estudos Filosóficos - Espiritismo", os artigos saíram regularmente aos domingos, no período de 23 de Outubro de 1887 a Dezembro de 1893, assinados sob o pseudónimo "Max". Na década de 1880 o incipiente movimento espírita na capital (e no país) estava marcado pela dispersão de seus adeptos e das entidades em que se reuniam. Havia, ainda, uma clara divisão entre os espíritas ditos "místicos" (defensores de uma visão religiosa da doutrina), e os chamados "científicos" (defensores de um olhar filosófico e científico).

Em 1889, Bezerra foi percebido como o único capaz de superar as divisões, vindo a ser eleito presidente da Federação Espírita Brasileira. Nesse período, iniciou o estudo sistemático de "O Livro dos Espíritos" nas reuniões públicas das sextas-feiras, passando a redigir o Reformador; exerceu ainda a tarefa de doutrinador de espíritos obsessores. Organizou e presidiu um Congresso Espírita Nacional (Rio de Janeiro, 14 de Abril), com a presença de 34 delegações de instituições de diversos estados. Assumiu a presidência do Centro da União Espírita do Brasil a 21 de Abril e, a 22 de Dezembro de 1890, oficiou ao então presidente da República, marechal Deodoro da Fonseca, em defesa dos direitos e da liberdade dos espíritas contra certos artigos do Código Penal brasileiro de 1890.

De 1890 a 1891 foi vice-presidente da FEB na gestão de Francisco de Menezes Dias da Cruz, época em que traduziu o livro "Obras Póstumas" de Allan Kardec, publicado em 1892. Em fins de 1891, registravam-se importantes divergências internas entre os espíritas e fortes ataques ao exteriores ao movimento. Bezerra de Menezes afastou-se por algum tempo, continuando a frequentar as reuniões do Grupo Ismael e a redação dos artigos semanais em "O Paiz", que encerrou ao final de 1893. Aprofundando-se as discórdias na instituição, foi convidado em 1895 a reassumir a presidência da FEB (eleito em 3 de Agosto desse ano), função que exerceu até à data de seu falecimento. Nesta gestão iniciou o estudo semanal de "O Evangelho segundo o Espiritismo", fundou a primeira livraria espírita no país e ocorreu a vinculação da instituição ao Grupo Ismael e à Assistência aos Necessitados.

Foi em meio a grandes dificuldades financeiras que um acidente vascular cerebral o acometeu, na manhã de 11 de Abril de 1900. Não faltaram aqueles, pobres e ricos, que socorreram a família, liderados pelo Senador Quintino Bocaiúva. No dia seguinte, na primeira página de "O Paiz", foi lhe dedicado um longo necrológio, chamando-o de "eminente brasileiro". Recebeu ainda homenagem da Câmara Municipal do então Distrito Federal pela conduta e pelos serviços dignos. Ao longo da vida acumulou inúmeros títulos de cidadania.

Fonte: Wikipedia

Vamos Falar Sério.... Por Luiz Claudio Brito de Lima


Próximos a uma das maiores eleições do executivo e legislativo brasileiro - presidente, governador e deputado federal - vivemos dias, digamos no mínimo adereçados. E porque se faz tal afirmação? Fácil a resposta. É cediço que a lei 9.504de 30 de setembro de 1997, em especial no seu artigo 36 estabelece de que forma, e quando se dará a propaganda política, sem olvidar que a lei numero 4.735 de 15 de junho de 1965 (código eleitoral) , em seu artigo 289 trata dos crimes eleitorais, já o artigo 240 trata da propaganda partidária, todavia o que assistimos nada mais é que uma serie de absurdos e falta de respeito a todos nós, eleitores brasileiros.

Por mais desinformado que seja o eleitor, se se fizer uma indagação a esse acerca dos candidatos a presidente da república (isso para não falar a governador, deputado, etc) a resposta será uníssona, ou seja, já sabem quais as perolas que disputarão essa empreitada política, inclusive darão dados do provável eleito, isso sem falar que ainda não tivemos as chamadas “convenções partidárias”. E isso ocorre justamente por descumprimento a dispositivo legal, por descaso e falta de compromissos desses postulantes à cargos de extrema importância nacional.O mais grave de todo esse processo que ofende a razão e ao bom senso, dar-se na falta de fiscalização e punição exemplar à esses infratores do sistema eleitoral, pois não é crível que as autoridades incumbidas de fiscalizar, controlar e punir não estejam atentas a esses crimes eleitorais. Todavia o castigo, quando aplicado, resulta apenas na seara financeiro, quando, ao meu entendimento, deveria se-lo, por exemplo, com a proibição desse cidadão sair candidato a qualquer cargo em disputa.

O sentimento de revolta e incapacidade de fazer algo, deveria revoltar a todos nós, afinal não é possível resignar-mos com tais situações, onde uma serie de “candidatos” divulgam suas plataformas, metas, propostas de governo, usam do dinheiro publico, símbolos, estrutura governamental ( e aqui se fala em todos os níveis, federal e estadual), para divulgarem-se ou a terceiros, devemos demonstrar nosso repudio, indignação à essa forma leviana de fazer “política”.

Outro item afrontoso, bem como difícil de compreender, centra-se no fato dos meios de comunicação divulgarem antecipadamente “pesquisas eleitorais” dando informes dos prováveis eleitos, divulgando que o candidato “b” antes com tantos por cento de preferência agora tem outros tantos a mais, ou seja, incluindo um candidato, em detrimento da exclusão de outro.E o mais grave de tudo isso é que a população acaba sendo induzida, afetada, conduzida a pensar como querem alguns (ou muitos) , nos fazendo lembrar a letra da musica de Zé Ramalho quando diz “... povo marcado, povo feliz...”. deveria sim o eleitor brasileiro era refletir, analisar, atentar para as manobras intentadas para força-lo a fazer uma escolha inconsciente, aceitar um projeto que passa longe daquilo que realmente atende a realidade da imensa população brasileira.

Não se esta com esse simples texto a defender o candidato “a” ou “b”, por dois simples motivos, em primeiro pelo fato da impossibilidade de assim agir, pois estaria indo de encontro ao escopo do próprio texto – a critica a campanha antecipada, em segundo pela posição apartidaria e neutra desse subscritor.A intenção nada mais é que estimular a reflexão, o compromisso, e a responsabilidade que todos devemos ter com o futuro do Pais, não podemos quedar-se inerte frente a uma serie de afrontas a lei eleitoral, devemos sim nos aliar a ela e combater essa pratica nefasta, abusiva de alguns políticos inescrupulosos, sem respeito a nada nem ninguém, a lei não se faz sozinha, se faz com a participação de todos, não deixemos a frase célere do mestre Rui Barbosa tornar-se verdade: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agiganta-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a desanima-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto” .

Devemos sim nesse ano eleitoral agir com responsabilidade e amor ao pais, e de que forma fazer isso, é simples: 1) não acreditar nas “pesquisas eleitorais” ; 2)nos informar acerca dos candidatos (estadual e federal), seu passado, seu histórico de vida; 3)jamais exercer o direito sagrado do sufrágio a pedido de outrem ou por troca de favores; 4)visualizar o coletivo, jamais o individual; 5)deixar claro para o escolhido que o mesmo será cobrado das promessas assumidas; 6) nunca depositar confiança por ser o aspirante de “boa aparência”, pois, o inferno esta cheio desses... Enfim, é simples o processo eleitoral em um Pais, basta que exercemos de fato o nosso direito sagrado do voto,com responsabilidade, coragem e pensando sempre em todos, afinal devemos colocar em pratica aquela frase de um grande estadista que dizia : “...cada Pais tem o governo que merece...” , e nós brasileiros merecemos, com certeza, um governo sério, honesto e disposto a fazer com que essa nação seja justa e igual para todos, com uma distribuição de renda igualitária, com um acesso a educação de qualidade para todos, com uma moradia digna e humana, com uma vida feliz e cheia de perspectiva. Não nos deixemos enganar, diga não a indução do voto.

Autor : Luiz Claudio Brito de Lima.

Obs: Imagem do "site imagens google".

Almanaque - Dia 11 de Abril de 2010


Eventos históricos

672 - É eleito o Papa Adeodato II.
1241 - Batu Khan vence Béla IV da Hungria na Batalha de Mohi
1713 - Guerra da Sucessão Espanhola: assinatura do Tratado de Utrecht
1764 - O tratado entre a Rússia e a Prússia garante as constituições vigentes da Polónia e da Suécia e assegura tanto o controlo da eleição do monarca polaco como a acção conjunta contra os nacionalistas.
1775 - Última execução por bruxaria na atual Alemanha
1814 - Napoleão Bonaparte abdica em Fontainebleau em favor de seu filho
1835 - Emancipação do município de Acari - RN - Brasil
1899 - A Espanha cede Porto Rico aos Estados Unidos.
1901 - É publicada em Havana (Cuba) o primeiro número do "El Mundo"
1909 - Sebastião de Sousa Teles substitui Artur de Campos Henriques no cargo de Ministro do Reino, em Portugal
1919 - Fundação da OIT.
1945 - Segunda Guerra Mundial: O 3º Exército norte-americano liberta o campo de concentração de Buchenwald
1955 - Na Coreia, o Taekwondo ganha registro e especificação pelo General Choi Hong Hi.
1963 - Papa João XXIII publica a Encíclica "Pacem in Terris"
1964 - O candidato de consenso Humberto Castelo Branco é eleito presidente do Brasil por uma sessão conjunta do Congresso Nacional.
1979 - Deposto o ditador do Uganda, Idi Amin
1999 - Começava o seriado Sandy e Junior nas tardes de Domingo na Rede Globo
2002
Golpe de Estado contra o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que retoma o poder dois dias depois
Atentado terrorista contra a sinagoga de Ghriba na Tunísia mata 21 pessoas.
2009 - Susan Boyle se apresentou no programa de calouros britânico Britain's Got Talent sendo aplaudida de pé pelo público.

Nascimentos

1862 - Emílio Ribas, médico higienista brasileiro (m. 1925)
1888 - Arnold Ulitz, escritor romancista.
1898 - Jerônimo Mazzarotto, bispo brasileiro (m. 1999).
1917 - José Datrino, popularmente conhecido como Profeta Gentileza, pregador religioso brasileiro (m. 1996).
1926 - Pete Lovely, ex-piloto de Fórmula 1 norte-americano.
1929 - Almino Afonso, político brasileiro, ex-ministro do Trabalho no governo João Goulart.
1941 - Enzo Martins Peri, militar brasileiro, atual comandante do Exército Brasileiro.
1948 - Marcello Lippi, treinador de futebol italiano.
1950 - Dudu França, cantor e compositor brasileiro.
1966
Lisa Stansfield, cantora inglesa.
Zeca Baleiro, cantor brasileiro.
1973 - Jennifer Esposito, atriz norte-americana.
1975 - Anita Dark, atriz norte-americana.

Falecimentos

1034 - Romanus III, imperador bizantino (n. 968).
1079 - Martírio de Santo Estanislau da Polônia
1607 - Bento de Góis, Jesuíta e explorador terrestre português
1882 - Joaquim Manuel de Macedo, escritor, teatrólogo e político brasileiro (n. 1820).
1883 - Arsênio da Silva, pintor e fotógrafo brasileiro (n. 1833).
1900 - Bezerra de Menezes, médico, escritor, político e espírita brasileiro (n. 1831).
1970 - John O'Hara, realizador norte-americano (n. 1905).
1982 - Waldir Calmon, pianista brasileiro (n. 1919).
1985 - Enver Hoxha, ditador comunista da Albânia de 1944 até sua morte (n. 1908).
1990 - Helio Smidt, presidente da companhia aérea Varig (n. 1926).
2002 - Armando Cortez, actor português (n. 1928).
2005 - Lucien Laurent, ex-jogador da Seleção Francesa da Copa do Mundo de 1930, autor do primeiro gol da história das Copas e o último remanescente daquela seleção (n. 1907).
2007 - Kurt Vonnegut, escritor estadunidense (n. 1922).

Fonte Wikipédia
Colaboração de Alessandra Bandeira
Foto ilustrativa: Idi Amin Dada

Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30