xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 14/12/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

14 dezembro 2009

A Criança e a Vida - Por: José do vale Feitosa

Image2

Com seus braços enlaçando as travas de ferro a menina abraça a vida.
Como todos comemoram o nascimento.
Abraçando a vida.

Um copo de plástico desprovido de seu uso no canto esquecido da calçada. Como o esquecimento do olhar para o futuro deste jovem cedendo seu cansaço festivo ao batente das vias que transitam a cidade. Talvez de costas para o pano no qual estenderia sua mercadoria de festas. Todas as demais crianças estão ao amparo de um dos seus. Uma criança se carrega nos músculo do pai que festeja e não abandonou-a em casa. Da outra criança largada no colo da mãe que se diverte olhando para vai e vem de toda esta multidão.

Mas esta criança abraçada às travas de ferro revela toda a vida.

Olha para a lente fotográfica como se olhasse para as pupilas de toda a humanidade e por esta ação suplica que não a deixem solitária. Nas horas tantas em que o burburinho da multidão esgotou toda a energia com que partira de sua casa. E agora suplica à lente que não se vá, leve-a até ao horizonte em que, deitada, inventa os sonhos que faz sua fonte encantar-se de natais. Ela tem um vestido, de flores, com uma tira lembrando os babados de antão e com este vestido sua imensa solidão é que tudo se revela temporário. Apenas cansaço. Apenas aquele esgotamento da noite pois até aquelas alpercatas que vão ao infinito ela possui.

E entre toda esta narrativa e o instante que Dihelson Mendonça nos deu por natal, eu gostaria que uma tia, uma mãe, um avô, ou avó, dissesse àquela menina: não, do teu olhar jamais me apartarei. Não te deixarei solitária, fixa neste tempo e nesta trava de ferro. Não me apartarei até o limite em que no mundo for parte.

Texto: José do Vale Pinheiro Feitosa
Foto: Dihelson Mendonça


Protógenes é convidado para compor equipe da Copa - Postado por Océlio Teixeira de Souza

"Se contradição fosse um valor monetário, o governo estaria nadando em dinheiro. Tome-se o caso de Protógenes Queiroz.

Um pedaço do governo – PF e Ministério da Justiça — odeia o delegado. Outro naco –Ministério dos Esportes — não pode viver sem ele.

A PF suspendeu Protógenes de suas funções. Tritura-o com processos disciplinares. E sonha com o dia em que o colocará no olho da rua.

Súbito, o ministro Orlando Silva (Esporte) decidiu oferecer um cargo ao delegado: assessor da equipe que cuidará da segurança na Copa de 2014.

Protógenes aceitou o novo emprego. Mas depende de autorização da PF:

"Assim que me liberarem, eu assumo. Mas parece que a intensão da PF é me prejudicar ao máximo".

Confirmando-se a nomeação, a passagem do delegado pela pasta do Esporte será fugaz.

Candidato a uma cadeira de congressista, Protógenes não cogita manter-se no emprego além de abril de 2010.

Protógenes vai às urnas sob o guarda-chuva do PCdoB. O mesmo partido do ministro Orlando Silva.

Esforça-se para demonstrar que o que parece não é: "O critério [do convite] foi técnico, considerando os trabalhos que desenvolvo internacionalmente...”

“...Se fosse uma decisão política, seria convidado logo após a minha filiação ao PCdoB”. Então, tá!"

Fonte: Blog do Josias de Souza
Foto: Folha On Line

"Imprensa golpista? Não, ela é imparcial!" Postado por Darlan Reis Junior

Não custa lembrar. Eles agem assim quando seus interesses são contrariados. Só para refrescar a memória. Els divulgam notícias, futilidades, notícias sérias, tragédias, escândalos, violência, notícias esportivas? Sem dúvida. Mas quando seus interesses são ameaçados, não hesitam.
Agem.
No dia 1º de abril de 1964 os militares efetivaram um golpe elaborado pela direita brasileira, com apoio do governo norte-americano.
Eis o editorial do Jornal "O Globo", do dia 2 de abril de 1964 (os grifos são meus):

"Vive a Nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os patriotas, independentemente de vinculações políticas, simpatias ou opinião sobre problemas isolados, para salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem. Graças à decisão e ao heroísmo das Forças Armadas, que obedientes a seus chefes demonstraram a falta de visão dos que tentavam destruir a hierarquia e a disciplina, o Brasil livrou-se do Governo irresponsável, que insistia em arrastá-lo para rumos contrários à sua vocação e tradições.

Como dizíamos, no editorial de anteontem, a legalidade não poderia ser a garantia da subversão, a escora dos agitadores, o anteparo da desordem. Em nome da legalidade, não seria legítimo admitir o assassínio das instituições, como se vinha fazendo, diante da Nação horrorizada.

Agora, o Congresso dará o remédio constitucional à situação existente, para que o País continue sua marcha em direção a seu grande destino, sem que os direitos individuais sejam afetados, sem que as liberdades públicas desapareçam, sem que o poder do Estado volte a ser usado em favor da desordem, da indisciplina e de tudo aquilo que nos estava a levar à anarquia e ao comunismo.

Poderemos, desde hoje, encarar o futuro confiantemente, certos, enfim, de que todos os nossos problemas terão soluções, pois os negócios públicos não mais serão geridos com má-fé, demagogia e insensatez.

Salvos da comunização que celeremente se preparava, os brasileiros devem agradecer aos bravos militares, que os protegeram de seus inimigos. Devemos felicitar-nos porque as Forças Armadas, fiéis ao dispositivo constitucional que as obriga a defender a Pátria e a garantir os poderes constitucionais, a lei e a ordem, não confundiram a sua relevante missão com a servil obediência ao Chefe de apenas um daqueles poderes, o Executivo.

As Forças Armadas, diz o Art. 176 da Carta Magna, "são instituições permanentes, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade do Presidente da República E DENTRO DOS LIMITES DA LEI."

No momento em que o Sr. João Goulart ignorou a hierarquia e desprezou a disciplina de um dos ramos das Forças Armadas, a Marinha de Guerra, saiu dos limites da lei, perdendo, conseqüentemente, o direito a ser considerado como um símbolo da legalidade, assim como as condições indispensáveis à Chefia da Nação e ao Comando das corporações militares. Sua presença e suas palavras na reunião realizada no Automóvel Clube, vincularam-no, definitivamente, aos adversários da democracia e da lei.

Atendendo aos anseios nacionais, de paz, tranqüilidade e progresso, impossibilitados, nos últimos tempos, pela ação subversiva orientada pelo Palácio do Planalto, as Forças Armadas chamaram a si a tarefa de restaurar a Nação na integridade de seus direitos, livrando-os do amargo fim que lhe estava reservado pelos vermelhos que haviam envolvido o Executivo Federal.

Este não foi um movimento partidário. Dele participaram todos os setores conscientes da vida política brasileira, pois a ninguém escapava o significado das manobras presidenciais. Aliaram-se os mais ilustres líderes políticos, os mais respeitados Governadores, com o mesmo intuito redentor que animou as Forças Armadas. Era a sorte da democracia no Brasil que estava em jogo.

A esses líderes civis devemos, igualmente, externar a gratidão de nosso povo. Mas, por isto que nacional, na mais ampla acepção da palavra, o movimento vitorioso não pertence a ninguém. É da Pátria, do Povo e do Regime. Não foi contra qualquer reivindicação popular, contra qualquer idéia que, enquadrada dentro dos princípios constitucionais, objetive o bem do povo e o progresso do País.

Se os banidos, para intrigarem os brasileiros com seus líderes e com os chefes militares, afirmarem o contrário, estarão mentindo, estarão, como sempre, procurando engodar as massas trabalhadoras, que não lhes devem dar ouvidos. Confiamos em que o Congresso votará, rapidamente, as medidas reclamadas para que se inicie no Brasil uma época de justiça e harmonia social. Mais uma vez, o povo brasileiro foi socorrido pela Providência Divina, que lhe permitiu superar a grave crise, sem maiores sofrimentos e luto. Sejamos dignos de tão grande favor."

Acordo climático não pode rasgar Convenção do Clima nem Protocolo de Quioto

Domingo, 13 de dezembro de 2009



Os ministros Carlos Minc (Meio Ambiente) e Dilma Roussef (Casa Civil) e o embaixador Luis Alberto Figueiredo, negociador-chefe do Brasil na reunião da ONU sobre clima (COP 15), em Copenhague, em entrevista coletiva realizada no Hotel Island, na capital dinamarquesa. Foto: Jorge Cordeiro/PR

O Brasil tem a melhor e mais detalhada proposta de redução de emissões de gases do efeito estufaentre todas as trazidas para Copenhague (Dinamarca) pelos países que buscam fechar um novo acordo climático global e não rasgará a Convenção do Clima nem jogará fora o Protocolo de Quioto para atender aos interesses dos países desenvolvidos. Segundo a ministra Dilma Roussef (Casa Civil), que participou neste domingo (13/12) de reunião na sede do Ministério e Assuntos Exteriores dinamarquês em Copenhague com cerca de 60 ministros e representantes de países envolvidos nas negociações naConferência da ONU sobre Clima (COP 15), não haverá acordo se os mais desenvolvidos não assumirem sua responsabilidade, que inclui números mais consistentes de redução de suas emissões e financiamento às nações em desenvolvimento.
“Temos vários pontos de vista, todos legítimos em cada parte, mas temos que ter aqui um acerto com legitimidade global”, afirmou Dilma, em entrevista coletiva realizada no Hotel Island, em Copenhague. “Para haver o acordo que queremos, não podemos desfigurar tudo. Podemos sim abrir mão de algumas coisas, mas não rasgar a Convenção do Clima nem jogar fora o Protocolo de Quioto.”
Dilma Roussef reafirmou que a proposta brasileira levada a Copenhague foi elaborada atendendo aos interesses do País, mostrando que o desenvolvimento é perfeitamente compatível com a proteção do meio ambiente. Além disso, a proposta traz um nível de detalhamento que nenhum outro país fez.
É justamente esse detalhamento que agora os negociadores buscam, principalmente em relação as propostas apresentadas pelos países desenvolvidos. Segundo a ministra Dilma, uma nova reunião será realizada nesta segunda-feira (14/12) para discutir os dois principais temas – mitigação e financiamento -, com o objetivo de se chegar a um denominador comum a ser apresentado aos presidentes e primeiros-ministros na quinta-feira (17/12). Dilma afirmou que está otimista de que vai haver acordo.
Responsabilidades
A ministra Dilma Roussef deixou claro que as responsabilidade sobre o clima no planeta são comuns a todos, mas devem ser diferenciadas, levando-se em conta principalmente o PIB per capital e o estoque de CO2 já emitido. Os países em desenvolvimento têm emissões per capita e estoque de CO2 muito menores do que os países desenvolvidos. Por isso a obrigatoriedade em reduzir emissões é das nações mais ricas. Além disso, os países desenvolvidos têm que se comprometer com o financiamento de ações futuras de mitigação em países em desenvolvimento.
São dois “trilhos” de negociações, afirmou Dilma, fundamentais para o sucesso da reunião climática de Copenhague. O trilho do Protocolo de Quioto exige uma redução obrigatória de emissões por parte das nações desenvolvidas e voluntárias dos em desenvolvimento. Já o trilho da Convenção do Clima, de longo prazo, prevê fundos de investimento para que os países mais pobres possam desenvolver sem poluir.
A posição brasileira, afirmou a ministra, é clara: assumir ações voluntárias de peso, como a redução significativa do desmatamento na Amazônia, a produção sustentável de biodiesel e produção de energia por meio de fontes limpas como a hidrelétrica, e ter fundos próprios, como o da Amazônia e o recém criado de Mudanças Climáticas, para desenvolver ações futuras de mitigação e proteção ambiental/climática.
A questão de se estabelecer um fundo com financiamento externo ainda não avançou muito, lembrou Dilma, porque novamente os países desenvolvidos evitam falar concretamente em números – ou seja, quanto dinheiro estariam dispostos a disponibilizar para financiar o desenvolvimento sustentável das nações mais pobres.
“Se tivermos fundos com recursos externos, iremos numa velocidade, mas se não houver esses recursos internacionais, a velocidade será menor”, disse, criticando o estágio atual das negociações, em que os países em desenvolvimento têm proposto o financiamento de suas próprias medidas mitigatórias e os desenvolvidos em nada contribuem. “É uma inversão de responsabilidades. Se os maiores emissores não colocarem dinheiro algum, não conseguiremos a redução almejada nas emissões. A conta não fechará”, afirmou a ministra.

( Matéria recebida por e-mail do Blog do Planalto)


TEIA BRASIL 2010 – TAMBORES DIGITAIS



“O maior evento plural da cultura brasileira” (Daniel Pádua, 2009)

Já estão abertas as pré-inscrições para a TEIA BRASIL 2010 – TAMBORES DIGITAIS. Acesse o site: http://www.cultura.gov.br/cultura_viva/

A Teia 2010 deverá reunir a diversidade cultural brasileira em Fortaleza (CE), entre 25 e 31 de março de 2010, com as presenças de representantes de, aproximadamente, 2.500 Pontos de Cultura participantes do Programa Nacional de Cultura, Educação e Cidadania – Cultura Viva. Estes pontos são conveniados com o Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Cidadania Cultural (SCC/MinC), e com os governos estaduais de todo o Brasil – por meio do Programa Mais Cultura.

Dentre os objetivos do grande encontro nacional, que chega à sua quarta edição, está o fomento das redes de relacionamento e articulação institucional entre Pontos de Cultura, sociedade e governos, propondo um intercâmbio de saberes e experiências, além do fortalecimento do Fórum Nacional dos Pontos de Cultura em prol de marcos legais e da construção e desenvolvimento de políticas públicas de cultura com foco na sustentabilidade dos projetos.

Realizada no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura na capital cearense, a Teia2010 contará com uma ampla programação, como a realização do III Fórum Nacional de Pontos de Cultura, seminários, painéis, debates, rodas de prosa, exibições audiovisuais, apresentações cênicas, exposições, feira de economia solidária e convivência e dezenas de apresentações artísticas, com a participação de convidados do Brasil, África, Europa e América Latina.

Considerando os benefícios da integração e do diálogo entre os objetivos e propósitos dos programas de política nacional de cultura, a articulação dos Pontos de Cultura torna-se ação fundamental para a formação, circulação e estruturação de bens e serviços culturais para as comunidades culturais brasileiras em toda sua diversidade.

A TEIA fortalece a participação democrática da sociedade civil – produtores e usuários – que necessita desenvolver eficiência e institucionalização para acompanhar a construção de um desenvolvimento permanente das políticas públicas de cultura para o Brasil.

Venha com a gente! participe! redescubra o Brasil por meio da cultura!

Afinal, o clima na Terra está esquentando ou esfriando?

   Clima e Copenhague em debate no Canal Livre - Parte 1

Conferência de Copenhague: O que Lula e nós temos com isso? - Por: José Cícero


O
que o planeta pode esperar da conferência do meio ambiente de Copenhague que acontece na Dinamarca, diante da recusa explícita e vergonhosa dos governantes dos Estados Unidos e do Japão? Assim como da maioria das nações desenvolvidas do planeta? O preço que as espécies estão pagando pelo desenvolvimento industrial-tecnológico, da chamada modernidade assim como do consumismo exacerbado dos pretensos donos do mundo, é altíssimo. Do jeito que vai comprometerá fatalmente a vida na Terra. Então, qual a razão da recusa de todos eles quanto a cota de redução das suas emissões de gases poluentes?

Justamente eles, os maiores destruidores do meio ambiente e dos recursos naturais da biosfera?
Como a industrialização, o dinheiro e o desejo de poder podem ser tão fortes ao ponto de cegá-los para que não percebam a dimensão da catástrofe em que está mergulhando o planeta pondo em risco a sobrevivência da raça humana assim e de todas as espécies biológicas da Terra. A opinião pública mundial, caso não bebam na mesma fonte de Washington, deve está se perguntando até quando o resto do mundo poderá agüentar calado a ignorância, a prepotência e a falta de sensibilidade dos que galgaram posições de destaque no panteon político do globo, mas que ao contrário do que se espera, contribuem para a destruição da humanidade.

O mundo precisa se indignar diante de decisões absurdas como estas. Se os países do chamado 1º mundo são os principais agentes causadores da degradação ambiental precisam ser responsabilizados pela tragédia que estão provocando. Não importa ser a redução de poluentes atmosféricos vai interferir nas suas economias... Suas economias já estão mais que debilitadas. Basta ver onde se encontra o epicentro da atual crise financeira internacional.

A natureza é mais importante. A vida é o que importa agora neste momento crucial da história planetária. Portanto está na hora de um movimento global que possa obrigá-los a seguir o consenso da maioria em relação a sustentabilidade dos ecossistemas terrestres. Todo contrário entrarão em colapso total. Que destrói o meio ambiente ataca todos os povos do mundo. Esta agressão devia ser considerada crime hediondo, crime de guerra por atenda contra a dignidade humana que é a vida.

Penso que todo o mundo se enganou com o Obama. Só agora o mundo começa a se dá conta do verdadeiro Obama. Ao ponto que a única diferença com os demais que já passaram pela casa branca parece está mesmo tão somente na cor da pele. A sua objeção as proposta da conferencia, a decisão de enviar mais soldados para o Afeganistão, a manutenção da invasão do Iraque, o bloqueio a Cuba, a manutenção da prisão de albugray, enfim uma série de atitudes que agora pouco ou quase nada o diferencia do louco Bush. O egocentrismo, a espoliação e o desejo de guerra e sangue e exploração retornou, devendo continuar sendo a velha tônica do seu governo.
Outros líderes infelizmente participam da conferencia mais pelo alarde. Pelos holofotes da imprensa mundial. Como parece ser até o caso do nosso Lula querendo se firmar no mundo com o grande líder da América Latina. Quem sabe em disputa com o corajoso presidente venezuelano Hugo Chávez. Ora se Lula quer mesmo ser destaque no debate e nas propostas ambientais devia começar dando bons exemplos na questão da Amazônia legal, cuja realidade é vergonhosa para o mundo.

Lá a devastação é uma realidade que choca até mesmo os mais otimistas. Coisas que a imprensa e, sobretudo a TV recebe para não mostrar. Um tipo de mídia que mais desinforma do que informa. Mais deseduca do que educa. Mais esconde do que apresenta as cores da verdade. Uma mídia televisiva que o tempo todo nos mostra uma realidade que não existe. Se Lula quisesse marcar posição na seara política internacional e na agenda ambiental do planeta não deixaria que os rios do Brasil estivessem quase todos num estado de quase morte. Não teria forçado a demissão de Marina Silva, da maneira que foi. Pressionado pelos poderosos que lucram com a devastação da nossa Amazônia assim como dos diversos ecossoietama brasileiros.

E não me venham dizer que a situação da Amazônia está melhorando. Porque não acredito. E não acredito nos discursos antigos, assim como nos dados que o aparelho midiático e governamental nos tem apresentado sistematicamente de vez em quando. A situação ambiental da Amazônia e do Brasil como um todo é muito mais grave do que a sociedade brasileira pode imaginar. Que a conferência de Copenhague possam trazer luz a uma problemática mundial gravíssima. E mais que isso: Soluções definitivas para que possamos barrar todo o processo de devastação da biodiversidade e da natureza como um todo. Porque já estamos adentrando o ponto limite. Dentre outros complicadores, além do desequilíbrio climático podemos afirmar que os recursos naturais já estão no limite da sua exaustão total. A febre de consumo da humanidade também precisa ser reavaliada...

As questões ambientais daqui a pouco será um caminho sem volta. E daí em diante, nenhum encontro de lideres poderá servir para mais nada. Tudo o que pode ainda ser feito, deverá ser feito agora sem demora. Sinais é o que não falta. O desequilíbrio climático e os desastres ambientais estão a ocorrer pelo mundo todo. Quem já pensou em enchentes destrutivas na Arábia Saudita, secas na Amazônia, Tufão e mini Tsunamim na região sul do Brasil, Terremotos no Nordeste, enfim. Apenas os cegos do poder e os loucos por dinheiro e status não podem mensurar o perigo que nos cerca e se já se avizinha. Os desastres naturais não têm fronteiras. Cabe a humanidade se unir no sentido de encontrar uma saída o mais rápido possível. Pois o tempo urge... e a mãe natureza e o planeta – nossa única morada – não podem mais esperar.

José Cícero
Aurora-CE.


Audízio Pereira completa 92 Anos. Homenagem ! - Por: Teresa Pereira


Queria fazer uma homenagem a meu pai que hoje completa 92 anos. Considero esse guerreiro, como um herói que vinha estudar no Crato de trole, seu pai era Chefe da Estação, depois trabalhou no DNOCS, ele conta como era passar a ração do dia para os trabalhadores. Ele canta lindamente, até hoje, a música Esbelto Infante, música que aprendeu no tiro de guerra que fez ai no Crato. Trabalhou na Associação dos Empregados do Comércio do Crato, com seu amigo Pedro Felício, hoje não deixa de ir nenhum dia da semana, inclusive finais de semana, no seu sítio "Granja Célia Germana", entre o Crato e o Juazeiro. Adora uma janela, em frente ao Moderno, tá ele lá cumprimentando a todos. Papai, sinto sua falta, mas brevemente estarei ai para lhe abraçar, meu véio!

Um beijo

Sua filha Teresa Pereira

É amanhã!


Centro Cultural BNB Cariri – Programação Diária


Dia 14/12, segunda-feira

- 14h PROGRAMA DE RÁDIO: MPB, com Roberto Marques

Programa de Rádio semanal que traz uma refinada seleção de música popular brasileira. O programa faz parte de uma parceria entre o Banco do Nordeste e a Rádio Educadora do Cariri, que inclui um programação diária diversificada de segunda a sexta-feira de 14 às 15 horas.

Rádio Educadora do Cariri AM 1020. 60min.

- 19h IMAGEM EM MOVIMENTO

O Caldeirão da Santa Cruz do Deserto

O filme resgata a história do movimento religioso liderado pelo beato José Lourenço, destruído em 1936 por tropas de soldados e bombardeio aéreo, deixando o saldo de mais de mil camponeses mortos. Consciente de que a memória dos vencidos é feita de fragmentos, o realizador junta as poucas imagens existentes do acontecimento a depoimentos de sobreviventes e manifestações da cultura popular da região, para acentuar a dimensão política, além de religiosa, dessa experiência de socialismo católico primitivo. Direção: Rosemberg Cariry, CE, 1985. Cor. Documentário. 12 anos. 73min.

Local: Rua André Cartaxo, 443, Centro. Fone: 88 3523 4444


Fonte: Centro Cultural BNB Cariri (Rua São Pedro, 337, Juazeiro do Norte)

Crato em Clima de Doce Natal !

A cidade se prepara...

IMG_8115

e recebe anjos, que entoam canções de um novo tempo...

IMG_8046

Tudo é paz, harmonia...

IMG_8025


e esperança...

IMG_8033

Reis Magos trazem tesouros incalculáveis para nós...

IMG_8093



IMG_8095


...LUZ, alegria e PAZ !

IMG_8066

E assim formamos uma família Feliz !

IMG_8090

O céu da cidade brilha ao clarão das luzes e da esperança

Image1

A boa nova de que há um novo amanhã nascendo...

IMG_8151

E deus se faz presente em cada criança que habita em nós...

Image2



IMG_8185

Papai Noel chega para o seu reinado de Paz e de Harmonia e é bem recebido...

IMG_8214


Enquanto isso, a cidade brilha, e o mundo é bem mais feliz !

Crato em Clima de Natal - Dihelson Mendonça


Feliz Doce Natal 2009 e um Próspero Ano Novo !

Atenção: É proibida e cópia, salvamento, reprodução e utilização de qualquer foto sem o consentimento expresso do autor. As infratores serão processados na forma das leis de Direito Autoral e propriedade Inteletual até as últimas consequências.

Fotos: Dihelson Mendonça


Ministra Roussef em Copenhagen - Postado por José Sales

"Será totalmente frustrante se Copenhagen der respostas financeiramente limitadas e institucionalmente incertas.” Dilma Rousseff, a nova mãe da defesa do meio ambiente (Te cuida, Marina!)

Fonte NOBLAT. Postado por José Sales

O Geopark Arouca, em Portugal - Postado por José Sales


O Geopark Arouca, correspondendo à área administrativa do Concelho de Arouca, é reconhecido pelo seu excepcional Património Geológico de relevância internacional, com particular destaque para as Trilobites gigantes de Canelas, para as Pedras Parideiras da Castanheira e para os Icnofósseis do Vale do Paiva.

O valioso e singular Património Geológico inventariado, cobrindo um total de 41 geossítios, constitui a base do projecto Geoparque Arouca, aliados a uma estratégia de desenvolvimento territorial que assegurará a sua protecção, dinamização e uso. Em simultâneo e em complementaridade, associam-se outros importantes valores como os arqueológicos, ecológicos, históricos, desportivos e/ou culturais e ainda a promoção da etnografia, artesanato e gastronomia da região, tendo em vista a atracção de um turismo de elevada qualidade baseado nos valores da Natureza e da Cultura.

Muitos destes sítios de interesse encontram-se integrados na intensa Rede de Percursos Pedestres, num total de 13, numa perspectiva de valorização e divulgação e promoção deste inestimável património. A entidade responsável pela gestão do Geopark Arouca é a AGA/ Associação do Geoparque Arouca.

Comentário: O ccordenador científico e gestor do Geoparque Arouca, Artur Abreu Sá, esteve nesta semana passada no Crato, participando do I Encontro Brasileiro de Geoparks e do Work Shop, Geopark"Multiplas Dimensões", promovidos pela Secretaria das Cidades e URCA/ Universidade Regional do Cariri. Nenhum Prefeito ou gestor público da região da Bacia Sedimentar do Araripe, onde se localizam os Geotopes do Geopark Araripe manteve qualquer contato, encontro de trabalho e/ou boas vindas com o mesmo.

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31