xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 13/02/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

13 fevereiro 2010

Pensou em Som ? É Lógico ! - Pensou AMILTON SOM !

Amilton Som - A Maior Loja de CDs e DVDs do Cariri


IMG_7567

Presentes, CDs e DVDs é com Amilton Som.
AMILTON SOM. A maior loja de CDs e DVDs da Região do Cariri.

Não é à toa que o Blog do crato se orgulha de ter "Amilton Som" como um de nossos parceiros. Amilton Som é hoje a maior e melhor loja de CDs e DVDs do cariri, e com a maior diversidade, atendendo a todos os gostos musicais. E ainda na loja "Amilton Som", você conta com uma equipe para atendimento personalizado, a fim de tirar todas as suas dúvidas sobre os produtos. Vendas de PenDrives, Câmeras Fotográficas Digitais, Adaptadores Bluetooth, Wireless, CDs e DVDs vírgens, etc. "Amilton Som" também possui à sua disposição, o maior catálogo de Artistas Caririenses. Portanto, se você reside fora do crato, e deseja adquirir algum CD de artistas da região do cariri, entre em contato direto e faça sua compra. E você conta ainda com o "Banco Popular" para realizar todos os seus pagamentos com segurança e tranquilidade. Portanto, na hora de adquirir CDs e DVDs, consulte antes os excelentes preços de AMILTON SOM. Além do maior catálogo do Cariri, também o melhor preço. Quer publicidade melhor que a qualidade ?

O Maior acervo de CDs e DVDs do Cariri com os melhores preços!

A simpatia e atendimento de quem trabaha no ramo há mais de 35 anos...


Setor de Eletrônicos, com Pen Drives, Bluetooth, Pilhas recarregáveis, câmeras digitais...


Variedade para atender a todos os gostos!


Banco Popular, para fazer o pagamento de todas as suas contas!

Amilton Som - Sua melhor opção em CDs e DVDs
Empresa Genuinamente Cratense e Recomendada pelo Blog do Crato
Tel: (088) - 3521-3270

Eles fazem aniversário na mesma data! - Parabéns Luiz Wellington e Iana

IMG_0091

Eis um casal belíssimo: Luiz Wellington e Iana. Quase todos os conhecem aqui no Crato. Só que o quase ninguém sabe é que eles fazem aniversário na mesma data: Dia 10 de Fevereiro. Há poucos dias, o Luiz completou 49 anos de idade. Tenho a felicidade de a maioria das pessoas do Blog do Crato serem meus amigos e alguns até foram colegas de colégio e de classe.

Por exemplo, a Iana foi minha colega de classe no colégio Diocesano, assim como a Mônica Araripe, o Ernani Brígido, o Leopoldo Martins Filho, e muitas outras pessoas. Outro dia cheguei a contar mais de 15 pessoas do nosso convívio diário que foram colegas meus até de turma. Mas isso pouco vem ao caso agora. O que quero mesmo é mandar um caloroso abraço para esses 2 aí. Que Deus em sua infinita bondade, os proteja de todos os males. Vida Longa e Próspera para Luiz e Iana!

Abraços,

Dihelson Mendonça

Cotovia, o louco – Por Carlos Eduardo Esmeraldo


Ouvi esta história há muitos anos, não me lembro contada por quem, acho que quando ainda eu era criança. Provavelmente ela é uma das muitas lendas que se criou em torno do nome do extraordinário rábula cearense Quintino Cunha. Por volta da década de 1930, havia em Belém do Pará um louco conhecido por toda população pela alcunha de Cotovia. A meninada logo descobriu que ele não gostava do apelido e de manhã até a noite gritava pelo nome Cotovia por onde quer que esse louco passasse. E ele reagia atirando o que encontrasse pelas ruas: paus, pedras, restos de materiais de construções e até as mangas caídas dos mangueirais que arborizam as ruas da cidade. A insistência da meninada em gritar pelo apelido Cotovia era proporcional à reação do louco. E havia uma correspondência entre a intensidade dos gritos das crianças com mais pedradas e outros objetos atirados contra a turba de crianças e adolescentes. Até que num triste dia, uma banda de tijolo atingiu em cheio a cabeça de um menino na Praça da República. A criança teve morte instantânea e a policia prendeu o pobre Cotovia em flagrante. Naquela época, louco que cometesse um crime era julgado, condenado e preso junto com outros sentenciados, sem essa história de ir para manicômio. E o crime de Cotovia revoltou a cidade, pois a criança por ele assassinada era filha de um influente figurão. Tão logo terminado o processo, foi marcado o dia do julgamento de Cotovia. Nenhum advogado quis assumir a defesa do pobre louco. Quintino Cunha, que se encontrava em Belém a passeio, soube da notícia pelos jornais e foi se oferecer na véspera do julgamento para a defesa do louco Cotovia. Na hora em que foi pronunciar a defesa, Quintino Cunha limitou-se a saudar o juiz: “Excelentíssimo, digníssimo, honradíssimo e meritíssimo juiz de direito dessa comarca; senhores jurados.” E repetiu com muita insistência essa saudação: “Excelentíssimo, digníssimo, honradíssimo e meritíssimo juiz de direito dessa comarca; senhores jurados.” Quando já declinava a terceira ou quarta repetição da saudação, o juiz perdeu a paciência e bateu violentamente a campainha, dando murros na sua mesa e gritando para o representante da defesa: “Chega, deixe dessa brincadeira estúpida!” A essa reação do juiz, Quintino Cunha virou-se para os jurados e disse: “Senhores jurados, observem que um juiz, homem digno e culto, cujo alto equilíbrio emocional não é posto em dúvida por nenhum dos que aqui se encontram, teve essa reação descontrolada ao ser elogiado com insistência. E notem que foram somente elogios! Agora imaginem os senhores, esse pobre homem, louco, sem família, sem ter sequer um lugar onde recostar a cabeça, sem ninguém ao seu lado, ser perseguido de manhã à noite por um grupo de moleques, que parecem seres sem pai e mãe, a gritar nos seus ouvidos o horrível apelido de Cotovia, todos os santos dias, durante anos a fio? Pensem nisso, senhores jurados”. Conta-se que ao final daquele julgamento, o Cotovia foi absolvido por sete votos a zero.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

A Troça – Por: Dr. José Flávio Vieira

“E qual é a natureza do Deserto ?
é uma terra onde todos vivem uma vida
falsa, fazem a mesma coisa que os outros
fazem, do modo como lhes foi ensinado,
sem que ninguém tenha coragem de viver sua
própria vida.”
Joseph Campbell

Para Campbell (1904-1987), um dos mais profundos estudiosos da Mitologia, existem duas forças inconscientes na raça humana impulsionadoras das histórias mitológicas. A primeira delas é a nossa Finitude . Somos espécie extremamente perecível e de vida curtíssima se comparada , por exemplo, aos reinos mineral ou vegetal ou mesmo a outras espécies menos desenvolvidas como as tartarugas. Este terror da estrada tão curta e com tantos abismos nos assalta a cada passo. A outra delas é a constatação da nossa selvageria intrínseca : para sobrevivermos temos que devorar outras espécies diariamente , vegetais ou animais. Este destino canibalesco nos persegue sem trégua. Parece-nos aterrador , com tanto desenvolvimento humano, com tanto avanço tecnológico, não conseguirmos escapar das mais primárias leis da floresta. Para escapar no planeta , mesmo dentro dos limites apertados da nossa finitude, temos que utilizar meios não diferentes do lobo e do chacal. A maior parte dos mitos, assim, surgem de forças inconscientes que buscam , como um mecanismo de defesa, minorar um pouco esta constatação aterradora: por mais importantes e civilizados que os homens se sintam, não passam de canibais de vida brevíssima.

Assim, os rituais de morte em toda nossa trajetória aqui pela terra são carregados de significado. Quase todos pregam uma possibilidade de transcendência. A vida não é só esta curta passagem terrestre, mas continuaria infinitamente em outras dimensões. As cerimônias religiosas variam histórica e geograficamente, mas todas carregam consigo este potencial mágico de prolongar a existência humana. Algumas em espírito como na Umbanda, no Kardecismo e no Budismo; outras como entre os Cristãos, os islâmicos e os egípcios : em corpo e alma. O anverso e reverso desta mesma moeda estão, como era de se esperar, ligados umbilicalmente e a outra dimensão mágica desta vida é necessariamente um reflexo da dimensão real. Do outro lado colheremos o que plantamos por aqui ou teremos que continuar semeando por lá até que nasçam frutos opimos e saborosos.

Entre nós os rituais fúnebres são bem mais leves entre os Kardecistas, os Budistas e no Camdomblé . Entre os Cristãos percebe-se que , mesmo com a promessa inconteste de ressurreição plena futura , existe uma difícil digestão da partida final. Talvez porque o sentimento de culpa que nos é imposto desde a infância seja aterrorizante. Nascemos já com uma dívida de uma maçã digerida ainda no Gênesis e com a pena eterna da crucificação de Cristo; além dos espectros do inferno e purgatório a nos perseguir. O pavor do julgamento final, por mais misericórdia que se pregue na imagem do Criador, é sempre vultoso. As religiões que acreditam na Reencarnação , por outro lado, apresentam a cômoda possibilidade de se pagar a dívida eterna em módicas prestações reencarnatórias. Diferentemente, em Nova Orleans , o berço do jazz, os funerais começam geralmente acompanhados de bandas afinadíssimas tocando blues , mas a partir de um certo momento, atacam com músicas animadas e carnavalescas e as pessoas dançam e pulam, inclusive o fazem com o próprio caixão, incluindo o falecido no baile. É como se simulassem o ritual de morte-renascimento. Choramos pela morte, mas comemoramos o renascimento neste mesmo instante.

Talvez, por tudo isto, o Carnaval, entre nós , seja uma festa tão gigantesca e de tanto significado mitológico. Claro que estou me referindo a um Carnaval como de Olinda e Recife. O de Salvador é uma indústria de entretenimento, perdeu toda característica de uma festa popular. A maisena foi substituída pela Caixa Registradora. O período momino nos dá uma espécie de salvo-conduto religioso. É como se tapássemos os olhos de todos os vigilantes da moralidade por cinco dias. Quebram-se as fronteiras sociais e todas as castas se misturam sem nenhum apartheid. Os códigos de conduta, os rigores do moralismo se esfacelam. Chutamos o traseiro de Apolo e caímos nos braços de Dionísio. Cada um veste seu figurino e , naqueles cinco dias, representa um personagem no grande palco da vida. O empresário se veste de urso, a mocinha de melindrosa, o rapaz de prostituta, o menino de super-herói. Tudo que acontece é perfeitamente transitório e temporário: as relações, as brincadeiras , as danças, os movimentos, os afetos. Simplesmente porque são realizados pelos personagens de que cada um está travestido. Na quarta-feira, despem-se as roupas da Cinderela e os personagens saem de cena, já não é possível encontrar a dona do sapatinho de cristal. Todos os blocos têm uma relação muito suave com a perspectiva da morte. A cada ano vão faltando foliões inveterados. Homenagens são feitas, a saudade claro, existe, mas em nenhum momento se quebra a alegria da festa. Os frevos e os bonecos gigantes eternizam o nome deles : Felinto, Pedro Salgado, Guilherme Fenelon, Raul Morais, Capiba, Nélson Ferreira, Edgar Morais, Batata, Enéas do Galo da Madrugada. Além dos antigos blocos que foram desaparecendo : Bloco das Flores, Andaluz, Pirilampos,Turunas de São José, Apóis Fum. A sensação que todos têm é que , agora, com suas ausências naturais, os que ficam têm que manter a tudo custo alegria e a ludicidade da festa. Existia em Olinda um senhor humilde chamado Mário Raposo e que todo carnaval se vestia de fraque e cartola e incorporava um personagem conhecido por todos : “O Lord”. Há dois anos seu Mário partiu e, defronte da sua casa, na Rua do Amparo, há um pôster extremamente significativo, colocado desde então em todo Carnaval . Um retrato grande do Lord e abaixo : “ Mário Raposo – Saudades Sim, Tristeza Nunca !”.Talvez as Cinzas da Quarta-Feira já tenham sido colocadas estrategicamente depois da folia para jogar água morna no povo, trazendo-os de volta à culpabilidade da vida cotidiana.
O Carnaval traz consigo, assim, este grande potencial mitológico e terapêutico. A existência , quem sabe, é uma espécie de troça chamada de “A Vida é Maravilhosa”. Os foliões terão sempre uns poucos dias para brincar; todos se disfarçarão de muitos personagens neste desfile; muitos irão saindo , pouco a pouco , do corso e os que ficam precisam manter a alegria da festa e, mais, se divertir pelos que ficam e pelos que já não estão presentes. É preciso manter erguido o estandarte da troça: a saudade não poderá nunca se transformar em tristeza. E, como nunca se sabe quando a festa acaba, é mergulhar no passo, antes que no horizonte irrompa a quarta-feira ingrata com suas cinzas de chumbo.

J. Flávio Vieira

EDUCAÇÃO PARA A POBREZA – Rolf Kuntz , jornalista

Educação de pobre tem de ser mesmo uma porcaria? Ninguém diz isso em voz alta. Provavelmente ninguém aceita essa idéia, de forma consciente, mesmo numa conversa com seus botões. Qualquer um ficaria corado se ouvisse a própria voz pronunciando essas palavras. Mas essa é, na prática, a orientação dominante na política educacional brasileira. Há uma espécie de fatalismo nessa política. Esse fatalismo é desastroso e tende a perpetuar a desigualdade e a pobreza. A educação poderia ser o instrumento de ruptura do círculo vicioso, mas acaba contribuindo para perpetuá-lo. Quando os jornais publicam, como ontem, grandes coberturas sobre exames de avaliação de cursos – o Enem é só um exemplo -, os comentários dos especialistas são tão previsíveis quanto desanimadores. Segundo o padrão “realista”, não tem sentido a comparação de resultados de escolas públicas e privadas. O desempenho dos alunos da escola pública, segundo os especialistas, não reflete apenas a qualidade do ensino formal. Antes de mais nada, reflete o ambiente socioeconômico do aluno: pouca educação na família, pobreza material e cultural, pouca leitura, falta de orientação para o desenvolvimento pessoal. Além disso, os professores do ensino oficial são mal pagos, muitos são mal preparados e não têm estímulo para se aperfeiçoar. O sistema escolar é pobre, as instalações são precárias, os controles e as avaliações são falhos. Os alunos passam poucas horas na classe e suas possibilidades de aprendizado são escassas. Muitos mal sabem ler quando terminam a quarta série. E quem pode ficar surpreso, se os alunos diplomados no ensino médio têm dificuldades enormes para entrar numa faculdade?

Mas esse é apenas um meio realismo. A descrição das misérias do ensino público pode ser verdadeira, de modo geral, mas isso é só a constatação de um problema. Entre a constatação e a aceitação há um abismo. A comparação de resultados tem sentido, sim, e é indispensável. Se se comparam níveis de renda e condições de sucesso profissional de pessoas de classes diferentes, por que não comparar também seu desempenho escolar e suas notas em testes como o Enem, o Enade e a Prova Brasil? Realismo não é rejeitar a comparação, e sim levar em conta a diferença entre as oportunidades educacionais. Não se elimina essa diferença apenas com a universalização do acesso à escola. Esse é um passo essencial, mas insuficiente. Enquanto se amplia a cobertura escolar, como nas últimas décadas, amplia-se também a distância entre o níveis de educação oferecidos a crianças e jovens de diferentes origens sociais. O abismo é cada vez maior. Uma criança de 7 anos criada num ambiente favorável e matriculada numa boa escola pode estar mais preparada para o treinamento científico do que um estudante de oitava série formado em cursos de baixa qualidade. Este é um fato observável no dia a dia.

É uma tolice falar sobre igualdade de oportunidades quando se menospreza esse dado. As chamadas políticas afirmativas nunca serão mais do que remendos de valor muito duvidoso. Podem produzir algum efeito, mas nunca bastarão para compensar a diferença efetiva entre a boa e a má educação, entre a boa e a má preparação para a vida profissional e até para o exercício da cidadania. A escola estadual paulista com melhor desempenho no Enem de 2008 funciona fora dos padrões dominantes: tem o mesmo diretor há 20 anos, os alunos têm de fazer lições, há aulas de reforço, os pais são cobrados e a reprovação não é limitada aos estudantes da 4ª e da 8ª séries. Na vida real não há progressão continuada e a política de cotas, quando imposta ao mercado de trabalho, tem efeitos limitados. As tentativas de amaciar a realidade funcionam até certo ponto. Os bens e serviços necessários à sociedade só podem ser produzidos com a aplicação de competências específicas. Progressão continuada e cotas não substituem essas competências quando se trata de plantar feijão, construir automóveis, pilotar aviões ou remover apêndices. A chamada justiça social começa com a distribuição equitativa da educação. Se uma criança vem de um ambiente socioeconômico desfavorável, a escola deve compensar essa deficiência. Por isso, a educação pública tem de ser muito boa e muito rigorosa, e não relaxada e leniente, como no Brasil. Políticas educacionais frouxas não nivelam oportunidades. Ao contrário: reproduzem as desigualdades e empurram os problemas para a frente, como se as cotas e outras soluções fáceis pudessem mudar a realidade.

Por: Rolf Kuntz , jornalista
Através de Fábio Oliveira

Show: Humberto Pinho - Centro Cultural Banco do Nordeste

humberto pinho

Ética na política e na vida - Por: josé Arimatéa dos Santos

Até que enfim político graúdo é preso acusado de corrupção. Para o povo que já andava meio sem esperança de algum dia ver um governador ser preso, eis que na véspera do carnaval, o governador do Distrito Federal é trancafiado. Quem sabe meus caros e minhas caras amigas seja o início de um novo tempo. Tempo de honestidade, ética na política e na vida nacional. Nada de "jeitinho brasileiro" que só mancha o nome dos brasileiros no mundo a fora. Ética na política e na vida de todos os cidadãos. Que assim seja!

O cidadão já está cansado de tanta roubalheira e safadeza de boa parte dos nossos políticos. Escândalos que vão se sucedendo e não se vê punição exemplar. Todos nós desde a tenra idade ouvimos falar em corrupção. A imprensa não fala que o político roubou, usam outros nomes. Quando é um pobre os programas policialescos do rádio e tv exploram a exaustão, humilham e denigrem a imagem da pessoa. Muitas das vezes são só acusados, não se provou que esse realmente cometeu o delito. Já quanto aos figurões da política é diferente. Os ladrões do erário público não são expostos mais violentamente. Só quando é um caso tão explícito como esse de Brasília. Os outros casos de corrupção foram denunciados pela imprensa e causaram repulsa da população, mas o do Distrito Federal causou repulsa em todos nós pela forma desavergonhada das negociatas e sem vergonhice explícita.

A corrupção é um mal que se deve combater e exigir da justiça mais rapidez na apuração e a devida punição. Reaver de volta todo o dinheiro público desviado, além de pagar pena trancafiado. Nepotismo também não deixa de ser uma variante da corrupção. Será que os parentes do governante de plantão são mais inteligentes e capazes que os outros cidadãos da cidade, estado ou união? Essa é a questão ética com o cuidado devido com o dinheiro do contribuinte. Nós enquanto brasileiros que pagamos nossos impostos e encargos direitinho temos que nos policiar e não embarcar em vários momento do dia-a-dia que se caracterizam falta de ética. Quem nunca viu alguém furar a fila do banco ou outro que pede para o amigo pagar alguma conta por está bem a frente na fila? São casos muitos comuns que na hora a maioria não chia. A ética passa por todos esses casos e vai mais além quando não se vende o voto na época de eleição. Infelizmente fruto de favores muito político deixa o o eleitor "obrigado" a sufragar o nome dele. Muitas das vezes o cidadão poderia resolver no órgão competente, mas recorre ao político de plantão. No dia da eleição vende seu voto dessa maneira. Olha, acredito que a maioria dos eleitos hoje se encontra na situação de eleito devido a compra de votos, seja da maneira que for.
Toda eleição é o momento de mudar esse quadro. Muita gente não vota em quem hoje tem mandato. Mas podemos analisar os nomes expostos e verificar se realmente fizeram alguma coisa de importante. O que vão defender. Se vão ser a favor do trabalhador ou do empresário. Se acima de tudo são honestos. Acredito que a maioria da população é honesta e capaz. Ética na política e também em todos os setores da vida nacional. Viva o Brasil

José de Arimatéa dos Santos

UMA CORRIDA MALUCA - Por: João Mendes

Este ano, dois campeonatos prometem muito emoção: a Formula 1 e a Eleição. Ambos vão começar em março e terminar em novembro, com a aclamação de um vencedor. Na verdade, eleição no Brasil lembra muito corrida de carros. É patrocinada por empreiteiras; têm partidos pequenos que só servem para ajudar os grandes na reta final; e tem político pé-de-chinelo concorrendo. Como os pilotos, os políticos também se arriscam, pelas curvas sinuosas do poder. Alguns candidatos já derraparam na Curva do Mensalão, rodaram na Subida do Dossiê e se atrapalharam na parada da Cueca. Muitos entraram no Mergulho do Zé Dirceu, aceleraram na Descida do Waldomiro e foram parar no Túnel do Valerioduto. Outros perderam força no S das Sanguessugas, cochilaram no Setor Aéreo, se enrolaram na Chicane dos Cartões Corporativos, subiram na Zebra dos Bingos, atravessaram o Canteiro do MST e foram parar na Reta das CPIs. Entre corrida de carros e eleição só existe uma diferença: é que na corrida o vencedor é sempre o melhor. A próxima eleição vai ser uma corrida maluca, pois as luzes vermelhas nem ao menos se ascenderam e já tem candidato queimando a largada.



Francisco Ribeiro Mendes

Brasília-DF

Obras inacabadas - Por: Arimatéia Macêdo


Tenho viajado por este Brasil, especialmente pelo Norte e Nordeste, onde tenho encontrado inúmeros problemas de ordem estrutural. Porém um dos que mais se destaca, e salta aos olhos dos que têm a verdadeira luz, são as obras inacabadas ou acabadas precariamente. Não terminadas por vários motivos. Ou o recurso acabou antes do término da obra, ou houve demora na liberação desse dinheiro, ou houve desvio de parte deste recurso, etc. Além de super ou subfaturamento. Resume-se tudo isso em pura e simples malversação do dinheiro público.

Este tipo de atitude torna a obra inoperante, muitas vezes, por não está acabada, ou por ter sido concluída fora dos padrões e normas técnicas pré-estabelecidos. O que a inviabiliza. Uma boa parte destas ocorrências acontece quando da passagem de bastão governamental. Os novos prefeitos, novos governadores e presidente recebem n esqueletos de edificações as quais estão atreladas, ou serão juntadas posteriormente a processos judiciais para apuração dos fatos que resultaram naquela situação. Ou às vezes por simples perseguição político-eleitoreira.

Ao se deparar com este tipo de problema o novo gestor encontra-se numa grande enrascada. Não pode fazer vista grossa. Precisa repara aquele dano ao patrimônio. E assim fazendo carece de demandar judicialmente. Daqui surgem diversos problemas de ordem administrativa. Os demais recursos vindos dos governos superiores para vários setores da administração, no caso das prefeituras, a partir da não prestação de contas da obra não terminada, poderão e serão geralmente bloqueados paralisando a nova administração.

Outrossim, essas pendências causadas pelo desandar da obra ou dos recursos poderão perdurar por anos a fio. Com isso muito dinheiro ficará parado e sem desempenhar seu fim em uma construção que tenha, por exemplo, 60 ou 70 por cento concluídos. E o pior disso tudo é a comunidade ficar sem o benefício. E ainda ter que esperar longos anos enquanto durar a demanda até uma decisão jurídica dizer quem é o culpado de ter embolsado o dinheiro da obra. Quando já se conhece desde seu início. Precisa-se repensar uma maneira administrativo-jurídica para que essa situação tenha uma célere resposta, fazendo com que o recurso ali empregado venha a desempenha sua função social, e o contribuinte não fique anos a fio penalizado por um ato que cometeu.

Arimatéia Macêdo – www.arimateia.com – Fevereiro de 2009

O.BS - Eu nunca sei escrever o nome deste autor. O nome dele é Arimatéia. Em alguns lugares ele assina Arimatéa. Já no próprio endereço de internet é Arimatéia.

Ciro reafirma no Recife que é candidato a presidente - Postado por Océlio Teixeira

Questionado se o encontro com a ministra em Recife serviria para demovê-lo da ideia de ser candidato, Ciro respondeu categoricamente que não.

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) confirmou neste sábado, 13, ao lado da ministra Dilma Rousseff, chefe da Casa Civil, que será candidato à Presidência da República nas eleições deste ano. Eles assistiram ao desfile do Galo da Madrugada, tradicional bloco carnavalesco de Pernambuco.

Questionado se o encontro com a ministra em Recife serviria para demovê-lo da ideia de ser candidato, Ciro respondeu categoricamente que não. "Sou candidato a presidente, isso está decididíssimo".

O deputado e a ministra chegaram ao desfile acompanhados do governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos.

Fonte: O POVO

O ABRAÇO AGUARDADO POR MAIS DE QUARENTA ANOS


Francisca Lúcia e Maria de Fátima ( Preta) são filhas do casal Francisco Correia Leite ( Chico de Nelson de Nem), e Francisca Correia Leite, ambos já falecidos. Lúcia nasceu em Ponta da Serra e Maria de Fátima ( Preta), na cidade de Batinga no Estado do Paraná.
As duas, por motivo de morte de mãe, se separaram, quando Maria de Fátima tinha 3 anos e Francisca Lúcia tinha apenas 1 ano de vida. A mais velha ficou sendo criada pelos avós paternos, Nelson e Dona Toinha, em Ponta da Serra e a mais nova , com os avós maternos, José e Leonilda Correia , no Paraná.
Ambas cresceram separadas, mas por 17 anos mantiveram contatos à distância, que foi interrompido no ano de 1991.
Graças ao serviço prestado na Internet pela ORKUT, tive a oportunidade de chegar a uma das filhas de Francisca Lúcia, a Jaqueline, em Tangará da Serra , em Mato Grosso, tornado-me seu amigo, como também dos irmãos Claudecir e Claudete.
Finalmente, os contatos são reativados e em 21.01 chegam à residência da Maria de Fátima( Preta) em Ponta da Serra a sua irmã Francisca Lúcia junto com o filho Claudecir.
Dessa forma, julgo de grande importância esse serviço prestado pela Internet, que muitas pessoas não sabem utilizar.

Por: Antonio Correia Lima

CRATO EM NOTÍCIA - ‘Virgens’ lotam as ruas do Crato, abrindo o carnaval do Cariri


‘Virgens’ lotam as ruas do Crato, abrindo o carnaval do Cariri

As virgens lotam as ruas do Crato, promovendo a abertura do carnaval no Cariri, com o desfile que levou uma verdadeira multidão de cerca de 10 mil pessoas às ruas da cidade, no final da tarde de ontem até à noite. Os homens vestidos de mulher não se intimidam e passam a viver os personagens femininos, de forma animada, desde cedo, em alguns bairros da cidade. Muitos fazem questão de caprichar no figurino. São fantasias das mais sofisticadinhas, outras ousadas, e as piores que se possa imaginar. Mas o importante é estar de ‘virgenzinha’ para chamar a atenção, e acima de tudo, vivenciar a animação.

A concentração do Bloco das Virgens acontece nas proximidades da Eventus casa de Shows, no bairro São Miguel. Às 15 horas os foliões começam a fazer ‘enxame’, com o desfile das fantasias. Cada um, que não veste apenas o figurino, mas as personagens femininas, da forma mais exagerada possível, começa a chegar. O bloco, pelo crescimento ao longo dos anos do número de foliões, passou a ter dois trios acompanhando. Percorre locais como a avenida Teodorico Teles, Monsenhor Esmeraldo, entrando pela rua Dr. João Pessoa. Na metade do percurso, a Banda Municipal de Música do Crato acompanha o Bloco das Virgens. Nesse ponto da cidade, uma grande multidão interdita as principais ruas da cidade, seguindo pela praça da Sé até o Centro Cultural do Araripe, onde, há alguns anos, se conclui o desfile. Stefanie e Banda fazem a festa no local.

O Bloco das Virgens nasceu de forma modesta, ainda no bairro Mirandão. Os moradores do conjunto decidiram fazer diferente durante o carnaval. A irreverência de um pequeno grupo de foliões contagiou, há cerca de duas décadas, os moradores da cidade, que lotavam as ruas para ver o bloco dos homens vestidos de mulher passar. Hoje é uma das grandes atrações carnavalescas do interior do estado. O desfile passou a contar com uma organização maior, a cargo do promoter André Lacerda, Secretaria de Cultura, Esporte Juventude do Crato, e órgãos de segurança. Em algumas áreas, não houve permissão para o trânsito de veículos, como na rua Dr. João Pessoa, como forma de garantir a segurança do desfile.

‘Chapada Viva do Araripe’ será o carnaval alternativo no Crato

A Prefeitura Municipal do Crato inova e oferece uma programação alternativa para o Carnaval deste ano. O Chapada Viva do Araripe é a opção, voltada para uma melhor qualidade de vida e conscientização da importância de se preservar a natureza. O evento tem a finalidade turístico-cultural, ecológico e esportivo. A promoção é do Município do Crato, através de suas secretarias municipais de Cultura, Esporte e Juventude, Meio Ambiente, Educação e Saúde e conta com a parceria do núcleo gestor do ICMBio, Ibama, Geopark Araripe, Sebrae, Sesc, Ibdvama, Semace, Conpam e instituições não governamentais como Aconguia, Ecobike e Associação de Atletismo Elói Rosa. O evento ainda tem o apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Ambiental. Segundo a secretária de Cultura, Daniele Esmeraldo, nesse primeiro ano acontecerá em dois dias, 13 e 14 de fevereiro, e espera contar com uma grande participação de pessoas que desejam vivenciar momentos diferenciados nos dias de carnaval.

“Este projeto inovador proporcionará uma programação onde serão desenvolvidas atividades dinâmicas e diversificadas de lazer, entretenimento, cultura e história”, diz. Entre as opções a serem vivenciadas estão as trilhas ecológicas, alongamentos, passeio ciclístico, feira de bio-jóias, palestras pmbientais e intervenções culturais. Todas as atividades têm como prioridade o bem-estar espiritual, mental e físico, tudo em harmonia com a natureza. Para participar do Chapada Viva do Araripe as pessoas devem procurar a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude do Crato ou acessar o site www.crato.ce.gov.br e o blog: chapadavivadoararipe.blogspot.com. Para efetuar a inscrição é necessária a doação de um quilo de alimento não perecível. As vagas são limitadas para assegurar a preservação da Chapada. Essa determinação é de comum acordo entre os órgãos participantes do Projeto, para que dessa forma não haja danos a riqueza natural do município. Maiores informações na Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude ou pelo Fone:(88)3523-2365.

Governo Municipal do Crato
Fone/Fax - (88) 3521.9960
Mais informações:
http://www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

Desabafo! -Por Alessandra Bandeira

Caro senhor Dihelson Mendonça e demais amigos do Blog,

Todo os dias sempre que acordo ligo o computador e ja olho o Blogs dos quais faço parte e vejo as últimas novidades e notícias, mas hoje eu me assustei ao ler o pensamento do dia, que clasifico como uma ode ao preconceito, sinceramente uma pancada em meu coração, uma verdadeira decepção, eu que já várias vezes aqui neste Blog venho combatendo esse tipo de pensamento, vejo você falar isso?
Vamos aprender a separar as coisas e não generaliza-las, se esses em quem confiaram não serviram, foi porque vocês também, de certa forma, não fizeram sua parte: a de fiscalizar e cobrar, isso que o T.R.E nos ensina, existem campanhas voltadas a isso.E tem coisas que estão sendo pedidas aqui que não concerne à um deputado, mas cabe ao vereador, e não vejo ninguem cobrando dos vereadores , pois sua campanha e apenas aos deputados , ou seja , fica a pergunta: seria porque os vereadores são filhos do Crato? ai eles tem a compreensão dos patricios?
Caro amigo, lhe tenho um grande apreço, mas ultimamente tenho lhe desconhecido, primeiro aquele artigo sobre a reunião do conselho de cultura, que eu fui uma que lhe avisei que vocês estava interpretando mal e que tal reunião não tinha dissonância nenhuma, depois você posta o texto de Matheus Siebra onde há um festival de raiva e baixaria contra o Prefeito, culminando numa expulsão e num desgaste ao Prefeito e a primeira-dama e agora essa, discriminando e alimentando preconceitos?
Desculpa, amigo mas o que está acontecendo?
Eu não sou cratense, mas todo santo dia dou minha alma, meu coração , minha vida, aguento coisas que só eu e Deus sabemos, para trabalhar em prol dessa cidade, assim como eu, tem a Gabriella Federico(italo-egipicia) Tiago Figueiredo(Potugal) entre outros que aqui chegamos, nos apaixonamos e nos entregamos de corpo e alma a essa cidade, não recebemos nenhum obrigado,nenhum reconhecimento enquanto tem gente que so esta aqui há um mês e até titulo de cidadão cratense ganha, mas aguentamos essa discriminação diariamente, mas agora ver o Blog do qual faço parte, fazer uma campanha contra as pessoas que são de fora ? E se amanhã eu quiser me candidatar pelo Crato?

Peço encarecidamente que retire essa campanha pois, ela é ofensiva e preconceituosa, xenofobia e apologia a xenofobia é crime! Essa frase contraria a constituição brasileira!

Chega dessa mentalidade, chega de alimentar preconceitos e achar que isso não nos ofende, pois ofende demais, o Crato não vai crescer com isso, nos ajudamos a construir essa cidade pagamos impostos e se nossa certidão não tem o nome Crato, nosso coração tem!

Por Alessandra Bandeira

EUA garantem ajuda em longo prazo ao Haiti


O governo dos Estados Unidos garantiu nesta sexta-feira que seguirá ajudando o Haiti, assolado por um forte terremoto há exatamente um mês, durante os próximos "meses e anos". "Os EUA continuam junto a nossos amigos haitianos no processo de recuperação e reconstrução. Nos difíceis meses e anos que virão, continuarão nos tendo como um amigo e parceiro", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs. "Agradecemos aos muitos americanos que responderam com tanta rapidez e compaixão para ajudar nos trabalhos de ajuda. Apesar dos esforços, a situação continua sendo terrível, e a necessidade de alimentos, abrigo, material médico e segurança básica é enorme", comentou. A temporada de chuvas que se aproxima acrescentará novos problemas, lembrou o porta-voz da Casa Branca.

"Em meio a um sofrimento inimaginável, o povo do Haiti inspirou o mundo com sua fé, força de espírito e determinação para reconstruir o país", apontou Gibbs. O povo do Haiti lembrou hoje um mês do devastador tremor de 12 de janeiro, que deixou cerca de 217 mil mortos e 1 milhão de pessoas sem lar.

da Efe, em Washington

BLOGFolia:AS VIRGENS DA SANTA CRATERA...CRATO!-Por Wilson Bernardo.

Como sempre Raimundo Filho,sempre prestigiando a multiplicidade,em que é bem peculiar as sua lembranças carnavalescas,atencioso com todos e de uma certa forma uma virgem bem comportada,é isso ai Raimundo a paz reina em nosso Carnaval tradicional,sem violencia e ocorrencuas policiais,com um esquema bem planejado de segurança pelo competente Comandante da QUINTA COMPANHIA MAJOR HERMAN.

Branca de neve e os milhares de Anões

Eu acho que seja a mulher MRAVILHAS...

A LINGUA DE TODAS AS SOGRASAs meninas em um trio parada mole


O povão

E as beldades de uma virgem tranviadas em purpurinas.

Wilson Bernardo(Fotografias)

Programa "Pensamento Vivo" estréia na Rádio Chapada do Araripe

A Rádio Chapada do Araripe internet inicia a partir de hoje um novo programa cultural, chamado "Pensamento Vivo", em que é escolhido um artista por semana, onde são colhidos alguns dos melhores pensamentos, frases, e opiniões daquele autor. O convidado desta semana é o artista plástico, poeta, professor e fotógrafo Wilson Bernardo. O programa vai ao ar na Rádio Chapada do Araripe Internet - www.radiochapadadoararipe.com que está instalada em mais de 45 websites no planeta, atingindo centenas ou milhares de acessos mensais. O programa vai ao ar às
08:50, 13:50 e 21:00.

Mas, para matar a curiosidade, aqui está a gravação do primeiro programa Pensamento Vivo. Para ouvir, clique no player abaixo, sempre lembrando de parar antes o player da Rádio Chapada do Araripe na entrada do Blog a fim de NÃO ouvir 2 sons ao mesmo tempo:



Produção e Direção: Dihelson Mendonça

O Comentário do Dia - Por: Dihelson Mendonça


O Crato tem TUDO para ser uma cidade Turística. E porque não é ?


http://instrumentalbrasil.com/chapadadoararipe/wp-content/uploads/cache/5130_BnHover.jpg


É projeto da Prefeitura do Crato fazer um corredor turístico/cultural, que envolve Crato, Santa Fé, Sítio Caldeirão, e vai até Nova Olinda. Projeto aliás, fantástico, que se fosse realizado, nós atrairíamos os turistas para visitarem o o Sítio Caldeirão, do Beato Zé Lourenço, onde se deu o massacre em 1936 e é parte da história deste município. Há tempos se fala na recuperação do Sítio Caldeirão.

Agora, o acesso é precário. As estradas estão destruídas, e a prefeitura não dispõe de recursos para a reconstrução. Para isso se faz necessária a ajuda de algum Deputado Estadual ou Federal. Desses aí que o Crato ajudou e MUITO a eleger. Se esse acesso fosse consertado, nós poderíamos desenvolver corredores turísticos/culturais.

Um grande problema dos governantes ( me refiro ao Brasil como um todo ), é a falta de visão de que o TURISMO pode ser uma das maiores fontes de renda. Na Europa, o Turismo é o que segura a economia de inúmeros países. O Crato tem tudo para ser uma cidade essencialmente turística, temos aí uma coisa que Juazeiro por exemplo, não tem. A frondosa Chapada do Araripe, com esse clima agradável, tem um povo hospitaleiro, tem coisas para se ver! Isso é o que é importante. O potencial turístico do Crato é enorme. Qual outra cidade do Cariri tem alguma coisa turística para se mostrar ? QUASE NADA !!!

Aqui, se as pessoas raciocinassem, investiriam no Turismo Ecológico, e no Turismo Cultural - Tá ali aquele Centro Cultural do Araripe, no Largo da RFFSA. Se fosse na Europa, ou em cidades mais desenvolvidas, não seria deserto e escuro daquela maneira! Era pra existir feiras permanentes de Artesanato, barracas de comidas típicas, coisa que o Crato tem pra dar e vender, era pra existir um Restaurante Decente, era pra ser o ponto de encontro da Sociedade Cratense e do Turismo de DIA e de NOITE. vejam Guaramiranga! Vejam Campos do Jordão. O Crato na sua estrutura, em nada deve a estas cidades. Aqui temos água em fartura, temos história. Falta o quê ????????????

Sei que existem uns "planos" aí para fazer algo parecido no lugar, mas precisamos de mais AGILIDADE na execução da coisa toda. Eu cobro isso porque sei que no Crato, tudo é de uma lerdeza fabulosa, e TUDO só sai na base da cobrança. E olha, existem muitas coisas que se pode fazer numa cidade que não custam MILHÕE$. Bastam idéias, articulações, povo reunido, arregaçar as mangas mesmo! Agora, se queremos espaços para os artistas, temos que cobrar, mesmo gerando inimizades até entre os colegas. Se reclamamos das coisas, sempre geramos rancores...gente que olha e vira a cara de ódio porque reclamei. Porque EU sei que muito pode ser feito apenas com o que já temos.

Então, vamos procurar esses deputados, e vamos também trabalhar com o que podemos fazer, arregaçar as mangas, e fazer o que tem de ser feito! E depois, se lembrem daqueles que lutaram e cobraram pela realização de tais obras!

Ouça o Comentário: ( desative antes o player da Rádio Chapada do Araripe, para evitar ouvir 2 sons ao mesmo tempo )




"O Crato é uma cidade que tem Tudo para dar Certo"

Dihelson Mendonça

PAI BIOLÓGICO - Por íris Pereira

Aos 11 anos quando passava férias no sítio do meu avô, ia sempre ao vilarejo por nome Ponta da Serra, lá minhas primas e eu costumávamos ir até o boteco atráz dos doces de leite mais gostosos do Ceará, hum! Eram realmente os melhores, lá eu sempre encontrava um senhor muito simpático que me oferecia os doces , ele mostrava um interesse muito grande por tudo que eu fazia, perguntava por meus estudos, como andavam as coisas me minha casa, se eu era bem tratada por meu padrasto,enfim perguntava de tudo, eu respondia como podia e rápido para logo sair e apreciar os doces. Ao voltar de férias para a cidade de Crato onde morava, minha mãe sempre perguntava se eu havia encontrado o tal homem, ela falava seu nome e eu dizia com certo receio que sim, aí vinha a briga, não queria eu de conversa com ele, que ele era um mentiroso e etc…Eu dava se ombros e saía sem maior interesse. No ano seguinte nas férias e já com 12 anos fui direto para Ponta da Serra pra casa de um tio, lá encontrei o senhor simpático e desta vez ele convidou-me para passar uns dias lá no sítio dele, fiquei apreensiva e com medo da reação de minha mãe, mas era tentador, afinal eu confiava gostava dele, não pelos doces, mas pela sua aténção sempre querendo me ouvir falar de mim, dos meus sonhos…
E como eu era sonhadora.E com permissão dos meus tios que pareciam cumplice de algo, fui toda acanhada, sem jeito e anciosa pelo que encontraria por lá. Na verdade foi a melhor viagem que fiz quando criança, A primeira coisa a conhecer foi a casa de pau a pique com seu jatobazeiro enorme fazendo uma sombra onde nos sentamos e lá ele contou-me de como eu era até meus 5 anos, correndo e brincando tudo por alí, falou-me de sua vontade de criar-me dando-me tudo do bom e melhor que ele poderia, falou com emoção da alegria que sentiu ao saber do meu nascimento e da tristeza quando minha mãe não permitiu que ele me visse e que só escondido podia com ajudo das madrinhas que me via.Eu ouvia tudo adivinhando e querendo que fosse verdade o que eu imaginava, por fim veio o esperado, ele era meu pai biológico. Nascí de uma traição, minha mãe uma bonita mulher de 27 anos casada desde os 14 com um homen 35 anos mais velho,entregue a bebida e sem interesse pela vida,indo de cidade em cidade acompanhando a turma em que ele trabalhava, tendo um filho a cada ano e os perdendo por maus tratos, doenças sem cuidados nenhum, vida não sonhada por aquela jovem que casara para sair da roça e ir morar na cidade, não vivera só numa cidade como em muitas e vilarejos, sítios,vagões de trem e por aí…deitou-se com esse homem que a cortejou e foi genti, apaixonou-se mas logo viu que não tinha nada haver com sua vida, seus filhos, seu marido velho e doente, mas ficou gravida de mim e registrou-me como filha do marido mesmo sabendo que sem chance dele ser meu pai. Todos no sítio sabiam do caso, mas figiam não saberem. O marido morre quando eu tinha 3 anos.Seis meses depois casa-se com o primeiro que aparece disposto a desfrutar de sua beleza e assumi seus 5 filhos dos 9 que tivera , preferiu assim dar-me um padrasto e tirou-me a chance de ser criada pelo meu pai biológico. Ainda bem que mesmo criada com tantas brigas, bebedeiras, abandono e falta de aténção meus irmãos e eu tivemos muita sorte na cidade que fomos morar, encontramos muitas pessoas bondosas, mas este é um fato que contarei em outra parte. Adorei saber que aquele senhor era meu verdadeiro pai.Desde aquele dia ficamos mais presentes na vida do outro, mesmo contrariando minha mãe, que fugia do assunto, mas as evidências eram tantas, eu sempre muito parecida com ele e com suas sobrinhas. Fui naturalmente aceita por todos, mas só encontrava-me com ele as escondidas e sem revelar em casa que sabia da verdade. Minha mãe morria de vergonha que alguém de suas novas vizinhas soubessem seu passado. Ao casar-me sofri tanto por não poder entrar na igreja com com ele que prometí não esconder mais a verdade e ao ter meus 2 filhos contei-lhes tudo.Hoje 47 anos depois vivo em outro estado, longe de meu pai que tem agora 90 anos e tem uma memória invejável, vive só com suas sobrinhas, nunca quiz casar, tem muitas historias pra contar com riquezas de detalhes imprescionante. Falo com ele sempre e sou muito orgulhosa de ser sua filha e grata pelo meu padrasto que me criou e educou.Amei e cuidei de minha mãe que perto de sua morte afirmou a verdade: Você é mesmo filha dele…

FONTE: http://www.irisreflete.com/


Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30