xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 01/12/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

01 dezembro 2009

O Brasil e o risco - EUA - Postado por: J. Tavares

O Brasil já é um dos maiores credores dos Estados Unidos. Acumula papéis com juro zero e valor cadente. Isso é um bom negócio?


Por Denize Bacoccina

Para quem se acostumou a viver num País cronicamente devedor, é difícil acreditar que o Brasil seja hoje um dos maiores credores dos Estados Unidos. O País tem US$ 145 bilhões em títulos emitidos pelo tesouro americano e fica atrás apenas de três países: China, Japão e Reino Unido. O número tende a crescer mais com a política de acumulação de reservas do Banco Central - na semana passada, as divisas haviam chegado a US$ 236,69 bilhões e a maior parte dos recursos tem sido aplicada em papéis do governo de Barack Obama.

A ironia é que o Brasil, que chegou a dar calote várias vezes e tremia com medo da fuga de investidores ao menor sinal de crise, agora tem em seus cofres 4% da dívida pública americana. "As reservas, que funcionam como um seguro, nos dão mais possibilidade de decisão", avalia o presidente do BC, Henrique Meirelles.

US$ 145 bilhões é quanto o governo brasileiro já possui em títulos americanos

O problema é que essa política começa a ser questionada, em razão do impacto fiscal. Desde 2004, as reservas aumentaram em US$ 158 bilhões e o chamado "custo de carregamento" foi de US$ 36 bilhões - isso ocorre porque, para comprar dólares, o Brasil emite títulos pela taxa Selic, uma das maiores do mundo, e aplica em papéis americanos, que têm rendimento nulo. Além disso, há também um risco crescente na economia americana, cuja dívida está saltando de 40% para 100% do PIB. Nada disso assusta o governo. Meirelles prevê que as reservas brasileiras chegarão a US$ 300 bilhões no fim de 2010.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, não descarta que elas alcancem US$ 500 bilhões, num prazo que não quis determinar. "Elas estão cumprindo a função de reduzir a volatilidade externa e a pressão sobre o dólar", disse à DINHEIRO um técnico da equipe de Mantega. "Existe um custo, mas vale a pena ter reservas elevadas porque elas protegem em momentos de vulnerabilidade", afirma.

Para países que também são credores da economia americana, o tema tem sido tratado como questão estratégica. A China, que acumulou mais de US$ 2 trilhões, defende abertamente a criação de uma nova reserva de valor, que substitua o dólar. A simbiose entre China e Estados Unidos é tão grande, que, recentemente, o economista Paul Krugman fez uma provocação: "Eles nos vendem produtos ruins e nós vendemos a eles títulos podres", afirmou. Sair dos papéis americanos, no entanto, não é tão simples.

O economista Carlos Langoni, diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getulio Vargas e ex-presidente do Banco Central, diz que a diversificação é difícil, já que apenas três moedas são conversíveis: dólar, euro e o iene. "O BC tem que manter a maior parte das reservas na moeda mais líquida, que ainda é o dólar", disse ele à DINHEIRO. Outros economistas, no entanto, avaliam que há mecanismos mais eficientes para conter a valorização do real. "Bastaria reduzir a taxa de juros", diz Júlio Gomes de Almeida, do Iedi.

Outro exemplo da mudança de patamar financeiro do Brasil ocorreu na semana passada. Com o Fundo Monetário Internacional, o Brasil também passou a credor e decidiu aumentar de US$ 10 bilhões para US$ 14 bilhões seu aporte no Fundo, que vai emprestar dinheiro para países em dificuldades. De qualquer forma, há o risco de que o País acumule títulos que rendem pouco e valem cada vez menos.

Postado por: J. Tavares


De mensalão em mensalão o Brasil vai afundando - Postado por Océlio Teixeira


Fonte: http://nanihumor.blogspot.com/

A vida é bela e breve – Por Carlos Eduardo Esmeraldo

A vida da gente parece um breve piscar de um relâmpago. Dura apenas algumas frações de segundos. Quando menos esperamos, estamos percorrendo o ramo descendente da parábola. Se pararmos para assim pensar, o eterno que existe em cada um de nós começa a desvanecer e nos precipita à conclusão simplória de que somos seres simplesmente descartáveis. Mas não é bem assim, acreditem. A eternidade existe. À medida que vamos envelhecendo, a nossa percepção de tempo muda, e este nos parece passar mais aceleradamente. Penso que, na eternidade, o tempo se faz correr mais velozmente que os raios que descem dos relâmpagos em noites de tempestade.

Ainda outro dia era criança e, de repente, fui surpreendido com um aviso da proximidade da minha inclusão nos benefícios oferecidos pelo novo estatuto do idoso. Necessitando fazer uma polissonografia, um exame de nome feio e execução mais horrorosa ainda, tive de ir à sede da Unimed para conseguir uma autorização. Na recepção, a atendente me deu uma senha de número 41 e, ao chegar ao guichê de atendimento, a senha que estava sendo chamada era a de número 185. Então, voltei e indaguei à moça se ela não havia se enganado, pois já estava sendo chamada a senha 185. Ela calmamente respondeu, indicando-me um outro guichê:
– A sua senha é para aquele guichê à esquerda!
Olhei para o local indicado e estava escrito: Atendimento a gestantes, deficientes físicos e idosos. Mirei a minha barriga e conclui que, após o rigoroso regime alimentar, ao qual tenho me submetido ultimamente, não poderia de modo algum ser confundido com gestante. Pisei firme com as duas pernas e estava inteirinho. Então, perguntei à moça:
– Você me deu a senha da fila dos idosos?
– Foi – respondeu ela com muita naturalidade.
– Muito obrigado! – disse agradecido, antevendo as virtuais delícias e regalias da terceira idade.

A propósito desse assunto, lembrei-me de que a Coelce tinha um funcionário conhecido por seu Chiado. Era meio pernóstico e falava chiando, querendo imitar os cariocas, pois gostava de dizer que morara no Rio de Janeiro por mais de vinte anos. Dizia que era natural do Crato e parente da famosa musicista Branca; da professora Ida, homenageada com uma placa contendo o seu nome numa pequena travessa da nossa cidade, e também de Ana, nome de rua em Fortaleza, todas elas, suas primas. Apesar de aparentar mais de sessenta e cinco anos de idade, atribuía a si próprio a fama de grande conquistador. Cabelos tingidos de preto e impecavelmente penteados, assentados à custa de muita brilhantina, andar elegante, cigarro permanentemente entre os dedos, tal qual um astro de Hollywood. Era dessa forma que ele se apresentava. Esta história me foi contada por ele mesmo. Precisando ir descontar um cheque numa agência bancária do centro da cidade, entrou numa interminável fila, quando notou duas jovens acenando para ele. Entusiasmou-se todo, pois julgou que elas estavam a fim de paquerá-lo. Aproximou-se delas e assim as abordou:
– Boa tarde! Nós já nos conhecemos, tenho certeza. Vocês acenaram pra mim e aqui estou inteiramente à disposição dessas tão belas jovens.
– Não, senhor. A gente queria apenas avisar ao senhor que a fila dos velhos é aquela outra – responderam as duas mocinhas, para tristeza do nosso Dom Juan.

A vida é bela, mas é breve. A gente nunca pensa que um dia morrerá. Para nós, a morte somente acontece aos outros. Sem pensar no futuro, mas somente para me livrar de um vendedor insistente, comprei, há uns oito anos, um jazigo num novo cemitério em Fortaleza, em construção. Depois do pagamento do título, comecei a receber pequenas cobranças da taxa anual de manutenção, que poderia ser paga em doze módicas prestações mensais. Mas Magali pagava tudo de uma vez, pois dizia não se sentir bem olhando para aquele papel todos os meses. E eu, então, acrescentei:
– Não sei pra que eu comprei esse túmulo. Acho que se eu morrer aqui em Fortaleza, vão levar o meu corpo para o Crato.
– E eu? – disse ela. – Que nem de morrer gosto!

A vida é bela, é curta, e ninguém quer morrer, por maior que seja a fé. Ah, se a nossa fé fosse ao menos do tamanho de um grãozinho de mostarda! Pensando nisso, lembrei-me de uma pequena história que me contaram.
Um cardeal voava com destino a Roma, num desses superjatos, ao encontro do Papa. Com todo direito que a sua autoridade lhe permitia, sentou-se na fila da frente da primeira classe. Em dado momento do vôo, que até então havia sido tranqüilo, ouviu-se um estranho barulho, um grande sacolejo no jato. A comissária foi até à cabine, para saber o que tinha ocorrido. Então o comandante lhe disse:
– Avise aos passageiros que iremos cair no mar, pois pifaram de uma vez as quatro turbinas e não estamos conseguindo fazê-las funcionar novamente. Mas dê a notícia com muito jeito, para não causar pânico – ordenou-lhe, com aparente tranqüilidade, o comandante.
Ao sair da cabine, o primeiro passageiro avistado pela comissária foi o cardeal. Então trêmula, porém esforçando-se para aparentar calma, tentou disfarçar:
– Monsenhor, que é que o senhor diria se este avião caísse daqui a cinco minutos, e nós todos morrêssemos?
– Oh! Seria a glória suprema! O momento mais aguardado da minha vida! Iria estar face a face com Jesus. – respondeu-lhe o cardeal.
– Pois, monsenhor, daqui a cinco minutos o senhor estará face a face com Jesus, porque este avião vai cair. Todas as turbinas falharam e não resta nenhuma possibilidade de serem recuperadas a tempo.
– Pelo amor de Deus, não diga uma desgraça dessa não, moça!
A vida é bela, porém breve.

Extraído de “Histórias que vi, ouvi e contei” de Carlos Eduardo Esmeraldo, Premius Editora, 2005, p.17


Novidades no Mercado Digital - Postado por: J. Tavares


Mercado Digital


O inventor do pen drive

Há dez anos, o israelense Dov Moran inventou o aparelhinho que mudou o conceito de mobilidade no mundo. Agora, aparece com uma nova criação. Ela será tão revolucionária como a anterior?


ROBERTA NAMOUR


CLAUDIO GATTI/AG.ISTOÉ
DOV Moran e o modu phone: "Esse equipamento será mais importante do que o pen drive"

Em 1998, o israelense Dov Moran foi convidado a fazer uma apresentação a um grupo de investidores em Nova York. Ao subir ao palco sob os aplausos da plateia, o fundador da empresa de chips de memória para celular MSystems, prontamente colocou seu notebook em cima da mesa. Mas, para sua surpresa, o equipamento não ligou.

Constrangido com os olhares impacientes dos espectadores, sentiu as batidas cada vez mais fortes do coração, enquanto tentava desesperadamente fazer o computador funcionar. A apresentação não tinha cópia e estava presa naquela máquina. Estava quase sem esperanças quando viu a luz do botão "start" finalmente acender.

"Naquele momento, jurei para mim que nunca mais enfrentaria uma situação semelhante", lembra Moran. Um ano depois, apresentou ao mercado uma invenção que revolucionaria o conceito de mobilidade. Tratava-se de um equipamento do tamanho de um canivete suíço, capaz de armazenar dados. Hoje, o produto é popularmente conhecido como pen drive. Uma década depois, Moran volta a estaca zero.

Após vender sua empresa e a patente da invenção à Sandisk, por US$ 1,6 bilhão, em 2006, o israelense passou a se dedicar a uma nova invenção, o Modu Phone. O aparelho muda o visual e a funcionalidade de acordo com as necessidades. Ele pode se transformar em um tocador de música, como um iPod, ou em um porta-retrato digital.

O Brasil foi um dos destinos escolhidos para começar sua nova jornada. Será esta mais uma tendência tecnológica com o mesmo apelo do pen drive? Até hoje é difícil de entender por que alguém abriria mão de uma invenção como a do pen drive. A MSystems foi uma das principais estrelas de Israel em Wall Street. Em 2006, atingiu um faturamento de US$ 1 bilhão. "Eu não tinha intenção de vender, mas percebi que era a única saída para salvar o negócio", conta Moran, com voz embargada, sem revelar o motivo. Registros da época apontam uma sequência de erros financeiros como a responsável pela decisão.

Após a descoberta de mais rombos nas contas da companhia, as ações despencaram e Moran teria sido pressionado pelos acionistas a aceitar a oferta da Sandisk. Com a bolada que recebeu, poderia ter se aposentado aos 51 anos para se dedicar a uma vida tranquila na pacata cidade de Kfar Sava, onde vive. Em vez disso, decidiu apostar em uma nova ideia, o Modu Phone. "Parar não faz parte da minha crença", diz.

Moran pegou suas coisas e se instalou num escritório a 200 metros da antiga MSystems. Lá, formou uma equipe de desenvolvedores e conseguiu um aporte de US$ 100 milhões para lançar no mercado um telefone minúsculo, de 40 gramas. Segundo o "Guinness Book", trata-se do celular mais leve do mundo. Desde então, Moran tem percorrido diversos países para emplacar o que, segundo ele, é a maior invenção do século - "mais importante até do que o pen drive", diz.

Ele se refere, é claro, ao Modu Phone. O aparelho é semelhante a um celular comum, mas seu diferencial está na capacidade de customização. "O mercado estava à espera de um equipamento que pudesse mudar de personalidade", disse Michael Gartenberg, da Strategy and Analysis. O interesse especial pelo Brasil tem dois motivos.

Primeiro pelo potencial do mercado. E, segundo, porque o Modu ainda não é 3G. "Muitos países não aceitam mais outra tecnologia. O Brasil sim", explica Moran. O celular chega ao mercado na próxima semana pela Claro, com preço a partir de R$ 299. Agora é esperar para ver se a sua intuição vai funcionar mais uma vez.

Fonte: Revista ISTOÉ Dinheiro

Postado por J. Tavares

Os ratos começam a abandonar o navio - Postado por: José Flávio Vieira

01/12/2009 - 18h35

Executiva Nacional do DEM abre processo contra Arruda e dá prazo para defesa

Claudia Andrade

Do UOL Notícias

Em Brasília


A Executiva Nacional do DEM decidiu na tarde desta terça-feira (1) deixar a decisão sobre uma eventual expulsão do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), para o dia 10 de dezembro. Arruda é acusado de envolvimento em um esquema de propina no governo. O partido estava dividido, com parte de seus integrantes defendendo a expulsão sumária de Arruda. Contudo, prevaleceu a tese de que a sigla deveria aguardar a defesa do governador e a elaboração de um relatório para ser votado. Ficou acertado que a votação ocorrerá na próxima quinta-feira, dia 10 de dezembro. Serão oito dias para que a defesa de Arruda se manifeste e outros dois dias para que o relatório seja elaborado.

O deputado José Carlos Machado (SE) foi indicado para relatar o caso, mas disse que terá de conversar com o presidente da sigla, deputado Rodrigo Maia (RJ), antes de aceitar a incumbência. "Fui pego de surpresa." Minutos depois do anúncio, Machado renunciou ao posto. Antes mesmo do encerramento da reunião, o líder do partido na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), escreveu no microblog Twitter que a reunião estava "tensa". "Já apresentamos nosso pedido de expulsão. O partido tem que dar exemplo", defendeu. Caiado e outros dois integrantes do partido, o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), e Demóstenes Torres (GO), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, apresentaram uma petição a favor da expulsão sumária.

"Nós encaminhamos uma proposta e só nós defendemos essa proposta. Os outros defenderam uma proposta alternativa, qual seja de o processo ser julgado no dia 10 [de dezembro] após defesa prévia, elaboração do relatório e votação", disse Agripino. Mais tarde no Twitter, foi mais incisivo: "Decisão final deve ser expulsão de Arruda". Presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), classificou de "chocantes" as imagens sobre esquema de propina no DF. Questionado sobre as implicações da crise no DEM para as eleições do próximo ano, já que o partido tem aliança com o PSDB para compor o palanque da oposição, Maia disse que os dois assuntos não estão relacionados e defendeu a decisão tomada nesta terça. "Ao contrário de outros partidos, o DEM vai se posicionar (sobre a crise)", afirmou.

Os integrantes do partido voltaram a se manifestaram no Twitter. "Minha posição pela expulsão não foi votada. Não existe nada mais desagradável do que um momento como este", disse Caiado. "Na quinta-feira, a Executiva vota a expulsão de Arruda. Para mim, não foi o ideal. O partido perdeu oportunidade." "Denúncias têm imagens graves. O prazo de 8 dias é prazo mínimo que o estatuto exige num rito sumário. DEM decide dia 10. Em definitivo", escreveu o deputado Índio da Costa (RJ). Ao menos dez deputados (dois deles suplentes), assim como o governador Arruda e três secretários do Distrito Federal, suspeitos de participar de pagamento de propinas. O esquema teria começado em 2002 e, além de servir ao enriquecimento pessoal de vários integrantes do governo, teria financiado à campanha eleitoral de Arruda para o governo do Distrito Federal. As denúncias foram reveladas durante a operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, realizada na última sexta-feira (27). Imagens da ação mostram o governador e outros integrantes de sua gestão recebendo maços de dinheiro. Todos negam as acusações.

Impeachment e defesa

Dois pedidos de impeachment foram protocolados na Câmara Legislativa do Distrito Federal nesta terça-feira. A oposição deve entrar com um novo pedido na quarta-feira (2), reunindo a assinatura de diversos movimentos sociais e entidades como a CUT (Central Única dos Trabalhadores). Arruda voltou a afirmar hoje que é vítima de um complô armado pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa - que realizou as gravações -, com a ajuda de seus adversários políticos. Em nota divulgada esta tarde, Arruda cita que Durval responde a mais de 30 processos por atos de corrupção praticados durante o governo passado, de Joaquim Roriz (PSC) e que, "para se livrar da lama", a jogou em todas as direções.

Na nota, Arruda garante que irá apresentar à Justiça "provas irrefutáveis de sua inocência". Ele também afirma estar confiante na decisão de seu partido, com cuja cúpula se reuniu ontem (30), em um clima de "elegância e respeito mútuo, sem nenhum tipo de pressão". PSDB deixa o governoA Executiva Nacional do PSDB decidiu, na tarde desta terça-feira, deixar a base de apoio do governador José Roberto Arruda.

"O PSDB não está mais no governo do Distrito Federal.

Todos os que forem do PSDB devem sair do governo atual", anunciou o presidente do partido, senador Sérgio Guerra (PE). "Os que não saírem do governo, não serão mais do PSDB. Os que saírem do governo e tiverem processos serão submetidos ao Conselho de Ética do partido", acrescentou. Desde que o escândalo do mensalão do DEM veio a público, na última sexta-feira, outros três partidos já tinham abandonado a base aliada de Arruda: PDT, PPS e PSB. Não houve decisão relacionada ao presidente da sigla no DF, Márcio Machado, que estaria envolvido nas irregularidades, o presidente do PSDB disse que quem tiver denúncias contra si "terá de se explicar".

Em reportagem publicada nesta terça-feira, o jornal "Folha de S.Paulo" afirma que o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa acusa Machado de atuar na coleta de propina e distribuição do dinheiro a aliados políticos. O presidente do partido tucano no DF assumiu a Secretaria de Obras do governo Arruda em 2007.

VIDEO de Empresário recebendo Propina em Brasília


Arri Égua!!!
- Flagrado com a boca na Botija e não é prova suficiente !

O presidente Lula disse que as imagens em que Arruda aparece recebendo pacotes de dinheiro de seu então assessor, Durval Barbosa, autor das denúncias, não permitem que se faça um julgamento do governador. Mesmo depois de registrado em filme, ainda tem gente que não acredita e defende os bandidos. Taí o vídeo para quem não viu ontem na TV, de empresário recebendo propina. Tem prova maior que essa ? O que é que falta ? Amigos, sinceramente, eu NUNCA vi uma coisa dessas tão escancarada no Brasil. O QUE É ISSO, MINHA GENTE !!!



Fonte: Globo.com

Prefeito Samuel Araripe luta pela PEC29 da Saúde


Lamentando o estado da Saúde no Brasil, o prefeito Samuel Araripe em entrevista nos falou sobre um movimento suprapartidario que está em andamento, e que visa dividir os custos da saúde em fatias proporcionais entre o Município, Estado e a União. É a chamada PEC29. Assim falou à nossa reportagem o prefeito Samuel Araripe:

"Dihelson, nós estamos numa guerra pra gente aprovar a PEC29 da Saúde. A Saúde está destruída no Brasil. Por quê ? Porque o município é obrigado a investir 15 por cento. O Estado é obrigado a investir 12%, e a União ficou de fora da lei. A União investe na saúde, 1.6% do orçamento. Então, os prefeitos do Brasil, ( é um movimento suprapartidário ), estamos aí numa batalha, só falta regulamentar a PEC ( Projeto de Emenda à Constituição ) número 29, que diz que o Governo Federal terá que investir na saúde, 10 por cento. Aí ficaria: União, 10 por cento, Estado 12% e município 15%, aí resolve o problema, Dihelson. Enquanto a União não assumir a sua responsabilidade, a gente vai continuar vendo fila nos hospitais pra tudo no mundo, porque saúde tem que ser prioridade. Agora, a PEC tá lá, pressão dos prefeitos, e o governo vai ter que se manifestar. "

Pref. Samuel Araripe

Desfazendo intrigas – por Pedro Esmeraldo


Não somos bisbilhoteiros, por isso gostamos de combater as bisbilhotices – inseridas na defesa da minha cidade natal – presentes nos pensamentos de alguns dos homens sérios de Crato. Felizmente, ou infelizmente, não somos políticos arraigados aos moldes antigos, ou seja, não somos afeitos ao coronelismo ultrapassado, que tanto prejudicou o crescimento de Crato.
Muitas vezes, procuramos equilibrar-nos tentando enfrentar os desafios existentes nas artimanhas, que só vêm prejudicar o crescimento harmonioso de nossa terra. Já chega de tomar partidos em ocasiões obscuras, as quais não contribuem para o bom desempenho administrativo. Por isso, queremos afirmar – uma vez que presenciamos tomadas de posições nocivas à cidade – onde há “mandingas” que causam espécie, prejudicando o crescimento urbano de Crato, considerando que a maioria da população torce por um trabalho sério e honesto por parte das nossas autoridades.
Daí, criamos coragem e partimos para a luta a fim de avisar aos que se prevalecem como donos da situação – julgando-se os "maiorais" – e também avisando aos órgãos da prefeitura: fiquem atentos. Mostrem eventuais erros. Mobilizem as chefias correspondentes e suas áreas de trabalho, evitando-se medidas erradas. Consertemos os erros, apressemo-nos nas construções dos melhoramentos necessários e evitemos acontecimentos sombrios que só vêm prejudicar a cidade.
Fizemos vista grossa em várias administrações, mas queremos relatar desacertos ocorridos em administrações passadas, que nos prejudicaram devido ao pensamento tacanho de alguns administradores anteriores.
Frequentamos, algumas vezes, os gabinetes municipais com o único desejo de alertar para erros, mostrando acontecimentos desnorteados ocorridos por muito tempo. E isto foi causado pela fraqueza desses homens que realmente só pensaram em praticar o clientelismo doentio, protegendo aos apadrinhados políticos mal acostumados. Com isso esqueceram de administrar com correção e acerto em benefício desta cidade.
Ultimamente, tivemos a ousadia de comunicar ao atual prefeito o fechamento da Escola H. Firmeza, que foi o esteio do Ensino Fundamental durante as três últimas décadas. Por esse motivo vivemos um período crítico e desagradável já que alguns cratenses vêm fazendo vista grossa sobre este fato. Da nossa parte só querermos que esses políticos façam o seu trabalho em benefício de toda a população de Crato.
Não adianta ficar fazendo críticas desconexas, visto que nós, os cratenses, não esmoreceremos e partiremos para a luta, chova pu faça sol. Só temos um desejo: ver a cidade muma marcha segura. Marchando no caminho sério do desenvolvimento sustentável.
Texto de Pedro Esmeraldo

Lucro do BNDES pode superar R$ 4 bi em 2009, diz Coutinho


O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho, afirmou nesta segunda-feira que o lucro do banco em 2009 pode superar os R$ 4 bilhões. Segundo Coutinho, o resultado deste ano será 'um pouquinho menor' do que o do ano passado, quando ficou em R$ 5,3 bilhões. 'Já estamos perto de R$ 4 bi. Pode ser que a gente ultrapasse, não posso dizer ainda. Estou dando um número mais ou menos impreciso', afirmou o presidente do BNDES. No primeiro semestre do ano, o lucro foi de apenas R$ 702 milhões, 83% menor do que o do mesmo período do ano passado. Ele não informou quais fatores levaram à recuperação. O presidente do BNDES afirmou também que a emissão de debêntures (títulos de longo prazo) da BNDESPar (braço de participações acionárias do BNDES), de R$ 1 bilhão, vai ajudar a estimular o mercado de capitais no país. Para ele, as empresas poderão encontrar na emissão uma referência para utilizar as debêntures como uma forma de financiamento.

'Essa oferta de debêntures é importante porque a debênture do BNDES é a de referência no mercado. É a debênture mais líquida, e como tem um prazo longo, ajuda a formar curva de juros das debêntures do setor privado', afirmou Coutinho. Coutinho passou as informações durante evento na Fiocruz, em Manguinhos, zona norte do Rio, onde assinou termo de cooperação para discutir formas de apoio do banco à fundação, ligada ao Ministério da Saúde. A ideia é que, além dos desembolsos do Funtec (Fundo Tecnológico), o BNDES possa realizar outros empréstimos para financiar parte dos investimentos previstos pela fundação para os próximos cinco anos, da ordem de R$ 1 bilhão. 'A Fiocruz pode ser um canteiro de sementes para criar empresas inovadoras. Nós podemos apoiá-las e depois, se derem certo, serão empresas bem sucedidas na área da saúde', afirmou Coutinho.

DIANA BRITO
colaboração para a Folha Online, no Rio

O bairro Vilalta está na mira dos BANDIDOS.


É impressionante a quantidade de pessoas que me relatam os acontecimentos nesse querido bairro do Crato.Os bandidos agem de forma descarada e atrevida.O uso e a venda de drogas se tornaram frequentes nas ruas do bairro.Jovens e adultos promovem o terror na vida dos cidadãos de bem assaltando e intimidando quem passar por determinadas ruas.

Na terça-feira da semana passada estive na rua Dr.Rolim que fica próximo a Socicol, conversei com alguns moradores.O Sr.Aldenor Pereira, funcionário público que reside nesse local; falou que está impossível viver sossegado com tanto assalto e menores usando drogas na porta de sua casa.Já a moradora Geni Pereira, disse que na semana passada tomaram o celular das mãos de sua amiga Raquel quando ela abria o portão de sua casa.

É nobres colegas.Está difícil de viver assim.ALÔ RONDA DO QUARTEIRÃO, ALÔ GUARDA MUNICIPAL DO CRATO, ALÔ CONSELHO TUTELAR vamos resolver o problema dessa juventude no bairro VILALTA e trazer a tranquilidade ao povo que reside nesse bairro tradicional da cidade do Crato.

MOISÉS ROLIM

Concurso público para professor - Por: Tarso Araújo

A Fundação Universidade Estadual do Ceará (Funece) está com inscrições abertas até o dia 4 de dezembro, para Seleção Pública de Professor Substituto, com 62 vagas. Os interessados podem dirigir-se à sede da Comissão Executiva do Vestibular da Uece, no Campus do Itaperi, no horário das 8 horas às 12 horas e das 13 horas às 17 horas, exceto aos sábados, domingos e feriados. A Seleção para Professor Substituto contemplará os candidatos da Capital com 20 vagas, e para as unidades da Uece nos municípios de Quixadá, Itapipoca, Limoeiro do Norte, Iguatu, Crateús e Tauá com 20 vagas. A taxa de inscrição no valor de R$ 80,00 deverá ser paga por meio de Boleto Bancário, gerado na Internet ou na sede da CEV, nos guichês de atendimento.

Poderão se inscrever candidatos que tenham concluído a graduação, mediante requerimento dirigido ao Presidente da Funece, indicando a Unidade de ensino e o respectivo Setor de Estudo a que concorrem a uma das vagas oferecidas neste Edital. Os novos professores já começam a trabalhar logo após a realização do processo seletivo. Para o Setor de Estudos em que não houver inscritos, ou requerimento de inscrição deferido, neste caso, será admitida excepcionalmente a inscrição de candidatos portadores de Diploma de Bacharelado ou de Licenciatura Plena. A primeira fase da Seleção conta de uma escrita, que acontecerá no dia 10 de janeiro de 2010.
De acordo com o Edital de nº 31/2009, o prazo de contratação do Professor Substituto será de até 12 meses, prorrogável apenas uma vez, até no máximo de 24 (vinte e quatro) meses, de duração total do contrato. O regime de trabalho do Professor Substituto será de 40 (quarenta) horas semanais, e sua remuneração será fixada de acordo com sua titulação. O vínculo de Professor Substituto com a Funece obedecerá ao regime previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Seleção Pública será coordenada e executada pela Comissão Executiva do Vestibular (CEV) da Uece. Maiores Informações pelos telefones (85) 3101.9710 e 3101.9711.

Fonte: Blog do Tarso

Lula sobre vídeo de Arruda: "Imagem não fala por si" - postado por Armando Lopes Rafael


Por Edson Sardinha

O presidente Lula defendeu hoje (1º), em Portugal, cautela na análise das denúncias contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), acusado de pagar mesada em troca de apoio a deputados distritais e auxiliares. De acordo com o presidente, as imagens em que Arruda aparece recebendo pacotes de dinheiro de seu então assessor, Durval Barbosa, autor das denúncias, não permitem que se faça um julgamento do governador. O petista defendeu o aprofundamento das investigações.
“A imagem não fala por si. O que fala por si é todo o processo de apuração, é todo o processo de investigação. Quando tiver toda a apuração e investigação terminadas, a Polícia Federal vai ter que apresentar o resultado final do processo. Aí você pode fazer juízo de valor e mesmo assim quem vai fazer é a Justiça”, disse Lula em entrevista coletiva em Estoril, onde participa da XIX Cúpula Ibero-Americana.
Fonte: www.ig.com.br
* * *
COMENTÁRIO DO POSTADOR:
Como sempre, o presidente do Brasil é contumaz em declarações tolas. Ora, o vídeo é claro. A imagem fala por si, Sr.Presidente!
Bom lembrar que Lula é defensor contumaz dos corruptos (recordem-se da defesa feita por ele dos 40 indiciados do “mensalão”, de Sarney, Renan Calheiros, Collor de Mello, Jader Barbalho, dentre tantos...Vade retro!

Justiça suspende casamento gay na Argentina

BUENOS AIRES, Argentina (AFP) - A Justiça suspendeu nesta segunda-feira o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo na Argentina, previsto para esta terça-feira, informou uma fonte judicial. A juíza Marta Gómez Alsina decretou uma "medida cautelar até que se decida sobre a ação" apresentada contra a decisão de outra magistrada, que julgou "inconstitucionais" dois artigos do Código Civil que estabelecem que para o matrimônio "é necessário o consentimento de duas pessoas de sexos distintos". O primeiro casamento civil da América Latina entre pessoas do mesmo sexo estava previsto para esta terça-feira, em Buenos Aires.

A juíza Alsina garantiu que sua decisão não constitui "qualquer discriminação sobre a coabitação de pessoas homossexuais" e destacou que a lei já confere às pessoas do mesmo sexo "a opção de celebrar a união civil". Há uma semana, a juíza Gabriela Seijas, de um tribunal de Buenos Aires, autorizou o registro civil do casamento de Alejandro Freyre, de 39 anos, com José María Di Bello, 41, em uma decisão inédita na Argentina e na América Latina. Em Buenos Aires vigora desde 2003 a união civil entre homossexuais, que permite aos cônjuges o acesso aos direitos sociais, como pensão, mas restringe alguns procedimentos, como a adoção. Um projeto de lei para o casamento gay é debatido na Câmara dos Deputados, mas empaca na falta de acordo entre os principais blocos.

Fonte: Yahoo Notícias

Nem com folha de Arruda...


01/12/2009 - 07h00

Escândalo de Arruda põe em xeque ideia de renovação do DEM

Rosanne D'Agostino

Do UOL Notícias

Em São Paulo


O esquema de propina envolvendo o governador José Roberto Arruda e seu vice, Paulo Octávio, no Distrito Federal, pode ser definitivo para acabar com o projeto de mudança de imagem que a sigla de ambos, o DEM (Democratas), vem construindo desde 2005.O antigo PFL (Partido da Frente Liberal), que mudou de nome em 2007, passou por uma fase de "refundação". A renovação (palavra muito usada por líderes do partido na fase de mudança) inflou nomes como o atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o atual presidente da sigla, Rodrigo Maia, além do próprio Arruda, único governador eleito pelo DEM em 2006.Agora, um dos principais nomes dessa nova fase aparece em vídeos como líder de uma organização que faria pagamento de propina a deputados distritais aliados, em troca de apoio na Câmara Legislativa.
Arruda, que antes de entrar no PFL foi líder do governo Fernando Henrique Cardoso no Senado e deixou o partido tucano em meio a seu envolvimento com o escândalo da violação do painel do Senado, em 2001, nega as acusações e afirma que todos os recursos foram contabilizados.
Para Hilton Cesario Fernandes, mestre em ciência política, o partido "acaba de ter uma vidraça quebrada".
"Para o DEM, é muito ruim mesmo. O partido vinha de uma mudança, e o Arruda era uma das imagens dessa mudança. Agora, terá menos força de negociação, além de perder força de oposição, que poderia bater sem ser atacado", diz o professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.
José Paulo Martins Jr., doutor em ciência política da fundação, vai mais longe e acredita que o escândalo representa um "naufrágio" do já fraco DEM.
"O PFL, atual DEM, está definhando há um certo tempo. Perdeu governos, prefeituras. É um partido de caciques, que desde sua fundação, esteve ao lado do governo. Hoje, está distante de recursos governamentais e, agora, sob esse escândalo. A tendência é o naufrágio", avalia.
Ainda conforme os especialistas, as acusações contra Arruda não são o grande problema do partido. "A cada eleição a sigla se desidrata", diz o professor, que cita os números das últimas eleições. Em 1998, o DEM elegeu 105 deputados federais e seis governadores. Em 2006, foram 65 deputados federais e apenas o governador do DF.
"Até o ano 2000, podia ser chamado de partido nacional. Hoje é regionalizado e bem fraco. Mas tudo isso não decorre do escândalo. O problema é que o principal discurso dessa fase de renovação era o da ética, que evapora. A melhor coisa é tentar isolar, mas é difícil, porque é o único governador", conclui Martins.


Pó, piranhas e Robin Williams – Por André Forastieri

Robin Williams costumava mandar muito bem em humor grosso. Era viciado em cocaína e elétrico no palco. Passou parte dessa energia para algumas performances – Popeye, Bom Dia Vietnã, Alladin.

Depois largou o vício e foi ficando cada vez mais sem graça, fazendo filminhos chochos “para toda a família”.

Virou filantropo, tem carro elétrico, é ciclista etc. Seus filmes como protagonista são intragáveis desde Hook, 1991, em que faz um Peter Pan envelhecido.

Robin ainda manda mais ou menos bem em pontas (como Teddy Roosevelt, nos dois Uma Noite no Museu) e em entrevistas – cospe piadas e imitações como uma metralhadora. Na de ontem, no David Letterman, explicou assim como o Rio ganhou de Chicago, na disputa para ser sede das Olimpíadas:

“Chicago enviou a Oprah Winfrey e a Michelle Obama. O Brasil mandou 50 strippers e meio quilo de pó. Não foi uma competição justa.”

A história acabou de rolar e já vi um post reclamando, “humor duvidoso” etc. Qual o problema? Qualquer alvo é bom alvo para uma piada.

Letterman esculhamba toda noite sua amada Nova York. Se Robin quisesse tirar sarro, sei lá, da França, ia dizer que na Olimpíada de Paris não ia ter chuveiro, porque francês não toma banho.

O problema é que a piada sobre o Rio não é engraçada. Tanto que ninguém na plateia riu.

Mas é um tantinho reveladora da nossa imagem nos Estados Unidos. Por que pó? Porque no Brasil está cheio, e os filmes brasileiros que chegam lá fora falam exatamente de tráfico, favelas e tal.

Por que cinquenta strippers? Ora, porque nossas mulheres têm fama de bonitas, e porque de fato está cheio de stripper brasileira nos EUA.

Uns anos atrás peguei um táxi no aeroporto de Nova York, JFK, e o motorista brasileiro e ilegal me convidou para uma bandinha noturna por New Jersey, “está cheio de stripper brasileira e essas, dependendo da grana, dão”.

Thanks, but no, thanks.

A piada também sugere que o Brasil não tem as mesmas armas dos países ricos para ganhar uma competição. Temos tudo aqui, cara, inclusive o Eike Batista.

O importante não é competir. O importante é ganhar. Medalha de ouro, você vira garoto propaganda de um monte de marcas, é recebido pelo presidente etc. Sem medalha, sem moral.

O Rio ganhou para ser sede da Olimpíada? Vai correr um rio de dinheiro na direção certa, para os bolsos certos. Chicago? Dançou.

O importante é ganhar, mesmo que via anabolizante. O fundamental é não ser pego.

Esta é a “ética” dos esportes e dos negócios, no Brasil e em qualquer lugar. Robin entende de drogas, mas não entende de doping.

Fonte: http://blogs.r7.com/andre-forastieri/

Dia Mundial de Luta contra a AIDS - Por Beto Fernandes


Em queda nos grandes centros urbanos, epidemia cresce no interior do país.De 1997 a 2007, a taxa de incidência cresce em municípios com menos de 50 mil habitantes

Os grandes centros urbanos do país – onde estão concentrados 52% dos casos de aids – registraram queda de 15% na taxa de incidência da doença entre 1997 e 2007. Nesse mesmo período, a incidência nos municípios com menos de 50 mil habitantes dobrou, revelando que a epidemia caminhou para o interior do país. Em 1997, a taxa nas cidades com menos de 50 mil habitantes era cerca de oito vezes menor do que a registrada nas cidades com mais de 500 mil pessoas. Em 2007, essa relação caiu para três vezes.

A análise foi realizada pelo Ministério da Saúde, que elaborou um panorama detalhado dos casos de aids nos 4.867 municípios brasileiros onde já foi notificada, pelo menos, uma ocorrência da doença. O perfil da epidemia está no Boletim Epidemiológico Aids/DST 2009, a ser divulgado nesta quinta-feira, 26 de novembro.

Em municípios com mais de 500 mil pessoas, houve decréscimo da taxa de incidência, entre 1997 e 2007, de 32,3 para 27,4 notificações por 100 mil habitantes. Ao longo desses dez anos, 24 dos 39 municípios com mais de 500 mil habitantes registraram queda significativa na taxa incidência ou se mantiveram estáveis. Como essas 39 cidades são responsáveis por 283.191 casos de aids (52% do total de casos acumulados), mudanças ocorridas ali têm impacto maior para a conformação da epidemia.

No mesmo período, a taxa nas cidades com menos de 50 mil habitantes passou de 4,4 ocorrências em 1997 para 8,2 em 2007. O conjunto das 4.982 cidades com menos de 50 mil habitantes (90% dos municípios brasileiros) concentram 34% da população e 15,4% dos casos de aids identificados no país, em 2007.

“O mapa permite conhecer as diversas epidemias existentes no país e fornecer aos gestores locais os instrumentos para que eles possam adequar as respostas à sua realidade”, afirma a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Mariângela Simão.

Municípios de médio e grande porte – Dos 100 municípios com mais de 50 mil habitantes que apresentam maior taxa de incidência de aids, os 20 primeiros da lista estão no Sul. A primeira colocada é Porto Alegre (RS) com taxa de incidência de 111,5 por 100 mil habitantes, seguida por Camboriú (SC) com 91,3.

A tendência de crescimento de aids nas cidades menores e queda nas maiores confirma-se nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Mas, Norte e Nordeste apresentam um perfil diferente. Ocorre aumento da taxa de incidência, quando se compara 1997 com 2007, tanto em municípios grandes quanto em pequenos.

“Os dados justificam a necessidade de contínuo investimento em ações descentralizadas, respeitando as especificidades de cada local, sem perder o foco de que a epidemia, no Brasil, é concentrada”, destaca Mariângela Simão.

Dados gerais – De 1980 a junho de 2009*, foram registrados 544.846 casos de aids no Brasil. Durante esse período, 217.091 mortes ocorreram em decorrência da doença. Por ano, são notificados entre 33 mil e 35 mil novos casos de aids. Em relação ao HIV, a estimativa é de que existam 630 mil pessoas infectadas no país.

Dos casos de aids acumulados de 1980 até junho de 2009, a região Sudeste é a que tem o maior percentual (59,3%) do total de notificações, com 323.069 registros da doença. O Sul concentra 19,2% dos casos, com 104.671 notificações; Nordeste (11,9%), com 64.706; Centro-Oeste, (5,7%), com 31.011; e Norte (3,9%), com 21.389. Dos 5.564 municípios brasileiros, 87,5% (4.867) registram, pelo menos, um caso da doença. A distribuição percentual de casos de aids por região de residência em 2007, quando comparada à distribuição da população brasileira no mesmo ano, apresenta um quadro interessante, principalmente para as regiões Nordeste e Sul: 28% da população brasileira residia no Nordeste em 2007, enquanto que somente 17% dos casos de aids foram identificados nessa região, no mesmo ano. O oposto ocorre no Sul, onde se concentrava 15% da população e 24% dos casos foram identificados. Nas demais regiões, a proporção de casos se assemelha à distribuição populacional.

Sexo e faixa etária – A razão de sexo (número de casos em homens dividido por número de casos em mulheres) no Brasil diminuiu consideravelmente do início da epidemia para os dias atuais. Em 1986, a razão era de 15 casos de aids em homens para cada caso em mulheres. A partir de 2003, a razão de sexo estabilizou-se. Para cada 15 casos em homens, existem 10 em mulheres.
Chama atenção a análise da razão de sexo em jovens de 13 a 19 anos. Nessa faixa etária, o número de casos de aids é maior entre as meninas. A inversão vem desde 1998, com 8 casos em meninos para cada 10 casos em meninas.

Entre homens, a taxa de incidência em 2007 foi de 22 notificações por 100 mil habitantes e nas mulheres de 13,9.

Em ambos os sexos, as maiores taxas de incidência se encontram na faixa etária de 25 a 49 anos. A taxa apresenta tendência de crescimento a partir dos 40 anos em homens e dos 30 em mulheres, comparando-se 1997 e 2007.

Formas de transmissão – De forma geral, no segmento de homens que fazem sexo com homens (HSH), ocorre uma tendência de estabilização na proporção de casos. A média é de 28% da proporção de casos registrados entre os homens, a partir de 2000.

Entre jovens gays na faixa etária de 13 a 24 anos também houve aumento na proporção de registros – passou de 29,0%, em 1997, para 43,2%, em 2007.

Dentre as estratégias de enfrentamento à aids, a política de redução de danos brasileira tem conseguido alcançar resultados significativos. A transmissão por drogas injetáveis apresentou uma acentuada queda no número de casos da doença, tanto em homens quanto em mulheres. Entre eles caiu de 22,6%, em 1997, para 7,4%, em 2007. Nas mulheres, a queda foi ainda maior: de 10,2%, em 1997, para 2,6%, em 2007.

Em 2007, entre adultos do sexo masculino, na categoria de exposição sexual, há maior transmissão entre heterossexuais (45,1%). Na categoria sanguínea, a transmissão é maior entre usuários de drogas injetáveis (UDI – 7,4%). Em mulheres, o predomínio da forma de transmissão é heterossexual em toda a série histórica. Em 1997, a infecção por meio do sexo desprotegido era responsável por 88,7% dos casos. Em 2007, esse percentual alcançou 96,9%.

Mortalidade – O coeficiente de mortalidade vem-se mantendo estável no país, a partir de 2000, em torno de 6 óbitos por 100 mil habitantes. Nos últimos oito anos, as mortes por aids em homens caem e em mulheres mantêm-se estáveis. Em 2000, foram registrados 3,7 óbitos por aids em cada 100 mil mulheres. Em 2008, o coeficiente foi de 4,1. Em homens, há diminuição de óbitos a partir de 1998 (de 9,6 registros por 100 mil habitantes, em 1998, para 8,1, em 2008*).

Transmissão vertical – O Brasil reduziu em 41,7% a incidência de casos de aids em crianças menores de cinco anos de idade. O coeficiente de mortalidade também caiu cerca de 70,0% (em 1997, o coeficiente de mortalidade era de 2,0 por 100 mil habitantes, caindo para 0,6, em 2007).
A queda na taxa de transmissão da mãe para o bebê é resultado dos cuidados no pré-natal e pós-parto. A taxa de incidência de aids nessa faixa etária é utilizada para monitorar rotineiramente a transmissão vertical do HIV, pois praticamente representa o total de casos (93,9% das notificações). De 1984 a junho de 2009 foram identificados 13.036 casos de aids em menores de cinco anos.

Sífilis congênita – De 1998 a junho de 2009, foram notificados 55.124 casos de sífilis congênita (transmitida da mãe para o bebê) em menores de um ano de idade no Brasil. São registrados, em média, 5 mil casos da doença a cada ano. A estimativa do Ministério da Saúde, contudo, é de que ocorram 12 mil notificações anualmente. Dos casos registrados em 2008, 39% (2.150) foram no Sudeste, 33,9% (1.872) no Nordeste, 13,4% (739) no Norte, 7,3% (403) no Sul e 6,3% (342) no Centro-Oeste. Em relação ao número de mortes em consequência da sífilis congênita, em 10 anos o país registrou 976 óbitos.

A partir de 2005, os casos de sífilis em gestantes também passaram a ser registrados. Do início da notificação até 2008, foram identificados 19.608 casos de mulheres grávidas com sífilis, sendo 6.955 só no ano passado – a estimativa é de que se contabilizem cerca de 48 mil mulheres grávidas com sífilis anualmente. Com o objetivo de diminuir a subnotificação de casos de sífilis tanto em mulheres quanto em bebês, estados e municípios pactuaram com a gestão federal a melhoria da qualidade da informação sobre a doença, na Programação das Ações de Vigilância em Saúde (PAVS), em 2007.

Para reduzir as taxas de transmissão vertical do HIV e da sífilis, o Ministério da Saúde lançou, em 2007, o Plano Nacional de Redução da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis. O documento traz metas para redução dessas taxas até 2011. A intenção é aumentar o número de testes de sífilis realizados em gestantes de 2,1 milhões para 4,8 milhões. No caso dos testes anti-HIV, o quantitativo passará de 1,4 milhão para 2,3 milhões.

Do ponto de vista da saúde pública, o principal desafio no combate à sífilis é a transmissão vertical. Durante a gravidez, a doença pode provocar aborto e morte do feto. Já sua manifestação congênita acarreta malformações ósseas, surdez, cegueira e problemas neurológicos, entre outros, para a criança. No caso do HIV, a transmissão vertical pode ocorrer durante a gravidez, no parto e nos primeiros meses de vida do bebê, por meio da amamentação.

Os exames para detectar a sífilis e o HIV estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). As chances de transmissão vertical de sífilis congênita podem ser eliminadas e a infecção por HIV pode cair para 1%, se adotadas medidas adequadas de prevenção e tratamento.
*dados preliminares

Confira outros dados do Boletim Epidemiológico PDF [426 KB]

Evolução da taxa de incidência dos 39 municípios com mais de 500 mil habitantes entre 1997 e 2007 PDF [12 KB]

Atendimento à imprensa

Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais
(61) 3306 7051/ 7033/ 7010/ 7016/ 9221-2546
Site:
http://www.aids.gov.br/
E-mail:
imprensa@aids.gov.br
Atendimento ao cidadão
0800 61 1997 e (61) 3315 2425

Fonte: TODOS CONTRA O PRECONCEITO
Pesquisado e postado por Beto Fernandes



Ibope rebate Record e diz que enfrenta instabilidade

NE - Ibope parou a contagem quando a Record se aproximou da Globo.

O Ibope, empresa que aufere audiências de programas da televisão brasileira, emitiu comunicado nesta segunda-feira em resposta à reportagem exibida ontem no programa "Domingo Espetacular", da Rede Record. O programa questionou a credibilidade do grupo Ibope "em todo seu negócio". Na prática, a Record acusou o Ibope de atender aos interesses da concorrente, ao retirar o sinal de medição minuto a minuto no momento em que se aproximava da líder Globo. O Ibope negou todas as acusações. Segundo o comunicado, desde o apagão do dia 10 de novembro a empresa enfrenta "instabilidade" no recebimento de "dados de domicílios pertencentes à amostra de TV na Grande São Paulo". Segundo a empresa, este fato estaria criando dificuldades "para todos os assinantes do serviço", dentre eles a Rede Record.

No comunicado desta segunda-feira, assinado pela diretora comercial do Ibope, Dora Câmara, a empresa ressalta que, "mesmo respeitando o direito de manifestação do cliente, discordamos das críticas apresentadas, considerando que este é um problema momentâneo". O grupo disse ainda que está "trabalhando intensamente" na regularização da publicação dos dados para "superar essa instabilidade". A nota diz que a empresa se pauta pela "excelência na qualidade do serviço prestado". Na última quinta-feira, três dias antes da reportagem contra o Ibope, a Record havia proibido que sua assessoria de comunicação divulgasse qualquer índice de audiência até segunda ordem.

Fonte: Folha OnLine

Por que a escola precisa ensinar cidadania - Postado por Océlio Teixeira


Por Ruth de Aquino

"Alunos nas escolas britânicas aprenderão uma nova lição: não bater em mulheres e meninas. Por ano, na Grã-Bretanha, 1 milhão de mulheres sofrem ao menos um episódio de violência doméstica, e 750 mil crianças são testemunhas. A aula estará no currículo obrigatório para crianças a partir de 5 anos. Formar os valores do indivíduo, dar noções de cidadania... é papel da escola ou da família? Do jeito como as coisas andam, por mais que eu defenda a soberania individual, sou a favor de aulas de cidadania. É um terreno pantanoso. Não se fala aqui da antiga aula de moral e cívica, de assustadora lembrança. Mas de noções de convívio pacífico, não discriminação racial ou sexual, respeito ao meio ambiente, ao vizinho e aos idosos, e alertas para o abuso de álcool, drogas, armas, e contra a violência em casa, no trânsito, na rua, na sala de aula.

Não deveria ser papel dos pais? Ao atribuir à escola parte da responsabilidade pela formação do cidadão, não estaríamos passando atestado da falência da família? Não são os pais que devem ensinar o certo e o errado, de acordo com seus princípios morais e éticos? Teoricamente, sim. Mas, como pais, cumprimos nosso papel? A família moderna – em que pais e mães trabalham dez horas por dia e dedicam pouco tempo aos filhos, ou se divorciam numa velocidade maior do que se casam – é autossuficiente para formar cidadãos responsáveis? A sociedade tem contribuído positivamente para mostrar à criança a fronteira da liberdade que não incomoda o outro? Quando se fala em defesa da cidadania, logo se pensa em sair às ruas e exigir nossos direitos. E os deveres de cada um? Quem é o guardião – precisamos de guardiães?

Uma tragédia ocorrida em Belo Horizonte na quinta-feira demonstra a impotência de famílias que não sabem a quem apelar quando os filhos se viciam e se tornam agressivos. Bruno Guimarães, de 29 anos, que já havia sido internado seis vezes para desintoxicação, foi morto com 12 tiros por três PMs em sua própria casa. Quem chamou a polícia foi o pai. Bruno e amigos consumiam crack e cocaína. Os PMs arrombaram o quarto, e o rapaz atacou um PM com uma faca. Balas de borracha não surtiram efeito, e o PM descontrolado disparou 12 tiros com uma pistola 40. Doze tiros! Fica claro para os pais que chamar a PM para conter um filho drogado não é opção. Não é desse tipo de “guardião” que as famílias precisam. Podemos criar uma sociedade menos violenta? Dois estudos divulgados na terça-feira, em São Paulo, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revelaram que 55% dos jovens dizem ter visto corpos de pessoas assassinadas no último ano. Sabemos que não são as famílias sozinhas, ou as escolas – sem condições de ensinar direito nem português e matemática –, que darão jeito nisso. Falta um foco obsessivo do Estado na educação ampla e irrestrita. Até que ponto escolas e famílias podem criar uma parceria saudável? Na Grã-Bretanha, pais reagiram ao curso contra a violência doméstica. Uma mãe disse que o governo deveria se concentrar em ensinar as crianças a ler e escrever, e parar de interferir em como os pais criam seus filhos. O primeiro-ministro inglês, Gordon Brown, disse que “a violência contra mulheres e meninas é uma obscenidade, por isso as escolas tentarão mudar atitudes enraizadas desde a infância”.

Na América Latina, é pior. Um estudo da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) mostrou que a violência do parceiro atinge 40% das mulheres: “De pancadas a ameaças de morte, acompanhadas por forte violência psicológica e às vezes também sexual”. Até que ponto o Estado ajuda ou prejudica? É contribuição ou intromissão? Complicado. Sou favorável à Lei Seca, à proibição do fumo em lugares fechados, à adoção de uma educação ambiental desde cedo. Sou totalmente contra apostilas e livros com viés ideológico, que santificam ou demonizam personagens históricos para fazer a cabeça da criançada. Também acho abuso injustificável usar escolas laicas para pregações religiosas. Mas acredito que a criação de uma cultura cidadã é responsabilidade de todos. Pais, escolas, Estado."

Fonte: Revista Época, 26/11/2009

O Censo do Ensino Superior - Postado por Océlio Teixeira

Este é o editorial do Jornal O Estado de São Paulo de hoje, dia 01/12/2009. Uma excelente análise das revelações feitas pelo Censo do Ensino Superior do MEC, elaborado a partir dos dados de 20089. Vale a pena ler e discutir, visto que vivemos no berço do ensino superior do interior do Ceará. Quem quiser ter acesso às informações do Censo pode acessar http://www.inep.gov.br/

"Elaborado pelo Ministério da Educação (MEC) com base em dados de 2008, o Censo da Educação Superior revela que o ritmo de expansão da oferta de vagas e do número de matrículas já começou a diminuir, depois de ter registrado taxas anuais de crescimento de até 13% na primeira metade da década de 2000. Segundo o Censo, o País tem hoje 5 milhões de estudantes universitários. A vertiginosa expansão do ensino superior, nesse período, com o surgimento de novas universidades particulares confessionais e o aumento de vagas nas universidades públicas, foi o desdobramento natural de um processo iniciado com a universalização do ensino básico, na década de 1990, e o crescimento do número de estudantes do ensino médio. Agora, como lembram os especialistas, a criação de novas instituições universitárias está perdendo fôlego e a tendência para os próximos anos é de estabilização do setor. Entre 2007 e 2008, o número de centros universitários, faculdades e universidades caiu de 2.281 para 2.252, ao mesmo tempo que aumentou o número de vagas ociosas.

Só as 57 universidades federais, que têm 643 mil alunos, ficaram com 7 mil vagas não preenchidas no ano passado. Esse número representa metade das vagas criadas em 2008 pelo programa de expansão do ensino superior custeado pela União. Esse programa, que prevê investimentos de R$ 2 bilhões, é uma das iniciativas mais divulgadas do governo do presidente Lula. Segundo as estimativas, o custo médio de cada vaga numa universidade federal é de R$ 12 mil.

A existência de vagas ociosas nas universidades federais, como mostrou o Censo do Ensino Superior, vai obrigar o MEC a rever sua política para o setor. Para os especialistas, além de criar cursos não profissionalizantes e pouco atrativos para os estudantes, o governo cometeu o equívoco de criar novas universidades federais em regiões já suficientemente atendidas por instituições públicas, confessionais e particulares. "Não houve planejamento. Em algumas regiões, o aumento era desnecessário, pois não havia demanda", diz o pedagogo Carlos Monteiro.

Outro equívoco apontado pelos especialistas foi a criação de universidades federais em cidades pequenas situadas em regiões de fronteira ou no interior do Nordeste, onde a qualidade do ensino básico e do ensino médio é reconhecidamente baixa. É grande o número de candidatos a uma vaga nessas instituições que não conseguem ser aprovados nos vestibulares e de universitários que desistem, por não conseguir acompanhar os cursos oferecidos. "Isso é dinheiro público jogado fora", diz o consultor Ryon Braga, comentando a elevada taxa de evasão nessas universidades. O mais sensato, nesse sentido, teria sido investir no ensino fundamental. Rebatendo a crítica, a secretária de Ensino Superior, Maria Paula Dallari Bucci, lembra que essas universidades foram criadas para oferecer cursos de formação a professores.

Outra importante constatação do Censo do Ensino Superior é o aumento de 11%, entre 2007 e 2008, das matrículas de universidades com notas baixas nos mecanismos de avaliação do MEC. O Censo revela que as 558 instituições reprovadas em provas como o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) concentram 16% dos universitários do País. Quase todas essas instituições pertencem à rede privada e cresceram justamente porque suas mensalidades são as mais baixas do mercado. Em outras palavras, o levantamento do MEC mostra que, na hora de escolher um curso, os alunos se preocupam mais com os valores que terão de pagar do que com a qualidade da universidade. Para o MEC, como esses estabelecimentos atendem as faixas mais pobres da população, o mais adequado não é fechá-los, mas supervisioná-los, estimulá-los a melhorar e aplicar punições, como o corte de vagas - sanção que recentemente foi imposta pelo órgão a algumas faculdades de direito e de medicina. A função do Censo do Ensino Superior é propiciar um diagnóstico do setor, dando às autoridades as informações de que precisam para aprimorar um sistema educacional que sempre primou pela falta de qualidade. "

Fonte: O Estado de São Paulo

STDS atende a mais 650 jovens estudantes do Interior


O Governo do Estadual amplia as ações de qualificação profissional de juventude no interior cearense, garantindo mais jovens no mercado de trabalho em todo o Estado. O Governo do Ceará na Minha Cidade, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) beneficia, desta vez, um total de 650 jovens de 21 municípios, através dos projetos Criando Oportunidades e Primeiro Passo. Nos dias 1 e 2 de dezembro (terça e quarta-feira próximas), nas cidades de Acopiara e Brejo Santo, respectivamente, a Secretária Fátima Catunda entrega certificados de conclusão de curso a 505 estudantes e assina a adesão para os dois programas atendendo a mais 145 estudantes carentes.

Na última edição do Governo do Ceará na Minha Cidade, o Primeiro Passo iniciou turmas em outros 8 municípios para atender a um total de 160 jovens da região Até o final do ano, a meta de alunos qualificados pelo programa é de 21 mil jovens, na capital cearense e no interior. Desta vez, serão atendidas, além dos municípios sedes do Governo na Minha Cidade, as cidades de Cariús, Iguatu, Jucás, Orós e Catarina no primeiro dia; Missão Velha, Porteiras, Jardim, Mauriti, Penaforte, Aurora, Milagres, Abaiara e Barro no segundo dia.

Mais Ações

Durante a passagem por Acopiara, a titular da STDS, Fátima Catunda, fará a entrega de kits de trabalho de cozinha através e certificados para alunos concludentes do curso de Corte e Costura nos municípios de Cariús e Massoterapia em Iguatu. Haverá à disposição da população local, as unidades móveis do Primeiro Passo Digital e do Sine/IDT. Em atendimento às pessoas com deficiência da região, a STDS fará ainda a doação de cadeiras-de-rodas aos cidadãos cadastrados. No município de Brejo Santo, os estudantes concludentes dos cursos de Corte e Costura e feitura de Doces e Salgados, e do curso de Mecânica de Moto na cidade de Aurora, receberão os kits instrumentais de trabalho.

Governo do Ceará - Via Lindomar Rodrigues

Publicidade: Clínica São Raimundo - Várzea Alegre


O Blog do Crato tem o prazer de fazer a publicidade da Clínica São Raimundo, da cidade de Várzea Alegre - CE, que acredita no nosso trabalho como meio de buscar a integração regional. A Clínica São Raimundo é uma empresa conceituada. Comandada pelos renomados médicos Dr. Menezes Filho e da Dra. Ana Micaely de Morais Meneses. Especializada em pediatria, ultrassonografia, fisioterapia especializada, RPG.

Eis algumas fotos da nossa empresa/parceira que fazemos questão de divulgar:



Acima: A Logomarca oficial da Clínica São Raimundo, em Várzea Alegre.


Acima: O Médico, Dr. Menezes Filho em atividade.

Acima: Dra. Ana Micaely de Morais Meneses

Cuidando de seus pacientes com carinho e dedicação...



Clinica São Raimundo.
Rua Dep. Luis Otacilio Correia 129. Várzea-Alegre. Fone (088) 3541-1467.
Especialidade: Pediatria, ultrassonografia, fisioterapia especializada, RPG.

"Cuidando com carinho e responsabilidade do povo de Várzea Alegre !"

Anuncie no Blog do Crato.
Contatos:
blogdocrato@hotmail.com
Tel: 088-3523-2272

Igreja Católica cubana estreia blog

A Igreja Católica cubana estreou seu primeiro blog, chamado "Creer en Cuba" (Crer em Cuba), com artigos sobre espiritualidade, fé e valores, explicou hoje à Agência Efe o responsável pela página, o engenheiro laico Sergio Cobarrouy. "É um espaço aberto para compartilhar a fé de viver em Cuba, na ilha e fora dela, e nele se pode tratar de qualquer tema caso seja afim ao blog", explicou Cobarrouy, que administra o site a partir do bispado ocidental de Pinar del Río.

O site www.creerencuba.org "tem contribuições de cubanos e de pessoas de outras partes do mundo interessadas em viver a fé cristã encarnada na realidade", acrescentou Cobarrouy. O primeiro artigo, intitulado "Bienvenido" (Bem-vindo), é a apresentação do blog, enquanto o mais recente é um texto do próprio Cobarrouy que fala sobre "como viver a fé em terra estrangeira". Em um anúncio publicado no site dos bispos católicos de Cuba, Cobarrouy explica que o blog será "um espaço para a proposta, mais do que para o lamento, um lugar para falar e escutar".

O engenheiro explicou à Efe que a página será um lugar para "propor, opinar e discordar, mas haverá de se respeitar sempre as pessoas e renunciar aos partidarismos políticos". "As contribuições e comentários serão publicados caso cumpram com estas condições e colaborem para o melhoramento humano", acrescentou.

da Efe, em Havana - Através da Folha OnLine

Venezuela expulsa mais de 100 garimpeiros brasileiros – postado por Armando Lopes Rafael

(Fonte: O POVO)

A denúncia partiu do ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva. Além dos mais de 100 brasileiros, foram retirados à força do território venezuelano garimpeiros colombianos e equatorianos. Os incidentes recentes na fronteira da Venezuela com a Colômbia já deixaram mais de 10 mortos. A Venezuela expulsou de seu território na Amazônia centenas de garimpeiros que trabalhavam sem licença, entre eles colombianos, equatorianos e mais de 100 brasileiros. Foi o que revelou ontem o ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva.

"Vamos denunciar às autoridades internacionais de direitos humanos esse tipo de deslocamento forçado, que viola o direito internacional humanitário", declarou Silva na cidade de Puerto Iñírida, onde esteve para entregar ajuda aos garimpeiros. O ministro destacou que foi "uma expulsão sem qualquer processo (legal), sem informação e sem aviso", o que dificultou a "recepção humanitária destas pessoas". "Acreditamos que a expulsão envolveu mais de mil pessoas, inclusive cem brasileiros", que trabalhavam no garimpo de Yapacá, na zona da cidade de San Fernando de Atabapo, no Estado venezuelano do Amazonas. Silva assinalou que as autoridades colombianas entrarão em contato com o Governo em Brasília para organizar a repatriação dos garimpeiros brasileiros.

Enxotados
Alguns dos expulsos disseram a jornalistas que acompanharam Silva em viagem a Iñirida, capital do departamento de Guainia, que foram forçados a deixar a Venezuela por tropas da Guarda Nacional daquele país, que chegaram à área de exploração "fazendo disparos e obrigando todos a sair correndo". "Estávamos lá quando chegaram os helicópteros (da Guarda Nacional) e fomos obrigados a sair. Simplesmente disseram que éramos ilegais e nos mandaram partir", disse um dos garimpeiros, Pedro Matías, à rádio RCN.

Um levantamento inicial estabeleceu que chegaram a Iñírida cerca de 380 colombianos e 45 brasileiros. As autoridades venezuelanas impediram ontem o ingresso em seu território de uma missão colombiana que pretendia verificar a informação de que grupo de pessoas poderia retornar para a Colômbia. O episódio é um dos vários incidentes recentes entre Colômbia e Venezuela na fronteira entre os dois países, que já deixaram mais de 10 mortos. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, congelou as relações com a Colômbia em agosto e chegou a conclamar os cidadãos a se prepararem para a guerra, dizendo que o acordo que permite aos Estados Unidos usar sete guarnições militares da Colômbia é uma ameaça à segurança regional. (das agências de notícias)

Postado por Armando Lopes Rafael
Comentário do postador: Alguém duvida que o atual governo brasileiro fará um silêncio sepulcral sobre essas expulsões?


Dica de Filme: "ANTES DE PARTIR" - Com Jack Nicholson e Morgan Freeman


Um daqueles filmes fantásticos, inesquecíveis, que nos ensinam os grandes valores da vida. Assim é o filme "Antes de Partir", estrelado por Jack Nicholson e Morgan Freeman. Eis uma pequena resenha deste filme fabuloso:

Você só vive uma vez, portanto, por que não viver com estilo? Essa é a conclusão a que chegam dois pacientes portadores de câncer internados em um mesmo quarto, um irascível bilionário (Jack Nicholson) e um simplório mecânico (Morgan Freeman), quando recebem as más notícias. Cada um deles eles monta uma lista de coisas a serem feitas até o momento derradeiro, e juntos saem mundo afora para viver a maior aventura de suas vidas. Salto de pára-quedas? Perfeito. Pilotar um Mustang Shelby em alta velocidade? Feito. Admirar a grande pirâmide de Khufu? Feito. Descobrir a alegria em suas vidas antes que seja tarde demais? Feito! Sob a competente direção de Rob Reiner, estes dois astros oferecem interpretações de corpo e alma nesta inspirada saudação à vida, que prova que o melhor momento para se viver ainda é o agora.

Fonte: DVD world

Trecho Barbalha-Jardim será recuperado em 360 dias - Por: Tarso Araújo


O
s serviços de restauração e melhorias da rodovia CE-060, no trecho entre Barbalha e Jardim, na região do Cariri, serão autorizados nesta terça-feira (1), às 20h30min, na Estação Central do Metrõ do Cariri, em Juazeiro do Norte, pelo governador Cid Gomes, secretário Adail Fontenele, da Infraestrutura e superintendente do Departamento de Edificações e Rodovias, Quintino Vieira. Os trabalhos no trecho, de 38 km, estão orçados em R$ 18,6 milhões. A obra será fiscalizada pelo DER e receberá serviços de drenagem, pavimentação, obras de contenção, sinalização, urbanização e paisagismo, bueiros e proteção ambiental, dentre outros. Serão 300 dias para a conclusão da obra, que irá beneficiar os municípios de Barbalha, Jardim e região sul do Estado, dotando-a de uma rodovia segura e bem sinalizada, o que garantirá mais segurança no tráfego de pessoas e mercadorias na região.

Fonte: Blog do Tarso

Luizianne aceita Dilma e Ciro no palanque de Cid


A prefeita Luizianne Lins (PT) admitiu ontem que desiste da hipótese de candidatura própria do PT ao Governo do Estado caso o governador Cid Gomes (PSB) garanta em seu palanque a presença da pré-candidata do presidente Lula ao Planalto, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), sem dar exclusividade a seu irmão Ciro Gomes (PSB), caso também se confirme a candidatura dele à Presidência.

“Acho que o Cid deverá abrir o palanque dele pra Dilma. Isso é condição. Ele vai apoiar certamente o PSB porque ele é do PSB. O presidente estadual do PSB, que é o Cid, não pode deixar de apoiar o Ciro, porque é irmão, porque é do partido. Isso é natural, porque o PSB vai apoiar“, afirmou Luizianne durante entrevista coletiva concedida após a abertura do 56ª Reunião da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que acontece até hoje em Fortaleza.

Logo em seguida, a petista foi bem objetiva: “Agora, o que nós temos é que ele (Cid) vai ter que abrir o palanque dele pra ministra Dilma“, considerou.
Com esse novo posicionamento, a prefeita acaba aderindo à tese apresentada pelo próprio deputado Ciro Gomes na última sexta-feira. O pré-candidato à sucessão de Lula admitiu que, caso ele e a ministra Dilma sejam candidatos ao comando do Palácio do Planalto, ambos poderão encontrar apoio no palanque de Cid. Segundo Ciro, essa é uma situação que vai se repetir “no Brasil inteiro“.

Ciro e Luizianne cortaram definitivamente relações políticas nas últimas eleições para a Prefeitura de Fortaleza. Apoiador da candidatura de sua ex-esposa, a senadora Patrícia Saboya (PDT), o deputado federal afirmou que Fortaleza mais parecia “um puteiro a céu aberto“, e que a prefeita não passava de uma “coronel de saias“.

A resposta de Luizianne veio quase um ano depois. Em entrevista ao O POVO, a petista chamou Ciro de “truculento“ e declarou que o membro mais famoso da família Ferreira Gomes “não está preparado para governar o Brasil“.

Alencar confirma
Antes de a prefeita Luizianne Lins fazer prognósticos sobre as eleições de 2010 aqui no Ceará, o presidente da República em exercício, José Alencar (PRB) – homenageado ontem durante a abertura da 56ª Reunião da Frente Nacional de Prefeitos – admitiu a possibilidade dos palanques estaduais serem compartilhados por diferentes candidatos à Presidência ou que exista um palanque para cada um deles.

Na visão de Alencar, o ideal seria que houvesse apenas um candidato da base aliada disputando a sucessão do presidente Lula. Entretanto, se isso não for possível, o presidente acredita que os planos do Governo não ficarão prejudicados. “O que nós desejamos é que seja um só. Não podendo, vamos trabalhar. Política é a arte do possível", ponderou.

Fonte: Jornal "O POVO"
Foto: Arquivo do Jornal Diário do Nordeste


Um texto para chamar a atenção dos historiadores. - Luiz Felipe de Alencastro

Esta postagem me foi autorizada pela autor: Professor Luiz Felipe de Alencastro, grande amigo de Violeta e Miguel Arraes. Mora em Paris onde pesquisa e ensina. Ele tem um blog muito interessante chamado Sequências Parisienses (http://sequenciasparisienses.blogspot.com/). Apenas postei o texto dele após me autorizar com muito carinho: Sr. José, Pode publicar, sim, a postagem. Fico muito honrado de estar num blog do Crato, terra dos meus queridos e saudosos Miguel e Violeta

O texto que segue abaixo é muito interessante pois revela que haviam estrutura intercontinentais, no bojo do mercantilismo, que organizavam forças militares que juntavam as duas faces (América e África) numa só força militar. Aliás quando se observar a própria formação da bandeiras paulistas, talvez se encontre nelas uma forma de organização deste tipo de força. É um texto para historiades se interessarem pelo tema.

O texto abaixo é extraído de um artigo meu intitulado História Geral das Guerras Sul-Atlânticas: o episódio de Palmares que será publicado em Flávio Gomes (org.), Mocambos de Palmares. História, historiografia e fontes. 7Letras editora/FAPERJ, R.J.,2009.

O tema do artigo é mostrar (de novo) que o Atlântico Sul configurava um só espaço colonial unindo o Brasil à África portuguesa, e principalmente à Angola. Noutra parte do artigo, mostro como Palmares também foi atacado por milicianos reinóis e “brasílicos” (colonos do Brasil que ainda não possuiam o sentimento nacional) que haviam combatido em Angola. E tinham, portanto, a prática das guerras africanas. Aqui me concentro num poema sobre milicianos pobres que reclamam por não ter recebido prebendas após a destruição de Palmares. Nas notas de pé página marquei as diferenças entre esta interpretação e as análises de Luiz Mott e de Clóvis Moura, que também estudaram o poema. Marco, antecipadamente, o aniversário da morte de Zumbi, no dia 20 de novembro.

***
« Um texto de um pé-rapado brasílico reinvidica sua parte de glória na defesa do ultramar. Trata-se de um poema sobre a petição dirigida ao Conselho Ultramarino por um soldado raso que combatera como “praça de pé” (sic) no ataque final a Palmares, em 1694. Pereira da Costa, sempre atento à documentação, publicou o poema em seus Anais Pernambucanos. Mas não indica de onde o extraiu, nem se havia papelada anexa. Composto no esquema de rima abbaaccddc, o poema é uma variante da „décima espinela‟, forma literária do barroco ibérico utilizada, entre outros, por Calderon de la Barca (“La vida es sueño”) e Gregório de Matos (“Define sua cidade”). Na sequência, a décima popularizou-se na América Latina, sendo ainda celebrizada nos dias de hoje pela guajira cubana, a literatura de cordel e os violeiros nordestinos. Neste caso -, como no gênero “dez a quadrão”-, a décima é dialogada, com um violeiro entoando um verso, o outro o verso seguinte, e os dois juntos cantando os dois últimos versos. Assim, a décima dá ao poema o tom de uma queixa picaresca que pode ter sido lida, recitada ou cantada em Pernambuco, dando grande alcance às sentenças dos versos. Zebedeu, nome de origem bíblica tornado folclórico em Pernambuco e noutras partes, “filho de Braz Vitorino” (para rimar com Conselho Ultramarino), não se refere aqui a uma pessoa precisa, mas a um grupo de soldados pobres, preteridos na distribuição de presas e prêmios depois da guerra de Palmares. O apelo ao Conselho Ultramarino -, “justiceiro” e “afamado”-, merece reflexão.

Os versos ilustram o conhecimento amplo, nesta parte do ultramar, de que este foro palatino -, mais que o governador da capitania, o governador-geral e o próprio rei -, apresentava-se como a instância legítima e adequada para a solução definitiva dos contenciosos coloniais. Em seguida, como apontei alhures, evidencia-se a repactuação entre o centro e a periferia mediante a distribuição de cargos e o reescalonamento do mérito dos combates ultramarinos.

Contemporâneo da obra de Gregório de Matos, o poema retrata a situação do praça de pré, recrutado “quase menino” e despachado mal equipado, descalço (talvez venha daí a autoironia da expressão “praça de pé”), para a friagem da Serra da Barriga. “De fome e frio morrendo, descalço de pés no chão”, para ali combater “noite e dia”, onde “se estrepou” (isto é, se feriu no “estrepe”, paus pontiagudos postos em torno de Palmares ou enfiados em buracos dissimulados, os “fojos”). Sem receber nenhuma recompensa em propriedade, em soldo ou em promoção, nem “terras, [nem] dinheiro, [nem] patente”. O verso sobre o “valentão” Félix José pode referir-se à generalidade dos camponeses açorianos vítimas de recrutamento forçado, cuja inexperiência de combate valia-lhes frequemente o apodo de “bisonhos”. Tanto Zebedeu, pobre “bolônio” (bocó), como seus aparceirados, foram em frente, dando batalha feroz aos palmaristas, “vis escravos” a quem “não trataram como gente”, quer dizer, a quem trataram como se fossem bichos. No final das contas, foram os soldados e cabos que se acovardaram que receberam recompensas.

Sem recomendações de seus superiores ou de potentados locais, estes “zebedeus” invocavam a proteção e o testemunho de santo Antônio, de quem traziam o santinho ou a medalha (“junto a mim noite e dia”), e que fora oficialmente declarado patrono e soldado pago das tropas que atacaram Palmares. E no final, o pedido para o que dá o direito de juntar bandoleiros e pilhar índios e quilombolas com a chancela da Coroa. A única saída para quem não tinha nome ou propriedade. O lugar de quem tudo pode no sertão: capitão

Eis o poema em verso quebrado do praça estrepado:

“Ao Conselho Ultramarino
Que tão justiceiro é,
Zebedeu praça de pé
Filho de Braz Vitorino,
Bem moço, quase menino,
Para Palmares marchou,
Pelo que lá se estrepou
Sendo um dos desgraçados,
Que voltaram aleijados
E por fim nada ganhou.

Ali de arcabuz na mão,
Dia e noite combatendo,
De fome e frio morrendo,
Descalço, de pés no chão,
Ao lado do valentão Félix José dos Açôres
Que apenas viu dos horrores,
O painel desenrolar-se
Foi tratando de moscar-se
Com grande sofreguidão.

Do que venho de narrar,
Apesar de ser bolônio,
Pode o padre Santo Antônio
Muito bem corroborar,
O que não é de esperar
Proceda d'outra maneira,
A sua fieira
Sua afeição, valentia,
Pois junto a mim noite e dia
Não desertou da trincheira

Ele viu, bem como eu,
Quando o combate soou
Quando a corneta tocou,
A gente que então correu;
A essa foi que se deu
Como garbosa e valente
Terras,dinheiro, patente
Com grande injustiça e agravos
P'ra aquêles que aos vis escravos
Não trataram como gente.

A vós Conselho afamado
Que a justiça só visais,
Para que não amparais
O pobre do aleijado?
Que no mundo abandonado
Sem ter quem lhe estenda a mão,
Tem por certo a perdição,
Da vida, pois quase morto,
Só poderá ter confôrto,
Se o fizerdes - capitão.”

Quer tenham sido mercenários dos fazendeiros na América, quer fossem milicianos agregados às tropas regulares em Angola, tais combatentes – capitães, cabos e “zebedeus” -, faziam valer seus talentos de bugreiros e de capitães do mato nos dois lados do mar.

Para além dos documentos, e na ausência de outros textos como o poema acima, é preciso considerar a troca de experiências facultada pelo convívio destas tropas tricontinentais, multiétnicas e de variada condição social, cujo traço comum era o Atlântico Sul, e não o Brasil ou Angola. Torna-se essencial mapear os itinerários para saber quem conversava com quem, num mundo em que muita gente sabedora das coisas não sabia escrever. Nos arranchamentos angolanos e brasileiros, nos tombadilhos dos navios que atravessavam o oceano, nos serões africanos e nas selvas americanas, essas tropas compunham um gênero de novo exército colonial de brancos, negros, índios e mestiços que, “de pés no chão”, pilhava rebeldes e nativos dos dois continentes.

Não há exemplo de tropas deste gênero e com este raio de ação, agindo nos outros teatros da moderna expansão européia.

Por: José do Vale Pinheiro Feitosa



Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30